segunda-feira, 29 de março de 2010

Gravetos que pegam fogo: fim do mistério (1)

Uma das principais alegações dos irmãos que gostam de subir ao monte para orar é: “O poder é tão grande no monte que até os gravetos pegam fogo!” Seria isso um sinal de Deus? Por que, então, ele só ocorre em montes?

“Não!” — um cristão místico argumentará — “Os gravetos trazidos do monte também brilham aqui em baixo”. É mesmo?

Bem, é claro que para o Todo-poderoso é muito fácil fazer gravetinhos pegarem fogo ou brilharem no escuro. Moisés esteve em um monte que fumegava (Êx 19). E o Senhor Jesus, em um monte, transfigurou-se diante de seus discípulos (Mt 17.1-13). Entretanto, cheguei à conclusão de que essa história dos gravetos incandescentes nada tem que ver com sobrenaturalidade.

Na escuridão de uma mata é comum ocorrerem fenômenos naturais. Um irmão de Francisco Beltrão-PR, Milton Rogério Seifert, o qual é engenheiro agrônomo, me enviou um e-mail pelo qual assevera: “Os gravetos incandescentes nada mais são que processos naturais de decomposição da madeira onde os fungos decompõem o material e brilham na escuridão. Se trouxermos os gravetos para casa e os colocarmos em um quarto escuro, e eles ficarem lá por um bom tempo, brilharão sempre que houver umidade, até a pupila do olho se acostumar”.

O irmão Milton Rogério também afirma que já foram descobertos até cogumelos bioluminescentes, os quais emitem luz 24 horas por dia! Segundo ele, existem inúmeros trabalhos de pesquisa científica nessa área. E conclui: “Em qualquer mata fechada quem entrar e ficar por lá um bom tempo, se houver umidade, os fungos brilharão assim que a nossa pupila relaxar”. Os tais gravetos incandescentes são, por conseguinte, um fenômeno natural, e não uma manifestação divina sobrenatural.

Mas, por que certos irmãos têm a predileção por orar em montes? Os apóstolos oravam em montes? Não! Aonde Pedro e João estavam indo, na hora da oração? Ao Templo (At 3.1). Onde Pedro estava orando quando o Senhor lhe deu uma visão acerca da evangelização dos gentios? No terraço de uma casa (At 10.9). Nos tempos da igreja primitiva não se orava em montes.

Por que o Senhor Jesus orava em montes? Porque queria ficar a sós com o Pai (Mt 14.23; Lc 9.18), livre do assédio do povo, e não para ver gravetos pegando fogo. E observe que Ele também orava em lugares desertos, não necessariamente em montes (Lc 5.16), mas jamais realizava cultos em lugares assim.

O Senhor orava em montes e lugares desertos porque não havia à época templos como os de hoje. Ele foi claro, ao discorrer sobre o local predileto para a oração: “A minha casa será chamada casa de oração” (Mt 21.13). E também: “quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai” (Mt 6.6).

Não chega a ser uma heresia orar em montes ou vales, em nossos dias. Se houver um local em que não se ponha em risco a integridade física dos seus frequentadores, não vejo problema em visitá-lo. Mas essa história de que os gravetos pegam fogo em cima do monte em geral é defendida por cristãos místicos, pois os verdadeiros milagres ocorrem onde e quando o Senhor quiser, e com propósitos bem definidos.

Ciro Sanches Zibordi

57 comentários:

Ricardo Mamedes disse...

Caro Pastor Ciro,

Um ótimo artigo para destruir misticismos sem fundamento. Aliás, a igreja vive um momento extremamente perigoso, onde a heresia e a apostasia tomaram o lugar do Evangelho simples de Cristo. É muito triste.

Em Cristo,

Ricardo

Anônimo disse...

Rodrigo Sales
Mozarlandia-Go

Gravetos incandescentes ????????
TÔ FORA !!!

Que os cristãos da atualidade venham ser a luz deste mundo e não os gravetos.

A paz do Senhor .

Silvio disse...

A paz do Senhor, Pastor Ciro.
Sinceramente eu gosto de orar no monte, vamos a uma chácara de um irmão nosso ( fica no pé de uma serra e o terreno dele sobre para essa serra ), com toda a segurança e tranqüilidade.

Um dos motivos que nos levaram lá, é a tranqüilidade do local, a distância do centro urbano, da agitação do trânsito e o melhor não tem aquele irmão ou irmã, que faz do culto um ponto de encontro social, que ama contar as novidades do dia a dia.

Concordo sim com o senhor, a casa de oração é a igreja sim, o lugar íntimo é o nosso quarto e nisso eu assino embaixo. Mas sinceramente caro Pastor e colega....há momentos que somente num lugar, como um monte bem afastado do burburinho da cidade grande e de certos "irmãos e irmãs" é que conseguimos orar, falar, se prostrar, se humilhar, diante de Jesus Cristo.

Infelizmente, tem e há certos cristãos que vão ao monte, desprovidos de toda sorte de segurança, que querem apenas uma experiência metafísica, ou esotérica, querem ver gravetos incandescentes, anjos e toda a sorte de misticismo que estão pregando por aí. Sinto muita saudades do tempo de minha mocidade, quando orávamos buscando a santificação, a regeneração, a sabedoria de Deus. Hoje, pelo que andei sabendo, só vão ao monte buscar bençãos materiais e curas disso e daquilo.

Quando puder, e se tiver tempo hábil, faça-me uma visita, sentiria eu muito honrado em ver em meu blog de estudos e comentários rhesus-kareca.blogspot.com

Nos laços do amor do Deus Eterno.

Pr. Sílvio

Joel Aquino disse...

Prezado Pr. Ciro.
A Paz do Senhor!

Esta experiência de orar em monte, muitas das vezes tem sido uma alta sustentação de irmão que querem subsair entre os demais de serem mais crentes, que oram mais que os outros, que tem visões e revelações e profecias e assim sucessivamente, porem sentimos sempre a falta destes, nos culto de doutrina, nas campanha quando convolcados para orarmos pela Igreja em todos os aspecto.
Um forte abraço em Cristo.

Gutierres Siqueira disse...

Pr. Ciro,

Parabéns pelos esclarecimentos.

Abraços!

Judson Canto disse...

Caro pastor Ciro,

Já orei no monte uma vez, aqui em Curitiba. Na verdade, apenas um terreno um pouco elevado numa chácara. Éramos apenas quatro pessoas em busca de um lugar tranquilo, que poderia ser qualquer outro: uma praia, um campo, e assim por diante. Mas no Rio de Janeiro, principalmente, existe uma "subcultura do monte", onde se verificam episódios constrangedoras (nunca frequentei, mas já vi em vídeo e ouvi relatos de outros irmãos), semelhantes à cena que se vê no vídeo do Diante do Trono aí mais abaixo. Não bastasse isso, o culto aos anjos já chega ao extremo de, em alguns casos, substituir Cristo por Gabriel.
Escrevi sobre esse assunto no meu blog, e talvez interesse aos seus leitores:
http://judsoncanto.wordpress.com/2010/03/25/gabriel-o-cristo-alternativo

P.S.: Quanto aos gravetos incandescentes, eu também os vi, e alguns, de tamanho minúsculo, até se movimentavam. Não sei se era ilusão de ótica. Talvez fossem pequenos animais dotados de alguma fosforescência. Para mim, sempre pareceu um fenômeno natural.

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado Pr. Ciro, agradeço ao irmão pela deferência ao indicar o meu blog (Teologia & Graça) em seu blog. Não considere um desreipeito ou falta de consideração, mas nossos blogs não seguem a mesma linha e tema. Por isso, gostaria que o irmão excluísse o link correspondente ao Teologia & Graça.

Esdras Bentho

Ivan Tadeu Panicio Junior disse...

Paz meu amigo Pr. Ciro!

Gostei do esclarecimento, e farei menção do seu artigo na Coluna Do Ivan, na Rádio Sara Nossa Terra via Web, amanhã, dia 31/03 no horário das 9:15 as 9:30 + ou -

Que o bom Deus, continue abençoando sua vida em Cristo

Forte abraço

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Nosso prezamado pr. Ciro Zibordi,

A paz do Senhor!

Matéria que faz "brilhar e pegar fogo" nas mentes de alguns.

Muitos quando a lerem, com certeza, encontrarão a possibilidade de compreenderem e assim, eliminar de suas mentes, a dúvida provocada por muitos que sentem o desejo de aproveitar este fenômeno,para se transformarem em FENÔMENOS, e saem por aí na mesma característica dos que andam caindo e se contorcendo, no morro, no monte, na montanha, ou nos palcos do cai-cai.

Denunciar é preciso, e principalmente com sabedoria e coragem. Parabéns por esta oportunidade aos crentes.

O Senhor seja contigo, nobre amigo,

O menor de todos. Certamente!

Tamar disse...

A velharada penteca que eu conheço, as irmãs Doquinha e o Joãozinho Sapatinho de Fogo sempre oraram no monte. Quando a gente precisa de um crente de verdade a gente corre na casa deles. Afinal todo mundo odeia batistão kkkkk.
É claro que no presente século o monte tá midiático, corrompido, tem camelozada vendendo cuscuz,cd pirata, tem bandidagem de todo tipo.
Na descida do monte o pessoal recebe cartões de pregadores, cantores e um amigo meu recebeu um de um pastor que fazia ordenações por cinquenta mangos.
Eh uma pena...

Deve ser melhor orar no monte que com dois gatos pingados na quarta-feira...
Quem lê, entenda.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro pastor Esdras Costa Bentho,

O meu critério para indicação de blog é bastante pessoal. Não costumo indicar blogs, por exemlo, por mera reciprocidade. E, ainda que o irmão não indique o meu blog, tenho indicado o seu, pois ele trata da interpretação das Escrituras.

Mas não vejo nenhum problema em o irmão não querer que eu indique o seu blog. Para mim, seria um prazer indicá-lo, porém respeito a sua decisão. Que Deus o abençoe.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Tamar,

O objetivo de abordar o assunto é mostrar a minha preocupação em relação ao discernimento. O que é espiritual discerne bem tudo (1 Co 2.15).

É claro que Deus faz muitos milagres, hoje. Mas precisamos saber discernir entre naturalidade e sobrenaturalidade.

A paz do Senhor.

CSZ

HELIO ALVES DA COSTA disse...

a paz querido pastor.
(João
6:3 E Jesus subiu ao monte, e assentou-se ali com os seus discípulos. )

eu ja fui apor varias veses ao montes orar,
em uma oportunidade eu vi os gravetos,(grama e todo o mato rasteiro) ficarem brilhando como se fosse uma lampada florescente, nao e todos os dias que isso acontese,
fenomeno da natureza? emtao todos os dias ou todas as veses que alguem entrar em uma mata a noite comteplaria o fenomeno,

pra mim acreditar na ciencia so com provas concretas,
aimda creio no poder de Deus, e na sua manivestaçao,
por falar em oraçao no monte.

Isaías
4:5 E criará o SENHOR sobre todo o lugar do monte de Sião, e sobre as suas assembléias, uma nuvem de dia e uma fumaça, e um resplendor de fogo flamejante de noite; porque sobre toda a glória haverá proteção.

Marcos
3:13 ¶ E subiu ao monte, e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele.

Marcos
6:46 E, tendo-os despedido, foi ao monte a orar.

Marcos
14:26 E, tendo cantado o hino, saíram para o Monte das Oliveiras.

Marcos
9:2 E seis dias depois Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago, e a João, e os levou sós, em particular, a um alto monte; e transfigurou-se diante deles;

Êxodo
19:18 E todo o monte Sinai fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente.

Êxodo
19:20 E, descendo o SENHOR sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o SENHOR a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu

Salmos
68:16 Por que saltais, ó montes elevados? Este é o monte que Deus desejou para a sua habitação, e o SENHOR habitará nele eternamente.

Mateus
15:29 ¶ Partindo Jesus dali, chegou ao pé do mar da Galiléia, e, subindo a um monte, assentou-se lá.

Lucas
22:39 ¶ E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram.
(DETALHE COMO COSTUMAVA)

Mateus
24:3 E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?

João
8:1 ¶ Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras.

UFA..
chega se for falar aqui os versiculos consenente a jesus e monte, vai ficar muito extenço esse comentario

fica na paz
helio costa

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro pastor Newton Carpintero,

A paz do Senhor!

A iluminação do Espírito é, de fato, melhor que o brilho dos gravetos pretensamente incandescentes.

Um grande abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Hélio Costa,

Respeito a sua crença. Mas na igreja primitiva ninguém mais orava em montes, e sim no Templo e nas casas. O Senhor Jesus orava nos montes, no deserto, em barcos, para ESTAR A SÓS com o Pai, e não para ver "coisas extraordinárias".

O Evangelho não é misticismo, mas poder de Deus (Rm 1.16). Por isso, eu prefiro ver vidas que brilham, crentes cheios do Espírito, incendiados pelo poder do Alto.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro pastor Ivan,

Grato pela deferência. Que Deus o abençoe mais e mais.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Ricardo Mamedes,

Grato pela honrosa visita e pelo comentário. Definitivamente, o Evangelho não é místico. Não podemos nos apartar de sua simplicidade, como nos ensina a Palavra do Senhor (2 Co 11.3).

Em Cristo,

CSZ

Daniehl disse...

Boa tarde, Pr. Ciro!

No evangelho de João 20:27, O Senhor Jesus o exorta Tomé a não ser incrédulo, e sim crente. Note-se que ele não disse "crédulo", e sim crente. Tambem em outras passagens no Novo Testamento a palavra crente é oferecida em contra prosição à incredulidade.

Nas igrejas, hoje em dia, muitas pessoas no afã de nao serem incrédulos, acreditam em tudo o que veem ou ouvem. Tornam-se crédulos, o que não necessariamente os tornam crentes. O que estou querendo dizer?

Entendo que o crente crê e deposita sua confiança somente no Senhor Jesus, enquanto o crédulo crê "inclusive" em Jesus. O crente obedece as palavras do Mestre, já o crédulo obedece somente o que lhe convém. O crente traz tudo à luz da Palavra de Deus; o crédulo traz à sua consciência deformada. O crente mortifica a carne e dá lugar ao Espirito; o crédulo espiritualiza a carne. Os sinais seguem os crentes, enquanto os crédulos seguem sinais. E por ai vai... (rs)

Não vou me extender mais. Mas creio que existem pessoas confusas, decepcionadas e frustradas nas igrejas, por não discernirem essa questão.

Se o amado Pastor entender oportuno, poderia nos brindar com uma postagem sobre essas diferenças com a profundidade e a clareza, segundo o dom que Deus lhe deu.

Seria edificante e muitíssimo bem recebida.

Abçs fraternos em Jesus.

Daniehl

Joao Augusto de Oliveira disse...

Olha Pastor Ciro; gosto muito do seu blog, das matérias que publica, da sua linha teológica e aplogética, etc.
Agora em se tratando do monte, concordo em partes... Veja bem, o Pastor Hélio citou vários versiculos e não gostaria de cometer a redundância de citá-los novamente.
Mas eu pergunto: Porque tanta insistência em desistimular aos irmãos que oramm no monte (como eu por exemplo)?
Esquisitices, por esquisitices eu já vi em Igrejas (Templos), cultos domésticos, etc, etc, etc.
Não seria melhor que estimulássemos aos crentes a orar em qualquer ora e lugar desde que sejam observados a doutrina e os bons costumes???
Ora, o que dizer de alguns heróis da fé (LIVRO HERÓIS DA FÉ- CPAD), como Charles Finney e outros que oravam em matas??
Será que não tinham templos naquela época??
Estou tentando dizer que o segredo não é combater algo que em si mesmo não é errado, e sim instruir os crentes para o fazer com sabedoria e discernimento..
PAZ.
(Desculpem os erros de ortografia)

Anônimo disse...

AMADO PASTOR CIRO, TENHO UM GRANDE CARINHO E RESPEITO PELO SR. PORQUE VEJO SINCERIDADE NAS SUAS PALAVRAS, NÃO ESTOU AQUI PARA QUESTIONAR, PORÉM EU JÁ SUBI NO MONTE E REALMENTE OS GRAVETOS E FOLHAS FICARAM ACESAS COMO UMA LUZ FLORESCENTE, A PALAVRA DE DEUS DIZ NO LIVRO DO PROFETA SAMUEL CAP. 22 VER. 13 QUE PELO RESPLENDOR DA PRESENÇA DE DEUS BRASAS DE FOGO SE ASSENDEM, QUANDO DEUS APARECEU PARA MOISES NO MONTE ELE VIA A SARSA ACESSA, QUEIMAVA E NÃO SE CONSUMIA, TEMOS RESPALDO BIBLICO, A PALAVRA DE DEUS NÃO SE ENTENDE POR MEIOS CIENTIFICOS.


PRESBITERO ASS. DE DEUS
ANSELMO DIAS DE CARVALHO

ORA PELO TEU SERVO,CAREÇO DAS SUAS ORAÇÕES POR MIM E PELA MINHA FAMILIA.

Anônimo disse...

Achei falta de cortesia do Esdras Bentho.
Embora haja um cavalheirismo no pedido, por fora demonstra um pouco de orgulho.
É uma pena esse tipo de atitude.
Como poderei ler artigos de pessoas assim!

Eli Leite

Pr. Santos disse...

Fico Perguntando... O que leva um irmão a pedir ao outro que não indique o seu Blog, será por considerar o blog dele "superior".
Se este Blog não tem nada a ver com a sua linha, porque esteve aqui "visitando". sei lá... O pior que o nome do tal Blog é teologia & Graça. Graça?

O mais curioso que na relação de Blog que o Pr. Esdras aprecia,tem alguns que nada tem haver com a sua linha e tema. Tá parecendo mais algo pessoal do que "linha e tema".

Pr. Santos

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caros internautas:

A paz do Senhor!

Não vejo problema nenhum no pedido do pastor Esdras Costa Bentho, pois ele deixou claro que o seu pedido está relacionado ao fato de nossos blogs não terem a mesma linha editorial. Entretanto, aproveito os comentários acima para fazer alguns esclarecimentos.

Desde a criação deste blog, em 2007, tenho adotado critérios bem pessoais quanto à indicação de blogs e sites. Indico os que pertencem a alguns amigos, os que tratam de temas de minha preferência, como Teologia, Hermenêutica, Apologética, etc. Não costumo indicar blogs ou sites por mera reciprocidade, ainda que isso ocorra, mas de modo natural, e não mediante acordo das partes. Às vezes, indico blogs que não me indicam, simplesmente porque considero interessante indicá-los.

Como os editores de blog não são obrigados a gostar de ter o seu blog associado ao meu, a despeito de muitos outros pedirem para terem o seu nome citado aqui, esclareço: (1) é um direito que me assiste indicar blogs de minha preferência; (2) mas, se algum editor de blog não desejar que eu indique o seu blog, por algum motivo, peço-lhe que me avise, por favor. E o seu blog será retirado de imediato da lista, assim como atendi ao pedido acima.

Em Cristo,

CSZ

Silvio disse...

Está correto o ponto de vista do Pr.Ciro. Também tenho o meu blog e eu indiquei ele por lá, mas isso não quer dizer que o mesmo tenha essa obrigação.

Rosa disse...

É uma pena que existem crentes, como voce que não cre no sobrenatural de Deus, porque vc não subiu ao monte, e fez uma experiencia dessa com Deus.
Aliás os segredos de Deus não são para todos.
Nem todos crêem em dons de visão, em anjos, em profecia, parece que os dons para alguns letrados sumiu da bíblia, ou seerá que eles perderam a simplicidade de buscar a comunhão íntima com Deus.
O jejum, a busca particular, os momentos a sós com Deus.
Pois, a Glória de Deus não é revelada a todos.
Se voce não crê deixe que os outros que buscam creiam naquilo que voce não conseguiu obter.ou seja ver.
Como por ex: há quem critica quem vê anjos, que temos se outros não veem, não temos culpa da sua incredulidade.

Weslei Rocha disse...

Não esperava esta atitude do autor do blog "Teologia e Graça". Simplesmente decepcionante.
Esse negócio de "nossos blogs não seguem a mesma linha e tema" está muito contraditório. Sei que o ECB está no seu direito mas isso não pega bem para servo de Deus.

Anônimo disse...

Meus caros irmãos;
Com exceção de uns poucos aqui, todo o restante está me fazendo recordar o caso de Paul Tillich, o crente e a maça. E pra dizer a verdade, aposto que os irmãozinhos que contemplam esta experiência, não estão na tibieza como os críticos de plantão, mas estão é cheios até o tutano!

Graças a Deus que temos um pastor que sempre vai ao monte com a igreja. Eu mesma nunca tinha visto, mas pude contemplar por várias vezes recentemente. Na primeira vez em que pude ver os gravetos, estávamos num círculo, todos de mãos dadas, muitas pessoas com olhos fechados, mas eu estava de olhos totalmente abertos. De repente, senti que um estreito facho de luz veio meio que na diagonal, passando ao meu lado, parecia algo como se alguém estivesse acendendo uma lanterna muito potente de certa distância em direção ao chão. Logo em seguida, vi pedaços de gravetos brilhando no chão e colhi alguns. E isso ninguém me contou, eu vivi. Por isso, tenho algumas considerações a fazer:

Primeiro: Antes de criticarem, sugiro que procurem experimentar a maça, para poderem falar com propriedade, ao invés de flertar com a ciência. Que a ciência é inimiga da fé isso é fato.

Segundo: E nem adianta dizer que vamos ao monte buscando experiências místicas. Estas experiências acontecem quando e como Deus quiser, vamos ao monte por causa Dele, se Ele fizer, é Deus, se não quiser fazer, continua sendo o mesmo Deus e pronto!

Terceiro: Quando vamos ao monte, não é sempre que acontece de os gravetos ficarem acesos, mas sinceramente, não se parecem nada com material em decomposição, são gravetos grandes e duros, totalmente secos, mas não podres e em lugares até de circulação de pessoas. E até já quebrei alguns, estão secos, mas são novos, não estão envelhecidos...

Quarto: Coisa curiosa é que quando estamos com algum deles na mão, normalmente orando, glorificamos a Deus eles brilham mais ainda... Estranho não esse tal "material em decomposição"?

Quinto: Formigas inteiras vivas que estavam normais ficarem acesas e andando totalmente incandescentes podem por acaso ser material em decomposição? Porque meu esposo já pegou em formigas comuns no chão que estavam normais e ficaram totalmente acesas e vivas.

Sexto: Folhas nas árvores completamente verdes ficarem brilhando de uma hora para outra é porque são material em decomposição?

Sétimo: já acampei inúmeras vezes em passeios com meus pais e irmãos e saí pela madrugada andando em nenhum deles gravetos soltos em decomposição ficaram acesos pelo caminho, onde há inclusive poeira, nem com mais ou menos tempo perto deles para as minhas pupilas modificarem...

Oitavo e último: Saiam da tibieza, e deixem a fé do povo em paz, ninguém valoriza mais os sinais da presença de Deus do que deve valorizar o próprio Deus. Ele é a razão de tudo.

Paz seja com todos!
Amém!

Carla e Régis disse...

Olá Pastor Ciro, descobri seu blog ha pouco tempo, e hj lendo sobre os gravetos, cheguei a conclusão que os que creem nos gravetos acham que Deus só se manifesta no meio do mato, então acho que estamos todos errados, e que deveriamos mudar os templos evangélicos todos para as matas e os montes, pois assim Deus se manifestará a todos nós. Ora, se Deus é onipresente, pq buscá-lo em locais de tão dificil acesso, e as pessoas que são paraliticas ou idosas, vão perder as bençãos por não poderem estar nos montes??? Não estou dizendo que não devam ir ao monte orar, derrepente é um local bem imune ao dia dia corrido dos grandes centros, o que quero dizer é que não se pode medir a fé e a intimidade de ninguém, só por que esta pessoa não vai ao monte, e se Deus se manifesta nos montes, com certeza ele também o faz nos templos onde o invocamos e o adoramos, e no nosso quarto, como Jesus nos orientou a fazer??, não tem graveto, nem formiga, o que deve ocorrer, Deus não nos atenderá? POr isso acho eu que cada um deve cuidar de sua intimidade com deus, e deus em sua infinita sabedoria irá nos atender quando e onde ele bem entender, pois ele é o todo poderoso, o senhor do universo, não depende de nós, e sim nós D'ele. Abraços e que Deus continue o abençoando.

Sidival D. Martins disse...

Meu amado pastor Ciro Sanches Zimbordi, essa opinião é pessoal:
Quando as pessoas como o pastor"E.C.B" comecam a se esquivarem dizendo: Não temos a mesma linha de pensamento é porque a fama ja atingiu a cabeça. e Cristo diminuiu nessas vidas.
Continue firme, pois o Senhor é contigo.

Sidival D. Martins disse...

Meu amado pastor Ciro Sanches Zimbordi, essa opinião é pessoal:
Quando as pessoas como o pastor"E.C.B" comecam a se esquivarem dizendo: Não temos a mesma linha de pensamento é porque a fama ja atingiu a cabeça. e Cristo diminuiu nessas vidas.
Continue firme, pois o Senhor é contigo.
Crente é crente, e a língua é a mesma, aqui, na Europa, nas Américas, e confins da terra.

Antônio disse...

Eu sou a favor de orar em qualquer lugar, em casa, na igreja e também no monte. não tem problemas algum em orar no monte. Minha igreja ora sempre no monte, de menos eu que moro bem longe da igreja e não posso ir com eles ao monte. Perto de minha casa tem montes, mas eu sózinho não vou. Oro em casa mesmo ou na igreja.
Quanto aos gravetos já vi falar, mas não pelo pessoal da minha igreja e sim pelo de outra igreja que todos sabem que é cheia de misticismo e legalismo.
Acho que deve ser bom sim ir ao monte, pois lá só se vai com o único objetivo de estar diante da presença de Deus.

Anônimo disse...

Pastor,
Faz muitos anos que estive em um monte próximo ao Pico do Jaraguá - SP e vi, sim, folhas acesas. Para mim, certamente aquilo foi uma manifestação do nosso Deus...

Henrique Lovizotto disse...

sinceramente creio que DEUS ainda faz coisas maravilhosas e sobrenaturais que nao podemos entender, e o fato de ter presenciado este acontecimento varias vezes, me deu muita alegria e satisfacao de poder ver algo muito simples porem maravilhoso; a paz do Senhor Jesus.

Samuel Fernandes disse...

Samuel Fernandes

A Paz do Senhor Pr.

COncordo que esses fenômenos (Sobrenaturais) não acontecem, o que acontece nos dias de hoje, é que as pessoas estão perdendo o interesse em adquirir "Conhecimento", que envolve toda e qualquer circunstâncias, inclusive científica, Deus usa a Ciência sim a nosso favor, pois temos vários relatos de descobertas científicas para nos beneficiar, e isso não vem de "Deus"?

O que falta para o a maioria do povo de Deus é "acesso a informação", pois acreditam naquilo que falam a eles, e sem buscar a verdadeira fonte de informação acreditam e passam adiante.

Venho ressaltar que:

"Não são as respostas que giram o mundo, e sim as Perguntas"

O que falta mesmo é interesse de buscar informçãoes, pois acreditar que acontecem coisas sobrenaturais, tipo gravetos incandescentes, materialização de dinheiro a nossa frente, e etc... ja basta para os mais humildes (em relação a estudo e informação) acreditarem e assim assumir essa fé.

É uma pena o que acontece hoje dentro das igrejas.


Fiquei muito contente com a postagem do assunto tão complicado de expor uma verdade comprovada a muito tempo, pois existem muitas pessoas que acreditam que é o poder de Deus que faz brilhar os gravetos, e na realidade não passa de um fenomeno normal da Natureza, que é uma obra maravilhosa sim, mais não passa de ser fatos reais de processos e não "Sobrenatural".

Deus o abençoe Pastor Ciro.

Atenciosamente:

Samuel Fernandes∴

Anônimo disse...

Eu fui junto com alguns irmãos orar no monte (estado do RS) e também vi gravetos luminosos. Mas também vi um mandarová (daqueles que são pretos e peludos, não sei o nome) brilhando! O corpo emitia uma luz azulada, parecia uma luz de led, a cabeça era vermelha, então ficou parecida com uma brasa. Peguei-o coloquei no bolso da calça e fechei o bolso segurando com a mão por uns 40 minutos até chegar em casa. Ao tirá-lo do bolso mostrei-o para alguns familiares, o espanto foi geral! Isso foi há mais de 8 anos.

Claudemir Tagliaferro disse...

Eu também tive essa "maravilhosa" experiência de ver gravetos e folhas incandescentes: Estávamos em uma pescaria às margens do Rio Dourados, próximo a cidade de Ponta Porã-MS, quando o fenômeno aconteceu. Lá estavam um novo convertido, um "desviado" e eu. Lendo num velho livro de ciências descobrimos que algumas folhas, por falha genética ao invés de absorverem luz, elas emitem luz, e é logico que só se pode ver no escuro.
Obs: A brilho que desejo ver é o da santidade na minha vida e da igreja!

Harur Rodrigues disse...

Sou imitador de Jesus ... Vou ao monte, eu e mais uns 3 geralmente ... e o monte é ungido ... e pela honra e gloria de Deus não vejo somente galinhos acender ... vejo arvores inteiras ... aos incrédulos apenas lamentos homens de pouca fé ... tipo assim se orar forte cai endemoniado!!!

A PAZ

Paulo César de Souza César disse...

A alguns relatos de grandes milagres na Bíblia, quando Deus interfere na historia de homens de Deus , operando grandes livramentos de forma sobrenatural.

Para citar apenas no livro de Josué, lembremos de Js 10:11 em que vemos Deus intervendo em uma guerra contra os inimigos de Israel, no momento em que o exercito inimigo de Israel fugiam pela descida de Bete-Horon, e o Senhor fez cair do céu uma chuva de pedra que feriu mais soldados do que as armas dos soldados Israelitas, segundo o relato Bíblico. Então vemos aqui Deus se utilizando de um fenômeno natural, que pode ser considerado raro, pelo tamanho das pedras que foram capazes de matar muitos soldados inimigos. Destacando também o fato desta chuva de pedra se localizou em um local estrategicamente determinado por Deus , tendo como alvo apenas os inimigos dos Israelitas mesmo que estes estivessem a pequena distancia destes, porém não foram atingidos. Então aqui temos um evento natural , de grandes proporções, no local e na hora certa, capaz de efetuar uma grande mortandade em um exercito inimigo, com a finalidade especifica de mostrar o juízo Divino e que podemos confiar em sua ajuda quando ele nos promete sua ajuda, conforme o relato bíblico.

No mesmo capitulo 10 no verso 12 a 14, na sequência desta mesma batalha contra os Amorreus o Senhor em resposta a oração de Josué de deter o sol e a lua esticando assim o dia a fim de lhe proporcionar melhores condições de guerrear, assim fez o Senhor e o dia não apressou a pôr-se por quase um dia inteiro.
A pergunta ou especulação é : seria um eclipse - um raro fenômeno cósmico com reflexo na rotação solar , etc ?Esses dois relatos podem ser explicados como fenômenos naturais ? Deus estaria utilizando -se de fenômenos naturais raros - que embora raros podem ser explicados e compreendidos pela ciência- embora seja inexplicável sua ocorrência em momentos e circunstancias tão peculiares . Ocorreram e sucederam em resposta a uma oração em um momento critico na vida do povo de Deus.

Os gravetos incandescentes nada mais são que processos naturais de decomposição da madeira onde os fungos decompõem o material e brilham na escuridão. Se trouxermos os gravetos para casa e os colocarmos em um quarto escuro, e eles ficarem lá por um bom tempo, brilharão sempre que houver umidade, até a pupila do olho se acostumar”.
Conforme o relato acima nada há de extraordinário em simples gravetos brilharem no escuro em condições próprios.

Talvez não seja tão simples explicar gravetos se acendendo em diferentes condições de solo e clima, quando apenas um crente afligido, confiante, e humildemente se prostra com o rosto no chão clamando pela ação divina em sua vida , sua família, sua igreja e se alegria e ver que simples gravetos do chão brilham apos um certo tempo de clamor e lagrimas diante do Senhor.

Sou um defensor ferrenho da decência e da ordem, em qualquer lugar que nos encontremos, da observância dos preceitos bíblicos a despeito de qualquer pratica secular considerada aceitável.
Entendo que a santidade a moderação e sobriedade em nossas vidas sejam condições essenciais para nossa salvação.
Rejeito veementemente qualquer pratica mística, inovações teológicas e qualquer pratica estranha ao bom procedimento do Cristão.

Mas acredito também que a fé Bìblica algumas vezes confrontam o que naturalmente quisermos explicar através da ciência e seus conceitos científicos.

Paulo César de Souza César disse...

A alguns relatos de grandes milagres na Bíblia, quando Deus interfere na historia de homens de Deus , operando grandes livramentos de forma sobrenatural.

Para citar apenas no livro de Josué, lembremos de Js 10:11 em que vemos Deus intervendo em uma guerra contra os inimigos de Israel, no momento em que o exercito inimigo de Israel fugiam pela descida de Bete-Horon, e o Senhor fez cair do céu uma chuva de pedra que feriu mais soldados do que as armas dos soldados Israelitas, segundo o relato Bíblico. Então vemos aqui Deus se utilizando de um fenômeno natural, que pode ser considerado raro, pelo tamanho das pedras que foram capazes de matar muitos soldados inimigos. Destacando também o fato desta chuva de pedra se localizou em um local estrategicamente determinado por Deus , tendo como alvo apenas os inimigos dos Israelitas mesmo que estes estivessem a pequena distancia destes, porém não foram atingidos. Então aqui temos um evento natural , de grandes proporções, no local e na hora certa, capaz de efetuar uma grande mortandade em um exercito inimigo, com a finalidade especifica de mostrar o juízo Divino e que podemos confiar em sua ajuda quando ele nos promete sua ajuda, conforme o relato bíblico.

No mesmo capitulo 10 no verso 12 a 14, na sequência desta mesma batalha contra os Amorreus o Senhor em resposta a oração de Josué de deter o sol e a lua esticando assim o dia a fim de lhe proporcionar melhores condições de guerrear, assim fez o Senhor e o dia não apressou a pôr-se por quase um dia inteiro.
A pergunta ou especulação é : seria um eclipse - um raro fenômeno cósmico com reflexo na rotação solar , etc ?Esses dois relatos podem ser explicados como fenômenos naturais ? Deus estaria utilizando -se de fenômenos naturais raros - que embora raros podem ser explicados e compreendidos pela ciência- embora seja inexplicável sua ocorrência em momentos e circunstancias tão peculiares . Ocorreram e sucederam em resposta a uma oração em um momento critico na vida do povo de Deus.

Os gravetos incandescentes nada mais são que processos naturais de decomposição da madeira onde os fungos decompõem o material e brilham na escuridão. Se trouxermos os gravetos para casa e os colocarmos em um quarto escuro, e eles ficarem lá por um bom tempo, brilharão sempre que houver umidade, até a pupila do olho se acostumar”.
Conforme o relato acima nada há de extraordinário em simples gravetos brilharem no escuro em condições próprios.

Talvez não seja tão simples explicar gravetos se acendendo em diferentes condições de solo e clima, quando apenas um crente afligido, confiante, e humildemente se prostra com o rosto no chão clamando pela ação divina em sua vida , sua família, sua igreja e se alegria e ver que simples gravetos do chão brilham apos um certo tempo de clamor e lagrimas diante do Senhor.

Sou um defensor ferrenho da decência e da ordem, em qualquer lugar que nos encontremos, da observância dos preceitos bíblicos a despeito de qualquer pratica secular considerada aceitável.
Entendo que a santidade a moderação e sobriedade em nossas vidas sejam condições essenciais para nossa salvação.
Rejeito veementemente qualquer pratica mística, inovações teológicas e qualquer pratica estranha ao bom procedimento do Cristão.

Mas acredito também que a fé Bìblica algumas vezes confrontam o que naturalmente quisermos explicar através da ciência e seus conceitos científicos.

Paulo César de Souza César disse...

A alguns relatos de grandes milagres na Bíblia, quando Deus interfere na historia de homens de Deus , operando grandes livramentos de forma sobrenatural.

Para citar apenas no livro de Josué, lembremos de Js 10:11 em que vemos Deus intervendo em uma guerra contra os inimigos de Israel, no momento em que o exercito inimigo de Israel fugiam pela descida de Bete-Horon, e o Senhor fez cair do céu uma chuva de pedra que feriu mais soldados do que as armas dos soldados Israelitas, segundo o relato Bíblico. Então vemos aqui Deus se utilizando de um fenômeno natural, que pode ser considerado raro, pelo tamanho das pedras que foram capazes de matar muitos soldados inimigos. Destacando também o fato desta chuva de pedra se localizou em um local estrategicamente determinado por Deus , tendo como alvo apenas os inimigos dos Israelitas mesmo que estes estivessem a pequena distancia destes, porém não foram atingidos. Então aqui temos um evento natural , de grandes proporções, no local e na hora certa, capaz de efetuar uma grande mortandade em um exercito inimigo, com a finalidade especifica de mostrar o juízo Divino e que podemos confiar em sua ajuda quando ele nos promete sua ajuda, conforme o relato bíblico.

No mesmo capitulo 10 no verso 12 a 14, na sequência desta mesma batalha contra os Amorreus o Senhor em resposta a oração de Josué de deter o sol e a lua esticando assim o dia a fim de lhe proporcionar melhores condições de guerrear, assim fez o Senhor e o dia não apressou a pôr-se por quase um dia inteiro.
A pergunta ou especulação é : seria um eclipse - um raro fenômeno cósmico com reflexo na rotação solar , etc ?Esses dois relatos podem ser explicados como fenômenos naturais ? Deus estaria utilizando -se de fenômenos naturais raros - que embora raros podem ser explicados e compreendidos pela ciência- embora seja inexplicável sua ocorrência em momentos e circunstancias tão peculiares . Ocorreram e sucederam em resposta a uma oração em um momento critico na vida do povo de Deus.

Os gravetos incandescentes nada mais são que processos naturais de decomposição da madeira onde os fungos decompõem o material e brilham na escuridão. Se trouxermos os gravetos para casa e os colocarmos em um quarto escuro, e eles ficarem lá por um bom tempo, brilharão sempre que houver umidade, até a pupila do olho se acostumar”.
Conforme o relato acima nada há de extraordinário em simples gravetos brilharem no escuro em condições próprios.

Talvez não seja tão simples explicar gravetos se acendendo em diferentes condições de solo e clima, quando apenas um crente afligido, confiante, e humildemente se prostra com o rosto no chão clamando pela ação divina em sua vida , sua família, sua igreja e se alegria e ver que simples gravetos do chão brilham apos um certo tempo de clamor e lagrimas diante do Senhor.

Sou um defensor ferrenho da decência e da ordem, em qualquer lugar que nos encontremos, da observância dos preceitos bíblicos a despeito de qualquer pratica secular considerada aceitável.
Entendo que a santidade a moderação e sobriedade em nossas vidas sejam condições essenciais para nossa salvação.
Rejeito veementemente qualquer pratica mística, inovações teológicas e qualquer pratica estranha ao bom procedimento do Cristão.

Mas acredito também que a fé Bìblica algumas vezes confrontam o que naturalmente quisermos explicar através da ciência e seus conceitos científicos.

Anônimo disse...

Realmente, asim como dois batismos, isso não pasa de um afalsa doutrina! A exemplo de batismo no espirito santo e fogo, que na realidade quer dizer salvação e condenação, SIM! Vamos ler a Bíblia gente!!! Coisas como graveto pegando fogo, não demonstram nada da parte de Deus!
A Bíblia é clara! As pessoas que gostam de manterem "suas" opiniões emocionais em primeiro lugar, é quem defendem heresias como estas e como que o batismo com fogo é uma coisa boa!!! Paz de Cristo a todos!

Joao Souza disse...

Gostei muito do texto, eu já fui muitas e muitas vezes no monte, porém quando vou, vou para orar e não para ver sinais, pois os sinais devem seguir aos que creem e não os que creem seguirem os sinais, quanto aos gravetos incandescentes eu já vi muitas e muitas vezes e por isto proponho um desafio a todos os que aqui estão comentando favoráveis ou não, vá ao monte em tempo de seca em torno de quarenta dias sem nenhuma chuva e veja se eles vão aparecer, já fizemos esta experiência inúmeras vezes em tempos de seca e não aparece, e tem mais a luz de uma lanterna é mais forte que a luz de Deus? Porque é necessário que as lanternas estejam apagadas para se ver os tais gravetos.

Joao Souza disse...

Gostei muito do texto, eu já fui muitas e muitas vezes no monte, porém quando vou, vou para orar e não para ver sinais, pois os sinais devem seguir aos que creem e não os que creem seguirem os sinais, quanto aos gravetos incandescentes eu já vi muitas e muitas vezes e por isto proponho um desafio a todos os que aqui estão comentando favoráveis ou não, vá ao monte em tempo de seca em torno de quarenta dias sem nenhuma chuva e veja se eles vão aparecer, já fizemos esta experiência inúmeras vezes em tempos de seca e não aparece, e tem mais a luz de uma lanterna é mais forte que a luz de Deus? Porque é necessário que as lanternas estejam apagadas para se ver os tais gravetos.

Joao Souza disse...

Gostei muito do texto, eu já fui muitas e muitas vezes no monte, porém quando vou, vou para orar e não para ver sinais, pois os sinais devem seguir aos que creem e não os que creem seguirem os sinais, quanto aos gravetos incandescentes eu já vi muitas e muitas vezes e por isto proponho um desafio a todos os que aqui estão comentando favoráveis ou não, vá ao monte em tempo de seca em torno de quarenta dias sem nenhuma chuva e veja se eles vão aparecer, já fizemos esta experiência inúmeras vezes em tempos de seca e não aparece, e tem mais a luz de uma lanterna é mais forte que a luz de Deus? Porque é necessário que as lanternas estejam apagadas para se ver os tais gravetos.

Rodrigo Oliveira disse...

Mas me expliquem uma coisa, por que só exatamente onde as pessoas se reúnem para orar é que brilha?
E digo mais, passei grande parte da minha infância na zona rural, sempre andávamos e até pescávamos a noite, e nunca vi nada brilhar a não ser vaga lumes, por que exatamente isso acontece só onde os irmãos oram e não acontece em volta?
E digo mais, isso acontece tanto no calor como frio.

Meu Ministério disse...

Discordo totalmente do texto do pastor, eu fui em um monte com um pessoal da minha igreja, e quando começamos o culto, os matinhos começaram a pegar fogo, detalhe tinha chovido, estava tudo molhado, você pegava e ele continuava pegando fogo, e se você trouxer para casa não acontece nada, ele não acende e nem brilha. Foi uma experiência maravilhosa, porque eu também não acreditava.
Detalhe Jesus também orava no monte.

Auriberto Feitosa disse...

Meu pai, que é um experiente homem da mata, caçador e pescador,já tinha me falado desses gravetos (ou folhas) encandescentes. Segundo ele, isso é comum.

Anônimo disse...

Fungos decompondo materiais. Até aí, ok! Bela explicação! Mas uma pergunta: fungos decompõe a terra? A terra entra em decomposição? E a roupa, de quem ora no quarto e fica com o mesmo aspecto de "fungos decompondo materiais"? Se bem que, o brilho de um fungo decompondo madeira e afins, é bem diferente do que vemos no Monte, e fora dele também...

ademir pereira silva disse...

Interessante sou de Paranavaí, noroeste do paraná, e na minha cidade vamos pro monte orar sim, e os gravetos, folhas e até uma faixa de tronco de arvores se acendem, e sómente aonde estamos orando, se fosse como o agronomo falou entao voce veria pela mata inteira, nao é !

Thales Cantor disse...

Nao concordo com vc irmão pois trazemos os gravetos e outras pessoas viu sem ter ido na Mata. Sem estar com os olhos acostumados a escuridão... Acho que vc deveria orar mais pra Deus te revelar melhor antes de ficar combatendo a fé dos que nunca viram pois aquele que viu e que crê vc não conseguirá mudar o que nos foi revelado... a paz

ELDOCLÉSIO CARVALHO disse...

Esse é um dos poucos blogs que o autor das postagens responde com clareza as perguntas - parabéns Caro Pastor Ciro!

Anônimo disse...

Primeira mente uma ótima noite e a paz de Jesus a todos, ao o assunto eu posso falar e testemunhar sobre subir ao monte ou orar na mata, por minha profissão eu já tive várias experiências onde posso falar quer são realmente explicaveis a ciência com o fogo de santilme que no termo da aviação seria o atrito de partículas de água super resfriada ao contato com o parabrisa da aeronave com o aquecimento do mesmo e a velocidade da aeronave o mesmo se transforma em micros raios que correm na parte frontal da aeronave que não seria o mesmo como poder louvar e orar a Deus e ter essa intimidade com DEUS sendo que provei e senti o mesmo e vi e não só isso pude tocar a luz encadecente que se fosse algum fungo poderia se espalhar ou almenos ficar em partículas em minhas mãos tornando minha pele iluminada por alguns minutos ou até minhas pupilas se acustumarem com a luz da lua que não era fraca nessa ocasião, ai eu pergunto se não era Deus oque seria??? Para que não crem em nosso Sr Jesus Cristo fica várias teorias e muito mais...

marcio4666 disse...

Ótimo !! Já que é um fenômeno da natureza,obviamente tem que acontecer em qualquer lugar de uma mata fechada,certo?? Me expliquem então pq os gravetos só acendem no lugar onde se está orando !! Subo o monte a 20 anos (não para ser mais crente e sim menos relaxado na comunhão com Deus ), e lugar permanece aceso só onde se ora e não em outros lugares mesmo no monte !! Me digam aí !

Cristiano gomes dos santos disse...

A paz de Cristo, estas repostas cheias de ironias gostaria que todos tivessem experiências com Deus eu não preciso falar das minhas experiências respeito a todos! Dentro da congregação tem irmãos que vão e outros não criticar por quê, prefiro orientar para não serem levados pelas práticas carnais e adoração somente a Deus, a ciência em muitos pontos já me deixou sem explicação!

eleandro santos disse...

Vou no Monte os 365 dias no Monte ou os 366 dias no Monte e tudo que o pastor Ciro postou ae e a verdade , nunca vi esses gravetos acender ao dia , não acende também em pedras ou em galhos muito menos em folhas verdes , e é mais fraco do que a luz do vaga lumes ou da lanterna .o fogo do Monte ñ passa de material em decomposição. Eu tenho experiência em Montes desde o ano 1999 que vou em Montes . Descobri desde o ano 2002 que o fogo ñ passa de fenômenos da natureza.Ñ tem nada de sobrenatural. Qualquer hora
Que a pessoa for no mato fechado você ver esses brilhos nos galhos secos molhados nem presiza de oração. As pessoas tem que discernir o que é natural do sobrenatural.a verdade e que o fogo do Monte ñ passa de uma ação natural da natureza.E nem tem base ou apoio bíblico.

eleandro santos disse...

Tenho experiência em Montes deste o ano 2000 que vou em Montes os 365 ou 366 dias do ano e descobrir em 2002 que o fogo no Monte não passa de material em decomposição uma coisa natural uma ação da natureza ,ñ tem nada de sobrenatural ou poder Deus. E outra nunca vi fogo em pedras muito menos em folhas ou galhos verdes e o fogo e mais fraco do que a luz do vaga lumes mais fraco do que a luz da lanterna e ñ da pra ver ao dia nem pegar em gravetos seco, so pega em gravetos molhado em decomposição .E o mais interessante E ante bíblico pois nem os profetas nem Jesus ou os apóstolos falou sobre o fogo de Monte, ñ tem na bíblia ,e toda experiência fora da bíblia e eresias ou doutrina do homens ou doutrina do diabo .o povo de Deus tem que saber a diferença de coisas natural do sobrenatural. o fogo não passa de uma ação da natureza coiza natural, qualquer pessoa que for em uma Mata escura fechada vai ver esse graveto brilhantes, nem presiza oração pra eles ascender pois já estar. O dito fogo não passa de fenômenos da natureza .

marcos cardoso disse...

Eu já vi acender acreditem ou não