Anúncio

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

O que significa "tocar nos ungidos"?


Maus obreiros, falsos profetas, celebridades gospel e até políticos “evangélicos” têm empregado a frase bíblica “Não toqueis nos meus ungidos” (Sl 105.15) para ameaçar seus críticos. E crentes mal-orientados também a aplicam para reforçar a ideia de que não cabe aos servos de Deus julgar ou criticar heresias e práticas antibíblicas.

Quando examinamos os contextos literário e histórico-cultural da frase acima, vemos o quanto ela tem sido usada fora de contexto. Uma leitura atenta do Salmo 105 não nos deixa em dúvida de que os ungidos mencionados são os patriarcas Abraão, Isaque, Jacó (Israel) e José (vv. 9-17). Ademais, o título “ungido do Senhor” refere-se tipicamente, no Antigo Testamento, aos reis de Israel (1 Rs 12.3-5; 24.6-10; 26.9-23; Sl 20.6; Lm 4.20) e aos patriarcas, em geral (1 Cr 16.15-22).

Embora a frase em apreço não encerre um princípio geral, podemos, por analogia, é claro, afirmar que Deus, na atualidade, protege os seus ungidos assim como cuidou dos seus servos do passado. Mesmo assim, não devemos presumir que todas as pessoas que se dizem ungidas de fato o sejam. Lembremo-nos do que o Senhor Jesus disse em Mateus 7.21: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”.

A Bíblia, evidentemente, apoia o pensamento de que o Senhor cuida dos seus servos e os protege (1 Pe 5.7; Sl 34.7). Mas isso se aplica aos que verdadeiramente são ungidos, e não aos que parecem, pensam ou dizem ter a unção de Deus (Mt 23.25-28; Ap 3.1; 2.20-22). “O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade” (2 Tm 2.19).

Quando Paulo andou na terra, havia muitos “ungidos” ou que aparentavam ter a unção de Deus (2 Co 11.1-15; Tt 1.1-16). O imitador de Cristo nunca se impressionou com a aparência deles (Cl 2.18,23), mas afirmou: “E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram” (Gl 2.6). Aparência, popularidade, eloquência, títulos, status, anos de ministério, quantidade de votos obtidos... Nada disso denota que alguém esteja sob a unção de Deus e imune à contestação à luz da Palavra de Deus.

Muitos enganadores, ao serem questionados quanto às suas pregações e práticas antibíblicas, têm citado, além da frase em análise, o episódio em que Davi não quis tocar no desviado rei Saul, que fora ungido pelo Senhor (1 Sm 24.1-6). No entanto, a atitude de Davi não denota que ele tenha aprovado as más obras daquele monarca. Se alguém, à semelhança de Saul, foi um dia ungido por Deus, não cabe a nós matá-lo espiritualmente, condená-lo ao Inferno. Entretanto, isso não significa que devamos silenciar ou concordar com todos os seus desvios do Evangelho (Fp 1.16; Tt 1.10,11). O próprio Jônatas reconheceu que seu pai turbara a terra; e, por essa razão, descumpriu, acertadamente, as suas ordens (1 Sm 14.24-29).

O texto de Salmos 105.15, portanto, não proíbe o juízo de valor, o questionamento, o exame, a crítica, a análise bíblica de ensinamentos e práticas de líderes, pregadores, milagreiros, cantores, etc. Até porque o sentido de “toqueis” e “maltrateis” é exclusivamente quanto à inflição de dano físico. E é curioso como certos “ungidos”, ao mesmo tempo que citam o aludido bordão em sua defesa — quando as suas práticas e pregações são questionadas —, partem para o ataque, fazendo todo tipo de ameaças!

O showman, e não pregador, como muitos pensam, Benny Hinn, por exemplo, verberou: “Vocês estão me atacando no rádio todas as noites — vocês pagarão e suas crianças também. Ouçam isto dos lábios dum servo de Deus. Vocês estão em perigo. Arrependam-se! Ou o Deus Altíssimo moverá sua mão. Não toqueis nos meus ungidos” (citado em Cristianismo em Crise, CPAD, p.376). Quem são os verdadeiros ungidos, que, mesmo não se valendo da frase citada, têm de fato a proteção divina, até que cumpram a sua vontade? São os representantes de Deus que, tendo recebido a unção do Santo (1 Jo 2.20-27), preservam a pureza de caráter e a sã doutrina (Tt 1.7-9; 2.7,8; 2 Co 4.2; 1 Tm 6.3,4). Quem não passa no teste bíblico do caráter e da doutrina está, sim, sujeito a críticas e questionamentos (1 Tm 4.12,16).

Muitos líderes, pregadores, cantores e crentes em geral, infelizmente, considerando-se ungidos ou profetas, escondem-se atrás da frase “Não toqueis nos meus ungidos”, mentem e cometem todo tipo de pecado, além de torcerem a Palavra de Deus. Caso não se arrependam, serão réus naquele grande Dia! Os seus fabulosos currículos — “profetizamos”, “expulsamos”, “fizemos” — não os livrarão do juízo (Mt 7.21-23).

Portanto, que jamais aceitemos passivamente as heresias de perdição propagadas por pseudo-ungidos, que insistem em permanecer no erro (At 20.29; 2 Pe 2.1; 1 Tm 1.3,4; 4.16; 2 Tm 1.13,14; Tt 1.9; 2.1). Mas respeitemos os verdadeiros ungidos (Hb 13.17), que amam o Senhor e sua Santa Palavra, os quais são dádivas à sua Igreja (Ef 4.11-16). Quanto aos que, diante do exposto, preferirem continuar dizendo — presunçosamente e sem nenhuma reflexão — “Não toqueis nos meus ungidos”, dedico-lhes outro enunciado bíblico: “Não ultrapasseis o que está escrito” (1 Co 4.6, ARA). Caso queiram aplicar a si mesmos a primeira frase, que cumpram antes a segunda!

Ciro Sanches Zibordi

9 comentários:

Samuel Da Silva disse...

Ótimo texto pastor! Muitos usam esse versículo para defenderem seus erros.Mas Deus sempre levantará homens de coragem para combater esses impostores.

Luciano Silva disse...

Parabéns Pr. Ciro.

Julio Ribeiro Rocha disse...

DEUS lhe mais inteligência, pastor Ciro.

Anônimo disse...

Muito bom.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Agradeço a todos os irmãos pelos comentários.

A paz do Senhor!

CSZ

pastorsergiohenares disse...

Quanta gente são enganadas por estes charlatães líderes religiosos que se dizem "ungidos". O povo precisa estudar e conhecer mais profundamente as Escrituras. Excelente matéria pastor Ciro.

PR. edison ribeiro disse...

Parabêns pela explicaçao,tenho saudades de ouvir pregadores como pr.valdir bicego,bernard ,severino pedro(etc) homens destituidos de qualquer tipo de vaidade,que tributavam toda honra,gloria,louvor a jesus cristo.....

Jessé Feitosa disse...

Deus te abençoe cada vez mais, ainda bem que Deus tem levantado homens de Deus para falar contra essas praticas antibiblicas de nosso tempo.

PR. edison ribeiro disse...

Amém Pr.ciro ,Deus em cristo continue usando a sua vida como canal de bênçao,e o mesmo Deus comtinue guardando o seu ministerio e sua familia.....