Anúncio

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

O "cair no Espírito" faz parte do culto pentecostal?


Muitos neopentecostais ou pentecostais mal-orientados têm atrelado erroneamente o “cair no Espírito” às verdades pentecostais. Além de citarem episódios da história do pentecostalismo, apegam-se a algumas passagens da Bíblia tidas como irrefutáveis. Posteriormente, pretendo fazer uma explicação sobre o “cair no Espírito” ao longo da história do Movimento Pentecostal. Neste texto, para não me estender muito, me aterei apenas aos principais textos bíblicos que supostamente embasariam o “cair no Espírito”.

Atos 2.1-16. O que ocorreu no dia de Pentecostes tem sido usado por aqueles que defendem o “cair no Espírito” como parte do culto genuinamente pentecostal. Eles afirmam que o “mover de Deus” ali foi tão grande, espantoso e sem limites, a ponto de uma parte da multidão reunida em Jerusalém ter pensado que os cristãos estavam embriagados (vv. 13,16).

De fato, os primeiros cristãos batizados com o Espírito Santo foram tidos como embriagados, mas o texto bíblico mostra que a zombaria dos judeus religiosos de todas as nações não se deu em razão de eles terem visto pessoas caídas ao chão ou tomadas por uma prolongada “unção do riso”. Na verdade, o servos de Deus pareceram estar embriagados porque, de modo sobrenatural, começaram a falar nas línguas de pessoas de diferentes nacionalidades que ali estavam (vv. 5-13).

1 Coríntios 1.25. Alguns defensores de manifestações não previstas em Marcos 16.15-18 citam 1 Coríntios 1.25 e argumentam: “Quem acha o cair no Espírito e a unção do riso estranhos não conhecem a unção da loucura de Deus. Ele pode fazer o que quiser. Não podemos colocar Deus numa caixinha”. Entretanto, estamos diante de um argumento que se autodestrói em cinco segundos!

O termo “loucura de Deus” não se refere à loucura proveniente de Deus. Trata-se de figuração de linguagem alusiva à superioridade da sabedoria do Senhor em relação à dos homens. Observe que o apóstolo Paulo também afirmou, no mesmo versículo, que “a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens” (1 Co 1.25). Ora, se existe a unção da loucura de Deus, por que não existiria também a unção da fraqueza de Deus?

Daniel 10.8-9 e Apocalipse 1.17. Os defensores do “cair no Espírito” gostam de dizer que Daniel e João caíram no poder de Deus. Examinemos com cuidado esses dois episódios. No primeiro caso, o profeta Daniel, sem forças para permanecer em pé, visto que havia jejuado por três semanas, caiu sobre o seu rosto, sendo imediatamente amparado por um enviado de Deus, que ordenou: “levanta-te sobre os teus pés” (Dn 10.11). Podemos comparar essa experiência com pessoas que caem para atrás após serem atingidas por um “paletó mágico”?

O caso de João é semelhante ao de Daniel (Ap 1.10-18). E fica claro que ele não foi derrubado por um sopro ou golpe de capa (naquela época não havia paletó). João também não deixou de usar o raciocínio. E ele, assim como Daniel, caiu prostrado sobre o seu rosto, diante da glória do Senhor. Com todo o respeito a quem pensa de modo diferente, não há como fazer um paralelo entre o cair aos pés do Senhor e o famigerado “cair no Espírito”.

João 14.12. Esta passagem tem sido muito citada na tentativa de avalizar o “cair no Espírito”, visto que o Senhor Jesus disse: “aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas”. Entretanto, o termo “obras” (gr. ergon) não significa “novas unções” ou “manifestações exóticas”, e sim: “trabalho”, “ação”, “ato”.

Exegeticamente, “obras maiores” são as mesmas realizadas por Jesus, em maior quantidade e alcance, e não em qualidade. O Senhor não aludiu a novos “moveres”, e sim à pregação do Evangelho e à expansão do seu Reino na terra. No meu livro Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar (CPAD, 2007) faço uma explicação bem detalhada de João 14.12 e outras passagens usadas de modo equivocado pelos defensores do “cair no Espírito” e a “unção do riso”.

1 Reis 8.10,11. Este, talvez, seja o texto mais citado pelos pregadores que ministram o “cair no Espírito”, os quais têm argumentado: “Ninguém suporta ficar de pé quando a unção do Espírito vem sobre nós”. Bem, vamos examinar com atenção o que aconteceu, começando com uma leitura atenta da passagem: “E sucedeu que, saindo os sacerdotes do santuário, uma nuvem encheu a Casa do SENHOR. E não podiam ter-se em pé os sacerdotes para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do SENHOR enchera a Casa do SENHOR”.

Como se percebe, essa passagem bíblica nada menciona a respeito do “cair no Espírito”. O que ela diz é que a nuvem da glória do SENHOR encheu a sua Casa e impediu os sacerdotes de ministrar. Quanto à frase “não podiam ter-se em pé”, a versão bíblica Almeida Revista e Atualizada (ARA) é ainda mais clara: “não puderam permanecer ali”; não tiveram como ministrar, por causa da nuvem que encheu a Casa.

Diante do exposto, o fogo é uma bênção, desde que esteja sob controle. A eletricidade, de igual modo, precisa ser controlada nas subestações. E um trem pode alcançar grande velocidade, mas sempre corre no trilho. Assim, o culto a Deus deve ser controlado pelo Espírito Santo, que age em perfeita harmonia com a Palavra do Senhor, para que tudo ocorra com decência e ordem (1 Co 14.20-40).

Em Atos dos Apóstolos não há nenhum abono ao “cair no Espírito”. Em 1 Coríntios 12.28, vemos que Deus hierarquiza dons e ministérios. E, ao fazer isso, Ele prioriza os três ministérios ligados à pregação e ao ensino da Palavra: “pôs Deus na igreja, primeiramente, apóstolos, em segundo lugar, profetas, em terceiro, doutores”. E o que tenho percebido em minhas pesquisas é que, nas igrejas em que ocorre o “cair no Espírito”, a exposição da Palavra do Senhor se torna secundária ou até desnecessária. E mais: à luz de Marcos 9.17-27 e Lucas 4.35, são os demônios quem lançam pessoas ao chão!

O Senhor Jesus jamais derrubou alguém mediante sopros, golpes de capa ou imposição de mãos. Em seu ministério terreno, Ele ensinava, pregava e curava os enfermos (Mt 4.23; At 10.38). Que tal seguirmos o conselho da Palavra de Deus em 1 João 2.6? “Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou”.

Ciro Sanches Zibordi

25 comentários:

Alba Valeria Pignatari do Prado disse...

E sigo aprendendo... Eita que na casa do Pai tem ordem e descencia. Obrigada.

Pb. Anderson Fábio disse...

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=643315339209801&substory_index=0&id=347767035431301

Uma ortodoxia engessante

Maxsuel de Sousa disse...

Paz do Senhor, pelo menos dentro da Bíblia sagrada nunca vi Deus falar com homens caído. A não ser para dizer levanta-te. Temos várias passagens na bíblia onde temos essa ordenança de Deus, mas vou citar apenas duas bem conhecidas: E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo.
Ezequiel 2:1
Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
Jeremias 18:2 Isso não que dizer que Deus não fala com pessoas deitadas isso depende da situação em que o ser humano sem encontra, as vezes pode ser por alguma enfermidade. Mas Deus sempre quer nós vê de pé.

Maxsuel de Sousa disse...

Paz do Senhor, pelo menos dentro da Bíblia sagrada nunca vi Deus falar com homens caído. A não ser para dizer levanta-te. Temos várias passagens na bíblia onde temos essa ordenança de Deus, mas vou citar apenas duas bem conhecidas: E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo.
Ezequiel 2:1
Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
Jeremias 18:2 Isso não que dizer que Deus não fala com pessoas deitadas isso depende da situação em que o ser humano sem encontra, as vezes pode ser por alguma enfermidade. Mas Deus sempre quer nós vê de pé.

Leandro Carvalho disse...

Pastor Ciro, graça e paz. Quanto à 1ª Coríntios 14, podemos aprender que o falar em linguas necessariamente exige interprete. Caso contrário, que a pessoa se cale. Quando ao falar para edificação pessoal, que seja num momento oportuno ou até mesmo num culto, mas de forma baixa, que não venha à levar os irmãos prestarem atenção à vc, já que é um dom de edificação pessoal. O senhor poderia falar sobre esse assunto, já que hoje são muitas pessoas que falam em linguas no culto e a explicação é que o "fogo está descendo sobre a igreja". Como lidar com isso?

PB. Thiago Gomes disse...

Concordo plenamente com o PR Ciro Sanches, Paulo em 1Co 14 descreve muito bem como tem que ser um culto pentecostal,cair não pertence a Deus nem ao Espírito Santo.

Jonatas Silva disse...

Ciro como conseguisse ligar estereótipos de bêbado com falar idioma diferente? Desde que o mundo é mundo, todos sabem os estereótipos de alguem embriagado, e concerteza falar em línguas nacionalizadas esta muita mas muito longe. Desculpe a incisão da mensagem aqui exposta por mim, porém é um erro infantil associar isso.

PB. Thiago Gomes disse...

Concordo plenamente com o PR Ciro Sanches, não há espaço na Bíblia para tais manifestações.Um culto pentecostal segue as diretrizes do apóstolo Paulo citado em 1Co 14

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Jonatas Silva,

1) Eu apenas me baseei no que ESTÁ ESCRITO em Atos 2.
2) Uma coisa é uma única pessoa falando; outra, muito diferente, são várias pessoas falando ao mesmo tempo, e em idiomas diferentes.
3) Pense um pouco mais, pois até uma CRIANÇA é capaz de perceber que não há base para o "cair no Espírito" em Atos 2.
4) Dê uma examinada na conjugação do verbo "conseguir", já que fez questão de usar linguagem formal.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Leandro Carvalho,

Em meu livro "Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar" (CPAD, 2007) trato dessas questões de modo detalhado.

Grato por seu comentário.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Anderson,

Ainda que eu preze a ortodoxia, evidentemente que não sou adepto de "uma ortodoxia engessanre".

Entretanto, se houvesse apenas duas possibilidades, minha escolha seria:

( ) "Cair no Espírito" e outras aberrações.
( X ) Uma ortodoxia engessante.

O que defendo é o culto pentecostal baseado em 1 Coríntios 14. O trem pode correr, mas no TRILHO.

Em Cristo,

CSZ

Anônimo disse...

Quem nunca caiu no espírito não sabe o que é ter a presença tão grande e não guentar em pé

Dirley Pires disse...

Concordo com o pastor Ciro,parabéns pela postagem!

Anônimo disse...

A pessoa pode orar ou falar em línguas onde quiser,não ah restrições sobre o lugar....E veja que no dia de pentecostes ninguém estava falando baixinho em línguas

Anônimo disse...

E o q fazer com a ordenança bíblica, então? A Palavra é clara sobre isso...

Anônimo disse...

Cair no espírito não edifica ninguém muitos fica só no barulho e caindo e não pregão a palavra de Deus mas. Isso que digo não sou contra a ação do Espírito Santo pois sou crente desde criança sou batizada com o espírito santo a 32 mas sei que tem sim a presença de Deus que nos alegra mais o espírito é sujeito ao tal

Marsal Schmidt disse...

Concordo plenamente com o PR. Ciro S. Z.sou PB. da assembleia de Deus E tem vez que me envergonho com cada besteirol,profetada, muitos homens na frente de trabalhos sem conhecimento bíblico..

Anônimo disse...

Pr. Ciro,
Mal posso esperar pela explicação que o senhor dará a respeito do cair no espirito ao longo do Movimento Pentecostal.

Aproveito a oportunidade para, humildemente, sugerir que o senhor poste um artigo indicando livros que falem a respeito da história do Movimento Pentecostal. Acho impressionante como a igreja Brasileira possa ser essencialmente Pentecostal e mesmo assim conhecer pouco (em alguns casos nada) a respeito de suas origens.

Sidnei.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amém, irmão Sidnei.

Grato pela sugestão. Mas, vendo seu interesse, devo lhe dizer que a CPAD tem publicado obras que tratam da História do Movimento Pentecostal. Vale a pena conferir.

Em Cristo,

CSZ

Unknown disse...

A paz do Senhor , pr. Ciro e todos do blog . Pastor Ciro, no seu livro , Erros que os Adoradores Devem Evitar , precisamente na pág.58 , você conta que , após ter preparado uma apostila evangelística numa noite que veio perder o sono , o saudoso ir. Valdir Nunes Bícego , num culto , dirigiu a ti dizendo que era para você enviar a apostila ao Mensageiro da Paz .Com efeito, você a enviou. Depois de um tempo , aproximadamente três meses, - como relata , deparou com o seu escrito no então jornal .

Pastor , não me considere oportunista - como que eu pretendesse promover-me pela ocasião do livro . É que , como o senhor , pastor Ciro , SOU AMANTE SOLICITO DAS ESCRITURAS E DO MINISTÉRIO DE ENSINO DA PALAVRA ! Ainda quando começou a escreve , aos 23 anos, vi que coincidiu a mim . E lendo o seu livro ( Erros que os Adoradores Devem Evitar) , e pelo seu relato na pág.58, senti de te enviar alguns estudos que faço , segundo a graça que me foi dada pelo Espírito .

* Hoje , aos 25 anos ,tendo começado a escrever aos 19, e isto por vocação e profecia de Deus, dedico à escrita doutrinária e apologética.

CONTATOS :
(31) 9 9996-5879 WHATSAAP / 9 7561-5050
tiagoof20@gmail.com / tiagoof@outlook.com.br


Att : Tiago Fideles ,membro da AD , BH / MG

Unknown disse...

Despretensiosamente, gostaria de que os artigos fossem lidos por ti.

Luiz Farias disse...

Eu acredito ser possível cair no poder do Espírito Santo, mais não como temos visto e ouvido desde o final dos anos oitenta até hoje, isso foi também difundido no meio assembleiano por alguns pastores de renome no nosso meio, hoje parece estar erradicados, os argumentos dos praticantes do cair no poder citando a bíblia para justificarem os seus desvios doutrinários, pois Daniel, João e os sacerdotes do senhor que estavam na consagração do templo de salomão , são diametralmente antagônicos, os frutos produzidos por esses personagens bíblicos mostram que eles eram Boas árvores e esses personagens de hoje em dia que frutos tem produzidos que tipo de árvores são eles não é preciso usar a exegese e nem a hermenêutica para desmascarar esses heréticos, basta os crentes deixarem a preguiça mental de lado e serem pelo menos um pouco crente bereano e esses enganadores não subsistirão em nosso meio

Marcelo Vander Da Silva Cruz disse...

Na verdade Paulo estava falando sobre "DONS ESPIRITUAIS" e não o falar em línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo At 2, At 10, etc. Neste temos a liberdade para falar sim e quando quisermos ou sentirmos a presença Dele.

Célia Louback Welsch disse...

Maravilhoso estudo e muito bem ecplicado. Não existe o horrendo cair no Espírito que vemos na TV , YouTube, e tudo é carnalidade.Existe isso sim o encher do Espirito Santo , e
esse encher não é para pecadores, mas vem de uma vida consagrada, separada, em perfeita comunhão e sob a direção de Deus. Eu me revolto quando visito uma igreja e umas pessoas , na hora em que estou orando fazem como quem vão cair e eu aviso: " Não caia por que ninguém vai segurar e vocês vão se machucar. Falo para os obreiros não estimular ninguém a cair porque não é bíblico.
Engraçado, eles caem de costas, alguns até parecendo estar em transe ou ataque ou convulsâo e normalmente sabem que tem dois ou mais fortes " profissionais" os segurando da " queda". Uns caem com aquele toque de não na testa.
Não existe na Bíblia tal coisa como o amado pastor esclarece, mas sim, na presença de Deus os seus servos se ajoelham e se curvam ou oram com o rosto no pó." O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus. Sl 51.17

Pr Paulo César Sampaio disse...

Zibordi, meu amigo-irmão:só pra que você saiba que sou leitor seu. Deus seja contigo.Abração. PCSampaio