quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Mensagem sobre o Natal, pregada em 25 de dezembro



7 comentários:

Marcelo Lima disse...

Pr. Ciro,

Quem dera os pregadores de hoje também perdessem essa oportunidade para pregar uma mensagem cristocêntrica como essa.
Achei lindo o senhor passar o natal nesta igreja tão simples. Alguns "pregadores" de hoje não passariam nem na porta de uma igreja "simples" como essa e jamais pregariam uma mensagem "simples". Conheço um (da lagoa) rsrsrs, que não canta ou prega em igrejas com menos de 200 membros. Meu Deus!!!

Continue dando exemplo para o povo de Deus, querido Pastor.

Feliz Ano Novo, fique na paz, e não pare de escrever para que nós não paremos de aprender!!!

Parabéns!!!

Anônimo disse...

pr Ciro,
A paz do Rei Jesus!
Esta é a mensagem que precisamos ouvir!Jesus é maravilhoso,fiquei muito feliz da data do dia 24/12 porque meus cunhados retornaram ao caminho do Senhor!um estava há 20 anos afastado e o outro já havia 16 anos.Aproveitamos para fazer um culto no lar e eles reconciliaram,nosso Senhor está vivo,gloria a Deus.

Antonio adson-Goiania-go

João Dórea disse...

Olá Pr. Ciro,

Linda a mensagem e belo exemplo para honra e aglória de Deus.

Estou no aguado do meu livro.

em Cristo.

Matheus Carrel disse...

Oi Pastor Ciro tdb?
Mto bonita a sua mensagem !! Ouvi e ainda ouço muitos pastores dizerem que Jesus ao vir ao mundo não fundou uma ´´religiáo´´. Eles dizem que ´´religião´´ é algo ruim que leva ao inferno e que Jesus morreu por causa da religião.Eu não concordo com nada disso. Vou mostrar pra vc o estudo que fiz. Me diga se você concorda ou não.
.
Afinal, Jesus fundou uma religião?

--- Um assunto que tem me preocupado muito dentro do meio evangélico, e que tem sido motivado por inúmeras pregações tornando-se quase que uma “verdade incontestável”, é que a religiosidade ou ser uma pessoa religiosa é algo ruim, inútil, ou, pior ainda, algo que supostamente vai “contra a Bíblia”. Além de dizerem que Jesus não fundou religião, alguns chegam ao ponto de dizer que Jesus foi morto por causa da religião.
--- Enquanto em muitas pregações as pessoas tentam colocar os religiosos no inferno, o que o apóstolo Paulo afirma é justamente o contrário – quem vai para lá são os irreligiosos (não-religiosos), junto com os ímpios, os assassinos e os homicidas (1 Timóteo 1:9).
--- Outra passagem interessante encontra-se na epístola de Tiago, o irmão do Senhor que nos diz: “Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum!” (Tiago 1:26). Aqui é muito claro que ser religioso é uma coisa boa e essencial; contudo, se não refreiar a sua língua, tal não valerá nada. Se “religioso” fosse aqui algo ruim, então o texto em pauta perderia completamente o nexo e o sentido. A religiosidade é claramente indicada como um fator positivo.
--- A religiosidade nunca foi problema nenhum, o contrário dela é que sempre foi o problema, condenado por Paulo e pelos demais. As pessoas que pregam contra a religiosidade amam deturpar as passagens bíblicas em um show de péssimas interpretações manipuladas e fora de contexto. Por exemplo, a maioria gosta de citar a religiosidade dos fariseus como uma “prova” que a religiosidade do cristão é algo ruim. Na verdade, quem usa tal argumento mostra um desconhecimento bíblico gritante.
--- Os fariseus NUNCA foram criticados pela sua religiosidade (“tradição” é uma coisa; “religiosidade” é outra, basta procurar em um dicionário Aurélio se quiser). Os fariseus eram extremamente zelosos e religiosos, mas não foi pela religiosidade que eles foram criticados por Cristo, mas sim pela sua hipocrisia. Os fariseus eram extremamente zelosos em pagar o dízimo, por exemplo, mas esqueciam dos preceitos mais importantes da lei. Jesus não os critica por darem o dízimo, mas sim pela hipocrisia deles em negligenciar os preceitos mais importantes. Jesus diz para eles começarem a praticar a justiça e a misericórdia, mas alerta para não omitirem o dízimo:

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” (Mateus 23:23)

--- A religiosidade dos fariseus em darem o dízimo nunca foi o problema; pelo contrário, ele os incentiva a continuar sem omitir tal prática. O problema deles era a hipocrisia em negligenciar os preceitos mais importantes da Lei. Muitas pessoas pensam: “ah, o dízimo é coisa da Lei ultrapassada, então eu não vou dar o dízimo”; na verdade, a pessoa que assim pensa deveria era se sentir envergonhado em ver que até os fariseus que eram “hipócritas” (Mt.15:7), “serpentes” (Mt.23:33) e “uma raça de víboras” (Lc.3:7), pagavam o dízimo (incentivados pelo próprio Cristo – Mt.23:23; Lc.11:42), mas algumas pessoas não! É por isso que Cristo afirma em Mateus 5:20:

“Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus” (Mateus 5:20).

Matheus Carrel disse...

--- Os fariseus, em sua religiosidade, jejuavam duas vezes por semana (Lc.18:12). Jesus novamente não os critica pela sua religiosidade, mas sim pelo fato de que, quando jejuavam, mostravam uma aparência triste a fim de que os outros vissem que eles estavam jejuando (Mt.6:16). Jesus nunca condenou a religiosidade dos fariseus em jejuarem, mas sim a sua hipocrisia. O próprio Jesus afirmou que depois que ele fosse retirado, os seus seguidores jejuariam (Mc.2:20; Lc.5:35; Mt.9:15). Jesus também não criticou os fariseus por orarem regularmente, mas sim porque, quando oravam, o faziam com orgulho próprio (Lc.18:11). Em outras palavras Jesus nunca, jamais e em circunstância nenhuma criticou qualquer fariseu ou qualquer ser humano por ser religioso (pelo contrário, sempre incentivou ser religioso), o que ele criticou foi a hipocrisia, e nunca a religiosidade!
-- Em Mateus 23:3, Cristo deixa isso bem claro para os seus discípulos:

“Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem” (Mateus 23:3)

---Portanto, Jesus Cristo fundou SIM uma religião. Religião NÃO leva ninguém ao inferno e nós como cristãos somos sim religiosos.
.
Fim !!!

Lucivaldo de Paula disse...

Como é gostoso ouvir uma autêntica pregação. O nosso espírito fica saciado deste verdadeiro alimento que é a Palavra de Deus.
Um grande abraço Pastor Ciro, Deus continue abençoando o seu ministério.

Em Cristo

OUÇA A PALAVRA DO SENHOR disse...

Uma e a mesma é a nossa mensagem de Gratidão a Deus pelo ano que está indo e pelo outro que está chegando. A todos os homens e mulheres de coração voltado para o Senhor, o nosso grande abraço, e desejos de muita paz e vitórias no nome do Filho Amado de Deus, Jesus Cristo de Nazaré, o Rei dos reis e Senhor dos Senhores.
www.oucaapalavradosenhor.com