domingo, 21 de setembro de 2014

Diga “não” ao estalinismo evangelicofóbico


Por causa de uma faixa — “Niterói, estamos orando por você” —, a Primeira Igreja Batista de Niterói-RJ estaria sendo enquadrada segundo os rigores da lei por meio de uma ação da Prefeitura, a qual teria, sem nenhum bom senso, intimado a igreja a retirar a “ofensiva” faixa. Se esta e outras notícias que tenho lido forem verdadeiras, o Estado está começando a dar indicações de que chegou o tempo de um determinado partido, no poder há doze anos, pôr em execução seu plano nefasto de, sob a égide do laicismo, fechar ou manipular igrejas evangélicas, impedindo a propagação do Evangelho.

Isso, aliás, já vem acontecendo aqui e ali, nos últimos anos. A evangelicofobia estalinista avança a passos largos no Brasil. A intolerância à fé evangélica — não me refiro ao evangelho-show das celebridades gospel, pois estas até que são bem tratadas por todos, inclusive pela grande mídia — é percebida pelo modo como os evangélicos, de maneira geral, são retratados nas universidades, na grande mídia e no meio político: preconceituosa e zombeteiramente. Os evangélicos, de fato, incomodam os prefeitos, governadores e líderes políticos do movimento AAAA: Ateísta, Anticristão, Antissemita é Antidemocrático.

Políticos do tipo AAAA não querem ter seu projeto de poder interrompido e estão dispostos a tudo para se manterem no comando no país. E a cada vitória nas urnas tornam-se mais enérgicos e truculentos contra os que se lhes opõem. Estalinistas e hitleristas, tais políticos são ditadores aéticos, lobos que, convenientemente, se vestem de ovelhas e visitam templos evangélicos, mas querem, na verdade, calar os que defendem a moral, a ética e os bons costumes. Como desejam fazer o que bem entendem, ficam revoltados quando “religiosos fundamentalistas” opinam contra a legalização do assassinato de inocentes (também conhecido como aborto), a liberalização das drogas, a “educação” sexual (de gênero) para crianças nas escolas, etc.

Em Salmos 11.3, está escrito: “os fundamentos se transtornam; que pode fazer o justo?” Os justos podem orar, não apenas por Niterói, mas também por todo o Brasil. E, além de orar, podem fazer um pouco mais como cidadãos: votar contra os estalinistas nestas e nas próximas eleições; e votar em estadistas de verdade, em líderes equilibrados, evangélicos ou não, que governam para todos, e não para adeptos de ideologias extremistas e despotistas. O Estado é laico e, exatamente por isso, deve respeitar a todos, sem fazer nenhuma discriminação.

Ciro Sanches Zibordi

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

A evangelicofobia da grande mídia

Vejo com frequência na grande mídia notícias de que as religiões afro-brasileiras são vítimas de preconceito e discriminação por parte dos evangélicos. Inclusive, já ouvi notícias absurdas, como: “Traficantes evangélicos impedem adeptos do candomblé e da umbanda de realizar seus cultos, nos morros cariocas”.

A despeito de o EI (Estado Islâmico), também conhecido como ISIS (Islamic State in Iraq and Syria), estar matando cruelmente inúmeros cristãos, a grande mídia não afirma que terroristas muçulmanos ou islâmicos estão matando cristãos no Iraque e na Síria. Por quê? Porque ela não quer generalizar, incorrendo em islamofobia.

Entretanto, a mesma grande mídia não se importa em dizer que “traficantes evangélicos” estão impedindo os cultos afro-brasileiros nos morros cariocas, associando a fé evangélica a um dos piores males que existe no Brasil: o tráfico de drogas! Isso não é evangelicofobia?

Na verdade, o que existe no Brasil é uma grande perseguição aos evangélicos. Muitos criticam, com justiça, os telebispos e tele-apóstolos charlatões, mas ninguém fala dos Joões Bidus e outros videntes que aparecem diariamente na TV prometendo isto e aquilo.

Há pouco tempo, a Prefeitura de Niterói intimou a Primeira Igreja Batista dessa cidade por ter exposto a seguinte faixa: “Niterói, estamos orando por você”. Muitos, em nome da laicidade do Estado, falam em homofobia e racismo, mas se esquecem de que em nosso país “democrático” existe outro grande mal: a evangelicofobia, a qual é incentivada, infelizmente, pela grande mídia.

Ciro Sanches Zibordi

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Webmilitantes do petismo atacam a Rede Globo


Bastou o Jornal Nacional “apertar” um pouquinho a presidenta, na qualidade de candidata à reeleição — antes que digam que estou falando mal das “autoridades constituídas” —, para os webmilitantes do petismo dizerem que Dilma foi “agredida” e “desrespeitada” pela Rede Globo. Ora, esse telejornal está fazendo “linha dura” com todos os presidenciáveis. E, na verdade, é o povo brasileiro que, há doze anos, vem sendo agredido e desrespeitado pela corrupção e pela impunidade nunca vistas antes na história desse país, bem como pela precariedade da saúde pública e pela maquiagem dos números da economia.

Os webmilitantes do petismo estão alegando que a sua presidenta, além de “agredida” e “desrespeitada” pelos jornalistas William Bonner e Patrícia Poeta, foi interrompida várias vezes, não podendo expor seus projetos. Mas um levantamento do Controle da Concorrência, divulgado pelo jornalista Lauro Jardim, revela que Aécio Neves foi o candidato com menos espaço para falar na entrevista do Jornal Nacional. Ele falou por 9 minutos e 51 segundos, ficando atrás do Pastor Everaldo (com dez minutos de fala), de Eduardo Campos (com 10 minutos e 35 segundos) e de Dilma Rousseff. Esta, embora, sem nenhuma objetividade e clareza, tenha fugido das perguntas várias vezes, falou durante longos 11 minutos e 4 segundos. Pois é...

Segundo os 
“coerentes” webmilitantes petistas, ainda, a presidenta sofreu 21 interrupções; Eduardo Campos, sete; Aécio Neves, seis; e Pastor Everaldo, apenas três. Na verdade, isso mostra que Dilma fugiu das perguntas o tempo todo e não conseguiu responder a elas com um mínimo de clareza. Aliás, falando em clareza, a entrevista de Everaldo ao Jornal das Dez, da Globo News, foi muito proveitosa. As perguntas foram ótimas, e o candidato, ao apresentar suas propostas, demonstrou ter grande segurança, desenvoltura, coerência e objetividade.

Depois que o William Bonner “apertou” um pouquinho a presidenta, truculentos webmilitantes do petismo passaram a atacá-lo. Eles não querem um país para todos; querem dominar tudo com mão de ferro. Quando o petismo era oposição, a corrupção era exclusividade do governo. Depois de doze anos de corrupção exemplar, como nunca houve na história desse país, muitos petistas dizem que todos os partidos são corruptos e posam como perseguidos pela grande mídia.


Infelizmente, o que muitos petistas querem é dominar o Brasil, como se este fosse a Venezuela, e fazer o que bem entendem. É por isso que esse projeto de poder deve ser interrompido nas próximas eleições. E, graças a Deus, existe possibilidade real de isso acontecer! Façamos a nossa parte nas urnas.

Ciro Sanches Zibordi

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A inesperada morte de Eduardo Campos e o futuro de Marina Silva

Lamento profundamente pelo precoce e inesperado falecimento de Eduardo Campos — candidato à presidência da República —, ocasionado pela queda de uma aeronave, hoje, pela manhã, em Santos-SP. Registro aqui as minhas condolências aos amigos e familiares desse jovem político, que deixou cinco filhos. Campos, que representava uma alternativa à polarização que começou nos anos de 1990 entre petismo e peessedebismo, vinha crescendo nas pesquisas, e todos esperavam que ele obtivesse, pelo menos, a mesma votação que Marina Silva obteve nas últimas eleições presidenciais: cerca de vinte milhões de votos.

Campos e Marina estavam muito entrosados e vinham crescendo juntos em conhecimento, haja vista suas biografias serem bastante diferentes. Ambos, inclusive, estavam juntos, ontem, no Rio de Janeiro. Ele havia dado entrevistas ao Jornal Nacional, da Globo, e ao Jornal das Dez, da Globo News. E eles viajariam ao litoral paulista no mesmo avião, quando Marina, na última hora, resolveu embarcar com assessores em uma aeronave de carreira, escapando, assim, de morte certa.

Não gosto de espiritualizar tragédias nem de me aproveitar delas para passar a ideia de que sou “profeta de Internet”. Entretanto, tudo o que aconteceu até agora, culminando com a morte repentina de Eduardo Campos, ainda no início de sua campanha para a sucessão presidencial, leva-me a, no mínimo, refletir sobre uma participação mais efetiva da nossa irmã Marina Silva na mudança dos destinos de nosso país.

De uma coisa estou certo: Deus está no controle de todas as coisas; a Ele pertence o futuro. E, por isso mesmo, a tragédia envolvendo Eduardo Campos — que partiu para a eternidade na mesma data de seu avô, o importante político Miguel Arraes (morto em 13 de agosto de 2005) — não aconteceu por acaso. Lembremo-nos de que Marina Silva, que tem uma grande representatividade política, não conseguiu registrar seu partido e, por isso, decidiu unir-se a Campos como candidata à vice-presidente. Oremos pela nossa nação.

Ciro Sanches Zibordi

A Palavra de Deus e o Deus da Palavra


Estou lendo um livro interessante, recheado de frases inspirativas, em que o autor cita várias palavras de Jesus Cristo, mas omite seu nome, mencionando apenas o lugar onde elas estão registradas, como: “It is more blessed to give than to receive —Acts 20:35” (URBAN, Hal. Choices that Change Lives, New York, NY: Fireside, 2006). Curiosamente, quando URBAN cita outras frases de personalidades da História, faz questão de mencionar seus nomes, como Madre Teresa de Calcutá, Albert Schweitzer, Winston Churchill, etc.

Aliás, no caso da frase contida em Atos 20.35, no Novo Testamento, muitos leitores desatentos pensam que ela foi pronunciada por Paulo, em razão de ela fazer parte do seu sermão aos presbíteros de Éfeso, em Mileto, no retorno de sua terceira viagem missionária. Entretanto, nessa passagem, o apóstolo disse que é necessário “recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber”.

É interessante como muitos “sábios”, a despeito de reconhecerem as verdades ditas pelo Mestre dos mestres, evitam a sua Pessoa; consideram “politicamente incorreto” a simples menção do seu nome. Eles agem como os doutores da lei dos tempos em que Jesus andou na terra, os quais examinavam as Escrituras com avidez, julgando ter nelas a vida eterna, porém não queriam reconhecer o Mestre como Senhor, Salvador e Cristo: “Examinais as Escrituras, [...] E não quereis vir a mim para terdes vida” (Jo 5.39,40).

Sabemos que a Palavra viva (Jesus Cristo) e a Palavra escrita (a Bíblia Sagrada) estão intimamente ligadas e são indissociáveis (Jo 1.1,14). É impossível — ao mesmo tempo — distanciar-se da Palavra de Deus e aproximar-se do Deus da Palavra. Por isso, o Senhor Jesus asseverou: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada” (Jo 14.23).

Ciro Sanches Zibordi

terça-feira, 22 de julho de 2014

#ProntoFalei — quer gostem, quer não (6)


Conflito israelo-palestino.
A grande mídia continua afirmando ou sugerindo que Israel é um Estado desumano, cruel e o vilão da história. Ora, qual é o país que, ao ser bombardeado por 1.600 foguetes de um grupo declaradamente terrorista, fica apenas se defendendo? Se Israel fosse tão cruel, atacaria Gaza apenas com mísseis, sem dó nem piedade, evitando a exposição de seus soldados ao perigo. A incursão por terra é justamente para tentar diminuir o número de vítimas civis. Israel pretende, com isso, proteger a sua população e os próprios palestinos, que hoje são usados pelos terroristas como escudos humanos.

Preconceito acadêmico. Estou lendo uma obra científica muito boa: MARGULIS, Lynn; SAGAN, Dorion. O que é vida? 1. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002. Entretanto, veja o que diz, na apresentação do livro, o senhor Francisco M. Salzano, do Instituto de Biociências da UFRS: “Para os religiosos, naturalmente, a resposta pode ser facilmente encontrada na Bíblia, mas para as mentes inquiridoras e que buscam uma explicação científica o problema é mais complicado”. Ora, ora, ora... Estamos em pleno século XXI, e ainda temos de ler uma declaração preconceituosa e reducionista de alguém que pensa que os evangélicos e cristãos são ignorantes, inferiores aos não-religiosos?! Apesar de os evangélicos que se prezam terem a Bíblia como sua fonte de autoridade principal, nem por isso desprezam a ciência. Faça-me o favor, nobre acadêmico!

“Academicite”. Prezo o estudo acadêmico e, por graça de Deus, frequentei e frequento a academia. Mas lamento quando vejo teólogos contaminados pela “academicite”. Quem é atingido por essa doença menospreza alguns mestres piedosos levantados por Deus só porque estes não têm um pós-doutorado, um doutorado, um mestrado ou até mesmo uma graduação. Lembremo-nos de que o título de doutor, na Bíblia, não é conferido a acadêmicos, e sim a quem foi chamado por Deus (Ef 4.8-11; At 13.1-3). O maior mestre, depois de Jesus Cristo, foi o apóstolo Paulo. E ele, por analogia, a despeito de ter um invejável Currículo Lattes — pós-doutor pela Pentecost University of Antioch; doutor pela Pentecost University of Jerusalem; mestre pela University of the Arabian Desert; e graduado pela Gamaliel College —, nunca se deixou contaminar pela “academicite” (1 Co 2.1-5).

Julgamento começa pela Casa de Deus. Quando Deus levantou alguns mensageiros para verberar contra animadores de auditório, pregadores malabaristas, milagreiros, que só querem arrancar o dinheiro do povo, há alguns anos, houve reação deles próprios e de seu fã-clube. Chamavam os tais defensores do Evangelho de oportunistas, invejosos, etc. Mas — não convém citar nomes —, nos últimos dois anos, várias máscaras têm caído. O Senhor Jesus está vivo! E Ele zela pela Igreja de Deus, que resgatou com seu próprio sangue (At 20.28).

Em campanha. Há alguns anos, divulguei no Blog do Ciro uma agenda de visita às congregações da igreja onde servia ao Senhor. Como era um dos pastores auxiliares, eu fora designado pelo pastor-presidente para pregar a Palavra de Deus nas igrejas do ministério e queria que todos os irmãos soubessem disso. Mas um famoso pastor, de outro ministério — não me pergunte o nome dele —, inseriu ali um comentário zombeteiro ou, no mínimo, sarcástico: “Eita vaidade! ou tá em campanha para a presidência?” Apenas publiquei o comentário e esperei o tempo passar. Hoje, o tal pastor é candidato a deputado federal... Em alguns momentos, o silêncio é a melhor resposta.

“Ataque homofóbico”. Bem, falando em política, não é que um certo deputado federal com nome francês e sobrenome que nos faz lembrar de um carro antigo — não me pergunte o nome dele — conseguiu se superar? Ele sugeriu nas redes sociais que o avião da Malaysia Airlines teria sofrido um “ataque homofóbico” na Ucrânia! Segundo ele, a aeronave teria sido abatida porque nela havia muitos especialistas em aids/HIV. Como eu não tinha pensado nisso? Esse parlamentar BBBrasileiro realmente tem uma inteligência acima da média! “Só que não”.

Macedonosor. “Então falou Macedonosor e disse: Não é este o grande Templo de Salomão que eu edifiquei com a força do meu poder e para glória da minha magnificência? Ainda estava a palavra na boca dele, quando caiu uma voz do céu: A ti se diz, ó Macedonosor: Passou de ti o reino”. Que Deus tenha misericórdia do grande propagador da falaciosa Teologia da Prosperidade e defensor do aborto — que é assassinato, à luz da Bíblia, visto que a vida humana é contínua desde a concepção até a morte —, o qual se considera mais sábio que Jesus Cristo, a ponto de contestar o propósito do seu primeiro milagre e sugerir que transformar água em vinho não ajudou as pessoas em nada. E que esse líder evangélico (evangélico?), à semelhança de Nabucodonosor, rei de Babilônia, ainda tenha a oportunidade de glorificar, de fato, o Rei dos céus (Dn 4.28-37).

Show das poderosas gospel. Agora, pare o mundo que eu quero descer! Assisti, há pouco tempo, a uma versão gospel do show das poderosas! Isso mesmo. Usando play-back da funkeira Anitta, algumas 
ungidas, dançando, cantavam: “Prepara que agora é a hora da oração das poderosas, que oram, jejuam, que vencem as invejosas”. Meu Deus! Logo, logo, teremos “Beijinho no ombro” gospel! Como estão dessacralizando e secularizando o culto a Deus sob a égide de que é importante valorizar a cultura! Mas o Evangelho está acima da cultura! O Evangelho está acima do mundanismo! “Ora, vem, Senhor Jesus” (Ap 22.20).

Ciro Sanches Zibordi

domingo, 13 de julho de 2014

Orgulho de ser brasileiro


Pode comemorar, brasileiro. O Brasil está na final da Copa do Mundo da Alemanha! Depois de golear a anfitriã por 7 a 1, em pleno 
Olympiastadion Berlin, a Seleção canarinho vai enfrentar a Argentina, que passou com muita dificuldade pela Holanda. Ficamos tristes pela situação da Alemanha, que, além de perder na semifinal, também foi goleada ontem pela Holanda, por 3 a 0, no Signal Iduna Park, em Dortmund, e ficou em quarto lugar.

Como se não bastasse a vergonhosa participação da Seleção Alemã na Copa, realizada em seu próprio país, levando dez gols em dois jogos, o povo alemão está indignado com o governo. O tão festejado legado da Copa tem sido pífio. E o trem-bala, prometido pela chanceler Angela Dorothea Merkel, há quatro anos, não foi entregue. Merkel deve receber uma sonora vaia, neste domingo, no momento da entrega dos prêmios aos finalistas.

A grande indignação dos alemães não é por causa do futebol, e sim em razão de a Alemanha estar e 85º. lugar no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Alguns ufanistas estão comemorando — não sei por quê —, e um ex-chefe de Estado que fala “pelos cotovelos” chegou a dizer que a Alemanha está entre os “sete melhores países em tudo o que você quiser”.

Outros defensores do partido que está no poder há mais de dez anos dizem que a Alemanha só não está melhor por causa da Segunda Guerra Mundial. Afinal, desde 1945, os alemães não conseguem se reerguer. Mas a oposição não concorda com isso, pois a corrupção ali é grande, e os políticos corruptos, mesmo depois de punidos pelo Bundesgerichtshof (STF alemão), recebem regalias.

Comemore, brasileiro! Ganhando ou perdendo a Copa, continuaremos felizes, pois o Brasil ainda está em 5º. lugar no ranking do IDH e temos educação, saúde, segurança, justiça, transportes, qualidade de vida, civilidade, etc. Somos um país exemplar. E mais: a nossa presidenta Dilma Rousseff, que estará presente na grande final, no 
Allianz Arena, em Munique, será aplaudida por todos, seja qual for o resultado, haja vista ser ela uma grande estadista, que tem conduzido a nossa nação com muita competência, a ponto de ser considerada a segunda pessoa mais influente do mundo!

Soltemos, pois, o nosso grito: “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”...

Ciro Sanches Zibordi

terça-feira, 8 de julho de 2014

Estou envergonhado do Brasil


Se “os melhores hinos e poesias foram escritos em tribulação” (Harpa Cristã, CPAD), os melhores gracejos e anedotas foram escritos durante e após o tribuloso jogo da Seleção. E muitos têm preferido rir para não chorar, depois da eliminação do Brasil da Copa do Mundo.

Mas como é triste ver crianças, em sua ingenuidade, chorando... Esse é um bom momento para os pais mostrarem aos seus filhos que futebol é apenas entretenimento, e que na vida há coisas muito mais prementes e relevantes que isso.

Vergonha e tristeza não é perder um jogo de futebol, que é mero entretenimento, mesmo que seja por 7 a 1. Vergonhoso e angustiante é um país rico como o Brasil estar em 85o. lugar no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), abaixo de Jamaica, Peru, Argentina, Chile e tantos outros países, como a Noruega, que sequer veio para a Copa e é a primeira no aludido ranking.

Está na hora de todos os brasileiros acordarem e lutarem por coisas mais relevantes. Já passou do tempo de nós sermos os melhores em educação, em saúde, em transportes, em civilidade, etc. E a educação no Brasil é tão ruim que muitos brasileiros que jamais perdoarão o técnico e os jogadores de futebol são capazes de votar de novo em políticos corruptos, que verdadeiramente têm feito o povo brasileiro sofrer.

Deus queira que essa derrota acachapante da Seleção Brasileira seja o primeiro passo para muitos brasileiros acordarem e passarem a priorizar o que realmente é prioritário, bem como a votar em políticos que verdadeiramente estão preocupados com a educação, a saúde, a segurança, os transportes, a civilidade, etc.

Mostra a sua verdadeira força, Brasil! E que o povo de Deus continue fazendo a sua parte, orando e evangelizando, pois: “Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual escolheu para sua herança” (Sl 33.12).

Ciro Sanches Zibordi

Sete características do culto — verdadeiramente — pentecostal

Primeira: o propósito principal da manifestação multiforme do Espírito em um culto coletivo é a edificação do povo de Deus (1 Co 14.4,5,12). Risos intermináveis e supostas quedas de poder edificam em quê?

Segunda: a faculdade do intelecto não deve ser desprezada no culto em que o Espírito Santo age (1 Co 14.15,20). Ninguém genuinamente usado pelo Espírito Santo deixa de raciocinar normalmente, em um culto coletivo a Deus. Isso, claro, segundo a Palavra do Senhor.

Terceira: um culto a Deus não deve levar os incrédulos a pensarem que os crentes estão loucos (1 Co 14.23). O que pensam os não-crentes que assistem a “cultos” nos quais pessoas caem ao chão, rindo sem parar, rosnando, latindo, mugindo, rugindo, uivando e rolando umas sobre as outras?

Quarta: o culto coletivo a Deus deve ter ordem e decência; tudo deve ocorrer a seu tempo: louvor, exposição da Palavra, manifestações do Espírito (1 Co 14.26-28,40). Um culto que não tem ordem nem decência é dirigido pelo Espírito?

Quinta: no culto genuinamente pentecostal deve haver julgamento, discernimento, a fim de se evitar falsificações (1 Co 2.15; 14.29; 1 Jo 4.1).

Sexta: haja vista o espírito do profeta estar sujeito ao próprio profeta, é inadmissível que aconteçam manifestações consideradas do Espírito Santo em que pessoas fiquem fora de si (1 Co 14.32). O Deus que se manifesta no culto coletivo não é Deus de confusão, senão de paz (v. 33). Quando um “pregador” derruba pessoas carentes de uma bênção ou os seus supostos opositores com golpes de seu “paletó mágico”, além da confusão que se instala no “culto”, tal atitude não é nada pacificadora. E quem recebe a glória, indutivamente, é o próprio show-man.

Sétima: se alguém cuida ser profeta ou espiritual, deve reconhecer os mandamentos do Senhor (1 Co 14.37). O leitor está disposto a submeter-se aos mandamentos do Senhor? Ou é um daqueles que, irresponsavelmente, dizem: “Não podemos pôr Deus em uma caixinha. Ele sempre faz coisa nova”. Para que serve a Bíblia, para nada? Não é ela a nossa fonte máxima de autoridade? Perderam as Escrituras a primazia? Não são elas a nossa regra de fé, de prática e de vida? Gálatas 1.8 perdeu a validade? Não nos enganemos. O verdadeiro avivamento só ocorre quando há submissão à Palavra de Deus e ao Deus da Palavra.

Ciro Sanches Zibordi

terça-feira, 1 de julho de 2014

Fim ou recomeço?

No princípio, Deus criou o mundo e pôs nele o homem, e este o decepcionou. O que aconteceu? Bem, a vida no jardim do Éden perdeu o sentido. Fim? The End, como outrora terminavam os filmes de Hollywood? Não! Simplesmente, um recomeço.

O Criador vestiu Adão e Eva de peles e estabeleceu novas metas para a humanidade. Enfim, o que passou, passou. O fim do período da Inocência deu início ao da Consciência. E mais uma vez o homem decepcionou a Deus. Os “filhos de Deus”, descendentes de Sete — filho de Adão —, se misturaram aos pecadores, e a Terra ficou cheia de violência e materialismo. Veio, então, o Dilúvio. Fim? Não. Recomeço. Deus preservou Noé e sua família, para com eles estabelecer um novo pacto e um novo período, o do Governo Humano, por assim dizer.

Mais uma vez, os homens fracassaram, ao tentar construir uma cidade, com uma grande torre, para glória própria, esquecendo-se de que toda a glória pertence ao Criador (Is 42.8). O que fez Ele, pôs fim a tudo? Não! Frustrou aquele mau intento, a fim de que houvesse um novo começo para os homens. Mas não pense que Deus estava tentando ajudar o ser humano sem saber o que aconteceria. Quando o pecado entrou no mundo, o Senhor já tinha um plano estabelecido — tanto que Jesus Cristo é o “Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Ap 13.8); isto é, todos os cordeiros mortos desde a criação do mundo tipificam o Cordeiro de Deus (Jo 1.29). Os fins e recomeços são oportunidades para a humanidade se reencontrar e entender os propósitos do Criador.

Bem, o chamado Governo Humano não deu certo, e a Torre de Babel caiu. Como diz a Palavra de Deus, “Do homem são as preparações do coração, mas do Senhor é a resposta da boca” (Pv 16.1). Quando fazemos planos e eles desmoronam, isso não significa o fim. Deus, naquela ocasião, espalhou as pessoas, para um novo começo: o período Patriarcal.

O Senhor fez alianças com Abraão, Isaque e Jacó, e nasceram aqueles que formariam as doze tribos de Israel, mas o livro dos começos, o Gênesis, terminaria de modo aparentemente trágico: “E morreu José da idade de cento e dez anos; e o embalsamaram, e o puseram num caixão no Egito” (Gn 50.26). Que ironia! O livro que começa com uma frase cheia de vida “No princípio, criou Deus os céus e a terra” termina com morte, embalsamamento e caixão, palavras que gostaríamos de riscar do vocabulário!

Mas não podemos nos esquecer de que cremos no Doador da vida! E de que a morte, para os seus servos, é um recomeço, em outra dimensão, a celestial! Nem a morte pode nos separar do amor de Deus (Rm 8.38,39).

Começa, então, o período da Lei, com a saída dos filhos de Israel do Egito — liderados por Moisés —, que não eram mais uma família, mas um grande povo. Esse período duraria até a plenitude dos tempos, quando Deus enviaria seu Filho, “nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos” (Gl 4.4,5). No decurso desse período, entre os livros de Êxodo e Malaquias, houve vários fins e recomeços. E, como a humanidade não foi capaz de retomar o rumo segundo a vontade de Deus, mais um período teria de acabar, como lemos em João 1.17: “a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo”.

Cristo, o Deus-Homem, o verdadeiro Deus encarnado (Jo 1.1,14; 1 Tm 3.16), dá início ao período da Graça. Mas somente a sua encarnação não seria suficiente. Teria Ele de passar pelas angústias humanas. O véu precisaria ser rasgado. E não estou falando do véu do Templo, partido em dois para “dizer” que o caminho para a salvação está aberto. Para isso acontecer, um outro véu teria de ser rasgado: o corpo de nosso Senhor (Hb 10.20).

Jesus nasceu, viveu e morreu. Fim? Bem, se a sua morte fosse o fim, estaríamos perdidos. Mas... Ah, como eu gosto desta palavrinha! Às vezes, até usamo-la de modo inconveniente, para criticar alguém: “Gosto de fulano, mas...” Contudo, veja como ela se encaixa como uma luva em 1 Coríntios 15.17-20. Leia esta passagem agora, em voz alta, por favor. Glória a Deus! Se Jesus não tivesse ressuscitado, a nossa fé seria vã e estaríamos perdidos. Mas Cristo ressuscitou!

Que recomeço maravilhoso e triunfante, não acha? Imagine a alegria das mulheres que foram visitar o corpo de Jesus, e encontraram a pedra revolvida e o túmulo vazio (Mc 16.1-4). Que recomeço para elas, que já não tinham esperanças! Você pode escolher ao passar por uma decepção ou tragédia uma das duas palavrinhas de três letras: “fim” ou “mas”.

É possível que você esteja enfrentando grandes angústias agora. Há, quem sabe, muitas decepções em seu coração: a perda de um ente querido em uma tragédia, a interrupção de uma gravidez, um sonho não realizado, uma enfermidade, o fim de um relacionamento... Bem, você tem a oportunidade de deixar para trás as frustrações e começar uma nova fase da vida com alegria e satisfação.

O fim não é um fim em si mesmo. Lembre-se de que sempre haverá um “mas”. O que seria de nós se alguns versículos terminassem antes dessa palavrinha? Imagine se Romanos 6.23 terminasse assim: “o salário do pecado é a morte”. Mas há um complemento animador: “o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor”. Temos dificuldades e aflições, mas o Senhor é o nosso Pastor! O Inimigo se levanta contra nós, mas maior é Aquele que está conosco! Os nossos corações nos condenam, mas maior é Ele do que os nossos corações!

Você pode ter enfrentado uma grande dificuldade, frustrações e decepções; mas tudo isso acabará, se você tiver esperança, e uma nova fase de vitórias terá início, pois cremos que o fim traz um grande recomeço para aqueles que depositam a sua esperança em Jesus Cristo!

O mundo está em guerra. O Brasil, dominado pela corrupção. O profeta Miqueias vivia dias semelhantes aos nossos (Mq 7.1-6). Contudo, havia um “mas”, um “porém”. Qual? A sua certeza em um recomeço em Deus estava inabalável, e ele exclamou: “Eu, porém, esperarei no Senhor; esperei no Deus da minha salvação: o meu Deus me ouvirá” (Mq 7.7). Pessoas especiais morreram, porém Cristo está vivo e consola o seu coração. O ano pode não estar sendo bom para você... “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” (Rm 8.37). Recomece!

Ciro Sanches Zibordi

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Verdades que devem ser ditas

por Carla Ribas

Certo dia meu marido, Ronaldo, disse a seguinte frase, quando reunido com seus gerentes, na CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus): "O homem 'não é culpado' de nascer em pecado, mas, sim, de morrer em pecado". Fiquei tão impactada por essa afirmação que ela não saiu mais da minha mente.

Muitas pessoas reclamam de Deus, culpam-no por tantas coisas, dão mil desculpas para não aceitá-lo e fazer a sua vontade soberana; preferem viver uma vida mesquinha, de aparência, escondendo-se atrás da autopiedade, em vez de reconhecerem que, em Cristo, somos mais do que vencedores.

Realmente, "não temos culpa" de nascer em pecado [embora tenhamos nascido pecadores, haja vista termos herdado o pecado de Adão], e Deus, sabendo disso, enviou seu próprio Filho, Jesus, para que Ele, tendo morrido e ressuscitado, possibilitasse a nós o acesso direto a Deus. Ele pagou com o seu sangue o preço dos nossos pecados. O seu sacrifício foi e é suficiente. Isso é justiça!

Imagine: o acesso a Deus hoje é tão simples: basta que você reconheça Jesus como o único e suficiente Salvador da sua alma, e pronto. A partir daí, quando Deus olhar para você, verá a marca do sangue de Jesus em sua vida. Jesus se colocou entre nós e Deus para que tivéssemos acesso direto a Ele. Você estará justificado por Cristo.

Chega de tentar fazer trocas com Deus: eu deixo de comer isto ou aquilo, e o Senhor me dá aquela bênção. Deus não é mercador; não aceita sacrifícios tolos. A salvação em Jesus é de graça; você não precisa mais fazer promessas, sacrificar seu corpo nem derramar sangue de animais para que Deus atenda seus desejos. Não!

O que Deus quer de nós é que o recebamos como único e suficiente Salvador e vivamos segundo o manual que Ele nos deixou: a Bíblia. Ela é a "bússola". Tudo mais será consequência dessa decisão.

Por toda a história vemos tiranos cometendo absurdos contra a humanidade em nome de Deus. Por quê? Porque a maioria não lê nem estuda a Bíblia, que é um livro poderoso, a Palavra de Deus.

Ao receber Jesus, a primeira coisa a fazer é começar a ler a Bíblia. Leia o Evangelho Segundo João, pense no que leu e peça que Deus ilumine a sua mente.

Procure uma igreja evangélica saudável. Como? A igreja sadia é a que procura ensinar a Palavra, um lugar onde a pregação é coerente e consistente. Ao chegar à sua casa, procure checar o que foi dito, se está de acordo com a Bíblia. Caso contrário, peça a Deus que lhe mostre uma igreja segundo o coração dEle. Mas não desista! Você recebeu Jesus em sua vida, e não os homens.

Vejo as igrejas evangélicas com um grande exército (de Deus) composto por inúmeros quartéis, adequados para cada tipo de soldado. Ninguém poderá dar a desculpa de que não foi salvo porque não encontrou uma igreja para frequentar. Escolha a sua.

É importantíssimo congregar, estar reunido como corpo de Cristo, como família. Não dá para ser crente só em casa. A Palavra de Deus é a água que limpa a nossa alma e a igreja é o local onde mostramos a Deus que temos tempo para Ele e fomos à sua Casa para adorá-lo.

Uma coisa é certa: o mesmo Deus que nos salva é o Deus que nos orienta e se preocupa conosco. Porém, se você quiser receber Jesus para ter riquezas, está com o pensamento errado. Receber Jesus é reconhecer que existe apenas um Mediador entre Deus e o homem. Significa que, enquanto aqui vivermos, Ele promete estar conosco, amando-nos, preenchendo nosso vazio, alegrando-nos, mesmo em meio a lutas, batalhando por nós, dirigindo nossos passos, às vezes dando um "puxão de orelha"... As bênçãos materiais Ele nos dá porque gosta de nos abençoar.

Mas, acima de tudo, quando nossa vida aqui chegar ao fim, Ele promete aos que nEle creram e perseveraram na fé a vida eterna ao seu lado. A eternidade é muito longa para passarmos sem salvação. Por isso, não seja escravo de homens, da opinião e aceitação dos seus amigos e da sociedade. Eles nunca poderão te salvar.

Parece loucura? Sim! E o mundo? Que segue cada dia mais sem direção, perdido, sem padrões morais e familiares e com verdades cada vez mais relativas? Isso é sanidade?

Em Cristo nós podemos ter um casamento feliz e duradouro, filhos bem criados, vidas abençoadas, paz e estabilidade. Nosso manual é a Bíblia, as instruções para uma vida estável e equilibrada estão nela. Nela acreditamos de capa a capa. Ser seletivo quanto a partes da Bíblia é deixar de compreender o todo. É abrir mão da bênção completa para a sua vida.

A foto que você vê acima é da nossa família. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus! Não somos fruto de nenhuma evolução, pois Deus é e sempre foi perfeito. Ele nos criou à sua imagem e semelhança. Todas as diferentes raças e cores foram criadas por Ele e Ele ama a todos da mesma forma. As frutas que comemos são apenas símbolo de alimentação saudável.

Assim como nós, muitos outros blogueiros e pessoas que servem a Jesus também tem famílias abençoadas. Nós não nos envergonhamos dEle. Pelo contrário, é indescritível a alegria, o valor e a gratidão que temos a Deus por tudo que Ele tem feito por nós, em meio a esse mundo caótico e com verdades relativas. Nós não cremos em verdades relativas; cremos e seguimos somente a Jesus, que é a Verdade Absoluta.

Carla Ribas, autora da CPAD e editora do blog 
VIVA BONS MOMENTOS.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

A aberrante entrevista de um pseudopastor no SBT


Há poucos dias, tentei assistir a uma entrevista de um famoso "pastor", no SBT, mas não consegui. Meu Deus! Aberração sobre aberração. Desliguei a TV depois de uns oito ou dez minutos. Nesse pouco tempo, tive a impressão de que estava diante do Inri-Cristo, e não de um pastor e escritor que muito admirei em meus tempos de adolescência.

Quando o tal pastor (pastor?) afirmou que, em Gênesis 6, os "filhos de Deus" ali mencionados são anjos ou extraterrestres que se uniram a mulheres, eu pensei: "Não é possível. O texto de Gênesis 6 é mais do que claro". Afinal, os "filhos de Deus" ali eram rapazes pertencentes à linhagem piedosa de Sete (filho de Adão), a qual é mencionada no capítulo anterior. Ou seja, a resposta está no próprio contexto imediato da passagem!

O famoso "pastor", talvez para ganhar a simpatia do entrevistador e de seu público, também fez uma comparação esdrúxula e ultrajante, ao explicar como seria uma relação sexual entre um gigante de onze metros de altura e uma jovem de estatura comum... Disse, ainda, que acredita em várias existências cósmicas paralelas.

Com um linguajar para lá de vulgar e agressivo, e não de um servo do Senhor (1 Pe 3.15), e com uma postura extremamente arrogante, o "pastor" ridicularizou a fé evangélica, afirmando que todos os cristãos são ignorantes, e todos os pastores, desonestos e mal-intencionados. E o pior de tudo: julgando-se muito inteligente, ele relativizou e também negou a inerrância, a infalibilidade e a autoridade das Escrituras. Tudo isso nos menos de dez 
minutos que assisti!

Pois é... Um pseudopastor vai a um programa de TV, ridiculariza a fé evangélica, porta-se como um zombeteiro do evangelho, usa palavras torpes, considerando-se superior a todos, relativiza e nega a inerrância e a autoridade das Escrituras, bem como diz que a Bíblia é a mãe de todas as heresias, e ainda tem cristão (cristão?) que defende o tal mais do que o Bom Pastor, Jesus Cristo?! Faça-me o favor! É verdade que a Bíblia tem sofrido não mão de representantes de um "sacerdócio caído", como o tal "pastor". Mas a Bíblia, para o cristão que se preza, é a Palavra de Deus!

Repito: o tal "pastor" afirmou que a Bíblia é a mãe de todas as heresias! E, para meu espanto, tem cristão (cristão?) aplaudindo isso e até defendendo tal aberração! Ora, quando o Diabo usou o Antigo Testamento, citando textos fora de contexto, para tentar o Senhor Jesus, no deserto, o que este fez? Citou as Escrituras corretamente, dentro do contexto, e venceu Satanás (Mt 4.1-11). O Diabo é o pai e a mãe de todas as heresias! A Bíblia é a Palavra de Deus!

Por fim, o tal "pastor" — idolatrado por muitos desavisados — disse, com soberba, colocando-se acima de tudo e todos, que por mais de 30 anos tentou reformar, por assim dizer, o evangelicalismo brasileiro. Ele descobriu que todos os evangélicos, em outras palavras (menos chulas), são ignorantes. Quem esse representante de um "sacerdócio caído" pensa que é? Merece ele mais respeito do que eruditos piedosos como Russell Shedd, Antonio Gilberto, Augustus Nicodemus, Hernandes Dias Lopes, Esequias Soares, Paulo Romeiro e tantos outros pregadores e mestres que defendem o verdadeiro Evangelho? Faça-me o favor!


"Ora, vem, Senhor Jesus" (Ap 22.20).

Ciro Sanches Zibordi

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Novidade: livro para este ano, se Deus quiser


No último fim de semana, tive a honra de participar do XIII Concílio da Missão Evangélica do Brasil e conhecer os bispos João Gualberto e Davi Gualberto, no Centro de Convenções John Wesley, em Xerém-RJ. O pastor Jecer Goes, presidente da Assembleia de Deus Canaã, sediada em Fortaleza-CE, pregou duas mensagens simples, mas cristocêntricas e verdadeiramente proféticas.

Estou escrevendo um livro, por graça de Deus, e o Senhor confirmou por meio da sua Palavra várias mensagens que desejo inserir nessa nova obra — as quais estavam bem guardadas em meu coração. Que Deus continue abençoando grandemente o pastor Jecer Goes, um amigo que tem feito um trabalho maravilhoso para Deus em todo o Brasil, especialmente no Ceará.

Aproveito este post para pedir oração a todos os irmãos e amigos, pois "uma porta grande e eficaz se me abriu; e há muitos adversários" (1 Co 16.9). Estou trabalhando arduamente para entregar o novo livro à CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus) até o fim de julho, se Deus quiser.

Ciro Sanches Zibordi