segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

O internauta opina (17)

Neste O internauta opina número 17 publico a opinião do irmão Rômulo A. Pereira quanto ao artigo Uma palavra aos que, ingenuamente, pensam que podemos louvar a Deus com todos os estilos musicais, acompanhada de minha resposta.

Rômulo A. Pereira disse:


Olá, Ciro. Gosto muito dos seus livros, possuindo três deles. Todos com excelente argumentação e de importância crucial para os tempos em que vivemos. Sobre a matéria em questão, gostaria de expressar alguns comentários. Aprendi nos seus livros que não devemos ultrapassar o que está escrito. Fazê-lo pode nos levar a extremos, como libertinagem e legalismo.

A Bíblia Sagrada nunca fez pronunciamento quanto a ritmos musicais. E ritmos foi certamente algo com que o povo de Israel e a igreja primitiva conviveram. Passaram por culturas as mais diversas, idólatras e profanas: egípcia, filistéia, assíria, babilônica, persa, grega, romana. E mesmo assim a Palavra não menciona restrições a ritmos. Isso, claro, poderia ter sido feito. Bastava uma citação do tipo: "a música consagrada deve ser lenta/rápida e aguda/grave", etc.

Artigos científicos, como bem sabemos, não têm validade como as infalíveis Escrituras. Ora, existem diversos artigos científicos que apontam músicas tradicionais como sonolentas para os jovens, mas agradável para os adultos, enquanto que músicas rápidas são estimulantes para os jovens e incômodas para os adultos. Enfim, os tais "efeitos" da música são relativos. A quem faz mal, não ouça.

Ah, e citar abusos e mau uso não invalida alguma teoria. Afinal, existem abusos por parte pastores, por parte de profetas, por parte de educadores, e isso não invalida esses imprescindíveis ministérios. Novamente, lembro que não devemos ultrapassar o que está escrito. Se um assunto tão patente, cotidiano e pertencente a todas as eras fosse passível de normatização, Deus teria se pronunciado. Parabenizo o amado irmão pelo blog e pelos livros.

A graça e a paz do Senhor!


Minha resposta:

Olá, Rômulo. Agradeço-lhe por fazer menção honrosa a minhas obras literárias. Glória a Jesus!

Quanto ao artigo em questão e ao seu entendimento acerca dele, o irmão, com certeza, não leu com atenção os meus livros, pois neles eu deixo claro que a Bíblia é um Livro de promessas, mandamentos e princípios. E, por meio destes, sabemos que nem todos os estilos musicais servem para o louvor do Senhor.

Se não levarmos em conta os tais princípios, achando que a Bíblia só condena pecados e embaraços de maneira explícita e direta, não acharemos nela também argumentos contra cigarro, baile funk, filmes eróticos, etc. Não há reprovação específica a pecados atuais nas páginas sagradas, como: "Não assistirá a filmes eróticos" ou "Não fumarás".

Por conseguinte, o irmão pode ter aprendido pelos meus livros que não devemos ultrapassar o que está escrito (se bem que isso é, antes de tudo, um princípio bíblico), mas não entendeu ainda o que realmente significa isso. Não ir além do que está escrito é saber que a Bíblia é um Livro de promessas, mandamentos e princípios e, por isso, deve controlar todo o nosso viver. Leia com atenção o livro MAIS Erros que os Pregadores Devem Evitar, e o irmão entenderá melhor o que eu quis dizer. Mas estude, principalmente, as referências bíblicas citadas na mencionada obra, pois elas são muito mais importantes e convincentes que o meu texto.

A Bíblia Sagrada não faz menção direta a estilos musicais, como também não alude diretamente a vários pecados. Não há especificidades quanto aos estilos musicais, porém há princípios pelos quais identificamos quais são os estilos que não servem para o louvor a Deus.

Outrossim, o irmão está muito equivocado se pensa que o evangelho de Cristo deve se submeter às culturas dos povos! Estude melhor esse assunto, pois o irmão está, repito, enganado, com todo o respeito. São as culturas que devem se submeter ao evangelho. O fato, por exemplo, de o brasileiro ter samba no pé não denota que, necessariamente, haja aval tácito na Bíblia para introduzirmos esse estilo musical nos templos.

Artigos científicos têm validade sim, principalmente se amparados por princípios da Palavra de Deus. Desculpe-me se estou sendo insistente, ao repisar (e também reprisar) o termo princípios, bem como enfatizar a necessidade de o irmão entender que a Palavra de Deus possui promessas, mandamentos e princípios. Mas, por causa disto, o irmão também está equivocado quanto aos efeitos causados pelo música. Eles não são, de modo algum, relativos. Os tais efeitos são comprovados pela ciência.

Sugiro que o irmão estude o assunto com cuidado, antes de abraçar o simplismo. Há obras meritórias lançadas por editoras evangélicas. No entanto, se quiser estudar o assunto cientificamente, de modo imparcial, procure obras seculares de pessoas versadas em musicologia, musicoterapia e matérias afins.

Finalmente, lembro-lhe mais uma vez de que não deve ignorar este princípio: não ultrapassar o que está escrito na Palavra de Deus (1 Co 4.6). Nunca se esqueça de que a Palavra de Deus é a nossa regra de fé, de prática e de vida, bem como um livro de promessas, mandamentos e princípios. Sugiro que o irmão estude (e não apenas leia) textos como 1 Coríntios 6.12; 10.23,31; 1 Tessalonicenses 5.22; Hebreus 12.1,2; Galátas 5.19-22; Filipenses 4.8; Romanos 12.1,2.

Deus o abençoe! Feliz 2009!

Ciro Sanches Zibordi

11 comentários:

greickk disse...

É JESUS O PAI?

Versículos que os Unicistas usam para provar que Jesus é o Pai.

Isaías 9:6 – o "Pai Eterno"

Este versículo não ensina que Jesus é o Pai. O título "Pai eterno", refere-se ao fato de que Jesus é o Pai da eternidade; em outras palavras, Jesus sempre existiu (João 1:1); Ele não foi criado, não teve princípio (João 17:5).

O termo "Pai" não era o título que se costumava usar para dirigir-se a Deus no Antigo Testamento. Assim, este versículo não ensina que Jesus é o "Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo" (1ª Pedro 1:3); em outras palavras, Jesus não é seu próprio Pai.

João 10:30 – "Eu o Pai somos um"

Se Jesus houvesse querido dizer que ele é o Pai, haveria dito: "Eu e o Pai sou um" ou "Eu sou o Pai", que seria a expressão gramatical correta. Jesus não pode ser acusado de ter sido um mal comunicador.

"Somos" (gr. esmen), a primeira pessoa do plural. Jesus e o Pai são um em natureza e em essência, porque Jesus é Deus, como o Pai, mas não é o Pai.

João 14:8, 9 – "Disse Filipe: "Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Jesus respondeu: "Você não me conhece, Filipe, mesmo depois de eu ter estado com vocês durante tanto tempo? Quem me vê, vê ao Pai. Como você pode dizer: ‘Mostra-nos o Pai’?"

Jesus NÃO disse a Filipe que era o Pai.

Jesus veio como representante do Pai; veio demonstrar-nos o caminho ao Pai (v.6). Em João 5:43, Jesus disse: "Eu vim em nome de meu Pai [na autoridade do Pai, com as credenciais do Pai], e vós não me recebeis; se outro viesse em seu próprio nome [em sua própria autoridade, com suas próprias credenciais; como o anticristo], a esse receberíeis".

Quantas vezes temos orado: "Pai, ajuda-me para que as pessoas te vejam em mim". Acaso isso quer dizer que quando as pessoas virem você, estarão vendo literalmente ao Pai? Certamente que não, nem tampouco você estaria realmente pensando nisso, mas sim, estaria pedindo que Deus o ajude a representá-lo corretamente diante das pessoas para que possam ver a Deus através de sua vida. Por isso Jesus disse a Felipe: "O que me viu, viu ao Pai", porque ver a Jesus, quem representou ao Pai foi como se estivesse vendo ao Pai. Mas Jesus NÃO estava dizendo que ele era o Pai.


QUE DIZ A BÍBLIA ACERCA DE JESUS E O PAI?


Jesus é referido como "Filho" mais de 200 vezes no Novo Testamento e nunca é chamado de "Pai".

Jesus referiu-se ao Pai mais de 200 vezes como alguém distinto dele.

Em mais de 50 versículos podemos observar o Pai e a Jesus, o Filho, lado a lado.

No Novo Testamento repetidamente encontramos expressões como estas:

Romanos 15:5-6 — "O Deus que concede perseverança e ânimo lhes dê um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só boca vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo".

2ª Coríntios 1:3 — "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação..."

Filipenses 2:10-11 — "...Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai".

1ª João 1:3b — "Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo".

1ª João 2:1 — "Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo".

2ª João 3 — Graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, o Filho do Pai, estarão conosco em verdade e amor".

No Evangelho de João, Jesus refere-se a si mesmo como enviado pelo Pai, mas nunca referiu-se a si mesmo como o Pai que enviou ao Filho.

O Pai enviou a alguém separado dele, chamado Filho.

1ª João 4:9-10,14 — "Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação por nossos pecados. (...) E vimos e testemunhamos que o Pai enviou seu Filho para ser o Salvador do mundo".


É JESUS O ESPÍRITO SANTO?

Versículos que os Unicistas usam para provar que Jesus é o Espírito Santo.

2ª Coríntios 3:17 — "Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade".

O texto não diz que "Jesus é o Espírito". Se a passagem dissesse isto, talvez os Unicistas tivessem um ponto forte, mas como não diz isto, eles assumem que a palavra "Senhor" se refere a Jesus Cristo.

O "Espírito" aqui é chamado de Senhor no sentido de identificá-lo com Javé (Jeová) ou Deus, e NÃO com Jesus, já que o versículo 16 diz: "Mas quando alguém se converte ao Senhor, o véu é retirado". Trata-se de uma referência a Êxodo 34:34: "Porém, vindo Moisés perante o SENHOR [Javé] para falar-lhe, removia o véu até sair; e, saindo, dizia aos filhos de Israel tudo o que lhe tinha sido ordenado".

O contexto sempre é que determina a quem se está referindo quando a palavra "Senhor" é usada. No versículo 17 a palavra "Senhor" está referindo-se a Javé e não a Jesus, já que o versículo 16 e todo o contexto assim demonstra.

Se os Unicistas estivessem sempre corretos ao interpretar "Senhor" como "Jesus", como ficaria Filipenses 2:11? O texto diz: "E toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai". Seguindo a linha de raciocínio dos Unicistas, teríamos de concluir erroneamente que: "E toda língua confesse que Jesus Cristo é o Jesus...". Isto não é o que este versículo está dizendo, mas o que está ensinando é que: "E toda língua confesse que Jesus Cristo é Deus. Porém, não Deus, o Pai, porque no mesmo versículo diz que isso será feito "para a glória de Deus Pai".

Romanos 8:9 — "Entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vocês. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo".

Este versículo NÃO mostra que Jesus é o Espírito Santo. A única coisa que está dizendo é que se alguém não tem o Espírito que produz fé em Cristo e demonstra o caráter de Cristo ou seja "o Espírito de Cristo", ele não é parte do corpo daquele que morreu por nossos pecados. Ele é todavia controlado pela "natureza pecaminosa".

O versículo 11 faz distinção bem clara entre o Pai que levantou a Jesus dos mortos, o Espírito pelo qual Jesus foi levantado e Jesus, quem foi levantado. Não se pode ignorar a distinção de pessoas apresentada neste versículo.


QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE JESUS E O ESPÍRITO SANTO?

Mateus 12:31-32 — O texto fala da blasfêmia contra o Espírito Santo. A conclusão lógica que é extraída deste texto é que se a blasfêmia contra o Espírito Santo não vai ser perdoada, mas a blasfêmia contra o Filho vai ser perdoada, então o Filho NÃO é o Espírito Santo.

João 14:16 — O Espírito Santo é o "outro Consolador".

João 15:26 — Jesus enviou o Espírito Santo.

João 16:13 — O Espírito Santo demonstra humildade e busca glorificar a Jesus.

Depois de termos visto que Jesus não é o Pai nem tampouco o Espírito Santo, podemos nos dar conta de que os Unicistas têm um conceito equivocado da verdadeira natureza de Deus.

Se Jesus não é o Pai, mas é Deus, e o Pai não é Jesus e é Deus, e o Espírito Santo não é Jesus e é Deus e a Bíblia diz que somente há um Deus, então isto significa que dentro da unidade do único Deus existem três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; e estas três compartilham a mesma natureza e atributos; então, com efeito, estas três são o único Deus.

Uma coisa é dizer "Eu não entende a doutrina da Trindade" e outra coisa é dizer que "a doutrina da Trindade é falsa", "pagã", "diabólica", "antibíblica". A Bíblia faz uma advertência muito forte para esta classe de pessoas quando nos diz: "...Este é o anticristo: aquele que nega o Pai e o Filho. Todo o que nega o Filho também não tem o Pai; quem confessa publicamente o Filho tem também o Pai" (1ª João 2:22b-23).

Lucas Marin disse...

A Paz do Senhor Jesus Cristo esteja contigo e a todos que aqui visitam!

Efésios, no capítulo 5 e versiculos de 3 a 20 complementa ainda mais o conteúdo...

O ritmo de rock caberia bem aos salmos ou hinos? Penso eu que não...

Pr. Newton disse...

Caro pr. Ciro,

Hip-Hop Evangélico. Rock Evangélico. Isto é conversa fiada! Conversa para boi dormir.

Existe no meio evangélico muitas “novas maneiras de evangelismo”.

A música doente, de estilo especial, chamada de Hip-Hop, é um desastre para qualquer sociedade no mundo. É de se admirar quando alguns “pastores”, sentem o desejo de projetar este “grande talento musical”, e suas aberrações ao convívio ministerial. Convidam os astros para seus métodos de evangelismo no estilo da comunidade Hip-Hopiana.

A covardia e a falta do conhecimento da santidade de Deus, está fechando bocas no ministério.

Existe através do espírito de Deus a capacidade de se discernir, o que é, o verdadeiro louvor, aceito por Deus. Deus não aceitar louvores de brincadeirinha. Não. Não aceita mesmo.

Hoje, todos, são cantores, com os seus CD’s. As letras em muitas das suas músicas, envergonham o verdadeiro louvor a Deus. Todos querem ganhar com os seus “louvores”, e assim, as prateleiras das lojas evangélicas, estão repletas de produtos, sem nenhuma unção ou exaltação plena ao Deus verdadeiro. Onde está unção? Onde? O que existe as vezes é puro emocionalismo. E as vezes tentam romantizar, para vender mais.

Os louvores da atualidade são mercenários da exaltação dos “shows”, e promovem a falta do sentimento de reverência ao nosso Deus. As músicas expressam sentimentos ocultos de carnalidade e violência.

Os trajes destes novos “discípulos de Jesus”, tentam desmantelar, toda uma racional maneira de ser, para uma “nova maneira de ser crente ou cristão”. E, pior, produzida por líderes interessados em sua projeção pessoal.

Assistí, para verificar o comportamento, em sua apresentação, de um conjunto musical evangélico de grande fama no Brasil. Este “Show”, de gritarias, cabelos estirados e roupas rasgadas, aconteceu em Boca Raton, Flórida. Que vergonha para o evangelho!!! Que vergonha para a evangelização!!!

Eu senti vergonha do que ví!!! Eu senti desprezo pelo diabólico “show de rock”, que tentava, convencer aos incrédulos ou duvidosos da Bíblia, que alí estava presente o Espírito de Deus. Agressão total aos ouvidos. Aos amantes da boa música. Aos verdadeiros servos de Deus.

Não acredite que Rock, serve para louvar a Deus. Não acredite que música Hip-Hop, serve para louvar a Deus. Mas, acredite que o desrespeito a Deus, chegou aos locais inundados por estes incautos que pensam estar louvando a Deus.

Que Deus, tenha misericórdia, destes líderes sem escrúpulos e destruidores da verdade.

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado Greickk,

Agradeço-lhe pelo proveitoso estudo, ainda que ele nada tenha que ver com o assunto tratado nesta postagem.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado Lucas,

Temos tratado desse assunto à exaustão, razão pela qual criei neste blog a seção "Música e louvor". Mesmo assim, muitos não querem aceitar que a música não é neutra e que certos estilos definitivamente não servem para o louvor. A passagem mencionada pelo irmão é, sim, bastante elucidativa no que concerne ao louvor que Deus aceita.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Pastor Newton,

O que eu poderia acrescentar às suas sábias e eloquentes palavras de protesto aos abusos que ora ocorrem na área da música eclesiástica? Parabéns! E ainda: Parabéns!

CSZ

ADP1 disse...

A paz do Senhor Jesus Cristo, seja contigo meu caro Pr. Ciro Zibordi.
Olha, como testemunha viva de que, ritmos provocam emoções adversas, eu a aproximadamente, a uns 8 anos atrás tive a oportunidade de estar em alguns Shows de umas bandas gospel, e também já fui infelizmente desviado da palavra, mais a comparação que eu quero fazer e a seguinte, tem uma banda gospel a qual eu assisti a sua apresentação, que o seu show um show mundano esta basicamente no mesmo nível, não tem como alguém falar que sente unção, com os ritmos do have metal, new metal, hip hop e outros e absurdo se alguém falar, ou querer afirmar, o que você sente e emoção em estar pulando ao ritmo frenético dos solos das guitarras, baterias, o que produz uma sensação de liberdade total, isso em um show gospel, e digo e afirmo que o que você sente nos shows seculares não muda em absolutamente nada. Não quero provocar a ira de ninguém com esse comentário, mais sou jovem, tenho 25 anos e quando você escuta louvores que adoram a Deus, esses sim te levam para presença do "Pai celestial". Façamos tudo para honra e gloria do Senhor Jesus Cristo, nos corpos pertence a Deus assim, como nossos ouvidos, então, tomemos cuidado como o que tem entrado, por eles. Façamos a nos mesmos uma pergunta será que o que eu estou escutando esta agradando a Deus?

Meu querido, Pr. Ciro fica na paz do Senhor Jesus Cristo, e oro para que Deus continue te usando com, ousadia, autoridade e muita sabedoria. Conte com as minhas orações, e que
seu ministério possa dia após dia crescer mais e mais pois precisamos de alguém que fale a verdade, sem temer.
Deixo um versículo que com certeza , se depara com a vida do irmão.
Fl.1.21 “ Para mim, o viver e Cristo, e o morrer e Ganho.”

Zeriky de Souza disse...

Auxiliar: Maestro Zeriky de Souza
Assembléia de Deus\Areias SJ-SC
Pastor: Antonio Lemos Filho

Antes de escrever algo, quero parabeniza-lo por suas obras literárias, no qual adquiri 3 e li as 3. Evangelhos que Paulo Jamais pregaria, Erros que os pregadores devem evitar, Mais erros que os pregadores devem evitar, ótimas literaturas, abençoadas por Deus com certeza.Aprendi muito com essas literaturas e mais ainda, é claro, com as inúmeras referências Bíblicas, também tive o privilégio de ouvilo pessoalmente aqui em nosso seminário de obreiros na A.D São José, Pastor Ezequiel Montanha.
Que a graça e a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja convosco, amém.

O verdadeiro Louvor

O que estamos presenciando em nossos dias, verdadeiramente nada tem haver com louvor a Deus, "cantores evangélicos" promovendo seus "shows gospel", para ganhar mais e mais dinheiro.Promovendo "profecias?", "unção"?, tarde de benção e milagres que nada tem haver coma palavra de Deus, muito menos base Bíblica para tal movimento.
Certo de que esses novos ritmos não agradam a Deus, não consigo ouvilos,( e olha que me converti apenas a 2 anos, e tenho 26 anos de idade), quando estou procurando um hino para louvar com a Orquestra no qual sou Maestro graças ao Senhor que me resgatoue justificou(Rm 5.1), não tenho dúvidas de em primeiro lugar procurar a Harpa Cristã, e seus Hinos de adoração, e com esta banda e esses Hinos tenho resgatado muitos adolescentes das ruas de São José, hojes essas crianças vivem cantarolando os Hinos da Harpa Cristã em seu dia-a-dia, não é gloriosoisso!!

A música na Igreja e na Adoração

Infelizmente um elemento que faz parte do culto a Deus em muitos lugares, são os Hinos "Profangélicos". A música tem um valor inestimável para Jesus Cristo, ela tem parte vital na adoração a Deus, ela ocupava lugar de destaque na vida dos antigos crentes.
A Bíblia nos deu Hinos maravilhosos, os Salmos, o cântico é a expressão mais viva da nossa alma, que através da melodia, da música e da letra, prestamos o nosso louvor e a nossa adoração a Deus.
Lutero diz: A mensagem cantada fala muitas vezes mais alto no coração do pecador, do que muitas mensagens vazias e sem inspiração.
A música como parte integrante do louvor e da adoração a Deus é bem remota, e até hoje não perdeu sua validade e nem tão pouco sua utilidade.
Saul, quando atormentado por um mau espírito, chamava Davi, que tocando sua Harpa fazia com que aquele espírito o deixasse.
Josafá, venceu o inimigo, avançando para o campo de batalha com um Hino de louvor.
Jesus Cristo cantava Hinos com seus discípulos. Após a ceia, nos diz o texto em (Mateus 26.30), cantaram um Hino e partiram para o monte das oliveiras.
Notamos que após a ultima ceia, com certeza o espírito de Deus estava ali, o prórpio Jesus estava ali, e não saíram pulando enm dançando,nem profetizando bençãos mirabolantes, supostas unções do riso,vitória,apostólicas, nem caíram no poder, mas sim cantaram um Hino, o GLÓRIA!!
Infelizmente hoje se tem preferido no seio de nossas igrejas, "hinos e corinhos" "PROFENGÉLICOS", e pouco se canta aqueles hinos sacros, como por exemplo: - Meu pecado resgatado, Mais perto quero estar, Fala minh'alma a ti Senhor; castelo forte. Fogo Divino clamamos por ti, e tantos outros da Harpa Cristã, do Salmos e Hinos, do cantor Cristão, do Hinário Evangélico, do Coro Sacros.
Hoje em dia, fala-se, que a igreja precisa atualizar-se, modernizar-se, que a música sofreu uma evolução muito grande,os defensores desses "Hinos PROFANGÉLICOS" argumentam que o jovem só se sentirá a vontade na igreja, e dara sua parcelade contribuição noscultos da mocidade, se houver corinhos e hinos "Prafrentex"...
O verdadeiro crente, tem como motivação a sua vida diária,para sua adoração a Deus, o próprio Jesus Cristo que morreu por nossos pecados, isso sim é motivação. Louvar e adorar Aquele que aniquilou-se a Si mesmo(Hb 12.3), deu Sua vida por nós. Jesus mesmo disse a Samaritana ( Jo 4.23.24 ,leia).
Irmãos não sejamos hipócritas, deixemos de bajular a Deus, dar glórias a Deus e aleluias é gostoso, faz bem a alma, mas não se contente só com isso, vá mais além, cresça mais, uma vida espiritual abundante exige mais de você, seja um adorador sincero, adore ao teu Deus com verdade, a Bíblia diz que a boca fala aquilo que o coração está cheio ( Mt 15.11,18-20).
De nada vale você gritar aleluia bem alto na igreja, se a tua vida não condiz com a tua adoração, de nada vale gritar bem alto aleluia se o teu coração ainda não sente a presença do espírito Santo.
E por último, cresça:lute, busque uma vida abundante no Senhor, aí poderás então com o coração transbordando de graça, do Espírito do Senhor louvar a Deus com glórias e aleluias.
Igreja, irmãos, faça uma seleção dos hinos, cante sómente aqueles hinos sacros, mesmo que seja de autoria de um irmão, o Senhor se agradará disso, Pastores e obreiros, não deixem o santuário de Deus, que o Altar de Deus seja infestado com coisas profanas.
Deixe o amocionalismo de lado adore em espírito e em verdade, assim como Deus procura (Jo 4.23,24).

Irmão Zeriky de Souza, Auxliar e Maestro na A.D Areias SJ\SC.
Parte do texto extraído da apostila: Estudo Bíblico " Um Grito de Alerta" Pastor Esmael S. Arcas.

Que a paz e a graça de Noso Senhor e Salvador seja com todos, amém.

Ítalo disse...

Paz do Senhor Pastor Ciro,

Li este comentário seu sobre musica e me deixou um pouco confuso. Bom primeiramente vou expressar o meu ponto de vista. Eu penso assim sobre ritmos, na Igreja não é todo o tipo de ritmo que se pode tocar, mas no dia-a-dia, se eu por exemplo gosto de Rap não tem nada a ver eu colocar em um MP4 ou celular o que seja e escutar no meu fone. Acho que eu não posso é chegar em casa e colocar o som no último volume e escutar um rap. E também a melodia os cantores tem que criar para a sua musica e não ficar pegando ritmos mundanos e mudando apenas a letra pois isso é errado, aí já esta misturando uma coisa de Deus com uma que foi criada não para O adorar. Muita gente fala que funk, rap, reggae etc, não são coisas de Deus, eu acho isso muito errado pois o diabo não tem poder de criar nada e a Bíblia nos diz que "Tudo que houver folego louve ao Senhor".
O senhor pode me esclarecer melhor ou esse meu pensamento não esta tão errado assim?

Deus continue te abençoando!

Icaro'o 7"... disse...

A Paz do Senhor Pr. Ciro!!!
Queria saber a respeito do Pagode o que o sr. tem a dizer sobre esse ritmo,pois sou componente de um grupo muito abençoado e nós já fomos louvar ao Senhor em vários lugares e os irmãos gostam muito e estão sempre nos convidando!!!
Depois lhe mando alguns videos do meu grupo!!!
Grato, Pedro Icaro - Paracuru,Ceará

BARULHOSANTO disse...

OBSERVEMOS QUE O INIMIGO DE NOSSAS ALMAS,PROCURA DISTORCER TUDO AQUILO QUE DEUS CRIOU;TUDO O QUE EXISTE PARA GLÓRIA DE DEUS;TUDO O QUE SE MANTEM EM UM PADRÃO NATURAL,NORMAL,QUE PODE SER OFERECIDO A DEUS EM ADORAÇÃO VERDADEIRAMENTE.QUANDO PRESTAMOS ATENÇÃO A DETERMINADAS MUSICAS GOSPEL SEJA QUAL FOR O SEU RITMO, PERCEBEMOS QUE NÃO SERVIRIA PARA SER CANTADA EM UM CULTO.POSSO CONCLUIR QUE ESTAMOS NOS TEMPOS DA APOSTASIA.DEUS NÃO QUER TRAZER OS RITMOS PARA ELE. DEUS QUER TRAZER O PECADOR AO CONHECIMENTO E ACEITAÇÃO DE SUA MARAVILHOSA LUZ QUE É JESUS CRISTO O SENHOR.
MUITOS ROQUEIROS GOSPEL TÊM O SEU REFERENCIAL EM SER UM ROQUEIRO PRIPRIAMENTE, DO QUE EM SER UM CRISTÃO AUTÊNTICO.DESTA FORMA O INIMIGO CONSEGUE LOGRAR EXITO EM TIRAR A PRIMAZIA DE CRISTO DO MEIO DO POVO E COLOCAR A PRIMAZIA EM RITMOS E SUCESSOS MUSICAIS.DEVEMOS ENTENDER QUE TUDO ISTO ESTÁ ACONTECENDO PORQUE EXISTE UM DETURPADOR-MOR QUE PROCURA DESVIRTUAR NA MUSICA O AGIR E O SENTIR A PRESENÇA DE DEUS; QUE NÃO SE FAZ SENTIR ONDE A CARNE TAMBÉM TENTA PREVALECER.