terça-feira, 12 de agosto de 2008

Você está preparado para a reforma ortográfica? (1)


Se você é escritor, articulista, blogueiro, gosta de escrever, etcétera e tal, precisa estar preparado para as grandes mudanças que ocorrerão em nossa língua portuguesa a partir de 2009. Eu não sou nenhum filólogo ou lingüista — esta palavra ainda leva trema, ainda... —, mas, como escritor, articulista e blogueiro, estou preocupado com a qualidade dos meus textos. Pensado nisso, resolvi compartilhar os meus estudos sobre as adaptações que teremos de fazer a partir da efetivação da reforma ortográfica.

Não pense que isso não tenha nenhuma relevância, pois o Parlamento português já aprovou, em maio deste ano, o segundo protocolo modificativo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. E isso significa que Portugal se uniu a Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, que, em 2007, ratificaram o protocolo, o que já garantia sua entrada em vigor. Agora não tem mais volta. Temos de “engolir” a reforma ortográfica e mudar a maneira de comunicar as nossas idéias.

O prazo estimado de adaptação para os brasileiros é de três anos. Mas, a despeito de a reforma ortográfica só se tornar obrigatória a partir de 2012, haverá a partir de agora um grande esforço para uma readaptação à nossa língua. Bem, neste primeiro artigo, discorrerei sobre o que muda em matéria de acentuação gráfica.

Pelo que já li a respeito, as regras gerais de acentuação não sofrerão mudanças. Ufa! Todas as proparoxítonas continuarão sendo acentuadas (por exemplo, biblicocêntrico, relâmpago, ônibus, etc.). As paroxítonas e oxítonas terminadas com as letras tais e tais também não sofrerão alterações. As mudanças ocorrem no que concerne às regras especiais, que são chamadas assim por serem, na verdade, exceções.

Você já ouviu falar da regra dos hiatos? Ela não mais existirá com a efetivação da reforma ortográfica. De acordo com essa regra, todas as palavras terminadas em “oo(s)”, além das formas verbais terminadas em “-eem”, recebem acentos circunflexos. E aí, quando foi o seu último vôo, ou melhor, voo? Houve muita turbulência? Sentiu muito enjôo, quer dizer, enjoo? Olha, eu não perdôo, isto é, perdoo, quando ocorrem atrasos na ponte aérea. Por outro lado, aqueles que lêem — ops! —, leem na sala de embarque às vezes nem percebem pequenos atrasos.

Notou as mudanças? Vôo, vôos, enjôo, enjôos, abençôo, perdôo; crêem, dêem, lêem, vêem, relêem, prevêem a partir de 2009 serão: voo, voos, enjoo, etcétera e tal. Complicado? Acho que não. Por enquanto dá para tirar de letra, literalmente. Por enquanto... Você ainda não viu nada.

Falando em ver, como os crentes vêem, ou melhor, veem a situação dos perdidos, que nunca ouviram a mensagem do evangelho? Isso mesmo. A partir do ano que vem, você (ou ele) lê e vê, enquanto eles leem e veem. O problema é que, nos casos dos verbos “ter” e “vir” nada muda. Por exemplo, ele tem, e eles têm. Ele vem, e eles vêm. O acento some quando o verbo exige redundância de vogal, isto é, ele crê, e eles creem; que ele dê, e que eles deem; ele lê, e eles leem.

Mas isso é só o começo. Há casos em que as mudanças serão parciais, o que confundirá, e muito, quem escreve. Hoje, por exemplo, as vogais “i” e “u” recebem acento agudo sempre que formam hiato com a vogal anterior e ficam sozinhas na sílaba, mesmo acompanhadas de “s”. A partir de 2009, você não poderá aplicar essa regra para todos os casos, pois perderão o acento agudo as palavras em que as vogais “i” e “u” formarem hiato com um ditongo anterior!

Você costuma dizer “Saúdo os irmãos com a paz do Senhor? Vamos ler em Isaías e depois em Juízes?” Bem, fique tranqüilo. Nesse caso, você pode falar e escrever do mesmo jeito. A abolição do acento ocorrerá em palavras como “feiúra”, por exemplo. Na regra que vigora hoje não há distinção entre “feiúra” e “gaúcho”, por exemplo, mas em 2009 haverá! Bem, como diz o gaúcho: Barbaridade, tchê! Na minha modesta opinião, essa reforma é uma feiura!

(continua...)

Ciro Sanches Zibordi

15 comentários:

Anônimo disse...

Ah não, Pr. Ciro! Se a linguagem regional gaúcha mudar, vai ficar uma barbaridade tchê!!! Puxa, vai simplesmente modificar nossa linguagem! Em alguns casos será muito bom uniformizar a língua portuguesa em todos os países que tem esse idioma, mas algumas palavras ficarão estranhas, como a palavra gaúcho, sem acento...Mas fazer o que? O jeito é acostumar-se com as novas regras, mesmo sem sermos consultados sobre essas mudanças...Em Cristo, Quédia.
P.S.: Seria muito bom se o senhor listasse todas as novas palavras hein?(rsrs)

Vanessa - 21anos disse...

Nossa, pastor!
Não gostei dessas mudanças.
Eu sou graduanda em Letras e tenho a tendência de ser meio puritana...
É tão difícil aprender esse monte de regrinhas chatas do português e, depois que a gente aprende, eles inventam regras diferentes?
Quanta falta de consideração com os pobres brasileiros indefesos!! rsrsrsrs

Josiel disse...

Prezado Pastor,

Ao que parece nós precisaremos retornar aos ´´bancos escolares,´´ pelo menos de uma certa forma. Como é o caso da leitura deste artigo.
Mas qual a finalidade desta Reforma Ortográfica? Os países de fala portuguesa querem se entender melhor?

Abraços fraternos.

Josiel.

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Parabéns pela iniciativa, Pr. Ciro. Está sendo muito didático e oportuno. A propósito, aproveito a oportunidade para registrar que enviei uma pergunta para o nóvel blog pastorciroresponde.blogspot.com.
Obrigado.
Alex.

carloshenrique disse...

Que absurdo tal mudança! Até parece que esses políticos resolveram zombar da população que fala em português.
Bom. Quanto a mim, não vou mudar a minha forma de escrever como protesto a essa ditadura da mudança lingüística promovida por esses ditos "entendidos" bi assunto, que nem sequer tiveram a ética e a sensatez de consultar a população quanto a isso, mas resolveram enfiarem goela abaixo tais mudanças.
Bom, com certeza estão precisando de trabalharem mais, e como não trabalham e não têm o que fazer, sempre vivem a inventarem tais mudanças da noite pro dia, só para prejudicar a população.
Aliás, será que alguma empresa ou editora que faz dicionário não está pagando para fazerem tais mudanças ortográficas? Não sei não, mas estou desconfiado que nesse jogo tenha dinheiro, e que alguém esteja ganhando dinheiro com essas mudanças ortográticas e gramaticais, pois não pode haver explicação mais plausível para esse tipo de mudanças sem consultar a população através de um plebiscito.
Bem que poderia haver uma campanha Nacional em todo o Brasil de boicote a essas mudanças na língua portuguesa.
Bom. Se alguém gostar da idéia, seria uma ótima coisa para que os governantes saibam que não se pode fazer mudanças assim na língua portuguesa sem consultar a população e sem discutir isso com toda a população.
E, fica aqui registrado minha indignação e meu manifesto contrário e meu protesto a essa mudança na língua portuguesa.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado Carlos Henrique,

O que é desagradável é a falta de lógica. Eu particularmente gosto das regras de acentuação atuais, considerando-as lógicas, inclusive as regras especiais. Mas, como se trata de uma acomodação, a fim de agradar a gregos e troianos, ou melhor, a portugueses e cabo-verdianos, não podemos esperar muita coisa. Por outro lado, acho interessante procurarmos adaptar os nossos textos às mudanças.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Alex Esteves,

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo e pelas dicas. Muito boas.

Um grande abraço!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Josiel,

O propósito da reforma é a padronização da língua portuguesa, o que, de certa forma é muito bom. Mas me parece que a adaptação será muito maior por dos brasileiros, haja vista termo um português bastante abrasileirado.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Pois é, Vanessa... Ficou um pouco mais difícil para você...

Mas, por favor, não diga mais "Nossa", tá bom? O crente deve dizer sempre "Nosso" (risos).

Um abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Quédia,

Eu vou dar continuidade a este artigo. Mas leia de novo o texto, pois "gaúcho" não perderá o acento.

Um abraço.

CSZ

Anônimo disse...

Então desculpe-me Pr. Ciro, por não ter compreendido qual distinção haverá entre as duas palavras citadas, pois pelo que entendi, haveria diferenciação...Mas que bom que o artigo terá continuidade, vou acompanhar! Na paz de Cristo, Quédia.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Olá, Quédia!

Na regra que vigora hoje não há distinção entre “feiúra” e “gaúcho”, mas em 2009 haverá! Por quê? Perderão o acento agudo todas as palavras em que as vogais “i” e “u” formarem hiato com um ditongo anterior, como em "feiúra". No caso, "gaúcho" não perderá o acento porque a sílaba tônica não é precedida de ditongo... Bah, complicaram tudo, tchê!7

CSZ

Robson Silva de Sousa disse...

Paz Ciro.

Excelente trabalho (acho que excelente não muda, não é mesmo?)... Depois te conto uma de advogado!Rsss

Ah! só para dar um toque, ABOLIÇÃO, ainda é substantivo feminino... Então muda lá e põe (põe vai mudar?) A ABOLIÇÃO...

Abraços!

Robson

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Robson,

Agradeço-lhe pela dica... Passou mesmo! O interessante é que no artigo de hoje eu também usei o substantivo mencionado antecedido corretamente de "A"...

Um grande abraço.

CSZ

Joabe disse...

Pastor Ciro,a Paz do SENHOR.Esse é um tema muito importante, e o senhor tem o meu apoio e meu incentivo para tocar nesse assunto. Um abraço.


Joabe