quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Tudo por dinheiro (1)


Em 2 Pedro 2.3 está escrito:

"e, por avareza, farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita".

Lembro-me da época em que os crentes que priorizavam as riquezas eram duramente criticados pelos pregadores...
Hoje, os pregadores da “nova onda” afirmam que é vontade de Deus que todos sejam prósperos na Terra. E acrescentam: “Adeus, pobreza do inferno! Você nasceu para ser rico! Não aceitamos a teologia da miséria”. Ser pobre — mesmo que as Escrituras digam o contrário (Hb 11.37,38; Tg 2.5) — é estar sob maldição. Bem-vindo ao evangelho da prosperidade!
Esse evangelho centra-se em verdades bíblicas pela metade, fora de contexto. E isso tem levado muitos crentes a pensarem que só passarão por privações ou dificuldades financeiras se um demônio — ou “encosto” — da miséria estiver por perto. Ora, enfrentar lutas nesta vida nunca foi nem será sinal de fracasso espiritual. O salvo pode ser pobre e continuar andando de cabeça erguida, haja vista o seu maior tesouro estar guardado nos Céus (1 Pe 1.3,4; 2.11; Fp 3.20,21).
De acordo com a falsa teologia da prosperidade, ser cristão implica ter uma vida abastada, longe dos problemas e enfermidades. Homens de Deus como Jó são considerados carnais, apesar de a Palavra de Deus afirmar que esse patriarca era sincero, reto, temente a Deus e desvia-se do mal (Jó 1.1-3). Mesmo depois de ele ter perdido todos os seus bens, continuou fiel ao Senhor, dando-lhe glória e mantendo as mesmas qualidades mencionadas (Jó 1.20-22; 2.3; 13.15).
Os propagadores desse “outro evangelho” comercializam “bênçãos”, mercadejando a Palavra do Senhor (2 Co 2.17, ARA). Afirmam que ser rico é uma prerrogativa do crente, associando de forma errada a pobreza à vida de pecado — dominada pelo Diabo — ou à falta de fé. Tais pregadores dão uma ênfase exagerada à contribuição financeira e priorizam a conquista de bênçãos na Terra. Brincam com coisa séria, fazendo gracejos do tipo: "Jesus só nasceu numa estrebaria porque os hotéis luxuosos de Jerusalém estavam lotados". Com isso, desviam os crentes das doutrinas fundamentais da fé cristã.

Qual é a nossa prioridade?

Segundo a teologia da prosperidade, todos os crentes devem ser ricos materialmente e recuperar, pela fé, o estado original que Adão e Eva tinham antes da Queda. No entanto, Deus não criou o homem rico; antes, colocou-o no jardim para trabalhar (Gn 2.8-15). O trabalho precede o pecado e não deve ser confundido com a maldição decorrente da Queda (Gn 3.19).
Ninguém sobrevive sem alimento. A comida para o corpo é insubstituível. Contudo, Jesus falou de uma comida ainda mais importante e prioritária: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra” (Jo 4.34). E Paulo também disse: “... o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm 14.17).
Ter uma vida abastada é muito bom, mas não é a nossa prioridade. Precisamos aprender com Jesus, e não com os teólogos da prosperidade. Lamentavelmente, hoje, até mesmo os telepregadores que eram tidos como ortodoxos embarcaram nessa "canoa furada" de mercadejar a Palavra de Deus. Falam como se a vida cristã se resumisse em ter saúde, bens, dinheiro, dispensa cheia... Tudo gira em torno de prosperidade financeira. No entanto, Jesus ensinou: “Trabalhai não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna...” (Jo 6.27).
"Deus não quer que eu prospere financeiramente?", alguém perguntará. É claro que Ele deseja vê-lo próspero, mas você precisa entender melhor o que é prosperidade, à luz da Bíblia. A melhor definição para o verbo “prosperar” é “florescer”. A palavra “prosperidade”, do latim prospérus, significa “feliz, ditoso, florescente”. E, nesse sentido, a Palavra de Deus afirma: “O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro do Líbano. Os que estão plantados na Casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes” (Sl 92.12-14).
Segundo a Bíblia, florescer como uma árvore significa prosperar em todos os sentidos (Sl 1.1-3) e dar muito fruto (Jo 15.1-5). Sabemos que uma árvore não cresce apenas para cima ou para os lados; cresce também para baixo; tem raízes. Essa, por conseguinte, é a prosperidade que o Senhor quer dar aos seus filhos: um crescimento em todas as direções. É um grande engano encarar a prosperidade material como um fim em si mesmo (Mt 6.33; 12.16-21). Mas nem todos podem aceitar essa verdade da Palavra de Deus...

Com temor e tremor,

Ciro Sanches Zibordi

6 comentários:

Isabela disse...

Obrigada por ter ignorado a minha pergunta.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezada Isabela,

Eu tenho um defeito. Não ignoro perguntas, por mais difíceis que sejam. Sempre, de alguma maneira, eu as respondo. Mas algumas, é claro, nem merecem ser respondidas. Jesus também deixou de responder algumas...

Mas, no seu caso, sinceramente, não me lembro. Você se importaria de perguntar de novo? Por favor...

Um abraço.

CSZ

M-CPVR disse...

UM certo pregador de prosperidade foi ministrar na África a convite,chegando lá, presenciou a extrema pobreza daquele povo,mas, mais supreso ficou,quando presenciou a extrema alegria que aquele povo sentia por servir a cristo.Voltou para o seu país certo de uma coisa, a maior riqueza que o homen tem, é CRISTO.

Françoise Guimarães disse...

Pastor...eu também lhe fiz uma pergunta e espero que o senhor não tenha respondido não por que achou que ela não merecia resposta mas sim por conta da sua rotina que eu acredito ser bastante atarefada, então eu a repito..., fiz esse comentário quando osenhor publicou um estudo de que os salvos em cristo não receberam o sinal da besta...

Françoise Guimarães disse...
Pastor, eu assisti a um filme , que provávelmente o senhor que me parece tão atualizado já deve ter ouvido falar, inclusive é uma trilogia...Deixados para trás....
O que realmente ira acontecer com quem não for arrebatado? Eles jamais serão salvos?
A biblia fala de tempos trabalhosos,tribulosos...
Mas o que acontecerá realmente com quem só se converter após o arrebatamento?

6/8/07
Desde já agradeço.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Françoise,

O seu caso é diferente. Eu não respondi à sua pergunta porque o próprio artigo a responde. Basta ler com atenção.

Portanto, por gentileza, releia o artigo que foi "deixado para trás"...

Em Cristo,

CSZ

João Ricardo disse...

Pr Ciro
Fiquei com curiosidade de ler seu artigo: Deixado para Trás.
Mas não estou encontrando, o senhor poderia colocar o Link?

Em Cristo

João Ricardo