terça-feira, 21 de junho de 2016

Em defesa da Assembleia de Deus


Sou pastor da Assembleia de Deus, mas estou longe de ser assembleiólatra. Jamais ignorei os problemas ligados à minha denominação e, há algum tempo, por exemplo, posicionei-me contra o envolvimento da liderança de uma das importantes convenções assembleianas com o saudoso (ops!) "reverendo" Moon. Outra prova de que não me apego de modo idolátrico à denominação à qual pertenço é o fato de reconhecer o lado bom de outras igrejas, como fiz, há pouco tempo, ao elogiar a Igreja Presbiteriana do Brasil por sua posição contrária às "seitas neopentecostais".

Entretanto, não é pelo fato de eu ser cristão, pentecostal e assembleiano que não apoio a conduta dos evangélicos (evangélicos?) antipentecostais e antiassembleianos. Não concordo com eles porque, em João 7.24, o Senhor Jesus asseverou: "Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça". E muitos oponentes da denominação pentecostal Assembleia de Deus estão sendo injustos em sua criticidade extremada.

Julgar segundo a reta justiça não é: generalizar, tomando a parte pelo todo; julgar sem conhecer a estrutura de uma denominação; confundir fatos com boatos, principalmente quando se trata de denúncias ligadas a candidatos A e B; basear-se em factoides para acusar denominações de envolvimento com sociedades secretas; ignorar a história; não reconhecer o lado bom de uma instituição, principalmente quando este é muito superior a fatos negativos isolados.

Vejo na Internet blogs e vídeos no YouTube antiassembleianos, bem como recebo e-mails contendo acusações à Assembleia de Deus, de modo genérico. Mas pergunto: A culpada pelos despropósitos mencionados pelos acusadores é a denominação histórica em apreço, ou os pretensos pastores que não fazem jus ao título ministerial que receberam, visto que apresentam condutas e posturas antiassembleianas e até anticristãs?

Ora, Assembleia de Deus é uma denominação que tem sofrido na mão de muitos enganadores, assim como
Igreja Batista, Igreja Presbiteriana etc. Um dia desses, por exemplo, eu deparei com uma igreja exótica chamada Igreja Batista Ministério Deus É Pentecostal. Seria justo que eu verberasse contra a Igreja Batista, de modo geral, por causa do que vi? Claro que não! Além de generalizar, eu estaria mostrando que desconheço o fato de essa histórica denominação ter se dividido e se subdividido, ao longo dos anos.

Há várias igrejas locais espalhadas pelo mundo que não fazem jus ao perfil de suas denominações históricas. E, assim como a Igreja Batista, a Igreja Presbiteriana, a Igreja Metodista, a Igreja Quadrangular etc. devem ser respeitadas como denominações históricas, a Assembleia de Deus, que está às vésperas de completar 105 anos, também merece todo o respeito. Por isso, faz-se necessário priorizar-se, nas críticas, somente a parte envolvida, e não o todo.

Quem conhece a complexa estrutura da Assembleia de Deus, em sua totalidade, sabe, por exemplo, que as suas duas maiores convenções nacionais, a CGADB e a CONAMAD, são instituições com lideranças e projetos distintos, a despeito de ostentarem a mesma denominação. Outro exemplo: a maioria dos Estados brasileiros possui pelo menos uma convenção de ministros local ligada à CGADB, e cada uma dessas convenções estaduais são, em certo sentido, independentes, assim como os ministérios associados a elas. Como responsabilizar a instituição Assembleia de Deus, de modo geral, por causa de acontecimentos isolados?


Em suma, o que desejo dizer é que a Igreja Evangélica Assembleia de Deus é muito maior que pastores (ou grupos de pastores) que têm se desviado da verdade por amor ao dinheiro (2 Pe 2.1-3; 2 Co 2.17) e outros interesses. Ela é muito maior que disputas políticas e desavenças pessoais. 
Por isso, não considero justo denegrir denominações históricas, reconhecidamente compromissadas com o Evangelho, por causa de acontecimentos isolados recentes.

Se a criticidade generalizante fosse justa perante Deus, nenhuma denominação histórica escaparia. Todas elas, sem exceção, em algum momento, tiveram em suas fileiras pessoas mal-intencionadas que promoveram escândalos. Penso que a crítica relevante e proveitosa é feita segundo a reta justiça, levando-se em consideração todas as exceções possíveis.


Por graça de Deus, viajo bastante para ministrar a Palavra do Senhor e tenho conhecido a Assembleia de Deus de modo abrangente, em todo o Brasil e fora dele. E posso afirmar, de modo peremptório, que essa denominação tem em suas fileiras valorosos homens de Deus em todas as convenções (como as já citadas CGADB e CONAMAD) e ministérios. 
Sou até capaz de citar de memória, nomes de alguns referenciais da Assembleia de Deus, mas não farei isso para não correr o risco de não mencionar eminentes pastores que fazem parte dessa igreja centenária.


De um assembleiano que ama a Assembleia de Deus, mas adora o Deus da Assembleia,

Ciro Sanches Zibordi

20 comentários:

Izaldil Tavares de Castro disse...

Excelente defesa da amada denominação,exarada de forma justa, desapaixonada,altamente respeitosa e cristã,como sói acontecer nos posicionamentos do ilustre pastor Ciro Sanches Zibordi.

Unknown disse...

Meus parabéns 😃 gostei .

Aguinaldo Silva disse...

Muito do que a Assembleia de Deus está enfrentando se deve à "política" de ordenação por camaradagem, bajulação, poder aquisitivo, panelinhas e etc.
Isto fez com que muitos que não tem vocação nenhuma para o Ministério fossem ordenados em detrimento de outros. Não há investimento por parte da denominação em quem realmente tem vocação, chamado.
Os cursos e escolas da igreja são pagos por quem quer se preparar e geralmente muito caros para a maioria, fora que, não é garantia de que mesmo você sendo vocacionado e preparado vá chegar ao Ministério pois os critérios são mais materiais do que espirituais. Mas a conta um dia chega. E está chegando...a preço alto.

Edinei Siqueira disse...

Aguinaldo Silva, vc disse tudo. Parabéns!

Martins disse...

A paz do Senhor Pr. Ciro

Sou um servo do Senhor Jesus e também obreiro da Assembleia de Deus de Madureira. Fico triste em ver o que tem acontecido com a nossa histórica denominação. No entanto procuro ficar com a palabra de Deus e tudo de bom que aprendi nesses mais de 40 anos que fui chamdo por Deus ainda criança nessa mesma igreja. Sou um admirador dos seus escritos e se Deus permitir ainda vamos trazer o irmão para ministrar em nossa igreja. Que Deus te abençoe!

Abraços!

PB. João Eduardo Silva disse...

Paz de Cristo! Muitos males á Assembléia de Deus acontece porque os líderes de ambas as convenções estão igual o PT, só pensam no seu projeto pessoal de poder.

Edson Nascimento Satntos disse...

Servo do Deus Altíssimo, venho parabenizá-lo pelo equilíbrio de suas palavras e pelas substanciais explicações acerca de nossa respeitosa denominação. Parabéns companheiro...

Pr. Edson Nascimento

Nando Jesus disse...

Excelente artigo, pr. Zibordi! Vem mais, muito mais... Uma hora o que está "oculto" sempre aparece. Novos tempos de Brasil.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Agnaldo Silva, grato por seu comentário. Mas isso que o irmão mencionou não se aplica ao todo, e sim a uma parte. Graças a Deus, há muitas igrejas Assembleias de Deus compromissadas com a Palavra de Deus. Falo com conhecimento de causa, pois conheço a nossa igreja de Norte a Sul.

A paz do Senhor.

CSZ

Giriboia Ka disse...

pastor Ciro a paz do Senhor...gostaria de ver um artigo do irmão sobre a posição das assembleias de Deus, sobre o perfeccionismo de John Wesley comparado com Batismo no Espirito Santo na teologia pentecostal Assembleia

moises cruz disse...



pastor, vi o pastor augustos Nicodemos, ensinando sobre o paralitico do tanque de betesda. uma bela pregação! mas surgiu uma duvida. ele explica que a passagem que fala sobre o anjo para agitar a água não se encontra no escritos mais antigos...portanto, joão não escreveu aquela passagem. entende-se que tenha sido escrito por fazer parte de um misticismo local. o senhor poderia opinar sobre esse tema. a paz!

moises cruz disse...



pastor, vi o pastor augustos Nicodemos, ensinando sobre o paralitico do tanque de betesda. uma bela pregação! mas surgiu uma duvida. ele explica que a passagem que fala sobre o anjo para agitar a água não se encontra no escritos mais antigos...portanto, joão não escreveu aquela passagem. entende-se que tenha sido escrito por fazer parte de um misticismo local. o senhor poderia opinar sobre esse tema. a paz!

moises cruz disse...



pastor, vi o pastor augustos Nicodemos, ensinando sobre o paralitico do tanque de betesda. uma bela pregação! mas surgiu uma duvida. ele explica que a passagem que fala sobre o anjo para agitar a água não se encontra no escritos mais antigos...portanto, joão não escreveu aquela passagem. entende-se que tenha sido escrito por fazer parte de um misticismo local. o senhor poderia opinar sobre esse tema. a paz!

Clenio Daniel disse...

Excelente defesa, pastor Ciro, palavras bem colocadas, digo, palavras sábias. A Assembleia de Deus é uma Igreja história, centenária que, apesar de certos "rombos" que a tem atingidos, não deixa de ser uma Igreja que prima pela ortodoxia e ortopraxia bíblica. Ou seja, uma Igreja conservadora da Sã Doutrina, mantendo os marcos antigos deixados por nossos pais (Pv 22.28). Deus em Cristo lhe abençoe grandemente. Aguardo sua visita no meu blog:

www.cleniomendesd-pvh.blogspot.com

Te espero lá.

Clenio Daniel disse...

www.cleniomendes-pvh.blogspot.com

Esta É A Palavra Viva DA Fé Que Pregamos
É o título do blog.

Reinaldo Vianna disse...

Realmente não podemos ter a pretensão de arrancar o joio, sem que se danifiquem o trigo.

tadeupoecinza@hotmail.com disse...

Pastor Ciro, graça e paz!

Muito embora concorde com tudo que o nobre escreveu sobre a Assembleia de Deus, mas seria hipócrita se não dissesse alguma coisa a respeito da CGADB, convenção que agrega muitas outras "Assembleias de Deus".
É lamentável, todavia, as notícias absurdas e negativas publicadas nos meios de comunicação que dizem respeito à CGADB, ainda que não sejam verdadeiras.
Queira Deus que nenhuma das acusações venha ser provada, mas o estrago nos nomes certamente ficarão, se não provarem o contrário.
Chama-me à atenção é que alguns dos que fazem acusações são figuras do alto clero.
Dói, mas é verdade: comenta-se também, Brasil afora, que a mencionada instituição tende a se transformar em capitania hereditária com o aval de líderes de convenções diversas.
Não creio que o distinto duvide do que esse limitadíssimo escriba declara, pois certamente o senhor é pessoa bem informada.
A minha intenção não é de denegrir a instituição, mas sim, de advertir no tocante às informações que chegam ao conhecimento de membros e congregados.
E, quando isso se torna público, infelizmente, "pastores" tidos como exemplos, ficam com a sua reputação lá embaixo.
Lembrete à parte: caso o pastor não queira comentar o que expus, de público, gostaria, se possível, que me fosse enviado seu ponto de vista para o meu e-mail.

Em Cristo,

Tadeu de Araújo

coback disse...

Biblicamente e históricamente falando,DEUS tem demonstrado que não tem compromisso com demnominações nem títulos nem nada parecido.
Mas sim com homens santos...
Indiferente de época, de raça, de nível intelectual.
Bem disse A.W Tozer:
Santos sem santidade são a tragédia do cristianismo
Como D.L Moody também disse:
O nosso grande problema é o tráfico de verdades não vividas. Tentamos comunicar o que nunca experimentamos em nossa vida.
Tenho respeito não por denominações seja ela qual for, mas sim por homens santos de DEUS.

Fernanda Araújo disse...

Por favor. leia esse comentário enorme de uma jovem assembleiana, que precisa muito de sua opinião, e, quem sabe, sua ajuda.

Paz do Senhor!

Já faz mais de um mês que o senhor postou o texto. Talvez nem leia mais os comentários.
Mas, pastor, me preocupa muito o que acontece com a Assembleia de Deus. Porque não há uma orientação maior aos pastores por parte da CGADB? Sei lá... Parece que está tudo muito disperso. Mesmo vinculados a CGADB há pastores das mais variadas ideias e doutrinas. Não há um consenso, não há um credo estabelecido. Heresia é o que não falta! Politicagem, então?
Sou uma jovem assembleiana que nasceu e cresceu na igreja. Digamos que já admirei mais a Assembleia, sabe, amava minha denominação, não do modo assembleidólatra, mas tinha orgulho de dizer que era da Assembleia, uma igreja com história e tal. Mas hoje não me basta isso. Não basta nós olharmos apenas para o passado e baixarmos as cabeças para o que realmente acontece hoje.
Não sei o que acontece com os outros estados, mas no meu (Roraima), o presidente Isamar Pessoa Ramalho pensa em se candidatar a prefeito!!! E olha que o seu "mandato" como presidente da igreja é VITALÍCIO, algo, eu acho, que só acontece aqui! Congregações precisando de reformas, de material de limpeza, etc, e ele não libera dinheiro. Dinheiro dos dízimos e ofertas que servem exatamente para que haja mantimento na casa do Senhor! Temos que fazer rifas, vender lanches nos eventos, pedir ofertas extras para que se conserte som, para que se compre ventiladores, etc. Além das absurdas metas que as congregações tem que atingir! Metas de ofertas! Isso mesmo! Metas de ofertas!!! Ofertas que vão para a sede e não retornam para as congregações como deveriam! Alem de outras metas absurdas como número de pessoas a serem batizadas nas águas!
Um "pastor" que já foi acusado de usar dinheiro da igreja para reformar propriedades particulares! E agora essa mania de uns anos pra cá de colocar a imagem dele em outdoors na cidade, elogiando "suas grandes qualidades e seus grandes benefícios prestados a cidade"!!! Quem discorda dele é tirado do seu cargo na igreja ou transferido para campos lá na caixa prego, como castigo! Onde vamos parar! E qualquer pessoa que conversa com ele, o acha simpático e humilde! Até eu o acho simpático! Ele conquista a todos! Incrível sua capacidade de memorizar nomes dos irmãos e fazer gracinhas, contar historinhas e fazer todos rirem e esquecerem suas mais podres atitudes!
Ele é vinculado a CGADB, e acho que tem até cargo na convenção.

O que o senhor pode me dizer sobre isso? Sei que o senhor não tem nada a ver com isso, mas diga alguma coisa, uma opinião, não sei, alerte o pessoal daí para que tirem esse homem do poder! Aqui não sabemos o que fazer, além de orar. A CGADB pode fazer alguma coisa ou ela é conivente com tudo isso?

Um abraço!
P.S: Sobre colocar o nome no final do comentário: Me peguei com medo de me identificar e ele descobrir de que congregação eu sou, e ele expulsar o dirigente da congregação (o que não é de todo mal, pq é um discípulo assumido dele), ou me disciplinar, ou não deixar mais eu participar do louvor da igreja... Pois é, estamos nesse nível aqui em Roraima!

Fernanda Araújo (meu verdadeiro nome? Nunca saberão... kkk) Rir para não chorar.

moises cruz disse...

Irma, isso ta geral...agora é momento de politica. e os pastores estão com os seus candidatos debaixo dos braços levando nos cultos domésticos e na igreja sem o menor constrangimento. aqui em porto velho, o pastor presidente, apoiou um politico para deputado. o sujeito era mal falado nos jornais mais do que tudo...e nem isso fez o pastor desistir do apoio! tempos depois, a filha do pastor foi pega em cargos "fantasma" na assembleia legislativa segundo a denuncia. e o deputado preso por um monte de crimes, incluindo assassinato e tentativa de matar um policial federal. o que virou a igreja assembleia de DEUS? POR QUE AS CONVENÇÕES nunca sabem desses desmandos? a paz! moisés