sábado, 19 de dezembro de 2015

Sete conselhos sobre a celebração do Natal


Dia 25 de dezembro está se aproximando, e este articulista deseja deixar alguns conselhos a quem está confuso ou — apegando-se ao fato de que os símbolos do Natal secular (pinheirinho, bolas coloridas, Santa Claus etc.) têm origem pagã — resolveu se posicionar contra a celebração do Natal. Antes, porém, quero enfatizar que o Natal de Cristo, uma celebração genuinamente cristã e bíblica, nada tem que ver com o Natal secular.

No Natal de Cristo se celebra o nascimento do Salvador, a exemplo dos anjos (Lc 2.13,14), dos pastores de Belém (Lc 2.15-20) e dos magos do Oriente (Mt 2.1-12); estes, pelo que se depreende da passagem mencionada, celebraram a chegada do Menino cerca de dois anos após seu nascimento. Já o Natal secular, como o próprio termo sugere, não é cristão, mas nem por isso é vedado a nós. Podemos, sim, com prudência e equilíbrio (cf. 1 Co 6.12; 10.23; 1 Ts 5.22), enfeitar nossa casa, fazer a nossa ceia, trocar presentes com parentes, amigos e colegas de trabalho ou na escola etc., pois fazer isso não é, de modo algum, agir como um idólatra.

Meus sete conselhos a quem se opõe à celebração do Natal são os seguintes:

Primeiro: pressione a tecla [Ironia] antes de continuar a leitura.
Segundo: não saia de casa! Mais que isso, tranque-se em algum lugar ou, de preferência, entre em uma caverna, sem nenhuma roupa, pois ela pode ter origem pagã.
Terceiro: não coma nada! Os alimentos também podem ter origem pagã.
Quarto: isole-se completamente e espere o momento de partir deste mundo pagão! Afinal, tudo o que pudermos imaginar tem algum vínculo histórico com o paganismo: a comemoração do nosso aniversário; o bolo de festa; o vestido de noiva com véu e grinalda etc.
Quinto: nem pense em ir a um shopping, não somente durante o mês dezembro. Em qualquer época do ano há referências pagãs nos centros comerciais, em universidades e até em igrejas. Não saia de casa! Esconda-se!
Sexto: seja extremamente rigoroso com tudo, rígido ao extremo, durante todos os meses do ano, e não somente em dezembro.
Sétimo: ignore essa conversa de que a salvação é pela graça e esforce-se ao máximo — faça o possível e o impossível — para não incorrer no erro mencionado em Mateus 23.24: "Coais um mosquito e engolis um camelo".

Agora pressione a tecla [Ironia] novamente e volte à realidade. Que tal glorificarmos a Deus, mesmo na data pagã de 25 de dezembro, pela encarnação do Verbo? Afinal, se ela não tivesse acontecido, o Senhor não teria morrido por nossos pecados e ressuscitado para a nossa justificação. Alegre-se com a sua família. Aproveite bem a companhia dos seus familiares e amigos, sem jamais, é claro, se esquecer do Aniversariante.

Feliz Natal — o Natal de Cristo — a todos!

Ciro Sanches Zibordi

7 comentários:

CRISNEY FREITAS disse...

PARABENS PELO E EXCELENTE ARTIGO CONCORDO COM TUDO QUE FOI ESCRITO.

Diego Nascimento disse...

Nossa!

Concordo muito pastor!
Deus abençoe o senhor e que sua visão seja espalhada entre os cristãos evangélicos.

Feliz Natal!

Pb Jorge Luiz disse...

Direto, claro e esclarecedor....um feliz natal pastor ciro sanches

J&L Consultoria para Casais disse...

Paz

Muito bacana a explanação, explica se a realidade e retira a venda espiritual e não impulsiona ninguém a se martirizar.

Deus abençoe

Anônimo disse...

Gostei demais. Odeio esses fanaticos hipocritas.

Rachel De Lima disse...

Porque nenhum apóstolo comemoro Seu nascimento? Será que esqueceram afinal eles viveram com cristo

Rachel De Lima disse...

Porque os apostolos nao comemoraram? A final eles estiveram com cristo