quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Reformados ou não, sejamos — sobretudo — cristãos transformados

De um lado, alguns calvinistas dizem defender as "doutrinas da graça" ou os cinco pontos do calvinismo expressos por meio da palavra TULIP (Total Depravity, Unconditional Election, Limited Atonement, Irresistible Grace e Perseverance of the Saints). De outro, alguns arminianos também dizem advogar as "doutrinas graça" ou os cinco pontos do arminianismo expressos mediante a palavra FACTS (Freed by Grace, Atonement for All, Conditional Election, Total Depravity e Security in Christ).

Como esse debate tem sido, em muitos casos, inglório e carnal, não seria melhor que todos os cristãos priorizassem uma outra palavra, também de cinco letras: BIBLE? Risos. Afinal, o que veio primeiro: o ovo ou a galinha? Gracejos à parte, por que falar tanto de Calvino e de Armínio? Por que enfatizar tanto o calvinismo e o arminianismo, que são meras escolas de interpretação, em vez de priorizar a abordagem exegética? Ou será que, para nós, essas escolas são sinônimo de Evangelho?

Sinceramente, quando assisto a alguns debates na Internet entre "sunitas"
, quer dizer, calvinistas e "xiitas", ou melhor, arminianos — os quais se digladiam cheios de soberba para ver quem humilha mais seu oponente, tachando-o disto e daquilo —, fica a impressão de que foi Calvino quem afirmou: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida" e a de que Armínio lhe respondeu: "Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á".

Façam-me o favor, senhores! Aonde pretendem chegar com esse debate inútil e inglório, que a nada leva! Cresçam! Ou será que vocês, que tanto se gabam de conhecer a verdade, ainda não nasceram de novo, visto que se comportam como carnais?

Não vejo a necessidade de me declarar arminiano, pois o Senhor Jesus e a sua Palavra precedem e transcendem Armínio e o arminianismo. Mas respeito quem faz questão de bater no peito e dizer: "Eu sou arminiano". Aliás, respeito muitíssimo os irmãos calvinistas também. E, conquanto tenha amigos nas duas escolas, repito sempre que, como analista, não me considero nem arminiano nem calvinista, pois o meu objetivo é priorizar a Palavra de Deus, embora valorize as escolas de interpretação. Aprendi que a teologia é o que os teólogos dizem da Bíblia, enquanto a Bíblia é a própria Palavra de Deus!

Finalmente, quanto ao termo "reformado", penso — com todo o respeito — que ele não é de propriedade exclusiva dos calvinistas. Entretanto, todos os cristãos, independentemente do rótulo que gostam de ostentar, deveriam prezar muito mais o adjetivo "transformado" (cf. Rm 12.1,2), não é mesmo?

Ciro Sanches Zibordi

9 comentários:

Jéssica Gabryela disse...

Pastor Ciro, moro no estado de Pernambuco e desde que me converti ao evangelho ouço na igreja que Jesus não voltará antes que o evangelho seja pregado a toda criatura. acontece que além do seu blog, acompanho um outro blog muito serio que também gosto muito e li diversos estudos sobre o apocalipse e em uma das postagens o autor falou que no ato do arrebatamento haverá quatro grupos distintos na terra e um desses grupos nunca terá ouvido falar do arrebatamento por isso não subirá com a igreja. Desde então, fiquei com duvida. gostaria que um dia o senhor pudesse esclarecer esse assunto (sei que o seu tempo é corrido). também só mais um assunto, em Mateus 12, versículos 43 a 45, Jesus fala sobre o estado de um espírito que saiu de um homem e depois tornou trazendo consigo mais sete. vejo pessoas usando esses versos para declarar que quando alguém se converte tem um espirito o perseguindo e ao sair da igreja ficará com sete. sei que esse ensino não está correto, porem, também não sei qual é a explicação correta dessa passagem. gostaria que o senhor pudesse trazer esclarecimento sobre esses assuntos (desculpe-me caso você já o tenha postado, tem muitos textos no seu blog, talvez eu não tenha visto). Estou lendo um livro de sua autoria. Deus o abençoe. Jéssica.

Tiago Mangas disse...

Excelente posição sobre o assunto.

Raquel * mãe do Gabriel e da Alice* disse...

Muito boa sua postagem! Concordo totalmente com você!

Raquel * mãe do Gabriel e da Alice* disse...

Muito boa sua postagem! Concordo totalmente com você!

Gilmar Bapthista disse...

Paz do Senhor!

Pastor Ciro, em partes, concordo com sua análise. Debater de forma grosseira não têm apoio Bíblico, e é muito deselegante. Os debates entre Calvinistas e Arminianos de hoje, têm sido decepcionante e estarrecedor. Se Calvino e Jacob estivessem vendo estes debates(?) hoje, como nós, com certeza ambos ficariam envergonhados. Concordo com o senhor neste ponto.

Conquanto, um debate apologético sadio, enfatizando a Bible e com respeito - entre Calvinistas e Arminianos - não vejo problema. Haja vista, há mais desconstrucões Bíblicas na T.U.L.I.P. do quê na F.A.C.T.S.

Dá-lhe Bible neles! Assim como Pedro, o apóstolo, disse: ..."estai preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós..." (1ª Pe. 3:15b). A.R.C.

Pastor Ciro, há tempo tenho visitado seu blog. Aprendi muito e contínuo aprendendo com seus artigos.

Um abraço,

Pb. Gilmar Batista

Camboriú, SC

André Luiz disse...

A Paz do Senhor, pastor Ciro!
Realmente devemos ser "transformados". A reforma foi muito importante para a Igreja, mas acredito que os debates sobre predestinação e livre arbítrio não existiam antes de Calvino e Armínio. Admiro muitos pastores abençoados, homens de Deus calvinistas e arminianos, e também o senhor (visito seu blog desde 2008) que acredito que não defende nenhuma das duas escolas.
Agora, que tem argumentos bons dos dois lados tem, mas não sei se edifica muito ficar debatendo.


Abraços,

André

Edinei Siqueira disse...

Tenho visto muitos debates em vídeos e artigos sobre o assunto da predestinação e possuo em minha biblioteca vários livros sobre o assunto. Mas o que eu gostaria de ver mesmo não é quem tem melhores argumentos, e sim calvinistas e arminianos saírem ás ruas com as mãos cheias de folhetos evangelizando.
Enquanto ficamos procurando cabelo em ovo e chifre em cavalos, os mendigos, enfermos, presidiários, aidéticos, cancerosos, leprosos, meninos de rua, órfãos, viúvas, pobres, desempregados, oprimidos, cativos, alcoólatras, drogados, prostitutas, e destituídos da sociedade estão perecendo.
Não estou dizendo que irmãos de diferentes confissões de fé como, calvinistas e arminianos não tem dado atenção aos marginalizados, mas o meu apelo é para os que ficam encastelados presos aos seus dogmas e só sabem debater e nada mais.
Neste aspecto, acho que temos que aprender um pouco com nossos irmãos que praticam a TMI (teologia da Missão Integral).

Unknown disse...

Pastor Ciro, há um filósofo que gosto muito de ler, mas que de repente pegou no pé dos evangélicos bo facebook, e gostaria que analisasse alguns pontos d argumentação dele e fizesse uma defesa, quem sabe em um texto aqui, definitivo.
Esses Caraá mega inteligentes e cultos sabem que a maioria dos leitores não tem a profundidade de conhecimento necessário para rebater tudo, mas o pior é que eles nos nivelam por pseudo igrejas, como se fossem todas iguais para defender a Igreja Romana e atacar o Protestantismo.
Ponha no face "Olavo de Carvalho" e ali estará.
Creio que seja um grande sujeito, que de repente resolveu fazer uma defesa da sua própria fé, mas que foge a verdade das escrituras.
Se fosse um Zé ninguém ignoraria, mas trata-se de um autor muito lido no seio.da Assembléia de Deus e respeitado.

Anônimo disse...

pastor ciro quais pecados segunda a biblia se deve confessara alguem ou ao pastor ?