quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Cristão, não se omita como cidadão

Leia com atenção: "E o carcereiro anunciou a Paulo estas palavras, dizendo: Os magistrados mandaram que vos soltasse; agora, pois, saí e ide em paz. Mas Paulo replicou: Açoitaram-nos publicamente e, sem sermos condenados, sendo homens romanos, nos lançaram na prisão, e agora encobertamente nos lançam fora? Não será assim; mas venham eles mesmos e tirem-nos para fora. E os quadrilheiros foram dizer aos magistrados estas palavras; e eles temeram, ouvindo que eram romanos. E, vindo, lhes dirigiram súplicas; e, tirando-os para fora, lhes pediram que saíssem da cidade" (At 16.36-39).

Paulo, quando foi açoitado injustamente em Filipos, sendo perseguido por causa do Evangelho, não abriu mão de seus direitos como cidadão. Quando reconheceram o erro de ter açoitado um cidadão romano, os magistrados quiseram soltá-lo sem chamar a atenção. Paulo podia ter dito: "É assim mesmo. O cristão é perseguido"...

Mas o apóstolo Paulo fez questão de reivindicar seus direitos como cidadão romano. Isso mostra que somos cristãos e devemos estar dispostos a sofrer por amor a Cristo. Mas também somos cidadãos e não devemos nos omitir. Paremos com esse discurso de "coitadinhos", de que somos perseguidos e devemos nos conformar com isso! Nós temos o dever de votar bem, para mudar o Brasil!

Ciro Sanches Zibordi

Um comentário:

coback disse...

D.L Moody,após ser questionado pelo fato de não se envolver com politica,disse o seguinte: Esse mundo é um barco furado,e eu não fui chamado por DEUS para consertar o barco,mas para trabalhar,afim de salvar alguns que estão a naufragar.