terça-feira, 22 de abril de 2014

Os dons espirituais à luz das Escrituras (3)


Dons espirituais como manifestações — ao contrário dos dons ministeriais — não são residentes, e sim esporádicos, momentâneos. Eles, que estão à disposição de todos os crentes batizados com o Espírito Santo, podem ser agrupados, para estudo, em três categorias.

A primeira categoria é a dos dons de elocução ou verbais: profecia, variedade de línguas e interpretação das línguas. Por meio da profecia, o crente usado pelo Espírito transmite uma mensagem divina, momentânea e sobrenatural, para a igreja (1 Co 14.4,5,22). Pela variedade de línguas, o salvo apresenta à igreja uma mensagem divina, sobrenatural, em línguas que ele jamais estudou ou aprendeu. Tal mensagem precisa de interpretação, a menos que o Senhor queira falar com pessoas em suas próprias línguas, como ocorreu no dia de Pentecostes (At 2.7-13). E, mediante a interpretação das línguas, os salvos são capacitados, sobrenaturalmente, a interpretarem as tais línguas desconhecidas — isto é, estranhas a quem as pronuncia.

Não se deve confundir as línguas como evidência inicial do batismo com o Espírito Santo com o dom de variedade de línguas. No Novo Testamento, as línguas dadas pelo Espírito Santo são apresentadas com quatro finalidades distintas. Primeiro, como evidência inicial do batismo com o Espírito Santo (At 2.1-8; 10.44-46; 19.6; 9.18; 1 Co 14.18). Segundo, as línguas são dadas pelo Consolador para edificação do próprio crente que as pronuncia (1 Co 14.4). Terceiro, elas são úteis para a oração em espírito ou “pelo Espírito [gr. pneumati]” (1 Co 14.2,14-16; Ef 6.18; Rm 8.26). E, quarto, há línguas que contêm uma mensagem profética, isto é, o dom de variedade de línguas. Quando alguém é usado pelo Espírito com esse dom, dirige-se à igreja em línguas estranhas (1 Co 12.29,30). Contudo, se não houver interpretação, o tal deve se calar (1 Co 14.5,13,27,28).

Na segunda categoria de dons como manifestações momentâneas estão os dons de inspiração ou de saber. A palavra da sabedoria não consiste em sabedoria, em si, mas em um modo sábio de falar. Trata-se de uma capacidade sobrenatural dada pelo Espírito em várias circunstâncias. A palavra da ciência é um dom ligado ao ministério do ensino, uma capacidade sobrenatural que leva o crente a conhecer as profundezas e os mistérios de Deus (cf. 1 Co 2.9,10). O discernimento dos espíritos, por sua vez, é a capacidade sobrenatural para discernir a natureza, o caráter e a origem dos espíritos (1 Jo 4.1). O termo original denota pluralidade: “discernimentos”.

É importante observar que a palavra da sabedoria não resulta de qualquer esforço humano; trata-se de um dom de Deus, uma manifestação de sabedoria sobrenatural, pelo Espírito. Na prática, é uma habilidade pela qual se aplica o conhecimento, sendo necessário para o governo da igreja, o pastoreio, a administração, a liderança, etc. (1 Co 2.4-7; Gn 41.38,39; Êx 4.12,15; Dt 34.9; 1 Rs 3.8; 4.29,30; At 4.13; 6.6,10; 1 Co 2.13; Lc 12.11,12). Já a palavra da ciência é um dom pelo qual se manifesta a ciência (ou o conhecimento) sobrenatural, pelo Espírito Santo, possibilitando o conhecimento de fatos, de causas, de ensinamentos, etc. (Êx 31.3; Dn 1.4; 1 Rs 7.14; At 20.23). Quanto ao discernimento de espíritos, trata-se de um dom de saber, de maneira sobrenatural, pelo Espírito, por meio do qual a igreja é protegida de todo engano do Inimigo e dos homens (At 16.7 com 1 Ts 2.16,17; 1 Tm 4.1; Tt 1.10).

Por meio dos aludidos dons de saber, pode-se discernir: a fonte de inspiração, que pode ser divina (At 15.32; 1 Co 14.3), humana (Ez 13.2,3) ou diabólica (1 Rs 22.19-24; Jr 23.13; At 16.17,18; Ap 2.20-24); os espíritos, dos quais provêm falsas doutrinas e fenômenos que geram confusão (1 Jo 4.1; At 16.16-18; 2 Co 11.4; Gl 1.8; 1 Tm 4.1; 2 Ts 2.9); confissões falsas (At 5.1-11); trapaças (2 Rs 5.26,27); intenções (At 8.18-24), etc.

A terceira categoria é a dos dons de poder: fé, operação de maravilhas e dons de curar. Pelo dom da fé, o crente é capacitado, sobrenaturalmente, a crer em Deus. Já a operação de maravilhas é a capacidade sobrenatural para a realização de atos que vão além da capacidade humana. Por meio dos dons de curar, o Senhor cura enfermos e doentes. Os dons de poder são operações extraordinárias realizadas pelo Espírito Santo. O Senhor cura e faz prodígios, hoje, pois não mudou (Hb 13.8).

Somente o Espírito de Deus faz milagres, de fato (Êx 3.20; 7.3,4; Jl 2.30; Hb 2.4), e com as seguintes finalidades: autenticar, confirmar e comprovar a pregação do evangelho (Mc 16.15-20; Dt 29.3; Hc 2.4); manifestar a glória do Senhor e levar o povo a crer mais e mais em Jesus, dando cumprimento à Palavra profética (Jo 2.11; Mt 8.17; Êx 8.16-19; Jo 9.1-25; At 3.1-16; 9.36-43; 13.6-12; 14.8-13); desfazer as obras do Diabo (1 Jo 3.8; Lc 13.16; At 10.38); e honrar os verdadeiros servos de Deus (Nm 16.28-32; 1 Rs 17.22; 18.38; 2 Rs 6.5).

Ciro Sanches Zibordi

7 comentários:

Jefferson Rodrigues disse...

Paz nobre pastor! Mais uma vez um excelente artigo sobre a doutrina do Espírito. Contudo, gostaria que o sr esclarecesse uma dúvida que tenho, isto com base em algumas leituras de autores pentecostais (e.g. Anthony D. Palma, William e Robert Menzies) que a primeira vista divergem quanto a disponibilidade dos dons àqueles que não são batizados com o Espírito Santo. Seria algo restrito àqueles que experimentaram a "segunda bênção? Gostaria que o sr externasse a posição da Assembleia de Deus no Brasil, ou pelo menos aquelas defendidas por nossos teólogos/doutrinadores em geral, dos quais o sr faz parte, sem dúvidas.
Em Cristo,
Pb Jefferson Rodrigues - Teresina/PI

Escola Bíblica Dominical - Seminário Teologico Permanente disse...

A paz do Senhor, prezado Pr. Ciro,

Excelente!!! É exatamente assim que creio! Ser pentecostal é uma bênção e glorifico ao Senhor por isso!!!

Agradecida demais pelo belo estudo. Deus te conserve em sabedoria, estimado pastor!

Em Cristo,
Simone Tavares.

Xavier Campos Joaquim disse...

Paz do Senhor , querido pastor Ciro.
Amei os 3 artigos. Muito esclarecedores. Que Deus abençoe sua vida,família e ministério.

Sempre em Cristo,

Xavier

Taciano Sobral disse...

A paz do Senhor! tenho exatamente essa mesma pergunta que o irmão, inclusive estamos estudando '' Dons espirituais e ministeriais para a igreja", lições bíblicas da CPAD e nas aulas tem sido contante as questões sobre o assunto. Claro que os dons de elocução são evidenciados por pessoas batizadas mas não temos tanta certeza em relação ao de saber, discernir. Acreditava que os dons viriam após batismo mas essa lição veio nos confundir completamente pois o autor se omite e deixa bem claro ao não pronunciar nada ou esclarecer que são experiências pós batismo. Aguardo a resposta do estimado Pr. Ciro.
Taciano sobral. Assembleia de Deus - Alagoinha Pb (missão).

Paulo Muhongo disse...

A paz do Senhor pastor Ciro
Gostaria que o pastor pudesse escrever um artigo sobre o casamento (pois tenho alguma duvida sobre quem afinal de conta casa. a igreja ou o estado)

Anônimo disse...

A paz do SENHOR PR.ciro muito bom o artigo Deus seja exaltado para sempre

Rodrigo Gomes disse...

Aguardo ansiosamente o próximo estudo.
Em Cristo
A paz