quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Uma palavra sobre os DDS (Desigrejadores, Desigrejados e Simpatizantes)


Um grande amigo, pastor, pregador, ensinador, escritor e editor de blog — ou seja, alguém com quem me identifico bastante — publicou um pequeno, mas excelente texto sobre a necessidade de o cristão fazer parte de uma igreja local. Meu Deus! Fiquei admirado da enxurrada de críticas que ele está recebendo.

Entretanto, pelo que percebi, a maioria dos argumentos dos DDS (Desigrejadores, Desigrejados e Simpatizantes) se baseia em "teologias enlatadas". Isto é, os que se opuseram ao mencionado texto, a despeito de demonstrarem não conhecer o ABC da eclesiologia, pensam que sabem tudo em razão de, possivelmente, terem ouvido meia-hora de "desigrejação avançada" nos sites dos desigrejadores de plantão.

Lembrei-me de que D. L. Moody, certa vez, foi visitar um irmão que se afastara da congregação por acreditar que não precisava de uma igreja local. O pregador que trazia fogo de Deus consigo, sem dizer uma única palavra ao irmão, foi até sua lareira, retirou uma brasa e a colocou sobre a mesa. Pouco a pouco, a brasa foi se apagando... E o irmão, em lágrimas, olhou para Moody e lhe disse: "Agora, entendi... É isso que acontece com quem pensa que não precisa de igreja local para servir a Cristo".

Eis o triplamente falacioso lema do desigrejado: "Sou desvinculado de igrejas locais; sigo a Cristo; não dependo de uma instituição". Em primeiro lugar, a igreja local não é invenção humana. Cristo estabeleceu a sua Igreja (Mt 16.18), e esta é formada por pessoas que cultuam a Deus em vários locais e cidades (templos, galpões, salões, casas, tendas, etc.): "Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores" (At 13.1). Eram esses homens de Deus desigrejados?

Segundo: seguir a Cristo pressupõe fazer parte de uma congregação; Ele mesmo iniciou a primeira igreja local (Mc 3.13-19). Terceiro: a Igreja existe como organismo e também como organização. O sistema de congregações ligadas a uma igreja-sede foi instituído desde o primeiro século (At 15), e a hierarquização de dons e ministérios foi estabelecida por Deus, como se lê em 1 Coríntios 12.28-31.

Mas Deus hierarquiza? Sim! Em 1 Coríntios 12.28 vemos que Ele pôs na Igreja primeiramente apóstolos, em segundo lugar, profetas, terceiro, doutores, depois, milagres, depois... Em Atos 15.22 está escrito: "Então, pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos [presbíteros], com toda a igreja [...]". Em Neemias 8.4,5, lá no Antigo Testamento, “Esdras estava sobre um púlpito de madeira, [...] estava acima de todo o povo". Deus hierarquiza não para que pessoas sejam melhores do que as outras. Ele hierarquiza porque é um Deus de ordem.

Diante do exposto, lembremo-nos do que dizem as Escrituras em 1 João 1.6,7: "Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado".

Ciro Sanches Zibordi

12 comentários:

Anônimo disse...

O que o pastor pensa de Caio Fábio? Qual sua opinião a respeito?

Joas Silva disse...

Concordo plenamente pastor. Quem não gosta da noiva, não pode ter comunhão com o noivo.

Marcos Henrique disse...

Tema importante e necessário, mas seus posicionamento é idealista. a instituição que chamamos de igreja tipo evangélic a tem suas lógicas e processos politicos locais que terminam uma série de relações, fato é que não me dei bem com isso...não acredito na hierarquia, e certamente essa é a origem de varios problemas sérios..mas enfim, o caso é que não consigo mais frequentar igreja pq as pregações não me convencem, na maior parte é como sua argumentação baseada na colagem de versiculos e na evocação do vc tem quem fazer isso ou aquilo.... mas espero que vc não se ofenda, e me responda o seguinte: é justo ou lógico continuar frequentando uma igreja quando tudo que ela faz não faz mais sentido para vc?

Anônimo disse...

Quem lhe garante que a sua interpretação das Escrituras ou da sua igreja estão corretas? Quem lhes deu procuração para falarem em nome de Deus?

Reginaldo Barbosa disse...

Realmente pastor, a Bíblia nos pede para não abandonarmos nossa congregação (Hebreus 10:25). Mas o que fazer quando a liderança maior ordena os dirigentes destas a não receberem determinadas pessoas? Devem estes rejeitados mudar de ministério sem o querer? Foi o que aconteceu comigo e minha família há uns dois anos. Eu servi a Assembleia de Deus que é filiada a CGADB por 25 anos, onde fui obreiro, tendo terminado minha carreira como dirigente do templo central de minha cidade (2010-2011).

Um novo pastor foi enviado pela COMIEADEPA e ao tomar posse, a primeira iniciativa dele foi averiguar os cartões de dízimos dos irmãos. Na primeira reunião ministerial, onde eu era secretário também, eu anotei em ata o que ele falou: "Eu já sei aqui quem é fiel e quem não é. Já vou adiantando que o obreiro que não for "dizimista fiel" não irá trabalhar comigo. Na minha inocência eu disse amém, sem saber que ele se referia a minha pessoa. Aos poucos ele foi me tirando as funções até que no inicio do ano de 2012 foi escolhido o novo quadro de obreiros e eu pela primeira vez fiquei sem nenhuma função. Só mais tarde eu fui saber que eu era o "tal infiel". Motivo: Não recebi meu salário em determinado mês e por isso não pude pagar na data estabelecida. Sem misericórdia e justiça entrei pra lista de ladrões e infiéis.

Não aceitei isso e passei a estudar na Bíblia pra saber quem de fato era o ladrão e descobri que não era eu. Isso fez com que eu fosse chamado ao conselho de ética e, sendo interrogado mostrei na Bíblia que eu não era o ladrão. Fui ameaçado de disciplina se não negasse o que aprendi na Bíblia e dai por diante minha vida se tornou um inferno, onde todas as mensagens dirigidas do púlpito era de maldição pra mim e minha família. Contudo, eu ainda era dizimista e, diante de tanta humilhação, parei de uma vez de pagar esse imposto e aí os pastores e dirigentes foram alertados e até ameaçados de perderem seus postos se me recebessem ou me deixassem subir nos púlpitos.

Não abandonei a Assembleia, pois tenho muitos amigos e parentes, mas resolvi me congregar em casa com minha família, onde estou muito bem, em comunhão e Deus nos abençoando.

Sou um desigrejado? Não! Eu sou a igreja.

DANNILO STELIO disse...

Pastor Ciro,

Apenas há algum tempo tomei conhecimento do "fenômeno desigrejado", e digo sem medo de errar: é uma das maiores heresias que já surgiram no meio do povo evangélico.

É muito forte o "canto de sereia" dos que se afirmam "livres de toda instituição religiosa e dos lugares apelidados de igrejas". Claro que sem a "ajuda" dos "pregadores da prosperidade" e de alguns PAUstores que oprimem as ovelhas, essas pessoas não seriam tão bem-sucedidas.

Como exemplo, confira dois debates que mantive com alguns desses "iluminados":

http://conselhodepastorescpb.ning.com/forum/topics/desigrejados-o-novo-desafio-mission-rio-do-s-culo-21

http://conselhodepastorescpb.ning.com/forum/topics/ovelhas-sem-pastor

Ah, não posso esquecer: muito bom seu artigo. Já estou reproduzindo, com os devidos créditos.

Graça e Paz.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Marcos Henrique,

Sou idealista porque tenho fé em Cristo. E acredito que Ele é o paradigma da Igreja. Sou idealista porque a Bíblia para mim é a fonte primária de autoridade. E você tem um pensamento generalista, que toma a parte pelo todo, supondo que todas as igrejas são iguais, todos os pastores são idênticos. Não! Eu prefiro crer no modelo das Escrituras. Eu prefiro viver valorizar o Cristo que vive em mim e é razão do meu viver. O Cristo que me salvou quando eu tinha 15 anos e mudou minha vida por completo. A pregação da cruz me convence. A simplicidade do Evangelho me convence. O amor de Cristo me constrange. Os versículos que "colei" são parte da Palavra de Deus. Eles fazem sentido para mim. Eles alegram meu coração. Eles me fazem triunfar em Cristo, pois foi Ele quem me deu as suas palavras! Sim, tudo para mim faz sentido! Cada hino de louvor, cada palavra que dirijo ao Senhor, cada mensagem que recebo no culto a Deus... Enfim, tudo faz sentido, pois sou de Cristo Jesus, e Ele é meu! E eu, sinceramente, gostaria que tudo isso fizesse sentido para você também, meu caro. Mas que Deus o ajude e ilumine as suas veredas.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Anônimo,

Minha resposta a Marcos Henrique também é para você.

CSZ

Joas Silva disse...

Eu já sei aonde esse fenômeno dos desigrejados e desigrejadores vai terminar...
Primeiro eles não precisam da igreja, depois não precisarão mais de Deus.É o homem sendo a medida de todas as coisas.

Tamar disse...

Se o pastor que escreveu o tal texto recebeu "uma enxurrada de críticas" então é possível que ele esteja no caminho certo.
Uma das indicações mais fortes de que um pastor está pregando um cristianismo mundano é ele ser aclamado por todo mundo, pela imprensa em geral e pelos intelectuais...

Sanlopes disse...

PASTOR CIRO A PAZ DO SENHOR JESUS.
GOSTARIA QUE O SENHOR COLOCASSE O ENDEREÇO DO BLOG PARA QUE PUDÉSSEMOS LER O ARTIGO SOBRE OS DESIGREJADOS.
SE POSSÍVEL,OBRIGADO.

Pastor Hafner disse...

Já está em meu Blog, Pastor Ciro, com a devida informação da fonte.

A paz do Senhor Jesus!