segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Pregação com fundo musical?

O que mais irrita um ensinador ou pregador da Palavra além dos famigerados fundos musicais não solicitados? Músicos tocando guitarra — mesmo desligada — durante a explanação das Escrituras! Isso, aliás, é uma falta de reverência e uma deselegância sem tamanho, não é mesmo?

Penso que a falação dos levitas (levitas?) — a qual muitos chamam de ministração — durante o momento de louvor (louvor?), bem como os aludidos fundos musicais durante a explanação da Palavra (a qual se torna cada vez mais sucinta, para não cansar os ouvintes) e outras inovações são o prenúncio de que, em breve, a exposição simples das Escrituras não será mais bem-vinda no evangelicalismo moderno.

Por graça de Deus, prego o Evangelho desde 1988 — não me pergunte qual é a minha idade! Conheci, por causa do ministério que o Senhor me outorgou, o qual envolve itinerância, famosos preletores de congressos e escolas bíblicas. Com o passar do tempo, muitos deles começaram a valorizar mais a forma, em detrimento do conteúdo. Ou seja, optaram por priorizar o malabarismo, a animação de auditório e outras técnicas mecanicistas, inclusive a adoção de fundos musicais (!), visando a uma suposta "colheita imediata" (muitas vezes, financeira), e não ao "plantio da boa semente" (a Palavra de Deus).

Outros expoentes igualmente famosos — poucos — não aderiram aos modismos e continuaram priorizando a exposição das Escrituras com autoridade e simplicidade. Acabaram perdendo espaço, alguns por iniciativa própria, ao se tornarem seletivos. Em seguida, passaram a ser considerados "apologistas" ou "críticos", em razão de verberarem contra heresias e modismos prevalecentes no meio do povo de Deus. À luz das Escrituras, qual dos dois grupos tem agradado a Deus? E, ao mesmo tempo, qual dos dois grupos é tido como saudosista e desatualizado? Antes de responder a essas indagações, medite em Atos 5.29 e Gálatas 1.10: "Mais importa obedecer a Deus do que aos homens"; "Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo".

"Aviva, ó Senhor, a tua obra" (Habacuque 3.2).

Ciro Sanches Zibordi

26 comentários:

T.Mendes disse...

É verdade. O fundo musical visa convencimento através da "calma" repassada aos ouvintes em durante uma pregação. As pessoas tendem a aceitarem e proliferarem um amém independente do que diz o pregador. Mais uma técnica que só quem cai é quem não tem o hábito de leitura. A emoção tomando conta da mensagem reflexiva.
A falta de reverência também está no pouco tempo de exposição da mensagem, nas dezenas de louvores por culto, no pouquíssimo tempo de escola bíblica, e notem que esses fundos musicais são colocados sempre em mensagens triunfais, nunca em exortações do pecado ou volta de Cristo, passagens apocalípticas.
Testemunhos, gritos e choros de vitória, aí vai e nada melhor que aquela música hipnotizadora e relaxante...
Que bom que pessoas como o Senhor veem isso. A anos comentamos isso dentro das igrejas e agora em nossa Assembléia. Onde já se viu Jesus ou os apóstolos pregando e harpistas fazendo o povo relaxar. Triste ver a sutileza mas é isso, combatendo cada dia um pouco. Lembro-me na infância 9não era convertido), o incrível Hulk ao fim do filme acenava aos motoristas que passavam por uma estrada pedindo carona e aquela músuca de fundo tã tã tã tã, tã tã tã tã, pois é, ficávamos com pena do David Benner, concordávamos com tudo, viramos seu fã só de ver este final. é assim que pastores por aí tem introduzido essa técnica barata e nada bíblica.
paz

Anônimo disse...

Pastor, nesse fim de semana tivemos uma festividade na minha igreja, que é uma Assemléia de Deus. O preletor é um "pregador profissional", conferencista de alta escalão dentro da denominação.

Só Deus sabe como minha alma está triste por eu ter ouvido o que eu ouvi da boca dele, e ter visto a reação do povo que eu vi. Palavras cheias de mentira que só serviram pra inflar egos e anestesiar a ferida gerada pela real necessidade que a alma humana possui, que é o verdadeiro conhecimento e comunhão com Deus.

Desculpa o desabafo, e por fazer como anônimo. Mas hoje eu realmente cogito mudar de denominação.

Dou graças a Deus por sua vida e também pela vida daqueles que não se venderam, seja ao dinheiro, seja a fama, seja à lisonja.

Jabesmar disse...

Conheço um missionário escocês que para de pregar e pede o músico para parar de tocar. Depois continua pregando. Resultado: que o conhece não vai fazer fundo musical para a pregação dele de jeito nenhum.

Tocai a Trombeta em Sião! disse...

Em nossa igreja, na qual pela misericórdia de Deus eu pastoreio, não gosto desses fundos musicais, inclusive uma vez, quando fui pregar o irmão que toca teclado começou a tocar, eu com toda a educação pedi gentilmente que o mesmo parasse, pois estava tirando a minha concentração, aliás há muito tempo que venho falando sobre isso... Hoje esses jovens pregadores que vem as pregações a lá gideões e companhia e depois veem para as igrejas pregarem as mesmas mensagens, com os mesmo fundos musicais e se bobear até os "mistérios são os mesmos falados por seus ÍDOLOS"... Volta Jesus... volta logo! Paz.

blog do Pr Pedro Pereira disse...

É com tristeza que observo tudo isso, pois se atentarmos ao fato de que os citados "musicos" ao praticarem esses fundos musicais não prestam atenção, não observam e muito menos se alimentam da Palavra de Deus, haja vista que a sua prioridade é tocar seu dito instrumento, que dida de passagerm num momento impróprio. Aliado a isso observamos também que esses ditos "musicos" também no momento da oração antes do culto, estão tocando ou afinando seus instrumentos, totalmente alheios ao culto e atrapalhando a comunhão daqueles que estão tentando orar. Será que os ditos "Levitas" (levitas!!??) não precisariam de ouvir a Palavra ou de orar também? Triste. Parabéns Pr Ciro pelo pertinente artigo.

blog do Pr Pedro Pereira disse...

É com tristeza que observo tudo isso, pois se atentarmos ao fato de que os citados "musicos" ao praticarem esses fundos musicais não prestam atenção, não observam e muito menos se alimentam da Palavra de Deus, haja vista que a sua prioridade é tocar seu dito instrumento, que dida de passagerm num momento impróprio. Aliado a isso observamos também que esses ditos "musicos" também no momento da oração antes do culto, estão tocando ou afinando seus instrumentos, totalmente alheios ao culto e atrapalhando a comunhão daqueles que estão tentando orar. Será que os ditos "Levitas" (levitas!!??) não precisariam de ouvir a Palavra ou de orar também? Triste. Parabéns Pr Ciro pelo pertinente artigo.

João Paulo M. de Souza disse...

Graça e paz!

Penso que a ministração da Palavra, tendo como pano de fundo o bom senso, deve ser o padrão. Por isso, durante o culto, em que pese a importância dos louvores musicais, as Escrituras Sagradas devem ser o cerne. Por outro lado, temos que ter certa cautela, para não nos tornarmos extremistas.

www.joaopaulomsouza.blogspot.com.br

Marcelo Oliveira disse...

Entendo que um fundo musical exagerado pode ser prejudicial à exposição da mensagem. Porém quando bem executado, pode sim ajudar.

Dizer que se utilizar de um recurso é "valorizar a forma" é inadequado. Em uma aula ou palestra, por exemplo, utilizamos de recursos áudio-visuais. E nem por isso o conteúdo está sendo desvalorizado. Não vejo motivos para não utilizar isso em uma pregação.

André Gonçalves disse...

Graça e paz!

Pr. Ciro,

Esta é uma realidade triste. Cada vez mais surgirão falsos mestres e há quem os siga! Infelizmente eles arrastam multidões após si.

Permita-me dirigir-me ao anônimo (a):
Caro (a) anônimo (a), não é um conselho, mas reflita: Vivi certo tempo de minha vida cristã sob a mesma agonia de ver homens perversos usando os púlpitos para extraírem até a última gota de sangue do rebanho. Um dia, porém, esta Palavra falou ao meu coração: "Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor, e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei. E eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso. II Cor. 6. 17-18"

Particularmente, não gosta de "mistura". Tudo me é licito, porém, nem tudo me convém!

Em Cristo,
André Gonçalves

Weslei Rocha disse...

Ao anônimo, do desabafo.
Compreendo claramente sua angústia pois,também,já presenciei algumas vezes tais situações.
Mas, penso que mudar de denominação pode ser uma decisão arriscada. Já que Deus tem lhe aberto os olhos para enxergar tais engôdos em nosso meio, procure, com sabedoria e humildade, aconselhar e exortar alguns irmãos de sua denominação, para que os mesmos também possam enxergar esses absurdos que vem acontecendo. Estes pastores sugestionadores e exploradores, assim como muitos cantores, já não estão, graças a Deus, tendo prestígio em muitas AD.

JACÓ RODRIGUES SANTIAGO disse...

Pastor Ciro, eu sou músico tecladista e coopero como presbítero na AD em Ipatinga. Nascido e criado na Assembléia de Deus, vejo com tristeza as inovações que tem entrado nas igrejas ultimamente, e nunca concordei que teria que haver fundo musical durante as pregações. Eu por exemplo, só toco o teclado durante uma pregação, se o pregador me solicitar, mas não que eu concorde. Como disse, é mais uma inovação, e que infelizmente, tem o seu início talvez, nos congressos dos Gedeões em Camboriu, só não posso afirmar se eles foram os pioneiros. Eu sempre achei que na hora do apelo aos não crentes, para aceitarem a Cristo no final da pregação, um fundo musical ajuda bastante, mas não durante a pregação.

Wesley Sans disse...

nao vejo mal algum ...e nem pecado ,um fundo de teclado na hora da pregaçao ...

DANNILO DIAS disse...

Esse modismo do "fundo musical" é realmente um descalabro. O que os pioneiros do Evangelho no Brasil diriam se vissem tal coisa ?

E o mais triste é vermos pregadores com toda uma história dentro d Assembléia de Deus se rendendo a essas inovações.

Deus tenha misericórdia.

Daniel Meurer disse...

Pr Ciro Paz do Senhor

Estas musicas de fundo de pregação, sempre me incomodaram porque acho que tira o foco do entendimento da mensagem, já tentaram colocar quando eu estava pregando em uma igreja eu educadamente pedi que tirassem.

Anônimo disse...

Isso tem nome e sobrenome.
Sugestionamento e técnica neurolinguística de manipulação.

Walter Filho disse...

Texto bastante oportuno pr. Ciro. Particularmente me causa um desconforto horrível quando fazem aqueles "solinhos" de guitarra ou baixo quando prego. Mas se seguir "antigos costumes", como alguns dizem for quadrado, prefiro me "poligonizar". Um abraço pr, paz do Senhor!

Microscopicamente falando (João 3.30),

pr. Walter Filho

http://blogdowaltim.blogspot.com

Walter Filho disse...

Texto bastante oportuno pr. Ciro. Particularmente me causa um desconforto horrível quando fazem aqueles "solinhos" de guitarra ou baixo quando prego. Mas se seguir "antigos costumes", como alguns dizem for quadrado, prefiro me "poligonizar". Um abraço pr, paz do Senhor!

Microscopicamente falando (João 3.30),

pr. Walter Filho

http://blogdowaltim.blogspot.com

Raquel disse...

Anônimo, há uns três anos, de tão enojada que eu estava com os problemas da nossa denominação, também quase passei para uma igreja batista tradicional. Mas o Senhor falou comigo, e eu senti que estava agindo por minha vontade, e não pela dEle. Acabei ficando na assembleia, e hoje, mais do que nunca, compreendo que tomei a decisão certa. Dou-te três motivos para isso:
1) Problemas, todas as denominações os tem. E vai saber se na denominação que você deseja congregar não tenha ainda mais problemas que na assembleia?
2) Nossa denominação foi sim, instituída por Deus. Descobri que o problema não está na nossa denominação, mas sim em alguns pastores, alguns obreiros, alguns membros. Leia o Mensageiro da Paz, a artéria aorta da nossa denominação, e você verá que ela é contra tudo de errado que vem acontecendo dentro da nossa igreja. Acontece que muitos pastores e presbíteros são DESOBEDIENTES, e querem fazer as coisas à sua maneira. Não obedecem seus superiores.
3) Quem sabe Deus quer te usar dentro da assembleia para mostrar a verdade, fazer a diferença na tua igreja?
Fique na paz de Cristo.

Renato Baldicera Renato disse...

EXATAMENTE ISSO QUE PR CIRO E OS IRMÃOS JÁ COMENTARAM, E TEM MAIS UMA COISA,SE VOCÊ POR EXEMPLO É UM PROFESSOR DE ESCOLA DOMINICAL E FALAR CONTRA ESSE TIPO DE COISA QUE HOJE ESTÁ HAVENDO NA IGREJA, ALÉM DE ALGUNS PASTORES( COM TODO RESPEITO ) NÃO O APOIAR, AINDA BATEM EM VOCÊ DEPOIS NO CULTO A NOITE IGUAL OS EUA FIZERAM COM O BIN LADEN. SÓ O SENHOR JESUS PRA NOS AJUDAR!!!!

Renato B disse...

EXATAMENTE ISSO QUE PR CIRO E OS IRMÃOS JÁ COMENTARAM, E TEM MAIS UMA COISA,SE VOCÊ POR EXEMPLO É UM PROFESSOR DE ESCOLA DOMINICAL E FALAR CONTRA ESSE TIPO DE COISA QUE HOJE ESTÁ HAVENDO NA IGREJA, ALÉM DE ALGUNS PASTORES( COM TODO RESPEITO ) NÃO O APOIAR, AINDA BATEM EM VOCÊ DEPOIS NO CULTO A NOITE IGUAL OS EUA FIZERAM COM O BIN LADEN. SÓ O SENHOR JESUS PRA NOS AJUDAR!!!!

Renato B disse...

EXATAMENTE ISSO QUE PR CIRO E OS IRMÃOS JÁ COMENTARAM, E TEM MAIS UMA COISA,SE VOCÊ POR EXEMPLO É UM PROFESSOR DE ESCOLA DOMINICAL E FALAR CONTRA ESSE TIPO DE COISA QUE HOJE ESTÁ HAVENDO NA IGREJA, ALÉM DE ALGUNS PASTORES( COM TODO RESPEITO ) NÃO O APOIAR, AINDA BATEM EM VOCÊ DEPOIS NO CULTO A NOITE IGUAL OS EUA FIZERAM COM O BIN LADEN. SÓ O SENHOR JESUS PRA NOS AJUDAR!!!!

Honório Guedes disse...

Pastor Ciro, Concordo plenamente com o senhor!

alvaro disse...

caro pastor,muito pertinente seu texto,vejo que nos dias atuais existe uma necessidade de querer acrescentar algo a mais nos cultos para entreter as pessoas para que as mesmas fiquem na igreja,estes mesmos quando questionados afirmam que se somente pregarmos o evangelho de forma simples não irá atrair a atenção dos ouvintes.
que DEUS nos guarde dos dias que estão por vir,pois vejo que a coisa irá piorar ainda mais

T.Mendes disse...

Festiva Promessa começa hoje. O Povo brasileiro GOSTA DE EMOÇÃO NÉ. e QUEM CRITICA OS CANTORES E O SHOW deve lembrar que dentro de mintas igrejas tá a mesma coisa com a diferença que a emissora não financia mas a "Rede sede", é, geralmente os recursos são oriundos das igrejas "mães" patrocinam as emoções.
há diferença entre "esse cara sou eu" e "Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo". nesses festivais tem muitos Tales carlos, Aline Carlos, oficina Carlos ...
não julgo mas promessa não foi feita para festivais.

Pb Fernando disse...

O fundo musical nada mais é do que um artifício para mexer com as emoções dos ouvinte. Infelizmente essa prática já se instalou em muitas igrejas cristãs, e muitos pregadores não conseguem pregar sem a mesma. Infelizmente estamos vendo cumprir-se a profecia de Charles Spurgeon em nossos dias. Lamentável!!

Plabyo Geanine disse...

Admiro-o muito Pr. Ciro, todavia creio que o senhor exagerou nessa postagem; não vejo problema algum em se utilizar fundos musicais (piano, strings) para se expor as Escrituras, como por exemplo, a canção "Gracias" que é bastante utilizada.

Creio que o uso moderado só tem a acrescentar na pregação, criando um clima de adoração no decorrer da prédica.