quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Por que admiro Martin Luther King

Barack Obama, alhures, tem sido comparado — exagerada e injustamente — a Martin Luther King. Este, um protestante, de fato, um ministro do Evangelho, um pastor ousado e temente a Deus, foi assassinado por lutar legitimamente pela igualdade entre negros e brancos. Mas o primeiro é "politicamente correto" e relativiza os valores morais e éticos esposados nas Escrituras. Alguns críticos, ao fazer uma comparação entre ambos, verberam contra o pastor.

Martin Luther King Jr. (1929-68) foi um norte-americano ativista e defensor de movimento pelos direitos civis. Ele foi, também, pastor batista em igrejas de negros, no Alabama e na Geórgia, e ganhou renome internacional ao liderar, na década de 1950, um boicote da população negra às linhas de ônibus segregacionistas, em Montgomery, Alabama. 

Líder eloquente, King Jr. organizou a Conferência da Liderança dos Cristãos do Sul e comandou, também, uma grande campanha pelos direitos civis. A despeito de ter sido um pacificador e sempre pontificar que a reforma deveria acontecer sem violência, foi preso diversas vezes.

Em 1963, King Jr. organizou uma marcha pacífica nas proximidades do Memorial Lincoln, Washington D.C., que contou com a presença de cerca de duzentas mil pessoas. Ali, ele pronunciou sua mais famosa frase: "I have a dream". E, no ano seguinte, ganhou — merecidamente — o Prêmio Nobel da Paz.


Quando estava prestes a organizar a Marcha dos Pobres para Washington, em Memphis, Tennessee, em abril de 1968, foi assassinato na sacada de um hotel. Na conclusão de sua última pregação, um dia antes de morrer, King Jr. afirmou: "Dias difíceis virão, mas isso não me importa, pois eu tenho estado no alto, na montanha. Não me importa; [...] eu gostaria de viver uma longa vida, porém isso não me preocupa, agora. Eu só quero fazer a vontade de Deus! Ele tem me permitido subir a montanha [...] e tenho visto a terra prometida [...]. Quero que saibam, nesta noite, que nós chegaremos à terra prometida! Estou feliz nesta noite e nada mais me preocupa. Não temo homem nenhum! Meus olhos têm visto a glória da Vinda do Senhor!" (Fonte: YouTube).

Diante do exposto, a tentativa de manchar a linda biografia do pastor Martin Luther King Jr. — que mobilizou uma multidão contra a segregação racial, nos Estados Unidos, e morreu por causa de sua luta legítima — é um despropósito. Não há relevância nenhuma no fato de ele ter sido um bom ou mau teólogo, calvinista ou arminiano. Não importa, também, se ele cometeu alguns deslizes, ao longo de sua vida.

O único perfeito em absoluto, ao andar na terra, foi o Deus-Homem, o Sumo Pastor Jesus Cristo. Quanto ao pastor Martin Luther King Jr., ele é um referencial para a nova geração e cumpriu a vontade de Deus, deixando-nos um maravilhoso e inquestionável legado. Tenhamos bom senso e respeitemos a memória de um cristão que, ao lutar pelos direitos civis, não teve por preciosa a sua própria vida.

Ciro Sanches Zibordi

14 comentários:

Pastor Geremias Couto disse...

Considero um despropósito destruir a imagem de um homem em cima de dossiês preparados com a única finalidade de sucumbi-lo pelo papel que representava na luta pelos direitos civis. É, de fato, um exemplo, para as novas gerações. Embora o ideal ainda esteja longe de ser alcançado, como é bom chegar nos Estados Unidos, hoje, e sentar nas igrejas, nas escolas, nos ônibus escolares ao lado de negros e sermos por eles atendidos em diferentes repartições federais! Deus honrou o trabalho de Martin Luther King!

ronaldo andrade disse...

Quer dizer caro pastor que não importa se ele foi um adultero contumas e um plagiador.
É isso?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Ronaldo Andrade,

O principal e mais lembrado rei de Israel, Davi, foi adúltero e muito mais. O famoso apóstolo Pedro negou Jesus e, ao fazer isso, mentiu, jurou e praguejou. E o que dizer de Paulo e tantos outros? E, se o cristão King Jr. cometeu mesmo os aludidos erros, por que não acreditar que Deus o perdoou?!

CSZ

izaldil tavares de castro disse...

Creio que o senhor Ronaldo Andrade já alcançou a "estatura de varão perfeito" . Caso contrário, deve ser amante da discórdia, para aparecer sozinho no filme. Tenha dó, seu moço!

Danilo Fernandes disse...

Parabens pela postagem, nobre pastor Ciro.

Triste que alguém que se diga cristão tente manchar a imagem de M. Luther King com base em arquivos produzidos pelo tenebroso J. Edgar Hoover, um homem tão nefasto.
Luther King é um orgulho protestante.

Seguindo, este rumo da esquizofrenia política, em breve, teremos alguém falando mal de Lutero porque ele gostava de uma cerveja ou de Calvino porque apreciava um bom vinho...

victor disse...

Graça e Paz!!! Perfeita sua colocação a questão descabida do Ronaldo. abs.

gevanildo disse...

Uns falam que ele teve uma vida de infidelidade conjugal perene e não uma fraqueza momentânea, no dia que morreu participou de uma pequena orgia, admirar seu ativismo politíco dos direitos civis tudo bem, mas sua vida cristã

Juber Donizete Gonçalves disse...

Prezado Pr. Ciro,

Muito oportuna sua postagem sobre Martin Luther King. Seu papel como líder dos direitos civis foi muito importante contra a segregação racial. Defeitos? Outros famosos líderes na história também tiveram, como você e o Danilo bem lembraram. Sobre Lutero inclusive, há autores que dizem que ele não era lá um modelo em termos de moral sexual, mas é um grande nome da Reforma Protestante. Quanto aos "dossiês descontrutores de imagem", eu sempre tenho um pé atrás com eles.

Um abraço.

ronaldo andrade disse...

Prezado senhores,

Concordo, não somos perfeitos eu muito menos, porém o meu posicionamento é em relação ao reverendo King, embora sua luta tenha sido justa e ele tenha graças a Deus conseguido uma grande vitória para um povo que era tido como de segunda categoria,e isto num país tido como protestante, isto não exime o reverendo King e nem apaga o seu mal testemunho cristão (se realmente for verdade).
Será se a verdade não tem que ser toda exposta ou só a parte que convém.

Ps: Admiro o engajamento do reverendo King teve em pró dos direito civis, admiro seu famoso discurso proferido em Washington.

ronaldo andrade disse...

Descabida minha colocação?

Não posso querer saber da verdade toda?

João Paulo disse...

Caro pastor Ciro, graça e paz do Senhor!

Linda reflexão. O irmão é coerente com a realidade de que trata.

Um abraço!

www.joaopaulomsouza.blogspot.com.br

Mário César de Abreu disse...

A paz do Senhor pastor Ciro,

Ótimo e oportuno texto.Quanto aos que querem difamar o nobre Martin,creio que a inveja humana ainda não foi erradicada.

Em Cristo,
Mário

Ciro Sanches Zibordi disse...

"Uns dizem isto, outros dizem aquilo... Alguém teria visto King com mulheres no dia em que foi receber o Prêmio de Nobel da Paz..."

Oh, my God!!! Quem disse?! Quem viu?! Onde estão as provas?! Amados, esse tipo de especulação sobre a vida das pessoas é pecaminoso, posto que se enquadra em Mateus 7.1,2. Trata-se do julgamento calunioso ou difamatório.

King foi um homem como qualquer outro, mas que morreu por uma causa nobilíssima, deixando-nos um grande legado. Ponto final. O mesmo vale para outros heróis, inclusive alguns citados pelos comentaristas.

Um abraço.

CSZ

Josenilda Almeida disse...

Admiro ele e o Pr. Ciro, tem a resposta certa.