domingo, 6 de janeiro de 2013

O que há por trás das aventuras de Pi


O filme As Aventuras de Pi é muito bonito, divertido, cheio de emoção, efeitos especiais e belíssimas paisagens. A história, realmente muito cativante, gira em torno da inusitada convivência, em alto mar, de um jovem com um tigre-de-bengala! Não é por acaso que o livro já foi traduzido para 41 idiomas e esteve na lista dos mais vendidos do New York Times por mais de um ano.

Não vou contar a história de Pi, pois alguém pode estar interessado em assistir ao filme ou, pelo menos, ler o livro, publicado no Brasil pela Editora Nova Fronteira. Mas farei uma abordagem crítica sobre a mensagem central do autor do romance: o espanhol Yann Martel. Peço ao leitor que não me veja como um estraga-prazeres. Meu objetivo é apenas fazer um alerta, visto que não conformar-se com o mundo denota, também, não se deixar enganar pelas influências filosóficas maléficas prevalecentes no mundo (Rm 12.1,2).

Fica claro, especialmente no início e na conclusão da história do jovem indiano Pi, que o autor da obra tem como objetivo apresentar a mensagem de que todos os caminhos (ou religiões) levam a Deus. Martel advoga o ecumenismo. Para ele, o importante é estar em contato com Deus, que pode ser conhecido através do hinduísmo, do cristianismo, do islamismo, do budismo, etc.

No livro — e não no filme — o personagem de Martel, já adulto, afirma: "A primeira vez que topei com uma Bíblia na mesinha de cabeceira de um quarto de hotel no Canadá, caí em prantos. Logo no dia seguinte, mandei uma contribuição para os Gideões e incluí um bilhete insistindo para que eles ampliassem a sua rede de distribuição. Pedi que não se limitassem aos quartos de hotéis, mas incluíssem todo e qualquer lugar onde viajantes exaustos e esgotados pudessem deitar a cabeça, e disse ainda que não deviam deixar ali apenas Bíblias, mas também outros escritos sagrados".

A bem da verdade, o belíssimo filme Life of Pi (título original) incentiva a comunhão com Deus. Mas que Deus? Pode ser o Deus dos cristãos, ou o dos muçulmanos, ou os muitos deuses do hinduísmo. O importante é acreditar que existe uma força superior que rege o Universo. Essa mensagem é politicamente correta, agradável, pacificadora... Ao mesmo tempo, é falsa! Por quê? Porque só existe uma única porta para a salvação: Jesus Cristo (Jo 3.16; 14.6).

Mas, além de defender o pseudo-evangelho ecumênico, que contraria a verdade bíblica de que o Senhor Jesus é o único que pode conduzir o homem a Deus (Jo 10.9; 1 Tm 2.5), o personagem Pi opõe-se — acredite — à pregação tradicional do Evangelho, de cima do púlpito. Em outra parte do livro está escrito: "Nada de preleções tonitruantes lá do púlpito, ou condenação de igrejas ruins, nem olhares vigilantes, simplesmente um livro de textos sacros esperando calmamente para dizer olá, tão delicado e poderoso quanto o beijo de uma garotinha no nosso rosto".

Como se costuma dizer nas redes sociais, fica a dica.

Ciro Sanches Zibordi

11 comentários:

T.Mendes disse...

Ecumenismo é um tema que falta encorajamento por parte de lideranças espalhadas pelo País em anunciar na Igreja e sabe a causa? Política, medo de não conseguir espaço no congresso, recursos, candidaturas e aí vai. O texto mostra a sutileza através de um filme de um livro onde crentes e ímpios são influenciados cada vez mais. Agora desafio a CPAD, BETEL, GOSPEL e outras editoras de revista EBD, a colocar um tema de 13 lições sobre isso contextalizando COM EXEMPLOS EM NOSSA ÉPOCA. Lógico que serão mais uma superficialidade.
Por essa razão que buscamos blog" como este.

João Paulo disse...

Amado pastor Ciro,

A paz do Senhor!

A sociedade sem Deus está impregnada da ideologia de que todas as religiões têm a capacidade de ligar o ser humano a Deus.

Na universidade onde estudo, o que mais se vê é a luta pelo ecumenismo. Confesso que o crente que ingressa numa universidade ou faculdade, sobretudo de cunho laico ou não evangélico, tem que tomar assaz cuidado para não incorrer no sincretismo religioso.

Quanto ao livro e filme de que o irmão pontuou, segue, justamente, o mesmo pensamento supracitado.

Os ecumênicos dizem: "Não importa a tua crença. O que importa é que você está se aproximando de Deus". Entretanto, nós sabemos que esse modo de pensar a religião está equivocado.

Lembremo-nos de que o Inimigo é sutil (2 Co 11.14).

Um forte abraço!

HERIVELTON MARCULINO disse...

É um mal ensino oculto, camuflado.

T.Mendes disse...

B.Hinn estará em BRASÍLIA EM janeiro 2013. Poste mais vezes aqueles seus comentários. Já alertei a alguns irmãos de lá
Paz

Pb Fernando disse...

Parabéns Pr. Ciro, essa deve ser a função primordial do verdadeiro servo de Deus, denunciar a heresia ainda que disfarçada de sã doutrina. Que Deus continue te usando nesse glorioso ministério.

Isac Sena Alves disse...

Essa obra é um plágio de "Max e os felinos" do escritor brasileiro Moacir Scliar. deveria ser boicotada!

Arquimedes Pereira disse...

Pr. siro quero que o Sr. deixe um comentário sobre "o Culto das Princesas" promovido pela Prª sarah sheeva.

Arquimedes disse...

Pr. Ciro a paz do senhor. Gostaria de saber sua opinião sobre "O CULTO DAS PRICESAS" promovido pela Prª Sarah Sheeva.

Samuel Nunes disse...

Paz do Senhor Pr Ciro,

Pr Ciro não conheço o filme e muito pouco a história do mesmo. Filmes assim tendem a misturar muito as coisas, muitas pessoas que não são seguidores de Cristo e mesmo os que frequentam a igreja acabam se iludindo com uma histórias assim. Pois existem uma mensagem acoplada no meio de todo o trajeto, cada vez mais o pseudo-evangelho ecumênico cresce em nosso meio, por isso que há uma necessidade insaciável de crescermos na graça de Deus em no conhecimento. Examinar as escrituras diariamente e viver a nossa fé, para que se cumpra cada dia o que Pedro nos escreveu em 1 Pedro 3;15.

Jessica Sousa disse...

Tive a mesma impressão que a sua ao assistir esse filme, tanto que não me agradei muito dele. O filme tem realmente um show de imagens, mas por traz de tudo há uma artimanha do maligno de enganar a muitos, difundindo essa errônea ideia. Muitas crianças lotaram as salas de cinema para ver este filme, e tenho receio que mesmo que algumas não tenham intendido a ideia, guarde isso como um fundamento para sua vida futura. A paz de cristo!

DIEGO HENRIQUE FRANCO disse...

Isso mesmo, o único caminho é JC, o resto vai p/ o inferno quem acredita! É cada uma viu...