segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Halloween não é apenas uma brincadeira


Muita gente não sabe, mas o Dia das Bruxas, o Samhain ou Halloween, Ano Novo céltico (31 de outubro), tem uma conexão com o Dia de Todos os Santos da Igreja Católica Romana. Este era originalmente celebrado em maio, e não no primeiro dia de novembro.


No ano 608, o imperador romano Focas apaziguou o populacho dos territórios pagãos recentemente conquistados, permitindo-lhe combinar o antigo ritual de Samhain com o Dia de Todos os Santos. E, assim, o panteão de Roma, templo edificado para a adoração de uma multiplicidade de deuses, foi transformado em igreja.


Foram os imigrantes europeus, especialmente os irlandeses, que introduziram o Halloween nos Estados Unidos. Hoje, o Dia das Bruxas é muito importante para os lojistas, inclusive no Brasil. Salém, em Massachusetts (Estados Unidos), é a sede da bruxaria norte-americana. Ali celebra-se, na época do Halloween, o Festival da Assombração, para expandir a temporada turística de verão.


Tudo parece uma grande brincadeira, mas — conscientemente ou não — os participantes dessa festa estão se envolvendo com o ocultismo e o satanismo. Por outro lado, algumas denominações evangélicas, além de realizarem festas similares às juninas (o que já é um absurdo), estão promovendo também, no fim de outubro, uma espécie de Halloween, decorando o ambiente com abóboras, etc. Elas alteram o nome da brincadeira satânica para Jesusween ou Elohin!


Aos pastores destas igrejas quero apresentar um motivo melhor para festejar. Em vez de comemorarem o Dia das Bruxas, os pastores que se prezam deveriam se lembrar da Reforma Protestante. Na manhã de 31 de outubro de 1517, véspera do Dia de Todos os Santos, Martinho Lutero — sacerdote romanista, professor de teologia e filho de um minerador bem-sucedido — começou a questionar de modo mais contundente a Igreja Católica e a atacar a autoridade do papa.


Lutero, então, afixou na porta da Catedral de Wittenberg (pronuncia-se vitemberk) um pergaminho que continha 95 declarações. Estas, conhecidas como teses, eram quase todas relacionadas com a venda de indulgências (pacotes caros pagos pelo perdão, inclusive das pessoas que já haviam partido para a eternidade).


Em junho de 1520, Lutero foi excomungado por uma bula — decreto do papa que continha o seu selo oficial. Em dezembro do mesmo ano, com ousadia, ele queimou esse documento em reunião pública, à porta de Wittenberg, diante de uma assembleia de professores, estudantes e o povo. No ano seguinte, foi intimado a comparecer ante as autoridades romanistas, em Worms. E declarou: “Irei, ainda que me cerquem tantos demônios quantas são as telhas dos telhados”.


No dia 17 de abril de 1521, Lutero apresentou-se à Dieta do Concílio Supremo, presidida pelo imperador Carlos V. Para escapar da morte, teria de se retratar. Mas ele não faria isso, a menos que fosse desaprovado pelas próprias Escrituras. E asseverou perante todos: “Aqui estou. Não posso fazer outra coisa. Que Deus me ajude. Amém”.


Considerado herege, ao regressar à sua cidade Lutero foi cercado e levado por soldados ao castelo de Wartzburg, na Turíngia, onde ficaria “guardado”. Ali, ele traduziu o Novo Testamento para o alemão, obra que, por si só, o teria imortalizado. Ao regressar a Wittenberg, reassumiu a direção do movimento a favor da Igreja Reformada, e a partir daí os princípios da Reforma Protestante se espalharam por toda a Europa, com ajuda de homens de valor, como Ulrico Zuínglio, João Calvino, Jacques Lefevre, João Tyndale, Tomás Cranmer, João Knox, etc.


Assim como muitos teólogos estão fazendo hoje, os católicos romanos haviam substituído a autoridade da Bíblia pela autoridade da igreja. Eles ensinavam que a igreja era infalível e que a autoridade da Bíblia procedia da tradição. Os reformadores afirmavam que as Escrituras eram a sua regra de fé, de prática e de viver, e que não se devia aceitar nenhuma doutrina que não fosse ensinada por elas.


A Reforma devolveu ao povo a Bíblia que se havia perdido, passando a considerá-la a fonte primária de autoridade. Nesses tempos difíceis, em que muitos estão brincando com o pecado e até com festas satânicas, quantos cristãos sérios estão dispostos a protestar contra as heresias verificadas entre nós (2 Pe 2.1; At 20.28), à semelhança de Lutero?


Ciro Sanches Zibordi

12 comentários:

contextos - pregações biblicas disse...

Um dia minha filha se vestiu de bruxa (aqui em Erechim) e saiu com a meninada fazer zoeira. Uma irmã (De outra igreja) com toda sua ignorãncia, veio me dizer -pastor que absurdo, sua filha fazendo uma coisa do diabo. Minha resposta - criatura, meu diabo e meus demônios não são assim tão inocentes - eles são astutos e se escondem onde você nem imagina. São mais implícitos do que explícitos. Mais subjetivos do que objetivos. Se escondem mais do que se mostram. Meus demônios são mais perigosos do que os seus. Enquanto você se preocupa com uma BOBAGEM, o diabo se esconde na mente e no coração. Opera na surdina. O diabo não tá nem aí pra o Halloween.

Raimundo Rodrigues disse...

O que estamos observando é que muitos se esqueceram do Sagrado, daquilo que realmente importa para suas vidas e passaram a ser adeptos do ocultismo e do satanismo.
Ainda bem que tem pessos com essa coragem de denunciar e de esclarecer os fatos.

Anônimo disse...

A paz do Senhor, Pastor Ciro
Tenho acompanhado seu blog e tenho aprendido muito com o senhor, agradeço a Deus e ao senhor por ter disponibilizado seu tempo para levar o genuíno evangelho da salvação, pois tem me ajudado muito.
Pastor gostaria que o sr. Me explicasse 1 corintos 11 versículos 4 ao 15. Cortar o cabelo faz com que uma mulher seja desonrada? É passível de perca de salvação?
Rapar e tosquiar é o mesmo que cortar? Ter cabelo crescido, quer dizer nunca cortá-lo?
Desde já agradeço pela resposta. Fique na paz de nosso Senhor Jesus Cristo.

João Paulo M. de Souza disse...

A paz do Senhor, pastor!

Interessante postagem. Carecemos de estudos que expliquem e esclareçam a realidade que está por trás de muitos eventos "inocentes".

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza
www.joaopaulomsouza.blogspot.com

João Paulo M. de Souza disse...

A paz do Senhor, pastor!

Interessante postagem. Carecemos de estudos que expliquem e esclareçam a realidade que está por trás de muitos eventos "inocentes".

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza
www.joaopaulomsouza.blogspot.com

Anônimo disse...

E no meu caso Pastor Ciro que sou professor de inglês, é quase obrigatório eu participar da festa de halloween, pois é da cultura americana.O que devo fazer??

Leonardo Bilonia disse...

E o Natal? Pode?

Unknown disse...

Olá amado Pastor.
Comecei a acompanhar seu blog e tenho aprendido muito, pela graça de Deus.
Sei que estou fugindo do assunto em questão, mas não encontrei outro lugar para fazer a pergunta. Queria inclusive ter feito por e-mail mas não encontrei seu email rsrs. Gostaria, se possível, que o amado me respondesse a questão.
Um de seus posts fala a respeito de “Compor para o Diabo”. Recentemente encontrei um vídeo no youtube de uma pastora e um “missionário” que canta o seguinte “Dá-lhe bicuda na cara do cão” (pode pesquisar no youtube), que inclusive virou motivo de piada. Eu achei um absurdo.
A questão é, muitos desses evangélicos apoiam essa teoria (de pisar na cabeça do diabo e tal) no versículo de Lucas 10:19 em que Jesus diz que nos dá poder para pisar em serpentes e escorpiões e levam ao pé da letra. Gostaria de uma explanação em relação a este versículo. O que realmente esse verso quer dizer? Ele está no sentido literal ou figurativo? Se é figurativo, o que Jesus queria ensinar? Podemos nós crentes pisar na cabeça do diabo (literalmente pela fé), ou só Jesus tem este poder?
Estou perguntando porque é exatamente este verso que faz com que muitas pessoas componham musicas nesse sentido.

Aguardo.

Ats,
Ismael R. Nascimento

Unknown disse...

Olá amado Pastor.
Comecei a acompanhar seu blog e tenho aprendido muito, pela graça de Deus.
Sei que estou fugindo do assunto em questão, mas não encontrei outro lugar para fazer a pergunta. Queria inclusive ter feito por e-mail mas não encontrei seu email rsrs. Gostaria, se possível, que o amado me respondesse a questão.
Um de seus posts fala a respeito de “Compor para o Diabo”. Recentemente encontrei um vídeo no youtube de uma pastora e um “missionário” que canta o seguinte “Dá-lhe bicuda na cara do cão” (pode pesquisar no youtube), que inclusive virou motivo de piada. Eu achei um absurdo.
A questão é, muitos desses evangélicos apoiam essa teoria (de pisar na cabeça do diabo e tal) no versículo de Lucas 10:19 em que Jesus diz que nos dá poder para pisar em serpentes e escorpiões e levam ao pé da letra. Gostaria de uma explanação em relação a este versículo. O que realmente esse verso quer dizer? Ele está no sentido literal ou figurativo? Se é figurativo, o que Jesus queria ensinar? Podemos nós crentes pisar na cabeça do diabo (literalmente pela fé), ou só Jesus tem este poder?
Estou perguntando porque é exatamente este verso que faz com que muitas pessoas componham musicas nesse sentido.

Aguardo.

Ats,
Ismael R. Nascimento

Unknown disse...

Olá amado Pastor.
Comecei a acompanhar seu blog e tenho aprendido muito, pela graça de Deus.
Sei que estou fugindo do assunto em questão, mas não encontrei outro lugar para fazer a pergunta. Queria inclusive ter feito por e-mail mas não encontrei seu email rsrs. Gostaria, se possível, que o amado me respondesse a questão.
Um de seus posts fala a respeito de “Compor para o Diabo”. Recentemente encontrei um vídeo no youtube de uma pastora e um “missionário” que canta o seguinte “Dá-lhe bicuda na cara do cão” (pode pesquisar no youtube), que inclusive virou motivo de piada. Eu achei um absurdo.
A questão é, muitos desses evangélicos apoiam essa teoria (de pisar na cabeça do diabo e tal) no versículo de Lucas 10:19 em que Jesus diz que nos dá poder para pisar em serpentes e escorpiões e levam ao pé da letra. Gostaria de uma explanação em relação a este versículo. O que realmente esse verso quer dizer? Ele está no sentido literal ou figurativo? Se é figurativo, o que Jesus queria ensinar? Podemos nós crentes pisar na cabeça do diabo (literalmente pela fé), ou só Jesus tem este poder?
Estou perguntando porque é exatamente este verso que faz com que muitas pessoas componham musicas nesse sentido.

Aguardo.

Ats,
Ismael R. Nascimento

Daniel disse...

Tolice é achar que o diabo não se preocupa com "bobagens" como o Halloween...

Daniel disse...

Tolice é achar que o diabo não está nem aí para uma "bobagem" como o Halloween... É achar que embora opere na surdina, ele também adora se revelar de forma mais evidente... Enfim, tolice é ignorar os seus desígnios e racionalizá-lo.