sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Saudades de três referenciais que partiram em 2011


Alguns teóricos dizem que passagem de ano é apenas mudança de calendário. Discordo deles, pois, na prática, a transição entre dezembro e janeiro é um período em que refletimos muito, traçamos metas para o futuro e nos lembrarmos de tudo o que aconteceu nos últimos doze meses.

Neste mês, principalmente nas sessões diárias de fisioterapia para recuperação funcional de meu cotovelo direito (que foi quebrado há dois meses), tenho me lembrado de pessoas especiais que partiram para a eternidade em 2011. E gostaria de mencionar três referenciais em âmbitos distintos: pastorado, pregação e família.


Em 24 de fevereiro, Deus recolheu, em boa velhice, o estimadíssimo pastor José Pimentel de Carvalho, integrante do seleto grupo de pioneiros da Assembleia de Deus nascidos no Brasil. Ele atuou ao lado de missionários que vieram da Europa e dos Estados Unidos.


Nasci em 1970, quarenta anos após o novo nascimento do pastor Pimentel. Em 1985, quando o Evangelho nascia em mim, tal pioneiro já era ministro havia quarenta anos. No começo de 2011, ele partiu para a glória quando eu ainda tinha quarenta anos! Que Deus me conceda mais quarenta anos para imitar esse inesquecível servo do Senhor!


No dia 27 de abril, mais um homem de Deus partiu para a glória: o 
“antipático” David Wilkerson. Ele foi um dos pregadores e escritores que muito me influenciou, em minha juventude, por causa de seus compromisso com a Palavra de Deus, fervor espiritual e coragem de denunciar o pecado e as heresias verificadas no meio do povo de Deus.

Lembro-me de que, em uma terça-feira de 1989, um irmão idoso, com lágrimas nos olhos, me disse: “Jovem, você é um pregador do Evangelho e precisa ler este livro”. Ele me presenteou com um livro surrado, todo marcado: Toca a Trombeta em Sião, da CPAD. Percebi, ao ler a obra, que Wilkerson não era teólogo, exegeta ou erudito, mas um profeta do Altíssimo.


Mas foi em 17 de junho que partiu para a glória o servo do Senhor de quem tenho mais saudades: Renato Zibordi. Muitas lembranças do meu velho pai ainda estão vivas em minha mente, principalmente as ligadas à minha infância.

Nunca me esquecerei daquela pergunta que o velho Renato me fazia quando eu, com cinco ou seis anos de idade, pulava sobre ele, na cama: “O mosquitinho quer enfrentar o leão?” Também mantenho muito bem guardadas, dentro do meu coração, as histórias bíblicas que ele me contava. Se hoje sou esse 
“biblista inflexível”, devo isso ao velho leão...

Mas, quando a tristeza tenta invadir o meu peito, logo me recordo da bem-aventurada esperança da Igreja: 
“o Senhor descerá do céu [...]; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras” (1 Ts 4.16-18).

Ciro Sanches Zibordi

11 comentários:

Anônimo disse...

Saudações em Cristo!, quero lhe passar meus sentimentos pelo seu pai, sei bem o que é isso pois também perdi meu pai.
Quero lhe dizer também que senti muito a partida do Pr. Pimentel e do Rev. David Wilkerson. Quanto a esse ultimo também me lembro que quando aceitei a Cristo como meu salvador li "A cruz e o punhal", e assisti o filme sobre o livro.
Esse livro e filme revolucionaram minha vida espiritual. Concordo com suas palavras, David Wilkersom era um profeta do altissímo, que coragem e ousadia para pregar o evangelho, que Deus tenha misericórdia de nós.

Abraços no amor de Cristo - Pb. João Eduardo Silva - AD Min. Belém - SP.

Zilton Alencar disse...

Eu acrescentaria, pr. Ciro, mais uma perda irreparável de 2011: John Stott, um dos maiores comentaristas de Romanos que este mundo já conheceu...

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Zilton,

Boa sugestão. Mas, para o texto não ficar muito longo, optei por três referenciais que influenciaram diretamente na minha trajetória.

Um abraço.

CSZ

Anônimo disse...

Prezado Pastor Ciro, seus comentários são para mim muito edificantes. Ao ler esse último post," Saudade de três referenciais" e a Revista da Escola Dominical deste trimestre ser, " Neemnias Integridade e coragem em tempos de crise " e a licão de 25/12 ser sobre " A integridade de um Líder" o Senhor poderia fazer um comentário da lição como fez sobre a do dia 11/12 " O Dia de Adoração e Serviço a Deus" , pois tenho visto (líderes) que dizem que pegar dinheiro com agiotas não tem nada a ver compram e não pagam, dão cheque sem fundo, etc, e sempre estão com o , não toqueis no no meu ungido, na ponta da lingua. Sendo que a Bíblia diz em provérbios 11:14 não havendo direção sábia o povo cai. Seu que o Seu tempo é precioso, mas como esse Seu post fala de Homens que com certeza eram de uma integridade a toda prova, a lição poderia contar com a Sua marca e jeito Ciro Zibordi de ser. Que Deus continue abençoando.

Fique com Deus, Ass: Costa.

Luciano de Paula Lourenço disse...

Querido pr. Ciro, belas referências suscitadas! Li uma frase que gostei muito: "Há grandes homens que fazem com que todos se sintam pequenos. Mas o verdadeiro grande homem é aquele que faz com que todos se sintam grandes" (Gilbert Keith Chesterton).
O Pr. José Pimentel, deixou-nos um grande exemplo de como servir a Deus com fidelidade e integridade. Foi um homem dotado de uma capacidade de liderança exemplar. Sua vocação não foi definida nos cursos teológicos, mas no coração de Deus. A morte é muito cruel, ela deixa feridas profundas e vazios irreparáveis. Embora queiramos substituir, na ânsia de que ninguém é insubstituível, é difícil não haver sequelas; isto é fato. Sem dúvida nenhuma, a lacuna deixada por este grande homem de Deus é difícil de ser preenchida. Certamente, o Céu ficou mais florido, mas a Igreja ficou mais pobre de liderança sincera!
Quanto ao Pr. David Wilkerson, quem pode apontar o dedo para acusar esse grande homem de Deus? Sem dúvida, ele foi o pastor de todas as denominações evangélicas. Qualquer cristão, seja de qual for o segmento doutrinário, se adaptaria muito bem com esse grande líder do povo de Deus. É difícil não se emocionar com os ensinamentos desse servo de Deus. Obrigado Senhor Jesus, pela vida do pr. David Wilkerson! A Tua Palavra pregada por ele retirou das trevas do pecado, do crime, da degradação milhares de jovens que a sociedade repugnava! Ele está agora em tuas mãos! Senhor, levanta um homem como David Wilkerson nestes dias difíceis porque passa a América do Norte, e ela não será mesma! Em nome de Jesus, Amém!
Quanto ao Renato Zibordi, não o conheci, mas costuma-se dizer que o filho é o reflexo do pai. Você, pr. Ciro, conquanto sejas mais novo do que eu, você tem sido uma grande referencia para mim. Seus livros, o desvelo que tens demonstrado pela Palavra de Deus, contribuíram muito para minha edificação espiritual. Não conheço ninguém mais que combata com tanta ousadia e arrojo os famigerados clichês e heresias que nuveiam as nossas igrejas. Aprendi muito com seus livros: “Mais erros que os pregadores devem evitar” e o “Evangelho que Paulo jamais pregaria”; eles me fizeram enxergar com mais facilidade a linha divisória entre o certo e o errado. Agradeço a Deus por seu pai ter gerado você! Não fique triste, seu pai não está morto! Breve você o verá novamente!
Um grande abraço!
Luciano de Paula Lourenço

Thalita disse...

Lendo esse artigo me lembrei de uma mulher que foi um referencial para minha vida.O nome dela era Lourdes Bernardes.Era uma pessoa simples,amorosa e muito fervorosa na fé.Ela gostava de convidar a gente para almoçar com ela e enquanto almoçavamos ela nos enchia de bons conselhos.No dia de seu velório durante o culto fúnebre pude observar que entraram pela porta da Igreja pessoas ricas e bem trajadas, pessoas sujas e maltrapilhas, marginais e usuarios de drogas e prostitutas.Todos lamentando a falta que faria suas sábias palavras e gestos de amor.Aí parei e pensei:Durante o tempo de sua vida ela permitiu que JESUS vivesse nela! Faz falta.

Mozart Paulino disse...

Meu amigo Ciro, quando a tristeza bate em nosso peito devido alguém a quem admiramos ou amamos partir não é fácil.

Como bem disse o querido, o que nos conforta é sabermos que naquele Grande Dia, o tão esperado Dia que o Senhor vier nos buscar, tal sentimento se transformará em alegria.

Tal experiência tive esse ano, no dia 30 de maio, quando meu irmão Rodrigo Wagner Paulino, de apenas 31 anos, partiu para glória.

Aproveitando, quando entreguei minha vida a Cristo Jesus, foi também através do filme "A Cruz e o Punhal", de David Wilkerson.

Isso foi na década de 80, quando a escola onde eu estudava cedeu o pátio para os Gidões Internacionais transmitir o filme e entregar o Novo Testamento aos participantes.

Foi em um sábado.

Lembranças e mais lembranças.

Deus abençoe sua vida, família e ministério.

Paz.

MSP.

João Paulo disse...

A paz de Cristo, pastor Ciro!

A vida é regada de circunstâncias agradáveis e, também, por momentos desconfortantes... Mas graças a Deus que tudo, um dia, será resolvido efetivamente (Ap 22.12; a 1 Co 15. 51-57; 1 Ts 4.18).

Um forte abraço!

Palavra e Vida disse...

Pastor Ciro deve ser bom ter um pai amigo. Eu tenho um pai mais a gente não é tão próximo, a gente não compartilha do mesmo mundo. Exemplo: eu sou evangélico e ele não, as músicas que ele gosta eu não gosto, o que gosto ele também não gosta. Você entende como eu falo. Existe um sentimento entre nós mais de respeito de um pai para um filho e de um filho para um pai. Aquele de amizade não existe.


Eu tenho me esforçado muito, pois depois que me tornei evangélico Deus abriu mais minha mente. Tenho sido compreensível em meus relacionamentos, me esforçado, mais meu pai é um pouco inflexivel.

Por isso, parabéns para você e todas as pessoas que tem um pai amigo, que gostam e compartilham o mundo um do outro.

Sou feliz com minha família, mais serei mais ainda quando estiverem todos cmungando a fé em Jesus Cristo. Sendo irmãos e amigos de verdade. Além do parentesco.

Fernando de Campos disse...

Paz do Senhor Irmão!

Hoje estou em sp capital na Ad Madureira, mas já morei em Curitiba na presidência do Pr Pimentel , não o conheci pessoalmente , mas nunca vi um obreiro do campo de Curitiba falar mal dele, pelo contrário só bem. Curitiba é uma referência na formação de obreiros.

Oséias disse...

Pastor Ciro,

Sinto muitas saudades do Pastor José Pimentel de Carvalho. Convivi com este homem, cuja vida e ministério serão meus referenciais pro resto da vida.

Oseias Balzaretti