sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Um filme que se repete no Natal: “Esqueceram de mim”


Um menino é esquecido por sua família em plena época do Natal. Qual é o nome do filme? Fácil: Esqueceram de mim. Quem não se lembra das peripécias do “indefeso” garotinho Kevin, que, ao ser esquecido em casa sozinho por seus pais, teve de se defender de dois bandidos atrapalhados?

Não há como nos esquecermos dessa engraçada produção de 1990, estrelada por Macaulay Culkin. Afinal, nessa época natalina, esse filme sempre é reapresentado por algum canal de TV, não é mesmo? Mas, neste artigo, desejo mencionar outro Menino que vem sendo esquecido a cada ano...


Estou em São Paulo. E, ontem, minha família e eu fomos à iluminada Avenida Paulista, a fim de vermos as decorações e apresentações do Natal. Fiquei decepcionado... Não por causa do congestionamento, da multidão e da chuva, pois isso já era esperado. A minha decepção maior se deu por não ter encontrado nenhuma (nenhuma, mesmo!) alusão ao Natal de Cristo!


Andando pela linda Avenida Paulista, vi luzes, estrelas, duendes e gnomos coloridos, Papais Noéis de todos os tipos, danças, apresentações teatrais... Mas, e o Menino? Se pudéssemos entrevistar o Senhor Jesus e perguntar-lhe a respeito do Natal, creio que Ele responderia: “Esqueceram de mim”.

Sim, a humanidade se esqueceu da linda história do Natal de Cristo e substituiu-a por fábulas sem graça, sem vida, sem brilho, a despeito das luzes e cores. 
Em Jeremias 23.27 está escrito: “Os quais [falsos profetas] cuidam que farão que o meu povo se esqueça do meu nome, pelos sonhos que cada um conta ao seu companheiro, assim como seus pais se esqueceram do meu nome, por causa de Baal”. Pensei exatamente isso, ao andar pela principal avenida de São Paulo: “Querem fazer com que as pessoas se esqueçam definitivamente do Menino”.

Não somos deste mundo, mas vivemos nele. Como servos do Senhor, temos liberdade para admirar as invenções humanas dessa época natalina. E elas, de fato, são encantadoras, iluminadas, engenhosas, surpreendentes. Mas que Deus nos guarde de, influenciados pelo espírito do Anticristo prevalecente neste mundo tenebroso, nos esquecermos do verdadeiro sentido do Natal.


Vejo crentes (inclusive, alguns pastores) mal-instruídos dizendo que não vão comemorar o Natal, pois se trata de uma festa pagã. Onde eles aprenderam isso? Se tem um povo que deve fazer questão de celebrar o Natal, esse é a Igreja de Cristo! Mesmo sabendo que Jesus não nasceu em 25 de dezembro, não podemos deixar de aproveitar essa data para lembrar o mundo daquela sublime noite!


Que privilégio tiveram aqueles pastores de Belém, envolvidos pela glória de Deus, enquanto guardavam seu rebanho... Mas a mensagem outorgada a eles é extensiva a toda a humanidade: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo, pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.10-12).


Não nos esqueçamos, portanto, de que Jesus é Salvador, Cristo e também Senhor. E, por isso, jamais deve ser ignorado ou esquecido. Não ajamos como os crentes de Laodiceia, que deixaram Jesus do lado de fora (Ap 3.20). Ele continua batendo à porta dos corações e dizendo: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (Jo 14.23).


Celebremos o nascimento de Cristo, para que o mundo conheça o verdadeiro protagonista do Natal!


Ciro Sanches Zibordi

19 comentários:

Zilton Alencar disse...

Pastor Ciro, excelente postagem como sempre... estamos aos poucos nos esquecendo do principal personagem...

O texto apenas me deixou uma questão: o senhor é favorável à montagem de presépios, com a figura do menino Jesus?

Em tempo: fiquei muito feliz em saber que em fevereiro o sr. estará pregando em Campina Grande, a minha Paraíba. Que Deus lhe conceda uma mensagem profunda e edificante para alimentar Seu povo, e me ajude a estar presente neste dia. Com um pouco de sorte, quem sabe não terei o prazer de conhecê-lo pessoalmente!

Feliz Natal!

Maely Mendes disse...

é assim na páscoa também, nem sabe o que significa; porém no natal esse erro está com mais intensidade. aff.

Palavra e Vida disse...

Esse é o lado ruim do Natal. A idolatria ao papai noel e seus derivados e o esquecimento do Senhor Jesus Cristo, que segundo a história é o aniversariante da data.

Mais eu acredito que os verdadeiros servos e seguidores de Jesus não se deixam levar por isso, e nessa data e em outras demais estão focados exclusivamente no Senhor nosso Deus.

O mundo vive de emoções e fantasias, por isso essa festa é tão envolta de fantasias e emoçoes.

Abraços pastor Ciro e um bom Natal. Jesus ama você e todos nós.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Zilton,

Grato pelos elogios. Glória a Jesus!

Os presépios são representações do nascimento de Jesus. Se eles forem bem preparados, ajudam as pessoas a compreenderem o real sentido do Natal. Mas o catolicismo romano torce esse sentido, dando maior ênfase a Maria. Além disso, mostra os magos do Oriente em contato com o recém-nascido Jesus. Ora, quem teve esse contato, nessa época da vida do Senhor, foram os pastores. Os magos já o viram com dois anos.

Eu esperava, sinceramente, ver na Paulista alguma representação do nascimento de Jesus. Mas só vi gnomos, duendes e cia. Lamentável.

Espero conhecer o irmão em Campina Grande-PB.

Feliz Natal!

CSZ

clovis@grimaldo.com disse...

Pr. Ciro, obrigado pelo artigo. Tenho acompanhado o blog e percebo coerência com a Palavra, o que basta. Sem radicalismos baseados em costumes, mas também sem, no outro extremo, modernismos e facilidades distantes da verdade,

Abraço

Clovis
clovis@grimaldo.com
@Clovis_Grimaldo

Adeilton disse...

Onde está aquele que é nascido Rei dos Judeus?

O famoso comentarista Matthew Henry disse: " existe mais ignorância no mundo,e também na igreja,do que podemos imaginar".
(Mattew Henry,Comentário Bíblico do Novo Testamento,pag.10,Editora cpad)

Os magos esperavam encontrar toda Jerusalém adorando o Messias,mas quando chegaram lá tiveram a maior decepção.Todos os moradores estavam vivendo a sua vida normalmente,não sabiam eles que o maior acontecimento estava se realizando;O Messias nasceu.

Será que isso não está acontecendo hoje?

Muito boa a sua reflexão; "esqueceram de mim"

Guskuma disse...

Paralelo perfeito pastor!
Tem uma esquete muito divertida que aborda o assunto por uma ótica semelhante, veja no link do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=bQ3U1G4UGLM

Auriberto Feitosa disse...

É triste este fato, mas é a mais pura verdade!
Aqui em Nova Iorque é a mesma coisa, a cidade fica linda e iluminada, cheia de gente de todas as partes do mundo, mas não se ver uma única menção a Jesus Cristo, o motivo do Natal. Esqueceram-se dEle!
Que pelo menos nós cristãos não nos esqueçamos do Senhor neste Natal!

Murilo Gerdes disse...

Prezado pastor Ciro,tudo bem?
Você não ´´esqueceu de mim´´ sobre aquele assunto que te enviei por email né rsrsrsrsrs
É que tenho medo que o senhor se esqueça e eu fique sem resposta sobre um assunto tão dificil como aquele.
.
Paz !!
Murilo Gerdes

Edinei Siqueira disse...

Amados, vejam este artigo.

O Natal do Noel

Em todo o período de festas natalinas, não ouvi nem vi nas propagandas, entrevistas e programas televisivos qualquer menção ao nome do Senhor Jesus, cujo suposto nascimento no dia 25 de dezembro é a principal razão das festividades.

Nas reuniões em família, onde há fartura de comida e de bebida embriagante, também não se ouve falar no Salvador. Um paradoxo! Afinal, estão festejando o quê? Qual a razão de tanta alegria? Decorre ou não decorre do nascimento de Jesus há mais de dois mil anos?

As razões dos folguedos são as mais variadas: é dia apropriado para trocar presentes; mais um feriado nacional; a data é propícia para visitas, rever velhos amigos; para enviar a popularíssima e comercializada mensagem de “Feliz Natal e Próspero Ano Novo”; noite apropriada para saborear um peru recheado.

Se um fiel servo de Cristo aparecesse numa dessas reuniões “cristãs” e desejasse falar um pouco do Jesus bíblico, seu nascimento e ensino, como seria recebido? Convenhamos, não seria bem aceito em muitas casas. Em dez minutos de pregação, o ambiente ficaria carregado. Alguns, furtivamente, se retirariam para um local mais “seguro”, sem se esquecerem de levar o seu uísque e o prato com salgadinhos. A anfitriã, que houvera dado oportunidade ao intruso para uma breve palavra, está agora em palpos de aranha:

- Minha festa vai perder o brilho – pensa com seus botões, enquanto, nervosa, dá uma tragada no seu cigarro. Mas oportunidade é oportunidade. O homem, a consultar de vez em quando a Bíblia, continua impassível falando sobre o nascimento de Jesus:

Não havia lugar – diz ele - na hospedaria para que Maria desse à luz o seu filho primogênito. Passados muitos séculos, não há lugar para Jesus em muitos lares. Há, sim, lugar de destaque para um boneco sorridente, de barbas brancas, vestido com as cores da igreja de satã: preto e vermelho. O deus-boneco, conhecido como Papai Noel, destronou o Senhor Jesus. As crianças são ensinadas a pedir presentes ao seu “papai”, o deus bondoso que a todos atende, entronizado e instalado na sala principal. Tudo parece girar em torno dele, para ele e com ele.

Nesse ponto, a anfitriã não mais consegue conter as lágrimas. Não por causa de alguma reflexão a respeito de sua miserável condição de pecadora. Está triste porque sua festa poderá ser um fiasco. O que dirão os colunistas sociais? Como é que isso pode acontecer logo comigo, eu que sempre primei pelo bom gosto?

Resoluta, segura o homem pelo braço e, com energia, “convida-o” a retirar-se. Em seguida, dirige-se aos convidados:

- Venham todos. Ele já se foi. Peço desculpas. Foi um acidente de percurso. Esqueçam o que aconteceu. Roda aí um forrozinho quente pra gente balançar o esqueleto! Depois bota aquela musiquinha da eguinha pocotó, pocotó, pocotó. E ela, para dar o exemplo, sai pela sala a balançar seus quadris e a convidar os demais para que a sigam.

Dada a voz de comando, o clima de alegria voltou a reinar. E a festa se estendeu até alta madrugada.

Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa

Pb. Edinei, Th.B

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Amigo e nosso pr. Ciro Zibordi,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

É lamentável a situação do mundo.

Tentam apagar o que está em muitos corações de uma vez por todas.

Há quase dezoito anos, quando mudei a minha residência para os EUA, descobri um povo que se cumprimentava nas ruas, mesmo sem se conhecer com o famoso "MERRY CHRISTMAS".

Hoje, este cumprimento, desapareceu e onde quer que seja, existe uma nova saudação que simplesmente é definida com um "HAPPY HOLIDAY".

Triste saber que os governos estão se envolvendo com a disciplina do anticristo como resultado dos interesses pela promiscuidade em tudo o que seja.

Evitam falar ou comentar sobre Jesus Cristo.

A cidade de Boca Raton - Flórida, proibiu qualquer enfeite com a cruz ou nome que se proclame a Jesus Cristo. Triste!

Pelo menor por enquanto possuímos a liberdade de desejar aos nossos amigo e familiares, um Feliz Natal na comemoração e lembrança que um dia Ele nasceu, morreu e ressucitou por cada um dos que desejam o alimento verdadeiro para quem possui fome e sede de justiça.

Um Feliz Natal, meu nobre amigo e atalaia,

O menor de todos os menores.

Elaine Cândida disse...

Mas Jesus já é lembrado o ano inteiro pelos crentes, Pr. Ciro!

Esqueceu que Ele é o "Papai Noel dos crentes"? Ele passa o ano inteiro realizando os sonhos dos cristãos adeptos da teologia da prosperidade (e dos que oficialmente não o são mas o fazem, nas suas práticas de sonhar e exigir a realização dos seus anseios, nas suas práticas de saborear uma vitória com sabor de mel sobre o gosto amargo de fel que a vingança causou aos seus inimigos, nas suas práticas de subir como Zaqueu em vez de diminuir como João para que o Senhor cresça...).

Vamos dar um desconto, Pr. Ciro! Essa de lembrar o Deus Criador do Universo encarnado como um bebezinho indefeso numa manjedoura para Se identificar conosco e salvar gente como nós, que jamais mereceu nem mesmo que o Soberano Rei dos reis olhasse para nós, quanto mais que Se importasse conosco; ou essa de lembrar que uma Luz incrivelmente imponente e invencível nasceu sobre os que andavam desgraçadamente nas trevas do pecado e lhes deu a oportunidade de passar a eternidade na glória do Todo-Poderoso, livres de toda condenação (justamente merecida)... Essas coisas estão ultrapassadas. Não são para os crentes extravagantes do século XXI.

A geração extravagante do séc. XXI quer entretenimento, quer emoção, quer fábulas. E ninguém melhor do que o "bom velhinho" para nos entreter, nos emocionar e nos encantar, nem que seja por um ou dois dias apenas. Melhor do que passar o ano todo enfrentando os infortúnios do caminho estreito.

Além disso, esse "menino jesus" era muito pobrezinho. Nessa época do ano, Sua imagem está sempre atrelada a uma manjedoura, a um lugar fedorento e sujo. Não combina com esse batalhão de cristãos triunfalistas dos nossos dias. Papai Noel é melhor que esse "jesus" aí, porque ele nos traz presentes. Nós não precisamos dar presentes ao Noel, como devemos dar nossos corações a Jesus. É o próprio Papai Noel quem nos presenteia.

Percebeu o contraste?

Sem contar que é muito fácil ter uma personalidade tão bacana assim ao nosso lado: Não precisamos renunciar nada para tê-la conosco. Basta irmos à loja da esquina e comprarmos um.

E detalhe: Ele não nos abandonará, caso Jesus arrebate Sua Igreja. Quem ficar aqui na terra, terá a companhia do boneco do "bom velhinho" sempre ao seu lado. (Sempre mesmo!)

...

[Ironias à parte, natal desse tipo - puramente mercantilista - é melhor nem comemorar, mesmo. Que o Espírito Santo implante nos corações - pelo menos nos corações do Seu povo, que tem andado tão desvirtuado na sua fé - o verdadeiro sentido e a razão do Natal. E que o Senhor nos lembre de celebrar esse Natal todos os dias!]

Paz do Senhor.

Elaine Cândida

Cesar Filho disse...

O egocentrismo se apropria de elementos relacionados a bíblia. Não para obedecer, mas pelo esteriótipo religioso que direta e indiretamente contribui para o aspecto mercadológico.

Cesar Filho, 20 anos, Fortaleza-CE
Assembleia de Deus (TEMPLO CENTRAL)

Meu Blog:
http://ircesarfilho.blogspot.com

Anônimo disse...

Obrigado. Há realmente um esforço para que as pessoas ignorem essa data em todo o mundo. Por isso, devemos anunciar JESUS a tempo e fora de tempo.
Abraço fraterno, Paulo Ceroll
P.S.: O vídeo recomendado pelo internanuta Guskuma é sensacional!!! Vale conferir. Obrigado. Feliz Natal.

JônnatasGuimarães disse...

Amém pastor Ciro. Hoje a pregação na igreja (doutrina) foi justamente ensinando o povo o real sentido do natal, acredito que muitos compreenderam, haja vista muitos cristãos (falta conhecimento) "acham" que o natal é algo do diabo.


Graça e paz e Feliz Natal. ♥

Lucivaldo de Paula disse...

Meu querido Pastor!

Apaz do Senhor, hoje estava lembrando de alguns amigos e lembrei do senhor, sou grato a Deus pela sua amizade, o senhor é uma pessoa muito culto, que tem um excelente cabedal, um conhecimento profundo das Escrituras, considero o senhor como um dos Pastores mais eruditos do Brasil.
Mais eu sei que essa sabedoria vem do alto, conhecimento o senhor adquiriu por dedicação aos estudos de diversas areais principalmente das Escrituras. Mais o que eu mais fiquei impressionado desde que lhe conheci, foi a sua Humildade. Quando o senhor esteve aqui em Porto Velho o senhor não só me trator bem, como a todos que chegaram para conversar com o senhor. Fiquei muito feliz quando o senhor ligou de Manaus para mim, naquele dia eu falei obrigado Senhor por esta amizade tão importante.
Que o amor possa florescer em todos os cantos deste mundo. Que nós possamos desfrutar da bondade de Jesus Cristo, e que sejamos sempre dignos do seu amor, e que neste Natal nós lembremos do seu sacrifício na cruz por nossos pecados. Meu querido Pastor que Deus em sua infinita bondade, abençoe o senhor e sua linda Família. Tenha um ótimo Natal na presença de nosso Deus!

em Cristo

Edinei Siqueira disse...

E esse papai Noel é muito esperto. nós (pais) compramos presentes para nossos filhos e quem leva a fama é ele. Assim fica fácil né!

Pb. Edinei, Th.B

Ciência e Deus para todos disse...

Pastor Ciro,

sinceramente, na minha opinião eu acho que Natal sempre foi assim. Desde que foi criado pela Igreja Católica, esteve dividido com as tradições pagãs. Por isso eu nunca vi algum mérito em comemorar esta data. Para mim é um dia como outro qualquer, vivo ele como devo viver todos os outros: priorizando a mensagem de Cristo.

Abraços, Paz de Cristo.

Anônimo disse...

Excelente intertextualização se assim posso dizer! Artigo brilhante em toda sua estrutura,na parte semantica e tambem me causou humor pela expresão do titulo e tambem pela época, "esqueceram de mim"... De fato, Jesus em pleno natal tem sido substituido da memoria e muita gente; a midia e o comercio lutam fortemente mesmo de forma direta ou indireta, porem eles colaboram para essa substituição; apresentam o papai noel como um homem bom que da aquilo que as pessoas pedem, oras, essa representaçãonão é substitutiva? Entendo perfeitamente sua preocupação; sei que o senhor tem um tempo de experiencia bem maior que o meu e uma maturidade suficiente para entender que não é nenhum tipo de elogio ipócrita de minha parte! mesmo sem te conhecer pessoalmente, acredito pelo seu trabalho que seu carater é realmente de um homen dignificado por Deus! apoio su artigo e peço que crie muito mais pois eu sou amante de linguagem... Att Thiago Boudny de CNP MT