domingo, 27 de novembro de 2011

Uma palavra sobre a itinerância e os “itinerantes” (parte 1)


Nas áureas décadas de 1980 e 1990, os pregadores mais requisitados e famosos — por serem verdadeiramente usados pelo Senhor —, nas Assembleias de Deus, eram identificados por títulos ministeriais bíblicos. De alguns anos para cá, surgiram títulos novos, como “conferencista internacional” e “itinerante”. Considero o primeiro um tanto pretensioso. Quanto ao segundo... Ah, o segundo é, no mínino, despropositado.

Pessoas que me encontram nos aeroportos ou nas igrejas onde ministro a Palavra de Deus me perguntam se sou um “itinerante”, pelo fato de eu participar de eventos em vários lugares, especialmente escolas bíblicas. E a minha resposta a elas, a priori, parece vaga: “Não sou ‘itinerante’. Mas tenho um ministério que envolve itinerância”.


Não me considero um “itinerante” porque a itinerância, em si, não é um ministério ou uma profissão, e sim uma característica destes. Houaiss define assim o termo “itinerante”: “diz-se de atividade que se exerce com deslocamentos sucessivos de lugar em lugar”.


O piloto de avião, o comissário de bordo e motorista de ônibus, por exemplo, não são chamados de “itinerantes” pelo fato de viajarem para várias partes do Brasil e/ou do mundo. Eles têm um trabalho que envolve itinerância. Da mesma forma, o apóstolo Paulo não era um “itinerante”, a despeito de suas viagens missionárias. Ele era pregador, apóstolo e doutor dos gentios (1 Tm 2.7). Seu ministério, multifacetado, envolvia itinerância.


Considero impróprio o uso do termo “itinerante” para designar o ministério da pregação da Palavra de Deus. Mas muito pior do que um problema de ordem semântica são os procedimentos adotados pelos que se dizem “itinerantes”. No meio assembleiano, especialmente, o aludido termo tem designado um tipo de obreiro que demonstra não ter sido chamado por Deus.


Os “itinerantes”, geralmente, gostam de aparecer. Apreciam roupa que reluz, sapatos que brilham de longe, anéis que ocupam quase metade do dedo, etc. Ter o título de diácono, presbítero, evangelista ou pastor, para eles, é desonroso ou 
“pouco impactante”. Preferem ser conhecidos como “conferencistas internacionais”. Supervalorizam o título, ignorando que não é o título que faz a pessoa; é a pessoa que faz o título. Duas passagens que eles deveriam examinar são 1 Samuel 16.6-13 e 2 Reis 4.31.

Os “itinerantes” querem ser pregadores a todo custo; são “oferecidos”, mas não possuem mensagem conveniente, à semelhança do rapaz que se apressou em dar a notícia da morte de Absalão a Davi (2 Sm 18.19-22). Em vez de apresentarem mensagens cristocêntricas, discorrem sobre conceitos antropocêntricos da autoajuda. Tais pregadores deveriam atentar para o exemplo de Jeremias: “eu não me apressei em ser o pastor após ti” (17.16).


Os “itinerantes” entram no ministério, mas o ministério não entra em seu coração. Eles foram feitos pregadores pelos homens, e não pelo Senhor (2 Tm 4.3-5; 1 Rs 12.31; 13.33; 2 Rs 17.32,33). Eles confiam apenas em sua capacidade, como o comandante Joabe, que tinha muitos talentos, mas era insensível, desumano, cruel, não inspirava respeito, não reconhecia os seus erros, não respeitava os laços familiares e não foi fiel até o fim (2 Sm 10.9; 1 Cr 19.10; 1 Rs 1.5-8; 2.5,28).


Os “itinerantes” amam o dinheiro (1 Tm 3.3; 6.10; Ef 5.5). E por ele estão dispostos a fazer tudo (Nm 22.10-22; 2 Pe 2.15,16; Is 56.11). Esquecem-se de que o compromisso primaz do pregador não é com as suas próprias necessidades ou com as preferências do povo, e sim com o Deus da Palavra e com a Palavra de Deus (Ez 2; At 7).


Os “itinerantes” se envolvem com a obra de Deus para ter comodidade e riqueza (Ez 34.2-4; Jz 17.7-13). E, por isso, mercadejam a Palavra de Deus (2 Co 2.17). Não se contentam com uma boa oferta da igreja do Senhor. Exigem cachês exorbitantes ou empregam técnicas reprováveis para “arrancar” tudo o que for possível dos incautos, como dinheiro, relógios, alianças, cheques, etc.


Os “itinerantes” gostam de receber glória dos homens (2 Co 10.12-18; At 12.21-23). Mas Deus não dá a sua glória a outrem (Is 42.8). Eles deveriam atentar para Provérbios 27.2 e 25.27, a fim de aprenderem que o Senhor usa — verdadeiramente — os humildes (1 Co 1.26-29; Tg 4.6).


Com temor e tremor,


Ciro Sanches Zibordi

37 comentários:

Pr. Josias Almeida disse...

Meu amado companheiro, suas palavras são abençoadoras,é exatamente como penso. Aliás, tem uma postagem em meu blog que escrevi, na mesma linha. Confira lá: http://josiasalmeida.blogspot.com/2011/08/ingnorancia-dos-intinerantes.html

Abraços.

Harry Oliveira disse...

Pastor Ciro, esses títulos viraram moda, conheço alguns que nunca tinham saído do Brasil mas vieram aqui para o norte da Europa "pregar", estiveram somente em 1(um) país da Europa pregando, mas quando voltam para o Brasil se auto intitulam: "Pregador internacional". Nos sites e DVD`s Colocam todos os países que passaram....mas apenas estavam dentro do AVIÃO!!!!!!

José Ivan Barbosa disse...

Parabéns Pr. Ciro por mais uma excelente matéria. Cada vez o irmão nos surpreende mais com assuntos atuais e que nos levam a uma reflexão acerca dos acontecimentos em nossas igrejas. Deus continue lhe abençoando mais e mais.

Pr. José Ivan Barbosa

Otoniel M. de Oliveira disse...

A culpa é da cúpula da assembléia de Deus que sedimentou esse "ministério" itinerante ao longo dos anos. Sempre me posicionei com cautela à esses que só querem a lã das ovelhas sob a anuência dos pastores das nossas convenções em todo o Brasil. Há um "lobby" para os tais...Que esse artigo abra os olhos dos que ainda queimam incenso aos pretensiosos de plantão. São os pregadores profissionais...ou os profissionais da Palavra! Um dia depois de um culto, eu ouvi um desses fazendo a avaliação de um Dvd de outro itinerante. Ele dizia: " Ahh...você segue uma linha melodramática de pregação. Seus temas são temas recorrentes e fazem muito sucesso...levanta o público!". Eu ali perto senti náuseas...É horrível!

Ev.Flauber Menezes disse...

Meu querido louvo a Deus pela sabedoria e humildade que Ele tem derramado sobre tua vida. Mais um artigo que acrescenta-nos conhecimento sobre a verdade do evangelho.

disse...

Tremendo seu artigo Ciro. Concordo contigo. Sabe, vejo muitos pastores que saem por aí, e não apascentam ninguém!
Paz!

Marcos disse...

Pastor Ciro a Paz do Senhor.No último mês de junho/11 foi realizada na igreja sede da AD ministério no Ipiranga/SP a EBO, foram convidados alguns pastores de outras igrejas e denominações, na minha visão homens de Deus verdadeiramente comprometidos com Sua palavra. Dentre os preletores estava o reverendo Hernandes Dias Lopes, da IPB de Vitória/ES, uma pessoa que sempre admirei e após um brevíssimo contato com o rev. só veio a confirmar essa admiração inclusive por sua humildade. Fazendo uma "comparação" com os exemplos que o pastor cita em sua postagem, realmente é de louvar a Deus por homens como vocês, pastor Ciro, que não medem esforços nem adversidades que possam vir afim de pregarem a palavra de Deus e o Deus da palavra, bem como como a tantos outros que às vezes em razão das circunstâncias estão no anonimato, para nós, não para Deus. Continue firme nesse ministério e que Deus continue a abençoa-lo bem como a sua familia pastor Ciro.
Marcos.

Diácono Valtair disse...

Pois é pr. ciro ! e tem uns que cobram um absurdo para virem nas nossas igrejas , soube que um desses "famoso" que esteve aqui na nossa séde levou R$8.000 fora o material que vendeu ao redor do templo , não vou citar o nome dele pois é muito conhecido no Brasil .
Não quero ser hipócrita nós sabemos que tem homens de Deus , pastores que estão fazendo a obra do Senhor em tempo integral , os chamados intinerantes , eles também tem conta para pagar , família para sustentar , eu não sou contra a igreja que convida dar uma oferta de amor , autorizar as vendas de seus materiais (livros , dvds ,cd etc) o problema é quando vc. convida o intinerante e ele "acaba " com a igreja.
Aconteceu na minha prória igreja , nosso pr.presidente
convidou um pr.desses chamado intinerante , e o intinerante foi até acredite se quizer quase 00:00hs , ele pediu desde anel,relógio de ouro etc.
Que os nossos líderes tomem cuidado que convida .
Abraço pr. ciro

Edinei Siqueira disse...

Caro Pr. Ciro,

parabéns pelo elucidativo artigo.

Deveras, o que vemos em muitos eventos em nossas igrejas nos deixa indignados. Existem muitos animadores de auditório manipulando os crentes incautos e enriquecendo às custas dos ingênuos.
Alguns tem a cara de pal de gravar DVd de mensagens (mensagens?)e colocam na capa do mesmo: Conferencista internacional, D.D (Doutor em Divindade), sem nunca ter cursado um curso regular de teologia presencial.
Mas também fazer o que? O povo gosta disso né! E os pastores os convidam para 'abrilhantar" suas festas!

Pb. Edinei, Th.B "conferencista municipal" kkkkkkkkkkk

Edinei Siqueira disse...

Diácono Valtair,

O nosso povo é tão ingênuo que se o "pregador" (pregador?)pedir a roupa do corpo é capaz de os irmãos irem pra casa nús.

Pb. Edinei, Th.B

Renato Vargens disse...

Querido amigo Ciro,

Parabéns pelo texto. Como sempre extremamente elucidados.

Abraços,

Renato vargens

Marcelo Lima disse...

Caro Pr. Ciro,

Somente com o intuito de corroborar seu texto, gostaria de contar uma experiência recente, de duas semanas atrás.
Houve em minha igreja um congresso de "Avivamento", e vieram grandes nomes da itinerância brasileira.
No primeiro dia da festa, um outro obreiro e eu ajudávamos o tesoureiro na contabilidade da oferta quando um representante do "Ministério" do pregador, com camiseta com os dizeres "Fulano de tal ministries" dirigiu-se à sala em que estávamos para cobrar, pasme, adiantado o pagamento do "cachê", dando a entender que se não fosse paga a quantia exigida, o aludido itinerante não pregaria naquela noite.

Há alguma semelhança entre essa corja de estelionatários e os verdadeiros pregadores do Evangelho do princípio da Igreja?

Desculpe a indignação!

Marcelo Lima

tadeu disse...

é correto dá a alguém um título de "pastor", para quem milita na área da pregação ou do ensino - seja em congressos, cruzadas, confêrencias, shows, etc., mas não trabalha apacentando o rebanho de Deus? Exemplo: Ele recebe uma consagração para pastor, mas se quer está dirigindo um igreja; Está certo isso? Alguém é consagrado a Evangelista, mas não vive de pregar o Evangelho; é correto isso? Se um homem tem um título de pastor, deveria estar dirigindo uma igreja, ou não é bem assim?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Tadeu,

Sua pergunta é oportuna. E, como ela exige uma resposta abrangente, sugiro que o irmão leia o seguinte texto, de minha modesta autoria.

http://cirozibordi.blogspot.com/2011/04/aos-crentes-que-nao-gostam-de.html

O link contém um artigo que parece não estar relacionado com a sua pergunta, mas ele explica a diferença entre o título que nos dão, aqui na terra, e o ministério que vem do Senhor.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro pastor Josias,

Grato pela sua sugestão. Vou conferir o seu artigo.

Um abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro amigo Harry,

A paz do Senhor.

Se passar por cima de uma cidade ou país, de avião, pode ser computado como local visitado, já estive em lugares que nem imagino! Risos...

Falando sério, agora, estive na Europa, há poucos dias, mas não pude fazer-lhe uma visita. Fui informado pelo querido pastor Francisco que o trabalho na Alemanha está crescendo bastante, em tudo, para a glória do Senhor.

Que Deus continue abençoando o irmão, o pastor Márcio, suas famílias e todos servos do Senhor em território alemão.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro pastor José Ivan,

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo e peço-lhe que interceda por nós.

Um abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro evangelista Flauber,

Suas palavras muito me animam. Agradeço-lhe por tudo, desejando em breve abraçá-lo em terras cearenses, se Deus quiser.

Um abraço.

CSZ

DANNILO STELIO disse...

Causou-me muita alegria saber que o caro pastor esteve recentemente no Velho Continente pregando e ensinando.

Isso porque, se existem muitos obreiros da igualha da que foi mencionada no "post",e que garbosamente se intitulam "pregadores internacionais", penso que é motivo de contentamento para os verdadeiros servos de Deus quando obreiros do seu quilate tem a oportunidade de fazer a obra de Deus em terras estrangeiras.

É lamentável que muitos líderes evangélicos não observam a quem estão cedendo os púpitos de suas igrejas, oportunizando aos lobos itinerantes descarregarem suas heresias e transtornarem o povo.

Que Deus continue tocando no coração das lideranças evangélicas nacionais e internacionais para chamarem obreiros do seu nível, Pr. Ciro, a fim de anunciarem as verdades eternas ao povo.

Ev. Nelson Fernandes disse...

Pastor Ciro,tenho seguido as suas maravilhosas mensagens e sou imensamente grato a Deus por sua vida.Tenho percebido que há muitas igrejas que mais parece um clube que o Corpo de Cristo.Me corrija se eu estiver errado por pensar assim.
A igreja clube vive sempre a procura de algo que satisfaça os desejos de seus membros sócios. Eventos e mais eventos são promovidos, a fim de satisfazer os seus membros cada vez mais sedentos, insatisfeitos e vazios. Cantores e pregadores interesseiros, mais preocupados em manter a qualquer custo seus ministérios corruptos e puramente materialistas, são contratados por líderes sem visão espiritual, para abrilhantar festas, confraternizações e até shows evangélicos, com o objetivo de mostrar aos membros sócios, que a igreja está viva, ativa e dinâmica.
A glorificação do homem, o comércio desenfreado do evangelho, a exploração da fé com fins lucrativos e outras situações, tem contribuído, para que muita denominação dita evangélica sejam vistas mais como um clube, do que como parte integrante do Corpo de Cristo.Mas acredito que muitos já estão percebendo isso. os enganadores serão desmascarados em nome de Jesus!!!

Ev. Emerson Santos disse...

Pastor Ciro
Graça e Paz

Fico feliz em sempre estar lendo seus artigos, pois são sempre pertinentes a está época que vivemos.
Sobre estes titulos sempre me entristecem, pois sou obreiro e neto de obreiro.
Me lembro quando meu avô que era Presbítero chegava em alguma casa de Irmãos havia respeito e temor, mas agora devido a esses novos "cargos" e funções, os ministros constituidos da Igreja são relegados ao descredito.

Que Deus nos ajude e cuide de Sua Igreja.

Anônimo disse...

E seu livro vai sair qdo? Está demorando mto...

Aurelio Lisboa disse...

Amado Pastor,

Fico feliz e esperançoso que nem todos dobraram seus joelhos a este perigoso desvio (a direita) que tem trazido muitos maleficios à igreja pentecostal em nossa pátria tupiniquim.

Que a a graça e paz do Senhor continue na sua vida !

Pb. Aurelio Lisboa, Caiçara do Rio do Vento/RN

Marcelo Cardoso disse...

Pastor Ciro,os remanescentes são mui grato pela sua vida e ministério de compromiço e coragem de zelo pelas coisa do nosso Deus.Confesso que fiquei muito triste e preocupado com a partida para glória do pastor Davd Wilkerson que combatia as mesmas mazelas que assola a igreja de Deus.Porem me sinto aliviado por saber que o nosso Deus continua levantando homens e mulheres que não mudaram a mensagem das sagradas escrituras.Que o Eterno lhe concerve assim,e tantos outros que tem este compromiço com Deus.Que a paz de Cristo continue reinando em seu coração.

Xavier Campos Joaquim disse...

Muito atual esse texto pr.Ciro!
Que Deus o abençoe sempre.Que os "itinerantes" leiam esse texto.
Paz de Cristo.
Xavier Campos

Tiago Rosas disse...

Ilustre Pr. Ciro,

Saudades do senhor! Que bom que voltou, e em grande estilo (risos).

Concordo plenamente com essa abordagem. Você chega pra um sujeito desses e pergunta "o que significa conferencista?" e ele não sabe sequer o que dizer. Como diria o jornalista Boris Casoy, isto é uma vergonha!

A exemplo de Paulo deveriam se gloriar no escândalo da Cruz, não nos aplausos, nos elogios ou na pompa dos títulos. Vivem de ostentação enquanto o amor verdadeiro pelas vidas nunca lhes aqueceu a alma! Verdadeiros mercenários, barulhentos, sem real compromisso com Deus, com sua Palavra e com a igreja!

Deus nos livre deles!

Jeovane Aragão disse...

Olá Pastor Ciro que bom que o senhor voltou a publicar, gostaria de saber sua opinião à respeito da reportagem da Record sobre o cair no espírito. Paz do Senhor.

claudiopimenta disse...

pastor reconheço os verdadeiros intinerantes

mas perguntar nao ofendi !


por que os "intinerantes "so sente de ir pregar onde tem $$$$$$$$$


duvido que eles venham aqui oh

onde estamos pregando!

http://www.youtube.com/watch?v=Pahj12IOtqQ

claudiopimenta disse...

se vierem vao querer um bom cache adiantado!

FRANK BRAGA disse...

A paz Pr. Ciro como sempre continuo um leitor assíduo do seu Blog, pois, neste espaço encontro muitas coisas de valor espiritual inestimável.
Na ultima quinta feira estive lecionando no curso de teologia sobre teologia do obreiro e então surgiu um debate justamente sobre este tema e a conclusão que chegamos é que todos os aluno não concordam com o "andar da carruagem".
No mês de agosto aconteceu uma confraternização de jovens e adolescentes e para tanto convidaram um Pr. do Rio, o camarada envergonhou a classe, brigou com a liderança por causa de hotel restaurante e até por causa de motorista, pois, queria que ficasse um carro com motorista a sua disposição, resultado saiu daqui super queimado e vai ser dificil receber um convite a aqui de Ctba e região.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Cláudio,

Seu vídeo é ótimo. Já estou divulgando neste blog.

CSZ

Thiago Almeida Dias disse...

caro pr. ciro,

compreendo que o seu ministerio e uma grande manifestação do Reino contra os enganos desta epoca,
entretanto temo pela tendencia a generalizar, a exemplo:nem todos se enquadram no diagnostico esposto no artigo, paz!

Vinicius Mendes disse...

O pior.. Eles sabem que são tudo isso e não estão nem aí. Continuam fazendo pois já se acostumaram a com a vida fácil dos itinerantes.

Anônimo disse...

Paz do Senhor! Se nós inclinarmos para o lado obscuro do ministério acredito que a podridão não está só nos ditos "itinerantes", mas em todas as esferas eclesiásticas em várias facetas. Não sou itinerante, mas viajo o Brasil pregando em Congressos. Eu, por graça divina, sou pastor de igreja. Acho um absurdo ter que pagar horrores para os chamados "itinerantes" como também alguns que, se dizem Mestres, Professores, etc ligado a área do ensino e procedem da mesma forma; quem se submetem a esses caprichos, deveriam rever seu procedimento. Agora, devemos equilibrar e não generalizar como se todos fossem pilantras da fé. É pilantra da fé quem cobra e, pior ainda, julgo eu, quem paga! Pois dízimos não é para enriquecer Pregador, Pastor, seja la a hierarquia!
Abraço,
Pr.Jetúlio Luz, Th.B

PR. DANIEL BRASIL disse...

Parabens pelas colocações Pr.Ciro. Sou pastor auxiliar em uma igreja no interior do Maranhão e já coordenamos alguns congressos. Depois de muitas experienciais dolorosas tomei uma decisão, não convido mais itinerante para congressos que eu esteja coordenando. Na grande maioria eles são voltados para dinheiro, não tem compromisso com a conversão de almas, preferem que os cultos terminem com movimentos e não fazem o convite para os pecadores, são exigentes com hoteis, empresa aerea, venda de material, etc. Alem do mais pregam muitas heresias para causar admiração nos incautos. A AD é o que é hoje graças a homens pastores de igrejas, humildes, entre eles: Estevão Angelo, Alcebiades Vasconcelos, Paulo Belizario, José Pimentel, entre outros.

Preg Luciano Amin boudaye disse...

paz do senhor pastor, gosto muito dos seus textos, apenas achei que o sr geeralisou em alguns aspectos, sou um pregador itinerante egraças a Deus não tenho em mim as caractersticas expostas neste post, creio que titulo pouco importa ate porque pra ser pastor hj na a100bleia de Deus tem que se ter um bom padrinho, ser filho ou parente de algum pastor de renome, isso prq alguns que ja tem o titulo ecuidam de campos mirabulosos com entradas fatasticas temem prder espaço pros novos... infelzmete Pr. esta se perdendo o valor a chamada e cada vezmais se dando valor ao "QI" quem indica... por isso talvez que tenha se crescido tanto a quantidades de itinerates no ministerio, ja que os pulpitos de muitas das nossas igreas foram privatizados ou melhor dizendo monarquizados passando de pai pra filho e muitos destes filhos sequer chamada tem, bem como falei, graças a Deus eu nao me enqudro nessas caracteristicas que citaste, pra ser um pregador em primeiro lugar você tem que ter raiz. O maior erro dos pregadores de hoje é que eles querem começar pelos confins da terra, mas antes eles tem que passar por Jerusalém. E onde é Jerusalém? minha casa, meu vizinho, e minha igreja. Tem pregadores que até tem a chamada, mas não querem ter paciência para crescer, aprender e ter raiz. Ter humildade, ser submisso ao seu pastor. Hierarquia, disciplina, autoridade e unção não se conseguem em seminário. O apóstolo Paulo disse para tomarmos cuidado, e depois de pregar para tantos, não venhamos a perder a nossa própria salvação.

Preg Luciano Amin boudaye disse...

paz do senhor pastor, gosto muito dos seus textos, apenas achei que o sr geeralisou em alguns aspectos, sou um pregador itinerante egraças a Deus não tenho em mim as caractersticas expostas neste post, creio que titulo pouco importa ate porque pra ser pastor hj na a100bleia de Deus tem que se ter um bom padrinho, ser filho ou parente de algum pastor de renome, isso prq alguns que ja tem o titulo ecuidam de campos mirabulosos com entradas fatasticas temem prder espaço pros novos... infelzmete Pr. esta se perdendo o valor a chamada e cada vezmais se dando valor ao "QI" quem indica... por isso talvez que tenha se crescido tanto a quantidades de itinerates no ministerio, ja que os pulpitos de muitas das nossas igreas foram privatizados ou melhor dizendo monarquizados passando de pai pra filho e muitos destes filhos sequer chamada tem, bem como falei, graças a Deus eu nao me enqudro nessas caracteristicas que citaste, pra ser um pregador em primeiro lugar você tem que ter raiz. O maior erro dos pregadores de hoje é que eles querem começar pelos confins da terra, mas antes eles tem que passar por Jerusalém. E onde é Jerusalém? minha casa, meu vizinho, e minha igreja. Tem pregadores que até tem a chamada, mas não querem ter paciência para crescer, aprender e ter raiz. Ter humildade, ser submisso ao seu pastor. Hierarquia, disciplina, autoridade e unção não se conseguem em seminário. O apóstolo Paulo disse para tomarmos cuidado, e depois de pregar para tantos, não venhamos a perder a nossa própria salvação.