quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Por que Deus permitiu o 11/9?


Os conspiracionistas exploram o 11/9 para atacar os Estados Unidos. Eles contrariam as versões oficiais, a fim de convencerem os incautos de que o governo norte-americano está a serviço dos “senhores do mundo”. Mas, ao olharmos para a Bíblia, vemos que não cabe ao cristão esse tipo de julgamento calunioso.

Lembra-se da pergunta que fizeram a Jesus acerca da queda de uma torre em Siloé, a qual vitimou dezoito vidas? Qual foi a sua resposta? Ele não declarou quem era o culpado daquela tragédia, mas usou-a para advertir as pessoas de que elas precisavam se arrepender e buscar a Deus (Lc 13.2-5). Não cabe a nós acusar os Estados Unidos de terem causado a implosão das Torres Gêmeas — pois já está mais do que comprovado que elas caíram em decorrência dos aludidos atentados terroristas —, tampouco especular sobre pretensas interpretações proféticas que rodeiam o episódio.


A nossa prioridade é pregar o Evangelho a todo o mundo (At 1.7,8), e não apontar os pecados da “grande nação pecadora”. Por que essa ânsia de provar que os Estados Unidos são os causadores da catástrofe no World Trade Center? Os pregadores do terror e da conspiração gostam de apontar os supostos pecados norte-americanos. Mas, o que está escrito em 1 Coríntios 5.12,13? “Porque tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora”.


No tempo da lei mosaica, os profetas denunciavam os pecados de Israel e das nações vizinhas. Hoje, no período da graça, esse tipo de julgamento nacional pertence ao Senhor. Cabe a nós o protesto contra o pecado, mas não de maneira direcionada ou difamadora, e o julgamento dos nossos próprios pecados. Afinal, o juízo deve sempre começar “pela casa de Deus” (1 Pe 4.17; 1 Co 11.31,32).


A cidade de Nova York, famosa pela sua aparente frieza foi atingida em cheio, e uma profunda ferida foi aberta no coração coletivo. Muitas pessoas devem ter ponderado que podiam estar no lugar daquelas que, no início de um dia de trabalho, ainda saboreavam um delicioso café em um dos andares de uma das torres. Por isso, não é tempo de aterrorizar o povo de Deus com especulações infundadas e inúteis. É momento de vigiar, orar e evangelizar o mundo.


Não dê crédito aos conspiracionistas de plantão. Eles insistirão em afirmar que os illuminatis, a serviço do futuro governo do Anticristo, estão por trás dos atentados de 11 de setembro de 2001. Outros preferirão dizer que Deus castigou a “grande nação pecadora”. Mas outros expoentes — como este editor de blog — continuarão asseverando que Ele permitiu aqueles ataques terroristas para gerar um grande quebrantamento. Sim, aquela tragédia, sem dúvidas, tocou a alma de muitos estadunidenses e mudou as vidas das pessoas.


Jim Cymbala, pastor do Brooklyn Tabernacle, em Nova York, ao se referir aos dias que seguiram os atentados, afirmou: “A igreja estava repleta de gente, e, mesmo assim, o porteiro me disse que havia filas de pessoas que saíam da igreja. [...] Mais de seiscentas pessoas naquele domingo aceitaram o convite de entregar a vida ao Senhor em um ato de pura fé. [...] Ironicamente, o mal que o ódio cego e a violência suicida dos terroristas causou, Deus pode converter em bem e realizar uma grande colheita espiritual de almas. [...] não é hora de condenar e culpar. É hora de ter compaixão e, confiantes, renovar o testemunho em Jesus Cristo. Não é momento para ter medo ou fugir para algum lugar remoto e escondido” (A Graça de Deus no 11 de Setembro, Editora Vida, pp.17-25).


Ciro Sanches Zibordi

8 comentários:

Elienai Cordova disse...

Realmente muita polêmica é gerada por estudiosos e/ou meros especuladores. Mas o fato é que devemos estar sempre preparados para, caso a morte venha, sejamos dignos de encontrar com Jesus Cristo.

Elienai Cordova disse...

Realmente muita polêmica é gerada por estudiosos e/ou meros especuladores. Mas o fato é que devemos estar sempre preparados para, caso a morte venha, sejamos dignos de encontrar com Jesus Cristo.

Pastor Jesiel Padilha disse...

A explicacao e simples.Semearam guerras, invasoes. semearam o odio, estao colhendo o odio. Semearam ventos, cplherao tormentos.

veja prpadilha.blogspot.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caríssimo pastor Jesiel,

A bem da verdade, no Brasil eles semearam alguns missionários... Graças a Deus por isso!

Que Deus o abençoe, amado!

CSZ

Ciência e religião ao alcance de todos disse...

Pastor Ciro,
parece que o senhor aqui falou contra a militância do conspiracionismo, e acusações públicas... mas e quando a pessoa tem apenas uma convicção ou opinião pessoal sobre o que aconteceu, como no meu caso? Eu não fico por aí pregando pra todo mundo que foi obra dos Illuminatti, embora ache a ideia provável.

Outra coisa, independete disto, é óbvio que Deus teve um propósito no evento ocorrido. Ele sempre tem um propósito, acho que nenhum conspiracionista vai negar o que o senhor falou nesse sentido.

Abraços, Paz de Cristo.

Eliezer Carvalho disse...

Pastor Ciro o senhor assistiu a reportagem em que o governo americano assumiu a responsabilidade sobre cuma pesquisa que foi feita na guatemala na decada de 40 quando foram utilizadas cobaias humanas?O senhor tem alguma opinião sobre este assunto? Desde de já agradeço.

Ronivaldo Brandão disse...

concordo com o pastor Josiel Padilha muitas coisas que acontecem em relação ao terro é fruto da politica externa americana. se voltarmos um pouco na historia o próprio governo americano financiou, treinou e armou os talibãs para lutarem contra o exercito soviético como também ajudaram o Sadam a tomar o poder no iraque. realmente ciro, eles semearam muitos missionários aqui no brasil, tão certo que tem muita gente boa por lá levando o evangelho para reaviar aquele povo que vive na ilusão dos seus próprios umbigos do tal "sonho americano".

Tamar disse...

Por que Deus permitiu o 11/9, e por que não permitiria?

Falta por acaso pastores na América?

Deixem que John Piper, Billy Graham,David Wilkerson, John McArthur, Max Lucado, Eugene Peterson, Philip Yancey, RC Sproul e tantos outros pastores e mestres respondam essa pergunta.