sexta-feira, 24 de junho de 2011

O que acontece depois da morte?


Em Hebreus 9.27 está escrito que aos seres humanos está ordenado morrerem uma vez. Depois disso, vem o juízo. Mas isso não quer dizer que, imediatamente após a morte, as pessoas são levadas a um julgamento. O que acontece entre a morte e o Juízo Final?

Embora a vida após a morte ainda seja um mistério para nós, a Bíblia fornece-nos detalhes importantes a respeito do estado intermediário. Todas as pessoas, ao morrerem — salvas ou perdidas —, ficam sob o controle de Deus (Ec 12.7; Mt 10.28; Lc 23.46). Os salvos em Cristo são levados ao Paraíso, no Céu (Fp 1.23; 2 Co 5.8; 1 Pe 3.22). E os ímpios vão para o Hades (hb. sheol), que não é a sepultura, e sim um lugar de tormentos (Sl 139.8; Pv 15.24; Lc 16.23).


Nos tempos do Antigo Testamento, Paraíso e Hades ficavam na mesma região. Eram separados por um abismo separador intransponível (Lc 16.19-31). Ao morrer, o Senhor Jesus desceu em espírito a essa região e transportou de lá os salvos para o terceiro Céu (cf. Mt 16.18, Lc 23.43, Ef 4.8,9; 2 Co 12.1-4). Quanto aos ímpios, permanecem no Hades (uma espécie de ante-sala do Inferno), o qual não deixa de ser “um inferno”, um lugar de tormentos para a alma (Lc 16.23).


Conquanto, em algumas passagens da Bíblia, o vocábulo grego hades tenha sido traduzido para “inferno”, o Hades e o Inferno final não são o mesmo lugar. O Inferno final é chamado de Lago de Fogo (Ap 20.14,15 [gr. limnem ton puros]); de “fogo eterno” (Mt 25.41 [gr. pur to aiõnion]); de “tormento eterno” (Mt 25.46 [gr. kolasin aiõnion]); e de Geena (Mt 5.22; 10.28; Lc12.5).


Diferentemente do Hades, o Inferno final está vazio. O seu povoamento começará quando Cristo voltar em poder e grande glória e lançar o Anticristo e o Falso Profeta no Inferno (Zc 14.4; Ap 19.20). Em seguida, os condenados do Julgamento das Nações irão para “o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”, “o tormento eterno” (Mt 25.41,46). Mais tarde, será a vez do Diabo e seus anjos conhecerem o lugar para eles preparado (Ap 20.10). E, finalmente, após o Juízo Final, todos os ímpios estarão reunidos no Inferno final (Ap 20.15; 21.8).


Em Apocalipse 20.13 está escrito que o mar dará os mortos que nele há. E Jesus também afirmou que “vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz” (Jo 5.28). Onde quer que estiverem, os pecadores ressuscitarão para comparecer diante do Trono Branco. Segundo a Palavra de Deus, a morte (gr. thanatos) e o inferno (gr. hades) darão os seus mortos, os quais, após o Juízo Final, serão lançados no Lago de Fogo.


O vocábulo “morte”, em Apocalipse 20.13,14, tem sentido figurado. Trata-se de uma metonímia (figura de linguagem expressa pelo emprego da causa pelo efeito ou do símbolo pela realidade), numa alusão a todos os corpos de ímpios, oriundos de todas as partes da Terra, seja qual for a condição deles. Há pessoas cujos corpos são cremados; outras morrem em decorrência de grandes explosões, etc. Todas terão os seus corpos reconstituídos para que, em seu estado tríplice (pleno), espírito + alma + corpo (cf. 1 Ts 5.23), compareçam perante o Juiz.


Entretanto, para que os ímpios compareçam ao Juízo Final em seu estado pleno, acontecerá a reunião de espírito, alma e corpo, os quais se separam na morte. Daí a menção de que “a morte” e também “o inferno” darão os seus mortos (Ap 20.13). Aqui, “inferno” é hades, também empregado de forma metonímica. A “morte” dará o corpo. E o “Hades”, a parte que não está neste mundo físico, isto é, a alma (na verdade, alma + espírito).


Com base no que foi dito acima, podemos entender melhor a frase “a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo” (Ap 20.14). Isso denota que os corpos e as almas dos perdidos — que saíram do lugar onde estavam e foram reunidos na “segunda ressurreição”, a da condenação (Jo 5.29b) —, depois de ouvirem a sentença do Justo Juiz, serão lançados no Inferno propriamente dito, o Lago de Fogo.


Segue-se que a frase “a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo” tem uma correlação com o que Jesus disse em Mateus 10.28: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno [geena] tanto a alma como o corpo” (ARA). Ou seja, as almas (“o Hades”) e os corpos (“a morte”) serão lançados no Geena.


E quanto aos que têm morrido salvos, em Cristo? Graças a Deus, nenhuma condenação há para eles (Rm 8.1). Serão julgados também, é evidente, logo após o Arrebatamento da Igreja, mas apenas para efeito de galardão (Rm 14.10; Ap 22.12). Depois da ressurreição dos que morreram em Cristo, nunca mais haverá morte, o último inimigo a ser vencido (1 Co 15.26).


Apesar de já se encontrarem na presença de Deus, os salvos mortos em Cristo ainda não estão desfrutando do gozo pleno preparado para eles. Isso só acontecerá depois da ressurreição (1 Co 15.51). Seu estado agora é similar ao daqueles mártires que morrerão na Grande Tribulação (Ap 6.9-11). Esta passagem e a de Lucas 16.25 indicam que, no Paraíso, os salvos são consolados, repousam, estão conscientes e se lembram do que aconteceu na Terra (Ap 14.13). Contudo, após o Arrebatamento, estarão — no sentido pleno — “sempre com o Senhor” (1 Ts 4.17).


Em 1 Tessalonicenses 3.13 está escrito: “que sejais irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, com todos os seus santos”. Isso significa que os santos, de todas as épocas, que estão com o Senhor, no Paraíso, virão com Ele, no Arrebatamento da Igreja. Como assim? O espírito e a alma (ou espírito + alma) deles se juntarão aos seus corpos, na Terra, para a ressurreição, num abrir e fechar de olhos (1 Co 15.50-52).


Consolemo-nos com essas palavras (1 Ts 4.18). Aleluia! “Ora, vem, Senhor Jesus” (Ap 22.20).


Ciro Sanches Zibordi

44 comentários:

Christofer Freitas disse...

Pastor, Graça e Paz!

Primeiro parabéns pelo tópico. Sou apaixonado por escatologia e estou sempre lendo, além da Bíblia, obras que tratam do assunto. Talvez esteja errado, mas vi no Comentário Bíblico Beacon, da CPAD, referências claras ao pós-tribulacionismo, posicionamento contrário ao que a Assembléia de Deus prega. A CPAD publicando essas obras com referências ao pós-tribulacionismo não estaria semeando uma confusão doutrinária em suas publicações?

Obrigado!

Luciano de Paula Lourenço disse...

Perfeita interpretação, pastor Ciro! Ela é genuinamente biblicocêntrica. Há se todos os filhos de Deus entendessem como a glória do Porvir, garantida por Jesus nosso Senhor e Salvador(Cf João 14:1-3), não trocariam a gloriosa esperança por nada desta vida, nem se conformaria com as efemeridades deste mundo. Esta maravilhosa esperança nos faz continuamente alegres(virtude do fruto do Espírito –Gl 5:22), e proporciona em cada coração piedoso uma profunda paz e segurança. É esta a diferença entre os que sevem e os que não servem a Deus(Mq 3:18).
Brevemente estaremos com o “leão”(seu pai) em pleno gozo eterno, junto com o Cordeiro(Jesus).
Deus o abençoe sempre!
Luciano

Gilmar Valverde disse...

Caro Pr. Ciro,

A paz do Senhor.

Uma coisa que não consigo entender é que se os homens estão ordenados a morrerem apenas uma vez, como fica os casos de ressurreição na Bíblia, como os de Tabita e Êutico no livro de Atos dos Apóstolos, e os relatados por supostos avivalistas nos nossos dias. (Usei a palavra "supostos" por não conhecê-los bem, além disso, se de fato as pessoas que eles falaram ressuscitaram, então deveria haver uma repercussão nacional desses acontecimentos, não acha?)

Se o Sr. puder me responder, eu agradeço.

Em Cristo,

Gilmar

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Gilmar Valverde,

A paz do Senhor.

Aconselho o irmão a estudar bem a rainha das matérias teologais: a Teologia Sistemática. Todas as doutrinas teológicas se intercambiam, desembocando na Escatologia.

Sem uma boa base em Teologia Sistemática, fica difícil entender a doutrina das últimas coisas. Ressurreições como milagres isolados não podem ser confundidas com a ressurreição que se dará por ocasião do Arrebatamento da Igreja. São coisas muito distintas.

Em que sentido os homens estão ordenados morrer uma só vez? É evidente que uma ressurreição, um milagre como o caso de Lázaro (Jo 11), é uma exceção. Deve-se distinguir a ressurreição para morrer de novo (caso de Lázaro e outros mencionados pelo irmão) da ressurreição final, para nunca mais ver a morte. Lázaro, Dorcas e Éutico morreram de novo. E ressuscitarão de modo definitivo, um dia.

O irmão precisa fazer um estudo mais aprofundado, considerando a analogia da Bíblia.

Em Cristo,

CSZ

Alex da Silva- Santos/SP disse...

A Paz do Senhor Pr. Ciro, quero deixar meus sinceros parabéns por mais uma Pérola de conhecimento, estes estudos tem sido excelente, de valor incalculavel para o meu crescimento bíblico e espiritual. Deus seja louvado!!!
Aproveitando o "gancho", gostaria de perguntar ao senhor sobre o anticristo, ele aparecera antes ou depois do arrebatamento da igreja?
Fiquei com uma certa dúvida referente ao texto de 2Ts 2:3 e 4. Se o irmão puder me ajudar ficarei muito feliz.
Que Deus continue o abençoando...

Matheus Carrel disse...

Olá pastor Ciro tdb?
Muito boa explicação. Concordo com tudo o que você disse. No entanto, ainda dentro desse assunto de inferno, não consegui uma resposta pra essas duas perguntas. Você poderia me ajudar?
.
A) A Bíblia diz que o Hades será lançado no lago de fogo e enxofre(Geena)(Apoc 20:14). Mas aonde está escrito que o Tártaro também será lançado lá ?

B) A Bíblia também fala de um lugar chamado ´´abismo´´ que pelo contexto cheguei a conclusão ser o Tártaro. Veja o meu raciocínio:
--- A palavra ´´abismo´´ aparece em Lucas 8:31. Veja que os demônios estavam clamando para que não fossem lançado no abismo,mas que pudessem entrar nos porcos. Jesus então permitiu, e os demônios entraram nos porcos e depois se lançaram no precipício, ficando assim livre do abismo, do qual eles temiam.
--- Veja que em Apocalipse 9:1-5 fala de anjos que vão sair do abismo, ou seja, na grande tribulação os anjos que estão presos no Tártaro(abismo) vão ser soltos.
Então de acordo com Apocalipse 20:1, satanás será preso por mil anos no abismo( tártaro). Mas nessa ocasião os anjos caidos que estão no abismo( 2 Pe 2:4) já estarão soltos na grande tribulação de acordo com Apocalipse 9:1-5 e satanás ficará sozinho no tártaro por 1000 anos.
Após ser solto ele será lançado no Geena ( apocalipse 20:10, 14).
Provavelmente esse ´´abismo´´ só pode estar se referindo ao ´´tártaro´´.
Está certo meu raciocínio?
.
Obrigado !!!
Fique com Deus !!!
T++

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Matheus,

O que deve ficar claro para nós é o seguinte: há anjos decaídos que foram aprisionados por Deus. Isso é mencionado em Judas (único escritor que cita o termo "tartaroo" literalmente) e nas Epístolas de Pedro.

Por que o irmão quer saber se há um texto específico que diga que o Tártaro será lançado no Lago de Fogo? Não entendi a sua pergunta.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Alex da Silva,

O Anticristo em pessoa aparecerá somente depois do Arrebatamento da Igreja. Já escrevi neste blog um texto sobre isso. Peço-lhe que verififique em [PESQUISAR NESTE BLOG].

Um abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Christofer,

Talvez o irmão esteja se referindo a Wycliffe, e não a Beacon. A CPAD, há algum tempo, vem lançando obras de interesse geral. Mas as Assembleias de Deus, historicamente, sempre esposaram o pré-milenarismo pré-tribulacionista (vide Stanley M. Horton, Eurico Bergstén, Antonio Gilberto, Abraão de Almeida, etc.), por considerar que essa escola é a que está de acordo com as Escrituras.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão e amigo Luciano,

Sem palavras... Sinto muitas saudades do "velho leão". Mas, em breve, estaremos todos juntos...

Maranata!

CSZ

Matheus Carrel disse...

A Bíblia fala que o Hades será lançado no lado de fogo, mas daí fiquei pensando o porque ela não diz que o tártaro também será lançado lá. Eu creio que ele será, mas não acho respaldo bíblico para isso. Vc sabe se há algo que posso nos levar a pensar assim?
Eu sei que os anjos caídos estão no tártaro, e é por isso que cheguei a conclusão de que esse ´´abismo´´ nas passagens de Lucas 8:31, Apocalipse 9:1 e Apocalipse 20:1 só pode se referir ao tártaro mesmo, pois esse anjos caídos que estão lá até hoje terão um papel atuante na grande tribulação, e com isso esses anjos presos no tártaro serão soltos da grande tribulação (apocalipse 9:1-5).Não tem muita lógica pensar que eles vão ficar lá pra sempre sem um papel a desempenhar.
Sendo assim satanás ficará preso no Tartaro por 1000 anos,já que ele será preso no abismo(Apocalipse20:1) se esse raciocinio estiver correto.
.
Obrigado !!!

Tiago Pereira disse...

Caro Pr. Ciro,

A paz de Cristo.

Como assim o terceiro céu é uma anti-sala do céu definitivo, final.
Quer dizer então que há um quarto céu ?
Os mortos q/ estão em Cristo no Paraiso( terceiro céu) vão pra outro lugar depois? Mas não são só 3 céus? Não entendi isso direito..

Em Cristo,Tiago.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Matheus,

É possível que o Tártaro e o abismo onde Satanás será preso sejam o mesmo local. Mas não temos como afirmar isso com total segurança. Uma coisa é certa: chegará o momento em que o Diabo e suas hostes estarão TODOS reunidos no mesmo lugar, isto é, o Lago de Fogo.

Além de Judas v.6, que menciona claramente a condenação eterna dos anjos decaídos, em Apocalipse 20.10 está escrito: "O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos".

Em Cristo,

CSZ

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

Viu pastor Ciro:
Como eu disse,não querendo desfazer de ninguém mas, poucos crentes dominam esses assuntos que fazem parte das doutrinas básicas das fé cristã. Que Deus o continue a inspira-ló a escrever sobre esses temas no seu blog, em tempos de tanta confusão doutrinaria.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Tiago,

A paz do Senhor.

Primeiro: Como assim anti-sala? Eu disse ante-sala. São duas coisas bem diferentes.

Segundo, eu disse: "uma espécie de ante-sala". Ou seja, empreguei uma analogia, pois a morte implica separação entre o corpo e a parte espiritual (espírito+alma). E o salvo morto em Cristo está no Paraíso apenas na condição espírito+alma. A transformação ocorrerá quando o salvo estiver na condição espírito+alma+corpo.

Portanto, o salvo, na glória, ainda não está na sua condição plena. Caso contrário, não haveria necessidade de ressurreição para a transformação do ser total: espírito+alma+corpo (Fp 3.21; 1 Co 50ss).

Em Cristo,

CSZ

Matheus Carrel disse...

Eu tb penso que seja bem possível que esse abismo seja o tártaro comparando todas as passagens em que a palavra ´´abismo´´ ocorre . Ao pensar nisso todo aquele raciocínio que formulei na primeira pergunta fica coerente e achei que fica até com sentido pensar dessa forma. Se você tiver algum livro que fale mais sobre esse ´´abismo´´, gostaria que você me dissesse se alguns teólogos também relacionam esse abismo com o tártaro. Não consegui achar nada sobre isso nem nas minhas bíblias de estudo.
Mas isso são apenas especulações.... eu creio também que o Tártaro também será lançado no lago de fogo, embora a Bíblia não diga isso, mas diga que tudo o que e mal será destruído ---porquê será que a Bíblia não foi mais clara nesse assunto e nos faz quebrar a cabeça rsrsrsrsrsrs.
.
Não vejo a hora de ler o seu livro novo !!!
Fique com Deus.
T++

Ciro Sanches Zibordi disse...

Matheus,

Sinceramente, há coisas em que não há necessidade de quebrarmos tanto a cabeça. O fim já foi revelado: o Diabo e suas hostes estarão reunidas no Lago de Fogo, quando chegar o tempo.

Quanto ao novo livro, em razão das dificuldades que estou enfrentando (falecimento do meu pai, etc.), vai demorar um pouquinho mais para ser concluído. Mas Deus está no controle de tudo.

Sugiro que o irmão leia os livros escatológicos de Stanley M. Horton lançados pela CPAD.

Um abraço.

CSZ

Tiago Pereira disse...

Prezado, Pr. Ciro,

A paz de Cristo novamente !!!
Realmente é ante- sala e não anti- sala.
Eu entendi a sua analogia. Mas não entendi isso de céu definitivo, final.
Quer dizer que o terceiro céu(paraiso) deixará de existir e haverá um novo céu definitivo quando o salvo estiver na condição ´´espírito +alma+corpo´´ ?

Em Cristo,Tiago.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Tiago,

Pense em estado, condição, e não em lugar. Quem está no Terceiro Céu, hoje, no Paraíso, está na condição "espírito+alma", e não na condição "espírito+alma+corpo".

Quando houver a ressurreição, o "espírito+alma" dos salvos se reuniá ao corpo. E, então, os salvos transformados entrarão no Céu para desfrutar o gozo a eles preparado em sua plenitude. Isso não quer dizer que haja um Quarto Céu.

Em Cristo,

CSZ

Matheus Carrel disse...

Comprei o livro ´´ Apocalipse - as coisas que brevemente devem acontecer - do Stanley horton num sebo antigo, pois pela CPAD está esgotado.
Estou estudando por ele e pelo seu livro Teologia sistemática onde você explica sobre o Apocalipse.
Realmente esse assunto de escatolgia eu só confio estudar por livro seu e livros que você indica, porque já vi vários pastores ensinarem e escreverem coisas erradas sobre isso.
.
Mas Deus está no controle de tudo e logo seu livro já estará pronto nas lojas para beneficiar os cristãos. E creio ainda que mais livros seus virão no futuro.
.
Fique com Deus !!!
Um abraço !!
T++

Tiago Pereira disse...

Prezado pastor Ciro.

Então após a ressurreição, o espírito + alma + corpo estarão também no terceiro céu(paraíso) só que em outra condição? Os salvos transformados entrarão no Céu ( no paraíso, terceiro céu) aonde antes estavam na condição de espírito+ alma.
Eu fiz essa confusão porque quando li ´´novo céu, definitivo´´ me deu a impressão de algo novo surgido naquele momento.
......
Não sei se vc tem Orkut,mas várias comunidades de Orkut católicas que graças a Deus lêem o seu blog, pegaram uma frase sua e copiaram e colaram até com sua foto onde eles afirma que vc é a favor da intercessão dos santos, apenas porque vc disse que os salvos em Cristo estão conscientes e se lembram do que aconteceu na terra.
Essa é apenas uma das comunidades. Veja o link onde recortaram a sua explicação do seu blog e sublinharam em negrito o que vc disse: http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=30891250&tid=5568061384366887689&kw=pastor+diz+que+santos

Em Cristo, Tiago.

FRANCISCOSERVO disse...

PASTOR CIRO GOTARIA DE CONHECE-LO MELHOR.

Luis Augusto Meneguel disse...

Pastor,a paz de Cristo !!!!
Aonde ficam o Hades, o tartaro e o inferno..ficam os 3 embaixo da terra mesmo? ou são regiões que ficam no céu conforme diz o livro apocrifo ´´ os segredos de Enoque´´.
.
Deus te abençõe !!!!

Marcos Andre - Professor disse...

A paz do Senhor pastor Ciro, que profundidade, valeu apena para uns minutinhos para ler essa interessante exposição sobre a morte, vou salvar esse blog nos meus favoritos para estar sempre por aqui. Vou deixar abaixo o endereço do meu, se o senhor estiver algum tempo, me visita lá e diz o que achou. Graça e Paz.

Marcos André – Professor
CLUBE DA TEOLOGIA
http://marcosandreclubdateologia.blogspot.com/

Paulo Cezar disse...

Prezado Pr.Ciro, gostaria de lhe sugerir um tema, que acredito, seria muito oportuno, além de esclarecedor:

"O CRISTÃO/CRENTE (VERDADEIRO)E AS FESTAS JUNINAS (JULINAS, ETC)".

Não sei qual é a sua opinião sobre esse tema, mas, confesso que estou curioso e ansioso para saber o que o Pr. pensa sobre isso. Particularmente, pelo pouco que conheço da Bíblia, sou contra.

Em Cristo.

Paulo Cezar
Porto Nacional - TO

Sanlopes disse...

OLA PASTOR CIRO, A PAZ DO SENHOR JESUS.EU TENHO UMA VISAO DIFERENTE EM RELACAO A PASAGEM DE APOC 20;13,14.CREIO QUE A MORTE E UM SER ESPIRITUAL.QUE DEPOIS DE PRESTA CONTA DE SEUS MORTOS,SERA LANCADO NO LAGO DE FOGO.CREIO TAMBEM SER O HADES UMA REGIAO ESPIRITUAL QUE DEPOIS DE PRESTAR CONTAS DAQUELES QUE ESTAO LA.TAMBEM SERA LANCADO NO LAGO DE FOGO.

Ciência e religião ao alcance de todos disse...

Olá, pastor Ciro,
acompanho seu blog há um bom tempo e gosto muito de algumas postagens. Estou atualmente fazendo um estudo sobre o que realmente a Bíblia diz sobre o inferno, analisando criticamente todas as visões cristãs diferentes sobre o assunto, e o material que você postou será de grande utilidade para mim.

Abraços, Paz de Cristo :)

Fábio Santos disse...

Pr. Ciro,

Publico aqui (com a sua permissão é claro) um estudo interessante sobre a parábola do rico e Lázaro (Lc. 16:19-31), já que o sr. usa diversos textos desta ilustração para fundamentar o suposto lugar de tormentos ou "ante-sala do inferno". Depois falarei mais sobre alguns pontos que foram colocados neste post (claro, com a sua permissão). Segue abaixo o estudo esclarecedor sobre o relato fictício do rico e Lázaro:

"O assunto da parábola do rico e Lázaro é questionada por muitas pessoas. Portanto, devemos entender corretamente o que Cristo quis ensinar através dela. Esse era um método muito utilizado por Jesus para transmitir as verdades eternas de maneira simples e natural, já que as parábolas eram perfeitamente adaptáveis à mentalidade do povo judeu.

O que é uma Parábola?
Para a boa compreensão deste assunto é necessário saber o que esse termo significa. A palavra parábola provém do vocábulo grego “parabolê”, que literalmente significa, “colocar ou atirar ao lado”, mas que hoje significa “comparação ou ilustração”, visando ensinar-nos uma verdade. Em outras palavras, é o emprego de circunstâncias comuns do dia-a-dia para ilustrar verdades religiosas.
De acordo com o dicionário, parábola é uma narrativa alegórica que transmite uma mensagem indireta por meio de comparação ou analogia. Notemos bem que sendo uma alegoria, não pode ser real ou literal.

Fábio Santos disse...

Propósito das Parábolas

Este método foi usado por Jesus por ser mais fácil através dele fixar na memória uma verdade, do que por outros processos didáticos. Por ser mais eficiente esse ensino, as mais profundas mensagens religiosas foram expressas em linguagem parabólica.

A Parábo1a do Rico e Lázaro e Sua Interpretação

Essa parábola foi relatada apenas pelo evangelista Lucas nos versos 19 a 31 do capitulo 16.
Dentre as parábolas relatadas por Cristo nenhuma tem sido tão mal interpretada e compreendida como a do Rico e Lázaro. Há muitos que a ela se apegam para provar uma doutrina contrária ao contexto geral da Bíblia — A Imortalidade da Alma.
Sendo que o ministério público de Jesus estava chegando ao seu término, ele lançou, motivado pelo amor, os últimos apelos aos publicanos e pecadores para que todos aceitassem a salvação que lhes estava sendo oferecida.
Os escribas e fariseus o criticavam por sua atitude (Lucas 15:2). Nessas circunstâncias, Cristo relata uma série de parábolas culminando com a do rico e Lázaro. A primeira delas é a da ovelha perdida, segue-se a da moeda perdida, depois a do Filho Pródigo e então a do administrador infiel.
O ponto culminante das três primeiras parábolas é o mesmo, a grande alegria pela recuperação do que se havia perdido.
Com o propósito de impressionar aquelas pessoas, o Mestre narra a parábola do mordomo infiel, cuja atitude astuciosa, fraudulenta e sagaz é condenada pelo Mestre. Mesmo reprovando o procedimento desse homem, dele Cristo tira uma útil lição. Jesus aprovou a sabedoria com que ele agiu, mas não o seu método. Cristo jamais aprovaria a desonestidade, o objetivo da parábola não é esse. O objetivo da parábola é claro em Lucas 16:8. “Até mesmo o ímpio toma providências para seu futuro terrestre; quanto mais importante é que o filho de Deus tome em conta a vida por vir. Os filhos do mundo são mais hábeis na sua própria geração do que os filhos da luz.”
Completando a 1ição dada pela parábola desse mordomo, Cristo lhes relata outra relacionada com a necessidade de se estar preparado para o dia da morte, essa é a do rico e Lázaro. Ela foi dada por causa dos fariseus que eram avarentos, e não faziam provisão para o futuro, isto é, para a vida eterna (Lucas 16:14). Pelo fato da vida deles estar centralizada no dinheiro, Cristo queria lhes mostrar o que acontece ao homem quando ele não se prepara para a vida eterna.
Jesus não estava discutindo o estado do homem na morte, nem tão pouco o tempo em que o galardão lhe seria dado. Ele apenas estava fazendo uma clara distinção entre esta vida e a próxima.

Fábio Santos disse...

Pode Uma Parábola Ser ao Mesmo Tempo Literal e Figurada?

Nessa parábola se encontra a figura literária denominada prosopopéia, por intermédio da qual damos ação, movimento ou voz as coisas inanimadas e que faz falar as pessoas ausentes e até os mortos.
Se esse relato fosse literal, teríamos que admitir esses absurdos.
Se são almas desencarnadas como explicar que têm dedos e língua? Se tinham dedos e língua deviam também ter mãos, cabeça. Se falavam e ouviam tinham os órgãos da fala e os auditivos. Se possuíam as partes do corpo então não eram almas.
O relato declara que eles estavam na sepultura (22), logo não podiam estar no céu e no inferno.
Se não eram almas e não eram corpos, se haviam morrido e foram sepultados e estavam conversando, só poderiam fazer em alegoria, como as árvores de Juizes 9, onde lemos:
“Foram uma vez as árvores a ungir para si um rei; e disseram...”
Todos se convencem diante deste relato, que há aqui uma figura e não fatos reais.

Por Que Não Aceitamos Essa Parábola Como Uma Descrição Real?

As declarações bíblicas são bastante convincentes em nos mostrar que os mortos, quer justos, quer ímpios, descansam inconscientes na sepultura até o dia da ressurreição. Destacam-se: Jó 14:12-15, 20 e 21; 17:13; Sal. 6:5; 115:17; Eclesiastes 9:3,6; Isaías 38:18.
Em São Mateus 25:31-41 o próprio Cristo nos indica o tempo em que os justos serão recompensados e os ímpios castigados: “E quando o Filho do homem vier em Sua glória Ele dirá aos que estiverem à sua direita: Vinde benditos de Meu Pai, possuí por herança o reino.., e aos que estiverem à Sua esquerda: Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno.”
A interpretação literal da parábola dá a recompensa ao rico e a Lázaro no dia da morte, porém, as declarações bíblicas são estas:
“Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo para dar a cada um segundo a Sua obra”.Apoc. 22:12.
“Recompensado te será na ressurreição dos justos.” Lucas 14:14.
Sendo uma alegoria, os personagens não podem ser reais. Por isso, cremos que nem o rico nem Lázaro existiram. Se a declaração fosse real, nela não haveria idéias pagãs, conceitos da tradição talmúdica e metáforas judaicas.
A Bíblia não descreve um Céu onde os justos são vistos pelos ímpios e nem um inferno de onde os perversos contemplam os justos e com eles mantêm conversação. No além não haverá lembranças das ações desta vida: “Não haverá lembranças das coisas passadas, sem mais se recordarão.” Isaías 65:17.

Fábio Santos disse...

Que Lições Nos Ensinam Essa Parábola?

1ª) A primeira e grande lição que ela nos ensina é esta: Nesta vida temos a única oportunidade de preparar-nos para a vida do além.
O ensino bíblico é de uma clareza meridiana em nos esclarecer de que não haverá segunda oportunidade para ninguém após a morte. Quando essa vier, tudo estará definido. Ninguém poderá passar para o outro lado. É nesta vida que formamos o caráter que nos qualificará para a vida por vir.
2ª) A segunda destacada lição pode ser assim sintetizada:
Os judeus criam que a riqueza era um sinal da bênção de Deus e a pobreza indício do seu desagrado. Cristo lhes mostrou que esse conceito era errado. A Bíblia nos ensina que os ricos têm a obrigação de gastar o seu dinheiro não de acordo com os ditames da sua consciência, mas em conformidade com o desprendimento ensinado por Cristo. A parábola ensina a lição: os ricos avarentos não herdarão a vida eterna.
Deve-se ter bem em mente que o rico da parábola não foi condenado por ser rico, mas por ser egoísta. O mendigo também não foi salvo por ser pobre ou por causa dos seus sofrimentos.
3ª) A parábola não visa revelar-nos o que acontece após a morte, mas enfatizar mais una vez que as revelações dadas por Deus na sua Palavra são suficientes para nos conduzir à salvação.
Cristo com esta declaração estabeleceu uma dupla salvaguarda:
a) Moisés e os profetas seriam os guias seguros para os vivos, concernentes ao seu destino, apos a morte.
b) Ensinou-nos ainda que a única maneira de alguém voltar dentre os mortos é através da ressurreição.
Antes de concluirmos este comentário, não seria demais lembrar de uma declaração unânime de teólogos e comentaristas: jamais poderemos alicerçar doutrinas bíblicas numa parábola ou alegoria."

Deus lhe ilumine.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Fabio Santos,

A afirmação de que a história de rico e Lázaro é ficcional é totalmente infundada. Trata-se de um erro dos editores que eles mesmos reconheceram. Veja se as versões de Almeida mais recentes, como a ARA, usam o epígrafe "A parábola de rico e Lázaro". Os próprios eruditos e tradutores da Almeida, como Antonio Gilberto, que faz parte da Sociedade Bíblica do Brasil e da Global University, em Springfield, afirmam que "Rico e Lázaro" é uma HISTÓRIA, e não uma parábola.

Conheço, modéstia à parte, o texto em apreço. E deixo aqui uma sugestão ao irmão: pesquise melhor o verbo "haver", no original. O irmão verá que o modo como ele foi empregado em Lucas 16.19 denota que o tal rico realmente existiu.

Outrossim, em parábolas não há a necessidade de citação de nomes, pois se trata de uma analogia. Mas o Senhor Jesus fez questão de mencionar o nome de Lázaro várias vezes. Ele não disse "Havia um homem". Ele disse: "certo mendigo, chamado Lázaro".

Bem, em razão do seu longo comentário, citando versículos que supostamente abonam a falaciosa doutrina do sono da alma, terei de fazer uma postagem, a fim de responder ao irmão e a muitos que me perguntam sobre o assunto. Respostas muito longas aqui não serão muito produtivas. Por isso, espero que, com a postagem que escreverei, quando possível, o irmão, sendo iluminado pelo Espírito, encontre a verdade.

Em Cristo,

CSZ

Anônimo disse...

muito bem explicado fabio santos, vale ressaltar que os dicionarios bíblicos publicados pela CPAD não dão aos termos sheol e hades o significado como região de tormento, é a doutrina no aniquilacionismo é ensinada por evangélicos como john stott, clarc pinock, john wenham,william tindalle,william temple dentre outros.andré

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caros internautas,

Como não poderei escrever com muita rapidez um texto sobre a doutrina do sono da alma, visto que estou retomando os meus trabalhos editoriais (depois de grandes provações: morte de meu pai, etc.), indico a todos o seguinte link:

http://www.cacp.org.br/adventismo/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=33&menu=1&submenu=4

Trata-se de um bom estudo sobre o assunto em questão.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro André (anônimo),

Você está equivocado, com todo o respeito. As obras da CPAD definem claramente o Hades/Sheol. E nunca definem tais termos como "sepultura". O irmão nunca estudou nas Lições Bíblicas, por exemplo?

Como o irmão citou dicionário, vou apenas mencionar VINE, que é um dicionário exegético; ou seja, trata-se de uma obra voltada à significação original dos termos.

No DICIONÁRIO VINE, publicado pela CPAD, na página 689, está escrito: "HADES [...] 'a região dos espíritos dos perdidos que morreram' (mas incluindo os santos mortos em períodos precedentes à ascensão de Cristo). [...] Corresponde ao 'sheol' no Antigo Testamento".

VINE prossegue: "É lamentável quando traduzido por 'inferno' (por exemplo: Sl 16.10); ou 'sepultura' (por exemplo, Gn 37.35); ou 'sepulcro' (Nm 16.30,33). [...] NUNCA DENOTA SEPULTURA, nem é a região permanente dos perdidos [...]" (grifos deste editor de blog).

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Sanlopes,

Com todo o respeito, não basta ter uma visão diferente. É preciso fazer uma exegese, a fim de extrair do texto o seu sentido correto. Nesse caso, devemos procurar entender o sentido do termo à luz do contexto imediato e remoto, visto que as Escrituras são análogas.

Não há base contextual para afirmar que a morte, em Apocalipse 20, seja um ser espiritual. Afirmar isso é forçar o texto a dizer o que não diz.

Em Cristo,

CSZ

Caio disse...

Pastor Ciro, gostei do post; mas, tenho uma dúvida: no caso, as pessoas que não morreram em Cristo terão a mesma condenação do Diabo e seus anjos? Porque se entendi bem, o tormento eterno é válido para todos esses. Mas, acho meio "injusto". Como pode haver punição semelhante para o maior inimigo de Deus e sua igreja e os ímpios?

Tatiana. disse...

Paz, pastor Ciro!

Os salvos em Cristo estão conscientes e se lembram do que aconteceu na terra? Como assim? Ao se lembrarem do que aconteceu aqui, na terra, não estariam eles sofrendo, lá?

Claro, isso é apenas uma dúvida, se puder me esclarecer, ficarei grata!

Desde já, obrigada e que Deus continue consolando sua família.

Um abraço!

Fábio Santos disse...

Pr. Ciro,

Preste atenção no início destas parábolas:

Filho pródigo
"E disse: Um certo homem..." Lc. 15:11

Mordomo infiel
"E dizia também aos discípulos: Havia um certo homem rico..." Lc. 16:1

Juiz iníquo
"dizendo: Havia numa cidade certo juiz..." Lc. 18:2

Rico e Lázaro
"Ora, havia um homem rico..." Lc. 16:19
"Havia também um certo mendigo..." Lc. 16:20

O fato de Jesus ter atribuído um nome ao personagem não o torna obrigatoriamente real. Compare-se os textos iniciais de cada parábola mencionada acima, e percebe-se nitidamente que todas tem a mesma estruturação textual.

O mais grave ainda é que, se acreditarmos que esta estória deve ser interpretada literalmente, surgem assim diversas incoerências como as descritas abaixo:

1. Se a parábola do rico e Lázaro deve ser entendida literalmente (cf. Luc. 16:20-31), então o inferno e o céu são tão próximos que as pessoas (salvos e perdidos) terão contato entre si durante a eternidade?

2. Como a eternidade seria um local de gozo e paz eternas (cf. 1Cor. 2:9), se continuássemos mantendo este contato macabro com nossos parentes, filhos, pais, amigos, vizinhos, etc., que não se salvarem e que nos procurarem constantemente para lhes "molhar a língua"?

3. Se as pessoas que morreram em Cristo já estão no céu (como os que defendem o inferno afirmam), então qual a necessidade da ressurreição (cf. João 5:29)? Por que elas precisariam deixar o céu, voltar para o corpo sepultado, ressuscitar e novamente retornar para o céu? Será que é por causa deste "dilema doutrinário", impossível de ser resolvido, que não se vê muita pregação sobre a ressurreição nas igrejas cristãs que crêem no estado consciente dos mortos?

Fábio Santos disse...

4. Se já recebemos a recompensa logo por ocasião da morte, como será que Lázaro, irmão de Marta e Maria, deve ter se sentido depois que Jesus o ressuscitou (cf. João 11)? Então ele foi chamado de volta para este mundo de pecado e sujeiras depois de ter experimentado 4 dias de "glória" no Céu. Percebe o absurdo de se crer no paganismo grego?! Prefiro ficar com a Bíblia!

5. Se a Bíblia é claríssima em dizer que os mortos não sentem, nem sabem nada (cf. Ecles. 9:5-6), como, então, alguém pode defender que os mortos sofrerão atormentados pelos pecados dos quais não se arrependeram? Como harmonizar o que a Bíblia diz nestes versos com o ensino baseado na parábola de Lucas 16? Se os mortos não sabem mais nada, como que o "rico" da parábola estava tão preocupado com seus parentes? Mais uma vez, prefiro ficar com a Bíblia, e crer na morte como um "sono" (cf. Jo 11:11-14), afinal parábola é parábola e não se deve interpretá-la literalmente!

Se o sr. tiver respostas claras e diretas referente a estas questões, por favor apresente-as.

"Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol." Ec. 9:5 e 6

Fiquem em paz.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Fabio,

Seus comentários são muito longos, do tipo Control+C e Control+V. Fica difícil responder ponto por ponto. Por isso, e considerando que há outros adventistas me questionando, fiz uma nova postagem. Confira, por favor.

CSZ

Vandim disse...

Bem definiu o texto contra T e V.
Parábola é "um método utilizado transmitir as verdades eternas de maneira simples e natural".
Se a história do Rico e Lazaro é uma parábola e não existe estado intermediário, ela foi utilizada para transmitir mentira e não verdades.

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor!

É correto afirma isso?

Ágabo, uma profecia com dois pequenos erros

http://www.ensinodominical.com.br/agabo-uma-profecia-com-dois-pequenos-erros/

Espero que o senhor responda com um artigo, se achar necessário.

Jean Patrik

Tatiana. disse...

Pastor, queria tanto que o senhor me respondesse meu comentário...

Um abraço!