sexta-feira, 22 de abril de 2011

Aos crentes que não gostam de hierarquia nas igrejas


Aumenta a cada dia o número de crentes que não se sujeitam aos líderes e pensam que estão certos. Não respeitam pastores, verberam contra a liderança e afirmam que só devem obediência a Deus. “Igreja não é quartel general”, argumentam. E, generalizando, chamam qualquer liderança firme, segura, de coronelista.


Entretanto, vemos na Bíblia que o próprio Deus prioriza e hierarquiza. Ele — que podia ter formado todas as coisas com uma única palavra — fez questão de formar tudo a seu tempo, dia a dia (Gn 1). O Senhor também pôs em ordem as tribos de Israel (Nm 2), pois o nosso Deus é um Deus de ordem (1 Co 14.40).

De acordo com 1 Coríntios 12.28, há uma hierarquização dos dons e ministérios — estabelecida por Deus, é evidente. Ela existe, não para que um portador de certo dom e ministério se considere superior aos outros, e sim para que haja ordem na casa do Senhor.

Deus pôs na igreja “primeiramente apóstolos” (1 Co 12.28; Ef 4.11). Existem apóstolos hoje? Sim! Mas é claro que há também pseudo-apóstolos, que propagam muitas “apostolices”. Quem são os apóstolos do Senhor, então? São homens de Deus, enviados por Ele, com grande autoridade, e não autoritarismo. Eles formam a liderança maior da igreja, independentemente dos títulos empregados pelas denominações (pastores-presidentes, bispos, reverendos, pastores, presbíteros, etc.).

É importante não confundir títulos com ministérios e dons. Estes vêm do Espírito Santo, enquanto os títulos são recebidos dos homens. Na Assembleia de Deus, por exemplo, não existe o título de apóstolo. Mas isso não significa que não exista o ministério apostólico. Este, segundo a Bíblia, perdurará “até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (Ef 4.13).

O texto de 1 Coríntios 12.28 afirma, ainda, que Deus pôs na igreja “em segundo lugar, profetas”, mencionados — na mesma posição, depois dos apóstolos — em Efésios 4.11. Não confunda esses profetas com os crentes que falam em profecia nos cultos, também chamados de profetas em 1 Coríntios 14.29. O ministério profético neotestamentário é formado por pregadores (pregadores, mesmo!) da Palavra de Deus, portadores de mensagens proféticas.

Em seguida, a Palavra do Senhor, em 1 Coríntios 12.28, assevera: “em terceiro, doutores”. Veja como essa hierarquização ocorria na igreja de Antioquia da Síria: “havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo” (At 13.1). Nesse caso, os doutores, que atuam juntamente com os profetas, são ensinadores da Palavra de Deus.

Há casos, como o de Paulo, em que três ou dois dos ministérios mencionados (apóstolo, profeta e doutor) se intercambiam (1 Tm 2.7). Os ministérios de pastor e evangelista certamente fazem parte dos três escalões mencionados em 1 Coríntios 12.28, posto que são títulos relacionados com a liderança maior da igreja.

Finalmente, em 1 Coríntios 12.28, está escrito: “depois, milagres, depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas”. Milagres só vêm depois de apóstolos, profetas e doutores? Isso mesmo. Na hierarquização feita por Deus, o ministério da Palavra é mais prioritário que os milagres, haja vista serem estes o efeito da pregação do Evangelho (Mc 16.17). Observe que João Batista foi considerado por Jesus o maior profeta dentre os nascidos de mulher, mesmo sem ter realizado sinal algum (Jo 10.41).

Se não houver hierarquia nas igrejas, para que servirão os cargos e funções? Qualquer pessoa, dizendo-se usada por Deus, poderá mandar no pastor. Aliás, isso estava acontecendo na igreja de Tiatira, e o próprio Senhor Jesus repreendeu o obreiro frouxo que não estava exercendo a liderança que recebera do Senhor (Ap 2.20).

Deus é Deus de ordem! O princípio divino da hierarquização aparece em várias outras passagens neotestamentárias. Em 1 Coríntios 14.26, vemos que, no culto coletivo a Deus, deve haver ordem. Quanto à ressurreição, está escrito: “Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda” (1 Co 15.23). E, no Arrebatamento, tal princípio também será aplicado: “os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens” (1 Ts 4.17).

Em 1 Tessalonicenses 5.23, vemos que Deus prioriza o espírito, na santificação. Muitos pregadores têm dito: “Deus nos quer por inteiro: corpo, alma e espírito”. Mas a Bíblia afirma: “e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Essa ordem mostra que a obra santificadora do Espírito Santo ocorre de dentro para fora, e não de fora para dentro.

O apóstolo Paulo também parabenizou os crentes da cidade de Colossos porque naquela igreja havia ordem (Cl 2.5). E ordem também significa respeitar a hierarquia! Afinal, os ministérios não são invenção humana. Eles foram dados por Deus para edificação do Corpo de Cristo (Ef 4.11-15).

Amém?

Ciro Sanches Zibordi

51 comentários:

Vinícius Fernandes disse...

A intenção do texto é necessária, pois de fato Deus é ordeiro.

O texto aponta para uma necessidade em nossos dias, uma vez que os crentes estão cada vez mais autocráticos, e isso é errado.

Entretanto, pastor Ciro, entendo que um dos motivos que provoca não todo, mas parte dessas posturas resistentes à hierarquia é o autoritarismo eclesiástico, encontrado aqui e ali.

Jamais seremos em terra líderes perfeitos, mas quanto maiores forem os abusos, maior a resistência a subordinação aos pastores e líderes, e o inverso é verdadeiro.

Nunca esquecerei quando o pastor Elienai Cabral disse que um pastor não precisa impor sua autoridade espiritual à igreja, pois a igreja sabe reconhecer a autoridade espiritual do pastor. O exemplo maior é Cristo Jesus, que com extrama mansidão conseguia liderar com perfeição.

Estive uma única vez ao seu lado, literalmente lado a lado, na bancada do ministério, e pude reter a impressão sua de uma pessoa profunda, prestativa, gentil e mansa, respondendo com humildade, atenção e amor as questões que eu fazia. Na ocasião, sobre as cadeiras teológicas que você ensina. Por isso sinto-me a vontade de fazer esse comentário ao seu texto, pois sei de sua integridade.

Contrariamente a isso, temos muitas "estrelas" em nosso meio, homens que se aproveitam da hierarquia para pisar nas ovelhas, de forma até sarcástica, que maltratam sem dó nem piedade. Batem que doi na alma. Bem sei que conheces essas nuances como ministro do evangelho, mas achei pertinente essa observação sobre o post. Hierarquia sim, mas obreiros despreparados e semideuses é desrecomendável.

João disse...

Parabéns pelo conteúdo, muito bom.

Luciano de Paula Lourenço disse...

Muito bem explicado, pr. Ciro! Um abraço!

Izaldil Tavares de Castro disse...

Amado irmão, pastor Ciro,
A Paz do Senhor Jesus.
O valor didático de suas postagens é enorme. Toda a igreja precisa beber dessa fonte. Concordo plenamente com o seu parecer e ensino. Vivemos um tempo de desordem geral, o conceito de hierarquia tem sido desprezado na família, nas escolas (das primárias às universidades), nas empresas,enfim, em toda a sociedade.
Isso, porém, não deveria ocorrer no seio da igreja. É uma forma de mundanismo. É hora de se dar atenção também a esse item da convivência cristã. Continue produzindo essas excelentes páginas de ensino para o povo de Deus.

Alan Reis ツ disse...

Pr. Ciro, Paz do Senhor!

Não coloco e nem retiro sequer uma vírgula do seu artigo. Acredito veementemente na hierarquia preconizada nas Sagradas Escrituras, e que todos os grupos sociais, como é o caso da Igreja, necessitam de uma organização.

Contudo preciso fazer um adendo.

Como sou Assembleiano, farei uma critica da minha denominação.
Sou nascido, criado e ensinado na Igreja Evangélicas Assembleia de Deus (IEAD). Eu amo minha Igreja, e embora sei que denominação não leva para o céu e que, existam outras Igrejas sérias e comprometidas com a palavra de Deus, não pretendo nunca sair da IEAD.

Não obstante, meu amor não me força a ser hipócrita. No artigo anterior, o senhor fez um comentário sobre a 40º AGO da CGADB realizada em Cuiabá na semana Passada. Já circula no YouTube, as trocas de acusações realizadas em plenário pelas figurinhas já carimbadas dos escândalos da nossa Igreja. Hoje vivemos uma crise na nossa Igreja, e embora a CGADB seja uma convenção de ministros e não de Igrejas, ela é o órgão ligado a nossa denominação com maior representação e notoriedade. Em consequência disso, os seus escândalos passam a ser escândalos da IEAD como um todo. Nossa história esta sendo manchada justamente no ano do nossa centenário. Um século de luta, e marcada pela chama pentecostal será esquecida em detrimento as brigas de podes entre os que controlam a nossa Igreja a tempos, e aqueles que querem também sua fatia de poder. E por falar em centenário, somos tão divididos, que só dentro das igrejas presididas por ministros ligados a CGADB teremos duas comemorações do nosso centésimo aniversário. Sem contar a comemoração realizada pela CONAMAD. Ao meu ver, parece uma luta de sucessão de trono. No começo do ano presenciamos um expoente assembleiano jogando ao vento, e colocando na mídia, homens armados entrando em “sua” igreja para poder obter controle da mesma. Nossos problemas estão escancarados para todos verem.

Sou salvo, sou crente, sou jovem e me esforço para ir para o céu. Mas sinceramente entendo, porque hoje existe uma corrente que apoia a anarquia ministerial, pelo menos na IEAD. Não concordo com ela, mas a entendo . Eu sinceramente vejo nisso tudo, o cumprimento da palavra de Deus. “Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão us aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos.” Mateus 24:10,11 (NVI). Oremos para que nossos líderes voltem a usar a palavra de Deus como guia dos seus respectivos ministérios e para que eles retornem ao primeiro amor. E mais, para que Jesus perdoem os seus pecados, por que enquanto brigam, a obra de Deus deixa de ser feitas, e almas perecem.

De um assembleiano triste mas esperançoso.

Anônimo disse...

Caro Pr. Ciro,

A paz do Senhor.

Meus parabéns pelo artigo. Muito esclarecedor.

Com base nele, quero uma opinião sua, se possível, é claro.

Na minha igreja (Assembleia de Deus), o meu pastor (pastor-presidente do ministério desde a década de 80, com a sáude um pouco debilitada e com a idade já avançada) tem demonstrado uma administração eclesiástica um pouco atrasada, bem medieval até, na minha opinião e na de muitos também, gerando uma série de problemas na igreja. Por exemplo:

A igreja não tem crescido mais;
O ensino está sendo deixado de lado;
Trabalhos sociais não existem;
Alguns crentes estão manifestando o desejo de sair de lá (sendo a maioria deles crentes maduros);
A liderança de jovens não tem muito apoio dele;
Os trabalhos voltados a obra missionária também;
Ele, para muitos, tem inveja de um outro pastor (que tem ajudado muito a igreja) de lá, que tem idade para ser filho dele;
Ele demonstra ser muito implacável com os erros de outros crentes. Chegando a magoar profundamente muitos deles;
Ele retira líderes de certos cargos sem nem sequer falar com eles antes, gerando uma certa frustração espiritual neles;
Ele se preocupa muito com efemeridades (tipo: por que os jovens não foram para o aniversário da minha esposa?) e se esquece do que é realmente importante (tipo: por que a nossa igreja não tem crescido? Por que as pessoas que recebem Jesus não estão permanecendo aqui? Por que os cultos de Santa Ceia estão tão vazios? Por que a classe de discipulado na Escola Dominical tem somente um ou dois aluno?).

Para muitos crentes de lá, a igreja só voltará a crescer quando ele, o pastor-presidente, sair (o que é muito triste).

Diante desses fatos, as minhas perguntas são: o que o Sr. acha disso? Será que chegou a hora dele "passar o cajado"? Como eu devo proceder? Devo conversar com ele pessoalmente sobre isso? (Detalhe: ele sofre de problemas cardíacos e tenho medo de agravar o estado de saúde dele caso eu converse com ele sobre isso.)

Lembrando que eu considero ele um homem de Deus, o ministério que o Senhor o outorgou tem um número considerável de igrejas membros. O problema mesmo é que ele tem cometido uma série de erros que tem trazido muitos problemas para ela e ele não está conseguindo enxergar isso.

Peço esse conselho para o Sr. porque preciso muito de uma direção sobre o que fazer, pois amo a minha igreja, o meu pastor e a obra do Senhor. Não falo apenas com o Ciro muito conhecedor da Bíblia, mas também com o Ciro pastor.

Em Cristo,
?
p.s. Desculpe-me por não querer me identificar, mas sou um(a) dos(as) jovens que comprou o DVD Retorno ao Evangelho da Cruz recentemente pelo seu e-mail.

Anônimo disse...

Romanos 13.1-7

Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus.

Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus
; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.

Porque os magistrados não são motivo de temor para os que fazem o bem, mas para os que fazem o mal. Queres tu, pois, não temer a autoridade? Faze o bem, e terás louvor dela;

porquanto ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador em ira contra aquele que pratica o mal.

Pelo que é necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa da ira, mas também por causa da consciência.

Por esta razão também pagais tributo; porque são ministros de Deus, para atenderem a isso mesmo.

Dai a cada um o que lhe é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra.


Amém!

Anônimo disse...

pastor ciro há alguma diferença entre primicias e dizimos ?

tiago lino disse...

PAstor Ciro, eu acredito e na hierarquia(que tu explicastes muito bem) e inclusive respeito e amo a minha. O que não respeito é o uso dessa estrutura para exercer poder sobre os demais irmãos, usando-se de títulos para reinvindicar uma superioridade espiritual, de conhecimento bíblico e profético. "Quem quer ser o maior, faça-se o menor". Essa hierarquia toda tem como função única servir à igreja e promover seu crescimento para glória de Deus e não para dividir em grupos "os que são mais ungidos e os que não são".

Infelizmente já vi muito abuso de autoridade e poder dentro de nossas igrejas, destruindo vidas e decepcionando muitas pessoas sob o pretexto de "que deve-se obedecer o ministério acima de tudo porque é o ministério quem fala".

Por outro lado, já vi maravilhosos exemplos em que homens e mulheres usavam muito bem suas atribuições eclesiásticas e abençoavam vidas com uma liderança sádia, bíblia e espiritual. Eram referênciais para os demais irmãos.

Por fim, a hierarquia que, penso, deve-se obedecer é aquela que se submete à palavra de Deus, que entende sua função em relação à igreja e aos demais irmãos e cumpre fiel e zelosamente o seu chamado.

É o que penso.

Deus te abençoe, Pastor Ciro.

Anônimo disse...

Saudações no senhor Jesus!, recentemente ouvi o Dr. Augustus Nicodemus em um debate dizer que o ministério apostólico foi encerrado. E que o título de apóstolo não existe mais e sim o ministério apostólico, que é uma pessoa enviada pela igreja para realizar determinado trabalho.
E que esse ensino de sucessão apostólica é da igreja Romana, que considera o papa como o sucessor de Pedro (este quando morreu não ordenou ninguém para ser seu sucessor), o que o senhor acha disso?.
Abraços no amor de Cristo. Pb. João Eduardo AD Min. Belém - SP.

vagner disse...

Depois que o meu primeiro pastor presidente, que no principio era homem de Deus, trocou sua mulher por uma irmã da nossa propria igreja, Nunca fui o mesmo em relação a autoridades. Quando se especulavam sobre seu possível envolvimento com a irmã, os outros ministros só falavam "não toque no ungido, não falem no ungido". E finalmente o pecado veio a tona, e o nosso "querido" pastor presidente quis e ficou no cargo mesmo em adultério comprovado pela sua própria boca

Adeilton disse...

Pastor Ciro o senhor foi bem feliz em sua exposicão sobre a hierarquia na igreja.Mas dizer que hoje alguém pode ser chamado de apóstolo,o senhor não foi bem,me permita discordar.Nós só temos dois oficiais na igreja hoje que são:pastores e diaconos(1Tm 3.1-10).Para alguém dizer que é apóstolo ele tem primeiro provar que foi chamado diretamente por Cristo,depois ser testemunha ocular do seu ministerio terreno e de sua ressureição(At 2 )algo impossível.Portanto chamar alguém de apóstolo não está de acordo com o que a bíblia ensina.

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo e nosso pr. Ciro Zibordi,

A paz de Crisgto, o nosso Senhor!

Amém!

O Senhor seja contigo, nobre atalaia!

O menor de todos os menores.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Adeilton,

Ao que me parece, o irmão está confundindo ministério com título. Ninguém precisa de título para exercer um ministério! Eu, por exemplo, sou chamado de pastor. Este é o título pelo qual sou conhecido. Entretanto, a minha chamada específica não é para o pastorado, e sim para a pregação e o ensino da Palavra.

Filipe ainda não tinha o título de evangelista, em Atos 8, mas fazia a obra de um evangelista! Não é o título que faz a pessoa; é a pessoa que faz o título.

Quem não aceita o ministério apostólico (ministério apostólico verdadeiro, e não as "apostolices" do nosso tempo) também não deveria aceitar os outros ministérios mencionados em Efésios 4.11 e 1 Coríntios 12.28.

A Assembleia de Deus, por exemplo, já teve vários apóstolos, os quais nunca receberam esse título. Por exemplo, Gunnar Vingren, Eurico Bergstén, Cicero Canuto de Lima, José Pimentel de Carvalho, Valdir Bícego, etc.

Não podemos negar um ministério necessário para a edificação do Corpo de Cristo, como o apostólico, o qual, SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS, perdurará "até que..." (Ef 4.13).

Outrossim, nós somos a igreja neotestamentária; somos a igreja estabelecida por Jesus Cristo, que conta com apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores.

Em Cristo, o Apóstolo (Hb 3.1),

CSZ

Mateus Nogueira da Silva disse...

Explêndida postagem. Os que se opõem a hierarquia estão na contramão da Palavra de Deus, assim como aqueles que se utilizam de sua posição para sobrepujar a vontade do Senhor e dominar a vida de suas ovelhas em tudo. A Igreja está parecendo a política no nordeste, "coronér" pra todo lado.

Onde estão os humildes? Os quebrantados de coração? Onde estão os servos?

Temos muitos tubarões brigando por propriedades, ajuizando ações uns contra os outros, e esquecendo que nosso legado, história e herança estão em servir a Jesus. Que nosso maior tesouro está no porvir. Que esta vida é curta!

O que me entristece, é que muitos tem se apaixonado pelos seus cargos, títulos e divisas. Passam a brigar por posições de destaque, querem dominar, reinar, mandar, ser, fazer e acontecer e esquecem da recomendação do Apóstolo Pedro:

"Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho." I Pe 5.2-3

Enquanto isto, milhares de almas vão para o inferno sem nunca terem ouvido falar da Salvação que está em Jesus.

Menos títulos, menos lideres gananciosos e mais servos de Deus, é disso que a Igreja precisa...

"Então falou Jesus às multidões e aos seus discípulos, dizendo:Na cadeira de Moisés se assentam os escribas e fariseus.Portanto, tudo o que vos disserem, isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam. Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; mas eles mesmos nem com o dedo querem movê-los. Todas as suas obras eles fazem a fim de serem vistos pelos homens; pois alargam os seus filactérios, e aumentam as franjas dos seus mantos; gostam do primeiro lugar nos banquetes, das primeiras cadeiras nas sinagogas, das saudações nas praças, e de serem chamados pelos homens: Rabi." Mt 23.1-7

Se preocupam com 100 anos e esquecem que o importante é a eternidade!

Vandim disse...

Creio q o ideal d liderança instituída por Cristo na igreja é o colegiado, onde os lideres prestam contas a outros líderes e, também aos liderados.

Quando isso falta, sobra abuso: Nepotismo, enriquecimento, envolvimento com política partidária, imunidade disciplinar (é mais fácil o líder ser pego pela PF).

Gilson disse...

Amados,

Compartilho com as idéias do irmão Alan Reis, porém entendo ser importante, também, analisarmos não apenas a necessidade de existencia, mas como estas hierarquias se relacionam com os membros.

Para que não nos tornemos imparciais e tendenciosos sugiro, com respeito, ao amado pastor que publique as inconveniencias exercidas pela mesma hierarquia.

Ou será que não há nenhuma?

É apenas uma sugestão de uma pessoa que o admira muito.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Gilson,

A paz do Senhor!

Como o irmão é uma pessoa que me admira muito, sugiro que leia a postagem anterior a esta. Além disso, sugiro que conheça os meus livros "Erros que os Pregadores Devem Evitar", "Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria", "Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar" e "Erros que os Adoradores Devem Evitar".

Amado irmão, já abordei, e muito, os desmandos e devarios de maus obreiros neste blog. Mas estes não podem nos levar a outro extremo, o de apenas verberar contra o erro e se esquecer de apresentar o modelo ideal para a igreja.

Um abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Vandim,

Abusos ocorrem, sobretudo, por falta de observância ao modelo neotestamentário de ministério. O paradigma para a igreja de hoje não está em nenhuma denominação. Ele está nos Evangelhos, em Atos dos Apóstolos, nas Epístolas e em Apocalipse 2-3. Devemos ser como a igreja primitiva. Aliás, somos a continuação daquela igreja.

CSZ

Estou caminhando disse...

Paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo, nosso Deus.

Muito rico este ensinamento sobre hierarquia, cada dia que passa aprendo mais um pouquinho de Deus.

Deus o abençõe grandemente.

Márcio.

Matheus disse...

Parabéns pelo artigo !!! Concordo em tudo.
Viu, pastor Ciro, uma vez um dos pastores da igreja disse que se um dia alguém for visitar outra igreja tem que pedir a permissão dele, e se alguém for mudar de denominação tem que pedir pra ele a benção pra poder sair da igreja.
Você concorda com isso? Ou acha isso invenção da parte dele?.
.
Muito obrigado !!!
Fique com Deus.
T++

gideone pimentel disse...

Entendo que a hierarquia eclesiástica é benefica para a organização da igreja. Sabendo que hierarquia - na igreja - não se trata de autoritarismo, como acontece com alguns chamados pastores e se posição que denota serviço.
A hierarquia Eclesiástica não deve se igualar a hierarquia militar (da qual faço parte), pois tenderia a uma supremacia por parte dos "superiores hierárquicos". Chegado até a ideia que os supostos superiores não poderiam ser contrariados em suas atitudes. Porquanto, não é o que vemos em Gl 2.11-14, quando o Ap Paulo, talvez naquele momento, "mais moderno" (termo militar)que pedro - ja que o Ap Pedro era muito antigo no evangelho - chama sua atenção diante de todos. Isso seria uma insubordinação ou falta de ética do Ap Paulo?

Acredito na hierarquia Eclesiástica tendo Cristo como modelo.

Xavier Campos Joaqum disse...

Amem pr. Ciro.
Muito bom esse texto. Fez-me lembrar a passagem de 1 cor.3. - em que os discipulos disputavam lideres dizendo ser de Paulo,outros de Apolo, outros de Cristo, e vejo que os que eram de Cristo ( cristaos ), sempre tiverem essa dificuldade com liderança humana porque dizem ja ter liderança divina.
Isso tudo disse só para dizer que está muito certo o seu posicionamento correlação ao assunto.

Parabens.

Xavier Campos.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Gideone,

A paz do Senhor!

A hierarquia ministerial e eclesiástica não é idêntica à militar, obviamente, ainda que esta represente aquela (cf. 2 Timóteo 2.3,4). Entretanto, a hierarquia ministerial e eclesiástica também pressupõe obediência dos membros aos pastores, por exemplo (cf. Hebreus 13).

No caso envolvendo Pedro e Paulo não vemos um exemplo de insubordinação. Paulo, naquele momento, já era respeitado como apóstolo, sendo colega de Pedro. A palavra de ambos tinha o mesmo peso.

Em Atos 15, vemos como a igreja primitiva respeitava os princípios hierárquicos. Foram os apóstolos, anciãos (presbíteros) e irmãos, nessa ordem, que trataram dos assuntos polêmicos surgidos à época. E a palavra final foi dada pelo mais alto escalão, formado pelos apóstolos.

Em Cristo,

CSZ

disse...

Concordo contigo plenamente. A hierarquia existe e é pra ser cumprida. Paz!

Tatiane de Souza disse...

Amém! Como sempre, saio daqui edificada. Que continue te usando e alcançando milhares de vidas através do seu trabalho.
Ah, e quaaando tiver um tempinho, dá uma passadinha no meu blog..
Abraço, Tati.

Rinaldo Santana disse...

Caro pastor Ciro, Graça e paz
Muito importante esse post.Antes, algumas vezes questionei sobre Liderança na igreja,mas lendo a historia do rei Davi, vi o quanto ele respeitou a Saul. Dai então aprendi a lição.

Genilda Silva disse...

Muitas dessas pessoas que não se agradam com a hierarquia na casa de Deus, já estão na fase de "comichões nos ouvidos". Ouvem um, ouvem outro, e acabam se convencendo que podem também se fazer ouvir ainda que seja com rebeldia.

PREGADOR DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO disse...

Tb. Gostei do texto do Pr. Ciro. Como todos os textos que ele publica no seu Blog são de grande ajuda e edificação espiritual.
Tb. Concordo que o princípio da hierárquia deve existir em todos os lugares: sejam empresas, famílias, exércitos, e principalmente Igrejas.
Afinal de contas o que será de um povo sem ordem? Sem regras? Sem liderança?
Gostaria apenas de aproveitar e fazer uma pequena ressalva: Há de se admitir, que tem certos Pastores e Líderes que se acham acima de tudo e de todos? Mais parecem aqueles coronéis (até cangaceiros rss) do que pastores do rebanho de Deus??
Brincadeiras a parte, que Deus continue lhe usando Pr. Ciro como um atalaia sobre a casa de Deus.

Anônimo disse...

Paz seja contigo Pr. Ciro

Li sua matéria e acredito que a desobediência a hierarquia é gerada em sua maior parte pela falta de lideres de verdade no meio cristão, um líder cristão deve liderar pelo exemplo, uma boa oratória é o que muitos pastores tem hoje nas igrejas, mas apenas oratória e nada mais, enquanto vemos aumentar o alto índice de nepotismo dentro das denominações, pessoas sem nenhuma vocação ou chamado, são postos em lugares de liderança, porque são parentes de um pastor ou amigo do mesmo chegam as posições sem a capacidade de liderar e querem ser ouvidos, na liderança cristã vemos muita gente querendo dar ordem apenas por terem títulos, acredito que no passado funcionava este sistema, alguém colocava uma pessoa pra liderar e apenas dizia que foi Deus que mandou e o povo engolia essa balela como algo sagrado, hoje temos pessoas mais informadas que buscam num líder as qualidades bíblicas que por sinal estão em grande escassez no seio cristão, infelizmente encontramos muita gente liderando por direito e não por fato, obedeço um pastor quando eu vê um pastor, quando eu vê apenas um portador de titulo só lamento, um pastor é um representante de Cristo, e como tal esperamos que o mesmo tenha as marcas de Cristo em seu viver, que o pastor saiba lavar os pés dos liderados, que ele divida seus bens com os necessitados, que ele vá atrás dos perdidos e não dos empresários apenas, que ele seja um homem de compaixão marca fundamental para um líder cristão. Não me submeto a um líder porque supostos lideres o consagraram, respeito hierarquia ministérial com os as marcas já citadas, mas falta ministros no significado literal e original da palavra, temos mercenários que trocam ofertas por pregações, mas não cuidam do povo, vivem de dá acessória e não da pratica de comunhão, tenho repudio pelos tais pois são apenas parasitas no sei do cristianismo, me submeto a liderança de um líder analfabeto que possua as marcas que lhe falei, mas repudio qualquer doutor, bispo, apóstolo, papa ou qualquer que seja a categoria do individuo que não possua tais marcas, formos enganados por vários lobos durante séculos por causa de seus títulos, hoje a história é outra, existem cristãos informados, não aceitamos mais conversa para boi dormir, ou vão pela palavra de Deus ou mudam de oficio é isso que muitos "lideres" evangélicos devem fazer, cobrar obediência apenas por ter títulos é ser muito cara de pau, sou a favor da obediência a lideres levantados por Deus com as marcas de Cristo e com os frutos do espírito, se não houver isso que tal líder seja expulso de seu cargo eclesiástico, a única liderança cristã que deve ser obedecida é aquela que entrou pela porta do chamado de Deus(essa tem as marcas e os frutos), aquela que não entrou deve ser banida! Chega de ditadores na casa de Deus, precisamos de ministros segundo o coração de Deus na igreja. (Parabéns Pela Matéria)

Elias Moraes

milerfreitas disse...

"Ela existe, não para que um portador de certo dom e ministério se considere superior aos outros, e sim para que haja ordem na casa do Senhor"

Creio que seja mais importante muitos líderes saberem desta verdade.

Durante o tempo em que eu vivi no quartel (27º BI PQDT) ouvi diversas vezes estas frases: "Explica, mas não justifica."; "Agora é o poste que mija no cachorro?".

Me perdoe por usar o termo "mijar", que é considerado por muitos como impróprio.

E acredite se quiser: já ouvi os dois termos sendo usados dentro da igreja e pelo pastor!

O primeiro era usado para rebater quando algum integrante do grupo de louvor explicava algum atraso ou falta. O segundo era usado diversas vezes, sempre que o pastor suspeitava que o membro (ou quem quer que fosse) estivesse questionando alguma decisão tomada por ele. A mais escandalosa foi durante uma aula da EBD, uma irmã, neófita (neófita mesmo!) argumentou com o pastor (ele ministrava a aula) e como ele não gostou proferiu esta besteira. Ela não entendeu nadica de nada.

Estes são apenas alguns dos exemplos (poderia citar mais de trinta, sem exagero) que provam a argumentação do Vinícius Fernandes no primeiro comentário:

"Entretanto, pastor Ciro, entendo que um dos motivos que provoca não todo, mas parte dessas posturas resistentes à hierarquia é o autoritarismo eclesiástico, encontrado aqui e ali."

Não querendo ser pessimista, creio que a tendência é piorar cada vez mais.

O motivo ao meu ver, é o fato de princípios bíblicos (At 6.3; ITimóteo 3.1-13; Tt 1.6-9; IPe 5.1-3; dentre outros) que norteiam e dirijem a escolha de líderes, estarem sendo rejeitados. No atual contexto, os princípios utilizados são meramente humanos: carisma (rir a todo tempo, usam indevidamente o texto de 2 Reis 4.26), disponibilidade e prontidão (participar de todos os eventos da igreja e não se atrasar, além de ser "pau pra toda obra") e obediência irrestrita, (mesmo o pastor estando errado. Já ouvi um pastor presidente dizer o seguinte: o pastor presidente nunca erra e caso o obreiro ache que o seu pastor está errado deve tomar muito cuidado para não tocar em um ungido do Senhor.) são as qualificações exigidas para quem deseja ser líder, ou almeja o episcopado. Na maioria das vezes, mesmo que o candidato seja um neófito se ele se encaixar dentro destas exigências será aproveitado.

É claro que um neófito, que foi "criado" desta forma, usará os mesmos critérios para separar os futuros obreiros de sua congregação. E os obreiros daquela igreja os mesmos, e assim por diante. Um círculo vicioso, que precisa ser quebrado urgentemente!

Com muito temor e tremor, Maxmiler Freitas.

ORGE MELO disse...

De uma coisa tenho certeza, o verdadeiro seguidor de CRISTO, não se rebela contra o seu obreiro, seja ele o que for, (ditador,cara de pau,egoísta, soberbo,etc).
Pois o crente fiel a CRISTO, sabe muito bem em quem tem crido,e quem toma as devidas providencias na vida de quem quer quer seja é CRISTO.
Portanto o verdadeiro seguidor de CRISTO, está sempre ligado em tiag.5.16, e quando nota que as coisas não estão indo muito bem na sua denominação, dobra os joelhos diante da SANTA MAJESTADE, e ora, sabendo que com certeza, que a sua oração pode muito nos seus feitos, e no tempo determinado a resposta descerá, e ele em silencio e sem querer holofotes e glórias de homems, glorificará a DEUS EM CRISTO, e segue na vida, orando, pregando, ensinando e aguardando com alegria, o dia de estar junto com todos os lavados e remidos no SANGUE DO CORDEIRO, na grande festa das " Bodas do CORDEIRO' APOC. 19.7

Glórias e eternas Glórias, ao REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES, AMÉM E AMÉM.

Que este seja o meu, o teu e o nosso objetivo e alvo diário, enquanto com vida estivermos nesta terra.

Pr. Ciro nos encontraremos por lá, o Pr. Valdir Bícego entre tantos outros que já se foram, tb nos esperam , e com toda a nossas familias salva, a festa vai ser só de alegria na presença do MESTRE.

" A alegria do SENHOR é a nossa força " neem.8.10

Eis a questão.

Abs, em CRISTO, salmo 133

RECIFE - PE.

evangelista disse...

PAZ DO SENHOR PASTOR CIRO,gosto muito dos estudos que o senhor põe em seu blog.São esclarecedores.DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO?

T.Mendes disse...

Afetuosidade é o que faz a diferença. A falta de sabedoria no trato com as pessoas atrolada em um legalismo sufocante, aliado a substituição de pregação por exposição de usos e costumes tem levado a rebeldia dentro da igreja. é claro que as igrejas Neo pentecostais tem influenciado através do contato destas pessoas com assembleianos.

Mateus Nogueira da Silva disse...

Irmão Orge Melo, como começou a reforma? Lutero obedecendo aos ditames do romanismo?

Rafael disse...

O que ocorre hoje é que os cristãos estão recorrendo mais frequentemente à bíblia para julgar arbitrariedades dos líderes. Existem pastores que se comportam como verdadeiros "Papas" em suas congregações. Os recentes escândalos, desde à convenção geral até as comunidades locais, passando pelas convenções estaduais estão minando as autoridades da liderança eclesiástica assembleiana. A moral está extremamente baixa. Nossos pastores brigam por dinheiro e posição. Isso leva à autocracia da igreja."São como ovelhas sem pastor".

Fernando Dias disse...

Pastor, é verdade que a liderança tem que existir e ser legítima, por isso, quando resolvi criar um site com assunto religioso, intencionei fazê-lo somente com suporte à fé e a pregação dos pastores, que sabem mais do que eu. Foi assim, que, aproveitando a data, lancei o meu site no último dia 20/04:

http://BibliaporEmail.com


A finalidade é ajudar o irmão, nessa vida atribulada e moderna, a ter o seu minuto de contrição, em contato com versículos bíblicos, diários, recitados por uma voz e imagem que o auxilia em sua prece.

O usuário da página, ao deixar seu nome e email, é lembrado por correio eletrônico, a acessar um link com renovadas palavras,unicamente bíblicas, escolhidas diariamente para ele.

Convido-o a experimentar, inscrevendo-se, e conto com o senhor para ajudar-me a divulgar essa novidade, que todos os dias, produzo com carinho.

Feliz Páscoa!

Pr. Nonato Souza disse...

Meu nobre companheiro Ciro Ziborde, quero parabenizá-lo pelo excelente texto “Aos que não gostam de hierarquia na igreja”. Estou certo que existem os que insistem em tais conceitos, porém, é melhor ficar com a palavra de Deus. Sabemos que a hierarquia é essencialmente necessária em todas as organizações. Imagine uma grande organização sem uma administração no comando da mesma, não seria, porventura, um desmando e uma tremenda confusão? Observemos o caso de Israel depois que seu líder Josué morreu. A nação, sem governo, passou a fazer o que bem lhes parecia aos seus olhos. O Senhor vendo a desordem e o caos social e espiritual, levantou juízes para governar sobre eles (Jz 2.7-16).
Não obstante a clareza do ensino bíblico acerca de tal assunto, há ainda os que insistem em andar de acordo com os seus pensamentos. Estes, que assim se comportam dizem: “Eu não devo obediência a nenhum pastor, ou líder”. “Aqui, ninguém melhor do que eu”, e mais: “Todos aqui são iguais”. Ora, sabe-se que isto é insensatez, pois todo pastor é dado à Igreja por Deus (Ef 4.11-16). Imagine uma igreja sem pastor, ministério? Um departamento sem líder? Como não seria isso? Se nas organizações comerciais, industriais, a hierarquia é obedecida, o que não dizer da igreja?
Em todo tempo a Igreja teve governo para que houvesse melhor funcionamento da mesma. É assim que somos orientados pela Palavra de Deus, nossa regra de fé e prática.
Outrossim, estamos felizes por tê-lo entre nós em nossa EBO (Escola Bíblica de Obreiros), na Assembleia de Deus de Brasília. Espero que esses dias conosco sejam cheios de alegria e comunhão. Os estudos ministrados tem trazido muita edificação à minha vida.

Me sentirei honrado se puderes visitar e seguir o meu blog.

(blogdoprnonatosouza.blogspot.com)

Um forte abraço.

Att. Pr. Nonato Souza.

Casal 20 disse...

Amém tríplice, Pastor Ciro.

Parabéns!

Abraços sempre afetuosos.

Alberto Couto Filho disse...

Pr Ciro,

Esclarece, ao tempo em que edifica.
Brilhante - o que é um truísmo.
Seu conservo em cristo
Alberto

Cicero Neto disse...

Paz e Graça!

Pastor Ciro parabéns pela matéria, agora pela experiência que tenho em vivência cristã, vejo alguns outros pontos, e vou comentar:

Hoje os lideres que deveriam ser exemplos de mansidão e humildade, não digo despojamento de si mesmo, e sim mansidão como foi encontrada em Moisés, estão em um processo de auto celebrização, sem falar na politicagem...
Meu antigo pastor e digo antigo pois não serviu para ser meu líder terreno um dia foi dar uma "palestra" em uma denominação idolatra, só faltou participar dos rituais...
Pela misericórdia de Deus e com confirmação do mesmo, tive que algumas vezes chamar a atenção dele a pontos heréticos, que não posso aceitar como cristão.
Não estou falando de um pastor recém formado e sim de um líder de colegiado...
Creio que os filhos da desobediência existem entre membros ou "ovelhas" e entre pastoreadores corruptos e falso da verdade.
Isso pode estar causando esse efeito de rebeldia coletiva que o Pastor trata no artigo.

Vejo no geral a falta de Zelo...
Ontem fui visitar uma igreja Batista que a anos está em "reforma" e não pude me conter e perguntei para um membro se não há membros pedreiros...pois aquilo é falta de zelo com as coisas de Deus e me prontifiquei a doar um dia por mês como voluntário.

Para falar a verdade estou sem denominação pois hoje achar uma que seja no mínimo ou tenha o mínimo está complicado, claro que nas minhas visitas tenho visto muito a manifestação do Espírito Santo e eu mesmo tenho visto e provado em mim milagres, ontem comentei com um pastor que foi restaurar uma denominação que estava em visita a procura de aprisco; mas confesso que tenho até medo de me vincular a uma ou outra denominação.

Que Deus tenha misericórdia do seu povo, mas o que vejo é que MT 7:22 será muito utilizado no dia do Senhor, principalmente por líderes omissos.
Os lideres que não servem para lavar os pós de seus liderados não servem para ser lideres.
Só vejo homens querendo ser apóstolos...profetas...etc...etc...;
Servir que é bom...é raro!

É fácil falar o problema está em mim por ver falhas em tudo...e que o homem é falho...e que é assim mesmo etc...etc...

Gostaria de ter como mentor terreno um Sostenes Mendes, um Asaph Borba, mas não é possível no momento e tenho que aproveitar raras oportunidades para me aconselhar com itinerantes que pregam doutrina verdadeira!


Só falta como uma líder de jovens (Filha de Pastor e líder de louvor)me disse que se eu não aceitasse aquilo..."incorreto" eu iria para o inferno...
Só pude rir dela e perguntar se ela era Deus para salvar e condenar, esse é o perfil de líderes que conheci em algumas denominações.


Bom essa é minha opinião e meu desabafo.

Graça e Paz e muita misericórdia da parte de Deus!

Marcelo disse...

Brilhante o comentário acima do Orge Melo, crente que se rebela contra os seus pastores é porque ainda precisa se converte, pois como sabemos JESUS é o dono da Igreja, e quando há anomalias, o crente fiel primeiro ele ora a DEUS e DEUS responde, orientando ensinando e instruindo, como proceder, Is.28.26
Repito; O dono da Igreja é CRISTO.

CRISTO abençoe o PR. Ciro Zibordi.

Xavier Campos Joaquim disse...

Paz do Senhor pr. Ciro.
Permita-me republicar esse artigo em nosso blog " Defensores da Fe" Que Deus abençoe amado pastor.

gideone pimentel disse...

No caso envolvendo Pedro e Paulo não vemos um exemplo de insubordinação. Paulo, naquele momento, já era respeitado como apóstolo, sendo colega de Pedro. A palavra de ambos tinha o mesmo peso.

Paz do Senhor Pastor.
Acredito que não houve insubordinação. Contudo, tenho minhas duvidas quanto a total aceitação do Ap Paulo naquele momento. Ainda assim,Paulo chama a atenção de Pedro em publico. Já imaginou o presidente de uma convenção ser chamado atenção na frente de todo mundo,por está apresentando uma atitude antibíblica? Seria anti-ético?
Segundo a Bíblia cronológica aquele episódio aconteceu no período do Concilio de Jerusalém (At 15)
Não estou promovendo a insubordinação em massa dos obreiros. Mas vale salientar, que muitos se valem do "titulo" para se autodenominarem detentores de autoridade. Nenhuma autoridade terão se não estiverem debaixo da palavra.
Em Cristo
Gideone Pimentel

silas disse...

Bem a paz para todos, sou contribuinte do ministério do Pr Silas Malafaia e admiro seu trabalho evangelístico a respeito do seu jeito as vezes inconveniente de falar também não concordo, mas sinceramente se formos falar de comportamento inadequado, não me lembro de nenhuma linha do autor do texto sobre as hipocrisias da Assembleia de Deus, e CPAD, CHEGA A SER PIADA E OS COSTUMES MERAMENTE HUMANOS QUE NINGUÉM NUNCA VEIO A PUBLICO SE RETRATAR, bem será porque é escritor... bem sou assembleano a 36 anos e que vejo é muitos telhados de vidro...divisões, fogueiras de vaidades, mentiras...bem se entrarmos a fundo o que iremos fazer com os adornos que levavam mp o inferno...deixa para lá...

Marcos e Zelena disse...

A Paz do Senhor. Sou militar e sei bem o que é hierarquia, porém dentro da hierarquia existem normas e regulamentos a serem seguidos por toda a corporação, seja do mais antigo ao mais moderno, bem diferente do que acontece na igreja. O que vem acontecendo com frequência é o autoritarismo eclesiástico onde o que o líder falar todos têm que acatar, independente das normas e estatutos previamente existentes na igreja. Na minha condição de sargento estou subordinado à um coronel, porém se ele fugir do que prevê o militarismo tenho o dever de comunicar o fato e até dar voz de prisão se for o caso. Isso acontece na Igreja? Não? Então não é hierarquia e sim autoritarismo.
A missão que Jesus deixou foi de fazer discípulos e não membros subordinados. A palavra discípulo vem de disciplina e se a disciplina vista no líder, haverá disciplina consciente por parte dos liderados. Um líder consegue alcançar objetivos através da persuasão advinda do seu comportamento respeitoso e disciplinado. Ao contrario, o chefe só chega ao objetivo através da imposição, conseguindo os mais desastrosos resultados.
Seria muito bom se os pastores blogueiros deixassem a ética de lado e falassem também sobre os líderes que não acatam o estatuto, não acatam decisões da assembleia ou sequer fazem assembleia ordinária, não são transparentes quanto a administração da igreja, tomando decisões isoladas e muitas vezes ocultas. Isso sim é ser disciplinados.

Anônimo disse...

concordo com hierarquia mas o q acontece em muitas igrejas e errado lideres q mandam e desmandam não podendo falar nada se não vc e rebelde

nei disse...

Jesus é justo...paz a todos percebi que existem uma série de pessoas que concordam com o tema descrito, através dos comentários, quem é louco de dizer o contrário só ele ou ela falar contra, seria muito difícil de alguém ou até mesmo a propria pessoa acreditar em si mesmo a não ser que ela tenha caráter fundamentado em Cristo, pois ben respeito a opinião de todos e de maneira alguma venho trazer contenda ou contradições, mais explicações, sou contra a hierarquia, respeito de fato a todas as autoridades e governantes tanto na igreja, como na vida civil e juridica, quero dexar só algumas indagações será que realmente Deus criou hierarquia, pode até permitir mais será que era ou e vontade dele? Qual significado de hierarquia? O que Jesus quiz dizer em MT 23:10 ;será que romanos 13 mostra que foi Deus que criou a hierarquia?o que Paulo quiz dizer com que toda autoridade foi ordenada por Deus? Oque aconteceu na igreja pra isso? Quando algumas pessoas dizem do autoritarismo está falando da própria hierarquia, sem autoritarismo n existe a hierarquia, pra encerrar alguém alguém deve ta se perguntando prq coloquei Jesus é justo no início do comentario, pois bem justamente pelo fato de que na hierarquia não existe justiça ou algo justo. Faz diferenciação de peasoas, querendo ou não a hierarquia mostra que sempre alguém exerce poder e autoridade sobre alguém. Alguem pode questionar Deus ele e supremo então e hierárquico sobre todos, não, ele e supremo não hierárquico prq nao e autoritário ele pode mandar na gente mais deu livre arbítrio pra escolhermos, coisa que na hierarquia n tem poder de escolha, senhor manda e o subordinado obedece, Deus e justo ele não quer que ninguém sirva a ele por obrigação mais por amor por reconhecer que proveniemos dele e que somos feitos iguais para adorar a ele unicamente, uma pergunta simples Moisés foi e até hj pra igreja e principalmente para os judeus um grande líder espiritual como muitos mensionam, mais prq ele n entrou na terra prometida?prq satanás brigou pelo corpo de Moisés? Prq Miguel o mesmo que venceu o dragão de apocalipse, usou o termo o Senhor te repreensão? Essas questões seria bom colocalas aqui no blog obrigado a todos.

Anônimo disse...

Bela dissertação sobre esse assunto irmão. Agora eu gostaria de saber se o Líder de Jovens se encaixa nessa hierarquia, falo isso por que sou líder do grupo jovem da igreja o qual congrego e eu tenho visto que não esta havendo um respeito da parte deles comigo e até a falta de reverencia com a Palavra de Deus e a autoridade do Pastor.

Eu já cheguei a comentar com o Pastor que eu tenho observado que já não é de hoje que eles tem confundido o próprio Pastor por ele ser amigável com todos que estão esquecendo a reverencia com o homem de Deus. Mas o Pastor sempre vem com a mesma frase "Não se pode exigir demais dos jovem se não eles desanimam", mas nesse caso que eu tenho observado são sempre os mesmos jovens da mesma família, começo a pensar que o fato de o Pastor e a sua esposa terem uma amizade com os pais deles e sempre estão na casa deles, eles pensão que podem fazer o que quiser, chegarem a hora que quer, por que eles ainda fazer a obra cantam no louvor.

Eu tenho sido afrontado e desrespeitado por eles já não é de hoje e até membros da própria igreja e colegas obreiros "por que também sou obreiro consagrado" tem visto isso.
Mas eu fico até com receio de exortar eles e chegar de outra forma no ouvido do Pastor e eu sair como o errado da estória.

E não tenho nem mais animo para conversar isso com o Pastor,já sabendo da resposta que eu vou ter.

Será que só eu que estou errado e eles estão certos. Já pensei até desistir da obra de Deus por causa disso.
Por favor irmãos deem suas opiniões a respeito desse assunto.

Deus os abençoem e fiquem com Jesus.

Eric Giovannini disse...

Bela dissertação sobre esse assunto irmão. Agora eu gostaria de saber se o Líder de Jovens se encaixa nessa hierarquia, falo isso por que sou líder do grupo jovem da igreja o qual congrego e eu tenho visto que não esta havendo um respeito da parte deles comigo e até a falta de reverencia com a Palavra de Deus e a autoridade do Pastor.

Eu já cheguei a comentar com o Pastor que eu tenho observado que já não é de hoje que eles tem confundido o próprio Pastor por ele ser amigável com todos que estão esquecendo a reverencia com o homem de Deus. Mas o Pastor sempre vem com a mesma frase "Não se pode exigir demais dos jovem se não eles desanimam", mas nesse caso que eu tenho observado são sempre os mesmos jovens da mesma família, começo a pensar que o fato de o Pastor e a sua esposa terem uma amizade com os pais deles e sempre estão na casa deles, eles pensão que podem fazer o que quiser, chegarem a hora que quer, por que eles ainda fazer a obra cantam no louvor.

Eu tenho sido afrontado e desrespeitado por eles já não é de hoje e até membros da própria igreja e colegas obreiros "por que também sou obreiro consagrado" tem visto isso.
Mas eu fico até com receio de exortar eles e chegar de outra forma no ouvido do Pastor e eu sair como o errado da estória.

E não tenho nem mais animo para conversar isso com o Pastor,já sabendo da resposta que eu vou ter.

Será que só eu que estou errado e eles estão certos. Já pensei até desistir da obra de Deus por causa disso.
Por favor irmãos deem suas opiniões a respeito desse assunto.

Deus os abençoem e fiquem com Jesus.

Robert Lima disse...

Muito bom...
Apenas colaborando...
COMO TRATAR OS LIDERES

Evidências:
1. Obedecendo e sujeitando-se a eles (Hb 13.17).
“Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil”.
Obedecei (gr. peithõ), i.e., “assentir com, obedecer, seguir”.
Pastores (gr. hēgeomai), i.e., “liderar; comandar; ordenar (com autoridade oficial). Usado aqui sobre autoridades e professores nas igrejas”.
Sujeitai-vos (gr. kupeikõ), i.e., “render-se, ceder :- submeter-se”.
Todo crente deve obedecer e submeter-se aos líderes (pastores, dirigentes, professore, etc), pois são eles responsáveis pelo rebanho. Eles darão conta do rebanho diante de Cristo, pois Cristo colocou as suas ovelhas sobre seus cuidados. Devemos nos sujeitar até mesmo aos reis e governantes (1Pe 2.13-18), pois toda autoridade é constituída por Deus (Rm 13.1-7). Só não devemos obedecer às autoridades quando suas ordens e leis nos levam a desobediência às Escrituras, pois importa antes obedecer a Deus do que os homens (At 5.29).
2. Não dizendo mal contra eles (At 23.4,5 cf. Êx 22.28; Ec 10.20; 2Pe 2.10; Jd 8)
“E os que ali estavam disseram: Injurias o sumo sacerdote de Deus? E Paulo disse: Não sabia, irmãos, que era o sumo sacerdote; por que esta escrito: Não dirás mal do príncipe do teu povo”.
Injurias (gr. loidoreõ), “repreender, i.e., difamar :- ultrajar. Neste caso alguém que difama. Ultraja, repreende”.
Êx 22.28: “Os juízes não amaldiçoarás e o príncipe dentre teu povo não maldirás”.
Maldirás (hb. ‘ãrar), “raiz primitiva; execrar:- amaldiçoar amargamente”.
3. Não estendendo a mão contra eles (1Sm 24.10; 26.9, 16; 2Sm 1.14,15; 1Cr 16.22; Sl 105.15).
Davi, mesmo depois de ungido rei de Israel por Samuel e perseguido por Saul não ousou estender a mão contra o ungido de Deus, pois sabia que grande pecado cometeria ao fazer isto. Davi sabia que Deus estava no controle e que se Saul ainda estava no poder como rei de Israel, era pela vontade soberana do Senhor.
Ungir (hb. mãshah), i.e., “untar, consagrar”. O AT usa este termo comumente para indicar “ungir” no sentido de uma separação especial para um ofício ou função.
4. Devem ser recebidos com gozo e tê-los em honra (Fp 2.29)
Aos filipenses Paulo recomenda que recebam os dois obreiros Timóteo e Epafrodito com alegria e tenham-nos em honra. Esta é a honra que se presta ao valorizar o serviço feito pelo obreiro.
5. Devem ser reconhecidos e tidos em grande estima e amor (1Ts 5.12,13).
Escrevendo Paulo aos tessalonicenses ordena que os irmãos reconheçam os que trabalham entre eles e que presidem e os admoestam, tendo-os em grande estima e amor por causa da obra que realizam.
Reconheçais (gr. eidõ), neste texto: “cuidar de, interessar-se por”.
Estima (gr. hēgeomai), i.e., “considerar”.
Bibliografia

Bíblia de Estudo Palavras Chave - Hebraico e Grego (ARC - 4ª ed.). (2011). Rio de Janeiro: CPAD.