domingo, 2 de maio de 2010

Por que a Teologia das $emente$ é incongruente?


Alguns propagadores da Teologia da Prosperidade têm afirmado: “Quem planta sementes de laranja, colherá muitas laranjas. Quem semeia dinheiro colherá muito dinheiro. E quem semeia muito dinheiro colherá muitíssimo dinheiro”. Os incautos que acreditam nisso aceitam cada novo desafio dos telepregadores das $emente$. E estes, por avareza (2 Pe 2.1-3; 1 Tm 6.10), percebendo que a estratégia está funcionando, pedem valores cada vez mais altos.

Se a Teologia das $emente$ é mesmo uma lei, ela deve funcionar para todos, em qualquer lugar do planeta. E, se isso acontecesse, a miséria do mundo diminuiria drasticamente. Imagine um pobre haitiano, que tenha apenas um dólar no bolso. Digamos que ele, ao ser evangelizado, resolva semear a sua única nota e — miraculosamente — receba cem dólares. Ele, então, semeia dez dólares e, para a sua surpresa, ganha mais mil! Em pouco tempo, apesar de toda a miséria à sua volta, ele enriquecerá. Que testemunho! Tudo começou com uma única semente... Mas, e aqueles miseráveis (como o que aparece ao centro, na imagem acima) que não têm sequer um dólar para semear?

O texto de 2 Coríntios 9 tem sofrido na mão de alguns eisegetas — e não exegetas — da Teologia da Prosperidade. Segundo eles, essa passagem assevera, prioritariamente, que devemos semear dinheiro para colhermos mais dinheiro. É claro que Deus abençoa aqueles que contribuem para a sua obra. Mas o contexto imediato da aludida passagem mostra que Paulo ensinou os coríntios a contribuírem, antes de tudo, movidos por generosidade, e não por necessidade, como que desejando colher mais do que foi semeado.

Ao fazermos uma exegese da aludida passagem neotestamentária, descobrimos que a lei do “semear e colher” foi apresentada pelo apóstolo Paulo dentro de um contexto de auxílio generoso aos pobres. Nada tem que ver com desafios egoísticos para obter prosperidade, riquezas ou para comprar aeronaves, casas, carros, etc. O texto de 2 Coríntios 8.1-6 mostra que os macedônios, conquanto pobres, ofertaram do pouco que tinham para socorrer os irmãos de Jerusalém.

Quando Paulo estimulou os coríntios a serem generosos a favor dos santos de Jerusalém, era notório que eles passavam por sérias dificuldades (2 Co 9.1-5). Os apóstolos haviam solicitado a Paulo e a Barnabé que se lembrassem dos pobres (Gl 2.9,10), e eles trouxeram uma contribuição de Antioquia a Jerusalém (Rm 15.25-32). E foi nesse contexto que o tal apóstolo disse aos crentes de Corinto: “Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com abundância também ceifará” (2 Co 9.6). Ele desejava que os coríntios contribuíssem com espontaneidade e alegria, e não por causa do que receberiam em troca.

Se o que nos estimula a contribuir para a obra do Senhor é prioritariamente a generosidade, não precisamos de pressão psicológica. Entretanto, foi isso que fez, recentemente, um teólogo das $emente$ convidado para pedir uma semeadura de R$ 1.000,00, em certo programa de TV. Esse famoso “doutor” norte-americano ordenou, como se tivesse a certeza de que os telespectadores estavam hipnotizados: “Eu quero que você vá ao telefone, saia da sua cadeira, saia do seu sofá. A obediência retardada se torna uma rebelião”.

O tal “doutor”, considerado “o homem mais sábio do mundo”, mostrando o quanto está distante da sabedoria do Alto, também afirmou: “Quando você quiser algo que nunca teve, você deve fazer algo que nunca fez”. Imagine o que acontecerá se algum incauto resolver aplicar esse infeliz bordão como um princípio geral para a sua vida! Mas a Palavra do Senhor é clara quanto à primacial motivação do cristão, ao contribuir: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2 Co 9.7).

No entanto, de modo irresponsável e deselegante, certo telepregador assembleiano (assembleiano?), em uma de suas falações, chamou de “trouxa” os irmãos que contribuem para a obra de Deus movidos prioritariamente pela generosidade, e não pelo desejo de obterem uma colheita financeira abundante. Ele, com isso, ignorou ou desprezou o ensinamento central de 2 Coríntios 9, de que a nossa contribuição para a obra do Senhor deve ser generosa, e não interesseira: “aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para alimento, também suprirá e aumentará a vossa sementeira, e multiplicará os frutos da vossa justiça; enriquecendo-vos em tudo para toda a generosidade...” (vv.10,11).

Portanto, a Teologia das $emente$ é uma grande falácia, posto que se opõe ao princípio da generosidade. Ela estimula o crente a contribuir por causa de sua necessidade, egoisticamente, e não por generosidade altruísta. Ademais, tem sido empregada para o enriquecimento ilícito de telenganadores, os quais, usando “palavras fingidas” (2 Pe 2.3), produzem cristãos materialistas, que buscam os seus próprios interesses e ignoram as “coisas lá do alto” (Cl 3.1).

Ciro Sanches Zibordi

38 comentários:

Micheline Gomes disse...

Excelente postagem Pr. Ciro!

Que o Senhor continue te erguendo como arauto pela causa do genuíno Evangelho.

Graça sobre ti e os teus!

ALTAIR GERMANO, disse...

Deus continue te abençoando nobre amigo. Vou publicar em meu blog citando a fonte!

Abraços e Paz do Senhor!

ADRIANO JOSÉ URSULINO ISIDRO, 28 ANOS disse...

A Paz do Senhor Jesus Pastor Ciro.

Isso é a mais pura verdade.
Gosto muito deste telepregador, pois já aprendi muita coisa boa com ele.
E para mim ele é uma figura muito importante no cenário evangélico Nacional por sua influência na mídia.

Assuntos como aborto, homossexualismo, etc.., ele sabe debater muito bem. Essa é a minha opnião.

Mas sabemos que o homem de Deus tem que ser perfeito para toda boa obra, ou seja, ele não pode ser bom numa coisa e ser ruim em outra.
Ele tem que reconhecer que está errado em apoiar a "teologia das sementes", e se arrepender de tudo que já disse de errado contra o rebanho do Senhor, pois caso contrário, ele será repudiado por todos os verdadeiros salvos em Cristo (e é o que já está acontecendo).

Continue assim Pastor Ciro, pois uma coisa garanto: O Sr. está mais do que certo.

francisco disse...

Isso mesmo pastor, imagine ai um pastor milionario no brasil (desculpe pastor nao negociante, mascate) que possui 1 milhao de reais, se ele semear um milhao vai receber 100 milhoes ao receber 100 milhoes, se semear 100 milhoes vai receber 10 bilhoes e assim por diate em breve teriamos um trilhonario, desculpe mas nao sei a palavra para depois de trilhonario , mas suponhamosa quadrilhonario, quinlhonario e assim por diante

olharreformado disse...

Postagem excelente, de fato, pastor. Infelizmente nossos púlpitos estão cada vez mais carentes do Pão do Alto, e aí as pessoas começam a se contentarem com as guloseimas do Egito. Impressiona-nos como muitos irmãos não se dão conta do que está acontecendo; que estão, tais 'especialistas', negando a fé "uma vez dada aos santos".

É constrangedor ter de responder a irmãos que ao chegarem no culto no dizem: "Irmão, eu vi uma coisa maravilhosa no programa de Fulano hoje de manhã". Ontem a heresia da Confissão Positiva estava 'lá fora', hoje, estão a empurrando para dentro do quintal assembleiano... O que fazer?

Que Deus nos ajude!

Graça e Paz

Dinho disse...

Pastor Ciro a Paz!!! Por enquanto, a única admirição que tenho pelo SM, é pela coragem que ele tem de enfrentar o movimento gay nesse país. Sei que isso, não tem nada haver com o post. Mas, nessa questão o SM tem dado a cara a tapa....Nisso ele está sendo um verdadeiro atalaia.Porém, não o exime das críticas por ele pregar essa falácia que é a TS. Os pastores no Brasil precisam acordar para essa importante questão. O SM e o Júlio Severo a muito tempo ja se deram conta de que o movimento gay é um perigo a espreita.Precisamos ter audácia pra falar! Em amor, sem discriminar.

Alexsander Piau Alves disse...

A paz do Senhor pastor ciro; ontem fiquei rindo indgnado quando dei uma olhada num tal evento em camburiu ao ver o tal telepastor (enganador),o tal marcola (feliciano)dizendo que DEUS iria liberar uma unçâo de prosperidade para o povo que estava ali naquele recinto, Quanta mentira!isto me causa repugnação. eu tenho certeza que este individuo não conhece o verdadeiro significado da primeira epístola de joão 2:20,27.DEUS o abençoe pastor e continue te usando em suas mãos de bondade.

Tamar disse...

Excelente exegese.

Ouvi falar uma vez na tal "lei da semeadura" bem antes da teologia $ementeira. A tal lei me pareceu totalmente estranha e meio espírita. O Deus dos meus pais (assembleianos) e da denominação que eu havia escolhido (batista) nos tratava com amor, graça e misericórdia. Nosso Deus não exigia oferendas nem sacrifícios de nós. Aquele que estava em Cristo era nova criatura e tinha o Espírito Santo.
Nosso sacrifício era pregar o Evangelho, sofrer para levar Cristo aos perdidos.
Não pregávamos denominação.
Nosso grande problema era "largar o arado" e se deixar fascinar pelas coisas desse mundo.
No Brasil, o contato constante que tínhamos com a macumbaria e com o Romanismo que exigiam sacrifícios, oferendas e rituais nos bastava para saber que Aquele que entregou seu Filho por nós, nos daria tudo.

Estudando a história da igreja e os escritos de pregadores como Spurgeon, Edwards e Wesley não vi nada parecido com a lei da semeadura e muito menos com a Teologia $ementeira.
Para eles Cristianismo era caridade. Receber a caridade, oferecer a caridade.
Nem a cruz o Senhor carregou sozinho.

Modernamente, a caridade caiu em desgraça pela obra de filósofos ateus mas alguns tradutores da bíblia com Tindale trocaram o termo caridade por amor talvez por que a palavra estivesse ligada ao "é dando que se recebe" e ao satânico esquema eclesiástico de arrancar dinheiro dos fiéis feito pelos padres na idade média.

Agora que frequento uma comunidade neopentencostal posso dizer que existe um principado demoníaco se instalando no mundo para transformar nossas igrejas em centros de macumba, e nossos cultos em missas idólatras, e a caridade e a comunhão pelo individualismo ateu.
Os mesmos demônios que se denominaram Baal, Astarote, Mamon e Moloque para enganar os antigos agora se fantasiaram de querubins ungidos.

-----
Ninguém jamais poderia imaginar que o Anticristo viria dessa forma, dentro das melhores igrejas.
Esse prato foi oferecido a Jesus no deserto. Dinheiro, fartura e poder político. Nós chamamos isso de prosperidade!

Satanás maldito, como tú es ardiloso, serpente enganadora e mentirosa que vem nos enredando dentro de nossas igrejas, distorcendo a palavra de Deus aos pouquinhos, persuadindo um pouco de cada vez.
Quando os falsos milagres da mentira começarem a acontecer no mundo inteiro todos dirão que alí que está deus.

O mundo secular já é escravo do dinheiro.
Líderes e sábios de todo o planeta tomam decisões de vida e morte baseadas somente nos ganhos financeiros que podem obter para sí. Nesse ambiente um anticristo prospereiro poderá facilmente dominar tudo.

A paz do Senhor.

silv@ni@ disse...

A paz Pastor Ciro,sua bajuladora chegou de novo!rsrs
Estes artigos tem sido verdadeiros combates contra a exploração dos incautos.
Acho que Deus prospera sim,mas a oferta tem que partir de um coração voluntário e não este jeito de pegar-nos gentilmente a força,só faltam nos virarem do avesso pra tirar de nós o máximo e ainda dizem que é uma oferta voluntária.
A mim ninguém me oprime,eu sempre ajudo, tiro até o que não tenho pra ajudar na obra do Senhor,mas sem dar ouvidos estes espertalhões de plantão.
Tem que ensinar o povo a amar obra de Deus e ajudar de livre e espontânea vontade e não de livre e espontânea pressão.

René disse...

Amado Pastor Ciro,

Esta é mais uma excelente explanação da Palavra.

O que me deixa triste é o motivo da postagem, ou seja, a necessidade de que pessoas com o conhecimento didático da Bíblia ainda têm de conhecerem a Sua essência. Isto mostra que tais pessoas não permitem que João 14.26 seja aplicado em suas vidas. Pelo tempo decorrido, essas pessoas já deveriam ser mestres, ao invés de serem crianças necessitadas de leite e que brincam de serem mestres.

Por outro lado, muitos ainda desconhecem essa Verdade por não terem ouvido a pregação correta. A estes, seu texto servirá para edificação, se o lerem na companhia do Espírito Santo.

Quanto ao comentário da leitora Tamar, gostaria de salientar que a maior arma de Satanás sempre foi a religião e não o ateísmo. E em sua primeira aparição registrada na Bíblia, ele já distorcia a Palavra de Deus. Eva engoliu a estória dele, por sua própria soberba e cobiça, tal qual acontece hoje. Ele continua agindo no "ponto fraco" do ser humano, seja cristão ou não, que é a soberba, o grande pecado que o homem carrega dentro de si. E o esforço do diabo se concentra exatamente onde existe mais chances de alguém ouvir a pregação, se converter e se ligar eternamente a Deus. Assim sendo, não existe uma estratégia surpreendente, mas a falta de oração e vigília.

Que a Paz do Senhor Jesus continue com você, sua família e seus leitores!

ZEZINHO disse...

PR.CIRO,
PAZ DO SENHOR.
HOJE PELA MANHÃ LÍ SEU ARTIGO E SEMPRE PARARABENIZO-O PELA OUSADIA E INTREPIDEZ EM DEFENDER A PUREZA DO EVANGELHO.
FAZENDO UM LONGA REFLEXÃO SOBRE O ARAUTO,PR CIRO ZIBORDI, LEMBREI-ME
DE OUTRO OUSADO ARAUTO QUE DEFENDEU COM OUSADIA E CORAGEM AS VERDADES DO EVANGELHO.
NO DIA 31 DE OUTUBRO DE 1517 FOI FIXADA NA ABADIA DE WINTEBERG CONTRA O COMERCIO DE INDULGENCIA, AS 95 TESES DE LUTERO.
TIVE O CUIDADO DE OBSERVAR AS TESES,27,28,43,46,52,57,86,92.
A TESE 54 DIZ : COMETE-SE INJUSTIÇA CONTRA A PALAVRA DE DEUS QUANDO,NO MESMO SERMÃO CONSAGRA TANTO OU MAIS TEMPO A INDULGENCIA DO QUE A PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS.
ACHO QUE JÁ OUVÍ ALGO SIMILAR.
PR. CIRO ESTIVE PENSANDO TAMBÉM SE PORVENTURA VOCÊ NÃO PODERIA TAMBÉM ELABORAR ALGUMAS TESES SEMELHANTES, CONTRA ESTES FALACIOSOS ENSINOS QUE TEM SURGIDO.
SÃO TANTAS AS ABADIAS QUE ESTA TESE PODERIA SER AFIXADA.
HAJA CÓPIAS........

ZEZINHO SP CAPITAL

Luciano Vieira disse...

Graça e paz!

Excelente artigo digno de replicagem.

Estarei postando em meu blog, com a sua permissão.

Em Cristo,

Luciano vieira

Lucmoraes disse...

Pr. Ciro,
A teologia das Sementes é muito perigosa mesmo! Moro em Timon-MA, o senhor inclusive nos visitou algun tempo atrás, e aqui, recentemente, ocorreu um crime bárbaro que chocou tanto Timon quanto Teresina. Uma moça matou a machadadas seus pais, dois idosos, e após matá-los os esquartejou. Há, inclusive, comentários de canibalismo. Tal moça frequenta uma famosa igreja que utiliza das "$emente$" e que está em guerra com uma grande rede de TV, e a assassina "evangélica" disse que matou seus pais porque estes não deram dinheiro para ela ofertar nessa igreja "evangélica". Agora a polícia está investigando se o pastor dessa igreja teria constrangido essa moça, que se sabe que possui problemas mentais, a dar uma quantia que a mesma não possuia. Olha onde a teologia das sementes colocou o povo evangélico...

Anônimo disse...

Prezado Pr. Ciro:

1. Glórias a Deus, por sua exposição. Realmente, não tem por onde correr. Então, que mistério é esse? Por que (muitos!) que deveriam defender a “fé que uma vez foi dada aos santos”, estão plantando grão$, muda$ e semente$ (na horta desse pessoal) e, o que é pior, emprestando credibilidade a eles?

2. Imagine se “a ficha caísse” e uma dessas lideranças, para ser coerente com a Teologia Bíblica (da revelação progressiva) passasse a ensinar que as contribuições não são obrigatórias e nem condições para ser abençoado; que ninguém perde a salvação por “roubo” (entenda-se: não dizimar e não ofertar); e que, ato contínuo, o tal líder se recusasse a recebê-las na “casa do tesouro”. Sabe como, mais ou menos, terminaria essa história?

3. Um sem números de pessoas, por medo ou por interesse, abandonaria a referida liderança e adentraria pela primeira porta larga que encontrassem, onde esses sejam são enfatizados. Mas, não sem motivo... Quem iria querer arriscar ver seus bens “desprotegidos” contra o “devorador”; ou abrir mão da oportunidade de $emear dez para receber cem?...

4. Esse tipo de “teologia” fácil não exige muito (discernimento!...). Quando um dos “amigos” de Jó sugeriu que ele adotasse as mesmas práticas do toma-lá-dá-cá dos “deuses” da terra, o Deus Verdadeiro a quem Jó servia, quis destruí-lo porque insinuou que DEUS se compraz com “ofertas” e se deixa subornar, tal como “Mamom” e companhia...

5. A pergunta que não quer calar é a seguinte: “Por que se continua a pregar Ml 3:7-12 e Ageu 1:1ss de forma velada ou explícita, nos púlpitos assembleianos, para “constranger” o povo a contribuir? Exatamente como faz esse pessoal (talvez, com uma ênfase menor)? Por que sobrepor a Teologia do Velho Testamento à Teologia do Novo Testamento, destinada a Igreja? A revelação não é progressiva? Por que se jejua, se consagra para participar da Ceia do Senhor e não se tem o mesmo cuidado com a adoração, por meio das contribuições (Mt 5:23, 24)? Isso não desfigura a oferta como um ato de adoração?

6. A opinião dos teólogos cristãos que vivem nos países onde professar o Cristianismo é crime de lesa-pátria e passível de pena capital (Sudão, Coréia do Norte, etc), contribuiria muito para a discussão. Esse ensino realmente concorre com a utópica filosofia comunista, para a solução da pobreza. A diferença é (quase) mínima: no comunismo se entrega tudo nas mãos do Estado; e na Teologia da Prosperidade se entrega (dependendo da fé-na-fé...) tudo nas mãos de seus profetas (Dt 13:1-5; 18:20-22)!

7. A solução não é nova, mas é radical: ensinar até a exaustão. “Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.” (Fp 3:1b); e ensinar enfaticamente que “dízimos & ofertas” não são moedas de troca. As pessoas vêm a Cristo pelos mesmos motivos daqueles dias passados. A missão de confrontá-las dessa vez é nossa (Jo 6:26, 27).

8. Assim sendo, assistimos ao vivo e a cores o cumprindo da profecia bíblica que diz que virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências.
02 Mai 10
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.

Cleverson disse...

Se o senhor permitir usarei em minha proxima pregação. E é claro que falarei a fonte.

Alguns meses atras aqui em Curitiba, tive a oportunidade, ou infelicidade de ver um dos pregadores da Prosperidade Afirmando que tem 03 aviões a jato, Varias pessoas trabalhando para ele, escritório 24 horas a espera de ligações, viagens pelo mundo todo.
Isto mesmo, o tal Murdock, ele falou que tinha 10 pessoas, se não me falha a memória, que Deus tinha ordenado abençoar aquele ministério onde ele estava pregando, com a quantia de R$ 1000.00,e que se eles não tivessem aquele momento que fizessem cheques pré-datados para não deixarem de semear. Pastor Ciro de Deus, pasme, o pessoal foi para a frente e começaram a tirar dinheiro dos bolsos, e o pior, tinha até alguns pastores da Assembleia de Deus que quando perguntei se eles eram pastores da Assembleia de Deus eles ficaram se olhando um para o outro e sem saber o que dizer, Meu Deus.
Comentei com minha esposa que aquilo era o maior discaramento com o povo.
Porem, ele, o pregador, se é que podemos chamar aquilo de pregador, distribuiu uns livros de graça para o povo e o pessoal nem percebeu que estavam sendo enganadas.

Amado, que Deus continue lhe dando forças para combater estes Alexandres Latoeiros.

Em Cristo,

Cleverson
Curitiba - PR

João Paulo disse...

A paz do Senhor, pr. Ciro!

Esta postagem foi muito feliz!
Gostaria de saber se eu poderia, com sua permissão, postar alguma (s) postagem (ns) sua (s) no meu blog, mencionando a fonte. Por favor, dê-me retorno. Deus o abençoe muitíssimo, meu amado!

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza
http://jpmsouza.blogspot.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão João Paulo,

A paz do Senhor!

O irmão pode sim usar o texto citando a fonte.

Um grande abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Paulo Ceroll,

Grato pelas palavras, que muito enriqueceram o que escrevi.

O dízimo antecede a Lei de Moisés e foi mencionado por Jesus, no tempo da Graça (Mt 23.23). Mas, a despeito de ser atemporal, não contribuímos prioritariamente por força do mandamento. Toda e qualquer contribuição (dízimos e ofertas alçadas), nesse tempo da Graça, é antes de tudo um ato de generosidade.

Fazendo um paralelismo com a evangelização, pregar o Evangelho é um mandamento (Mc 16.15), mas o cristão que se preza prega, antes de tudo, por amor a Deus e ao próximo.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Zezinho,

Grato pela sugestão. Vou me apressar em atendê-la, antes que "o homem mais sábio do mundo" resolva escrever o livro "AS 95 TE$E$ DO DR. M.M.".

Que Deus o abençoe!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmã Silv@ni@,

Não admito bajuladores! Risos...

Grato pelas palavras de incentivo e pelos sinceros parabéns, que muito me motivam a continuar escrevendo.

Um grande abraço.

CSZ

Renato Santiago disse...

Pastor Ciro;

Belo texto mais uma vez, precisamos de mais pessoas como o senhor, tementes a Deus e que não temem ao homem para expor o verdadeiro evangelho de Cristo.
Além de tudo o senhor não é coorporativista, pois denuncia os desvios dentro de sua propria denominação, isso dá mais credibilidade ainda às suas análises.

Abraço

Em Cristo

Renato Santiago - BH/MG

Girlady Bouvier disse...

Comento essa postagem com um relato.

Todo ano, a minha igreja adota um 'tema'. Esse ano é o 'ano da colheita' e adotamos essas verdades: só colhe quem planta; só se colhe o que se planta; só se colhe onde se planta; se colhe mais do que planta.

mas essa colheita não é necessariamente financeira. a colheita representa todas as áreas. a semeadura não é somente uma oferta, é uma santificação continua.

uma das lições expostas nas aulas mais recentes da nossa EBD é que não importa o quanto você dá ou o que você faz - Deus te abençoa somente se for de Sua vontade, e não por algum merecimento nosso. Afinal, a graça não é assim? A salvação não foi assim?

Até acredito que algumas pessoas que dão ofertas 'gordas' a Deus são abençoadas - mas apenas porque plantaram fé e não fizeram barganha. O problema é que a maioria das pessoas transforma essa graça em barganha, e o evangelho torna-se um comércio.

O intrigante é que, alguns anos atrás, ouvi esse pregador dizer que 'prosperidade significa ausência de necessidade, e não riqueza'.

Excelente exposição, Pr Ciro. Não ligue para pedras. Aprendi a pouco tempo que o discernimento é para poucos.

Fique na Paz!

João Paulo disse...

Amado pastor Ciro, muito obrigado pela permissão de poder postar qualquer de seus artigos em meu blog. Porém eu gostaria de poder também anunciar o link do seu blog no meu, pois anelo que a verdade da Palavra transmitida pelo senhor, que é, sem dúvida alguma, um homem de Deus, tenha caminho livre pela minha página pessoal, na web.

Um abração.

João Paulo M. de Souza

MARIO CESAR DE ABREU disse...

Pastor Ciro,
A paz do SENHOR,
É grande minha satisfação ao ver esta matéria ou melhor, ensinamento das Escrituras no blog do Pastor.
Será que estes "sábios e entendidos" e o tal telepregador vão continuar pregando "ensinos de demonios"?(I timóteo 4:1)

Mizael e Vanessa disse...

Olá Pr Ciro,

Tendo comichões nos ouvidos, tais pregadores ignoram a vara da correção de Deus; sua Palavra a dizer:

Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus. 2Co 2.17

Deus o Abençõe pastor, rica e abundantemente.

Em nosso reduto denominacional, infelizmente, sua palavra é rara de se ouvir.

Graça e Paz
Mizael

Oziel Castanho disse...

Caro Pastor Ciro,
Li a resposta do senhor ao irmão Paulo Ceroll, e tive esperanças de ter uma dúvida definitivamente solucionada:
Sou membro da Assembleia de Deus em Curitiba, Paraná. Ouvi de um pastor durante uma escola dominical que quem não entrega o dízimo não é obediente à Palavra de Deus. Já ouvi falar, a principio baseado no que Jesus disse aos apóstolos, que o que for ligado na terra seria ligado no céu e/ou o contrário, que nossos pastores, sendo autoridades eclesiásticas, teriam alguma "autonomia" (não sei se essa é a melhor palavra) para determinar, excluir, adicionar
alguns mandamentos ou proibições, desde que de acordo com a Bíblia.
Assim sendo, gostaria de saber se os pastores têm tal autonomia; se essa desobediência tem implicações eternas como imagino que teria, uma vez que os desobedientes não herdariam o Reino de Deus; se o pastor exagerou na orientação, ou algo assim.
Tempos atrás eu entregava o dízimo, mas por problemas de administração acabei deixando de dar, e no momento não tenho condições financeiras de fazê-lo (Gostaria muito de voltar a contribuir como antes).
Tentei esclarecimentos com outros obreiros, mas infelizmente eles acabaram "fugindo" da resposta. Não sei se não sabiam responder ou não quiseram bancar a resposta.
As "aspas" não indicam ironia ou algo parecido, e sim temor de parecer desrespeitoso.
A Paz do Senhor.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Oziel Castanho,

A paz do Senhor!

Vamos esquecer um pouco o dízimo. Falemos sobre a evangelização. Evangelizamos por amor ou por força do mandamento? Priotariamente, por amor, mas também porque somos obedientes ao mandamento contido em Marcos 16.15. Segue-se que o cristão que não evangeliza é desobediente. Mas, antes de tudo, não demonstra amor para com o seu Senhor e para com o próximo.

"Grosso modo", quem não evangeliza demonstra ser desamoroso e desobediente. Mas, há outro fator que leva alguém a não evangelizar? Sendo este uma pessoa sadia, tudo o que dissermos, além de falta de amor e de obediência à Palavra, será uma tentativa de se desculpar: falta de tempo, de oportunidade, etc. Afinal, podemos evangelizar das mais diversas formas: ao ar livre, pessoalmente, por carta, por e-mail, na escola, no trabalho, em casa, etc.

Voltemos ao dízimo. Para quem o considera um mandamento, haja vista a sua atemporalidade, não entregá-lo, sem ter uma boa razão, é falta de amor à obra de Deus e desobediência à Palavra. Existem outros fatores que impedem alguém de cumprir esse mandamento? Sim. Quais? A falta de trabalho, por exemplo. Quem não trabalha dará dízimo do quê? E, ao deixar de entregar o dízimo, estará em pecado? É claro que não!

Falemos agora sobre o "ligar e desligar" que compete à Igreja. Considerando que Cristo é a Cabeça da Igreja, quando alguém é ligado/desligado pela Igreja (ligado/desligado de fato), é porque foi antes ligado/desligado no Céu. É isso o que o Senhor Jesus quis dizer em Mateus 16. Uma tradução livre, a partir dos originais, seria: "Tudo o que desligardes na terra já foi antes desligado no céu".

Isso significa que não é um obreiro autoritário que vai excluir alguém, a bel-prazer, da Igreja. Esta apenas confirma o que Deus já fez, seguindo a orientação da Cabeça. E eu não vejo nenhuma base bíblica para excluir um cristão quem não tenha condições de entregar o dízimo. Até porque entregar o dízimo é um ato pessoal, voluntário, que deve ocorrer sobretudo por generosidade, e não por pressão ou coação.

É claro que há casos e casos. Existem aqueles irmãos que não contribuem para a obra de Deus porque estão passando por dificuldades. E há aqueles que, messmo tendo condições de contribuir, são avarentos, egoístas, amantes do dinheiro. Sobre esses, não tenho dúvidas, se aplicará a regra da semeadura, negativamente, mais cedo ou mais tarde, como lemos na Epístola aos Gálatas, 1 Timóteo e Tiago.

Espero ter ajudado o irmão a entender melhor o assunto.

Em Cristo,

CSZ

Jabes Nogueira Filho - pastor disse...

Querido,
Muito boa reflexão sobre um tema que tem se tornado viceral em nossas igrejas.
Permita-me postar em nosso blog para a edificação de nosso povo.

Jabes Nogueira Filho - pastor
http://ibsolnascente.blogspot.com

Marcelo Dornelas disse...

Caro pastor Ciro,
estive no congresso gideões missionários da última hora em Camboriú/SC esse ano pela primeira vez,para ver de perto o congresso que é tão falado e que desperta o interesse de muitos,fiquei em parte muito decepcionado e explico,primeiramente vi 3 tipos de pessoas,aquelas que estavam ali por puro comércio,outras apenas para aparecer e outras buscando algo espiritual.O primeiro grupo,dispensa comentários,o segundo,composto até mesmo por pastores e membros que usam o congresso para desfilarem como super-homens de forma exótica e excêntrica, na maneira de falar,agir e de se vestir colocando para fora todo seu ego e síndrome de super-héroi, num lugar onde quem deveria brilhar era apenas Jesus Cristo,e o terceiro(muitos indo indo pela primeira vez,inclusive eu) querendo ser ministrados espiritualmente,(agora entendo porque a CGADB ,apesar de ter visto uma livraria da CPAD lá,sempre teve um pé atrás em relação a esse congresso)sei que é um congresso de missões porém algo que me escandalizou e não só a mim,mas a muitos no local foi o momento das ofertas(essa parte não fica registrada nos DVD`s que assistimos),os fins não podem justificar os meios,sei que dízimos e ofertas é algo bíblico e importante,por isso torna-se importante conscientizar as pessoas,principalmente em relação às ofertas num congresso de missões,porém deve existir ética em relação a isso,o dízimo e sua importância por exemplo deve ser ensinado pelo pastor,mas jamais imposto,visto que no final das contas é algo entre a pessoa e Deus assim como as ofertas que devem ser dadas sim,mas de coração aberto,de forma generosa e voluntária e não por necessidade ou constrangimento(como diz Paulo Romeiro:”ninguém vai me convencer que Jesus Cristo morreu na cruz para me dar um celular”),porém o que vi foi um show de barganha e constrangimento,capaz de deixar as igrejas Deus é amor e também as do ramo neo-pentecostal com inveja,os pastores “pidões”Paulo Marcelo,Marco Feliciano e Junior Souza(ou Junior Bola),ja previamente separados para tal fim,deram uma aula de como tirar dinheiro das pessoas,aproveitando até mesmo quem sabe da ingressão do pastor Silas Malafaia(e por falar em Silas,esse vai pregar no congresso G-12 em Porto Seguro como convidado especial,coerente ele não?ah,mas não tem problema pois ele mesmo disse que pode-se caminhar com pessoas sem que nenhuma delas abram mão de suas idéias e convicções teológicas,bastante ecumênico ele)na teologia da prosperidade(cuidado!quem discordou dele foi chamado de trouxa,idiota e bandido na TV) e na distorção que ele criou ou aderiu em relação a lei da semeadura para fazerem isso ainda com mais esmero(Se até o Malafaia entrou nessa porque eles não podem?se a liderança faz,os liderados querem se esbaldar),usando de todas as táticas possíveis e imagináveis me dando sensação de nojo e mal-estar e não só a mim como também a muitos presentes(agora entendo porque muitos homens de Deus se recusam a ministrar nesse congresso e outros por terem princípios bem conhecidos por todos sequer são convidados).Até mesmo o candidato José Serra e o governador de Santa Catarina passaram por lá aproveitaram a canja para ofertar de “coração”perante aos eleitores em potencial e usar o púlpito para dar um pequeno discurso político(Lula também foi convidado mas não pode ir).É,parece que os gideões missionários se tranformou esse ano(ou se já é há muito anos,aí já não sei)num verdadeiro comércio simônico e num show da fé(qulquer semelhança,não é mera coincidência)ou gospel,lamentável.Abraços pastor Ciro.

Marcelo Dornelas disse...

Aproveitando o ensejo gostaria de comentar sobre o restaurante missionário montado ao lado do ginásio onde estava sendo realizado o congresso dos gideões missionários da última hora em Camboriú/SC que teve uma postura nada missionária no domingo,a latinha de coca-cola que estava sendo vendida até então a 2 reais "misteriosamente"passou a ser vendida a 3 reais e outros produtos também aumentaram de preço,não precisa de exegese e nem hermêneutica para entender o que aconteceu,a questão é que no domingo o movimento é maior e aí aproveitaram para angariar mais fundos para a "obra"(mais ainda!?),que absurdo!.

Elaine Cândida disse...

Pois é, Pr. Ciro...

Tudo esse povo reverte para uma visão de prosperidade. Isolam trechos da Bíblia que nada têm a ver com dinheiro e transformam as santas mensagens de conversão e morte do eu naquelas palestras motivacionais que os ambiciosos dos últimos dias querem ouvir.

Dia desses vi uma "bispa" de uma igreja que está mesmo precisando renascer em Cristo, pregando sobre a visão de Pedro (Atos 11.4-9) e explicando que, assim como Pedro, nós só temos visões de problemas, de dificuldades... nós dificultamos as coisas que o Senhor já facilitou. Mas que o Senhor estava dando uma visão de vitória, de prosperidade, de bênçãos para os presentes naquele templo, "porque Ele já determinou isso para nós" (sic).

Outra vez, vi a mesma "bispa" pregando a passagem dos discípulos no barco, quando Jesus veio acalmar a tempestade (Mateus 14.22-33). Sua mensagem ensinava que quando nós temos um problema (como os discípulos em meio à tempestade), temos a tendência de ficar ainda mais perturbados quando vemos outro problema aparecer ("Puxa, meu Deus! Não basta a tempestade, agora tem também um fantasma?"-SIC). Mas enfatizou que Deus está no comando e que esses momentos não são horas de choro, mas de nos apegar ainda mais a Deus "porque Ele tem vitórias e conquistas para nós" (sic). [OBS: Ela não explicou que o fantasma era Jesus. Apenas elaborou e expôs mais uma de suas teses triunfalistas.]

E pra matar de vez o Evangelho, a "bispa" também esteve pregando (entre tantas outras aberrações), sobre Mateus 6.22-23. E afirmou com segurança (não sei exatamente em quê - mas certamente não provém do Senhor), que "se os seus olhos forem maus, o seu corpo ficará cheio de escuridão. Assim, se a luz que está em você virar escuridão, como será terrível essa escuridão! Se você continua vendo só problemas na sua frente, só derrota, só dificuldades, tudo será escuridão." Mas Deus já ia clarear os olhos escuros de quem só estava vendo problemas à sua frente, para que ele visse também a vitória, as bênçãos que Ele já conquistou para nós." (sic)

Honestamente, eu não sei que desocupação tão grande era essa em que eu estava para conseguir assitir cerca de cinco minutos desses três programas em dias diferentes. Só sei de uma coisa: meu estômago embrulhou e eu desliguei a tv. Fiquei com trauma e nunca mais liguei nesse canal...

Fui pedir a Deus perdão por essa gente que faz isso com a Palavra de Deus... e com o resto do mundo que precisa conhecer a verdade e está afundando na "mentireba" da prosperidade.

Ainda estou pedindo a Ele misericórdia para com essa gente que está envergonhando o Evangelho imaculado que o Bom Jesus nos deixou.

Que Deus tenha misericórdia de quem poderia usar tantos recursos que Deus deu para expandir o Reino Eterno e, em vez disso, vive apenas para construir seu próprio reino aqui...

MINISTERIO PASTORTOLENTINO SILVA disse...

Ciro Sanches Zibordi porque vcs falam mal de vcs mesmo???
"Pessoas inteligentes falam sobre idéias, pessoas comuns falam sobre coisas e pessoas medíocres falam sobre pessoas". Que tipo vc é???????????????????????

Ciro Sanches Zibordi disse...

Sr. Tolentino,

Se pessoas medíocres falam sobre pessoas, e o senhor em seu comentário falou sobre elas, as quais chamou de "vcs", então nós (eu e os internautas que escrevemos acima), com todo o respeito, devemos concluir que "o tipo" que acabou de nos escrever é um medíocre!

Sinceramente, prefiro acreditar que o senhor é apenas alguém desinformado e que não sabe distinguir entre a crítica aos erros das pessoas, com humor, e o ataque pessoal.

Mas parabenizo-o por ter coragem de discordar sem se esconder atrás do anonimato.

Que Deus o abençoe!

CSZ
p.s. A minha defesa não é a igrejas, e sim ao Evangelho (Fp 1.16). Não escrevo para agradar ou atacar, mas para defender a verdade.

Marcelo disse...

Ouvi de um pastor que para ser um pregador de renome tem que passar pelo púlpito dos gideões,discordo em gênero,número e grau,assim como os muçulmanos possuem sua meca e os católicos sua Aparecida do Norte/SP(que também virou comércio),os evangélicos também tem seu "point" em Camboriú regrado a muito dinheiro.

Lucas Marin disse...

A Paz do Senhor seja contigo Pr. Ciro.

Volto aqui depois de muito tempo sumido por conta do trabalho...

Estava lendo o 2 Corintios cap. 9 e vi algo interessante, uma palavra, mas que "mata a charada";
Entendo que a sede exagerada pelos bens materiais, as coisas que a traça e a ferrugem consomem, mesmo conjunto com uma gorda oferta a Igreja (que seja ajuda aos pobres ou a pastores ricos), querem mesmo as riquezas desta terra, ignorando as profundas riquezas que provém diretamente de Deus;

Romanos 11:33 Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!

Para mim, então, nada mais é a avareza anuladora de toda a benção que a ajuda em amor ao próximo e a cima de tudo a Deus, não se pode semer com alegria onde reina a ambição do que quer um galardão corruptível, esse tal já estará corrompido por este mundo.

2 Corintios 9.5 Portanto, tive por coisa necessária exortar estes irmãos, para que, primeiro, fossem ter convosco e preparassem de antemão a vossa bênção já antes anunciada, para que esteja pronta como bênção e não como avareza.

Que o Senhor possa nos abençoar e não percamos de vista o Alvo: Jesus Cristo!

gilbereto dos santos nobre disse...

Pr,ciro. Apaz de senhor. gostaria de saber sua opinião. sobre um crente que diz que é um profeta de Deus e vaso. num momento de dificuldade na vida passa pelo um despacho de macumba e pega uma galinha que foi oferecida ao demunio. e leva para casa come , e depois vai na igreja e diz que foi providencia divina.pasme a igreja ainda glorifica. vi istom num circulo de oração da bereia.estou desaprendendo. ou Deus pode faser isto?

Anônimo disse...

A paz do Senhor Pr Ciro.

Ou eu não encontrei ou não tem mesmo algum comentário seu sobre a copa. Gostaria que escrevesse alguma coisa sobre isso.

Um grande abraço.
Elder

samuel souza disse...

muito bom pastor ciro gostei da sua explicação sobre o assunto creio que nós precisamos estudar mais a palavra de Deuus para não sermos enganados pelos aproveitadores do evangelho