quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Desculpe da minha pergunta, ignorante!


Passei alguns dias em São Paulo, com a família, e numa de nossas visitas a um grande shopping center redescobri — a duras penas — como a vírgula e a tolerância são importantes.

Eu estava num restaurante do tipo self service e me esqueci de pegar a famigerada bandeja. Já com o prato na mão, me apercebi de que estava faltando alguma coisa. Olhei para trás e havia uma jovem senhora, com semblante carrancudo — ou, como alguém diria: “com cara de poucos amigos”. À sua frente havia uma bandeja. Pensei em pegá-la, mas preferi antes fazer uma pergunta aparentemente óbvia àquela senhora:

Por gentileza, essa bandeja é sua?

Como fui ignorado, insisti:

Por favor, senhora, essa bandeja é sua?

E a resposta que ouvi foi, no mínimo, grosseira e inoportuna, até porque estávamos no dia 2 de janeiro, iniciando um novo ano:

É óbvio que não, pois já estou com a minha bandeja!

Sim, minha senhora, mas pensei que estivesse acompanhada... Desculpe da minha pergunta ignorante — respondi.

Ignorante é você! — disse ela, esbravejando.

Eu não disse que a senhora é ignorante. Disse que a minha pergunta foi ignorante — na verdade, ignorante para ela, pois para mim o questionamento foi procedente —, pois, se a senhora está com uma bandeja na mão, é óbvio que esta não poderia ser sua... — argumentei.

Ai, meu Deus... — resmungou ela, com desprezo.

Feliz ano novo! — concluí, com ironia.

Por que fiz a pergunta “idiota”, que deu início à mencionada discussão? Porque, se eu simplesmente pegasse a bandeja, correria o risco de ouvir: “Essa bandeja é do meu marido”, etc. Por outro lado, se aquela senhora não estivesse “armada”, logo no começo do ano, toda a discussão teria sido evitada. Primeiro, porque ela teria respondido à minha pergunta, ainda que a considerasse óbvia, com um simples: “não”. Segundo, ela não teria acrescentado uma vírgula antes da palavra “ignorante”, em minha frase “Desculpe da minha pergunta ignorante”.

Moral da história: para nós que escrevemos, o emprego correto da vírgula é imprescindível, pois podemos deparar com web-intolerantes de plantão e não dispomos de entonação num texto...

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

44 comentários:

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor!!!

Não entendi perfeitamente, mas serviu para mim, pois tenho dificuldades em escrever, e por isso que comecei escrever. rsrsrs

Deus me ajude!!!

rsrsrs

Fique com Deus!!!

Deborah disse...

Hehehe :D
Muito bom!

Artur Ribeiro disse...

A paz do Senhor.

Pastor Ciro, muito engraçada a situação descrita. Cremos que na hora não foi nada agradável.

Porém, durante a leitura do texto nos rimos bastante imaginando seus gestos e os da senhora.

Tudo por causa de uma vírgula (e claro da entonação).

Aproveitando o ensejo da moral, aquilo é a mais pura realidade. Blogueiros há que não se esmeram em aprender o bom português, tanto para a leitura quanto para a escrita.

E o que dizer de quase todos os pregadores? Pelo que vemos, muitos não aprenderam nem a escrever uma boa redação; como vão preparar um sermão que honre as Escrituras? Só restará dizer que Deus dará tudo e sempre na hora. Absurdo!

Um abraço,

Artur Ribeiro
http://blogdoarturribeiro.blogspot.com/

Ciro Sanches Zibordi disse...

Querido irmão Artur Ribeiro,

Está aí um assunto interessante para o I Encontro de Editores e Leitores de Blogs Apologéticos: a preocupação do blogueiro com a escrita correta.

Um grande abraço!

CSZ

Artur Ribeiro disse...

Há um vídeo de 1 minuto muito útil a esse respeito.

Abraço

Ciro Sanches Zibordi disse...

É mesmo, irmão Artur? E qual é o vídeo?

CSZ

Felipostagens disse...

Acontce, acontece.É que as pessoas, muitas delas, não todas, estão andadando muito irritadas e com isso, vivem com estupides, mas, Deus dá graça.

Fique com Deus!

Artur Ribeiro disse...

Ops, pastor Ciro, não é que esqueci justamente o endereço do vídeo?

Porém, não há problema, pois, como se poderá ver, segue, abaixo, o endereço sugerido.

Um abraço,

Artur

http://www.youtube.com/watch?v=JxJrS6augu0

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor!!!

Respeitando o que o irmão Atur escreveu, não concordo com que ele disse, a respeito de pessoas que não sabem elaborar um sermão.

Ele disse: E o que dizer de quase todos os pregadores? Pelo que vemos, muitos não aprenderam nem a escrever uma boa redação; como vão preparar um sermão que honre as Escrituras? Só restará dizer que Deus dará tudo e sempre na hora. Absurdo!

Não podemos ficar ironizando, sem nos precuparmos com pessoas que não teve a sorte e condições para estarem em uma sala de aula, ou de um seminário aprendendo a homilética.

Equanto escrevo, me recordo de um acontecimento na minha igreja.
O irmão Carlinhos, em uma renuião de obreiros, havia ficado triste por termos tocado em um assunto tão delicado, (ENTRE NÓS), de obreiros que falavam errado, ao olhar em sua face vi o decontentamento, e fiquei sentido por ter colaborado com tudo que foi dito.
Até que um dia, em um certo culto, o irmão Carlinhos nos surprendeu, pois depois de uma pregação cheia de palavras, que ao nosso ver seria condenadas, o Espírito Santo encheu o lugar, e o mais tremendo foi que houve salvação de vidas, batismos com Espírito santo e curas.

Creio que Deus usou o irmão Carlinhos para nos da uma linção, pois estamos tão preocupados em como falar, escrever, se expressar etc... que muitas das vezes a enfaze dada a isso acaba atrapalhando a nossa espíritualidade.
Contudo não desfaço, da necessidade de estarmos aprendendo mesmo a falar melhor e escrever melhor, o que discordo é o dismerecimento, que muitas pessoas, e também obreiros fazem a certos irmãos.

Sejamos equilibrados, para que nós, não venhamos fazer um jugamento equivocado, que nem mesmo o nosso Senhor faria.

Deus abençoe a todos!!!

Jean Patrik disse...

A respeito do vídeo que o irmão artur indincou, é muito bom, já assintir, e vou sugar tudo para ver se melhoro um pouco, pois preciso muito. rsrsrsrs

Paz

Prof Damasceno disse...

A paz, meu nobre companheiro apologeta. Foi hilário, claro. Mas são situações do cotidiano que, se não nos precavermos de muita cautela e calma, podemos vivenciar quando menos esperarmos.

Sim, depois de receber muitos emails de amigos meus pedindo um posicionamento sobre sua participação no assunto DAKE x CPAD, acabei de postar em meu blog um posicionamento e gostaria que sua pessoa lançasse um olhar crítico sobre a postagem. Com certeza, saberei receber suas considerações sobre o que escrevi.

Outrossim, assumi a Coordenação Geral de EBD do campo da AD de Lago da Pedra, MA (www.adlagodapedra.com.br) e vamos fechar nossa agenda anual segunda-feira próxima.

Tenho planos, de Deus aprovar e sua agenda me for benéfica, de trazê-lo aqui para um evento regional.

Nos laços do Calvário,
Prof Damasceno
www.profdamasceno.blogspot.com

Anônimo disse...

Estimado Prº Ciro Sanches Zibordi
Shalom.

Engraçado......e perigoso.
Recordo-me agora de um irmão que toda vêz que fazia a leitura de um têxto das Escrituras na igreja ele fazia questão de pronunciar em voz alta a tal da "vírgula" ou qualquer outro sinal gráfico que aparecia no têxto. Todos davamos boas risadas, com todo o cuidado é claro para não espantar o cliente. rsrsrsrs.
Destaco em seu texto além da vírgula, a palavra "ignorante" que significa não ter conhecimento do fato.
A medida que alargamos o nosso conhecimento corremos o risco de sermos incompreendidos em alguns ambientes onde exitam pessoas leigas. Como educação vem de bêrço e não de um banco de escola, o risco de discussão é grande.

Boa esta matéria para reflexão.

Fraternalmente em Cristo Jesus,

José Roberto Santana. 45 Pb.
Um dos remanescentes lutando para ser achado fiel no grande dia "encontro nas nuvens"
Jesus prometeu. Ele virá.

Min. Ass. de Deus de Cubatão -SP

Ivan Tadeu Panicio Junior disse...

Saudações Pastor Ciro!

Antes, votos de um bom ano novo e com realizações novas da parte de Deus.

E para quem escreve, até numa fila extraímos uma reflexão, e foi o que aconteceu.

Falar sobre a escrita correta e leitura correta, seria mesmo seria sim um dos bons temas, entre outros.

Nos falamos na seqüência

Forte abraço
Ivan Tadeu

Ministério Missões e Avivamento Já - Pregador Wallas Saraiva disse...

Muito bom!De fato o correto uso da língua portuguesa faz bem a todos!

WILLAS MARCOS disse...

Pastor Ciro, acompanho já algum tempo seu blog e dou graças a Deus por sua vida, esse post "Desculpe da minha pergunta, ignorante!", veio bem a calhar, comecei um blog a algumas semanas e todas as dicas são úteis, ah, e que situação o senhor passou hein? Então, se não for pedir demais, gostaria que o senhor desse uma olhada no meu blog e desse sua opinião de blogueiro e cristão experiente. Se o senhor preferir pode responder no meu e-mail: wilhamms@hotmail.com.O endereço do blog é http://para-adorar.blogspot.com/
Aguardo resposta . A paz do Senhor Jesus Cristo amém.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro professor Damasceno,

A paz do Senhor!

Agradeço-lhe pelo "apologeta".

O que eu mencionei no relato acima foi só um exemplo de como, em nosso quotidiano, nos defrontamos com situações pelas quais somos provados. Em outros tempos, eu teria emitido um som parecido com o relinchar dos cavalos, em resposta à grosseira da mencionada senhora...

Oh, não sabia que a minha participação no blog Point Rhema geraria tantas discussões! Li as suas considerações, em seu blog, atentamente, nada tendo a comentar sobre a Bíblia de Estudo Dake. Por enquanto, mantenho a minha posição de nada comentar acerca do assunto. Mas a sua abordagem está bastante equilibrada. Parabéns!

Agradeço-lhe, finalmente, pela intenção manifesta de me convidar para participar com os irmãos de sua igreja de um evento regional. Ser-me-á um grande prazer estar com os irmãos, se Deus quiser!

Um grande abraço!

CSZ

Artur Ribeiro disse...

A paz do Senhor.

Amado irmão Ciro, não creio ser seu blog espaço para debates. Entretanto, peço-lhe um "direito de resposta" no melhor sentido possível.

Ao nobre irmão Jean

Com muito respeito e diante de Deus, dirijo-me a você para esclarecer que

- em primeiro lugar, se você ler os textos do próprio pr. Ciro, verá que é preciso não confundir regra com exceção. Um obreiro entender bem o que lê e escrever bem é regra; exceção será o caso do irmão citado por você, querido.
- em segundo lugar, se o obreiro não comunicar bem a Palavra, não haverá resultados positivos (1Co 14.8).
- em terceiro lugar, a Bíblia exige que manejemos BEM a Palavra (2Tm 2.15 ). Isso inclui saber o vernáculo.
- em quarto lugar, pastores piedosos, como Antônio Gilberto e Claudionor de Andrade, por meio de suas obras, asseveram a necessidade de o obreiro conhecer sua própria língua.
em quinto lugar, Moisés era instruído em toda a ciência do Egito (At 7.22). Paulo era ótimo comunicador, criado aos pés de Gamaliel (At 22.3), a ponto de se dirigir a judeus, gregos, romanos, macedônios, asiáticos (At 13-28). Martinho Lutero era outro sábio. João Ferreira de Almeia, o tradutor de nossa versão em português da Bíblia, conhecia mais de 6 idiomas.
- além disso, a Bíblia recomenda buscarmos a sabedoria em todo tempo. Leia Provérbios.
- por último, não vemos ironia nem falta de equilíbrio em nosso comentário como o prezado sugeriu. Pelo contrário, uma séria advertência a todos nós no tocante a nos prepararmos cada vez melhor para o serviço de Deus.

Infelizmente, há muitos por aí que se escondem atrás de desculpas para não estudarem/ não terem estudado. Alguém de 40 anos para baixo não tem mais essas desculpas, devido a tantas ofertas de estudo que há em toda parte.

Sugerimos a todos a leitura do texto disponível em http://blogdoarturribeiro.blogspot.com/2009/07/paulo-e-o-bom-uso-da-lingua.html

Um grande abraço,

Artur Ribeiro

Ciro Sanches Zibordi disse...

Queridos irmãos Artur Ribeiro e Jean Patrik,

A paz do Senhor.

Não vejo nenhum problema em os irmãos debaterem neste espaço, mesmo porque já são conhecidos deste escritor e tenho certeza de que não haverá ataques pessoais.

Quanto a mim, vou ficar só assistindo para aprender... Risos.

Um grande abraço.

CSZ

Tiago Rosas disse...

Deus do céu...

é ignorância demais para um ser ignorante como eu compreender!

Essa história bem que poderia ir pra algum livro que trate do uso adequado das pontuações na escrita, afim de evitar transtornos como acontece na fala.

Mas liga não, Pr. Ciro. Nesse mundo tem de tudo. Essa mulher por certo não ganhou presente de ano novo, e devia tá no maior estresse. rsrs

brincadeirinhaa...

Paz de Cristo

Ana claudia Stelet Moreno da Silva disse...

olá graça e paz, benção pura seu blog. 2010 de muitas conquistas em Deus pra vc, de plenitude de vida e vida com qualidade. Se quiser nos visitar será uma alegria.
blogdamulhercrist.blogspot.com

Jean Patrik disse...

Paz do SEnhor irmão Artur!!!

Concordo com tudo que o irmão disse agora a pouco.

Simplesmente irmão, discordei de um ponto, em você disse: E o que dizer de quase todos os pregadores? Pelo que vemos, muitos não aprenderam nem a escrever uma boa redação; como vão preparar um sermão que honre as Escrituras? Só restará dizer que Deus dará tudo e sempre na hora. Absurdo!

Isso soa muito mal, pois sei de pessoas que não tem o conhecimentoe e a conciência que eu e você tem acerca da bíblia, porém, honra as escrituras melhor do que muita gente cheia de conhecimento, com sua vida de testemunho.

Discordei desse ponto, mas concordo com você em outras coisas.

Que Cristo Jesus nos abençoe!!!

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor!!!

Infelizmente, há muitos por aí que se escondem atrás de desculpas para não estudarem/ não terem estudado. Alguém de 40 anos para baixo não tem mais essas desculpas, devido a tantas ofertas de estudo que há em toda parte.

Irmão Artur, nesse texto vejo um contraste de realidade. Como assim? Bem, ME PARECE que, na igreja do irmão deve haver obreiros estudados, na minha não bem assim, eu vejo de perto a luta de cada um, e só Deus sabe a dificuldade que eles tem em pagar um curso teológico, bem, se o meu não fosse dado pela igreja não estaria fazendo.

Contudo, esses obreiros são cheios do Espírito Santo, e quando eles pregam ou cantam, é uma benção, pena que os tais não tenha condições de invertirem em si mesmo.

Deus abençoe!!!

Mas fico por aqui.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Tiago Rosas,

Eu realmente me impressionei com o mau humor e a grosseria daquela senhora, mas me lembrei também da mulher samaritana. O Senhor Jesus teve paciência para, depois de uma resposta ríspida por parte dela, continuar dialogando, até que a convencesse de que Ele era o Salvador do mundo (Jo 4).

Um abraço.

CSZ

Lucas Marin disse...

A Paz do Senhor.

Realmente glorifico a Deus pela "exceção da regra" que foi citada no primeiro post do irmão Jean.

Agora...
"...se o obreiro não comunicar bem a Palavra, não haverá resultados positivos (1Co 14.8)."

Quanto ao irmão Artur, também tem nos estimulado a aprender melhor a nos comunicar, mas não pode anular o principio que o irmão Jean citou: não nos precipitar em desprezar os que possuem ou apresentem dificuldade em expressão e/ou interpretação de linguagem;

Pois diante do Senhor, mesmo na diferença de capacitação na linguagem, o Senhor tem muito a nos usar e é imprescindível que usemos de nossa razão, mas a mesma razão pode não ser totalmente anulada por ínfimos detalhes de lingüísticas, mesmo sabendo que cada “erro ínfimo” pode sim decrementar o maior alcance de propagação do Evangelho em nós, mas cada erro com seu respectivo grau de impacto decrementante.

Quero dizer que o “erro de Português” pode afetar uma parcela considerável ou não do Evangelho a ser exposto pelo “pregador”, mas por ser essa parcela mínima, dificilmente pode chegar a se comparar com uma série de palavras em línguas estranhas (no caso citado em 1 Cor. 14.8).

Pior mesmo é quando o “som é incerto” em outros aspectos: dissimulação na pregação do Evangelho, falta de ânimo e coragem na exposição do Evangelho, desvios doutrinários que depõem contra a Verdade da Palavra de Deus, entre outros.

Fiquemos todos na Paz do Senhor.

com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, ” (Efésios 4.2)

Anônimo disse...

Aqui é o blog da censura.
não se pode discordar do "apolegeta ciro" gigo ciurco. rsrsr

Estranho o pr. Ciro, não colocar entre parentese os nomes das pessoas aqui que ele não conhece só pq as mesmas concordam com ele ou puxam seu saco.
Isso foi muito diferente do que o pr. Ciro fez no poin trhema, colocava os nomes entre parentese, para responder aqueles que ele chamava de seus desafetos, pelo simples fato de discordarem dele.

Talvez, por isso que o pr. Ciro não se encontre entre os blogs de maiores audiencia como o pr. Altair Germano que não é bobo enm nada e publica sim posts contrários aos seus, ams publica. Altir tbm não foi bobo em defender loucamente a dake como fez o Ciro, embora o Altair ame esta Bíblia mais do que todas as Bíblias de estudo.

Poxa a, até o pr. Geremias do Couto e PAulo Romeniro foram contra esta pocaria de Dake eos "apolegetas" ciro e altair defendem que a cpad continue vendendo esta merda!!!
Assim esses 2 - Ciro e Altiar - mostram que são puxa sacos dos homens da CPAD.

Sim sim, pq atacar a Bíblia de Silas Malafaia e defender a Bíblia de Dake.
Que coisa hein? 2 pesos e 2 medidas!!!!
Pr. cIRO ISSO FICOU FEIO PRA SUA BIOGRAFIA, FALO DESTA DEFESA e tbm de seus chiliks com sindrome de perseguição no point rhema.
Ficou notório aos olhos de todos que o senhor tenatava desastabilizar ou desacreditar aqueles que discordavam do senhor!

Por isso que o senhor perdeu terreno pro Altair Germano: exemplo: Altaor consta entre os bloghs aplogetico9s de amiores audiencias e o senhor não.
At´[e o Genizah e o Leonardo Gonçalves ganham do senhor! - Que vergonha!

Ismael Lima disse...

Kkkk!!
Ótimo!
Que falta faz uma vírgula!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amargo “anônimo”,

Você não precisa assinar. Eu já o conheço, e muito bem. Mas isso não é importante, agora. Você deveria se preocupar com aquEle que está vendo todas as suas ações: o Todo-poderoso. Tudo o que você faz está escrito no Livro de Deus. Por isso, pense bem antes de fazer o que faz.

Eu poderia agora dizer o seu nome e envergonhá-lo perante todos, mas não farei isso, porque o Senhor Jesus nos manda ter misericórdia e amar até mesmo os nossos inimigos. Mas não se engane nem insista com essa prática reprovável. Antes de fazer mais um comentário infame, sob anonimato, saiba que eu o conheço e tenho elementos incontestáveis que o incriminam. Estou sendo misericordioso mesmo com você; não estou blefando. E espero que você não me desafie a envergonhá-lo com mais uma postagem que você pensa ser anônima.

Pense muito antes de escrever os seus impropérios neste espaço. Não ficará nada bem para você, se descobrirem o seu nome. Mas lembre-se de que, mais importantes do que todos estes que visitam este blog, é o Senhor Jesus. E Ele está vendo todas essas suas reprováveis palavras.

Que Deus tenha misericórdia da sua vida. Mas não repita essa atitude inconveniente e vexatória. Por enquanto estou sendo misericordioso com você. Por enquanto...

CSZ

Lucas Marin disse...

Uns almejam audiência, outros total aprovação, mas bem-aventurados os que buscam fazer o que agrada ao Senhor Deus, que nos criou!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Lucas Marin,

A paz do Senhor!

É bom lembrar que mesmo os que buscam aprovação, só a terão de fato se a obtiverem da parte do Senhor. Aprovação humana nada significa. "Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva" (2 Co 10.18).

CSZ

Robson Silva de Sousa disse...

A Paz do Senhor, prezado Pr. Ciro.

É como diz a máxima:

"Os padres, enquanto pastavam, os burros oravam".

Abraço. Te vejo no Encontro.

Robson Silva

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Robson Silva,

A paz do Senhor!

Boa a máxima citada! Risos.

Um abraço. Nos vemos no Encontro, se Deus quiser.

CSZ

Artur Ribeiro disse...

A paz do Senhor.

Amados irmãos, é bom não confundirmos as coisas.

Jean Patrick

Discordar é um direito seu. A questão não é discordar ou concordar. É muito mais abrangente. Trata-se de preparo, dedicação.

Afirmar que “um obreiro receber TUDO de Deus SEMPRE sem ter de se esforçar” é absurdo não soa mal de forma nenhuma! Infelizmente, muitos se escondem atrás de desculpas. Não estamos afirmando que seja o caso exemplificado pelo irmão. No entanto muitos fazem isso.

Pregam de ouvido. Leem uma passagem e discorrem sobre algo que nada tem a ver com o lido ou, pior, torcem o que está dito. Leem sobre casa, mas falam sobre astronave.

Não há dúvidas de que o sermão mais bem pregado é o vivido. Isto é, aquilo que somos GRITA em comparação com o que falamos. Porém, isso anula a necessidade de se preparar bem um sermão? Deixamos a resposta para você...

Outra coisa: o fato de, após a pregação de quem quer que seja, haver da parte de Deus salvação de almas, batismo com o Espírito Santo, curas etc NÃO QUER DIZER que tenha sido exclusivamente por causa do pregador. Mas por corações contritos, abertos a Deus, aos quais o Senhor não despreza. Não esqueçamos que na igreja local há os realmente fiéis, úteis, humildes, quebrantados, arrependidos etc. Isso também é levado em conta.

O que não podemos aceitar é uma coisa que acontece com muita frequência: pregadores que pregam por simples experiência; depois de terem lido um texto, contam histórias da carochinha, causos e mais causos ... Grande parte dos irmãos (inclusive dos fiéis) não nota isso. O pregador elogia, motiva, o povo se alegra, todavia sai sem ter entendido a mensagem. Isso, quase sempre. Lamentável. Absurdo.

Onde congrego, há estudados e não estudados. Há os que têm curso teológico e os que não o têm. Nenhum é maior que outro.

A questão não é simplesmente investir (financeiramente) em si mesmo. É mais profunda. Para um crente (obreiro ou não) ser cheio do Espírito Santo, ele precisa de oração e Palavra. Nem só de um; nem só de outro. Infelizmente, nesses últimos dias da Igreja na terra, vários ou só querem a oração ou só a Palavra. Ignoram que uma prática não invalida a outra. Oração e Bíblia andam de mãos dadas. Graças a Deus! Veja os conselhos que Paulo deu a Timóteo.

Vários dos que não estudaram não frequentam também a maior escola teológica e piedosa do mundo: a EBD, a qual é imprescindível aos espirituais. Está aí a melhor opção para quem “não teve oportunidade de estudo”.

Esse seu pensamento, aliás, é parecido com o de quem defende que a letra mata, entendendo letra como estudo. Esperamos que você não pense assim.

Em resumo, é necessário a todos estudar para melhor preparar um sermão na dependência do Espírito Santo (Jo 15.5 in fine)... mas fazendo a parte que lhe cabe (Jo 11.39).

Respeitosamente.
Um abraço,

Artur Ribeiro

PS.: explique por favor para nós quando um culto é uma bênção em seu entendimento. Se for possível detalhar...

Artur Ribeiro disse...

A paz do Senhor

Nobre irmão Lucas Marin,

Gostaríamos que o amado nos mostrasse, por gentileza, em que parte no que comentamos há desprezo a quem não estudou. Pelo que é possível entender, há, sim, uma crítica a pregadores que, porque não aprenderam nem a escrever uma redação, dificilmente prepararão um bom sermão. Nisso não existe desprezo. Existe alerta.

Essa crítica também não foi a todos os pregadores, mas a quase todos. Não foi a todos, mas a muitos. Se os irmãos quiserem incluir aí os que não podem estudar, isso é por conta sua. Se bem que verdadeiramente é estranho dizer “não puderam e não podem estudar”, porque atualmente ... existem não poucas opções: EAD, ONG’s, escolas públicas, aulas particulares (até pouco tempo, houve MOBRAL), supletivo, Telecurso etc. É preciso verificar se não se trata mais de desculpa do que de “falta de oportunidade”.

É mister muito cuidado com a interpretação do que lemos, nobre irmão Lucas, visto que em nosso texto em momento algum falamos de erro/ acerto de língua. Falamos, isso, sim, de falta de dedicação e esmero da parte de muitos em aprender nossa língua oficial, o que atrapalha consideravelmente a interpretação acertada da Bíblia.

Lembremos que é Jesus quem nos capacita a entender e a expor a Palavra. Isso, porém, não tira nossa responsabilidade. Deus capacita os escolhidos. Esses precisam querer ser capacitados.

“Persiste em ler”, disse Paulo.

Respeitosamente.
Um abraço,

Artur Ribeiro

Clóvis disse...

Pr. Ciro,

Minha postagem de amanhã no Cinco Solas também é sobre ignorância. Nele referencio este seu artigo.

Em Cristo,

Clóvis

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Clóvis,

Conferirei o seu texto, se Deus quiser. Só não vou comentar, a fim de não atrair alguns "web-admiradores" que visitam o seu blog.

Grato pela visita.

CSZ

Lucas Marin disse...

Irmão Artur, me desculpe, ainda preciso me aprimorar melhor na expressão, pois não quis de modo algum aludir a algo que o irmão fez sem que o tenha realmente feito, de forma que não disse que o irmão desprezasse os "pouco estudados", mas apenas que "não pode anular o principio que o irmão Jean citou: não nos precipitar em desprezar os que possuem ou apresentem dificuldade em expressão e/ou interpretação de linguagem", mesmo nos dedicando em diligência expor da melhor maneira possível o Evangelho que Cristo nos tem confiado, de forma verdadeira e fiel.

Meu objetivo foi de dizer que a falta de capacitação na linguagem pode afetar parcelas, as vezes consideráveis e comprometedoras do Evangelho e da Palavra de Deus, mas muitas vezes comprometem parcelas ínfimas apenas. Mas que cada caso seja analisado. Um analfabeto pode falar do Evangelho de forma verdadeira, mesmo com erros de Português não comprometedores da Verdade, mas guiado e fortalecido no Espírito Santo, o qual tem O poder de convencer do pecado, justiça e juízo.

Desculpe-me ter aparentado dirigir toda a crítica a você irmão Artur, mas apenas reforcei que mais está o Poder nas mãos do Senhor, do que na abundância do conhecimento humano, de forma que até os simples podem pregar a Palavra de Deus como sendo sábios...

Atos 4:13 Então, eles, vendo a ousadia de Pedro e João e informados de que eram homens sem letras e indoutos, se maravilharam; e tinham conhecimento de que eles haviam estado com Jesus.

Pr. Ciro, me referi a "aprovação total" [do público], rs. De qualquer forma, já nos serviu com um versículo com o qual podemos mais ainda buscar a aprovação do Senhor e não a nossa própria aprovação. Lembrando que mesmo não dependendo nós da aprovação diante de Deus, não podemos agir da maneira como bem entendermos, mas também devemos...

2 Coríntios 8:21 pois zelamos o que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens.

... de forma que: se o interior já está limpo por Cristo, o exterior também transparecerá:

Mateus 23:26b Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo.

O Senhor continue abençoando a cada um de nós.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Lucas Marin,

Entendi perfeitamente a sua abordagem sobre "aprovação total". Que fique claro, pois, que não estamos querendo aprovação total dos homens, pois nem o Senhor Jesus a conseguiu. Antes, queremos ser aprovados por Deus, assim como o foi o nosso Senhor: "A Jesus Nazareno, varão aprovado por Deus..." (At 2.22).

Segue-se que, se alguém é aprovado por Deus, não age da maneira como bem entende, e sim de acordo com a vontade dEle (Mt 7.21). Afinal, como disse Paulo, "Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo" (Gl 1.10).

Em outras palavras, só podemos ser aprovados diante dos homens depois de termos sido (ou estarmos sendo) aprovados por Deus. Quando o Senhor andou na terra, diziam que ele era comilão e beberrão. Outros, mais ousados, afirmavam que Ele expulsava demônios por Belzebu. Mas uma voz ecoou do Céu: "Este é meu Filho amado, em quem me comprazo" (Mt 3.13ss).

Não busquemos a aprovação total dos homens, porque ela nunca virá. Mas procuremos nos apresentar a Deus aprovados, como obreiros que não têm de que se envergonharem, que manejam bem a Palavra da verdade (2 Tm 2.15).

Em Cristo,

CSZ

Lucas Marin disse...

"Não busquemos a aprovação total dos homens, porque ela nunca virá. Mas procuremos nos apresentar a Deus aprovados, como obreiros que não têm de que se envergonharem, que manejam bem a Palavra da verdade (2 Tm 2.15)."

Amém!

Pr. Ciro, sobre o que estamos falando, há 2 correntes, não exatamente opositoras uma a outra, mas em extremos diferentes. Uma busca um certo "populismo gospel" onde lideres se tornam lisonjeadores profissionais, usando exacerbadamente da auto-ajuda, que ao meu ver não é legítimo em suas intenções, diante da Palavra de Deus.
A outra corrente, também forte, diz que "o outro não tem nada haver com minha vida", de forma que não se preocupa com os efeitos de seus comportamentos a vista de seu próximo, dizendo não viver para a aparência, não importando se a aparência é má ou com o que se externa nele, o que importa é a vida particular dele com Deus.

Vejo esse segundo princípio correndo solto e talvez tenha a mesma "popularidade e uso" do "é proibido julgar". Em uma letra de um hino de um grupo de grande repercussão vi algo como "não importa o que esteja no externo, importa Deus dentro de mim". Dessa forma, penso que a letra do hino acaba por inverter o sentido natural de Deus dentro de nós, pois quando o interior está limpo por Deus, isso transparece ao exterior. Isso se deve ao afastamento extremo de tudo que se aparenta com "fariseu", quando devemos identificar os erros reais dos fariseus e não seguir a esses erros, mas não deixar de fazer o bem, para a glória de Deus, segundo a vontade de Deus, em todas as dimensões, para que sejamos multiplamente úteis ao Evangelho de Cristo, seja por palavras ou por obras, Cristo sja transparecido em nossa vida, em amor.

Desculpe-me ser extenso, mas fica aí uma sugestão de, talvez, uma série de postagens (risos).

Que o Senhor continue lhe dando graça a cada dia.

Wallace Thimoteo disse...

Viajem (sic)... Achei cativa a estorieta e gostei da importância do emprego da vírgula, apresentada. Só ainda não consegui fazer a ponte para a alfinetada nos chamados webignorantes... rs... kkk... Só o senhor mesmo, pr. Ciro... Abraço!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Wallace,

Não se trata de uma "estorieta", não. O texto descreve o que aconteceu exatamente comigo. É uma história real, testemunhada pelo próprio autor do texto.

A senhora irritada entendeu, por estar "armada", o meu pedido de desculpas (que eu fiz com certa dose de ironia, reconheço) como se eu a estivesse xingando de ignorante. Num texto, como não há o recurso da entonação, o que ela fez equivale a ler o texto "Desculpe da minha pergunra ignorante" com uma vírgula antes de "ignorante".

Para os web-intolerantes (e não web-ignorantes) qualquer deslize é fatal. E, com certeza, agirão com hostilidade similar à da senhora mencionada. Entendeu, agora?

CSZ

Weslei Rocha disse...

ótima postagem!

silv@ni@ disse...

NOSSA!QUANTA IGNORÂNCIA DESTA MULHER,DEVE SER UMA MAL AMADA!
E QUE PATA DE BURRA!CUSTAVA RESPONDER COM UM NÃO?
E O ANO SÓ ESTAVA COMEÇANDO.
MESMO QUE NAO SOUBERMOS APLICAR UMA FRASE,NÃO ERA MOTIVO PARA TANTO!
ABRAÇOS PASTOR!

Rinaldo Santana disse...

Graça e paz,observando bem uma virgula pode matar ou dar vida, Ex: Matar não, é pecado!
Matar não é pecado!

Duas frases com as mesmas palavras, com sentidos diferentes.

Em Cristo
José Rinaldo de Santana
www.rinaldoeapalavra.blogspot.com

Ozana disse...

Pastor Ciro, eu li o seu livro"Mais erros que os pregadores devem evitar" e gostei. Tanto gostei que recomendei, empresatei e agora estou relendo. Agora espero ler : "Erros que os adoradores devem evitar". Com certeza será muito proveitoso. Que Deus o abençoe cada dia mais.Ha, já ia me esquecendo...eu não só fiquei surpresa com o uso devido da vígula, mas principalmente da educação; pois infelismente existe tanta gente mal-educada e mal-humorada poi aí...um abraço. Fica na paz do Senhor Jesus.