quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Ano novo, vida realmente nova!


Passados os festejos de início de ano — para mim, em especial, há muitos motivos para se alegrar: lançamento de meu novo livro, aniversário do Blog do Ciro, etc. —, tenho algumas coisas a dizer sobre esse difícil começo do último ano da primeira década do terceiro milênio, a qual vai de 2001 a 2010.

(Para quem não sabe, a segunda década só começará em 2011, e não neste ano. Décadas, séculos e milênios sempre começam em 1, 11 [décadas], 101, 201 [séculos], 1001, 2001 [milênios], e terminam, respectivamente, em 10, 20; 200, 300; e 2000, 3000. A título de exemplo, a Assembleia de Deus foi fundada no primeiro ano da segunda década do século XX, ainda no segundo milênio [1911]. Já o seu centenário ocorrerá no primeiro ano da segunda década do século XXI, no terceiro milênio [2011]).

Bem, já estou escrevendo um novo livro, cujo título não posso divulgar, por enquanto... As paredes têm ouvidos! Escrever não é fácil, mas ter ideias um tanto inovadoras, com certo grau de ineditismo, é mais difícil ainda. É triste — já aconteceu comigo — quando alguém, não movido pelo mesmo sentimento, “rouba” a sua ideia, apenas para “aparecer”. Por isso, tenho aprendido a só divulgar uma obra quando ela está na editora.

Mas, se para muitos o começo deste ano motivou comemorações e desejo de realizar projetos novos, para outros este 2010 trouxe tragédias e calamidades. Imagine quais serão as lembranças de Ano Novo para quem sobreviveu! Se não receberem Ajuda do Alto, todos os próximos anos em que viverem começarão com sofrimento e angústia...

Enquanto muita gente ainda se diverte com as tragédias ficcionais do filme 2012, começamos o ano com as reais e mortais avalanches em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, com inundações, em São Paulo e Rio Grande do Sul, e agora com esse terrível sismo no Haiti (na verdade, um grande terremoto seguido de inúmeros tremores, suficientes para matar e destruir o que restou). Por que essa catástrofe tinha de ocorrer exatamente em uma região tão miserável?

Se levássemos em conta apenas a lei da sementeira e sega, considerando causa e efeito para tudo o que acontece, o Brasil já teria experimentado várias outras tragédias, e de enormes proporções. Tragédias acontecem aqui e ali, umas maiores, outras menores. Mas o que é certo mesmo é que Deus está julgando o mundo por causa do pecado, pois “do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça” (Rm 1.18). Por isso, são bem-aventurados os justos, os que temem ao Senhor (Sl 1).

Mas alguém perguntará: Não morrem cristãos nessas grandes tragédias? Por que Deus não poupa as suas vidas? Simples: o melhor para nós não está aqui. A Palavra de Deus afirma que a nossa Cidade está nos céus (Fp 3.20). E também diz: “Se esperarmos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens” (1 Co 15.19). Ademais, o Senhor está julgando o mundo — e os seus juízos se intensificarão por ocasião da Grande Tribulação, quando a Igreja não mais estiver aqui —, e não indivíduos, por causa do pecado.

Por que precisamos de Cristo? Ele não garante a proteção dos salvos, nesta vida? Alguns pensam que ser cristão é ter segurança, prosperidade e saúde. Mas tudo isso, para o verdadeiro cristão, é secundário. Servimos ao Senhor Jesus porque o amamos e temos a certeza de que a nossa morada, no Céu, está garantida (Jo 14.1-3,23). É claro que Ele pode nos livrar de acidentes, da violência, das enfermidades e das tragédias naturais. Não obstante, não é por causa disso que devemos servir ao Senhor, e sim por amor e pela garantia da vida eterna (Rm 8.38,39; Jo 5.24).

Ano novo, vida realmente nova! Vida nova com Cristo (2 Co 5.17), dependendo dEle totalmente (Fp 4.13), entregando a Ele o nosso caminho (Sl 37.5), pois não conhecemos um segundo à frente do nosso nariz. Como essa vida nos traz alegrias e tristezas, sejamos firmes e constantes (1 Co 15.58), mas nunca triunfalistas, pensando que somos super-crentes e que o sofrimento jamais baterá à nossa porta.

Os adeptos do triunfalismo não aceitam a morte, a doença, a pobreza... Mas os que esperam no seu Ajudador (Hb 13.5,6) sabem que “as aflições deste tempo presente não são para se comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8.18). E mais: têm a convicção de que “a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” (2 Co 4.17).

Ciro Sanches Zibordi

7 comentários:

Gernandes José disse...

A paz do Senhor!

Como cristãos devemos orar e auxiliar os vocacionados a santa missão de levar as Boas Novas aos sem esperança. O povo haitiano necessitam de Cristo,oremos...,pois Jesus é a esperança!

NEle,
que é a
nossa
esperança.

Vanzuite disse...

Pr. Ciro.
Maravilhosa esta palavra que o senhor postou. Glórias ao nome do Senhor Nosso Deus, pois tem usado pessoas como o senhor (e a quem quiser se dispor para fazer a Grande Obra). Confesso que ao ler este artigo me senti e me sinto conpungido a servir melhor ao Nosso Deus que, a despeito das tragédias do mundo, nos garante uma vida muito melhor no porvir.

Que o Senhor continue te usando.

Em Cristo,

Vanzuite.

Anderson disse...

Paz pastor Ciro,

Mas uma vez é um prazer deixar um comentário em seu blog...

Lí a matéria e gostei de muitos pontos,você também falou da grande tribulação,da nossa certeza de que quando morrermos estaremos com Cristo e etc...

Minha dúvida é:


A doutrina protestante diz que quando os salvos morrem eles vão para "Seio de Abraão",e os ímpios para um lugar de tormento,mesmo antes de serem julgados.Se os ímpios já estão sendo atormentados por que eles ainda deveram ser julgados no JULGAMENTO DO GRANDE TRONO BRANCO?

Em Cristo,

Anderson/SP

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Anderson,

A Bíblia, a Palavra de Deus (e não a doutrina protestante), assevera que os mortos em Cristo estão com o Senhor, num lugar de gozo, lugar chamado de "o Paraíso" (1 Co 15; 1 Ts 4; Ap 6, 2 Co 12.1-4, etc.).

Em Lucas 16, na história de rico e Lázaro (que muitos chamam de parábola; se for, é uma parábola histórica, pois os fatos ali mencionados realmente aconteceram), vemos que o justo Lázaro achou-se no "seio de Abraão", enquanto o rico, ímpio, foi para o Hades, um lugar de tormentos. O termo "seio de Abraão" é um dos nomes que designam o Paraíso.

O Paraíso é um lugar intermediário para onde vão os salvos mortos em Cristo. Ainda não é o lugar de gozo definitivo, pois os salvos só irão para esse lugar após o Arrebatamento da Igreja (1 Ts 4.16,17). Naquele grande Dia, a parte espiritual (espírito+alma) dos salvos se unirá ao seu corpo (parte material) e haverá a ressurreição dos salvos (1 Co 15.50ss).

Da mesma forma, o lugar de tormentos dos ímpios, o Hades, não é um lugar definitivo; não é "o Inferno", mas "um inferno". O Inferno final, definitivo, ainda não foi inaugurado. E para ele só vão aqueles que verdadeiramente forem julgados, os quais já estarão em sua condição plena: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23).

É claro que salvação e condenação se definem ainda neste mundo, e não depois da morte (Jo 3.16-19; 5.24). Depois da morte segue-se o juízo (Hb 9.27). Entretanto, os salvos irão para o Céu, o gozo pleno, logo após a ressurreição, quando já galardoados (Ap 22.12; Rm 15.10; 2 Co 5.20, etc.) ingressarão nas Bodas do Cordeiro (Ap 19).

Quanto aos ímpios, irão para o Inferno final somente após o Juízo Final, o Trono Branco (Ap 20), exceto o Anticristo, o Falso Profeta e seus exércitos, que inauguração o Inferno, entrando nele antes do Trono Branco, isto é, no fim da Grande Tribulação (Ap 19).

Que Deus o abençoe. Peço-lhe que, para maior compreensão do assunto, estude (e não apenas leia) todas as passagens bíblicas citadas.

CSZ

Diego disse...

Aguardo esse novo livro!

anderson disse...

Paz pastor Ciro,

Agradeço-lhe por ler e responder meu comentário.Que o Senhor lhe abençoe.

Irei estudar sim todas as passagens citadas.O fato é que
esse "um inferno" que a Bíblia cita eu não consigo entender,porque se a alma do ímpio está lá e já em tormento isso é estranho.Tanto é que você mesmo diz:
"O Inferno final, definitivo, ainda não foi inaugurado. E para ele só vão aqueles que verdadeiramente forem julgados, os quais já estarão em sua condição plena: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23)".

Eu entendo que para sofrer o tormento deve-se está nessa condição de corpo,alma e espírito.
Mas como nesse "um inferno" já existem pessoas sendo atormentadas sendo que só a alma está lá?

Obrigado pastor Ciro,não quero ser chato mas é que tenho essa dúvida sabe...

Desde já agradeço-lhe pois o Senhor tem lhe usado para ajudar muitas pessoas iguais a mim!

Fica na paz de Cristo,

Anderson/SP

Ciro Sanches Zibordi disse...

Sim, Anderson, as pessoas ímpias, mortas sem salvação, estão no Hades, na condição alma+espírito, sendo atormentadas. Isso é o que a Bíblia diz em Lucas 16 e passagens correlatas.

Em Cristo,

CSZ