quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Expiação ilimitada (3)


Armando Marcos disse:

Caro Pastor Ciro, o senhor colocou “Sim, Ele derramou o seu precioso sangue pelos pecadores, e não pelos eleitos: ‘Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores’ (Rm 5.8). Ele morreu pelos pecadores, mas nem todos os pecadores creem nEle para a vida eterna (Jo 3.15-17,36; 5.24; Mc 16.15-17)”.


Mesmo que admitindo que Jesus morreu por toda a humanidade, e no caso seu amor foi por todos, creio que devemos, forçosamente, colocar que efetivamente e de forma prática e real, a morte de Jesus acaba só tendo efeito realmente para com os crentes, aqueles que crêem em Jesus, pois como diz TODO AQUELE QUE nele crer. mesmo que num primeiro momento isso que está em João 3:16 abranja TODOS, ele diz sobre TODOS AQUELES QUE NELE CREEM! (as letras maiúsculas não é grito, só estou ressaltando mesmo).

Por isso, não há medo nem temor de fazer a morte de Cristo ser menos ou mais eficaz! No fim das contas, ela é eficaz e limitada só aos que creem, limitada a aqueles que nele crerem! parece calvinista, mas não precisa ser! Segundo, Jesus morreu pelo pecadores, e pelos eleitos, pois no caso, esses pecadores pelos quais Cristo salvou são eleitos, pois diz Efésios 1.4: “como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade, e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor e glória da sua graça, pela qual [ELE] nos fez agradáveis a si no Amado”.

Fica claro que os pecadores que são salvos são eleitos para adoção, mas isso é uma doutrina que precisa ser colocada para os crentes, para seu conforto e segurança, pois aos incrédulos, eles não podem procurar Jesus como eleitos, mas sim como pecadores. Derivando disso, creio que não se pode perder a salvação, mas aqui não é a hora para discutir isso. Espero ter contribuído, pastor!

Ciro Sanches Zibordi responde:

Prezado Armando Marcos,
agradeço-lhe pela participação. O irmão certamente contribuiu ao enviar-me o seu comentário, pois ele tornou-se, como se vê, parte do terceiro artigo desta série sobre a expiação ilimitada realizada pelo Senhor Jesus, em sua obra vicária.

A sua citação de Efésios 1.4 me obrigaria a ampliar essa abordagem, posto que ela gira em torno apenas da expiação ilimitada. Mas o irmão pode procurar, caso tenha interesse, neste mesmo blog uma série acerca das incongruências do predestinalismo, pela qual discorro acerca da eleição do ponto de vista bíblico. Mas lembre-se de que eleição, em si, não significa salvação. E eleição do povo de Deus, em Cristo, não denota, ainda, eleição individual. O mesmo se aplicou ao povo de Israel, como geração eleita, do qual somos antítipo (1 Pe 2.9,10).

Quanto à possibilidade de perda de salvação, também citada pelo irmão, há outra série neste blog que trata exclusivamente disso. Mas adianto que, de acordo com a Palavra de Deus, segurança da salvação só existe para quem permanece em Cristo, e não para eleitos (1 Co 15.1,2; Ap 3.5). Afinal, mesmo o eleito, predestinado, salvo, pode voltar às corrupções que há no mundo (2 Pe 2.20-22), caso apostate da fé (1 Tm 4.1), em razão de o seu coração, por falta de cuidado e perseverança, tornar-se mal e infiel (Hb 3.12-14).

Voltando à expiação ilimitada, o irmão disse que eu “coloquei”, mas a minha explanação foi apenas um eco do que diz a Palavra de Deus. Jesus, verdadeiramente, derramou o seu precioso sangue por todos os pecadores, ainda que a expiação só ocorra de fato na vida de “todo aquele que nele crê” (Jo 3.16). Isso não quer dizer que Jesus falhou, ao morrer por inúmeras pessoas que não fazem caso de seu sacrifício vicário.

O Senhor Jesus não perde nem fica frustrado quando alguém deixa de fazer a sua parte. Afinal, é o ser humano quem perde, não atentando para a “tão grande salvação” (Hb 2.3)! Veja o exemplo do povo de Israel: “Na tua imundícia está a infâmia, pois te purifiquei, e tu não te purificaste; nunca mais serás purificada de tua imundícia...” (Ez 24.13). Observe que Deus fez a sua parte, purificando o povo. Mas este, chamado por Deus de “cidade sanguinária” (v.9), não quis se purificar! Da mesma forma, o Senhor Jesus fez a sua parte, ao morrer por toda a humanidade.

Não precisamos admitir nem reconhecer que Jesus morreu por todos os homens. Admitamos isso ou não, a Bíblia assevera que Ele provou a morte por todos os homens (2 Co 5.14,15; Hb 2.9). A frase “morreu por todos” deve ser considerada à luz de Romanos 3.23 e 5.12, passagens que não deixam dúvidas quanto à universalidade do pecado. E foi o próprio Deus quem nivelou a todos como pecadores, a fim de estender o benefício da vida eterna a cada indivíduo que nEle cresse: “Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia” (Rm 11.32). Leia também Gálatas 3.22 e Romanos 5.18.

É óbvio que “efetivamente e de forma prática e real, a morte de Jesus acaba só tendo efeito realmente para com os crentes, aqueles que crêem em Jesus”. Mas isso não invalida o que está escrito nas passagens pelas quais se assevera que a expiação é ilimitável, do ponto de vista divino. Ele nivelou a todos debaixo da desobediência, a fim de conceder a todos a oportunidade de salvação (Rm 11.32; Jo 3.16).

Vejo de sua parte, caro irmão, uma tentativa de teologizar — de dizer que não é, na prática, o que está escrito claramente em João 3.16 que vale para nós — quando afirma que “todos” na verdade são apenas “todos aqueles que nele creem”. Não podemos confundir os assuntos. Uma coisa é a morte expiatória, realizada por todos os pecadores, como já demonstrei acima. Outra é a aceitação por parte de todos os que creem nessa gloriosa obra. Uma não invalida a outra.

Finalmente, a frase “provasse a morte por todos”, contida em Hebreus 2.9, também deve vista à luz do que está escrito no próprio livro de Hebreus acerca da pecaminosidade universal, especialmente nos capítulos 5 e 7. Nesse caso, como Deus nivelou toda a humanidade como pecadora, o Senhor Jesus não é a propiciação apenas pelos nossos pecados, mas pelos de todo o mundo (1 Jo 2.2). Empregar argumentos filosóficos para contrariar isso é voltar-se contra a Palavra do Senhor.

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

30 comentários:

EMMERSON disse...

PAZ CARO PASTOR CIRO!

POR FAVOR NÃO REPITA OS COMENTÁRIOS POBRES, SEM FUNDAMENTOS, E BREVES. NÃO TENDO CONTEÚDO FIRME E CERTO ACERCA DESTA PASSAGEM. HB 6.1-20.

GOSTARIA DE UM COMENTÁRIO SO SENHOR, POIS SEI QUE ÉS UM BOM EXEGETA. MAS POR FAVOR... POUPE-ME O COMENTÁRIO ACERCA DO PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO. NÃO HÁ E NEM HAVERÁ BASE PARA TAL ENSINAMENTO CONTIDA NESTA PASSAGEM.

SHALOM

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado irmão Emmerson,

Como dizem alguns sábios calvinistas da grande rede (Orkut, blogs, etc.), os meus comentários acerca de Soteriologia são muito "fraquinhos"...

Graças a Deus, não dependo da autoajuda, mas da Ajuda do Alto. Caso contrário, a minha autoestima ficaria em baixa depois de receber, em letras garrafais (POUPE-ME DELAS da próxima vez, por gentileza), a informação de que os meus comentários são pobres e sem fundamentação adequada.

Se as citações bíblicas não o satisfazem, sábio comentarista de blogs, procure na blogosfera os grandes espaços para divagações filosóficas acerca das Doutrinas da Graça. Aqui, as coisas são assim mesmo, "pobres"... Mas o que me consola é que o Senhor Jesus, quando veio ao mundo, também era pobre e desprezível (Is 53; 2 Co 8.9).

Estimula-me, outrossim, o fato de Deus usar as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e as coisas vis e desprezíveis, e as que não são para aniquilar as que são (1 Co 1.27-29). Glória a Deus!

Em tempo, o irmão, como alguém que exige comentários mais profundos, precisa melhorar no vernáculo, e muito. Ademais, pelo seu tom, o irmão não se aproxima deste blog para aprender, e sim para (à semelhança dos fariseus) me testar. Desculpe-me, mas não tenho como atender a pessoas tão "confiantes" em sua erudição, as quais se dão ao luxo de exigir o tipo de resposta que eu devo dar.

Feliz Natal e um ótimo 2009!

CSZ

Marcelo de Oliveira e Oliveira RJ disse...

Prezado Pr. Ciro,

Paz e Bem!

Quero dizer da minha admiração pelo seu trabalho e suas exposições baseada na revelação escriturística infalível, Deus te abençoe!
De acordo com as Escrituras Cristo morreu em nosso lugar, significa que não foi por benefício ou vantagem, mas de fato ele nos substituiu penalmente (Mc 10. 45; II Co 5. 14; Teol. Sist. Uma Perspectiva Pentecostal, CPAD, p. 350). Reconhecendo o calvário como o processo da Justiça e Amor de Deus (Justiça porque ele sacrifica um inocente para estar no lugar dos merecedores (nós), e Amor porque é neste sacrifício que seremos justificados) logo, discordando da afirmativa que o Armando Marcos faz em sua pergunta, a expiação de Cristo é eficaz e ilimitada, e ela cumpre o seu papel (como era no período vetero-testamentário) tanto para o que deseja ser expiado, quanto para o que não deseja. Porque ela sempre é eficaz, aguardando somente o Arrependimento na vida do indíviduo. A expiação traz Salvação ou Condenação como resultado eficaz e ilimitado do Calvário, para os que creem é eficaz para salvação e para os que não creem é eficaz para a condenação, sempre num processo ilimitado dando igualdade de oportunidade a todo o mundo (Jo 3. 18; 5.24-26; 6. 40, 47; 20. 31). Logo crendo ou não ela é uma realidade do calvário e passiva de ser aceita ou não. A Expiação cumpre o seu papel no salvo e naquele que não é salvo também.

Um abraço fraterno,
Marcelo de Oliveira e Oliveira.

monica disse...

Boa Tarde, Pastor Ciro!

Não sou muito "blogueira", aliás, confesso que vosso blog é o único que eu reviro quando tenho um tempinho.

Pastor, causa-me alívio quando vejo que partilho com a opinião de muitos, pois achava que eu estava quase sozinha ao estranhar as "novidades" evangélicas.

Há algo que me incomoda, mas não tenho sabedoria suficiente para discenir. Não gosto de símbolos e logomarcas em igrejas ou eventos. Na minha humilde opinião, acho que é uma forma de materializar a fé, tais como rosários, crucifixos, escapulários, aliança de não sei o quê, água do mar da Galiléia, pedaço da cruz, pedra vinda do Monte Sinai...

Enfim, quero saber sobre a utilização da cruz em Igrejas ou eventos ditos "evangélicos". Quando questionei, me disseram que se trata da "cruz vazia", diferente da cruz com o Cristo crucificado.

Um abraço,

Mônica

Lucas Marin disse...

"quando afirma que todos na verdade são apenas todos aqueles que nele creem"

Me perdoe Pr. Ciro, se em algumas das minhas postagens anteriores deixei algo latente sobre...

Eu disse:
"pois na prática, Jesus veio, sim para salvar toda a humanidade, mas salvar toda a humanidade que o aceitar e crer nEle, para salvar quem O receber!"

Tem como fazer uma analise desse trecho que eu usei, para que eu fique melhor elucidado?

E quanto ao comentário do irmão Emmerson, será mesmo que o fundamento dEle é a Bíblia ou ele já "relativisou" os ensinamentos bíblicos? Se a Palavra de Deus for relativisada, não será mais "Rocha", mas "areia"!

Deus continue ajudando e abençoando o senhor!

Cristiano Pereira de Magalhães disse...

Prezado Pastor Ciro,

Creio que a questão pode ser resolvida da seguinte maneira:

a) efetividade do sacrifício;

b) quem será alcançado.

O sacrifício do Sr. JESUS CRISTO é poderoso para salvar toda a humanidade, contudo só serão salvos aqueles que crêem.

E só crerão quem for escolhido soberanamente pelo SENHOR.

Não nos cabe discutir.

Eu só cri, porque fui amado por DEUS, que antes da fundação do mundo, quando me escolheu.

Não tive oportunidade de escolher. A decisão é soberana do SENHOR. Nasci em lar evangélico (50% - apenas meu pai) e fui criado na Escola Dominical da 1ª IPI de São Paulo (Catedral Evangélica - hoje congrego na IPB - Ig. Presbiteriana de Pinheiros), e não tive aquela conversão marcante. No meu caso foi um processo que começou com a morte de vovô, quando era criança, durou anos (tenho certeza que ainda estou sendo trabalhado, dia a dia). Ele adoeceu e passei a orar por ele. Vovô morreu, não fui atendido, mas a minha fé nasceu... O SENHOR usou a morte de meu avô para me chamar ao seu lado!!!

A minha fé foi gerada pelo Espírito Santo. Passaram-se vários anos e, agora, já adulto, tive um reavivamento espiritual muito grande. Tudo foi obra de DEUS. Nada partiu de mim...

Dependo, exclusivamente de DEUS para ser salvo. Estou nas mãos Dele. Que me selou com o Espírito Santo e de maneira nenhuma me lançará fora!!!

Cordialmente, em Cristo Jesus!

Cristiano Pereira de Magalhães

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Cristiano Pereira de Magalhães,

À luz da Bíblia, o sacrifício do Senhor Jesus é eficaz para salvar TODA a humanidade, como de fato Ele morreu por TODA a humanidade. Por isso, a promessa de salvação não é apenas para os eleitos antes da fundação do mundo! É para QUALQUER pessoa que crê no Cristo Jesus e o confessa como Senhor (Jo 3.16-19; Mc 16.15,16; Rm 10.9,10).

Sua experiência é linda, meu irmão, porém não devemos interpretar a Bíblia à luz de nossas experiências, e sim estas à luz da Palavra de Deus. Há pessoas que nascem em lares evangélicos e desviam-se do evangelho, vindo a morrer distantes do evangelho. E há outras que nunca tiveram parentes evangélicos, todavia se convertem verdadeiramente ao evangelho do Senhor Jesus.

O irmão só creu em Cristo para a salvação porque Deus o amou e o capacitou para isso. Mesmo assim, Ele lhe deu a possibilidade de escolher entre a vida e a morte, entre a bênção e a maldição (Mt 7.13,14). O irmão não é um ser autômato, um robô, um fantoche; antes, toma decisões (Dt 30.19). E foi o Senhor que pôs em nós essa capacidade de se arrepender dos pecados e crer. Isso é ilustrado na parábola dos dois filhos (ou do filho pródigo), em que o jovem rebelde, mesmo “morto” (cf. Ef 2.1ss), refletiu, reconheceu, resolveu e agiu (Lc 15).

Pensar que nada precisou ser feito pelo irmão é um exagero e não corresponde à realidade dos fatos, pois a própria Bíblia assevera: “Chegai-vos a Deus, e ele vos chegará vós” (Tg 4.8). Isso mostra que há pessoas que, mesmo tendo toda essa capacitação divina mencionada e oportunidades para se converter, não dão ouvidos ao chamamento de Deus (Pv 29.1; Ap 22.17), ao convencimento do Espírito, que é para todo o mundo (Jo 16.8-11), e não apenas para os eleitos.

Dependemos exclusivamente de Deus para sermos salvo, mas essa iniciativa de depender dEle cabe a nós. A Bíblia diz: “Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará” (Sl 37.5). E Ele de maneira nenhuma nos lançará fora, desde que perseveremos no evangelho tal como o recebemos (1 Co 15.1,2; Hb 3.12-14).

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Lucas Marin,

Jesus morreu por TODOS, mas apenas é salvo, verdadeiramente, "todo aquele que nele crê" (Jo 3.16). Ou seja, "Deus anuncia agora a TODOS os homens, em todos os lugares que se arrependam..." (At 17.31). QUALQUER pessoa que crer verdadeiramente será salva verdadeiramente, pois o Senhor Jesus já provou a morte por ela, visto que morreu por toda a humanidade, por cada pecador (Hb 2.9; 1 Jo 2.2, etc.).

Em Cristo,

CSZ

Música, Ciência e Teologia disse...

“Pensar que nada precisou ser feito pelo irmão é um exagero e não corresponde à realidade dos fatos...”, Pr Ciro, será que no grande e terrível dia do Senhor poderei dizer algo assim para o Senhor Jesus?

“Senhor Jesus, de fato fui salvo por Ti, mas tive minha parcela nessa salvação porque fiz o que era preciso.”

Prefiro ficar com a Bíblia: “...porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados.” (Mateus 1:21) E, graças a Deus, somente a Ele e nada de mim, faço parte do povo dEle.

Até mais, Marcos.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Marcos,

O irmão continua preferindo vencer o debate entre calvismo e arminianismo...

Mas, já que o irmão fez menção do Juízo Final, chamando-o de "o grande e terrível dia do Senhor", duas coisas precisam ser consideradas.

PRIMEIRA: nenhum salvo comparecerá ao julgamento do Trono Branco na condição de réu. Nesse caso, tire da sua cabeça essa possibilidade de dizer algo que o possa justificar perante o Justo Juiz, naquele Dia. Afinal, "Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Rm 8.1).

SEGUNDA: é contraditório dizer que o ser humano não faz nada em prol da salvação ou da perdição, pois a condenação dos ímpios se dará fundamentamente pelo que eles FIZERAM, ante as oportunidades de salvação, e não porque não foram eleitos antes da fundação do mundo: "e os mortos foram julgados pelas COISAS que estavam escritas nos livros, segundo as suas OBRAS (...) e foram julgados cada um segundo as suas OBRAS" (Ap 20.12,13).

Prefiramos, de fato, caro irmão, ficar com a Palavra de Deus!

CSZ

Música, Ciência e Teologia disse...

Pr Ciro, o irmão insiste em afirmar que quero vencer alguma disputa. Quem está disputando alguma coisa aqui?

Passei da fase de querer disputar alguma coisa dentro da teologia. Estou apenas refletindo sobre a salvação, uma porque o irmão escreveu no seu blog e outra porque o irmão aceitou dialogar comigo. Não quero vencer nada.

Gosto de uma ilustração do renomado Pr Russel Shedd. A salvação é como uma festa, em que você pede para entrar, entra e descobre, atrás da porta de entrada, que seu nome já estava na lista de convidados.

Até mais, Marcos.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Marcos,

Fico feliz em saber que o irmão não está em uma disputa. É que o irmão sempre, depois de apresentar argumentos contrários, diz "prefiro isso", "prefiro continuar", etc.

Quanto à ilustração do querido Dr. Russel Shedd, que é um exemplo para mim, exceto quanto ao seu apreço pelo calvinismo, sinto muito, mas não posso concordar com ela.

Não existe lista prévia de eleitos. Os nomes constam do Livro da Vida "DESDE A", e não "antes da" fundação do mundo (Ap 17.8), como asseveram os calvinistas, num falacioso paralelismo entre Efésios 1.4 e Apocalipse 13.8; 17.8

O nome de alguém só passa a constar no Livro da Vida do Cordeiro depois do novo nascimento (Jo 3.1-5), assim como ocorre na espera natural e terrena. Ninguém é registrado no cartório antes de seu nascimento. Daí a Certidão de Nascimento.

Diante do exposto, a salvação é, sim, uma festa, para a qual toda a humanidade foi convidada. E "todo aquele que crê" (Jo 3.16) e entra pela porta "salvar-se-á... e achará pastagens" (Jo 10.9). A condição para entrar nessa festa é atentar para o convite do Senhor Jesus (Mt 11.28-30).

Um grande abraço, meu irmão calvinista.

CSZ

Marcelo disse...

Pr Ciro,

Me impressiono com a facilidade que as pessoas têm de teologizar a Palavra de Deus. A simplicidade do Evangelho não atrai mais os grandes teólogos calvinistas, "detentores de toda a verdade acerca da Graça de Deus"

A Bíblia é tão clara acerca da salvação, que palavras como "DEUS AMOU O MUNDO" ou "TODO AQUELE QUE CRER" se fossem entendidas no sentido calvinista, tornariam o Senhor, Criador dos céus e da Terra um mentiroso. Como pode amar toda a humanidade e prover a salvação apenas para os escolhidos. Como diz que todo o que crer será salvo, se apenas os escolhidos o serão?

Francamente, entendo que o calvinismo nada mais é do que uma posição teológica tão contraditória à Palavra de Deus quanto a atitude agressiva de grande parte dos defensores desta teologia o é com relação ao cristianismo ensinado por Jesus.

Muitos, não digo todos, nem a maioria, mas ratifico, muitos calvinistas se acham donos da verdade, tão inteligentes, que nós "pentecostais ignorantes" não podemos alcançar a profundidade dos seu vernáculos no que tange à exegese bíblica.

Queria registrar aqui para todos os calvinistas que lerem este comentário cinco características fundamentais de um verdadeiro cristão.

1. AMOR (PELOS IRMÃOS PENTECOSTAIS IGNORANTES)
2. FÉ (QUE É O PRÉ-REQUISITO PARA A SALVAÇÃO)
3. ESPERANÇA (DE UM DIA COMPREENDEREM A GRAÇA DE DEUS COMO ELA REALMENTE É)
4. GRATIDÃO (A DEUS POR PROVER A SALVAÇÃO A TODA HUMANIDADE)
5. HUMILDADE (PARA RECONHECER O ERRO E CORRIGI-LO A TEMPO)

Em Cristo,
Marcelo Lima da Silva - Coop. da AD em São José dos Campos

Marcelo disse...

Pr Ciro,

Lendo os comentários de alguns calvinistas, senti-me impelido a escrever novamente.

Percebo que os que acham que já foram eleitos têm pavor quando se afirma bíblicamente da responsabilidade do homem no que tange à salvação.

Talvez isso deva-se ao fato de que estes irmãos querem isentar-se da sua parte, daquilo que Deus requer de todos os homens. Interessante que esta era a mesma posição dos israelistas do VT, quando ouviam os profetas avisarem-nos sobre as suas más obras, para que as abandonassem para não serem rejeitados pelo Senhor.

A resposta do povo era sempre a mesma: "Deus nunca abandonará o seu povo" Parece que Calvino deu uma passadinha por lá.

De fato, Deus nunca abandonará seu povo. Mas só faz parte do povo de Deus aquele que é zeloso e de boas obras. "Somos salvos pela fé para as boas obras", na qual devemos "
"permanecer".

Acho interessante um ilustração que compara a salvação à Arca de Noé: Deus ordenou a Noé que construisse a Arca, e todos foram avisados sobre o dilúvio, mas escolheram não acreditar e zombaram do profeta. Somente uma família deu ouvidos à voz de Deus e entrou na arca, e só foram salvos porque "permaneceram" ali dentro.

A arca é um tipo da igreja. Deus proveu a salvação a "todos", e avisou a "todos". Mas só aqueles que pela fé "aceitarem" o sacrifício salvífico do Senhor Jesus farão parte deste povo e adentrarão a "Arca da Salvação" que nos conduzirá em segurança ao Tabernáculo de Deus, ao Santuário das moradas do Altíssimo.

GLÓRIA A DEUS!!!

Obs: "Texto redigido por um pentecostal ignorante quanto aos vernáculos teológicos inatingíveis regimentados pelo infalível profeta João Calvino"

Em Cristo,

Marcelo Lima da Silva - Coop. da AD em São José dos Campos

Ivan disse...

a Paz do Senhor!

a respeito do irmao Armando MArcos, ele diz:

"Mesmo que admitindo que Jesus morreu por toda a humanidade, e no caso seu amor foi por todos, creio que devemos, forçosamente, colocar que efetivamente e de forma prática e real, a morte de Jesus acaba só tendo efeito realmente para com os crentes, aqueles que crêem em Jesus, pois como diz TODO AQUELE QUE nele crer. mesmo que num primeiro momento isso que está em João 3:16 abranja TODOS, ele diz sobre TODOS AQUELES QUE NELE CREEM! (as letras maiúsculas não é grito, só estou ressaltando mesmo)".

Interessante, mais quer ver como é facil fazer interpretaçoes erradas da biblia.aceitando crer apenas naquilo que EU QUERO e nao o QUE ELA(BIBLIA) DIZ.

Jo3.16 que já foi citada inumeras vezes pelos irmaos. diz que TODOS AQUELES QUE NELE CREREM ...
I Tm 2.4 diz que o desejo de Deus é que TODOS se salvem ...


bom mais por que ler essas passagens e crer que a salvaçao é apenas para os ELEITOS E PREDESTINADOS e ao mesmo tempo afirmar que Rm 3.23 diz que o pecado é de todos ou entao Rm4.12???

é o mesmo que afirmar que TODOS que aparecem nessas passagens que citei-as por ultimo fala a despeito apenas dos PREDESTINADOS A PERDIÇAO (INFERNO) nao é mesmo???

por que o TODOS de uma passagem (I Tm 2.4 e outras) nao é TODO O MUNDO e o TODOs de outra passagem (Rm 4.14)o é ???

como diz meu Professor Silêncio na classe!

ah ! "Derivando disso, creio que não se pode perder a salvação, mas aqui não é a hora para discutir isso. Espero ter contribuído, pastor!(Armando Marcos)"

nao disse que eles sempre terminam com esse papo!

fiquem na paz

Ivan Clayton - Servo de Cristo

Fernando disse...

Olá, Pr. Ciro Sanches!
A Paz do Senhor Jesus Cristo, o Eterno e Único Salvador.

Estimado Pr. Ciro,
eu acredito que muitos ao lerem este artigo tão importante e de imenso valor, estão aprendendo muito acerca da salvação em Jesus Cristo.

Como pode existir pessoas tão "mesquinhas" e "donas da verdade", ao ponto de negligenciarem o que está registrado na Santa Palavra de Deus?

Que Deus, o Senhor Eterno, continue lhe dando sabedoria para pregar a sua infalível Palavra.

Quão bondoso amigo é Cristo!
Carregou com a nossa dor
E nos manda que levemos
Os cuidados ao Senhor
Falta ao coração dorido
Gozo, paz, consolação?
Só porque nós não levamos
Tudo a Deus em oração .

Tu estás fraco e carregado
De cuidados e temor?
A Jesus refúgio eterno
Vai com fé teu mal expor!
Teus amigos te desprezam?
Conta-lhe isto em oração
E com seu amor tão terno
Paz terás no coração.

Cristo é verdadeiro amigo
Disto provas nos mostrou
Quando pra levar consigo
O culpado encarnou
Derramou seu sangue puro
Nossa mancha pra lavar
Gozo em vida e no futuro
Nele podemos alcançar.
HC - 200

Um grande abraço, meu irmão!

Fernando da Conceição
Assembleia de Deus
Rio das Ostras-RJ

Caio Augusto disse...

Graças e Paz ao Pr. Ciro e a todos os irmãos.

Eu não consigo mais pensar de outra forma que não seja sobre a salvação como para todos.


Estava em oração à respeito desse tema, e muito me agustiei co ma possibilidade da predestinação, meu coração não ficou em paz, mesmo abrindo-o para que o Espírito Santo me convencesse qu eo calvinismo está na direção certa.

Mas isso não aconteceu e Deus me ajudou me dando motivo do contrário em Sua palavra. E é nisso que tenho sentido paz de Deus.

=]

Ray disse...

A Paz do Senhor Jesus à todos irmãos!

Caro Pastor Ciro,

Vamos tentar pensar por alguns segundos como os calvinistas...

Se existem pessoas que são pré-destinadas e outras não para a salavação. Para que pregar o evangelho? Se Deus já escolheu os "eleitos"? Não oremos mais pela salvação de ninguém. Deus já escolheu!

Agora parando de pensar como os calvinistas e voltando para Graça...

Se a Bíblia diz bem claro em João 3.16, porque ainda continua insistindo, os calvinistas?

A Bíblia, de fato, diz que Ele nos escolheu, nós apenas devemos aceitar o convite da escolha. Mas Ele escolheu morrer por todos nós. Então quem aceitar o convite, será salvo!

Graça e Paz!

Ray Henrique - Filho de Deus, servo do Senhor Jesus Cristo e guiado pelo Espírito Santo.

Coop. da AD em Teotônio Vilela - AL.

Jean Patrik disse...

A paz do Senhor!!!

É lamentável ver a insistência dos calvinistas, limitando a expiação, e o que Jesus fez para toda a humanidade.

Em 2Pe 3.9 esta assim: "O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, NÃO QUERENDO QUE NINGUÉM SE PERCA, senão que TODOS venham a arrepender-se".

Se Deus deseja que todos cheguem ao arrependimento, seria uma contradição os calvinistas dizerem que: somente os predestinados pode se arrepender e alcançar a salvação.
Isso é um absurdo!!!

Se os calvinistas estão contra a palavra de Deus, e se recusam a se retratarem acerca de uma questão tão simples, só resta então dizer: "Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar" (Mt.23.13).

Se eles não escutam o Espírito Santo, e insistem ir contra a PALAVRA de DEUS, é impossível considera-los servos de Deus. Fazendo-se deles mesmos HEREGES.

Ainda há tempo de vocês calvinistas, se retratarem sobre esse assunto.

Paz do Senhor para todos!!!

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Nosso prezamado pr. Ciro Zibordi,

A paz do Senhor!

Meu amigo, o considero um atalaia destes últimos dias, e um "PERFEITO INCÔMODO" aos perdidos sentimentalistas, que não entendem o perfeito e completo, sacríficio de nosso Senhor Jesus Cristo, na entrega do Direito à Salvação à TODOS, mas que somente a receberão os que nEle creem.

Com certeza, a Salvação através de Jesus Cristo é somente para os que creem e permanecem fiéis, até à morte, e a morte em Cristo que garante a Salvação.

O sentimento maternalista e paternalista, invadiu a igreja, pela permissividade de sentimentos carnais, repletos de interesses e direitos humanos diante de Deus.

O Senhor nosso Deus, tem sido, apenas lisonjeado por despojados de santidade em locais de cultos genéricos, e bem recheados de delírios carnais e líricos ballets como o que assistí em uma Igreja Assembléia de Deus nos EUA neste Sábado passado.

Falar em pecado, agride, principalmente quando se toca no assunto perder a Salvação.

A Salvação, torna-se real na vida do crente, quando se ultrapassa a linha da vida e da morte, nesta terra. E com a vida do salvo nas mãos do Senhor, após a nossa retirada desta terra totalmente contaminada ou na forma abrupta do Arrebatamento, a Salvação é o presente firmado e final do fiel. Os que não resistirem até o final, não perderão o que não obtiveram firmado. Não respeitaram a proposta diante de sua vida e não respeitaram a sua oportunidade.

Todos são contemplados com o livre arbítrio e a sua escolha pessoal: Ser fiel até a morte é a chave para a Salvação! Ser fiel até a morte, não significa ser fiel, até dois meses, duas semanas, ou duas horas antes da morte. Não e Não!

Querem barganhar com Deus! Deus não é deus de barganha!
O desejo destes, é valorizar a morte de Cristo à sua maneira, ou a seu bel prazer, e desvalorizar a sua grande misericórdia e bondade que significa respeitar o livre arbítrio outorgado a cada um.

Desejam sim, proclamar uma mentira e uma permissão para uma vida dúbia. Não e Não!

Nós, somente por amor ao Senhor, deixaremos de lado nossos desejos carnais e suportaremos o desagradar ao mundo, e a nossa carne na busca de sermos exemplos como Paulo, nos orientou.

Tentam desvalorizar a Salvação com atributos disformes da Palavra de Deus, e possuídos pela negligência humana, e sem a simplicidade dos que desejam concorrer ao prêmio maior, se possível, sem nada realizar através de suas vidas em detrimento da vigilância constante, neste mundo de enganadores e enganados pela concupisciência natural do homem, dia após dia, promovendo aos interessados o andar por cima do muro e assim, deslumbrar um pouco do pecado.

Graças a Deus por sua vida, nobre pastor, que tem espelhado sem sentimentos carnais, o que deve ser distribuído como verdadeiro alimento saudável ao organismo espiritual.

O Senhor sempre o utilize com este caráter e amor pelas vidas. Vidas desejosas de sabedoria e conhecimento,

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Cristiano Pereira de Magalhães disse...

Queridos irmãos em Cristo!

Deixo registrado, em primeiro lugar, que os calvinistas não são inimigos dos pentecostais-arminianos. Pelo contrário, somos todos irmãos em Cristo!!!

E no dizer do salmista: "Oh! Como bom e agradável e viverem unidos os irmãos!" (Samlo 133.1 -RA). Tanto é verdade que participo de trabalhos evangelísticos interdenominacionais, cuja única bandeira é o SENHOR JESUS CRISTO!

Por um outro lado, dizer que o calvinista não está preocupado em fazer a sua parte, está equivocado!!!

Posso mencionar, por exemplo, o movimento dos Puritanos.

Em nossas Igrejas, é dada muita ênfase à santificação, que é justamente esse processo de se submter à vontade de DEUS.

Feitos esses esclarecimentos, gostaria de ouvir a opinião dos irmãos a respeito de um trecho de um sermão proferido pelo conhecido Charles Spurgeon:

"(...) Vocês têm ouvido uma quantidade grande de sermões arminianos, ouso dizer, mas vocês nunca ouvirão uma oração arminiana - porque os santos em oração se mostram iguais em palavra, ação e mente. Um arminiano de joelhos orará tão fervorosamente, quanto um calvinista. Ele não pode orar sobre o livre-arbítrio; não há espaço para isso. Imagine-o orando: "Senhor, eu te agradeço porque não sou como aqueles pobres e presunçosos Calvinistas. Senhor, eu nasci com o glorioso livre-arbítrio; Nasci com o poder pelo qual posso me voltar para ti por mim mesmo; tenho acrescido minha graça. Se todos tivessem feito com suas graças o mesmo que fiz com a minha, todos poderiam estar salvos agora. Senhor, eu sei que o Senhor não nos faz propensos a ti se nós mesmos não nos dispusermos a isto. Deste graça a todos; alguns não a cultivaram, mas eu a cultivei. Há muitos que irão para o inferno, mesmo estando tão comprados pelo sangue de Cristo quanto eu estou; tiveram tanto do Espírito Santo quanto me foi dado; tiveram uma boa chance, e foram tão abençoados quanto eu fui. Não foi a tua graça que nos fez diferentes; sei que ela fez muito, mas eu é que mudei de direção; eu fiz uso do que me foi dado, e os outros não - esta é a diferença entre mim e eles".
Esta é uma oração do diabo, porque ninguém mais ofereceria uma oração como esta. Ah! Quando estão pregando e falando bem devagar, podem apresentar uma doutrina errada; mas quando vêm orar, a verdade escapa; eles não podem evitar. Se um homem fala bem devagar, ele pode falar de modo sofisticado; mas quando começa a falar rápido, o velho sotaque da sua região, de onde nasceu, escapa. Pergunto-lhes novamente, vocês já encontraram um Cristão que tenha dito: "Eu vim a Cristo sem o poder do Espírito agir!"? Se vocês em algum momento o encontrarem, deverão dizer sem hesitação: "Meu caro senhor, creio que isto aconteceu - e creio que você se afastou Dele também sem o poder do Espírito, e que você nada sabe sobre este assunto, e que está em fel de amargura e em laço da iniqüidade". (...)".

Pensem um pouco a respeito ( a íntegra do texto vocês acharam no site monergismo.com, no link textos antigos, uma seção só do Spurgeon - é o sermão que trata do Livre Arbítrio).

Concordo que não se deve analisar a Bíblia a partir de experiências pessoais. Mas, continuo afirmando que a minha Salvação depende, tão somente, de DEUS.

Concordo que não sou um robô, mas sei que estou submisso à Soberana Vontade de DEUS!!!

Mas, retomando, gostaria de ouvi-los a respeito da paráfrase feita pelo Spurgeon.

Cordialmente, em Cristo Jesus!

Cristiano Pereira de Magalhães

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Cristiano Pereira de Magalhães,

Boa parte dos pontos que apresentei foram negados pelo irmão sem fundamentação bíblica. Mas respeito a sua posição. A minha intenção, ao instigá-lo, foi a de mostrar que a Bíblia deve ter o primado, a primazia, e não a lógica humana ou o experiencialismo.

Quanto à sua afirmação de que a salvação depende exclusivamente de Deus, em certo sentido está correta. Mas aconselho o irmão a estudar a Soteriologia em seus aspectos objetivo (o que Deus fez e faz: regeneração, justificação, santificação, etc.) e subjetivo (o que o ser humano deve fazer: fé, arrependimento, etc.). Afinal, a Bíblia diz: "operai a vossa salvação com temor e tremor" (Fp 2.12).

Agradeço-lhe pela participação.

CSZ

Cristiano Pereira de Magalhães disse...

Cara Pr. Ciro,

Concordo com o irmão (apesar de termos algumas posições distintas).

Nada a reparar no que foi dito. Seguirei suas orientações para meditar sobre o assunto e, em breve (ano que vem!!!) escreverei, se Deus quiser, um artigo a respeito.

Mas, fiquei curioso: o irmão não vai comentar a respeito da paráfrase do Spurgeon??

Fraternalmente, em Cristo Jesus!!!

Cristiano P. Magalhães

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Cristiano Pereira Magalhães,

Citei, em resposta aos seus comentários, várias referências da Palavra de Deus, e o irmão praticamente não fez observações sobre elas, preferindo reafirmar o seu posicionamento inicial. Por que eu me daria ao trabalho de fazer comentários acerca do conhecido pregador predestinalista Charles Spurgeon?

Um grande abraço!

CSZ

Cristiano Pereira de Magalhães disse...

Prezado Pr. Ciro,

Já que o irmão não quer discutir a forte colocação do Spurgeon, pelo menos por enquanto...

Gostaria de que pensasse da seguinte maneira, respondendo às seguintes questões:

a) O homem é capaz de surpreender a DEUS?
b) O irmão acha que o Sr. JESUS CRISTO quando subiu na cruz não sabia o que estava fazendo?
c) Há limites para a soberania de DEUS?
d) É possível ao vaso questionar o oleiro porque ele o fez deste ou daquele modo?

Com a devida vênia, o posicionamento arminiano dá uma visão subjetiva e incompleta para todo o processo sotereológico (escrevi certo?!). Explica, apenas, o fenômeno como é percebido pelo homem salvo e transformado, mas não consegue ir além disso.

Se você perguntar a qualquer crente (por mais que ele seja um ferrenho calvinista) se ele creu e aceitou ao SENHOR JESUS no dia de sua Salvação, com toda a certeza ele vai responder afirmativamente e, por incrível que pareça, não há contradição em sua resposta. DEUS é quem mudou o nosso coração (volição), fazendo o convergir em sua direção.

Em outras palavras, a doutrina arminiana explica parte do fenônemo, apenas sob a ótica subjetiva. Esquece-se que nós só amamos porque Ele nos amou primeiro (1João4). Nós somos corruptos e incapazes de por nós mesmos nos voltarmos para DEUS, só uma intervenção sobrenatural muda tal realidade.

A fé é dom de DEUS (Efésios 2.8), outorgada livremente a quem Ele quiser e, o que é pior para nós mortais e finitos, quando Ele quer... Tenho certeza que já deve ter ouvido falar de uma mãe que orou a vida inteira pela conversão de seu filho. Ela morre e o filho se converte após tal fato. Ela não viu a resposta de sua oração...

Nesse momento, estou sem Bíblia à mão para trazer referências, mas pela memória peço que leia com atenção Romanos 8 e 9. Aquele célebre passagem que o próprio Sr. JESUS CRISTO diz que não fomos nós que o escolhemos entre outras milhares.

A doutrina da eleição é uma verdade bíblica inegável. Tenho certeza que nem um arminiano seria capaz de fazer a oração mencionada pelo Spurgeon.

Sabemos, com toda certeza, que a obra de regeneração é prerrogativa do Espírito Santo (convece da Verdade, Justiça e do Juízo). Só por esse aspecto a vontade humana já é bastante mitigada...

Caríssimos irmãos, não pretendo ser dono da verdade, pois a VERDADE é a PALAVRA DE DEUS. Contudo, estou biblicamente convencido de que a escolha soberana de DEUS é descrita na Bíblia toda, apesar de ser um grande mistério. E a mente humana não entende (Isaías 55.8 e 9, este eu sei de cabeça!!!).

Se quiserem negar, não tem problema. Mas é uma Verdade insofismável!!!

Calvino, Lutero ou qualquer outro grande teológo não são infalíveis. Mas, creio que Calvino tenha sido o instrumento de DEUS que melhor sistematizou a doutrina cristã.

Cordialmente,em Cristo Jesus!!!

Cristiano Pereira de Magalhães

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado irmão Cristiano Pereira de Magalhães,

Com todo o respeito, não gostaria de usar este espaço para debates "intermináveis" sobre calvinismo e arminianismo. Eu conheço bem esse lado dos calvinistas, de querer convencer a todo custo que os que pensam diferente, à luz da Bíblia, estão enganados, que a sua compreensão é limitada, que a sua soteriologia é "fraquinha"...

Tanto que alguns deles, ao não conseguirem oportunidade de debate aqui, fazem questão de criar tópicos, em seus blogs, para desafar, desdenhar, atacar, ridicularizar, numa tentativa de convencer a todos de que eles estão com a razão. Não embarco nessa canoa furada. Já embarquei, em outras ocasiões, mas me arrependi, e fui "apredejado" por, em tese, abandonar o barco.

Eles pensam que não tenho argumentos para debater com eles. Talvez, eu não tenha o mesmo cabedal deles, porém a questão principal é: Qual é o valor desse tipo de ping-pong? Sinceramente, eu, em mim mesmo, gosto de debater e poderia participar de debates "intermináveis" com os calvinistas, pois também não abro mão de meus posicionamentos. O grande problema é que, ao fazermos isso, é o homem que aparece, que recebe a glória.

Quando eu percebo que os meus argumentos à luz da Bíblia não satisfazem àqueles que me fazem indagações, prefiro não seguir discutindo. Eu poderia, repito, continuar debatendo de maneira "interminável", pois, modéstia à parte, penso que tenho como sustentar um debate acerca do que defendo como verdade.

Diante do exposto, reitero que já disse o que queria dizer a respeito da obra da expiação. Defendo, e sempre defenderei, que o Senhor Jesus morreu por todos os pecadores e deseja salvar todos pecadores "que por ele se chegam a Deus".

Se o irmão desejar (tenho quase certeza de que não) saber mais a respeito do que eu penso, à luz da Bíblia, a respeito das muitas doutrinas da salvação, procure, neste blog, a seção "Artigos selecionados". Ali há muitos artigos sobre as questões levantadas pelo irmão, em seu comentário acima.

Que Deus o abençoe mais e mais!

CSZ

Lucas Marin disse...

"A fé é dom de DEUS (Efésios 2.8), outorgada livremente a quem Ele quiser e, o que é pior para nós mortais e finitos, quando Ele quer... Tenho certeza que já deve ter ouvido falar de uma mãe que orou a vida inteira pela conversão de seu filho. Ela morre e o filho se converte após tal fato. Ela não viu a resposta de sua oração..."

A fé é um dom de Deus, verdade!
Quando eu te dou o presente, você tem o direito de aceitar ou não, concorda comigo?

Se o dom fosse imposto a todos de forma ditatorial, não haveria pessoas descrentes em Jesus, pois bastava somente pregarmos o Evangelho a todos os homens, o dom da fé de Deus já poderia ser oferecido a todos os homens, já que a Palavra de Deus diz que a sacrifício salvífico foi para todos os homens, mas a salvação só é alcançada pelos que escolhem o Caminho da Salvação.

Graças a Deus que Paulo não era predestinalista, pois se assim fosse não iria pregar o Evangelho da forma tão enérgica como fez, fazendo de tudo para que todos fossem alcançados pelo Evangelho de Cristo.

Somos chamados pelo decreto de Deus, a saber, o sacrifício de Jesus na cruz para a salvação dos homens, pois temos conservado a fé e não temos sido rebeldes ao ‘Rei dos reis’, mas temos aceitado ao seu decreto, como servos amáveis e obedientes.

Cristiano Pereira de Magalhães disse...

Prezado Pastor Ciro,

Com todo respeito, lamento que o irmão não queira conversar.

O irmão está redondamente enganado: irei examinar os textos com sua opinião a respeito do tema, com mais calma e, oportunamente, darei notícias.

Em momento algum pretendi ser "dono da verdade", apenas quis me posicionar e, por um outro lado, nunca tive medo de críticas ou de ouvir a opinião contrária ao meu pensamento.

O posicionamento contrário serve para duas coisas: identificar nossos erros ou reforçar nossas convicções. Por isso, apesar de ser presbiteriano, sou Cristão em primeiro lugar e jamais seria devoto de São Lutero ou São Calvino!!!

De qualquer sorte, se não julgasse positivo todo seu trabalho, não perderia tempo lendo, estudando e respondendo às suas colocações.

Repito, lamento, e profundamente, que o irmão não queira conversar a respeito e, com toda humildade, se ofendi alguém, peço perdão, em nome do SENHOR JESUS CRISTO.

Cordialmente, em Cristo.

Cristiano Pereira de Magalhães

Ciro Sanches Zibordi disse...

Querido Cristiano Pereira de Magalhães,

Não precisa me pedir perdão. Não me senti ofendido, em momento algum. Aliás, o irmão se portou como todos os cristãos devem se portar.

O problema é que esse tipo de debate se torna "interminável". E eu não posso (se eu pudesse continuaria) continuar nesse ping-pong, sob pena de deixar de fazer outros trabalhos mais urgentes. Por isso, lhe recomendei alguns textos.

Tenha um Feliz Natal e um maravilhoso 2010, na presença de Deus!

CSZ

Marcelo Lima disse...

Irmão Cristiano Pereira de Magalhães,

O estimado irmão está mais apegado ao célebre sermão de Spurgeon do que às Palavras de Cristo. Citou o sermão inteiro, mas disse que não lembrava das referências bíblicas em outro comentário.

O irmão está tão cego em sua visão calvinista que, sem argumento bíblico algum, quer entrar em debate com o Pr. Ciro, que deu vastas referências bíblicas.

E ainda diz que não é devoto de são calvino.

Seja sincero consigo mesmo. Esqueça a reforma protestante e volte à simplicidade do Evangelho, pregado e vivido por Nosso Senhor Jesus Cristo, sintetizado por Paulo, Pedro, Thiago, entre outros homens inspirados por Deus, terminando em João. Os que vieram depois desses: Agostinho, Policarpo, John Huss, Smith Jr., Lutero, Helen G. White, Calvino, Armínio, Spurgeon, e companhia, não têm inspiração irrestrita da parte de Deus para que o irmão defenda posições como se fossem do próprio Deus.

Se não estivesse tão cego em sua visão calvinista, veria que está preso nas amarras da pseudo-teologia reformada, que até hoje cativa muitos debaixo de interpretações equivocadas e infundadas da Palavra de Deus, esquecendo-se que é o Espírito Santo que nos ensina e nos guia em todas as coisas 1 Jo 2 vs 27.

Foi o próprio Jesus que disse: "Ide por TODO O MUNDO, pregai o evangelho a TODA CRIATURA, QUEM CRER será salvo, mas QUEM NÃO CRER será condenado."

Será que está tão cego irmão, que não enxerga estas palavras. Ou talvez Calvino tenha morrido em seu lugar, para defendê-lo tão ferrenhamente.

Que Deus em Cristo te esclareça!!!
São os sinceros votos de um irmão em Cristo.

Marcelo Lima da Silva - Coop. da AD em São José dos Campos-SP