domingo, 20 de setembro de 2009

O internauta opina (21)


Prezado irmão Ciro, a Paz do Senhor.

Uma “onda” tem varrido as mais conservadoras igrejas brasileiras. Poucos conseguem detectar o movimento. Trata-se de um movimento que procura atingir a alma, onde residem as emoções do ser humano. Uma vez atingida, o homem passa a dar lugar para o seu próprio coração. Prefere naquele momento viver um sonho a sentir a presença de Deus.

São pequenos momentos de sonhos durante a programação do culto que não pode ter janelas de tempo intercalando um sonho ao outro. Onde está o momento de reflexão racional em que o Espírito Santo mostrava a nossa real situação de pecado, mostrando, também, os nossos pontos a serem corrigidos?

Lembro-me de cultos de Santa Ceia em que o pastor deixava a igreja por alguns minutos louvando a Deus em oração individual, e cada irmão era incentivado a pensar em seus próprios pecados, pedindo perdão. Se fosse preciso, havia até reconciliação.

Estamos contagiados pelo conceito da modernidade chamado de VELOCIDADE. Este conceito diz que não podemos perder tempo. Tudo deve ser feito com rapidez e qualidade. O ponto de partida para este conceito foi o aparecimento do computador que iludiu o homem com a velocidade de processamento.

Quem disse que entre o louvor do grupo das crianças e o grupo das irmãs deve-se colocar uma canção para preencher tempo? Quem disse que o tempo deve ser todo preenchido com atividades? Estaríamos sendo medidos por isso? Não preencher os espaços é sinônimo de fracasso?

Já vi cultos em que 70% dos presentes iam até a frente ao final do culto chorando copiosamente. E os mesmos 70% iam todos os cultos quando o apelo era feito. O que se via era a mudança de atitude naquelas pessoas que choravam? Exemplo: se não falavam com um determinado irmão, continuavam a não falar. Se tinham um estilo de vida excêntrico, mantinham-no mesmo após aquela choradeira...

E por que não falar em “batismo com o Espírito Santo” massivo, em que dezenas e dezenas de pessoas são batizadas, e um contador (irmão que contava em voz alta para que todos ouvissem o grande milagre e também a sua performance)? Quem é batizado com o Espírito Santo sabe que há uma mudança na natureza da pessoa onde é IMPOSSÍVEL o ódio permanecer ativo dentro do crente.

Para resumir, diria que a emoção encontra terreno fértil para crescimento em nossos dias. Mesmo quando achamos que a nossa geração detém mais conhecimento, parece-me que somos mais suscetíveis às mazelas do mundo corporativo, globalizado. Porém, a Bíblia diz para todos nós: “não vos conformeis com este mundo”.

Uma coisa que me chama a atenção é que esse movimento da emoção vem da área da música nas igrejas, e os nossos musicistas não são alunos da EBD. Só para refletirmos...

Um grande abraço para o meu amigo Ciro.

Valter Miranda

Nenhum comentário: