terça-feira, 14 de julho de 2009

Kenneth Hagin e o Nome de Jesus (parte 3)


O famoso pregador triunfalista Oral Roberts afirmou: “Nenhuma pessoa viva hoje tem a mesma compreensão do poder no Nome de Jesus quanto o irmão Hagin” (O Nome de Jesus, Editorial Graça, quarta capa). Seria essa declaração verdadeira?

Bem, já analisei segundo a Bíblia o prefácio e nove capítulos do livro supracitado. E, pelo que tudo indica, Roberts está muito equivocado. Vamos à análise dos capítulos 10 e 11.

Capítulo 10 — O Nome e os Batismos

Nesse capítulo, Hagin faz uma distinção clara entre três tipos de batismo: “(1) o batismo que nos congrega ao corpo de Cristo por ocasião do novo nascimento; (2) o batismo na água; (3) o batismo no Espírito Santo” (p.59). E faz também a seguinte afirmação, na mesma página: “Paulo escreveu as duas Epístolas — Efésios e Hebreus”. Conquanto não seja possível determinarmos, com precisão, a autoria de Hebreus, o que Hagin disse não chega a ser uma heresia.

No geral, não há nada comprometedor na interpretação que Hagin faz da doutrina dos batismos (Hb 6.2), a despeito de ele, ao tratar do batismo em águas, narrar uma estranha experiência que teve ao visitar supostamente o Inferno, depois de ter morrido...

Capítulo 11 — O Nome de Jesus em nosso Dia-a-dia

O capítulo 11 é um dos mais controversos e perigosos, pois incute na mente dos incautos a ideia triunfalista de que temos direitos e privilégios. O que há de errado com isso? O perigo está em valorizarmos muito mais o vaso de barro do que o tesouro que está dentro dele (2 Co 4.7). Muitos podem discordar e bater no peito: “Eu tenho direitos”. Mas eu prefiro confiar no que está escrito em 2 Coríntios 12.9: “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”.

Lembro-me de que, quando Jeosafá foi ameaçado por amonitas e moabitas, ele não disse: “Agora esses miseráveis vão provar da minha força” ou “Com quem eles pensam que estão mexendo? Eu tenho a marca da promessa”. Nada disso! Ele e o povo reconheceram a sua pequenez e a grandeza de Deus: “... tu és Dominador sobre todos os reinos das gentes, e na tua mão há força e poder, e não há quem te possa resistir... Ah! Deus nosso, porventura não nos julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti” (2 Cr 20.6-12).

Para os triunfalistas — discípulos de Hagin —, Jeosafá fez uma tremenda de uma confissão negativa, ao reconhecer a sua insignificância ante o grande poderio bélico dos inimigos. Contudo, quando o crente bate no peito e diz: “Eu tenho...”, “Eu sou...” ou “Eu determino...”, está correndo grande perigo. A Palavra de Deus diz: “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte” (1 Pe 5.6).

No capítulo em apreço, Hagin ensina os crentes a reclamarem os seus direitos e assevera: “A palavra ‘pedir’ também significa ‘exigir’” (p.69). Se o leitor não sabia, foi com Hagin que eu tal missionário aprendeu a
“determinar”.

Torcendo o que disse o Senhor Jesus em todas as passagens sobre a petição, como João 14.13, Hagin não tem o menor constrangimento em afirmar que as traduções que empregam o verbo “pedir” estão erradas. Ele cita as palavras de um professor de grego, cujo nome omite: “Irmão Hagin, nunca pensei nisto antes de você o ressaltar, mas o grego diz literalmente: ‘Tudo quanto exigirdes como vossos direitos e privilégios, eu o farei” (pp.68,69).

Segundo Hagin, citando também a Concordância de Strong, quando Jesus usou o verbo “pedir”, queria dizer “exigir”. Pior: Hagin assevera, indiretamente, que exige do Diabo, e não de Deus! Como justificar esse pensamento à luz de João 15.16? Jesus disse: “... a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda” (Jo 15.16).

O “trunfo”, digamos, de Hagin é afirmar que recebeu essa nova e contraditória doutrina por revelação. Contudo, não há como sustentar, mesmo com muito esforço, a tese de que “pedir” é o mesmo que “exigir” ou “determinar”. Quanto a Strong, ele assevera apenas que um dos significados que o verbo grego aiteõ pode apresentar, de acordo com o contexto, é “exigir”, “reclamar”, mas isso não significa que devemos riscar de nossas Bíblias a palavra “pedir”, substituindo-a por “exigir” ou “determinar”. Fazer isso é pedir para ser enquadrado em Apocalipse 22.18,19.

W. E. Vine escreveu: “O verbo aiteõ [pedir] sugere na maioria das vezes a atitude de um suplicante, a petição daquele que está em posição inferior àquele a quem a petição é feita; por exemplo, no caso de homens ‘pedindo’ algo a Deus (Mt 7.7)...” (Dicionário Vine, CPAD, p.860).

Bem, vou parar por aqui. Não imaginava que o capítulo 11 renderia tanto! Depois, permitindo o Senhor, darei sequência a essa análise.

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

14 comentários:

Escritora Micheline Gomes disse...

Excelente análise do livro prezado pastor Ciro.

Já o havia lido na época do seminário.

Deus te abençoe...

Márcio Cruz disse...

A Paz do Senhor Pastor Ciro!

Pastor, ontem ao sair da igreja após o Culto de Ensino (doutrina), conversei com um irmão sobre algumas coisas que estão acontecendo na igreja e disse a ele que o grande problema é que a igreja brasileira é composta por pessoas simples que entregam a sua confiança aos seus líderes, crendo que os mesmos são pessoas tementes a Deus e que estão zelando por suas vidas.
Pois bem. Diante disso, vemos um grande esquema de manipulação onde alguns líderes usam de sagacidade apoiados em passagens bíblicas eisegeticamente apropriadas às suas conveniências.
Agora, se os líderes comprometidos com o Reino e Sua Palavra aproveitassem ao máximo as reuniões de ensino para alertar (de maneira ortodoxa e séria) o povo, com certeza teríamos mais vozes a denunciar certas e muitas fraudes na Santa Noiva do Cordeiro.

Em Cristo, Senhor da Igreja,

Márcio Cruz

Vanzuite disse...

Prezado Pr. Ciro, paz do Senhor. Concordo com o que o irmão Márcio Cruz escreveu. Os crentes depositam total confiança nos líderes, e estes quando não têm compromisso com o Deus da Palavra e a Palavra de Deus, ensinam mesmo o que querem. Existem aqueles obreiros que apesar de sinceros, são ignorantes quanto aos fatos. A estes seria aconselhável entrarem em algum Instituto Bíblico ou Escola de Teologia séria; que ensina o evangelho ortodoxo.
Peço a Deus que desperte os seus obreiros, pois creio que são guardiães do rebanho para que não deixem os lobos vorazes entrarem.
Mais uma vez eu aprendo com o teu texto.
Deus te abençoe.

Vanzuite.

Ranieri disse...

A paz do Senhor.

Também existem obreiros que mesmo sabendo do erro preferem seguir a linha do seu pastor.Dizem que não serão abençoados por Deus se não errar com seu pastor.

Também dizem que se o pastor errar ele dará conta a Deus sozinho e quem erra com ele estará impune.

Também dizem que é melhor errar com ele do que estar certo contra ele.

Mas sempre que pregam essas coisas nunca usam a Palavra de Deus.

Outra coisa interessante é que em organizações mafiosas também funciona assim.

E porque não falar das seitas?Onde seus líderes agem abitrariamente e ai de quem for contra.

Não é atoa que Hagin tem tamtos discípulos.As mentes dos obreiros de hoje estão condicionadas a seguir a Palavra de Deus até o momento em que ela ainda não atinge o seu líder.

Com uma filosofia assim qualquer pastor faz o que quiser com o rebanho já que toda autoridade está na pessoa dele e não na Palavra de Deus.

Ao meu entender um verdadeiro líder está submisso à Palavra de Deus e não tem esse direito de manipular o rebanho como se fosse a massa de bolo.

Devemos honrar,respeitar e amar nossos pastores mas estes por suas vez tem o dever de obedecer a Palavra de Deus.Mas o que acontece hoje é que o pastor faz o que lhe dá na telha e todo mundo é obrigado a obedecer.

Já cansei de ouvir esse ensinamento barato.Submissão abusoluta ao pastor,se ele me mandar pregar que Jesus não veio a terra em um corpo de carne eu tenho que obedecer para ser abençoado e progredir no ministério?

O que mais irão inventar agora?

Certa feita um obreiro me disse:...enquanto eu for pastor aqui você só deve pregar aquilo que eu acredito,quando você for pastor de alguma igreja pregue o que quiser...

Lamentável.

jorge melo disse...

Quando a Bíblia diz em Hebreus cap.13. vers. 7 "Lembrai-vos de vossos Pastores que vos falaram a palavra de DEUS, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver " devemos analisar bem o texto,entendendo sim, que isto se refere tão somentes aos verdadeiros Pastores designados por DEUS,entre tantos, citamos o Pr. Antonio Gilbero, José Pimentel, Ciro Sanches, Elianai Cabral,Jeremias Couto,Eliezer de Lira, a estes sim devemos honrar e de nos lembra-mos deles em nossas orações a DEUS.
Quantos aos demais pastores falsificadores da palavra de DEUS , devemos pedir a DEUS misericórdia e que eles venham a se arrependerem dos seus atos, porque horrível coisa é partir desta vida sem DEUS, sem paz e sem salvação.

Renato -BH disse...

Engraçado, o comentario que fiz ontem sobre o artigo do cantor do "Zaqueu", se encaixa também nesse artigo sobre o Keneth Hagin, vou repeti-lo integralmente, encaixa com o que os irmao estão dizendo:

"Paz do Senhor pastor Ciro;
Essa "discussão" acerca da música comentada me leva a uma reflexão. O cristianismo hoje está tão deturpado, deformado, que aqueles (raros) que são defensores da sã doutrina bíblica, encontram uma grande resistência (fortalezas) na mente das pessoas e acabam sendo taxados de fariseus, legalistas, etc...
As pessoas foram condicionadas a "não julgar para não serem julgados" e também que "nossa luta não é contra o sangue e a carne" e também: "deixa porque cada um dará conta de si mesmo a Deus" e outros versículos muito utilizados por aqueles que preferem ficar no anonimato, no conformismo.
A marioria prefere ficar na sua simples e "confortável" posição de membro dentro da igreja, fazendo de tudo para agradar seus líderes (na maioria pastores que governam com mão de ferro) do que colocar o dedo na ferida, pois provavelmente serão taxados de rebeldes ou endemoniados.
A maioria dos cristão não estudam a Palavra de Deus, dão uma olhadinha superficial na bíblia de vez em quando (e evitam um debate com um TJ ou IURDiano ou um espírita porque provavelmente não terão subsídios bíblicos para provarem o que pensam).
É uma pena, trocamos a escola bíblica pelos shows gospel, trocamos o estudo da palavra por cultos na TV, deixamos de agradar a Deus para muitas vezes agradar ao homem.
Transformamos a fé em mercado (muito rentável) e transformamos nosso Senhor e Salvador em papai noel, ou gênio da lâmpada, ou os dois.
Que Deus levante pessoas corajosas e verdadeiramente tementes a Ele, que não se curvam diante dos reis (como Moisés, Daniel, João Batista, Pedro, Paulo, etc), mas que amem ao Senhor e Sua palavra acima de tudo.
Um abraço, em Cristo;"
Renato Santiago

Luciano Lourenço disse...

Meu Deus, como existem crentes(crentes?) buuuuurrro(só prá ficar nesse adjetivo) que acreditam numas babozeiras dessas deste herético diabólico, treinado pelo príncipe das postestades do ar. Este tal de HAGIN pagará no fogo do inferno, se não se arrepender, por ter levado inúmeras pessoas á perdição eterna. GUA!
MARANATHA!!

Thiago disse...

Pr. Ciro...
Por algum tempo cheguei a pensar q vc realmente dominasse a palavra, mas vendo este tipo de post em seu blog, vejo q me enganei absurdamente... Pr. se jesus não tivesse morrido espiritualmente, de que adiantaria o calvário??? só a morte fisica não bastaria... faltou estudo de vossa parte... leia a bíblia e descubra a palavra revelada e não essas baboseiras q vc anda falando... Não abra sua boca para amaldiçoar os livros do irmão Hagin... Essa palavra ja libertou multidões... Não seja equivocado... faça uma alto-analize e enxergue o erro ... fique na paz... O amor e a misericordia do Senhor são contigo... Paz
boa tarde...

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Thiago,

Estou impressionado com o seu antibíblico comentário e sua postura ofensiva, própria de quem ainda não nasceu de novo ou está desviado!

Nem vou lhe responder. Mas lhe farei algumas perguntas. Responda-as para você mesmo.

1) Para quê o Senhor Jesus morreria espiritualmente, se Ele veio para morrer fisicamente?

2) Quais são as bases bíblicas que abonam a morte espiritual de Jesus?

3) Você sabe o que significa morte espiritual, biblicamente?

4) Você ama mais Hagin do que o Senhor Jesus, posto que defende o tal "mestre da fé" de maneira tão atrevida?

5) A palavra de Hagin é mais importante do que o evangelho de Cristo, posto que mencionou a "palavra de Hagin", e não a Palavra de Deus?

6) Você sabe realmente o que está defendendo, ou apenas um fã insandecido?

7) Você sabe o que significa a morte vicária de Jesus, na cruz, e o derramamento de seu precioso sangue?

8) Sabe qual é o sentido de Apocalipse 13.8, parte final?

9) Sabe por que no Céu é mencionada a morte física de Jesus?

10) Você já leu os textos de Hebreus 2.14 e Colossenses 2.14?

Acorde! Você um menino espiritual e pensa que pode ignorar as verdades da Palavra de Deus? Estude a sua Bíblia, menino, e abondone as heresias do falso mestre Hagin. Antes que seja tarde demais.

CSZ

Renan da Costa disse...

Caro Pastor Ciro,

Conheci seu blog a pouco tempo e já estou lendo bastante.

É impressão minha ou o senhor parou na 3ª parte da análise? Esse tema me interessa muito! Me converti numa igreja que defende ardentemente os ensinos de Hagin. E coloca o livro "O Nome de Jesus" junto a Bíblia. Estou gostando muito de sua análise. Já li esse livro. Tenho mais de 20 livros do Hagin, no tempo que pertencia a essa igreja. Graças a Deus, meus olhos foram abertos.

O senhor tem previsão do retorno à análise do livro?

Graça e Paz.

Renan da Costa.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Renan,

Perdi a inspiração, por enquanto, para continuar essa série. Mas nos próximos capítulos não há muita novidade, a não ser repetição dos conceitos já expostos.

Bem, se Deus quiser, a minha inspiração voltará e terminarei a série em breve.

A paz do Senhor!

CSZ

Anônimo disse...

A paz de Cristo Pastor Ciro, eu estou impressionado com esses analise, é simplesmente maravilhoso, estou aprendendo muito com seus comentarios sobre esses pregadores da prosperidade, prosperidade pra quem? Para Eles!Deus nos guarde desses evangelicalismo da fé.

Diac.Claudenor

Ministerio Petros Paiva disse...

uma arvore é conhecida pelos seus frutos, o ministério do irmão hagin tem sido criticado por muitos, mais nunca parou de crescer e nem vai parar, pois a verdade da palavra não pode ser detida, nem mesmo pelas piores calúnias, eu fui mudado pela palavra rhema e sei que ela tem o poder de mudar outras vidas, e o maior interessado em dete-la é satanás, mas ele não pode, pois aquele que cmeçou a boa obra(Jesus) a aperfeiçoará e a completará para o louvor de sua glória.
a palavra me livrou do engano religioso e por isso eu não aceito nenhuma de suas criticas sem fundamento.

Anônimo disse...

Um dos pricipais pilares da iigd e de que nao existem pessoas especiais. Rr soares e o q mais prega isso. Quem falar o contrario esta mentindo ou e um daqueles crentes que vendem sua casa, dao o dinheiro como oferta, procurando barganhar com deus, ou seja, idiotas desonestos. O missionario trabalha todos os dias pregando a palavra. Luvros sao livros e todas as congregaccoes os possuem. A iigd da liberdade aos pastores e muitos discordam de trechos dos luvros de hagin. Alguns prezam muito o q arminio e calvino escreveram e e um direito de cada um. Poderiamos dizer que de nada valeu visto q na franca a igreja e quase extinta.
enfim, o senhor e um homem de deus e tem direito de analisar da maneira q achar melhor. Entretanto este sentimento estupido de algumas congregacoes acharem q sao superiores as outras serv bem aos preceitos de satanad. Isso pra quem acredita pois exustem correntes q nem nisso creem. Existem crentrs q acham normal o sofrimento. E uma opcao de cada um. Sou membro da iigd sou feliz la e desejo que cada um seja feliz um sua denominacao. As divergencias sao saudaveis, ate porque quem se achar o bom que atire a primeira pedra. Sao por essas e outras que um conhecido deputado esta com a ajyda do mpf invadindo templos da iurd. Quem sou eu para julgar alguem de outra denominacao?