sábado, 25 de julho de 2009

As incongruências de Calvino (1)


Para boa parte dos evangélicos, calvinismo é sinônimo de verdade absoluta e incontestável, de argumentação lógica e consistente e até de evangelho. Mas Calvino, a despeito de ter sido um homem de Deus, não foi infalível (1 Pe 1.24,25), e a sua teologia não é tão biblicocêntrica como se acredita. Alguns dos seus pensamentos quanto às doutrinas da salvação, não são tão congruentes, lógicos, racionais, adequados e, consequentemente, bíblicos.

Vejamos o que disse Calvino acerca da salvação de crianças: “Os pequeninos que recebem o sinal da regeneração e da renovação, se passam deste mundo antes de chegarem à idade da razão, caso tenham sido escolhidos pelo Senhor, são regenerados e renovados pelo seu Espírito, como lhe apraz, segundo o seu poder, para nós oculto e incompreensível” (As Institutas [2006], III.11).

Segundo essa teoria de Calvino, um infante não-eleito que vier a morrer antes de chegar à idade da razão será (ou já está) condenado por Deus. Em outras palavras, se uma criança — filha de pais não-cristãos, por exemplo — morrer ao nascer, não sendo ela escolhida antes da fundação do mundo, irá para o Inferno, mesmo sem ter tido sequer a oportunidade de saber por que nasceu! É o amoroso Deus injusto? Não seria melhor Ele impedir a concepção desse infante?
Teria o soberano Senhor prazer em permitir que uma criança viesse ao mundo apenas para ser condenada eternamente?

Considero perigosa essa teoria do admirável reformador em apreço. Primeiro, porque o Senhor é justo e julgará a todos com justiça e retidão (Gn 18.25; Rm 3.5; 2 Tm 4.8). Segundo, porque, no Juízo Final, os réus serão condenados de acordo com as suas obras (Ap 20.12,13; 21.8). Que obras más tem um recém-nascido? Terceiro, porque em Marcos 16.16 está escrito: “... quem não crer será condenado”. Como um recém-nascido será condenado, uma vez que morreu antes de alcançar a maturidade necessária para crer?

Alguns admiradores fanáticos de Calvino argumentam que, se um recém-nascido não-eleito vier a morrer, será condenado por causa do pecado original, que passou a todos os homens (cf. Rm 5.12). Outros afirmam que Deus, em sua presciência, condenará a tal criança por saber de antemão que ela não se salvaria na idade da razão. Entretanto, uma condenação justa, baseada no pecado original, só se justifica depois de o pecador tomar conhecimento de que nasceu em pecado (Sl 51.5; Rm 3.23). No caso de um infante não-eleito que morre ao nascer, seria ele condenado pelo pecado herdado de Adão, mesmo sem ter chegado à idade madura?

Com todo respeito a Calvino, Jesus deixou claro que a salvação das crianças que não atingem a idade da razão nada tem que ver com eleição arbitrária ou predestinação incondicional. Em Mateus 18.2,3 está escrito: “E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus”.

À luz do texto bíblico acima, segue-se que: primeiro, para entrar no Reino de Deus não basta ser eleito; é preciso se converter. Segundo, para entrar no Reino de Deus também é preciso ser como uma criança. Terceiro, se as crianças foram tomadas por Jesus como exemplo de quem entrará no Reino de Deus, logo todas elas, em sua fase da inocência, têm a garantia do Senhor Jesus de que serão salvas — não por eleição, mas simplesmente por serem infantes! Afinal, “... dos tais é o Reino dos céus” (Mt 19.14).

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

58 comentários:

ALexsander Piau Alves disse...

A paz do SENHOR pastor ciro! É extremamente incrível como existem ainda tantas pessoas que leva ao pé da letra a teologia calvinista e defendem erroneamente está falaciosa mensagem (uma vez salvo, salvo para sempre!).rsrsrs....observando o comentário do irmão francisco no tema abaixo vejo como ele está equivocado em seu infeliz comentário com certeza este irmão precisa urgentimente de uma visão ótica espiritual a luz das sagradas Escrituras!!!.rsrsrs.em suas exageradas e indelicadas afirmações.rsrsrs. Pastor ciro é só a graça do DEUS VIVO para ajudar o senhor, que com certeza sem dúvidas já está acostumado em lidar com estes e outros tipos de situações de crentes teimosos que pensam que sabem de tudo de hermenêutica e tropeçam feio em suas más interpretações não querendo de forma alguma seguir e se sujeitarem a infálivel, inerrante e perfeita palavra de DEUS. e sim opiniões de pensadores fáliveis como cálvino e entre outros formadores de heresias. Ah! referente a está obra maravilhosa muito bem explicada fico por demais alegre na pessoa de JESUS! com esse tão grande ensinamento glórias ao DEUS ETERNO!!!.um grande abraço....e mais uma vez a paz do SENHOR JESUS....Alex A.D.Belém setor 09. SP.

Juarlyson Jhones disse...

Pastor o que o senhor entende como sendo a justiça de Deus?

“Mas esta Graça, sem a qual nem as crianças nem os adultos podem ser salvos, não é dada em consideração aos merecimentos, mas gratuitamente, o que caracteriza a concessão como graça. Justificados gratuitamente pelo seu sangue. Assim, são dignos de justa condenação os que por ela não são libertados, seja por que não puderam ouvir, seja porque não quiseram obedecer, seja também quando pela idade não puderam ouvir, e não receberam o banho da regeneração que poderiam receber, o qual lhes proporcionaria a salvação. Isso porque levam consigo o pecado, o qual ou contraíram pela origem ou avultaram pelos maus costumes. Sendo que todos pecaram, seja em Adão, seja em si mesmos, e todos estão privados da glória de Deus (Rm 3.23)”. (Santo Agostinho)

EV. SAMUEL EUDÓXIO disse...

Pr. Ciro,
Paz do Senhor.
Muitos levados pela doutrina da predestinção, têm uma vida sem santificação e verdadeira conversão. Como foi escrito pelo senhor, "para entrar no Reino de Deus não basta ser eleito; é preciso se converter". Sinceramente é muito difícil de acreditar que Deus deixaria nascer uma criança, simplesmente para remetê-la ao inferno.
Concordo plenamente com o texto publicado. Que deus continue lhe abençoando poderosamente!

Ev. Samuel.

Júnior Rubira disse...

Concordo plenamente pastor, a doutrina Calvinista está repleta de falhas e estas são tomadas como verdades absolutas, como se a Bíblia fosse incompleta sem a interpretação de Calvino, creio que devemos atentar para a palavra, e não para a interpretação de Calvino, afinal, não foi ele quem morreu na cruz para nos salvar.

Abraço, e que Deus continue te usando.

Rogério disse...

Pr. Ciro,
Quero inicialmente afirmar que sou um cristão de teologia reformada e portanto um grande admirador de Calvino declarado, em contrapartida dos irmãos arminianos que não se declaram, pensam ser bíblicos e descartam qualquer afirmativa de reconher que sua visão é uma afirmativa dos pensamentos do mesmo, ou até mesmo de Pelágio.
Minha dúvida quanto ao padrão estabelecido da lógica da justiça de Deus em seu comentário é muito simples.
Pelo que entendi, você considera injusta a possibilidade de uma criança nascer e morrer e ser condenada por não ser eleita! Me responda por favor, dentro da mesma lógica de justiça, por que que uma criança nascer e crescer, ou seja, viverá mais tempo para ser condenada, faria dessa decisão uma atitude mais justa?
Ou vcoê verdadeiramente acredita que o homem morto em pecados realmente tem alguma capacidade para agradar a Deus no plano de salvação?
Ainda minha última dúvida, qual é o fim principal do homem? O homem na sua visão glorificará a Deus em sua salvação e não em sua justiça da condenação?

Esperançoso que poss receber respostas,

Rogério Júlio.
Abraços

FERNANDO disse...

Paz do Senhor Pr. CIro muito bom este artigo que Deus continue dando graça e sabedoria ao irmão para fazer o trabalho que DEUS lhe mandou fazer. "E a meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano, e o farão discernir entre o impuro e o puro." (Ezequiel 44 : 23)

Evandro disse...

Acho que (acho não tenho certeza) que você está certo sobre isso Ciro, aliás, na Confissão de Fé Batista de 1689 editada pela Editora Fiel, esta passagem já é contestada pelos próprios Calvinistas. Sendo assim, o que você escreve não é novidade pra nós, não concordamos com esse ponto do Calvino. O que me estranha são os temas que você tem abordado ultimamente. Todos contestando o Calvinismo. Seria coincidência por estar completando 500 anos do nascimento de Calvino? Não sei se é, mas sendo ou não como assembleiano (e calvinista mesmo que não agrade alguns) vou continuar lendo seus livros e blog.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Evandro,

Não sou inimigo de Calvino e dos calvinistas. Mas sinto-me incomodado quando leio alguns artigos e livros dos calvinistas. Por quê? Porque vejo que boa parte deles tem o calvinismo como sinônimo do próprio evangelho de Cristo. Isso é perigoso. Quanto aos temas que tenho abordado, é uma escolha pessoal.

Sei que não é novidade para os bem-informados calvinistas o que eu escrevi. Mas fiquei feliz em saber que pelo menos um calvinista reconhece publicamente que Calvino errou.

Quanto aos 500 anos do nascimento de Calvino, parabéns a todos os calvinistas! Os assembleianos, em breve, se Jesus não voltar antes, vão comemorar os 100 anos da Assembleia de Deus. Estamos de parabéns também. Em dezembro, o mundo cristão comemorará o Natal, a despeito de Cristo não ter nascido em dezembro. Mas o que vale mesmo é comemorar todos os dias uma outra data: o dia em que Cristo nasceu em nosso coração!

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro discípulo de Calvino, Rogério Júlio:

Sinceramente, eu prefiro ser discípulo do Senhor Jesus, a ser discípulo de Calvino, de Armínio, etc. Isso é o que vale para mim. Não faço a mínima questão de me declarar como isso ou aquilo, pois tenho prazer em ser um servo de Cristo, assim como Paulo, que iniciou a carta aos Romanos dizendo: “Paulo, servo de Jesus Cristo...”

Os calvinistas gostam muito de lógica... Mas o artigo acima mostra como o pensamento do falível homem Calvino se mostrou incongruente e ilógico em certos momentos. É óbvio que eu considero absolutamente injusta e incongruente a possibilidade de uma criança, na idade da inocência, ser condenada por não ser eleita! Primeiro, porque a Bíblia não apoia a eleição arbitrária de uns para a salvação e de outros para a perdição. Segundo, porque a Bíblia, a Palavra de Deus, nos dá exemplos da justiça divina. Deus, por exemplo, disse a Abraão que não destruiria Sodoma e Gomorra se ali houvesse alguns poucos justos (Gn 18). Isso mostra que Ele não age de maneira arbitrária.

Condenaria, pois, o Justo Juiz ao Inferno um recém-nascido que vem a morrer? Condenaria Ele, voltando um pouco mais, uma criança abortada? “Ah, essa criança já veio ao mundo salva ou condenada por eleição ocorrida antes de ela nascer”, diriam os amantes de Calvino.

Que lógica é essa, meu irmão? Por esse incongruente raciocínio, ninguém precisaria sequer vir ao mundo para ser condenado ou salvo, não é mesmo? O que faz o ser humano no mundo? Para que serve a Bíblia? Por que o arrependimento foi pregado por Jesus? Por que Deus amou o mundo (todo o mundo, e não parte dele, como dizem os predestinalistas) de uma maneira indescritível? Pense nessas questões.

O que o irmão está fazendo aqui, se já é um eleito? Por que Jesus veio ao mundo morrer por toda a humanidade, como se lê em Hebreus 2.9, 1 Timóteo 2.6 e 1 João 2.2, textos que os calvinistas “habilmente” refutam?

A Palavra de Deus afirma que todos os seres humanos morreram espiritualmente em Adão (Rm 5.12). Mas, quando esses seres humanos têm conhecimento disso? Quando vêm ao mundo e ouvem a mensagem do evangelho, salvo exceção. Se Deus condenar alguém que sequer teve consciência do que o tornou réu do Inferno, isso fere COM CERTEZA o princípio da justiça divina. Por isso, o texto de Apocalipse 20.12,13 é claríssimo. Cada ímpio será condenado SEGUNDO AS SUAS OBRAS! E essas más obras são descritas claramente em Apocalipse 21.8 e 22.15.

Admire Calvino, caro irmão (eu também não sou inimigo dele e já o citei positivamente várias vezes, ao longo da minha trajetória como escritor e articulista), mas ame e preze, sobretudo, o Deus da Palavra e a Palavra de Deus.

Em Cristo,

CSZ

Felipe Huvos Ribas disse...

Pr. Ciro, estou achando bem complexos os últimos textos. Pra variar, tenho uma dúvida. O que acontecerá com as pessoas que nunca ouviram a pregação do evangelho, sendo que Deus nivelou a todos como pecadores?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Felipe Huvos Ribas,

O irmão já me fez essa difícil pergunta. E eu lhe dei uma resposta, num dos artigos da série sobre a segurança da salvação. Talvez ela não lhe tenha sido suficiente. Mas tenha certeza de que o Justo Juiz julgará tais pecadores com justiça, e não arbitrariamente.

Em Cristo,

CSZ

a verdade do evangelho disse...

A tempos venho observando que os calvinistas estão agindo á semelhança dos adventistas.
O que Ellen G. White dz em seus livros eles a tem como verdade absoluta.

Um conselho aos calvinistas: "Mais Bíblia e menos calvino"

Pb. Edinei Siqueira, Th.B

Elaine Cândida disse...

E viva às crianças e aos adultos que a elas se assemelham!!!

gug disse...

Fico imaginando porque precisamos criar essa dicotomia sobre predestinação e livre arbítrio, se ela NÃO existe na Bíblia.
NEM Calvino, NEM Armínio. Ambos tem suas razões, mas Ambos falham ao excluir declarações da Única autoridade válida, a Bíblia, para justificar suas teologias.

Precisamos rever conceitos pensando num Deus supra-temporal, que não se limita aos conceitos finitos que temos, que poda o alcance dos nossos argumentos "lógicos".
Deus é Deus, se ele afirma algo que a nós parece contraditório ou ilógico, em sua palavra, devemos considerar que a limitação está em nós.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Juarlyson Jhones,

Vejo que os discípulos de Calvino resolveram sair em defesa do aniversariante! Mas seria bom que defendessem, acima de tudo, o evangelho de Cristo (Fp 1.16).

O que o irmão entende por justiça de Deus? Eu já expus o que a Bíblia afirma, no presente artigo e também na resposta ao irmão Rogério. E o que a Palavra de Deus diz é muito mais importante do que disseram Agostinho, Calvino e também o menos festejado Armínio.

É óbvio que ninguém é salvo por seus méritos (Ef 2.8). Mas, seria alguém condenado sem ter tido, primeiro, o conhecimento do porquê de sua condenação? Por que os livros se abrirão no dia do Juízo Final? Seria, ainda, alguém condenado sem ter tido a oportunidade de ser salvo? Quer dizer, então, que um recém-nascido morre e vai imediatamente para o Hades aguardar a condenação final? Isso lhe parece de acordo com o princípio da justiça divina esposado em toda a Bíblia, prezado irmão?

O julgamento do Justo Juiz será de acordo com o que está escrito no Livro de Deus, a Bíblia. Aliás, os calvinistas falam muito de Calvino, Agostinho... Que tal nos lembrarmos do que disse o Senhor Jesus, em João 5.24-29? “Na verdade, na verdade vos digo que QUEM OUVE a minha palavra e crê naquele que me enviou TEM A VIDA ETERNA E NÃO ENTRARÁ EM CONDENAÇÃO, mas passou da morte para a vida... vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que FIZERAM O BEM sairão para a ressurreição da vida; e os que FIZERAM O MAL, para a ressurreição da condenação”.

Que bem fez um recém-nascido supostamente eleito antes da fundação do mundo? Um calvinista responderá: “Nenhum, mas foi eleito para a salvação”. Muito bem! Mas, que mal fez um recém-nascido não-eleito? Um calvinista responderá: “Nenhum, mas não foi eleito para a salvação”. O irmão considera isso justiça divina? Por acaso, o Justo Juiz daria a bênção da redenção a apenas uma parte dos recém-nascidos, se TODOS nasceram em pecado? Que princípio de justiça seria esse?

Lembre-se, caro discípulo de Calvino, Agostinho e cia., do que está escrito em Romanos 11.32: “Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia”. O Justo Juiz nivelou a TODOS como pecadores (Rm 3.23), sem acepção de pessoas (Tg 2.1), e oferece igualmente a TODOS o dom da vida eterna (Jo 3.16; At 17.30,31; 1 Tm 2.4,5; 2 Pe 3.9). É isso que eu entendo por justiça divina.

Em Cristo,

CSZ

Anônimo disse...

Só para informação:
Juarlyson Jhones,é da Assembleia de Deus de Recife e ligado ao pr. Ailton.

Ciro Sanches Zibordi disse...

É mesmo, anônimo? E você, quem é?

CSZ

Felipe Huvos Ribas disse...

Pr. Ciro, eu não me lembro de ter lido a resposta para a pergunta que eu fiz para o senhor, sobre quem nunca ouviu a pregação do evangelho (talvez esteja nos textos e não nos comentários).
Mas creio também que Deus é Justo.

"Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio, de modo que o justo seja como o ímpio; esteja isto longe de ti. Não fará justiça o juiz de toda a terra?" (Gênesis 18:25)

Lucas Marin disse...

Por mais justo que seja o homem (com excessão de Jesus, Deus/Homem que veio para nossa Salvação), não devo a eles confiança, mas antes confio no Senhor que diante de cada homem cuida de mim. Mesmo que aparentemente confie no homem, antes a minha confiança está no Senhor, para que no homem eu não seja também maldito, mas antes bendito seja eu no Senhor!

Jeremias 17:5 Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!

...Mas...

Jeremias 17:7 Bendito o varão que confia no SENHOR, e cuja esperança é o SENHOR.

Luciano Lourenço disse...

Um homem que tem o Espírito Santo não fala uma asneira dessa! Espero que Deus tenha tido misericórdia de CALVINO, por tanto asneira que escreveu, e por não ter refutado isso a contento, a fim de evitar tantos seguidores desnorteados e incautos!
Maranata!!!

Jæn disse...

poxa, como tem teologo...

Arminio, Calvino, Agostinho, etc. Nunca li nenhum livro inteiro de nenhum deles. Mas interessante que aprendi um buraco em cada teologia nesses ultimos textos.

Não conheco direito nenhuma dessas lógicas, mas o que sempre me ajudou nesse tipo de questão é o bom censo. Eu pensaria intuitivamente (e acho que é o que a grande maioria faz nesse tipo de questão) no mesmo que o pastor Ciro e engoliria o "livre arbitrio" mesmo sem nenhuma argumentação Bíblica. Principalmente porque o proprio Jesus usou as criancas como o padrao da salvação.

tipo:
1- As criancas sao o modelo para salvacao;
2- Se formos como as criancas nos salvamos;
Logo, as criancas estao salvas :P

silogismo bem basico xD

(sou assembleiano, cristão... não arminiano nem pelagiano, porque apesar de, pelo que eu vi, ter uma ideia parecida com essa gente, nem conheco eles direito :P)

grande abraco

Igreja Presbiteriana Zona Sul disse...

Graça e paz a todos,

É fato que todos aqui creem em uma salvação advinda pela graça, mas o que é graça? Não seria um favor imerecido? E em sendo imerecido em nada alguém pode ser atribuido como cooperador ou ainda rejeitador(SE É QUE ISSO EXISTE) de tal graça. Partindo desse pressuposto que a graça nos atinge primeiro, e como o Senhor mesmo nos fala que sua misericórdia Ele derrama sobre que Ele quer (Rom 9) fica aí a pergunta, a quem pertence a salvação?
Jonas 2:9 Ao Senhor pertence a salvação, diante disso: Quer sejam crianças jovens, adultos ou idosos Ele faz do jeito que Lhe apraz, pois a alma é eterna ou você acha que o Senhor diferencia entre alguém que tem 2 anos e outro que tem 99?
Quanto ao versículo que o pastor citou onde fala que para entrarmos no reino dos ceus devemos nos tornar como crianças, além da exegese sofrível que o senhor relatou o sentido está bem além do que fora interpretado, aja vista o que aconteceu no dilúvio, onde toda a raça humana, com excessão da família de Noé foi disimada, e aí? porque o Senhor não poupou as crianças da época.
EU CREIO EM UM DEUS SOBERANO!!!
Presb Augusto Brayner
augustobrayner@hotmail.com

Fabiane Couto disse...

A Paz pastor Ciro! Parabens pelo artigo. A respeito de crianças, tenho uma duvida que gostaria que o senhor me ajudasse. Se uma criança, filha de pais espíritas, que foi "oferecida" em uma especie de ritual, caso venha morrer ainda criança, ou mesmo na volta de Jesus, o que acontece com essa criança? Pra onde ela vai? Qual a idade que se entende que essa criança deixa de ser inocente?


Em Cristo,
Fabiane Couto.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Nobre presbiteriano da Zona Sul, Augusto Brayner:

Alguns internautas ficam bravos quando eu menciono os erros de português dos comentaristas que "se acham", mas veja o seu caso. O irmão quer falar de exegese, chamando a minha exposição de sofrível, e emprega um "aja vista" sem "h"? Pelo amor de Deus! Isso não fica bem para um calvinista presbiteriano da Zona Sul!

Eu creio sim, prezado irmão, na salvação pela graça, mas o que é a graça? A graça para alguns é sinônimo de vida relaxada, sem compromisso e visão limitada quanto à salvação, observando apenas o seu aspecto posicional. Mas, biblicamente, o crente salvo pela graça deve ser zeloso, hoje, operando a sua salvação com temor e tremor (Fp 2.12).

A salvação vem do Senhor! Mas o Deus Todo-Poderoso não é Todo-Amoroso, meu caro? Ele nivela a todos debaixo de pecado (Rm 11.32) e só dá a oportunidade de salvação aos eleitos? É claro que não! O irmão tem como negar a verdade contida no texto áureo da Bíblia, de que DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA, QUE DEU O SEU FILHO UNIGÊNITO, PARA QUE TODO AQUELE NELE CRÊ NÃO PEREÇA, MAS TENHA A VIDA ETERNA?

Sim, o Senhor diferencia entre pessoas que têm 2 e 99 anos, pois Ele é justo! E quem é justo sabe aplicar a justiça para cada caso em específico.

O versículo que eu citei afirma que devemos nos tornar como crianças para ENTRAR no Reino dos céus! E quem disse isso não foi Calvino. Foi o Senhor Jesus! Ele deixou claro que as crianças inocentes vão entrar no Céu, aceitem os calvinistas ou não. E, se algum adulto deseja entrar lá também, que não fique confiando em sua eleição, mas apresse-se em se converter e tornar-se como uma criança (Mt 18.1-4).

O irmão crê em um Deus soberano? Eu também. Mas me responda: Por que o Senhor Jesus veio ao mundo para morrer pelos nossos pecados, se de antemão, antes da fundação do mundo, já havia uma lista prévia de eleitos e não-eleitos?

CSZ

Música, Ciência e Teologia disse...

Pr Ciro, na resposta que o irmão deu sobre a questão dos que morrem sem ter ouvido sobre Jesus está escrito:

"Mas tenha certeza de que o Justo Juiz julgará tais pecadores com justiça, e não arbitrariamente."

Nesse caso, a Bíblia afirma que o salário do pecado é a morte. Afirma também que as pessoas foram concebidas em pecado. Afirma também que o pecado de Adão foi transferido para toda humanidade. Ora, por uma questão de justiça divina, a pessoa deverá ser condenada!

Se pensarmos em nosso caso, num exemplo bem simples. Se eu infringir alguma lei de trânsito, não poderei alegar que desconhecia tal lei. As autoridades não aceitarão minha argumentação. Por que Deus deveria aceitar o desconhecimento da natureza pecaminosa do homem?

Até mais, Marcos.

Maria disse...

Olá pastor Ciro!

Gostei muito dessas ultimas postagens que trataram sobre o tema da salvação.
Queria lhe pedir um estudo sobre quem criou o mal? Foi Deus ou foi Lúcifer?
Já ouvi vários debates sobre este asunto, mas a maioria dos pastores não tem uma opinião que segura sobre que foi o autor do mal.

Eu creio que Lúcifer foi o criador do mal, pois está escrito que ele é a fonte de todo mal e pai da mentira.

Estarei aguardando a sua resposta sobre s esta minha duvida.

Até breve...

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Marcos,

Primeiramente, que foto essa, meu irmão?! Risos...

A questão em apreço é mais abrangente do que se pensa. E a doutrina da salvação (na verdade, as doutrinas da salvação, pois são pelo menos 20) precisa ser levada em consideração como um todo.

De fato, as pessoas que morrem sem ouvir o evangelho morrem em pecado porque já nasceram em pecado (Sl 51.5). Elas não se tornaram pecadoras ao nascerem, mas já eram pecadoras na concepção. Mas ter pecado não significa necessariamente ser condenado. Pois, hoje, nós temos ainda pecado e não somos mais condenados, posto que Cristo nos livra do poder do pecado.

Bem, por que tais pessoas nasceram em pecado? Porque Deus, que é soberano, resolveu, quando da Queda de Adão e Eva, considerar todos os seres humanos que viessem ao mundo depois da Queda pecadores (Rm 5.12; 11.32).

Por outro lado, esse mesmo Deus soberano, que nivelou a todos debaixo do pecado, providenciou um plano salvífico para TODOS os pecadores (Jo 3.16; Tt 2.11; 1 Jo 2.2; Hb 2.9).

Se o Senhor deseja que TODOS se salvem (1 Tm 2.4), e alguém morre sem ter a oportunidade de conhecer esse plano redentor (que envolve a própria Queda global, mediante a qual o pecado passou a todos os homens), é justo, da parte de Deus, o Justo Juiz, condenar ao Inferno tal pecador que morre em pecado, mas sem conhecer o plano de salvação?

Diante do exposto, é melhor que o irmão pense biblicamente, e não à luz da limitada lógica humana.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Querida Fabiane,

Não são os pais que vão determinar o destino da alma de uma criança em seu período de inocência, e sim o Senhor. Caso contrário, os filhos adultos de pais crentes seriam automaticamente salvos em razão de seus pais terem um pacto com Jesus. A salvação é individual.

Uma criança, na fase da inocência, não tem o controle de nada. A Bíblia diz que Moisés, sendo menino, foi escondido. Ele nada pôde fazer. Mas, sendo já grande, RECUSOU ser chamado filho da filha de faraó (leia isso em Hebreus 11). Mas, quando eu falo de inocência, não quero dizer que a criança não tenha o germe do pecado. Isso, sim, pois o pecador não é pecador porque peca, mas peca porque é pecador.

Outrossim, quando qualquer ser humano morre, em qualquer fase da vida, fica sob o controle de Deus (Ec 12.7), e é Ele quem pode levar para o Céu ou lançar no Inferno (Mt 10.28). Repito: não são os pais que determinam, mediante rituais ou coisa parecida, o destino da alma de um infante.

O que nós estamos abordando aqui é o caso de crianças em sua fase de inocência, quando ainda não dispõem de amadurecimento necessário para crer (Mc 16.16). Mas isso varia um pouco. Para algumas crianças esse amadurecimento pode ocorrer mais cedo do que para outras. E Deus saberá como tratar cada caso com justiça.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezada irmã Maria,

É claro que o criador do mal original não foi Deus! Ele dotou os seres angelicais de livre-vontade, e o Diabo, um desses seres, foi quem se rebelou, criando, assim, o mal original.

Em Cristo,

CSZ

Fabiane Couto disse...

Muito obrigada, pr. Ciro!!
Deus te abençoe!

Dinho disse...

Parabens pastor ciro por mais esse artigo...sou admirador de calvino,mas ele nunca foi infalivel,embora ele fosse um grande expositor da palavra. Os calvinistas vivem descendo a lenha em nossas crenças,ai quando mostramos as incoerências de suas doutrinas eles ficam com raiva. O deus calvinista não é amoroso, isso é uma logica inescapavel. Por mais que eles tentem justificar essa eleição arbitraria, tanto biblicamente como filosoficamente mais embaraçados se tornam os seus argumentos. Ah, e eles se acham os guardadores da sã doutrina, no entanto, durante muito tempo uma certa igreja calvinista foi conivente com a maçonaria...Mas esse é um outro assunto...

Fica na paz o senhor e os irmaos calvinistas.

Música, Ciência e Teologia disse...

Pr Ciro, a própria criação de Deus dá provas da Sua existência e é justamente por isso que os homens não são indesculpáveis por não conhecerem a Deus.

Além disso, o Justo juiz, como o irmão escreveu, não toma o culpado por inocente e isso independe se ele ouviu ou não a mensagem da cruz.

Isso não nos isenta da nossa responsabilidade de anunciarmos a Jesus a todos quanto forem colocados no nosso caminho, sejam eles povos não-alcançados, indígenas, aborígenes, nossos vizinhos ou nossos familiares.

Até mais, Marcos.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Marcos,

Como eu lhe disse, a questão em apreço é muito mais abrangente do que se pensa. Se a criação dá provas da existência de Deus, e ela dá mesmo (Sl 19.1-3; Rm 1.20), então devemos admitir que isso poderá ser usado como parâmetro no Juízo Final. Aliás, a Bíblia diz que os livros (plural) se abrirão, naquele grande Dia (Ap 20.11ss).

Mas veja a sua incoerência, caro irmão, com todo o respeito: "Isso não nos isenta da nossa responsabilidade de anunciarmos a Jesus a todos quanto forem colocados no nosso caminho, sejam eles povos não-alcançados, indígenas, aborígenes, nossos vizinhos ou nossos familiares".

1) Anunciar Jesus para quê? No final, os eleitos serão salvos, e os não-eleitos, condenados! Os eleitos não precisariam sequer nascer! Por que precisamos pregar Jesus a eles?! Viu como o predestinalismo depõe contra a própria Bíblia, a despeito de ser apresentado como biblicoêntrico?

2) Não devemos anunciar Jesus a quem for colocado em nosso caminho! Na Grande Comissão, o mandamento de Jesus não é para fazermos apenas isso, e sim para SAIRMOS de nosso conforto e pregar o evangelho: "IDE POR TODO O MUNDO, PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA..." (Mc 16.15). Por que a TODA CRIATURA? Porque Deus quer TODOS conheçam a sua tão grande salvação (Hb 2.3).

Em Cristo,

CSZ

Evandro disse...

Olá. Pr. Ciro, primeiro gostaria de dizer que me sinto muito feliz em debater um tema com você, como (provavelmente) nunca te conhecerei pessoalmente, fico feliz em trocar mensagens com você! Segundo, honestamente, parece um deboche quando você parabeniza aos calvinistas pelos 500 anos de Calvino, mas paciência, quem tem boca fala o que quer, e quem tem blog, posta o que quer também! Terceiro,alguns devem vibrar ao reconhecer erros de Calvino, a esses digo que se estudassem um pouco a vida de Daniel Berg e Gunnar Vingren veriam muita coisa errada, infelizmente é fácil ver o cisco no olho dos outros, mas o poste no nosso são outros quinhentos. Quanto a questão da salvação por eleição existe muito mal entendido por parte dos que não conhecem o calvinismo. Uma ala dos calvinistas crêem sim que Deus elege uns para salvação e outros para condenação, a outra ala não crê assim. Os que crêem são supralapsarianistas, ou seja, acreditam que: (1)Deus elegeu uns para a vida e outros para a condenação, (2)Deus criou toda a humanidade, os eleitos e reprovados, (3)Deus permitiu a queda, esta dependeria da escolha voluntária do homem, (4)Deus providenciou um Redentor para os eleitos e (5) Deus envia seu Espírito Santo para aplicar a redenção no coração dos eleito. Esta posição foi defendida por muitos reformadores (prefiro teologia reformada ao invés de calvinista) entre eles dizem Calvino. Pelos livros de Calvino fica difícil cravar, mas parece que ele defendia sim o supralapsarianismo. Acredito que ao pensar em salvação (seja de crianças ou adultos) a melhor visão que temos na Teologia Reformada é o infralapsiaranismo que diz: (1)Deus criou a humanidade [boa e abençoada, sem mácula nem defeito], (2)Deus permitiu a queda: a queda dependeria da escolha voluntária do homem (que na época não era escravo do pecado), (3)Deus elegeu salvação para alguns homens (os eleitos) e deixou os demais em seu estado de condenação (4)Deus providenciaou um Redentor para os eleitos e (5)Enviou o Espírito Santo para aplicar no coração dos eleitos, através da Palavra, a redenção obtida por Cristo.
Respeito muito a posição supralapsiaranista, mas penso que ela carece de respaldo bíblico, um exemplo disso é no caso da salvação das crianças e no fato de Deus criar homens apenas para o sofrimento eterno.
Por outro lado concordo sim com a posição do infralapsiaranismo pois vejos respado bíblico em muitos pontos dela mesmo que alguns sejam difíceis de explicar!

Obs: Já que falamos tanto de aniversário, hoje 27/7 minha cidade São José dos Campos faz 242 anos, parabéns pra ela!!!!!!!

Wanderlei disse...

Pr. Ciro,

Seus comentários são ainda mais incongruentes, ilógicos, irracionais, e , consequentemente antibíblicos do que os do próprio Calvino.
Queira ou não, Deus continua sendo o Soberano Senhor de todas as coisas. O Calvinismo continua sendo a doutrina que mais se aproxima da verdade revelada na Palavra de Deus.

Eu fico com Calvino!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado irmão Evandro,

Eu respeito a sua opinião, mas tente ser mais sucinto da próxima vez. Deu até desânimo ler seu comentário. Muito texto para pouca argumentação. Peço-lhe que leia as respostas acima (se é que ainda não as leu), pois nelas eu discorro biblicamente sobre o que o irmão falou.

Quanto a Daniel Berg, Gunnar Vingren e qualquer outro ser humano, eu posso admirar, mas não idolatrar (ou fazer algo semelhante a isso), como os calvinistas (extremados, é claro) fazem com Calvino.

Bem, é um prazer conversar com o irmão. E... parabéns pelos 500 anos do nascimento de Calvino! O irmão sabia que nesse ano também se comemora 400 anos da morte de Armínio? Os calvinistas têm mais motivos para comemorar...

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amém, Wanderlei!

Viva Calvino! Viva o calvinismo!

Vejo que o irmão aprecia a doutrina HUMANA de Calvino! Mas eu prefiro continuar apreciando doutrinas BÍBLICAS, como soteriologia, hamartiologia, antropologia, escatologia, angelologia...

Como eu tenho livre-arbítrio, fico com a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada!

CSZ

Anônimo disse...

Pastor Ciro, sou assembleiano legítimo da AD do pr. Arcelino aqui em Joinville-SC.
Amo Daniel Berg e Gunar Vingrenm as seu pelos estudos que Calvino foi e continua sendo mais importante para o Cristianismo do que Gunar Vingren.
É lamentável que o pessoal que o a maioria só lembra de Calvino para flar de eleição e predestinação, quando na verdade ele foi muito mais útil em outros temas da Fé cristã.
Ele relamente contribuiu e muito para o cristianismo. Eis a razão que até hoje não é esquecido. Qaunto a Gunar e Berg, admiro-os mas tenho minhas resalvas. Jamais os compararia em termos de Contribuição ao Cristianismo a Lutero ou Calvino, issso sim é tremendamente incongruente. ah eu acredito piamente na Predestinação condicional.

Evangelista Vicente Barroso

Abraços.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Prezado "Evangelista Vicente Barroso",

A minha crítica é ao calvinismo, e não à pessoa e à obra de Calvino como um todo, e isso está muito claro no presente artigo. Eu não estou generalizando nem condenando a vida e a obra de Calvino.

Portanto, o irmão está equivocado. E, como faz questão de dizer que é evangelista e assembleiano legítimo, preste mais atenção da próxima vez, a fim de que não faça juízo de valor errado.

Em Cristo,

CSZ

André Sto Pedro disse...

Caro Pastor Ciro; a Paz do Senhor Jesus!!!

Exagerando em minha colocação, mas vejo aqui uma situação semelhante a de Daniel e seus amigos (Ler Daniel cap 1). Daniel e seus amigos preferiram se alimentar do que era saudavel (Dn 1:12 "Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias, e que se nos dêem legumes a comer, e água a beber"). Devemos preferir as doutrinas da Biblia Sagrada, deixadas por nosso Senhor Jesus Cristo e recusar as iguarias do rei. A Palavra de Deus é incontestável, suas doutrinas são incontestáveis e o crente tem que ser sim-sim e não-não, o que passar disso é procedencia maligna. O que é pregado fora da Biblia, são argumentos e teorias levantadas simplesmente por seres mortais, mas, eu aprendi que devemos nos curvar apenas diante do Unico, Imortal, Eterno e Verdadeiro Senhor Deus todo Poderoso. Contestar a Biblia, é simplesmente negar a Verdade que é Jesus Cristo!!!
Por isso caro Pr, muitos deixam de ler a Bíblia para ler livros de "doutrinadores" (não sou contra isso), mas, peço que fiquem sempre com a Palavra de Deus, pois ela é eficaz, verdadeira e nos liberta!!! Quantos aos demais criadores de doutrinas, passo longe e não me deixo levar por emoções. Prefiro Jesus!!!
Deus continue te abençoando para que possa orientar estes "caçadores de profetas" e de doutrinas humanas!!!
Faço um conselho a estes tais: que busquem o conhecimento na Palavra de Deus, simplificando, leiam a Biblia!!!
Grande abraço;

André Sto Pedro

Música, Ciência e Teologia disse...

Pr Ciro, pregar o evangelho a toda criatura é uma ordem de Jesus Cristo a todos os seus discípulos, independente se eles creem ou não na predestinação. O caminho da salvação passa, obrigatoriamente, pela compreensão que sou pecador e que Jesus é o único que pode prover perdão para meus pecados e me aproximar de Deus. Nenhum calvinista, desde que seja sério, desdenha a pregação da Palavra. Apesar de não ser presbiteriano, reconheço o importante papel evangelizador dos primeiros presbiterianos que vieram para o Brasil.

Quanto a sair para pregar, não sei exatamente o que o irmão entende por "sair". Prego a Cristo onde quer que eu esteja e com quem quer que eu esteja. Cumpro o "IDE" onde vivo, onde trabalho, na minha família, com quem conheço seja em qualquer lugar.

Até mais, Marcos.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amém, irmão Marcos!

O que eu quis dizer é que a Grande Comissão abrange tanto "Jerusalém", como "Judéia", "Samaria" e os confins da Terra. Ou seja, não significa pregar apenas onde estamos, e sim SAIR, como fez a igreja primitiva depois da morte de Estêvão (At 7-8).

Que Deus o abençoe!

CSZ

pca disse...

A posição de um arminiano é bem simples. Ele leva em consideração que 'por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação' mas também que 'por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida'. Eu acredito que estou justificado em dizer que todas as crianças que morrem na infância são salvas.

Já para um calvinista há um leque de opções:

- alguns, como Agostinho, acreditam que somente as crianças batizadas que morrem na infância são salvas;

- outros, que somente as crianças de pais crentes são salvas;

- outros, que somente as crianças eleitas são salvas;

- outros, que todas as crianças vão para o inferno; e

- outros (sensíveis aos pequeninos) acreditam que todas as crianças que morrem na infância são salvas.

Em resumo, o arminiano pode continuar sentado confortavelmente, com a Palavra de Deus na mão, enquanto assiste a esse tiroteio de idéias do lado calvinista.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro "pca",

Não é bem o arminiano que pode "continuar sentado confortavelmente, com a Palavra de Deus na mão", mas o crente que tem a Bíblia com a sua fonte primária de autoridade. E esse crente, na verdade, não fica sentado confortavelmente. Ele se levanta e prega a Palavra!

Que Deus o abençoe!

CSZ

pca disse...

Pr. Ciro,

Com 'sentar confortavelmente' não quis dizer que devemos ficar parados enquanto o mundo se perde, mas que dessa briga de idéias entre os calvinistas o arminiano não precisa participar. Ele só pode assistir.

E certamente não exclui a possibilidade de outros irmãos, que meramente se intitulam cristãos, estarem com a razão nesse delicado assunto.

Emerson disse...

Caro Pastor Ciro, escrevo para lhe notificar de um erro em sua interpretação. Você entende Mateus 19:14 “...os meninos...dos tais é o reino dos céus” como se houvesse ali uma afirmação de que todos os infantes são salvos, simplesmente por serem infantes.

Entretanto a expressão “dos tais é o reino dos céus” deve ser entendida à luz das outras semelhantes a ela neste mesmo livro, como, por exemplo, aquelas em Mateus 5:3 e 10, onde nosso Senhor diz que “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” e que “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus”.

Se devemos entender a expressão “...os meninos ...dos tais é o reino dos céus” como uma afirmação de que todas as crianças são salvas, obrigatoriamente temos que entender também a expressão “...os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus” como sendo uma afirmação de que todos os que são perseguidos por causa do evangelho são salvos, mesmo que levem uma vida de impiedade. Sabemos que mesmo se alguém estiver sofrendo perseguição por causa do evangelho, ou por causa da luta pela justiça, se esta pessoa viver uma vida apegada aos seus pecados, impenitente, não desfrutará do Paraíso.

Espero que reveja sua interpretação. Se precisar de ajuda, estou a sua disposição para contato em meu e-mail emersoncpinheiro@yahoo.com.br

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Emerson,

Agradeço-lhe pela notificação, mas o irmão precisa, com toda a sinceridade, estudar um pouco mais de Hermenêutica, a fim de que, um dia, quem sabe, não se confunda mais.

Quer dizer que, para o irmão, todas as passagens em que ocorre o termo "pequeninos", ele tem sempre a mesma significação?

No texto de Mateus 18.1-4, o Senhor Jesus tomou uma CRIANÇA, literalmente, como exemplo, antes de dizer o que disse! E, no capítulo seguinte, "trouxeram-lhe algumas CRIANÇAS" (v.13). Foi depois disso que o Senhor afirmou: "Deixai os pequeninos [isto é, as C-R-I-A-N-Ç-A-S], não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus" (v.14).

Ou seja, antes de recorrer ao contexto remoto, o irmão precisa ler o contexto imediato da passagem, para que evite certas confusões e conclusões errôneas e apressadas.

Espero que o irmão reveja a sua falível e incongruente lógica humana, permitindo que a Palavra de Deus, o dirija. Se precisar de ajuda, peça-a ao Espírito Santo, mas eu também posso ajudá-lo, se for o caso.

Em Cristo,

CSZ

Igreja Presbiteriana Zona Sul disse...

Bom dia Pastor Ciro, graça e paz!

De início queria me deculpar pelo enorme erro de digitação que cometi, HAJA VISTA(verbo haver, portanto tem h sim, e eu sei disso, mas estava errado e tenho que escultar esse tipo de piadinha mesmo) não tive tempo de realizar uma revisão antes de publicar meu post, devido me encontrar em meu local de trabalho, o que me impossibilita de demorar muito por aqui.
Em relação ao tema do post de seu blog, antes de tudo quero deixar claro que respeito sua posição, até por me encontrar em seu blog onde o senhor tem total liberdade de expressar suas idéias, mas em relação a diferenciação entre idades, realmente não dá para acreditar. Quer dizer que Deus consegue fazer diferença entre idades? Tudo bem pastor, continue com essa posição limitada de um Deus tão soberano e amoroso, como o senhor mesmo menciona, que eu prefiro um Deus que tem misericórdia de quem quer e faz tudo cmo Lhe apraz.(Rom 9)

Emerson disse...

Caro Pastor Ciro, primeiramente agradeço por também se colocar a disposição para me ajudar. Importa que seja assim para que sejamos mutuamente edificados.

Mas lendo sua resposta, parece que você não leu com atenção o que escrevi, pois onde em meu texto eu disse que Mateus 18:1-4 não se refere literalmente a uma criança?

Sobre sua dúvida sobre a palavra "pequeninos", sim, ela sempre tem o mesmo sentido no livro de Mateus, embora se refira a pessoas distintas em situações distintas.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Emerson,

Não tenho dúvidas sobre a aplicação do termo "pequeninos". Mas lhe pergunto: O sentido desse termo é exatamento o mesmo nas passagens de Mateus 11.25 e 19.14, por exemplo?

Outra pergunta: O irmão é contrário à afirmação do Senhor Jesus de que das CRIANÇAS é o Reino dos céus, conforme se lê em Mateus 19.14? Responda isso à luz de Mateus 18.1-4, passagem que mostra o Senhor Jesus apresentando as CRIANÇAS como exemplos de quem ENTRARÁ no Reino de Deus.

Última: O que o irmão pretendeu com a tentativa de relacionar o texto de Mateus 19.14, que menciona claramente as crianças com Mateus 5, que nada tem que ver com o assunto em análise?

CSZ

Emerson disse...

Caro Pastor, vai a resposta para suas perguntas na seqüência das mesmas:

1ª – O sentido do termo é “aquele que não tem força, fraco, sem status”. Ora se refere aos discípulos (Mateus 11:25), ora às crianças (Mateus 19:14).

2ª - Não.

3ª – Demonstrar que a expressão “deles é o reino” não significa salvação certa, garantida. O reino é das crianças, como também é dos espiritualmente pobres e dos que sofrem perseguição por causa da justiça. E isso não significa que essas três categorias de pessoas são salvas incondicionalmente.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amém, irmão Emerson.

Agradeço-lhe pela participação. E que Deus o abençoe!

CSZ
p.s. Qual é a condição para um recém-nascido ser salvo, caso venha a morrer?

Anônimo disse...

que Calvino representa pro Cristianismo, e o que ele ensinou de bom, e quais os beneficios que o Calvinismo trouxe para o meio Cristão, e para a Sociedade (no mundo inteiro)

e depois vou perguntar pra ele uem foi Charles Fox Parham, o que ele nos ensinou de bom, e quais foram os beneficios da doutrina deles pro Cristianismo e para a Sociedade

Débora Cardoso disse...

João Calvino Contrário ao que muitos pensam, ele não criou ou formulou novas doutrinas, mas foi hábil sistematizador das verdades bíblicas, exemplo de devoção e exegeta preciso, deixando esse legado precioso, que já atravessa cinco séculos!

Calvino “está um nível acima de qualquer comparação, no que diz respeito à interpretação da Escritura. Os seus comentários precisam ser muito mais valorizados do que quaisquer dos escritos que recebemos dos pais da igreja”! Esse endosso entusiasmado de Calvino e de seus dons como comentarista e intérprete bíblico foi emitido por aquele que é considerado o seu grande inimigo: Jacobus Arminius! Charles Haddon Spurgeon, registra isso e classifica o comentarista Calvino como “príncipe entre os homens” e apresenta, ainda, a citação favorável de um Padre Católico Romano (Simon): “Calvino possui um gênio sublime”.

O que levaria Armínio, que divergiu com tanta intensidade da compreensão calvinista da soberania de Deus e da extensão da escravidão ao pecado na qual se encontra a humanidade; ou mesmo um católico romano, com sua discordância do modo de salvação defendido por Calvino, pronunciar tais elogios sobre João Calvino?

Certamente eles se rendem à precisão, devoção e seriedade com as quais João Calvino aborda a Palavra Sagrada, em seus escritos. Spurgeon destaca a sinceridade de Calvino e a tônica que o classifica como um exegeta, em paralelo a todas às suas demais qualificações. Ele disse, “a sua intenção honesta foi a de traduzir o texto original, do hebraico e do grego, com a maior precisão possível, partindo desse ponto para expor o significado contido nas palavras gregas e hebraicas: ele se empenhou, na realidade, em declarar não a sua própria mente acima das palavras do Espírito, mas a mente do Espírito abrigada naquelas palavras”. É por isso que Richard Baxter deu esse testemunho: “Não conheço outro homem, desde os dias dos apóstolos, que eu valorize e honre mais do que João Calvino. Eu me aproximo e tenho grande estima do seu juízo sobre todas as questões e sobre seus detalhes”.

Daniel Seixas disse...

Querido Pastor! Amo seus artigos e sua maneira de pensar, mas sobre essa questão tenho algumas discordâncias. Irmão, o pensamento humano é também fruto de seu tempo, não acredito que o calvinismo seja perfeito, mas longos debates são feitos em cima disso e ao meu ver nada constroem. Deus é infinito e sempre vão surgir correntes de pensamentos, porém seja a palavra verdadeira e a do homem falsa. Da mesma forma que ele errou também suas palavras podem ser falhas. Sei que existem essas divergencias, mas creio que existam pra se complementarem, tipo, enquanto uma valoriza o homem a outra vem com a soberania de Deus. Paz contigo!

Al disse...

Graça e paz Pastor Ciro! Não o conheço pessoalmente, mas muito me alegrei ao ler seu artigo!! Me sentia uma andorinha solitária ao pensar exatamente como o sr. pensa e ao questionar exatamente o que você questiona. Concordo com tudo o que você falou e é tudo o que há muito tempo venho pensando, estudando e defendendo, notadamente em algumas comunidades de debate do orkut. Deixo aqui o link para que o sr. e outras pessoas darem uma lida no longo debate que tenho travado há muito tempo sobre se considerar a interpretação Calvinista como expressão máxima da verdade infalível de Deus, apoiada principalmente na lógica humana falha e em alguns pontos contradizer frontalmente e claramente a Verdade das Escrituras. Deus o abençoe!!

Para os que têm orkut e gostam deste tipo de debates:

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=1267047&tid=2483348733358070816

Danielle Ribeiro Santos disse...

A teologia deve muito aos escritos de Calvino, como também de diversos outros escritores cristãos. O erro está em substituir ou equiparar no mesmo grau de autoridade à Bíblia, linhas de pensamentos teológicas ou tradições denominacionais. Nesse erro estão muitos de diversas denominações e segmento, entre esses estão os calvinistas. Chegam ao absurdo de crer que suas interpretações teológicas são o sinônimo do Evangelho, que só se pode entender a Bíblia pela lente calvinista. Muito do tal calvinismo atual é uma extrapolação do que Calvino escreveu, isso fica evidente ao ler sobre a história do pensamento calvinista. É lógico que falar e escrever coisas absurdas não foi exclusividade de Calvino, nem de seus apaixonados seguidores. Já ouvi diversos pastores e teólogos das mais variadas igrejas falarem coisas absurdas. Um pastor da AD (ministério do Ipiranga) disse em um debate na rádio Musical que tinha dúvida da salvação das crentes assembleianas que usavam calças compridas, pois, elas estavam contra os ditames da denominação e para fundamentar sua babaquice usou Mateus 18:18. Agora, quem salva é a saia!!! O que pastor acha sobre essas "pseudodoutrinas assembleianas"?

Lucas Marin disse...

"Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade."

Muitos homens querem dinamizar o Evangelho de Cristo e a Palavra de Deus, atropelando ignorantemente o que Cristo já fez por nós...

Não precisamos de outra regra de salvação enquanto o Senhor já deixou bem claro na sua Palavra!


Marcos 12.30 Amarás, pois, ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.
31 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.

E assim são com muitas "doutrinas" que têm "criado" por aí, que penso nem existirem, pois não existem sozinhas, mas então contidas e muito bem ligadas a toda Palavra de Deus!

Assim penso eu, que não precisamos de um "super método" de evangelização e ganho de almas (como o g12), e nem precisamos de uma "super doutrina" que não foi super valorizada assim por Cristo, no caso a Predestinação, precisamos apenas de saber que Jesus salva, do Senhor vem o nosso socorro, que podemos escolher ser justo ou ímpio mas é da vontade do Senhor que nos salvemos;

2 Timóteo 3:15 E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.

1 Timóteo 2
3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador,
4 que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade.