segunda-feira, 18 de maio de 2009

A Igreja passará pela Grande Tribulação?


É comum recorrer-se à simbologia com o intuito de afirmar que a Igreja não enfrentará o tempo de angústia, a Grande Tribulação. Afirma-se que Enoque foi arrebatado antes do dilúvio; que as águas do Mar Vermelho só caíram sobre os egípcios depois que Israel passou; que Elias subiu num redemoinho antes do cativeiro; que a Igreja é a luz do mundo (e, quando for tirada, se instalará um período de trevas); que ela é também coluna e firmeza da verdade (e, ao ser arrebatada, o mundo desabará), etc. No entanto, tais exemplos apenas ilustram e reforçam uma verdade que está revelada claramente nas páginas sagradas.

Os teólogos pós-tribulacionistas e mesotribulacionistas têm as suas razões pessoais para não crer no rapto dos salvos antes da Grande Tribulação. Contudo, é bom não irmos além do que está escrito (1 Co 4.6) nem nos movermos facilmente de nossas convicções quanto ao nosso livramento da ira futura, por ocasião da vinda de Jesus (2 Ts 2.2-9). Os primeiros afirmam que Jesus virá após a Grande Tribulação, enquanto os mesotribulacionistas asseveram que o Advento de Cristo se dará no meio desse tempo de angústia.

A escola de interpretação que honra as Escrituras é o pré-tribulacionismo, pois não há dúvidas de que a Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação (1 Ts 1.10). Jesus disse: “Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que têm de suceder e estar em pé na presença do Filho do homem” (Lc 21.36, ARA). Note: escapar, e não participar, atravessar.

Em Apocalipse 3.10, Jesus fez uma promessa à igreja de Filadélfia: “Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra”. Esta mensagem é apenas para uma igreja local? Não! Haja vista o que está escrito nos versículos 13 e 22 do mesmo capítulo: “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas”.

Conquanto a igreja de Filadélfia estivesse passando por tribulações, naqueles dias, os seus santos membros não passaram pela “hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo” — todos os mortos em Cristo têm a garantia de que não passarão pela Grande Tribulação, uma vez que ressuscitarão e serão tirados da Terra antes dela.

Todas as mensagens de Jesus registradas em Apocalipse às igrejas da Ásia possuem mandamentos e exemplos para nós, hoje, quanto à manutenção do amor e da fidelidade (2.4,10), às falsas profecias (2.20-22), ao perigo de Jesus estar do lado de fora (3.20), etc. Nesse caso, a promessa de livramento da hora da tentação em apreço é extensiva a todos os salvos — “há de vir sobre todo o mundo” —, assim como o que está registrado no versículo 11: “Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”.

Antes de o Cordeiro de Deus desatar o primeiro selo, dando início a uma série de juízos contra a Terra (Ap 6), João viu os 24 anciãos diante de Deus, no Céu (Ap 4-5). E estes representam a totalidade da Igreja: as doze tribos de Israel e os doze apóstolos de Cristo. Isso prova que, desde o início da Grande Tribulação, na Terra, os salvos já estarão no Céu. Glória ao Cordeiro, pois estaremos com Ele nesse período de trevas e aflições.

Em Apocalipse 13.15, está escrito que serão mortos todos os que não adorarem a imagem do Anticristo. Se este fará guerra aos santos, a fim de vencê-los (v.4), quantos destes seriam arrebatados durante ou depois do período tribulacionista? Os tais santos mortos pela Besta são os mártires da Grande Tribulação, e não a Igreja, que já terá sido arrebatada.

A Palavra de Deus diz que a Noiva de Cristo estará no Céu durante esse período, e que voltará com Ele, por ocasião da Revelação (segunda etapa da Segunda Vinda de Jesus), a fim de pôr termo ao império do mal: “vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos. (...) E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro” (Ap 19.7-14).

Em suas cartas aos tessalonicenses, a ênfase de Paulo é o Arrebatamento. Ao mencionar este glorioso evento pela primeira vez, ele deixou claro que Jesus nos livrará da ira vindoura (1 Ts 1.10). E isso é confirmado ainda na primeira epístola: “quando disserem: Há paz e segurança, então, lhes sobrevirá repentina destruição (...) e de modo nenhum escaparão. Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele Dia vos surpreenda como um ladrão” (5.3,4).

Observe, no texto acima: são os que estão em trevas que não escaparão da destruição. Os filhos da luz (1 Ts 5.5) já terão sido arrebatados (4.16-18). Por isso, mais adiante, Paulo reafirma o que dissera no primeiro capítulo (v.10): “Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo” (5.9).

A passagem de 2 Tessalonicenses 2.6-8 é de difícil interpretação, e não convém fazer especulações sobre o que não está revelado claramente. Mas vemos nela a reiteração de que a Igreja não estará sob o domínio do Anticristo: “E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado; e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda”.

Se o mistério da injustiça opera, por que o Iníquo ainda não se manifestou? O que o detém? Quem o resiste? Quem será tirado da Terra, para que ele tenha total liberdade até à esplendorosa vinda de Cristo? A única revelação que temos, retratada pelo próprio apóstolo Paulo, é que o povo de Deus será tirado da Terra, no aparecimento de Jesus Cristo (Tt 2.13,14; 1 Ts 4.17). E, se é depois disso que será revelado o Anticristo, então estamos diante de mais uma prova de que a Igreja não passará pela Grande Tribulação!

Quantos podem glorificar a Deus por isso?

Ciro Sanches Zibordi

32 comentários:

O PENSADOR disse...

Que assim seja! A qualquer hora, a qualquer momento e sem aviso prévio, como a chuva que paira sob nossas cabeças prestes a cair, quando já lhe é possível sentir o próprio cheiro... Iminente! A qualquer momento sem ao menos saber quando, deste os tempos apostólicos até hoje, ..., sendo que nossos dias prefiguram estar bem mais próximos dos eventos pós arrebatamento do que os deles... Se em nossos dias ocorrem eventos que visam preparar o cenário mundial para um evento pós arrebatamento, ..., e estes eventos ocorrem com uma frequencia assustadoramente rápida dando-me a certeza de que o arrebatamento não tarda, muito embora seja sem aviso prévio, ..., Simplesmente, está na iminência de ocorrer...

Glória a Deus por isso...

Teóphilo disse...

Sobre esta última passagem tenho uma interpretação: este que ainda resiste é o Espírito Santo, mas como ele habita naqueles que verdadeiramente crêem, então é a definição da Igreja (não denominacional), do trigo.
Essa inter-relação entre Igreja e Espírito Santo ratifica a interpretação do arrebatamento antes da revelação do iníquo, pois a retirada de um implica diretamente na retirada do outro... tem lógica?

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

Amado Pr Ciro, expoente das Escrituras!

1. Parabéns por este primoroso artigo, que com certeza abençoará a vida dos leitores [as] deste distinto blog. Em tempos de tanta confusão sobre esta temática, este ótimo texto ajudará os leitores que possuem suas dúvidas e questionamentos.

2. Aproveito a oportunidade para agradecer seu carinho e atenção a mim dispensado. Foi uma honra estar contigo em sua casa, e poder pregar a Palavra de Deus na AD Cordovil - com a ilustre presença do sr, e do mestre e Pr. Antonio Gilberto. Agradeço sua querida esposa, e sua linda filha, pelo carinho e atenção a mim disponibilizado.

o companheiro, Pr Marcello Oliveira

Newton Carpintero, pr. disse...

Nosso pr. Ciro Zibordi,

A Paz do Senhor!

Com esta afirmação só posso exaltar ao Senhor com:

Maranata! Ora vem Senhor Jesus!

A igreja, deve pregar com maior entusiasmo, sobre o Arrebatamento, e assim, se preparar para tal acontecimento.

Quanto a volta de Jesus Cristo, a igreja deve glorificar esta Verdade, vivendo para Ele, o Nosso Único, Senhor e Salvador.

O Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Cristiano Santana disse...

Pastor Ciro

Permita-me colocar aqui um estudo que fiz, que tem relação com o tema da Grande Tribulação:

O ESPÍRITO SANTO SAIRÁ DA TERRA?AUTOR: CRISTIANO SANTANA

Vez ou outra, ouço obreiros ensinando que depois que a Igreja for arrebatada o Espírito Santo será tirado da terra. Consequentemente, os homens lerão a Bíblia mais não entenderão e que quem quiser ser salvo, naquela situação, deverá ser por esforço próprio.

Tenho sérias objeções contra essa teoria. Irei listá-las abaixo e, em seguida, desenvolvê-las.

1- Se o Espírito Santo deixasse de estar em algum lugar, em algum momento, ele perderia o seu atributo de onipresença. Logo deixaria de ser Deus.

2- O ministério do Espírito Santo demonstra uma continuidade através de toda a história. A única diferença são os seus modos de operação.

3- Há vários fundamentos bíblicos para se acreditar que, em conformidade com os textos escatológicos, o Espírito Santo continuará exercendo forte influência sobre os homens, mesmo nos capítulos mais terríveis da história universal.

DESENVOLVIMENTO

1- Se o Espírito Santo deixasse de estar em algum lugar, em algum momento, ele perderia o seu atributo de onipresença. Logo deixaria de ser Deus.

Assim diz o Credo Atanasiano:

"E a fé católica consiste em venerar um só Deus na Trindade e a Trindade na unidade, sem confundir as pessoas e sem dividir a substância.
Pois uma é a pessoa do Pai, outra a do Filho, outra a do Espírito Santo;
Mas uma só é a divindade do Pai e do Filho e do Espírito Santo, igual a glória, coeterna a majestade.
Qual o Pai, tal o Filho, tal também o Espírito Santo.
Incriado é o Pai, incriado o Filho, incriado o Espírito Santo.
Imenso é o Pai, imenso o Filho, imenso o Espírito Santo.
Eterno o Pai, eterno o Filho, eterno o Espírito Santo;
Contudo, não são três eternos, mas um único eterno;
Como não há três incriados, nem três imensos, porém um só incriado e um só imenso.
Da mesma forma, o Pai é onipotente, o Filho é onipotente, o Espírito Santo é onipotente;
Contudo, não há três onipotentes, mas um só onipotente.
Assim, o Pai é Deus, o Filho é Deus, o Espírito Santo é Deus;
E todavia, não há três Deuses, porém um único Deus."

Esse Credo foi amplamente aceito pela teologia protestante. Lutero o considerou "a maior produção da igreja desde os tempos dos apóstolos". Nele se percebe o reconhecimento de que o Espírito Santo também possui todos os atributos da Divindade, sendo, portanto, Deus. Dessa forma, é necessário que a onipresença, que é um atributo divino, também pertença à essência do Espírito Santo, sob pena de Ele deixar de ser Deus.

Então, aqueles que afirmam que o Espírito Santo vai sair da terra contrariam completamente a doutrina da Trindade. O Espírito Santo é um Ser espiritual para quem os parâmetros de tempo e espaço não significam a mesma coisa que para nós. Ele preenche toda a realidade e sempre estará em todos os lugares ao mesmo tempo.

2- O ministério do Espírito Santo demonstra uma continuidade através de toda a história. A única diferença são os seus modos de operação.

Muitos cristãos, baseados nas passagem de João 7:39, João 16:7 e atos 1:4-8, sugerem que houve uma descontinuidade do ministério do Espírito Santo ao longo da história. Eles vêem, por exemplo, o Espírito Santo como um membro um tanto inativo da Trindade através do Antigo Testamento e por isso supõem que Ele ficará inativo novamente. Vejamos os versículos:

João 7:39: "Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado."

João 16:7: "Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. "

Atos 1:4,5: "E, comendo com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. Porque João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias."

Se fizermos, porém, uma análise mais abrangente, verificaremos que há outros textos que apontam uma continuidade do ministério do Espírito Santo, que confirma sua constante influência no desenrolar da história bíblica.

Conforme afirma Henry A. Virkler "há diversas passagens que falam de um ativo ministério do Espírito Santo no Antigo Testamento. Por exemplo, ele habitou entre os israelitas nos dias de Moisés (Isaías 63:10-14); habitou em JOsúe (Números 27:18); deu poder a Otniel e o guiou (Juízes 3:10); concedeu capacidade a artífices (Êxodo 31:1-6). O Espírito Santo dotou de poder a Sansão (Juízes 13:25; 14:6; 15:14); impeliu o rei Saul a profetizar (1 Samuel 10:9-10); habitou em Davi (Salm 51:11). Todos os profetas (escritores) do Antigo Testamento profetizaram como o fizeram por causa da energia recebida do Espírito Santo (1 Pedro 1:10-12; 2 Pedro 1:21). Ele habitou entre os israelitas que retornaram do cativeiro em Babilônia (Ageu 2:5).

Há diversas referências à atividade do Espírito Santo antes do Pentecostes também no Novo Testamento. João Batista foi cheio do Espírito desde o ventre materno (Lucas 1:15). Zacarias, seu pai, foi cheio do Espírito Santo, resultando na profecia registrada em Lucas 1:67-69. O Espírito Santo estava em Simeão (o tempo do verbo implica continuidade), inspirando-o a profetizar quando tomou nos braços o menino) Jesus (Lucas 2:25-27). Jesus disse aos apóstolo, na última ceia, que eles conheciam o Espírito Santo, porque Ele já habitava com eles (João 14:17). Em uma de suas aparições pós-ressurreição antes do Pentecoste, Jesus outorgou o Espírito Santo aos apóstolos (João 20:22)" 1

A saída para essa aparente contradição é assumir que o significado de "vir" e "ir", quando aplicado a Deus, tem não nenhuma significação espacial e temporal, pois Deus é Espírito.

Continua Virkler:

"Portanto, quando Cristo ordenou aos apóstolos que esperassem a descida do Espírito Santo, podemos entendê-lo como ordem para esperar uma manifestação especial da presença do Espírito Santo, manifestação que os dotaria de poder a fim de iniciar o programa missionário para esta era. (Batizá-los e descer sobre eles são empregados como sinônimos neste caso: Atos 1:5,8)
Esse entendimento da palavra descer também nos ajuda a conciliar as passagens que indicam que os discípulos já haviam recebido o Espírito santo (João 20:22) com o fato de que eles ainda deviam esperar a descida do Espírito. Eles ainda deviam esperar por uma manifestação especial de sua presença que os transformaria de discípulos medrosos em apóstolos corajosos, muito embora ele já estivesse presente em suas vidas."

Desse modo, cometemos um grande equívoco quando pensamos que o Espírito Santo só se manifestou efetivamente no dia de Pentecostes e que anteriormente esteve meio escondido dos homens. As citações já apresentadas são suficientes para comprovar que o Espírito foi o agente que possibilitou a concretização do plano divino, através do séculos, capacitando os grandes personagens bíblicos.

3- Há vários fundamentos bíblicos para se acreditar que, em conformidade com os textos escatológicos, o Espírito Santo continuará exercendo forte influência sobre os homens, mesmo nos capítulos mais terríveis da história universal.

Não quero abordar os pormenores da Escatologia e as divergências que existem em torno de sua interpretação. Independentemente de se assumir uma postura pré-milenarista, amilenarista ou pós-milenarista os textos apocalípticos evidenciam, implícitamente, a necessidade da operação do Espírito Santo no tempo do fim:

-As duas testemunhas (Capítulo 11): Há alguns que dizem que as duas testemunhas são Enoque e Elias. Uns dizem que são Moisés e Elias. Outros, que são o Antigo e o Novo Testamento. Finalmente, um último grupo diz que as duas testemunhas apontam para o testemunho da Igreja. Independentemente de quem sejam, certamente o ministério dessas testemunhas dependerá de um poder especial outorgado por Cristo, através do Espírito Santo.

-Apocalipse 7:14: "Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram? Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro,razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo"

Incorreríamos em uma grande heresia caso disséssemos que essa grande multidão, oriunda da grande tribulação, herdará a vida eterna por mérito próprio. O fato de essas pessoas terem alvejado suas vestidudas no sangue do Cordeiro indica a graça de Deus, e sabemos que essa graça só é possível através da instrumentalidade do Espírito Santo "que convence o homem do pecado, da justiça e do juízo".

Existem outros textos bíblicos que corroboram a asserção de que o Espírito Santo é um dos elementos centrais dentro da Escatologia, mas acredito que os acima apresentados já sejam suficientes para esse propósito.

CONCLUSÃO:

De acordo com o exposto, há várias e sólidas razões para rejeitarmos essa crença tão difundida entre os pentecostais, sobre a descontinuidade da ação do Espírito Santo, tão vinculada à teoria das dispensações. Os argumentos mostram que o Espírito Santo sempre foi, é e será, eternamente, o Ser ativo e operante da Trindade.

Bibliografia:

1-Henry A. Virkler - Princípios e Processos de Interpretação Bíblica, pag. 110-114


Em face do exposto, sou a favor da interpretação que diz que é a Igreja que tem impedido a manifestação do iníquio.

Um grande abraço pr. Ciro

Cristiano Santana
http://cristisantana.blogspot.com

Ednaldo disse...

Paz Pr. Ciro,

Sei que o sr. não é dado a debates, mas queria que o sr. me respondesse algumas perguntas:

Como é possível universalizar a promessa de Ap. 3:10, e restringir a de Ap. 2:10?

Qual seriam os motivos "pessoais" dos pós e mezo-tribulacionistas, ao defenderem suas posições?

Em Cristo,

Ednaldo.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Ednaldo,

Ao que me parece o irmão não leu com atenção o artigo, pois nele eu explico por que algumas promessas às igrejas da Ásia abrangem a Igreja de Cristo como um todo. Peço-lhe que leia o artigo novamente, com calma, conferindo as referências bíblicas e seus contextos imediatos.

Os motivos pessoais, como o termo já diz, são pessoais.

Agradeço-lhe pela sua participação e seu pelo interesse pelo assunto.

Em tempo: o termo correto para designar a escola de teólogos que têm as suas razões pessoais para não crer que a Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação é mesotribulacionismo ou miditribulacionismo, e não "mezo-tribulacionismo".

Em Cristo,

CSZ

Ednaldo disse...

Paz Pr. Ciro,

Olha eu de novo, obrigado pela correção no caso "mezo" meso.

A propósito, eu li todo o artigo, mas veja que minha pergunta é pertinente, pois ao universalizarmos uma promessa e restringirmos outra, não estamos interpretando fora de um padrão concreto, pois, seguindo esse raciocínio, o "guarda o que tens para que ninguém tome a tua coroa" - Ap. 3:11 - seria universal, mas o "sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida" - Ap 2:10b - seria restrito unicamente a igreja de Smirna, pois apenas ela sofreria a tribulação de dez dias. Não seria a promessa de Ap 3:10 restrita a igreja de Filadélfia, apenas? Já que Cristo promete guardar apenas essa igreja?

Outra pergunta que tenho no momento é, não podemos considerar os "mártires da grande tribulação" não são a igreja, quem são eles?

Quando vi o sr. citar que os pós e meSotribulacionistas o eram por motivos "pessoais", cri que isso implica que o sr. conheça tais motivos, por isso perguntei quais seriam.

Em Cristo,

Ednaldo.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Ednaldo,

A Hermenêutica Bíblica é uma ciência e uma arte. É uma ciência porque contém regras e princípios. Mas também é uma arte porque a aplicação desses princípios e regras se dá de maneira flexível.

Não significa interpretar fora de um padrão concreto difençar, em um texto, as suas especificidades para os destinatários originais dos mandamentos e princípios aplicáveis a todos os salvos.

Pergunto-lhe: Os mandamentos que o Senhor Jesus transmitiu aos doze foram somente para eles? Alguns, sim. Mas a maioria foi dirigida à Igreja, que, inicialmente, contava com apenas doze membros.

Lembre-se de que o exegeta precisa ser flexível, a fim de comprender melhor as Escrituras à luz de seus contextos. Nesse caso, reafirmo que a mensagem do Senhor Jesus, em Apocalipse 2-3, foi dirigida às igrejas. É preciso distinguir o que é geral do que é específico.

Não há dúvidas, à luz do contexto, de que o "guarda o que tens" tem aplicação universal. Ou o irmão pensa que não deve guardar a sua "coroa"? Indubitavelmente, também, é para todos, aplicativamente, o mandamento: "sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida". Ou o irmão pensa que uma vez salvo, salvo para sempre, não havendo necessidade de perseverança?

Se o irmão estudar de maneira exegética o Apocalipse, sem ideias preconcebidas, concluirá que os "mártires da Grande Tribulação" não são a Igreja arrebatada, e sim os crentes que estiverem na terra no período tribulacionista. Eles também são mencionados em Apocalipse 6.9,10, devaixo do altar de Deus, clamando por vingança, e não nas Bodas do Cordeiro (Ap 19).

Estude, meu amado irmão, a fim de que os seus motivos "pessoais" não falem mais alto do que as Escrituras.

Em Cristo,

CSZ

Pastr Tony disse...

Caro pr CIRO SANCHES ZIBORDI, sem demagógia alguma são estes comentários preciosos balizados na palavra de DEUS, que necessitamos aprender, reaprender e se necessário reciclarmos tudo que achavámos conhecer, quero parabenizar estas tão preciosas linhas que fortalecem o apreço e admiração que tenho pelo seu ministério que reafirmo muito tem acrescentado em minha vida cristã e pessoal, a clareza de suas palavras aliadas aos versículos Bíblicos não a porque contestarmos, claro objetivo e avalizado pelo Espírito Santo, creio também no arrebatamento da Igreja antes da grande tríbulação e o que nos tem preocupado neste últimos dias é a enfâse na vinda de CRISTO, e o esquecimento que antes a sua Igreja será arrebatada, afinal qual noivo permitiria que sua noiva sofresse qualquer dano podendo o PRÓPRIO tira-la antes dos acontecimentos previstos? E além do mais contra a verdade, so há verdade ou seja como alguém pôde refutar ou tentar mudar o que já esta determinado por DEUS, quanto ao irmão Ednaldo que assegura, que o Espírito Santo não será também retirado da terra e se caso ocorrer um dos atributos do nosso DEUS ficaría em xeque diz ele sobre o Onípresença, creio que ele esta tentando dizer o da Onísciência no entanto pelo pouco que sei estes atríbutos necessáriamente não afetariam em nada a grandeza de nosso DEUS, pois o TODO PODEROSO, consiste em ser tudo sobre todos ONÍPOTENTE, que tem intrínsico os demais atríbutos (Onísciência e Onípresença)que sózinhos não podem ser ONÍPOTENTE poís só o TODO PODEROSO reúne todos eles, desculpe se não me expressei bem, como não possuo domínio algum sobre a escatologia, eís me aqui disposto a aprender mais, sim quando um dos 24 anciãos pergunta quem são estes que estão vestidos de vestes brancas, quem são e de onde vieram? E eu disse-lhe: Senhor tu o sabes. E ele disse-me Estes são os que vieram da grande tribulação.Portanto creio que o Espírito Santo será retirado da terra e não o controle e tão pouco a oportunidade de salvação daqueles que reconhecerem o senhorio de nosso Senhor e Salvador JESUS CRISTO, poís passarão céus e terra porém a minha palavra não passará a Bíblia continuara e a sua utilização associado aos cumprimentos de suas promessas permitira que muitos creiam e sejam salvos, pois todo aquele que crê sera salvo. E que testemunho maior haverá senão o arrebatamento da igreja que creu na morte e ressuscitamento de CRISTO para salvação da Igreja, então haverá uma forte resistência ao Antícristo no entanto apenas pela palavra sem auxílio do Espírito Santo, até porque o verbo é CRISTO.

Ednaldo disse...

Paz Pr. Ciro,

Vamos ver se consigo ser mais claro em meu raciocínio.

Apocalipse 3:10 diz "Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.", a quem Jesus estava se dirigindo? A Igreja Universal, ou a igreja local de Filadélfia? O sr. defende que ambas, correto? Segundo sua interpretação o "eu também te guardarei da hora da tentação" se refere ao arrebatamento da igreja, pergunto, a igreja de Filadélfia foi arrebatada? Aqui o sr. talvez apele para o caráter profético do livro, eu faria isso, mas então surge um outro problema, se os santos da igreja de Filadélfia não estivessem vivos "hora da tentação sobre todo o mundo", Jesus teria mentido? Pois estaria profetizando para a igreja do fim dos tempos, ou o "guardar" se refere a morte física? Nos dois casos o arrebatamento não teria ligação com "o guardar".

O sr. fala que tenho motivos pessoais para defender uma posição diferente do pré-tribulacionismo, se por motivos pessoais, entendermos, uma busca pela verdade bíblica concordo com o sr., pois creio que o sr. saiba que a ideia de um arrebatamento pré-tribulacional é bastante recente, sendo fruto de um sonho de uma profetisa Irvinista no século IXX, até então essa idéia não existia, sendo difundida por Darby e porteriormente por Scofield, juntamente com o modelo hermenêutico dispensacionalista.

Nesse caso o senhor não pode nem mesmo apelar para o antropocentrismo, pois se há algo que o ser humano não gosta é de sofrer, muito menos numa Grande Tribulação, sendo o modelo pré-tribulacionista perfeito para os antropocentristas.

Quanto a máxima "uma vez salvo, sempre salvo", concordo com a mesma, pois sou de convicção calvinista, mas discordo da falácia dos livre-arbitristas de que não há necessidade de perseverança, mas este não é o assunto em pauta.

Em Cristo,

Ednaldo.

P.S.: Caso o sr. não deseje postar meus comentários, podemos manter contato sobre este assunto via e-mail, se for do seu desejo é claro.

o meu e-mail é divinitatisdoctor@gmail.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro calvinista Ednaldo,

Quando eu empreguei a frase predestinalista “uma vez salvo, sempre salvo”, é porque eu já o conheço, caro irmão, e já li na grande rede alguns dos seus comentários e opiniões a meu respeito. É claro que isso é um direito que lhe assiste, mas tenho certeza, pelo que já li, de que, ao entrar neste blog, o irmão não tem o desejo de aprender ou obter esclarecimentos, e sim a intenção de promover um debate.

Não tenho nada contra debates, mas aprecio aqueles em que, ambos os debatedores, têm como objetivo permitir que as Escrituras tenham a palavra final. Por isso, a minha sugestão é que o irmão, que já tem uma opinião formada sobre o assunto em análise (não havendo possibilidade de mudar em nada a sua posição, ao conversar comigo), procure alguém que tenha prazer em debater sobre sistemas e subsistemas de interpretação escatológica, pois este espaço tem como objetivo principal ajudar irmãos que desejam aprender.

Outrosssim, não me tenha como deselegante, mas o irmão, com certeza, não leu com atenção o meu artigo nem as minhas respostas aos seus comentários.

É evidente que os destinatários originais de Apocalipse 2-3 eram as igrejas da Ásia. E, nesse caso, o texto de Apocalipse 3.10 foi dirigido originalmente à igreja de Filadélfia. Mas a “hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo” ainda não ocorreu.

Segue-se que promessa aos crentes de Filadélfia não menciona o Arrebatamento, mas o livramento de uma tribulação global, como eu já tinha dito no artigo acima. Os que já morreram em Cristo, pois, não participarão da Grande Tribulação, posto que ressuscitarão antes desse período de trevas e juízos divinos (1 Co 15.50ss; 1 Ts 4.16,17; 1.10).

Mais uma vez agradeço-lhe pela valiosa participação.

Em Cristo,

CSZ

Dinho disse...

Caro Pastor Ciro,o sistema dispensacionalista tem muitos furos,assim como a interpretação aliancista do irmao Ednaldo.O pre-tribulacionismo é um sofisticado jogo de quebra-cabeças.Nimguem sabe com se dara a vinda do GRANDE REI JESUS CRISTO.Mas acredito q nao sera hoje ou amanha...disso o Senhor pode ter certeza...se caso eu errasse,no Céu eu iria te procurar e reconhecer meu erro....
rsrsrsrrsrrs
A PAZ!!!!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro "Dinho",

De fato, todos os sistemas têm as suas falhas, mas a Palavra de Deus permanece para sempre (1 Pe 1.24.25). Por isso, o artigo acima está baseado inteiramente no que dizem as Escrituras.

CSZ

Anônimo disse...

Independente se é,pré,meso ou pós tribulacionista,o importante é alcançar a vida Eterna.
Debate sempre vão surgir e é perca de tempo,pois uns entendem assim,outros entendem que não é assim,então (maranata)Glória a DEUS.


Mario.

EMMERSON disse...

Paz do Senhor pastor Ciro!

Caro pastor, tendo em vista que não podemos harmonizar o fato de Enoque, Elias terem sidos arrebatados, não podemos de maneira nenhuma afirmar que também acontecerá com a Igreja, de que, ela não passará pela tribulação. Haja vista que, nada Biblicamente correspondem ou identificam no Novo Testamento essas coisas. Isto são pressupostos inventados. Este versículo não comprova que a Igreja será arrebatada! 1Ts 1.10 está falando “Jesus, que nos livra” e não que irá nos salvar! Este é um feito de Cristo contínuo e não futuro, e sim presente. E é interessante ressaltar que: o anti-Cristo, v. 6 o ministério da iniqüidade já opera... V. 8 fala sobre sua revelação, o que é uma revelação, Se não uma aparição? Ele irá aparecer. Mas note que quando houve seu aparecimento, depois virá à vinda, vinda de quem? Só pode ser de Cristo. Só existe uma vinda, no texto e seu contexto não encontramos uma vinda oculta. Ou seja, duas vindas. Eu queria humildemente pedir ao senhor que me mostre sem conjecturas, ou alusões inventadas, onde se encontra tal afirmação nas Escrituras para uma vinda oculta?
Deus já nos salvou!

Paz!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Emmerson,

A paz do Senhor!

Sem dúvidas, Enoque e Elias foram arrebatados, raptados, levados por Deus. Quanto ao fato de citá-los, isso é válido quando se faz uma aplicação. Creio que o irmão, que faz questionamentos acerca da Escatologia Bíblia, deve conhecer, ainda que de modo nocional, a Teologia Exegética e saber bem qual é a diferença entre interpretação e aplicação. Esta serve para auxiliar na compreensão daquela.

A Bíblia diz claramente (interpretação), nas diversas passagens que eu citei acima (acerca das quais o irmão nada falou), que a Igreja não passará pela Grande Tribulação. E isso é ilustrado (aplicação) com diversos acontecimentos, como os arrebatamentos ou trasladações de Enoque e Elias.

O texto de 1 Tessalonicenses 1.10 afirma que o Senhor nos livra da ira futura, e isso, à luz do contexto de 1 e 2 Tessalonicenses, significa, sim, escapar dos acontecimentos relativos ao juízo de Deus na terra, os quais ocorrerão imediatamente após o Arrebatamento da Igreja (Lc 21.36).

Aconselho o irmão a estudar cada passagem da Bíblia com base nos contextos imediato e remoto, a fim de entender melhor expressões que aparentam ser vagas ou genéricas. Noto que o irmão tem dificuldades na matéria Escatologia, pois o personagem de 2 Tessalonicenses 2.6,7 não é propriamente o Anticristo (é assim que se escreve, sem hífen), e sim o Falso Profeta.

O irmão também afirmou que só haverá uma vinda. Concordo. Estamos esperando a Segunda Vinda de Jesus (Hb 9.27,28). Esta, porém, se dará em duas etapas. Na primeira, o Senhor Jesus virá até às nuvens, para arrebatar a sua Igreja antes da Grande Tribulação (1 Ts 4.16,17). Na segunda etapa, Ele pisará na terra, no fim da Grande Tribulação (Zc 14.4).

Aconselho o irmão, finalmente, a se aprofundar mais no assunto, respeitando o que dizem as Escrituras, pois há muitos teólogos que se voltam à lógica humana, ignorando o que de fato está revelado. Esses, sim, inventam “verdades” acerca dos assuntos futuríveis.

A paz do Senhor!

CSZ

O PENSADOR disse...

Caro amigo Ciro,
sinceramente, não entendo o porquê de tanta discordância com o arrebatamento antecedendo a tribulação.
Para mim isto está claro! Deus é o mesmo ontem, hoje e sempre. Se assim o é por que ele mudaria seu modus operandi justo com a igreja?
Nos tempos de Noé Deus executou seu julgamento sobre toda a carne, contudo antes que o executasse retirou Noé do "meio" (quem lê entenda); o mesmo ocorre com Ló em Sodoma e Gomorra, o juízo foi decretado sobre as cidades, mas antes de executar, Deus retirou os justos para que eles não sofressem dano, ...
Isaías 57.1 é claro para mim "Perece o justo, e não há quem se impressione com isso; e os homens piedosos são arrebatados sem que alguém considere nesse fato; pois o justo é levado antes que venha o mal". Fala sofre o arrebatamento antecedendo a tribulação. Qual é o problema em entender tudo isso?
E a promessa da Igreja em Tito Capítulo 2.13? A bendita esperança, ..., a bendita esperança não é passar pela tribulação, mas encontrar com Cristo nos ares!

Qualquer outra linha de raciocínio força as escrituras a dizerem o que elas não dizem. Por exemplo, se a Igreja não for arrebatada por que Deus tem que levantar duas testemunhas? Por que Deus tem que levantar 144.000, doze mil de cada tribo de Israel?
Simplesmente, não faz sentido!

No entanto, vou parando por aqui já que minha intenção não é colocar lenha na fogueira, mas apenas apresentar minha concordância com este posicionamento...

Um abraço...
Paz...

Anônimo disse...

Ricardo,

Pr. Ciro,

E os "crentes" que viviam na igreja mas nao tinham vida de cristãos, e aqueles que desprezaram a palavra e viveram dissolutamente, terão nova oportunidade após o arrebatamento?

Ou aoportunidade será para aqueles que nunca ouviram a palavra?

Ricardo.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro "Ricardo",

Haverá oportunidade de salvação para todos os que se arrependerem e confessarem Jesus como Senhor e Salvador, quer sejam desviados, quer pessoas que ouçam a mensagem do evangelho. Diferentemente do que muitos pensam, o Espírito Santo continuará agindo na Grande Tribulação, e muitos alcançarão a salvação pela graça de Deus.

Em Cristo,

CSZ

ranieri disse...

Paz do Senhor pr.Ciro.

Escatologia é um assunto que nos causa "uma grande tribulação" antes mesmo que chegue a Grande Tribulação predita na Palavra de Deus.

Deus te dê muita graça.

Em Cristo.Ranieri.

pastor Tony disse...

Estou perplexo com tanta gente (cristão) querendo a permanência da Igreja na grande tríbulação, é simples permaneçam no pecado e leve outros consigo, ora as parabólas das DEZ VIRGENS, do servo que só deixava a casa em ordem quando perto da chegada, de seu Senhor, e insisto o Espírito Santo não permanecerá, poís sendo ele quem convence o homem do pecado e realiza tudo o que a Bôca (Palavra) o disse,(Registrado em Isaías) assim como foi enviado pelo pai de acôrdo com as palavras de CRISTO,(João 14:16) que o recebêra no dia de seu Batismo, para ´consumar o seu ministério terreno, assim agiu com seus discípulos ordenando-os a permanecerem em Jerusalém até que do alto fossem revestidos de poder para realizar os prodígios em seu Nome, poís bem este mesmo Espírito que o mundo não conhece será sim retirado não ferindo em nenhum momento o atríbuto Divino da Onípotência que por sí só já diz ÚNICO TODO PODEROSO controlador de tudo e de todos, será que alguém por aí quer permanecer para enfrentar a grande tríbulação, se hoje a Igreja já sofre com o mundanismo e se encolhe mediante as adversidades, o que Cristo encontraria no tríbulacionismo, ou será que se o Filho do Homem não abreviasse a sua vinda, encontraria fé na terra, fica a pergunta, Quem quer ficar???? Luto prá subir através da graça, imaginem na grande tríbulação??? Ai encaixa bem quem não vem por amor (GRAÇA), vem pela dôr (tríbulção) é necessário entendermos bem para que ninguém se íluda e tente alargar a pôrta, ou seja, bem se eu não subir na primeira 'arrebatamento', subo na segunda os que vieram da grande tríbulação, temos que ter cuidado poís existem milhões de internautas que acessam estes BLOGS, desprovido de base Bíblica e tornam se presas faceis para o inimigo, o pastor Ciro tem responsabílidade e credíbilidade, tem que rebater se necessário com dureza as provocações heréticas, de alguns ( SE HÁ GOVERNO SOU CONTRA). Somos salvos mediante a graça do nosso SENHOR e SALVADOR JESUS CRISTO, E O TEMPO DA GRAÇA ESTA NO FIM.

Márcio Cruz disse...

A Paz do Senhor amado pastor.
Muito boa e séria a postagem . Boa para encher nosso coração de alegria. Séria para levar-nos à reflexão se estamos prontos ou não para o encontro com o Senhor Jesus.
É claro que são colocações pertencentes à classe certa de pessoas existentes hoje no meio do arraial de Deus.
Já dizia João há muito tempo atrás: "Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro - 1Jo 3.2,3"
Mas como saberão se não há quem pregue, ensine corretamente?
Não digo que temos uma teologia pobre, temos sim uma teologia muito fantasiosa, onde os "sonhos" dos pregadores voam alto. Ninrode também sonhava alto. Sonhou tão alto, que o resuiltado foi uma queda muito alta também.
Hoje infelizmente, tanto nas congregações, como na web e mídia em geral, o espaço serve na maioria das vezes, ou para preparar um povo para viver na terra, ou atacar os outros.
O que vem a ser isto? Sinal dos tempos.
A palavra MARANATA tem um significado mais profundo do que conhecemos. Ela retrata a realidade de um coração que só tem um alvo na vida: estar ao lado de Jesus para sempre, aqui e no Céu.
Que através de postagens como estas, o povo de Deus seja despertado para duas coisas:
1. preparar-se para o grande dia (santidade);
2. fazer a obra do Senhor (trabalho).

No Amor de Cristo,

Ir.Márcio Cruz

Abraços e a Paz do Senhor (sou assembleiano).

Ah!Posso lhe dar uma sugestão? Se é que já não foi postado.
Que tal este tema: Erros que os pregadores não podem evitar?

estudosgospel disse...

Eu glorifico a Deus pelas respostas do irmão. O problema é que muitos fazem confusão entre tempos e tempos na Bíblia. Fazem confusão entre as duas fases da segunda vinda de Cristo. Sabemos que ela é dividida em duas fases: na primeira fase ele virá para a Igreja, e só para ela, o mundo continuará normalmente. A segunda fase será logo após a Grande Tribulação, na Batalha do Armagedom, e os santos virão com Ele. Ora, para que os santos venham com Ele é necessário que a Igreja primeiramente suba com Ele, no Arrebatamento.

Luciano Lourenço disse...

Sinceramente, gostei do embate com o Ednaldo. Gostaria de ter continuado. São poucos os pastores, pre-tribulacionistas, que tem a capacidade para confrontar os pós-tribulacionistas com tanta firmeza. Eu queria muito saber como isso iria terminar. Sou professor de EBD, há muitos anos. Já ensinei muitas vezes sobre escatologia. Sou tremendamente defensor do ensino pré-tribulacionista, como é defendida pelo pr. Ciro, mas ainda tremo nas bases quando tenho que argumentar sobre esse assunto. Gostaria muito que todos os evangélicos convergissem para um só ponto, mas é difícil. Graças a Deus que, pelo menos, temos um ponto comum: Jesus virá com certeza, e está muito, mais muito perto!
Maranata!!

christofer disse...

A Paz!!

Estou dividido entre as duas maiores escolas tribulacionistas, mas gostaria de deixar minha opnião. O verbo guardarei de Ap 3.10, (Guardarei, do Grego: tereo, que significa: guardar; tomar conta de; manter alguém no estado em que ele está.) não creio que seja definido como arrebatar, raptar. Gostaria que o pastor também desse uma olhada no link desse site e citasse as resposntas com base em referencias biblicas relacionadas a escola pré.

http://dokimos.wordpress.com/2008/06/02/arrebatamento-pos-tribulacionista-uma-exegese-de-2-tessalonicenses-21-3/

Paz!

Anônimo disse...

Pastor Ciro, A Paz do Senhor!
Os que morreram antes da vinda de Jesus Cristo, eles serão arrebatados juntamente com os que morreram após a vinda de Cristo a terra? Ou Abrão, Isaque, Jacó, Moisés, também farão parte dessa ressureição? Me ajude a aclarar essa situação.
Obrigado
Jardel

Paulo disse...

Esses assuntos são sempre acalorantes. Quer ver a bolsa estourar? deixe o pastor Ciro postar algo baseado em AP. 21.1...

james bomfim disse...

!! a paz do senhor pastor, sobre o espirito santo também está está escrito em joão 20,22 recebei o espirito santo,antes de atos 2. mais pastor Ciro eu queria saber uma coisa? depois do arrebatamento vai ter no céu o tribunal de cristo, e as bodas do cordeiro,e aqui na terra está acontecendo tribulação e grande tribulação, depois jesus descerá para a batalha contra o anticristo e vencerá, depois ele reinar com a igreja mil anos na terra, depois ele solta satanás para enganar as nações gogue e magogue a fim de reuni-las para batalha. só depois vem o juízo final apocalipse 20. só que eu queria saber uma coisa quem são essas nações que vão ser enganadas? essa é minha duvida. Deus abençoe.

Fernando A. Lima Jr. disse...

Respeito muito os pré-tribulacionistas. Somos todos irmãos em Cristo. Porém tenho reservas em aceitar o pré-tribulacionismo como bíblico. Entendo que o debate é longo e profundo e não tenho intenção de declarar que o pré-tribulacionismo é falso. Porém não vejo motivos bíblicos para a Igreja dos tempos da vinda do Senhor ser preservada da tribulação enquanto tantos irmãos em Cristo, também integrantes da Noiva, sofrerem terríveis tribulações e perseguições de "anticristos" durante toda a história.

Pr. Ciro, apesar de discordar neste ponto contigo vejo que és um servo fiel ao Senhor. Deus o abençoe muito!!

joel my love disse...

os arrebatados de apocalipse capitulo7vem da grande tribulaçao o que o pastor ciro acha disso ja que a biblia nao prever arrebatamento ante da grande tribulaçao?

Suely Moraes disse...

Eu não sou nenhuma teóloga apenas uma serva do Deus Altíssimo e pelo que conheço leigamente nas Escrituras Sagradas não há como a Igreja do Senhor Jesus, a Sua Noiva, passar mais ainda pela grande tribulação. A tribulação do crente é essa de agora. Querem piorar mais ainda? Os fiéis são perseguidos até dentro das próprias igrejas! Grupinhos, irmãos que são preteridos quando apresentam-se para algum evento...sabemos que infelizmente a "igreja" é muito dividida! Agente vê cada coisa...! Então isso já é uma tribulação para os fiéis porque para os infiéis, está tudo muito bem prestem atenção. Há dois momentos da vinda do Senhor Jesus: o primeiro, é o arrebatamento quando o mundo ficará em sua perplexidade, ou seja, vão até dizer que fomos levados pelos óvnis e após um tempo cujas bodas do Cordeiro estará acontecendo no céu, aqui estará um verdadeiro inferno! Agora, os que conheceram a Palavra e rejeitaram-na...não sei o que passarão nem quero saber uma coisa eu sei é o que fala em Daniel: Quando a abominação da desolação estiver no lugar santo...se porá como Deus aqui na terra que é o anticristo, como o Espírito Santo que é o que rege a Igreja estará também aqui? dois reinados...claro que O Espírito de Deus não deixará de ser Deus mas está claro em Daniel quando um chegar o outro já saiu para que todas as abominações se manifestem e a Palavra se cumpra conforme os desígnios do Senhor.assim creio! Amém.