domingo, 22 de fevereiro de 2009

Como escrever e publicar um livro (1)


Muitas são as perguntas que recebo sobre como escrever e publicar um livro. E isso me estimulou a iniciar esta série, a fim de compartilhar as minhas experiências como escritor e editor.

Eu costumo iniciar uma obra literária pela escolha do título
— mas isso só é possível a partir do momento em que o assunto a ser desenvolvido, de certa forma, está dentro do meu coração, como que fazendo parte da minha vida diária ou do ministério que Deus me outorgou.

Escolher o título para uma obra literária é como dar nome a uma pessoa, com a diferença de que os nomes costumam ser escolhidos a partir de um repertório existente. O título de um livro tem de ser inventado pelo autor e precisa refletir o conteúdo da obra.

Ao escolher um título para um livro, o autor está fazendo uma promessa ao leitor. E, se este gostar da promessa, pagará para ver o seu cumprimento. O título é mais importante do que parece! E precisa transmitir uma clara ideia do que é a obra, a fim de que mal-entendidos sejam evitados.

Quando o autor dá um título à sua obra, está agindo como um publicitário. Ele deve ter em mente a reação que o editor, o livreiro e o leitor terão, ao lerem o nome do livro. Eu gosto de títulos um tanto longos, autoexplicativos. Mas sem exageros! A meu primeiro livro dei o título Perguntas Intrigantes que os Jovens Costumam Fazer. É longo, mas não longuíssimo. E gera curiosidade. Que perguntas intrigantes são essas? O mesmo se dá com Erros — e Mais Errosque os Pregadores Devem Evitar e Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria.

Você sabia que o primeiro livro impresso no Brasil tinha um título com 264 caracteres? Relação da Entrada que fez o Excelentíssimo, e Reverendíssimo Senhor D. Fr. Antonio do Desterro Malheyro, Bispo do Rio de Janeiro, em o primeiro dia dente presente Anno de 1747, havendo sido seis Annos Bispo dp Reyno de Angola, donde por nomiação de sua Majestade, e Bulla Pontificia, foy promovido para esta Diocesi. Um título excessivamente longo e exageradamente explicativo torna a leitura da obra quase que desnecessária.

Meu único livro com título curto é Adolescentes S/A, o qual mantive por duas razões. Primeiro: ele possui um subtítulo explicativo: “Coisas que rapazes e moças precisam saber”. Segundo: o elemento “S/A” tem papel instigante. Em resumo, os títulos não precisam ser necessariamente muito curtos ou muito longos, mas precisamente claros, instigantes e/ou autoexplicativos.

Um cuidado a ser tomado é com as esquisitices. Um título esquisito pode ser um sinal de que o conteúdo é mais esquisito ainda. Mas o emprego no título de uma palavra nova, desconhecida, emblemática, pode ficar para sempre associada ao autor que a inventou ou lhe deu visibilidade.

Como surge um título?
Uma obra surge a partir de um título quando já está no coração do autor. Mas, às vezes, o título vem mesmo antes da obra, como aconteceu com O Evangelho Segundo Jesus Cristo, de José Saramago. Este premiado autor ia passando na rua quando pensou ter lido o título do seu futuro livro em uma manchete de jornal. As palavras eram parecidas, mas eram outras. Mesmo assim, o que Saramago pensou ter lido ficou martelando em sua mente até se tornar o título de seu best-seller.

Às vezes, o nome de uma obra
pode ser mudado na última hora. Você sabia que a trilogia O Tempo e o Vento, de Érico Veríssimo, ia se chamar O Vento e o Tempo? Isso também aconteceu comigo. Meu livro Perguntas Intrigantes que os Jovens Costumam Fazer teve o seu título mudado um dia antes de ser entregue ao editor, depois de uma conversa que tive com o diretor executivo da CPAD, o irmão Ronaldo Rodrigues de Souza.

Hoje, depois de eu ter escrito alguns livros, por graça de Deus, prefiro escolher primeiro o título, a fim de, a partir dele, escrever a obra. Isso também vale para os artigos. Primeiro, penso em um título para um assunto que eu gostaria de desenvolver. E, feita a escolha do título, escrevo, reescrevo, melhoro ou refaço o título, reviso tudo de novo, etc.

Finalmente, para nós, autores cristãos, o que eu considero importante quanto ao título é encarar um livro como uma mensagem recebida do Senhor. E uma boa mensagem, biblicamente fundamentada, se não tiver um bom título, não prenderá, desde o início, a atenção do público
o que numa obra literária é fundamental. Um sermão mal intulado poderá ser ouvido até o fim. Mas, quem lerá um livro com um título pouco atraente?

Por enquanto é isso. Depois, se Deus quiser, darei continuidade a esta série.

Ciro Sanches Zibordi

16 comentários:

Jarson Brenner disse...

Ciro, a paz!

Acompanharei ansioso por esses textos. Com certeza será de grande ajuda conhecer a sua experiência.

Abraço!

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Fiquei muito feliz ao ler este post.

Anônimo disse...

Fabio (Sorocaba, SP)

Olá pastor Ciro,irmã Luciana e querida Júlia. A paz do Senhor.

Falando em como escrever e publicar um livro, o que não é a minha área, bom na verdade eu ainda não descubri o meu talento (risos) estamos aguardando o seu próximo livro.
Que para a glória de Deus, será uma benção, pois o Senhor é contigo varão valoroso.

E eu, irmãos, quando fui ter convosco, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria.
Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. 1Co 2.1,2

Lucivaldo de paula disse...

Pr.Ciro,graça e paz;eu sempre tive curiosidade de como se escreve um livro,gostei muito,que o senhor em outra oportunidade querendo Deus fale mais um pouco.Pastor, uma pergunta: o senhor ja tem algum titulo para o proximo livro? Pr.estou perguntando porque gostei muito de ler os seus livros,um grande abraço.Apaz do Senhor!

Lisnei disse...

Pastor Ciro
Graça e paz
na disciplina metodologia par a o trabalho científico,eu não passei, por isto vou acompanhar bem estas suas normas para quem sabe quando eu repetir esta matéria eu esteja melhor informado. É que nesta disciplina há muito sobre publicações de livros , monografias
teses, etc.

O PENSADOR disse...

Estarei aguardando ansiosamente o desfecho final desta série, ..., pois já tenho material para publicação, mas não sei nada sobre publicação, Capa, gráfica, ISBN, etc, ...

Espero que você chegue a este assunto também... Um abraço...

Robson Silva de Sousa disse...

A Paz do Senhor querido Pastor Ciro!

Glória a Deus!!! (Acho que vou ser o primeiro a comentar esse “post”)

Como sempre nosso pastor e amigo cada vez mais sintonizado com os leitores e companheiros do Blog.

Há tempos venho reunindo coragem para pedir-lhe umas dicas (e nem era preciso tanto) sobre umas obras que tenho iniciadas. Todas já possuem TÍTULO e CAPA, mas precisam de uma boa revisão e de um BOM empurrãozinho.

Um dos títulos, curiosamente, é voltado para ADOLESCENTES, mas está mais para LTDA do que para S/A. Rss.

Os temas escolhidos estão relacionados à:

ESCOLA DOMINICAL, GEOGRAFIA BÍBLICA E ADOLESCENTES.

Esse tem sido para mim um sonho cultivado há anos e estou certo de que o Senhor Jesus haverá de me agraciar com essa benção em breve.

Desde os 14 venho escrevendo artigos para obra de Deus. Comecei em 1987 publicando um jornalzinho mensal na A.D. em Jardim Paris (S. Paulo) intitulado "Noticiário Jovem Ebenézer". Tenho as matrizes até hoje: cheias de recortes, decalques, páginas datilografadas etc. Uma benção! Quando tivemos acesso ao primeiro XT então... Nem se fala!!!

Depois passei para o E.B.D News, no mesmo estilo, mas com textos voltados apenas para a Escola Dominical, com perguntas e dicas das lições e sorteios trimestrais de brindes. O jornal era semanal.

Por fim parei com tudo. Lamento até hoje.

Mas desde 2004 tenho sido impulsionado a escrever, por isso venho redigindo pequenos trechos (idéias) para as três obras que pretendo lançar e estou confiante de que o farei em breve. Cada uma a seu tempo.

A oportunidade de escrever em um Blog foi para mim um grande salto. Além de nos obrigar a ler mais (coisa que amo fazer), nos ajuda também na redação; no cuidado com o português e, principalmente com a gramática, já que não temos um revisor de plantão para corrigir nossos "posts".

Sei que ainda cometo alguns erros graves, mas nada que altere de forma grotesca a idéia central do texto. Às vezes chego a reler meus próprios artigos de cinco a seis vezes, no mínimo, antes de publicá-lo. E mesmo depois de fazê-lo ainda entro na página para corrigir erros de digitação que o Word não pegou... Sim, eu uso o Word antes de passar para o BLOGGER... He He He...

Mas o mais gratificante depois de tudo isso é ver a humildade e a disposição de pessoas como o estimado pastor para ajudar e incentivar novos escritores; sempre com dicas muito boas de redação, gramática e ortografia, além do gracioso e irrestrito apoio.

Que o Senhor o abençoe e recompense ricamente por esse ministério tão maravilhoso.

Estamos com VOCÊ S/A!

Em Cristo Jesus,

Robson Silva

Luis disse...

Pr. Ciro.

Muito bom seu post.
Não sei se o sr. sabe mais o professor e pastor presbiteriano, Augustus Nicodemus, transformou o conteúdo do blog dele(http://tempora-mores.blogspot.com) em um livro (O que estão fazendo com a Igreja).
Eu tenho um blog (www.evangelizacao.blog.br) onde posto conteúdos específicos para não-crentes. Tenho um desejo de seguir esse mesmo caminho, ou seja, transformá-lo (com adaptações) em um livro. A finalidade seria evangelizar pessoas que não tem o hábito de usar internet.
O que o Sr. Acha disso?

Tânia C.Fernandes disse...

A Paz Pastor Ciro!
Creio que tem vários Prêmios e merecidos é claro,porém também indicando seu blog para receber o prêmio:"Olha que blog maneiro". As regras para validação estão no meu blog:http://taniacorreafernandes.blospot.com

Anderson H.A. disse...

Paz do Senhor pastor Ciro,

Logo observamos neste artigo que escrever um livro não é uma tarefa simples como pensam alguns.Exige do autor muita dedicação e Graça de Deus.Mais uma vez este artigo está coroado de informações valiosas para quem almeja ser um bom escritor e editor.
Este blog é uma benção mesmo.Sempre com novidades e uma facilidade de compreensão dos artigos!!

Deus Abençoe.

Luciano de Almeida Gonçalves disse...

Pr. Ciro,
Deus te abençoe ricamente pelo espírito voluntário e ajudador que tem demonstrado.
Esperamos em breve formalizar um convite para vir a Cascavel - Paraná.
Um forte abraço!
Em Jesus..
Pr. Luciano de Almeida Gonçalves

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amados irmãos,

A paz do Senhor!

Fiquem atentos, pois esta série vai continuar.

Um grande abraço!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro amigo Fábio, de Sorocaba,

A paz do Senhor!

Agradeço-lhe pelo carinho. Eu a minha família ficamos muito felizes com a visita de vocês aos nossos humildes aposentos.

Um grande abraço!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Amado Luciano de Almeida,

Será para mim uma grande alegria voltar à cidade de Cascavel, Paraná, se bem que, na primeira vez, eu fui convidado para ministrar em Toledo e passei por Cascavel...

Um grande abraço.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmã Tânia,

Agradeço-lhe pelo apreço demonstrado para com a minha pessoa e pela indicação.

Um abraço.

CSZ

MINISTÉRIO SEMPRE ORANDO disse...

Querido Pastor Ciro
Meu marido recentemente foi separado a Pastor de nossa pequena igreja. Temos tido inúmeras experiências nesse inicio (alegrias, angústias, tribulações, problemas com diáconos, maridos beberrões, cultos vazios,cultos cheios, etc, etc.)juntando-se a isso duas crianças e uma barraca de pastel.
Tenho muita vontade de colocar tudo em um diário e um dia publicar...mas sempre me questiono sobre os nomes das pessoas que estão envolvidas em nossa história... o que fazer?
Abraços
Priscila