quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Por que a Assembleia de Deus nasceu e deve continuar sendo conservadora?

Muitos crentes assembleianos da nova geração têm aversão ao adjetivo “conservador”, associando-o a farisaísmo, legalismo, fanatismo e posturas extremistas quanto a usos e costumes. Pensam que o conservador é aquele crente estereotipado, inimigo de tudo o que é novo, que parece viver em seu “mundinho”, como se pertencesse a uma religião ascética (cf. Cl 2.23, ARA).

Mas, à luz da Palavra de Deus (e para espanto de muitos), todo salvo deve ser conservador. E a Assembleia de Deus que se preza também deve ser conservadora. Por quê? Porque conservar, do ponto de vista bíblico, não significa ter uma falsa santidade, estereotipada, que faz dos usos e costumes a causa, e não o efeito. E implica observância à sã doutrina, a qual nos leva a ter santidade interna e externa.

Em 2 Timóteo 1.13 está escrito: “Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e na caridade que há em Cristo Jesus”. A Bíblia nos manda guardar, conservar, o que temos recebido do Senhor (1 Tm 6.20; 2 Tm 1.14). E, para as igrejas da Ásia que estavam agradando ao Senhor Jesus, Ele transmitiu mensagens que implicavam manutenção, conservação (Ap 2.25; 3.11). Mas, por que muitos não querem ser conservadores?

Ser conservador não é apenas ter aparência de piedade (Cl 2.20-22), tampouco se isolar da sociedade. Jesus, o Homem mais santo que andou na terra, não se afastava dos pecadores (Lc 5.32; Jo 2.1-11). Ele ensinou que a nossa luz deve brilhar em meio às trevas (Mt 5.16). Ser conservador também denota reter o bem, manter o que é bom, verdadeiro (1 Ts 5.21). E sabemos que as verdades da Palavra de Deus são inegociáveis, mas isso não significa que devamos abrir mão das estratégias lícitas de evangelização (1 Co 6.12; 9.22).

O verdadeiro conservador não é legalista ou coisa parecida. Ele não é um fanático, um estereótipo de crente, tampouco se opõe a tudo o que é novo (Ec 7.16,17; 1 Ts 5.21). Por outro lado, o conservador também não é como alguns crentes da atualidade, os quais desprezam o fato de o Senhor atentar para a globalidade do ser humano, pensando que Ele não se preocupa com o nosso exterior. O Senhor olha para a nossa totalidade: espírito, alma e corpo, nessa ordem (1 Ts 5.23).

Mas, a bem da verdade, enquanto alguns “assembleianos” afirmam que têm liberdade para fazerem o que bem entendem, deixando de observar a santificação plena, existem aqueles que consideram tudo pecaminoso. Estes também estão enganados, posto que ignoram o fato de os mandamentos de Deus não serem pesados (1 Jo 5.3), sendo a sua vontade agradável (Rm 12.2) e o seu fardo leve (Mt 11.30).

Reconheço que há líderes extremistas que pregam o falso conservadorismo farisaico. Fujamos disso! A Palavra do Senhor condena o extremismo (Ec 7.16,17). Por isso, a Assembleia de Deus que se preza conserva a verdade; guarda e cumpre a Palavra de Deus (Jo 14.23; Ap 3.8,10). Não é legalista, exigindo dos seus membros uma santificação inatingível, posto que Deus respeita as nossas limitações, como disse o salmista, inspirado pelo Espírito: “... ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó” (Sl 103.14).

O Deus da Assembleia deseja que a Assembleia de Deus conserve o modelo das sãs palavras (Jo 14.23; Ap 1.3; 3.8; Sl 119.11), a santidade e a pureza (Ap 3.4), a boa consciência (1 Tm 1.19; 3.9), a fé (2 Tm 4.7,8) e, sobretudo, o poder do Espírito Santo (1 Ts 5.19, ARA). Mas há uma nova geração, formada por obreiros não-chamados ou desviados da verdade que querem um evangelho fácil, sem mudança exterior, “sem religiosidade”, como dizem. E esses buscam mudanças (Pv 24.21) e consideram os obreiros conservadores ultrapassados, retrógrados ou legalistas.

Tenho visto, com tristeza, que muitos assembleianos, com ojeriza do legalismo farisaico, estão partindo para o liberalismo — total ou parcial. De um lado, líderes, pregadores e crentes em geral, seguidores do legalismo, condenam pessoas sem misericórdia. De outro, estão aqueles que desprezam a sã doutrina; que “vivem e deixam viver”.

Será que os obreiros dessa nova geração sabem que a Assembleia de Deus nasceu conservadora? Ah, eles ouviram falar... Mas não querem saber de passado. Eles querem uma igreja moderna, sem limites! Para eles, por que não usar a dança de rua e o funk dentro das igrejas, já que são grandes atrativos para a juventude? E isso já está acontecendo em algumas Pseudo-assembleias de Deus. Uso esse termo contundente porque tenho convicção de que a Assembleia de Deus que se preza não aceita esses injustificáveis modismos.

Essa nova geração de obreiros “assembleianos” não quer ser conservadora. Prefere pregar mensagens de auto-ajuda, que agradam os ouvidos (2 Tm 4.1-5), e não a mensagem da cruz (1 Co 1.18-22). Os tais obreiros, em geral muito jovens — mas também neófitos (pois há jovens de valor) —, são insubmissos. Não respeitam os seus líderes. Entram no ministério, mas o ministério não entra neles. Consideram-se donos da verdade. Alguns sequer têm chamada de Deus. E há também aqueles que verberam contra os seus próprios pastores!

Os proponentes “assembleianos” da nova geração gostam da falaciosa teologia da prosperidade; na verdade, eles gostam é do dinheiro e da popularidade que essa teologia lhes traz (2 Pe 2.3,15,16; 1 Tm 6.19,20; 2 Co 11). Eles ridicularizam os conservadores do passado, homens dos quais o mundo não era digno, e os que desejam andar como aqueles andaram. Mas os neo-assembleianos são mercantilistas. Sente em uma mesa para conversar com um deles e você saberá qual é o seu deus: o dinheiro (2 Co 2.17).

Perguntemos pelas “veredas antigas”, a fim de encontrarmos descanso para as nossas almas (Jr 6.16). Avivamento não é buscar inovações — ainda que haja boas inovações. Mas, sim, renovação; implica recuperar o que foi perdido, (Lm 5.21; 2 Cr 29.20-36). Se a Assembleia de Deus quiser continuar sendo uma igreja que faz a diferença neste mundo tenebroso, precisa continuar sendo conservadora, equilibrada, biblicocêntrica (Pv 4.26,27). Afinal, embora a Palavra de Deus não exija nada além do que possamos fazer, também não ensina as pessoas a viverem uma vida libertina, sem regras. “Faze-me andar na verdade dos teus mandamentos...”, disse o salmista (Sl 119.35).

Ciro Sanches Zibordi

21 comentários:

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Não há o que opor ao texto, pois se pauta pelo equilíbrio. Gostaria apenas de registrar que não é impossível haver certa liberdade de costumes em igrejas tão-somente para agradar pessoas de classes mais abastadas, enquanto nas congregações grassa o tacão medonho do legalismo. Ou isso não existe? Defender a modéstia cristã é sempre legítimo, mas há que se considerar a necessidade de incutir nos crentes a maturidade cristã, a ponto de viverem por princípios, e não por regras do tipo "não toques, não proves, não manuseies". Sou contrário à adoção de uma moral social que em tempos passados caracterizava toda a sociedade moralista, sem, no entanto, possuir fundamento razoável. Sou a favor de que os crentes sejam orientados por princípios, seja pelo pastor, seja pelas irmãs mais experientes, como recomenda a Bíblia. O que não pode é convivermos com a sensação de que as ovelhas perderão todo o pudor assim que as regras legalistas cessarem. A santificação é mesmo um processo, e não uma condição automática do ser regenerado. Sei o que é conviver num lugar em que as regras são absolutamente dessarrazoadas, principalmente quando o sentido de ética que se quer transmitir não se coaduna com o comportamento anti-ético em outras áreas, como o nepotismo, o favorecimento e a promiscuidade política.

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Desculpe o "s" a mais em "desarrazoadas"! Erro de digitação.

Marcelo disse...

Shalom !

Caro Pr Ciro, excelente esta exposição. Disse Jesus em Mt 5.13a que nós somos o sal da terra. Dentro desta temática aprendemos algumas preciosas lições sobre nós como igreja, e no texto acima, a amada AD, que é uma referencia de igreja no Brasil, e no mundo.

1) o sal não permite a decomposição. Ele é anti-séptico. Ele inibe a degeneração. A presença da igreja no mundo é saneadora.

2) O sal conserva - muitos alimentos como a carne são conservadas pelo sal. A igreja é agente de cura, de mudança, de transformação.

3) o sal dá sabor - sem sal a comida fica insossa, insípida e difícil de ser ingerida. A igreja tem a missão de dar sabor a vida, transformar o ambiente onde está e ser instrumento de Deus.

4) o sal provoca sede - A Igreja existe para provocar em outras pessoas, sede de Deus. Nós precisamos atrair pessoas através de nosso estilo de vida. Isto engloba tudo; palavras, atitudes, testemunho, vida etc. O sal é aquele que tem mais alegria em dar GOSTO, do que ser VISTO. Jesus diz neste texto que aquilo (sal) que deveria dar gosto, não tem gosto. A enfâse não é sobre as PROPRIEDADES do sal, mas sobre o SABOR.

Finalizando para não ser prolixo, o sal insípido tem na mulher de Ló seu arquétipo ( modelo, exemplo). Lógico que foi uma super-carga de material químico que a atingiu. Mas ela, não apenas olhou para trás, mas ficara para trás. O hebreu era aquele que estava sempre em movimento, mesmo quando sabia para onde ia. Estar parado não era o seu movimento. Os que olham para trás se petrificam, viram estátua de sal. Virar estátua de sal é o destino do sal que perde o sabor! Que a amada AD seja sal num mundo de tanta corrupção.

Grato , Pr Marcelo de Oliveira

Pr. Newton disse...

Nosso pr. Ciro,

Excelentes observações, sobre o que está ocorrendo com alguns que desejam, criar novidades para este século corrompido ao extremo.

A repugnância à palavra CONSERVADOR, é consequência de muitos farisaísmo nas mãos de uns e outros, que exigiam que a mulher estivesse sempre com as mangas de seus vestidos compridas e o usual "coque", em seus cabelos.

Permitiam o uso do BIGODE, e não se podia utilizar uma barba -como a de Arão, por exemplo- e era quase que impossível, diante de tamanha exigência à santidade.

Hoje, os quase, mesmos líderes, permitem o excesso dentro dos cultos. Não há uma palavra de direito, contra a pouca vergonha dos trajes mundanos, e eventos sem nenhuma atenção de Deus, pois, são para produzir lucros com os seus "shows e danças", se não para o verdadeiro louvor. Vide encontro dos GIDEÕES. Vergonha para o evangelho.

Quem pode parar com esta brincadeirinha de poder dentro da igreja?

A Assembléia de Deus necessita de alguns Ciros Zibordis. Sinto falar desta forma. Assim, escrevo, porque, encontrei alguns que descriminam a minha palavra, quando informo que o leio. E isto me entristece.

Deus proteja os de coração ardente pelo bem das Assembléias de Deus. E que as escolhas sejam para a sua honra e glória.

Não, ao conservadorismo farisaico, e sim, aos bons costumes, que não agridem ao povo de Deus.

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Cristo a única Esperança disse...

A PAZ DO SENHOR!

Dentre muitas colocações sobre o cristão como sal da terra só vou falar sobre uma, aproveitando o comnetário do irmão Marcelo;
- O sal se conhece pelo sabor, por exemplo se colocarmos num pote um pouco de sal, e pedirmos para uma pessoa provar e falar qual o nome do produto, eu tenho certeza que mesmo de olhos vendados, qualquer pessoa que provar uma só pitada vai falar, é sal; Assim deve ser o cristão como sal da terra, ou seja, o mundo está cego, porém se olhar para um cristão que têm identidade vai falar que ele é crente, e ainda vai pedir oração, isso ocorre comigo o ano todo diversas vezes; Por outro lado existem pessoas querendo salgar a terra, porém elas são insípidas, e saem por falando "eu sou de Cristo", se autodenominando sal da terra;

Filipe Cabeção disse...

A paz para todos!

Concordo plenamente com o que foi exposto. A assembleia de Deus é ainda a denominação mais respeitada e com maior impacto em nossa sociedade. Sou assembleiano de útero, mas gostaria de deixar um questionamento: Será que os costumas da assmbleia irão permanecer por muito tempo com toda a mudança no padrão de vida dos brasileiros? POr exemplo, muitas irmãs de nossa igreja pediram para o pastor para vir de calça para igreja porque vinham direto do trabalho e até ir em casa perderiam muito tempo. Sem problemas, para o Pastor isso era justificável! MAs acontece que o pastor precisa das irmãs para tirarem os hinos da harpa, oportunidades, louvor, mas via que isso estava parando nas calças das nossas irmãs. Dentro dessa situação eu perguntaria:
Será que esses costumes irão perdurar por muito tempo?

A paz de Cristo

Anônimo disse...

Pastor Ciro,a paz do glorioso Cristo.

Agora deram de alcunhar aqueles que querem preservar os bons costumes de "legalistas farisaicos".

Então é isso que eu e muitos na Assembléia de Deus somos?Legalistas farisaicos?

Acho que conservar os bons costumes de forma radical nunca é demais.Sou contra as mulheres(assembleianas) se maquiarem,cortarem os cabelos e usarem calças.Sou contra os homens(assembleianos)andar de calção,sem camisa e em campos de bola.Sou contra os crentes (assembleianos ou não)assisstir novelas ,futebol e ...pra começar,a TV deveria ser banida dos lares cristãos!!!

O crente deve ser diferente no vestir,no falar e no proceder.Antigamente,se reconhecia um crente em qualquer lugar.Hoje,a coisamais difícil é reconhecer um crente na rua,principalmente os assembleianos.

É mais fácil Deus operar numa igreja de mulheres pintadas e com vestes imodestas e de homens tatuados com brinquinhos,ou numa igreja onde as mulheres tenham cabelo comprido e os homens se vistam como santos????

Mas sem jejum,oração e consagração,vestir se diferente não fará a mínima diferença.


A paz do Senhor.

Danielzinho,da Assembléia de Deus do bairro Periollo,Cascavel,PR.

Pr José Vilande disse...

Amado Pr Ciro
Inicialmente quero Cumprimentá-lo pelo importante trabalho apologético, que muito tem contribuido para o meu crescimento.
Gostaria de pedir autorização para publicar alguns de seus textos no meu blog (http://josevilande.blogspot.com/)
Obrigado...
Pr José Vilande

Pr. Ismael disse...

Paz do Senhor!
Gostaria de inteirar a minha admiração ao Pr. Ciro pelo seu equilíbrio e conduta ética quanto ao tratamento doutrinário cristão.
Ratifico as suas palavras escritas quanto a aberração deste disturbio doutrinário. Considero disturbio e herege - batismo no Espirito em animais.
Lamento dizer que, muitos por falta de conhecimento bíblico e pela simplicidade que é peculiar ao povo assembleiano engole tudo que ouve, vê e considera ser.
Como pastores precisamos dá um basta nos mercenários que tentam lubriar a inocência do povo. Compete a nós pastores ensinar as santas doutrinas elementares e sistemáticas da Palavra e conduzir o povo a percepção do discirnimento espiritual.
Um abraço a todos!

Elizama disse...

Pastor Ciro
A Paz do Senhor. Deus tem levantado ao irmão como um atalaia, por isso não se cale, use todas as armas que Ele lhe deu...
Com certeza lutas maiores ainda virão, pois todo aquele que se propõe a recontruir algo que está quebrado, sempre se levanta Sambalates, Senaqueribes e tantos outros para impedir a obra de reconstrução.
A Assembléia de Deus precisa de muitos outros Ciros para tomar posição nessa empreitada.
Estamos orando pela Convenção Geral, porque dela depende o futuro das Assembléias de Deus no Brasil. Que Deus tenha misericórdia de nós e do nosso futuro - falo da minha realidade, Manaus-Amazonas.
É hora de orar.

Luis Paulo Silva disse...

Eu até postei algo sobre o extremismo na igreja e pra falar a verdade, estou ainda formando minha opinião sobre estes assuntos (com relação aos costumes).
Não sou a favor do irmão Danielzinho, que é a favor do radicalismo, e mesmo assim muitos que me conhecem me acham muito salgado, tenho 21 anos, mas dizem que falo como um tiozinho... ou algo assim.
Meu Pai é pastor assembleiano, por isso convivo nesta igreja desde o meu 1/2 ano de idade, e por muito tempo abracei tudo que era dito sobre o púlpito, por respeito aos homens de Deus que falavam.
Quando cresci aprendi uma coisa: TODO MUNDO TEM UM POUCO DE IGNORÂNCIA, E TODO MUNDO ACABA COLOCANDO UM PENSAMENTO PARTICULAR QUANDO MINISTRA A PALAVRA.
Hoje faço como os bereanos; se estiver na Palavra eu como, se não estiver, jogo fora.
Sempre achei um absurdo essa coisa de jogo de luzes no púlpito, luzes pisca-pisca até mesmo na igreja em época de natal. As filhas de pastores, com responsabilidades na igreja e um decote quase no umbigo, ou uma saia mostrando as coxas para os irmãos.O pior de tudo? Me refiro a filhas de pastores que outrora era "grandes homens de doutrina".
A Assembléia de Deus no Brasil está falindo espiritualmente. Muitos missionários estão sendo largados no campo, e muitos pregadores fiéis estão sendo mandados pro "cabide" nos púlpitos enquanto pregadores barulhentos apenas e fanfarrões estão se enchendo até os calções com o dinheiro que a maioria dos pastores assembleianos pagam pra eles ministrarem lixo ao povo.
Parece duro o discurso?
É só ir a alguma convenção e ver qual é a linguagem dos "homens de Deus". Dinheiro, dinheiro e dinheiro.
Homens hipócritas estão escondidos nas suas salinhas, negociando o povo de Deus!
Deixaram de ser extremistas pra ser hipócritas, amigos do pecado e negociadores de pecadores que acham que são crentes só por que o pastor chamou de "minha santa" meu santo".

Luis Paulo Silva.

Luis Paulo Silva disse...

Falando nisso, este texto lembra em algo os nossos querido "pastores modernos":

Eze 8:12 -Então me disse: Viste, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel fazem nas trevas, cada um nas suas câmaras pintadas de imagens? Pois dizem: O Senhor não nos vê; o Senhor abandonou a terra.

Eu acho que tem!

Paz!

Luis Paulo Silva.

eduardo disse...

eusou a favor da manutenção dos usos e costumes,foi umaidentidade que a igreja fincou,e vem dando certo.é umabenção,quando
uma pessoa do mundo nos conhece pelas vestes,mesmo que não seja itempara salvação.

Anônimo disse...

Mas ainda tenho uma dívida, Usos e costumes: Mulher pode ou não usar calça comprida e adornos ( joias, maquiagem, cortes de cabelo tingimento).

Essa dúvida nunca me foi esclarecida.

Fabiana - Pr

Marcelo disse...

Cara Fabiana e demais irmãos,

Sou obreiro da AD no interior do Estado de São Paulo. Por muitos anos pairou sobre minha mente a mesma dúvida que a irmã Fabiana revelou que a incomoda. Hoje, tendo já estudado sobre o assunto e me aprofundado, quero deixar aqui minha análise histórica e primordialmente bíblica:
Em primeiro lugar, com relação às vestes, o que é inquestionável é que tanto o homem quanto a mulher devem vestir-se com pudor, não expondo o seu corpo que é templo do Espírito Santo (1 Co vs 19, 1 Tm 2 vs 9).Quanto ao tipo de vestes (calça ou saia), não há fundamento algum na Palavra para nos apoiarmos, pois na época em que a Palavra foi escrita não existia calça ou saia, apenas vestidos, tanto para homens quanto para mulheres. O mesmo caso é a bermuda para o homem, não há base para se defender que o crente não possa usar a referida vestimenta, a não ser que eu considere que minha canela vá chamar a atenção das mulheres, mas se for assim, devo cobrir também os pés e os pulsos, que também devem ser muito atraentes. É claro que um oficial da igreja deve ser distinto tanto no vestir quanto no agir (a quem muito é dado, muito é requerido), mas dai a proibir uma criança ou adolescente a usar uma bermuda, sem dúvida é extremismo.
Já quanto às jóias, a semântica utilizada por Pedro (1 Pe 3 vs 9), não fala de proibição total e completa, mas sim de prioridade. Ou seja, Pedro não está dizendo que as mulheres não devem usar jóias, mas sim que isso não deve ser prioridade em suas vidas, mas sim o viver em santidade, e agradar ao Senhor com suas boas obras.
Em suma, nós cristãos, tanto homens quanto mulheres, devemos primar pelo equilíbrio, deixando de lado o extremismo, analisando a Palavra com discernimento e não com uma visão pré-concebida que herdamos de nossos pais na fé, mas também não devemos ser influenciados pelos novos movimentos que pregam a libertinagem total dentro da igreja, esse é o outro extremo que devemos evitar.
O que não deve acontecer sob circunstância alguma é o irmão que vê o outro na rua vestido com uma bermuda por exemplo, não lhe cumprimenta com a paz do Senhor, considerando que não é crente ou está desviado, como já aconteceu comigo. Isso é reduzir o Evangelho a uma simples religião tradicionalista e pautada em regras humanas. É julgar sem observar a reta justiça, mas sim com hipocrisia e ignorância.

Em Cristo,

Marcelo Lima da Silva
Coop. da AD em São José dos Campos

Anônimo disse...

Paz e graça meu caro e ilustre irmão!
Sou leitor assíduo de seus livros, q foram de grande valia na estruturação de parte d conceitos q hj os guardo por convicção. Quanto a questão "conservadorismo"(num sentido bíblico)creio sim q qualquer Igreja Cristã, deve primar em guardar(crer, praticar, zelar e defender) As Palavras do Senhor(seus mandamentos, ensinos, promessas)-(Lc 11.27, Jo 8.47; 14.15,23;51 e rfs) e também q isso independe de questões culturais ou de costumes ou usos. Pq é lógico q uma Bíblia e q desfruta d uma íntima comunhão com o Senhor p seu Espírito Santo, trage-se, comporte-se e/ou viva igualmente a cultura secular. Ou seja, um Crente(macho ou fêmea) em Jesus, se vestirá com honestidade, pudor, modétia, de acordo com a cultura em q está inserido sem necessariamente seguir literalmente usos e costumes d Igreja A ou B, terá seu corpo(todo ele) p a Santificação e honra, Terá prazer em meditar e viver a Lei do Senhor( Sl 1.3), em buscá-lo em fim, valorizará e irá prismar p td q o Senhor prisma. Creio q Assembléia d Deus deve se preocupar antes d qualquer coisa, em continuar sendo d Deus, ñ apenas no nome, mas na prática do amor fraternal ñ fingido entre irmãos, igrejas e ministérios, , na simplicidade d Evangelho - q mais d um códico d ética e d costumes, Valoriza a Pura Palavra d Deus q é a mesma em qualquer Cultura, numa Espiritualidade q gere amor Pelo o Senhor e sua causa e obra, q gere uma unidade genuína e ñ aparente e q gere adoradores autênticos q Adoram ao Senhor em Espírito e em verdade, com TEMPERANÇA e graça. Pq essa deve ser a preocupação d qualquer "DENOMINAÇÃO" seja ontem, hj ou no amanhã. Deixemos o Espírito fazer a sua obra d libertação, convencimento, salvação regeneração-santificação, conversão, glorificação sem emendas ou tentado dar uma "forcinha".
q Deus continue abençoando o irmão.

De: José Fábio

Pr. Marcos Martins. disse...

6Caro, pastor Ciro.

Obrigado pela clareza, e pureza em que o senhor escreve, como já disse tenho sido muito abençoado através dos seus livros, artigos, e etc...
Pastor indiquei alguns de seus materiais no meu blog, quando puder, faça uma visita e deixe um recadinho lá.
Deus continue te usando.

pastormarcosmartins.blogspot.com

Josy disse...

Concordo em ser conservador, mas nunca vou concordar com os usos e costumes da ass. de Deus, apesar de ser da assemblléia
isso é colocar fardo, q Deus não colocou...

c usar calça, brinco vai pro inferno
querer se arrumar, usar uma maquiagem é ser vaidoso? é a msma vaidade q a biblia condena?
acho q não...hein

Josy disse...

Devemos ser sal da terra, fazer a diferença
mas isso começa de dentro pra fora e não ao contrario rs
não preciso por uma saia abaixo do joelho pra se vestir de forma conservadora...
não preciso cobrir meus ombros p ser conservadora...qm se sente atraído pelos ombros é o cumulo..
c uso maquiagem sou tachada de Jezabel, e as mulheres da época de jesus não usavam?
dança é coisa do capeta , é pecado, é errado...(isso é o q mts assembleianos afirmam)
e as diversas passagens q mostram o povo adorando través da dança

alguém me explica kkk

Anônimo disse...

Estimado Pr Ciro,

Gostei muito desse artigo.
Faz alguns anos que sou leitor do seu blog e desde que comecei tenho crescido muito no conhecimento da Palavra. É de imensurável o valor do estudos que nos tem passado.
Cada dia mais, devo dizer, o desejo me parecer com o mestre dos mestres,Jesus, arde no meu coração.

Em Cristo,

Herenilton Julião

Josenildo.ferreira.Souza Ferreira disse...

A paz do senhor PR.Ciro alguns chama nos de fariseus só porque nos conservamos os bons gostumes, e diz que somos fanáticos, fico triste por isso pois eles dissem que nos da Ad adaptamos a bíblia para o nosso próprio quere .
Eu fico triste deledeles pensam muito isso de nos .