quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Caro pastor, não entregue a igreja nas mãos dos políticos e interesseiros


Amados irmãos, nada tenho contra os políticos e, como cidadão, sempre votarei nos candidatos que tenham uma boa fama e projetos exeqüíveis. Mas quero denunciar aqui um problema que tem acontecido em muitas igrejas evangélicas, em ano de eleições.

Infelizmente, a cada dia, vemos pastores perdendo a visão espiritual e distanciando-se da Palavra de Deus, os quais se conformam com o mundo e suas filosofias (Rm 12.1,2). Tenho, por graça de Deus, um ministério que envolve itinerância há alguns anos e venho notando que, em tempos de eleições, algumas igrejas se vendem, fazendo tudo o que os candidatos a cargos públicos querem. Até mesmo os preletores das festividades são escolhidos pelos políticos!

Para quem não sabe, certos políticos (não todos, graças a Deus) gostam de levar para os eventos das nossas igrejas pregadores comprados, que fazem menções honrosas aos seus nomes e induzem o povo a votar neles. Nesse caso, quem prega a Palavra de Deus de maneira imparcial (2 Co 2.17) acaba não sendo muito bem-vindo... Eu mesmo já tive alguns compromissos desmarcados em cima da hora. Por quê?

Não vou citar nomes para não deixar alguns pastores constrangidos, mas, um dia desses, faltando dois dias para um evento agendado com antecedência e confirmado por ambas as partes (igreja e pregador), o pastor da igreja me ligou para dizer que o candidato fulano de tal havia escolhido outro preletor, dando-me uma desculpa inconvincente.

A bem da verdade, eu já tive passagens aéreas pagas por patrocinadores várias vezes. Não vejo nenhum problema em a igreja escolher o pregador, e alguém patrocinar o evento, ajudando-a com as despesas, como o pagamento de passagens aéreas de pastores e cantores convidados. Mas, o que está acontecendo? Certos políticos definem quem serão os pregadores, cantores, etc. Por quê? Porque são pessoas conhecidas deles, as quais falarão bem deles, induzindo os crentes a votarem neles! Isso é vergonhoso.

Os pastores que ficam na mão de políticos são os mesmos que convidam pregadores que juntam gente, colhem uma boa oferta, mas, ao mesmo tempo, disseminam heresias e maus costumes por onde passam. É lamentável que as igrejas estejam priorizando o ajuntamento, como se fosse um show, e não a pregação da verdade. Esquecem-se de que Deus valoriza a quantidade de pessoas, mas não a prioriza (Mt 7.13,14,21-23). Quanto à multidão de pessoas que se reúnem para ouvir a verdade, glória a Deus! Mas Deus não tem nenhum compromisso com multidões de fãs, ávidos para ouvir os seus cantores e pregadores preferidos (Jo 6.60-69).

Que Deus abra os olhos desses pastores que entregam a igreja a políticos, homens com segundas intenções, que escolhem até os pregadores e cantores. E, o que se pode esperar de pregadores comprados por políticos? Falarão eles a verdade da parte de Deus? Serão eles profetas do Altíssimo? Ou terão como prioridade massagear os egos do público e principalmente dos políticos que os compraram?

Deixo aqui um conselho aos pastores: Se a sua igreja não tiver condições de convidar um pregador de renome nacional ou internacional, convide um pregador da região, mas não fique na mão dos políticos. Não façam o que eles querem. Não negociem o inegociável. Não permitam que os enganadores façam “... de vós negócio com palavras fingidas...” (2 Pe 2.3). Basta!

Com temor e tremor,

Ciro Sanches Zibordi

16 comentários:

Robson Silva de Sousa disse...

A Paz do Senhor caro Pr. Ciro.

Verdadeiramente estamos vivendo dias trabalhosos (tenebrosos até). Mas arautos ainda há do Senhor que profetizam aquilo que é a verdade, e não o que agrada os ouvidos dos "reis deste mundo".

Peço licença para postar como comentário a esse seu post uma porção das Sagradas Escrituras que representa bem essa realidade:

“Disse, porém, Jeosafá: Não há aqui ainda algum profeta do SENHOR, ao qual possamos consultar? Então disse o rei de Israel a Jeosafá: Ainda há um homem por quem podemos consultar ao SENHOR; porém eu o odeio, porque nunca profetiza de mim o que é bom, mas só o mal; este é Micaías, filho de Inlá. E disse Jeosafá: Não fale o rei assim. Então o rei de Israel chamou um oficial, e disse: Traze-me depressa a Micaías, filho de Inlá. E o rei de Israel e Jeosafá, rei de Judá, estavam assentados cada um no seu trono, vestidos de trajes reais, na praça, à entrada da porta de Samaria; e todos os profetas profetizavam na sua presença. E Zedequias, filho de Quenaaná, fez para si uns chifres de ferro, e disse: Assim diz o SENHOR: Com estes ferirás aos sírios, até de todo os consumir. E todos os profetas profetizaram assim, dizendo: Sobe a Ramote de Gileade, e triunfarás, porque o SENHOR a entregará na mão do rei. E o mensageiro que foi chamar a Micaías falou-lhe, dizendo: Vês aqui que as palavras dos profetas a uma voz predizem coisas boas para o rei; seja, pois, a tua palavra como a palavra de um deles, e fala bem. Porém Micaías disse: Vive o SENHOR que o que o SENHOR me disser isso falarei. E, vindo ele ao rei, o rei lhe disse: Micaías, iremos a Ramote de Gileade à peleja, ou deixaremos de ir? E ele lhe disse: Sobe, e serás bem sucedido; porque o SENHOR a entregará na mão do rei. E o rei lhe disse: Até quantas vezes te conjurarei, que não me fales senão a verdade em nome do SENHOR? Então disse ele: Vi a todo o Israel disperso pelos montes, como ovelhas que não têm pastor; e disse o SENHOR: Estes não têm senhor; torne cada um em paz para sua casa. Então o rei de Israel disse a Jeosafá: Não te disse eu, que nunca profetizará de mim o que é bom, senão só o que é mal?” (1Reis 22:7-18).

Que o Senhor nos ajude, nos capacite e nos use, pela sua infinita misericórdia, como instumentos e pregoeiros da verdade.

Fraternalmente,
Em Cristo

Robson Silva de Sousa

cincosolas disse...

Pr. Ciro,

Faço parte de um movimento de conscientização política, que objetiva orientar as pessoas a votarem eticamente e que cobra dos eleitos o cumprimento dos compromissos assumidos.

Sebe qual a classe mais problemática quanto a venda de votos e "mentiras eleitoreiras"? Isso mesmo, os evangélicos. Pelo menos em minha cidade.

claudio pimenta disse...

BOA PASTOR CIRO

esta cada dia mais dificil a igreja envolvida com o estado

nao sou contra apoiarmos um irmao em cristo ou um padre ou um espirita afinal nao votamos na religiao do candidato

mas venhamos e convenhamos muitos candidatos supostamente cristaos tem deixado muito a desejar

aqui no ceara por exemplo todos decepcionaram
so um carismatico catolico lutou contra algums leis anti-cristas

A HISTORIA nos ensina que todas as vezes que a igreja se elvonve nesses casos politicos seculares ela perde

nesse ponto concordo com a ccb no brasil

Anônimo disse...

Pr. Ciro.
Concordo plenamente com o irmão.
Não consigo entender como pastores, homens separados e preparados para o ministério aceitam e fazem este tipo de coisa.
Política na casa de Deus não deve ser aceita de forma alguma; ainda mais imposta e misturada com a palavra de Deus.
Políticos só aparecem em época de eleição(mesmos os evangélicos)prometendo o que não podem fazer, tomando o tempo dos fiéis, da palavra e atrapalhando o culto de adoração a Deus.
Vejo que os pastores sabem a verdade, sabem que estão errado, mas dando certo é o que realmente importa (para eles!).

Obrigado. A Paz do Senhor Jesus.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Ciro!
Pertenço ao Conselho de Política da nossa convenção, e sei o quanto é difícil uma conscientização sincera e honesta, justamente por causa dos vícios adquiridos por certos companheiros ao longo dos anos.
Os políticos tem culpa sim, mas foram viciados por líderes comprometidos com seus próprios interesses.
É simplesmente lamentável.
Continuemos denunciando e educando.
Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro amigo, pastor Carlos Roberto, a paz do Senhor!

Realmente, os maus políticos (pois não estou generalizando) têm culpa, mas os maiores responsáveis pelo que vem acontecendo são mesmo alguns obreiros frouxos, os quais permitem não só que os políticos façam o que querem. Tenho participado de muitos eventos em que os líderes deixam o trabalho nas mãos da juventude e sequer participam...

Os jovens têm força, vigor, mas precisam ser orientados e ensinados. É por isso que boa parte das igrejas assembleianas está transformando os congressos de mocidade em shows, imitando outras denominações que não demonstram amor pela Palavra, posto que vivem à base de espetáculos e certos "moveres".

Em nossos congressos (não todos) quase não há mais tempo para a exposição da Palavra de Deus. E os líderes dão aquela desculpa inconvincente e "araônica": "É... jovem é assim mesmo".

Bem, eu não sou tão velho; só tenho 38. Já fui líder de jovens e louvo a Deus por ter tido pastores que sempre foram atuantes, ensinando-me como deveria conduzir os trabalhos atinentes aos congressos e outros eventos da juventude.

Que Deus o abençoe, meu amigo! Seu blog está muito bom!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Clóvis Gonçalves (Cinco Solas),

Agradeço-lhe pela participação em meu blog. Quando tenho tempo de navegar, o seu blog é um dos que visito; leio inclusive os comentários.

Movimentos que visem a conscientização política e orientação das pessoas, a fim de que votem corretamente em candidatos compromissados com a ética e que, pelo menos, tentem cumprir o que prometem são muitos importantes. Parabéns pelo nobre trabalho!

Que Deus o abençoe, caro irmão!

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Robson,

A paz do Senhor!

Os dias são realmente trabalhosos e "perigosos" (2 Tm 3.1, gr.).

Micaías é um dos profetas que mais admiro, por sua coragem, sua autoridade e, sobretudo, por ele exemplificar uma verdade que muitos pregadores ignoram: o compromisso do mensageiro é, acima de tudo, com Deus, e não com o povo.

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo.

Em Cristo,

CSZ

Ivan Tadeu Panicio Junior disse...

Bom dia Pastor Ciro!

Fico feliz pela sua abordagem. O sr. é um dos poucos que tem tido coragem de denunciar a pouco vergonha que veem acontecendo entre a Igreja e Política.

Que Deus sustente sua vida e ministério.

Se não houver nenhum imprevisto, estarei cooperando na Vl Americana/Ctba - quando o sr. vier pregar.

Paz do Senhor

Obs: E parabéns pela mais recente publicação (Teologia Sistemática Pentecostal)

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro irmão Ivan,

A paz do Senhor!

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo. E que o Senhor Jesus abençoe mais e mais o seu ministério como pregador do evangelho.

Será uma grande alegria para mim encontrá-lo no congresso da MADVA.

Um grande abraço!

CSZ

josiel disse...

Prezado Pastor,

Votei pela primeira vez no ano de 1989,naquela época eu tinha apenas dezessete anos!
Me lembro de uma frase que um dos candidatos que no caso estava disputando a cadeira de Presidente da República, dizia ele :´´Quantos somos nesta caminhada?´´
Corroborando com o comentário do irmão Robson quero dizer, que era Micaías contra 400 falsos profetas, mas ele ficou firme não se importando com as conseqüêcias que viriam por falar a verdade!Parabéns pela postura!
Josiel.

Miguel Neto disse...

Pastor Ciro, meu apoio e solidariedade.

Acho que uma breve e simples releitura das palavras e ensinos de Jesus, associada a uma sincera e descomprometida reflexão acerca do espaço que estamos cedendo em nossos templos para outros interesses distintos de cultuar e adorar a Deus, bastariam para mudar esse cenário.

Honestamente, pensando assim, acho que a situação fica ainda mais crítica!

Ou não temos lido o que Jesus ensinou acerca do zelo com a "casa de Seu Pai" - não transformando-a em lugar de vendas e barganha -, ou temos perdido o poder de discernir entre coisas mundanas e espirituais, ou, o pior, mesmo sabedores de tais coisas, estamos agindo com rebeldia e desobediência.

Oremos...

nEle, porEle, paraEle

Miguel Neto

carlos roberto disse...

Pr. Ciro, que o Senhor continue te abençoando.
Temos enfrentado em épocas de eleições uma coisa que já virou jargão "crente vota em crente", isso não seria um voto de cabresto(estou sem ponto de interrogação. Gostaria que o senhor falasse um pouco sobre essa frase.
Ainda estou esperando a resposta daquele artigo que lhe enviei por e-mail,Yeshua(Jesus) é D'us, lembra.
Um abraço e fique na paz dAquele que em tudo nos orienta.

Pr. Newton disse...

Prezamado Pr. Ciro,

Concordo plenamente com a sua importante decisão:INFORMAR que, é inaceitável a presença de políticos no púlpito da igreja.

Não podemos nos CONFORMAR com esta falta de vergonha e respeito ao que é SANTO. Apesar, de muitos púlpitos estarem manchados com a falta de comunicação com DEUS.

Devemos votar, e escolher o candidato mais adequado às responsabilidades na política, e orar para que sejam bem sucedidos, os que desejam realmente o melhor para a comunidade, ou seja, o povo, que escolhe seus candidatos porque cantam muito bem ou pregam palavras de prosperidade.

Os pastores devem se conscientizar desta falta com DEUS, que prejudica, com certeza, a vida espiritual da igreja.

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com

Administrador disse...

Paz do Senhor pastor, concordo com suas palavras e acrescento que aqui em maceio-alagoas já existe pregadores assalariados para falar bem de um determinado Político oficial da igreja. Parece que não aprendemos com os erros do passado, basta olharmos onde foi parar a igreja de roma depois que tornou-se Religião oficial do Império Romano. Que o Senhor tenha misericórdia desses líderes que negociam o inegociável.

Lucas Marin disse...

A Paz do Senhor!

Pr. Ciro, eu estava lendo, com um pouco de atraso, o artigo acima.
Gostaria de acrescentar que é bom que quem dê essas "ofertas" de passagens, não queira se gloriar com o que ofertou, nem seja lembrado por isso, pois ele ofertou ou fez um "contrato de troca de favores"?

Que Deus dê direção a cada um e continue lhe dando graça para escrever conforme a Sua Palavra, como sempre temos visto!