sexta-feira, 6 de junho de 2008

Música no culto ou culto à música? (6)

Nesta sexta parte da série “Música no culto ou culto à música?”, reproduzo na íntegra um artigo verdadeiramente profético do pastor e pregador da Assembléia de Deus, Valdir Nunes Bícego, de saudosa memória, publicado no jornal Mensageiro da Paz, em junho de 1994, há exatos quatorze anos.

O texto bíblico de Daniel 3.1-15 nos ensina que a “religião de Nabucodonosor” era caracterizada não somente pela adoração à imagem por ele erigida, mas também, e principalmente, pela exagerada utilização dos mais variados instrumentos musicais daquela época, o que induzia as multidões a prestar culto àquele deus pagão. Não havia prédica ou mensagem, mas somente o sonido dos instrumentos. Era a musicolatria, ou seja, a adoração à música. O valor que davam à música era tão grande que, de certo modo, superava até mesmo a adoração à imagem.
Pelo texto acima entendemos que somente havia adoração se primeiramente houvesse música. Valorizavam mais a música que sua adoração. Era um culto somente externo, emocional, com sonidos musicais nos seus ouvidos, porém, sem qualquer conteúdo espiritual para alimentação e regozijo de suas almas, que continuavam vazias, desprovidas das realidades e convicções eternas.
Embora milênios tenham-se passado, verificamos hoje, com muita tristeza e sem nos conformarmos que, com poucas exceções, o mesmo espírito que prevalecia naquelas reuniões tem invadido uma parte considerável de nossas igrejas. Em seus cultos a Deus, há preocupação demasiada com o louvor que, praticamente, ocupa quase todo o tempo da reunião, em detrimento das oportunidades para testemunhos das bênçãos recebidas, manifestação dos dons espirituais e tempo suficiente para a exposição da Palavra de Deus, pela qual a fé é gerada nos corações (Rm 10.17).
Tal atitude tem privado o auditório do mais importante do culto, que é a manifestação do sobrenatural de Deus na reunião. É a “religião de Nabucodonosor” infiltrada disfarçadamente em nosso meio.
Não há dúvidas de que o louvor tem um valor importantíssimo nas reuniões quando é feito na hora e tempo certos. Porém, quando é feito de modo exagerado, prejudica o culto. É muito comum, em algumas igrejas, o louvor tomar quase todo o horário do culto, restando, conseqüentemente, pouco espaço para a pregação da Palavra, que, às vezes, nem pregação é, mas somente um preenchimento formal do tempo, com uma palavra sem nenhuma inspiração. Assim, o povo sai das reuniões mal alimentado espiritualmente, tornando-se, portanto, uma presa fácil para Satanás. Ou então, a Palavra é exposta muito tempo após o início da reunião, quando o povo já está com sua mente cansada, sem condições de absorver a mensagem. Quem são os culpados? Os líderes. Eu vejo, entre outras razões, duas pelas quais alguns pastores conduzem ou permitem que o culto seja conduzido desta maneira:
1) Não oraram, nem meditaram na Palavra e, conseqüentemente, não receberam a mensagem para transmitir ao povo (às vezes, não possuem a humildade de reconhecer este fato e conceder a palavra a quem tenha algo de Deus para falar à igreja para sua edificação).
Conforme Mateus 24.25, o obreiro tem a obrigação de buscar a Deus a fim de receber alimento espiritual para dar ao povo. Quando isso ocorre, ele sente tão grande responsabilidade diante de Deus, que dirige o culto com o seu coração quase “explodindo” ou “fervendo” (Sl 45.1), mal esperando o momento de entregar o que recebeu do Senhor (1 Co 11.23) e, assim, não abrirá mão do tempo reservado para a Palavra. Aleluia!
2) Perderam a autoridade espiritual, as “rédeas” do culto, etc. São influenciados por pessoas, algumas consideradas “ilustres” e, como querem agradar a todos e a alguns, até com receio de perderem sua posição, deixam ou permitem que o culto siga sem o seu objetivo principal, que é o de alcançar as almas perdidas. Procedendo assim, acabam sendo dirigidos e não dirigentes dos cultos. Que tristeza!

Culto racional

De acordo com 1 Coríntios 14.26, os nossos cultos devem ter cinco coisas importantes: louvor, mensagem, revelação, língua e interpretação. O louvor, portanto, deve ocupar parte do culto, e não todo o culto. É somente a parte introdutória do culto. Quando Israel caminhava pelo deserto, a tribo de Judá ia na frente, e os músicos atrás (Sl 68.25).
“Entrai pelas portas dele com louvor e em seus átrios com hinos”, Sl 100.4. “Apresentai-vos ao Senhor com canto”, Sl 100.2. “As tuas portas chamarás louvor”, Is 60.18. O louvor abre a porta e, uma vez aberta, as demais coisas devem fazer parte do culto.
Como resultado negativo desta ênfase que vem sendo dada ao louvor, podemos mencionar, entre outros:
1) Estamos formando um grande contingente de cantores e músicos e, com poucas exceções, de ganhadores de almas, que é a missão de todos os crentes. A maioria das pessoas envolvidas na área do louvor pensa que seu trabalho na Casa do Senhor é somente cantar e tocar; daí a razão de se preocuparem somente com ensaios, programas, festividades, etc. Alguns há que, depois de participarem do louvor, retiram-se do recinto do culto, como se já tivessem feito a sua parte na reunião. Há outros que só estão na igreja porque gostam de cantar e tocar; é provável que, se um dia não houver nada disso, ou estiverem impossibilitados de participar do louvor, venham a se retirar. Alguns obreiros alegam que dão grande ênfase à parte do louvor para “segurar” alguns na igreja, principalmente os jovens, o que é um engano total. O que “segura” uma pessoa na igreja é a comunhão com Deus, o desejo de adorá-lo e de alimentar-se espiritualmente para firmeza na fé e robustecimento do espírito.
2) Como nossa igreja não possui um órgão oficial de censura doutrinária e rítmica para letras e músicas de hinos, estamos observando uma avalanche de músicas profanas recheadas de palavras evangélicas. Algumas destas músicas foram compostas por descrentes visando paixão carnal por outra pessoa; outras são temas de filmes. Isto sem falar dos ritmos avançados, em nada ficando a dever para o samba, o rock, o baião, etc., os quais somente promovem o balanço do corpo, e não o quebrantamento do coração. Influenciados, muitas vezes, por este espírito mundano, alguns hinos são compostos por pessoas sem temor de Deus, alguns até desviados, visando apenas lucro. O mercado musical evangélico de hoje, devido à referida ênfase, tem-se tornado tão grande que supera a muitos outros seculares, o que gera a composição de hinos somente com fins lucrativos, sem preocupações com a qualidade técnica e espiritual dos mesmos.
3) Em alguns lugares, o volume do som para o microfone, play-back e instrumentos musicais é tão alto que chega a ferir os tímpanos. De acordo com especialistas no assunto, o ouvido humano não suporta mais que 80 decibéis. Acima disto, os tímpanos poderão ser afetados para sempre, prejudicando a audição: senhoras gestantes poderão ter seus filhos afetados, sujeitos a nascerem com problemas. Isto sem falar no incômodo que causam à vizinhança da igreja, havendo lugares em que as autoridades necessitam intervir para diminuir o ruído exagerado.

Apelo às lideranças

O louvor, seja através dos cânticos ou da música, é uma bênção na igreja quando inspirado por Deus e executado no momento e tempo certos.
A igreja não pode perder de vista a sua missão principal na terra, que é a de levar almas para Cristo. Às vezes eu me coloco no lugar de um pecador que adentra algumas destas reuniões em que ficam o tempo todo cantando e tocando. Imagino como deve ser difícil para ele suportar quase duas horas de cânticos, alguns sem nenhuma inspiração, outros até com ritmos mundanos, sem ouvir qualquer mensagem de Deus pela Palavra. Ou então, quando ouve, já se gastou tanto tempo com outras coisas que não tem condição de absorvê-la. É bem possível que na hora do apelo ele não se decida e talvez não volte mais para aquela igreja, uma vez que encontrará em muitos lugares do mundo reuniões não muito diferentes das ali promovidas.
Talvez seja esta uma das razões porque a nossa igreja está obtendo hoje uma pequena taxa média de crescimento anual da ordem de 5%, quando em décadas passadas, chegamos a atingir 23%.
Se quisermos atingir um dos objetivos da Década da Colheita, que é ganhar 50 milhões de almas para Cristo até o ano 2000, precisamos crescer 26% ao ano. Por que crescíamos tanto no passado? Uma das razões era o sobrenatural de Deus operando nas reuniões através de testemunhos legítimos, manifestação dos dons espirituais e momento e tempo certo para a exposição da Palavra de Deus.
Não quero que ninguém interprete que sou inimigo de louvores no culto. Não, de modo nenhum. Sou profundo admirador dos louvores, seja por coral, banda, orquestra, conjuntos, hinos avulsos, etc., desde que sejam realizados no momento e no tempo apropriado das reuniões.
Queira Deus que esta mensagem de advertência alcance todos os leitores, principalmente as lideranças de nossas igrejas, a fim de que possamos redirecionar a programação de nossos cultos conforme o texto de 1 Coríntios 14.26, já comentado acima, e, assim, alcançar o nosso objetivo principal, que são as almas para Cristo.

Valdir Nunes Bícego

14 comentários:

josiel disse...

Pastor Ciro,

A paz do Senhor!

O presente artigo fez-me lembrar de uma ´´estória´´ que meu avô contava(ele ainda não servia a Jesus),que dizia o seguinte: O Diabo tem uma filha a qual ele gostaria muito que se casasse, mas a mesma deveria usar uma roupa criada pelo pai, e que o mundo não a copiasse. Segundo esta ´´estória´´ a filha do Diabo se encontra velha e caducando, e ainda não se casou. É lamentável que a religião de Nabucodonosor tenha encontrado espaço em nossos cultos ao Deus do céu e que os ídolos sejam os mesmos, apenas com roupagens diferentes.

Abraços fraternos.

Josiel Vitorino da SIlva.

Ivan Tadeu Panicio Junior disse...

Prezado Pastor Ciro,

agradeço sua participação em meu Blog, sinto-me privilegiado.

E referente a postagem no meu BLog, espero que Deus levante uma nova "safra" de pregadores comprometidos com a sã Palavra de Deus e não com o modismos. E como deve ter percebido, a postagem menciona a parte 2, onde eu falaria exatamente sobre os cantores e seus louvores, mas lendo esta postagem, do Pr. Valdir Nunes Bicego, fui completamente satisfeito, naquilo que gostaria de dizer. Ele conseguiu de uma forma maravilhosa expressar nossa realidade e trazer uma receita de concerto e cura para tal ferida.

Já houve quem contou a quantidade de louvores num culto, e chegou ao número de 18, restando de 20 a 25 minutos para a palavra.

Infelizmente, alguns cantores acharam a "galinha de ovos de ouro" da sua vida e estão no mercado musical evagélico, explorando nosso povo.

Com sua permissão, gostaria de colocar esta postagem em meu Blog, mencionando autoria e seu Blog como origem. Espero seu aval

Forte abraço

Ivan Tadeu

Anônimo disse...

Fabio (Sorocaba)

Paz do Senhor pastor Ciro

Pastor Ciro, lamento em dizer, mas infelizmente é isto mesmo o que está acontecendo.
Estamos viviendo tempos difíceis, em que a exposição da poderosa Palavra está ficanco para "o tempo que nos resta, vamos meditar um pouco na palavra". Entendeu?

Mas eu creio num grande avivamento no meio do povo de Deus. Aleluia!
Não devemos desanimar jamais, pois o Senhor disse: Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisa grandes e firmes, que não sabes. Jr 33.3

Pastores, líderes, devemos pregar a CRISTO. At 8.5

Anônimo disse...

Graça e Paz Ciro

Comungo do mesmo pensamento que do Ir Bícego, do seu e daqueles que amam a sã dourina e por ela procuram viver.
Como disse em alguns comentários passados, "o mundo pode nos taxar como radicais...". Reutilizo esta expressão desta forma, "Os "crentes" podem nos taxar de radicais..."

Amanhã, sábado 07/06, vai acontecer o "Mega Show" da maior Banda Gospel do Brasil, título este que eles mesmo adotaram.

Vai ser demais Ciro! Apresentações de danças, solos de guitarra, canções eufóricas, enfim vai ser uma verdadeira festa.

Ironias a parte Ciro, é triste ver como a IGREJA, o CORPO DE CRISTO se moldou ao ambiente externo. Nosso culto parece mais uma apresentação teatral (não que eu seja contra expressões artísticas) do que um momento especial em que na comunhão com outros irmãos cultuamos o SENHOR.
Nossa música se molda tanto com a do mundo que até Grammy ela ganha.
E os nossos pregadores? Parecem mais consultores do Herbalife do que ministros do evangelho:"VOCÊ PODE TUDO IRMÃO!"

A música, no entanto, é um reflexo do que se transformou a IGREJA.
Existem aqueles que ainda primam pela PALAVRA e não cantam heresias ou canções de conjuntos hereges.
Mas a grande maioria, infelizmente, se apoia nesta muleta.

Enfim,

Confiante que DEUS está restaurando as suas verdades, prosseguimos para o alvo.

Graça e Paz Mano

Luis Carlos Mathias
Joinville/SC

Obs.: Parabéns pelo artigo.

josiel disse...

Devemos ser radicais porque a
Bíblia é radical!

Josiel.

Edson Dorna disse...

A paz do senhor!

Pr. Ciro, primeira vez que eu leio algo sobre este homem de Deus, que o senhor admira muito e também aprendeu com o mesmo, vejo que pelas palavras dele, que era um homem como o senhor compromissado com Deus da Palavra e a Palavra de Deus...

estava análisando esse texto e meditando, se ele estivesse aqui entre nós, como seria o texto dele? Parece ao meu ver que seria o mesmo texto, pois a dificuldade que ele viu e se passado 14anos, são ás mesmas que estamos vendo...

A paz do Senhor!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Josiel,

Concordo com o irmão. Devemos ser radicais, mas nunca extremistas.

Que Deus nos ajude, para tenhamos firmeza na fé e não aceitemos a doutrina de Nabucodonosor.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Ivan Tadeu,

Seu blog está muito bom, embora eu seja suspeito para lhe dizer isso, não é mesmo? Risos...

Deus já tem levantado pregadores compromissados com a sua Palavra e há de levantar ainda outros. Façamos, pois, a nossa parte!

Com relação à quantidade de "louvores" num culto, eu tenho sofrido em alguns lugares. Pasme, mas já estive em congressos cujo culto começou às 7h, e eu comecei a pregar às 22:30! Preguei porque o povo estava esperando, apesar de muito cansado...

O irmão tem a minha permissão para inserir a postagem em seu blog, mencionando-se os créditos.

Em Cristo,

CSZ

josiel disse...

Pastor Ciro,

Obrigado pelo lembrete!

Realmente devemos evitar os extremos pois os mesmos podem nos causar momentos de profunda tristeza e até depressão. O que me conforta é que o Justo Juiz tem um dia determinado para julgar com justiça todas as coisas e isto nos deu certeza ressucitando o Senhor Jesus dentre os mortos.(At 17;31).

Fraternalmente.

Josiel.

José Rinaldo de Santana disse...

Sou admirador do louvor, e não pode de maneira nenhuima faltar o louvor na igreja, pois bem sabemos que o louvor é essencial. Temos um exemplo em At.16. 25,26 perto da meia noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus e os outros presos os escutavam. E de repente sobreveio um grande terremot, que os alicerceres do carcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. Vmos um detalhe nesta passagem bíblica que eles oravam e cantavam, leva-nos a entender que sem oração o cantico não tem unção e pode não surtir efeito nenhum, porém a palavra não pode e nem deve ser substituida por nada em um culto.Hb 4.12- porque a palavra é viva, e eficaz...

July disse...

Paz do Senhor, Pastor!!!

Amei a posição do Pr. Valdir Bícego, fico muito feliz ao encontrar pessoas que estão enquadradas nos sete mil que não se curvaram a Baal...
Algo tb que me incomoda muito nos louvores atuais é o imediatismo, parece que o "fogo" só cai nos louvores que falam pra vc receber sua vitória, que o inimigo está derrotado, que Deus "desceu" pra te abençoar e por aí vai... E quando incitam estrelismo? Aqueles que falam: "Vão todos te aplaudir de pé; Você vai estar no palco..." Todo mundo sai no reteté rsrs
Por esses dias fui a uma igreja assim, começaram com revelação, aviãozinho, etc. e claro, louvorzão!
O dirigente do culto (amigo nosso) me convidou para uma oportunidade que no caso seria louvor porém, não aceitei. Seria como jogar "água fria", pois tb sou adepta a um louvor puro, digno de ser ofertado ao Senhor.
Hehehe, foi só um relato.
Outra coisa, pastor: Não sei se o sr. já está sabendo, mas ouvi na rádio ontem que as cirurgias para mudança de sexo agora serão gratuitas. Mas, assim caminha a humanidade...

Ivan Tadeu Panicio Junior disse...

Obrigado pela permissão.
Forte abraço e bom final de semana.
Paz do Senhor

Ivan

Silvio Araujo disse...

Excelente post. Deus continue iluminando nossos pastores e levantando homens comprometidos com a Palavra;
Embora entendendo que a música pode e deve ser utilizada para proclamar a Palavra e por assim, edificar, consolar e exortar, o que vemos em nossos dias é um verdadeiro culto à música, como bem disse o nosso saudoso Pr Bícego, sem falar que o que se canta hoje em dia é tão vazio da Palavra, quando não, contrária à sã doutrina.
Adicionei seu link e espero autorização para reprozir seu post.

Leila disse...

Talvez eu esteja atrasada pra comentar sobre este assunto, mas na verdade, as coisas andam meio confusas em nosso meio... não apenas na área do louvor, mas na da palavra também. Há pastores que criticam publicamente certos cantores... as vezes vai um lá na frente e faz a igreja estremecer!!! ou a terra sobe ou o céu desce... não sei... forró, voz estridente é sucesso em nossas igrejas!!! depois outro vai com uma música diferente, mais pra HONRA E LOUVOR A DEUS, voz suave, então esse não tem UNÇÃO, não agrada, está desviado!!! Falo assim porque tem acontecido comigo... e na verdade tenho me entristecido demais... até porque sou convicta de que procuro ser fiel ao SENHOR, viver a sua palavra e findo sem entender porque certos pastores parecem ser os donos das igrejas, seus redutos... cá pra nós... onde congrego a palavra sempre fica pro final e se der... pois há grupos, conjuntos, solistas sem fim, e se não der oportunidade a coisa fica feia... acho que uma igreja que tem muita gente pra cantar, etc., deveria fazer uma escala, pois isso seria dar um passo para a ORDEM e a DECÊNCIA nos cultos!!!
infelizmente, por onde ando, a coisa tá feia!!! tenho fome da palavra... CENTENÁRIO DA ASSEMBLÉIA DE DEUS!!! quase não me alegro por isso... é muita coisa a desejar... há muita coisa errada com relação a cantores, mas também, há muita coisa que me intriga com relação a cúpula... muito difícil mesmo...