terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Respostas aos alunos da 46a. EBO em Curitiba-PR


Amados internautas, nos dias 3 a 10 de fevereiro deste ano estive ministrando em Curitiba-PR sobre os dons espirituais, na 46a. Escola Bíblica de Obreiros da Assembléia de Deus, igreja presidida pelo pastor José Pimentel de Carvalho, a qual tem como vice-presidente o pastor Wagner Tadeu dos Santos Gaby.
Durante as minhas aulas recebi várias perguntas, e algumas eu não pude responder. Prometi aos alunos que daria algumas respostas por meio deste blog. Pensei em gravar um pequeno vídeo, mas nem todos têm acesso ao YouTube ou outras ferramentas de áudio/vídeo.

Vamos às perguntas selecionadas:

1. Pastor, o ministério profético não terminou em João Batista? Como o senhor explica isso? O senhor disse que o ministério profético é dado a quem o Espírito quer dar, mas o próprio Senhor Jesus disse que os profetas profetizaram até João (Mt 11.13).
Resposta: Em Mateus 11.13 o Senhor Jesus referiu-se ao ministério profético do Antigo Testamento, que durou mesmo até João Batista. Apesar de este aparecer nos tempos do Novo Testamento, ele teve um ministério como o de Elias, dos tempos do Antigo Testamento. Jesus quis dizer que a antiga aliança mosaica, pela qual veio a lei, cessou nos dias do profeta João Batista. Afinal, como lemos em João 1.17: “... a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo”.
O ministério profético dos tempos veterotestamentários é bem diferente do dos dias de hoje. Aquele fazia do profeta uma espécie de mediador, que devia inclusive ser consultado. Mas, em nossos dias, há dois tipos de profeta: o que tem o dom ministerial de profeta (Ef 4.11), que é um pregador da Palavra de Deus, e o crente em Jesus que é usado esporadicamente com o dom de profecia durante o culto (1 Co 14.29,32). O primeiro depende de chamada divina, que é soberana (Mc 3.13); e o segundo é para todos os que com zelo buscam os dons do Espírito Santo (1 Co 14.1).

2. Por que em Atos dos Apóstolos só se batiza em nome de Jesus?
Resposta:
O batismo em nome de Jesus não significa que os apóstolos abandonaram a fórmula contida em Mateus 28.19. A ênfase ali recaía sobre a autoridade que há nome de Jesus. Nesse caso, cantavam em nome de Jesus; pregavam em nome de Jesus; expulsavam demônios em nome de Jesus; batizavam em nome de Jesus... Contudo, a fórmula trinitária deixada pelo próprio Senhor Jesus permanece válida.
Que Deus nos guarde de embarcarmos na "canoa furada" do unicismo, que nega a cristalina, pura, claríssima doutrina da Trindade. Quem nega esta doutrina, nega outras igualmente fundamentais a ela associadas. Aliás, os unicistas de plantão gostam de mandar relações enormes de versículos isolados, na tentativa de provar que Deus-Pai, Deus-Filho e Deus-Espírito são uma mesma Pessoa, e não três Pessoas que formam um único Deus. Há até certos “pastores” que dizem ter “a voz da verdade” verberando na TV contra a doutrina da Trindade. Eles ironizam, zombam... Mas o Justo Juiz os espera naquele grande Dia (Mt 7.21-23), caso não se arrependam.
Repito: a Trindade é uma doutrina bíblica claríssima (Lc 1.35; 10.21; Mt 28.19; 3.13-17; João 3.34,35; 14.16; 15.26; 16.8-11; At 2.32,33; 7.55; Rm 5.1-5; 2 Co 13.13; 1 Co 12.4-6; Ef 2.18; Ap 2.4-6; 3.5,6, etc.). De todas essas enfáticas passagens, destaco dois fatos: Estêvão, cheio do Deus-Espírito, viu o Deus-Filho à direita do Deus-Pai (At 7.55). Em João 14.16, o Deus-Filho disse que o Deus-Pai enviaria "outro" (gr. allon) Consolador, isto é, o Deus-Espírito.

3. Por que a CPAD (Casa Publicadora das Assembléias de Deus) vende CDs de grupos unicistas?
Resposta: A CPAD como editora sempre teve um compromisso com a sã doutrina. Mas é preciso ter-se em mente que a CPAD também possui uma rede de lojas, as quais comercializam produtos considerados evangélicos. Se as lojas evangélicas fossem vender só o que é biblicamente ortodoxo, não sobraria quase nada para vender! Pense na diversidade da igreja evangélica, ou considerada evangélica. Lamentavelmente, vivemos numa época de muitos modismos e heresias (2 Tm 4.1-5; 2 Pe 2.1,2).
Quem trabalha na área comercial, geralmente atende aos clientes segundo às suas necessidades e solicitações. Daí a diversidade de produtos, para todos os gostos. No entanto, se a igreja evangélica brasileira fosse ensinada segundo a Bíblia, os crentes não mais buscariam CDs e livros de grupos e autores sem compromisso com as Escrituras. E os tais, por conseqüência, desapareceriam das prateleiras...

4. É bíblico pessoas serem arrebatadas em cultos, até mesmo nos púlpitos, precisando ser levadas para casa carregadas?
Resposta: O “arrebatamento” coletivo e os “arrebatamentos” individuais que vêm ocorrendo em nossos dias — mediante os quais certos “ungidos” visitam a Sala das Escrituras, a Sala dos Tempos, a Biblioteca Celestial, e falam com Paulo, Maria, etc. — não têm nenhuma base nas Escrituras. Os casos excepcionais de Paulo (2 Co 12) e João (Ap 1) não oferecem embasamento para as práticas aberrantes que ocorrem em nossos dias. O modelo do culto genuinamente pentecostal está em 1 Coríntios 12 a 14. A Bíblia, por conseguinte, não apóia os tais “arrebatamentos” e outras práticas exóticas hodiernas, como "transferência de unção", "avivamento extravagante", etc.

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

9 comentários:

Anônimo disse...

Paz do Senhor!

Com relação ao comércio de artigos pseudo-evangélicos, eu sugiro que seja expostos junto com o material acerca de seitas e heresias...

Já dei esta idéia em algumas lojas, mas não foi aceita...

Em tempos que a sã doutrina é deixada de lado e em algumas igrejas (e falo da minha denominação) que deixaram de lado os "cultos de doutrina", que aliás, mudaram para "cultos de ensinamento", é triste verificar que as lojas que levam o nome "CPAD" venderem artigos de grupos heréticos, livros de B.H. J.M., dentre outros... Particularmente, acho que a CPAD deveria retirar seu Logo destas lojas... ou fazer como disse, remanejar o acervo e pô-lo junto com material apologético, para fins de consulta.

É o parecer.

Schneider - AD Parque Industrial - Curitiba - Sidade SorriZo!

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Pastor Ciro, parabéns pelas respostas, e destaco principalmente a última sobre arrebatamento.
Em relação algumas lojas da CPAD venderem produtos de grupos e pastores heréticos, isso é lamentável.
Conheço uma loja aqui em São Paulo, onde o dono não vende de forma alguma, livros de Hinn, Hagin, Cerullo, Linhares, Brow etc. Mas a loja dele sempre está cheia e com bons livros. Esse modelo deve ser seguido!

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Gutierres,

Agradeço-lhe pelo comentário, mas, mesmo nas lojas em que os donos procuram não vender produtos que deponham contra a Palavra, se passarmos um "pente fino", encontraremos alguma coisa herética. Isso porque, infelizmente, nas lojas vemos o reflexo do que tem sido pregado e cantado em nossas igrejas, com a conivência de pastores que priorizam as preferências do povo, e não a vontade do Pai celestial.

Em Cristo,

CSZ

Anônimo disse...

Paz do Senhor

Pastor Ciro, eu tenho os primeiros cd daquele grupo que não crê na trindade, será que eu devo quebrar também?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Anônimo,

Sei que você estava na minha aula... Ou alguém lhe contou?

Bem, você pode quebrar, queimar, jogar fora... Faça aquilo que o Senhor lhe dirigir. Você só não deve dar de presente a alguém.

Mas, aproveitando a sua pergunta, alguém poderá dizer: "O grupo é unicista, mas a letra das canções, não. Devo quebrar mesmo assim?"

Deve! Por quê? Leia Atos 16. A mensagem pode estar certa, mas, se a fonte não é boa, devemos fazer como fez Paulo. Não vou dizer o que aconteceu porque quero que você leia a Bíblia.

Um abraço!

CSZ

Anônimo disse...

Graça e Paz Ciro!

Parabéns pelo programa, e estou ancioso em chegar em casa e assistir o novo vídeo.

Sobre a venda de produtos "piratas"(Heréticos)nas livrarias "evangélicas", é lamentável.

Isso é algo perigoso!

Penso da seguinte forma, o que não é bom pra mim, o que não edifica, não será bom para meu irmão.
Desta forma, estarei propagando o erro e contribuíndo para que haja confusão no meio dos irmãos.

Este é o meu pensamento. Sei que é muito difícil algo acontecer neste sentido, pois tem a questão financeira. Se tirar os tais produtos, muitos estabelecimentos fecham.

Neste sentido, se formos analisar friamente, é a mesma coisa que um irmão abrir uma lanchonete e colocar à venda cigarros, bebidas fortes pra atrair e conseguir vendagem que sustente o seu negócio.

É complicado maninho.

Presenciei algo mais triste ainda. Bem mais explícita e polêmica em um Congresso realizado em SC. A apresentação de um conjunto musical, unicista declarado, que se diz ter a "verdade" na voz sobre JESUS, dividindo o palco, na noite de sábado, com um famoso pregador que vive dizendo estar "grávido" de um avivamento.

Para mim é a mesma coisa do que vender os cd's do tal conjunto.
Para os neófitos isso pode causar dúvida e posteriormente desvio do Propósito do SENHOR.

Enfim,nós que, pela MISERICÓRDIA DO SENHOR, recebemos mais da sua LUZ para vermos e repuldiarmos as heresias que nos rodeiam e sempre que possível, ajudarmos nossos irmãos a caminharem na LUZ.

Graça e Paz Irmão amado

Luis Carlos
Joinville/SC

Anônimo disse...

Pastor Ciro
Depois de ter lido Atos 16, quebrei aqueles cd.........

Joel disse...

sou aluno da escoloa de obreiros de Curitiba,infelizmente esse ano não pode estar presente,mas fiquei feliz com as vossas respostas ,o assunto é muito abrangente,mas a pena ficar com, a biblia,atualmente estudar sobre dons espirituais é uma necessidade ds igreja principalmente nós os pentecostais,parabéns pela sua postura teólogica .

pr Jonatas de Oliveira disse...

Pastor, apesar de ser trágica a verdade da sua declaração, de que se a CPAD só vendesse material doutrinariamente saudável sobraria quase nada a ser vendido, não deixa de ser muitíssimo engraçada (e verdadeira.