segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

O internauta opina (9)

Caro pastor Ciro:
Há muito sabia dos comentários anônimos que o irmão recebia, com ofensas pessoais e o uso de palavras de baixo calão, pois comentamos pessoalmente a respeito.
O mesmo vem acontecendo em meu blog, sobretudo após a minha última postagem de esclarecimento, que o irmão já deve ter lido. São pessoas que se escondem no anonimato, por não terem a coragem do enfrentamento no campo das idéias. Alguns são sutis, astuciosos, enquanto outros...
Todavia, um pequeno deslize no uso das teclas... e tudo fica desmascarado.
Como sempre digo, o tempo é senhor da razão e ele se encarrega de trazer à tona a verdade. Espero que os demais usuários do mesmo esquema possam aprender a lição, pedir perdão a Deus e se corrigirem do seu mau procedimento.
E que possamos, de nossa parte, sempre nos submetermos à dependência divina, para sermos fiéis à Palavra de Deus e aos seus princípios imutáveis, em qualquer circunstância, sem tegiversarmos diante do erro que tão de perto nos rodeia.

Abraços.

Pr. Geremias do Couto
http://geremiasdocouto.blogspot.com

3 comentários:

Edson Dorna disse...

Que Deus venha dar graças aos senhores ministradores do evanvelho!

Daniel disse...

Um conselhos para os ofensores anonimos:
Tiago 3:11,12 - Por acaso pode a mesma fonte jorrar água doce e água amarga? Minhas irmãs e meus irmãos, por acaso pode uma figueira dar azeitonas ou um pé de uva dar figos? Assim, também, uma fonte de água salgada não pode dar água doce.
-----
Isso está virando um modismo terrível. Cristãos que não concordam com os outros, extrapolam ofensivamente para criticar ou defender aquilo que acreditam. Ultrapassam a linha do comportamento cristão que rege por domínio próprio; pois quando ofendidos, se ressentem contra o ofensor, impondo uma vingança nos moldes da maldade e perversão que apenas comprova que o sujeito nunca teve um experiência de fato com Jesus.
------
Outra percepção que tenho é que boa parte desta turma se preocupa apenas com o comportamento quando o mesmo pode ou não expor sua identidade, ou seja, se não posso ser identificado então posso fazer. Corrupção mundana que se fortaleceu com advento da internet e que criou na cabeça das pessoas essa idéia de terra sem lei.

Tbem acredito que este mal já se alastrou no meio cristão. Na verdade creio que acostumaram tanto com este tipo de escanda-lo que banalizou. Ja não sentem dor pelo pecado. Agem como se o externo estando limpo o coração esta garantido em Cristo.

Vejo que é tanta confusão que parece uma epidemia de falta de testemunho. Alguns momentos vejo uma igreja que nunca conheceu o sacrifício e causa de Jesus. "Evangélicos" sem direção e sem referencia. Medrosos e Omissos. Peregrinos num caminho que ja não rende frutos de amor, antes é largo e sem conteúdo que comprove fé. Apesar da pouca idade, aprendi que ser 'evangélico' é ser servo. E isso causa dor e leva tempo; não combina com este mundo.

------
Por isso, nem mais e menos, necessitamos de mais da reflexão bíblica sobre o que é ser Cristão. Necessitamos de experiências de crescimento em Jesus que vão alem da nomenclatura, simpatia e chavões; Necessitamos mostrar que a igreja não é um local onde reunimos para falar de normas de conduta apresentadas de forma divertida a partir de concepções humanas prosaicas.

Precisamos seguir o conselho do Pr Geremias, para submetermos à dependência divina, e assim sermos fiéis à Palavra de Deus e aos seus princípios imutáveis.

Na verdade tudo se resume a isso, precisamos de Jesus.

Anônimo disse...

Prezado pr. Ciro,
Irmãos,
A Paz do Senhor Jesus.

1. É público e notório que todas as vezes que autores anônimos de calúnias, injúrias ou difamações (contra cristãos, particularmente) são flagrados e têm a “resposta” que merecem, uma ou outra voz se levanta em defesa do dito-cujo. Ainda que “a resposta” não seja (nem de longe!) a que prevê o Código Penal Brasileiro, no capítulo de "Crimes contra a Honra”.

2. E, como se não bastasse, para “intimidar” a consciência de quem (ainda) se indigna com essas coisas, citam fora do contexto (é claro!...), algo semelhante a isto: “quem não tem pecado atire a primeira pedra”.

3. No caso, em questão, foi cometido (salvo melhor juízo) o crime de “difamação” : Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação: Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.

4. Detalhe: a penalidade do ofensor seria, ainda, acrescida de 1/3 da penalidade acima, se fosse condenado: “Art. 141 - As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido: [...] III - na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.”

5. Parece duro não é? Mas, o que resta à vítima, caso o ofensor não se retrate e continue reincidindo no crime (Mateus 5.25)? Quantas vidas têm sido destruídas por essas práticas abjetas? Os que desejam excluir a criminalidade deste fato, citando o Novo Testamento, estão enganados.

6. “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do fogo do inferno.” (Mateus 5.21,22).

7. “Jesus não se refere à ira justa contra os ímpios e iníquos (cf. Jo 2.13-17); Ele condena o ódio vingativo, que deseja, de modo injusto, a morte [moral, inclusive!] doutra pessoa. Raca é um termo de desprezo que provavelmente significa tolo , estúpido . Chamar alguém de louco , com ira e desprezo, pode indicar um tipo de atitude de coração, conducente ao perigo do fogo do inferno.” Comentário da pág. 1394, da BEP, edição 1995, publicada pela CPAD.

8. “Jesus não advoga que a ira seja punida com a morte, mas ilustra, com essas palavras, quão sério é para Ele esse pecado [...] Mostrou que a intenção que provoca o ato físico é passível da mesma condenação que o próprio ato.” (R.N.Champlin).

9. Se nada disso falar ao coração, então, é bom lembrar que as instituições policiais dispõem de recursos para identificar os autores de crimes pela “internet”. A vida cristã autêntica já é tão difícil, por que arranjar mais problemas (1Pe 4.15,16) e facilitar o trabalho do Inimigo (Ap 12.10)?
Abraço fraterno,
A Paz do Senhor Jesus.
Medite: Pv 18.10.
Paulo Ceroll.