quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Calvinismo, arminianismo ou a Bíblia? (2)



O que a Bíblia diz sobre a eleição para a salvação? Segundo a Palavra de Deus, tal escolha foi, primeiramente, coletiva. Deus elegeu em Cristo o seu povo (Ef 1.4,5; 1 Pe 2.9). Daí Jesus ter dito: “... edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18). Isso significa que o Corpo de Cristo foi escolhido antes da fundação do mundo.
Não houve uma eleição de uns indivíduos para a salvação e de outros para a perdição. E não venham me chamar de arminiano! Esta série de artigos é uma exposição do que está escrito nas páginas sagradas! Antes de me tacharem disso e daquilo, confiram o que a Bíblia diz à luz do contexto.
Então não existe eleição individual? Na verdade, o plano de salvação abrange todos os indivíduos que vão sendo incluídos na Igreja por meio da fé na obra de Cristo, como lemos em Atos 2.47: “... acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos” (ARA). A Igreja (como Corpo de Cristo) já foi eleita, porém ainda há lugar para mais pessoas, indivíduos, nesse Corpo: “... quem quiser tome de graça da água da vida” (Ap 22.17).
Jesus enfatizou que a eleição individual ocorre, mas para quem aceita o seu chamamento geral para a salvação (Mt 11.28-30). Ao afirmar que “... muitos são chamados, mas poucos, escolhidos”, Ele revelou que, das multidões que ouvem o evangelho, apenas uma parte o segue (Mt 22.14).
De acordo com Efésios 1.5, o Senhor “... nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade”. No entanto, quando os indivíduos se tornam efetivamente filhos de Deus e parte integrante do povo eleito? A resposta está em João 1.12: “... a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome”.
A Palavra de Deus menciona também uma eleição individual para o ministério. Ela nada tem que ver com a eleição geral para a salvação. Paulo afirmou que Deus o separou desde o ventre de sua mãe e o chamou pela sua graça (Gl 1.15). O mesmo aconteceu com Davi (Sl 22.10), Jeremias (1.5), Isaías (49.1) e João Batista (Lc 1.15). Contudo, essa escolha soberana do Senhor para o santo ministério não interfere em seu desejo de salvar a todos os seres humanos (1 Tm 2.4).
Essa eleição individual também não exclui o livre-arbítrio, uma vez que os homens de Deus mencionados podiam desobedecer à chamada divina. Paulo deixou claro isso ao contar o testemunho de sua conversão ao rei Agripa: “E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava e, em língua hebraica, dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? (...) Pelo que, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial” (At 26.14-19). E se o apóstolo tivesse desobedecido à visão?
Em Romanos 8.29,30, está escrito que Deus predestinou para a salvação aqueles que conheceu por antecipação. Mas, que o Senhor não conheceu antes da fundação do mundo? Todos nós fomos conhecidos quando ainda éramos pecadores (Rm 5.8). E, como veremos, à luz das Escrituras, Ele predestinou, em Cristo, toda a humanidade para a salvação (Rm 11.32; 6.23; 2 Pe 3.9). O Senhor não se vale de sua presciência para salvar ou condenar alguém. Ele sabia que Judas era “um diabo”; mesmo assim, chamou-o para fazer parte dos doze apóstolos (Jo 6.70).
Deus sempre soube o fim antes do começo (Is 46.10). Contudo, isso não significa que Ele tenha destinado de antemão uns à salvação e outros à perdição. A predestinação está relacionada com o plano redentor idealizado por Deus, o qual se estende a todos os seres humanos que crerem no Senhor Jesus (Jo 3.16).
Por sua presciência, Deus conhece os que o rejeitarão. Mesmo assim, não interfere, uma vez que dotou o ser humano de livre-arbítrio; Ele não viola esse princípio. Embora essa faculdade esteja grandemente prejudicada pelos efeitos deletérios do pecado, o homem tem, sim, como veremos, a capacidade de escolher entre o bem e o mal. Ele não é um ser autômato, um robô, um fantoche, mas um ser responsável por seus atos.

(continua...)

Ciro Sanches Zibordi

16 comentários:

Emmerson EL-SHADDAI disse...

Paz do SENHOR Pastor!!! muito obrigado pela explicação.
Eu agora queria saber...sobre DEUS ter amado Jacó e aborrecido a Esaú? me explique essa passagem? e sobre Faraó? Foi DEUS que endureceu ou DEUS deixou que ele mesmo o endurecesse? eu li, mais quero uma explicação do Senhor, mais ampla, como de costume... sempre a luz da Bíblia. Muito obrigado Pastor, fique na paz do SENHOR JESUS

José Soares disse...

Pastor Ciro, graça e paz.
De acordo com Jo 1.12 o homem tem essa capacidade de volição e pode se decidir por Cristo. Digo "pode" se a passagem terminasse aí, todavia continua dizendo: " Os quais não nasceram DO SANGUE, nem da VONTADE DA CARNE, nem da VONTADE DO HOMEM, mas DE DEUS"(Jo 1.13).No mesmo evangelho de João, o próprio Senhor Jesus, que começou o seu ministério chamando o homem ao arrependimento (Mc 1.15) disse: "Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscite no último dia. Ninguém pode vir a a mim, SE o Pai que me enviou O NÃO TROUXER; e eu o ressuscitarei no último dia"(Jo 6.37,39,40,44).
No mesmo capítulo depois de discursar e ver a deserção de muitos discípulos Ele atestou: " Por isso eu vos disse que NINGUÉM PODE VIR a mim, SE POR MEU PAI NÃO LHE FOR CONCEDIDO"(Jo 6.65).E ao dizer o quão é dificil um rico entrar no reino de Deus e ouvir dos discípulos a pergunta "Quem poderá pois salvar-se?" (Mt 19.23-25) ele respondeu: "Aos homens é isso IMPOSSÍVEL, MAS A DEUS TUDO É POSSÍVEL" (Mt 19.26). Dessa forma Deus não fica devendo nada ao homem ao decidir salvá-lo, pois: "... isso não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece"(Rm 9.16). E mais: "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, MAS SEGUNDO A SUA MISERICÓRDIA, NOS SALVOU pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírto Santo" (Tt 3.5).
Que a graça esteja com você.
José Soares.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro José Soares,

A paz do Senhor.

Não vou analisar agora a sua resposta à luz do contexto geral da Bíblia, pois uma referência só tem autoridade se amparada pelo contexto (caso contrário, teremos de arrancar páginas e páginas do Livro Sagrado), pois muito do que o irmão disse será respondido na seqüência deste estudo.

Mas não podemos usar a própria Bíblia para contestar a própria Bíblia. O irmão cita referências, mas ignora outras, como que querendo sugerir que não existe livre-arbítrio. Isso é perigoso. É preciso deixar a Palavra de Deus dizer, e não aproximar-se dela com preconceitos oriundos na mente de homens, apesar de terem sido grandes teólogos.

Fique atento a todo o livro, e não apenas a versículos que corroborem o predestinalismo. Esta corrente, de fato, possui aparente respaldo bíblico se fizermos como o irmão fez: citar versículos isolados. Contudo, o meu objetivo com essa série de artigos é demonstrar que a Bíblia é verdadeira quanto a eleição, a predestinação, a presciência, o livre-arbítrio, etc. Não podemos desprezar verdades bíblicas para fazer valer pensamentos de homens...

Deus o abençoe pela participação.

CSZ

byDudu disse...

Pastor,

É verdade que Deus já tem contado os salvos? Alguém me disse que existe uma conta exata...

Eduardo Oliveira

Charles Uchoa disse...

Pastor ciro , não entendi a parte que o irmão fala sobre judas , pois vc diz que Jesus sabia que ele era o diabo , talves tivesse algumas tendencia pois foi mais fraco aos ensinos de Jesus tanto que foi se enforcar , mas ele também não poderia ter se arrependido? e Pedro por negar Jesus ter se matado ?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Charles,

Vou falar um pouco mais sobre Judas mais adiante. Contudo, o que eu quis mostrar é que Jesus não se valeu de sua presciência ao escolher Judas, pois, se assim o fizesse, sequer o teria escolhido. Por que escolheria alguém que o trairia?

De fato, a responsabilidade recai sobre Judas, que se desviou (At 1.25). Ele não era uma figurinha carimbada, como muitos pensam. Agora, mesmo depois de seus pecados, ele poderia ter se arrependido de modo completo (intelecto, sentimento e vontade), como fez Pedro, que cometera igual ou pior pecado.

Aguarde novas explicações na seqüência do estudo...

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Emmerson,

É preciso aceitar o livro todo, e não ficar teorizando em cima de passagens isoladas. Deus endurece pessoas e se volta contra elas. Estude Romanos 1 e Isaías 63. Mas observe que isso acontece depois de a pessoa rejeitar a Deus. O irmão não conhece a história de Esaú? Ele não foi destinado a ter aquela vida. Tanto que Deus lhe deu oportunidades.

Ademais, deve-se levar em conta o hebraísmo contido na frase "Amei a Jacó, e aborreci a Esaú". Não se trata aqui de aborrecimento no sentido de odiar, e sim amar em menos em função da própria atitude de Esaú para com as coisas de Deus. Em Hebreus vemos que este homem era PROFANO. Note que a responsabilidade recai sobre ele, não estando relacionada a uma predestinação fatalista.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Eduardo,

Deus, por sua presciência, já conhece todas as coisas. Ele sabe sim qual será o número exato de salvos.

Em Cristo,

CSZ

José Soares disse...

Pastor Ciro, graça e paz.
Não sou teólogo e não gosto de controvérsias, pois não edificam. Gostaria, no entanto que me respondesse, e isso me basta. Com relação ao livre-arbítrio, onde se encaixam as palavras de Jesus no evagelho de João citadas por mim na minha última postagem, pois não li nenhum artigo que defendesse o livre-arbítrio que considerasse as passagens citadas.
Que a graça esteja com você.
José Soares.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro José Soares,

Apesar de eu estar citando versículos, não o faço sem ter em mente o contexto e a analogia gerais da Bíblia. Citar textos que nos levem a um entendimento irreal, como fazem os predestinalistas, não é um bom caminho. Por isso, creio que as respostas às suas sinceras indagações serão dadas na medida em que este estudo for sendo apresentado.

Quando eu menciono textos sobre o livre-arbítrio, faço isso sem desprezar a soberania de Deus. Isso o irmão perceberá na medida em que ler cada parte deste estudo.

A Bíblia fala de predestinação, mas a condicional, que respeita as decisões humanas, e não a fatalista, baseada em uma suposta eleição arbitrária. É preciso considerarmos o todo para entender cada parte. Caso contrário, continuará a "disputa humana" sobre calvinismo e arminianismo.

Em Cristo,

CSZ

Victor Leonardo Barbosa disse...

Paz pastor Ciro,
Bom, creio piamente que Jesus sabia que Judas o trairia, porém mesmo assim o escolheu,todavia, foi Judas que escolheu trair o Senhor. O plano do Senhor Jesus era que Judas fosse salvo, todavia, Judas desviou-se de Cristo, então cumpriu-se a outra parte do plano de deus, condenar(ou no caso de Judas, permitir) para a morte eterna.
Até pastor e Paz do Senhor!!!

Ariel disse...

É verdade que muitos calvinistas são "desleizados" com a obra de Deus, pois acreditam que uma vez salvo salvo para sempre.

Mas como saber se eu estou salvo ou não???

O unico jeito e perseverando (??) até o dia em que a morte ou arrebatamento chegar.

Mas o perseverar não seria uma decisão humana??
Ai vale aquele texto que eu postei no outro comentario. Quando Davi enumerou o povo, ele foi incitado pelo diabo a fazer algo que era contra a vontade de Deus. Ou seja se conseguirmos perseverar até o fim é por que Deus nos escolheu para a salvação!

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Ariel,

Sua pergunta me assusta. Não sabe o irmão que o mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus? O irmão nunca leu Romanos 8?

Agora, a necessidade de perseverança até ao fim é inquestionavelmente bíblica. E é óbvio que a perseverança depende de decisão humana. Quer dizer que Deus, além de me dar a salvação, vai fazer a minha parte?

Infelizmente, vejo que as muitas letras (não as sagradas letras, é claro) fazem as pessoas delirarem, deixando de observar o que está claramente revelado. Creio que não seja esse o seu caso, mas fiquei assustado com a sua pergunta.

Em Cristo,

CSZ

Ariel disse...

Nao que eu tenha duvida acerca da minha salvação. Mas e so um questionamento que muitas vezes pode um calvinista faze-lo ao deparar com os 5 pontos do calvinismo.

Quantas vezes lemos no antigo testamento que muitas ações foram impelidas por Deus, como Sansao por exemplo, que impelido pelo ES, foi se enamorar por uma filha do povo filisteu. Mas vejo muitos pregadores se contradizendo acerca disso.
Vc respondeu que "alem de Deus me dar a salvaçao vai fazer a minha parte"....

Nao é exatamente isso. Eu quiz dizer que os nossos atos sao impelidos pelo ES para cumprir o querer de Deus.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Joelson Gomes,

Como disse Jó aos seus "amigos", "Convosco [ó, calvinistas] morrerá a sabedoria". Portanto, é desnecessário debatermos, visto que os calvinistas já estão convencidos de que estão certos.

Peço-lhe, pois, que encontre alguém que tenha tempo e paciência para ouvir sempre o mesmo blablablá "irrefutável" dos predestinalistas de plantão.

CSZ

Cássio disse...

Prezado Pr Ciro, tenho acompanhado seu blog e fico feliz em ver pessoas comprometidas com a verdade bíblica como o senhor.

Neste série de artigos sobre calvinismo e arminianismo surgem algumas dúvidas.
E a minha é a seguinte: Como o homem pode decidir por Cristo se sua natureza está caída, morta e totalmente depravada, por conta da queda?
“Mas não quereis vir a mim para terdes vida” João 5:40
Se Cristo morreu por todos, não haveria sentido alguns irem para o inferno, isso não invalidaria Seu sacrifício? Isso não seria o mesmo que pensar que Deus pode punir a Cristo, e depois punir a eles ?

Obrigado pela atenção,
A paz de Cristo
Cássio