terça-feira, 17 de junho de 2008

Como interpretar a Bíblia corretamente? (5)

Em Atos 17.10,11 (e seu contexto) vemos que os crentes de Beréia ouviam homens como Paulo e Apolo e mesmo assim examinavam as Escrituras para verificar até que ponto aqueles pregadores estavam certos. E olha que um era poderoso nas Escrituras (At 18.24) e o outro ensinava o que recebia do Senhor (1 Co 11.23)!
Os bereanos foram considerados mais nobres do que os crentes de Tessalônica, que também (obviamente) eram nobres (cf. 1 Ts 2.13), porque, além de receberem a pregação de bom grado, a submetiam ao teste da Palavra de Deus. Por isso, o objetivo desta série de artigos é incentivar o leitor a examinar as Escrituras e interpretá-las corretamente.
Neste artigo abordarei a importância de não alegorizarmos os textos literais, ainda que nos pareçam estranhas as suas significações. Se, por um lado, os textos alegóricos precisam ser identificados e interpretados à luz do contexto, as passagens literais também requerem cuidados especiais. Caso contrário, grandes verdades poderão ser transformadas em narrativas alegóricas.
A teologia liberal (segmento que se ocupa do estudo meramente racional da Bíblia) alega que episódios como a história de Jonas devem ser entendidos como alegorias, e não como acontecimentos históricos. Mas, como explicar o fato de pessoas imaginárias (salvas da destruição de Nínive por meio de uma mensagem fictícia) se arrependerem de forma imaginária para condenar pessoas reais? Leia agora Mateus 12.41.
É claro que o exemplo acima é extremado, constituindo-se apenas em um alerta para os servos de Deus que primam pela verdade bíblica. Mas erros semelhantes, com implicações menores, estão ocorrendo em nosso meio. Muitos ensinadores têm alegorizado passagens literais com o objetivo de suavizá-las.
1) O holocausto da filha de Jeftá. Alguns teólogos dizem que a palavra “holocausto” (hb. olah, “oferta inteiramente queimada”), empregada em Juízes 11.31, é figurada, expressando apenas uma entrega dedicatória a Deus. Todavia, não há no contexto imediato margem alguma para tal afirmação. Jeftá votou um voto e o cumpriu cabalmente (Jz 11.39,40). Qualquer interpretação diferente é mera especulação, sem nenhum fundamento exegético.
2) O casamento de Oséias. Muitos autores de comentários bíblicos afirmam que Oséias não casou com Gômer, uma prostituta (Os 1.1-3). Para negar o fato bíblico, dizem que foi um casamento simbólico, sem, contudo, indicar os versículos do livro que apóiam tal pensamento. Até mesmo os editores da Bíblia na versão Almeida Revista e Corrigida (ARC) inseriram precipitadamente a epígrafe: “Casamento simbólico de Oséias”. Mas o contexto não deixa dúvidas da veridicidade da narrativa. O livro menciona os nomes da mulher, de seu pai e dos filhos de Oséias (Os 1.3-9). Além disso, narra detalhes dos nascimentos dos filhos do profeta (Os 1.8), tal como ocorre em passagens literais (cf. Gn 21.8; 1 Sm 1.24). Esses elementos mostram que a narrativa é incontestavelmente literal.
Por que fazer polêmica diante de passagens tão claras à luz de seus contextos? Em seu livro Princípios de Interpretação da Bíblia, editado pela Mundo Cristão, Walter A. Henrichsen orienta: “Quando você encontrar uma passagem para a qual o contexto indica uma interpretação literal, e você preferir dar-lhe uma interpretação não literal, avalie cuidadosamente os seus motivos” (p.37).
Henrichsen continua: “O que o levou a essa conclusão? O desejo de não fazer o que a Bíblia manda, ou o desejo sincero de agradar a Deus e cumprir os Seus mandamentos? (...) Se a sua conclusão é resultado da sua tentativa de fazer Deus comportar-se como você acha que Ele deve comportar-se, outra vez está errada toda a sua abordagem da interpretação. Você é servo de Deus. A sua tarefa é entender quem Ele é e o que Ele espera” (idem, pp.37,38).
Portanto, para interpretar a Bíblia corretamente, é preciso, antes, ser um assíduo leitor da Palavra de Deus. A leitura de bons livros é obrigatória em um mundo que evolui de forma tão rápida, mas não podemos nos esquecer dos “pergaminhos” (2 Tm 4.13). Dedicar tempo à leitura de livros e até deste blog (mesmo que sejam bons) em detrimento da Bíblia significa não aproveitar bem o tempo. Leia livros, artigos, mas não se esqueça da Palavra (1 Tm 4.13; 2 Tm 3.16,17).

(continua...)

Ciro Sanches Zibordi

13 comentários:

Leandro Teixeira disse...

Paz, pastor!

Pois é, o problema é que o pessoal por aí quer adaptar Deus ou a Sua Palavra de forma menos chocante...

É o que chamo de 'homeopatia gospel': não aguentam alimento sólido... só o leitinho!

A mesma coisa acontece com estes seguidores fanáticos de grupos por aí, que não admitem que os seus integrantes façam coisas erradas. Querem enfraquecer Deus e supervalorizar o homem. Isto é deprimente.

Abraço!

Euller.Monteiro disse...

Pr Ciro,

Mais uma vêz, uma palavra que vem impactar e levar o leitor de seu blog à leitura da palavra e à busca sicera do nosso Deus.
Eu acompanho esta série de como interpretar corretamenta a Biblia desde a parte 01, creio que é uma das melhores postagens que estão neste blog, fazem parte desta coleção. são centradas na palavra.
Sinceramente só tenho à parabenizar e concordar com sua posição, pois falta hoje em nosso meio quem ensine como interpretar corretamente a biblia, (talvêz por medo de destruirem impérios formados pela torção e má interpretação dos textos bíblicos).

No mais, espero ansioso pela 6ª edição desta série de estudo enquanto estudo a atual.

Abraços.
Euller

Anônimo disse...

Paz do senhor Pastor Ciro;
Pastor visto a quantidade de traduções da biblia, qual seria a tradução mas fiel ao original sagrado, visto que tenho lido varios comentários de erros de tradução, e acréscimos em outras, e como sou iniciante no estudo da palavra de Deus queria saber se o Pastor poderia me ajudar? Sou assíduo leitor do seu blog, com seus ensinos tenho tido muito mais facilidade de entender o que a biblia realmente diz... Um Abraço...

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro anônimo,

Antes de eu responder à sua pergunta, lhe pergunto:

Qual é o seu nome?

Por que ainda não tem uma conta Google?

Um leitor assíduo de um blog deveria ter uma conta ou se identifcar.

Um abraço.

CSZ

Juber Donizete Gonçalves disse...

Pr. Ciro,

Muito boa esta série de estudos, sobre como interpretar a Bíblia corretamente. Não consigo entender a dificuldade que algumas pessoas têm de aceitar determinados textos da Bíblia como literais, parecem que querem justificar, aquilo que a própria Sagrada Escritura não o fez. Parabéns.

Abraço,

Juber

Anônimo disse...

Jean Ribeiro Maia, Luis Alves_SC,
Pastor desculpe, não tenho muita intimidade com criações de blog,(vou criar sim uma conta) mas tenho lido sempre o seu blog e de seus amigos Pastores nos seus links disponiveis, e adquiri também seu livro "Erros que os pregadores devem Evitar".
Pastor será que podes me ajudar a respeito da melhor tradução, ou a mais fiel ao original das Santas Escrituras? Desculpe pela insistencia, Paz der Cristo..

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Jean Ribeiro Maia, Luis Alves,

A paz do Senhor!

Agradeço-lhe por responder às minhas perguntas.

Fiquei feliz em saber que o irmão tem lido sempre este blog e de outros amigos. E também louvo a Deus por ter adquirido o livro "Erros que os pregadores devem Evitar".

Quanto à sua pergunta, vou lhe dar uma resposta direta, sem muitos pormenores. Espero que confie em mim, pois não tenho agora tempo para lhe dar maiores detalhes.

As melhores versões que temos, apesar de muitos dizerem que o seu português está desatualizado, são a ARA e a ARC (Almeida Revista e Atualizada e Almeida Revista e Corrigida). Por quê? Porque são versões literais, no geral.

Há outras versões boas, de equivalência dinâmica, até certo ponto, pois elucidam algumas passagens difíceis. Por outro lado, nessa tentativa de entregar ao leitor o texto já explicado, acaba alterando o sentido original.

Versões como a NVI e a Versão na Linguagem de Hoje possuem algumas contextualizações que, infelizemente, torcem levemente o sentido original. Daí eu preferir as versões de equivalência formal, haja vista a sua quase total fidelidade à literalidade. É claro que, além da ARC e da ARA, há outras equivalentes.

Um grande abraço!

CSZ

Ariel disse...

Eu discordo do texto sobre Jefté. Pois é muito contraditório a biblia, visto que Deus não aceita o sangue de Homens como sacrificio.
Se assim fosse, Deus não se importaria com aquilo que o povo de Israel fazia no vale de Hinon ou Tofete.
Ou então o povo Israelita em meio a uma derrota ofereceria seres humanos a Deus como sendo um sacrificio maior para conseguir a vitoria.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Ariel, o irmão tem todo o direito de discordar do que a Bíblia diz, literalmente. Mas isso não é recomendável.

O que deve ficar claro é que não afirmei que Deus aceitou o sacrifício de Jeftá. Por outro lado, não há como negar o que está escrito. Jeftá votou e cumpriu o voto.

CSZ

Anônimo disse...

Pr. Ciro,

Talvez eu esteja enganado. Mas dentro deste contexto do voto de Jeftá, acredito que tenha sido um característico voto precipitado. E as conseqüências deste voto foi o fato de Deus permitir que sua filha fosse a primeira a lhe receber.
É certo que Jeftá cumpriu o voto, assim o creio. Mas nesse caso (claro que não há argumentação bíblica para tal afirmação), acredito que Deus o perdoaria caso ele não cumprisse o voto, arrependendo-se de ter se precipitado e, conseqüentemente, pedindo perdão a Deus.
Talvez Deus agiria com misericórdia.

Ec. 5:2-5
"Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; assim sejam poucas as tuas palavras. Porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras.
Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o.
Melhor é que não votes do que votares e não cumprires."

Abraços e a paz do Senhor Pr. Ciro.
Jordanny Silva
Brasília

Anônimo disse...

Caro Pr. Ciro
Estou postando este comentário anonimamente pq é mais fácil.
Quero agradecer pelos belos ensinos que você tem levado a muitos cristãos no Brasil.
Sou jovem e somos uma parte da igreja que mais tem sofrido com os ensinos errados. Vou levar estes textos sobre iterpretação bíblica para os meus amigos. Siga sempre publicando estes post's porque o conhecimento da Palavra de Deus tem que ser levado a todos os cristãos.

Amilton Camargo - RS

Walter Filho disse...

Paz Pastor!

Eu estou procurando a continuação da série "Como interpretar a Bíblia corretamente?" eu não encontrei a parte (6). A parte (5) termina com a palavra "continua". Existe uma parte 6 ou realmente a série de postagens termina na parte 5 mesmo? Obrigado.

Sidiney disse...

A PAz do Senhor Pr. Ciro.
Muito embora esse tópico seja velho, queria tentar enteder o q significa Chuva temporã e serôdia.
Desde já sou grato pela vossa atenção