quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Calvinismo, arminianismo ou a Bíblia? (3)


Na terceira parte desta série que visa a enfatizar o que a Bíblia diz sobre eleição, predestinação e livre-arbítrio, procurarei responder a três perguntas, todas à luz da Palavra do Senhor e considerando não só o contexto imediato de cada passagem empregada, mas também o contexto remoto, abrangente, haja vista as Escrituras interpretarem e confirmarem as próprias Escrituras.
Deus é justo?
Sim. Em Atos 10.34, vemos que Ele não faz acepção de pessoas. Abraão até ousou perguntar-lhe: “Não faria justiça o Juiz de toda a terra?” (Gn 18.25). O Justo Juiz, pois, negaria a sua justiça condenando indivíduos ao inferno antes da fundação do mundo?
No Areópago, em Atenas, Paulo anunciou que o Senhor deseja que toda a humanidade se arrependa, pois haverá um juízo para todos os homens (At 17.30,31). Isso significa que todas as pessoas estão predestinadas à salvação. Mas, para receber essa bênção, o homem precisa se arrepender dos seus pecados e crer que o único Mediador é Jesus Cristo (Mc 1.15; 1 Tm 2.5). O nosso Salvador “... quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade” (1 Tm 2.4).
Ninguém pode negar que Jesus morreu por todos os seres humanos. Está escrito na Bíblia que Jesus “... é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” (1 Jo 2.2). E esse “todo o mundo” não é uma alusão a alguns privilegiados eleitos. Não! Deus, em seu plano, desejou salvar a “todos os termos da terra” (Is 45.22). É pelo fato de Jesus ter morrido por todos (Hb 2.9) que o Espírito Santo convence o mundo, e não alguns escolhidos (Jo 16.8-11).
Se a teoria calvinista extremada da predestinação fosse verdadeira, não haveria necessidade de pregarmos o evangelho, visto que os não-eleitos jamais seriam salvos, mesmo que ouvissem as boas novas de salvação!
Entretanto, Jesus mandou pregar e ensinar a todos, em todo o mundo (At 1.8; Mt 28.19). Em Marcos 16.16, o Senhor afirmou: “... quem não crer será condenado”. Ele não teria dito isso se de fato tivesse ocorrido uma eleição incondicional e arbitrária antes que o mundo existisse.
Deus é amoroso? Sim. A Palavra do Senhor salienta que o seu amor é infinito e ilimitado (Jo 3.16; Rm 5.7,8). Jesus quer salvar os piores pecadores! Ele os vê como ovelhas que não têm Pastor (Mt 9.36). “Desejaria eu, de qualquer maneira a morte do ímpio? Diz o Senhor Jeová; não desejo, antes, que se converta dos seus caminhos e viva?” (Ez 18.23). Como poderia ter condenado de antemão aqueles a quem Ele mesmo deseja salvar?
Em João 6.51, a mensagem de Jesus foi ainda mais clara: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer desse pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo”. Observe: Jesus ofereceu-se em sacrifício pela vida do mundo. E, quando alguém crê nEle, recebe a vida eterna (Jo 3.36). A Palavra de Deus diz ainda: “... se um morreu por todos, logo, todos morreram” (2 Co 5.14).
Existe livre-arbítrio? Sim. Os seguidores do calvinismo extremista — um evangelho teologicocêntrico, e não biblicocêntrico — afirmam que o livre-arbítrio ficou praticamente sem efeito depois da entrada do pecado no mundo. Contudo, as Santas Escrituras mostram que Deus, em todas as épocas, antes e depois da entrada do pecado no mundo, respeitou as decisões humanas.
Nos dias de Moisés, Josué e Elias (muito tempo depois da Queda), vemos como Deus desejava que os homens fizessem escolhas: “... te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente”; “... escolhei hoje a quem sirvais...”; “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; e, se Baal, segui-o” (Dt 30.19; Js 24.15; 1 Rs 18.21).
Em Isaías 1.18, Deus convidou os pecadores a argüi-lo, a fim de que recebessem o perdão de seus mais terríveis pecados, porém deixou claro que respeitaria as suas decisões: “Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o bem desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada, porque a boca do Senhor o disse” (Is 1.19,20). O salmista escolheu o caminho da verdade (Sl 119.30) e, sem duvidar, teve segurança para fazer este pedido a Deus: “Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos” (v. 173).
Em Apocalipse 22.17, no último livro da Bíblia, a água da vida não é oferecida a alguns eleitos para a salvação. Não! Jesus a oferece a quem tem sede e quer tomá-la de graça! Aleluia! Outrossim, o Senhor se importa com aqueles que invocam o seu nome (At 2.21). Por isso, ao pregar a Palavra de Cristo na casa de Cornélio, Pedro afirmou: “A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome” (At 10.43).

(continua...)

Ciro Sanches Zibordi

5 comentários:

Jadson Maués - Belém/PA disse...

A paz do Senhor Pr. Ciro, acredito que Deus tem poder de salvar todas as pessoas, porém repseita as nossas decisões, lembrando "Eis que estou a porta e bato..." Ele jamais derrubaria a porta e entraria à força(poderia ser a até melhor, pois todos seriam salvos), mas enfim Deus é um Deus que respeita o que decidirmos. Sempre acreditei no livre-arbítrio...outro dia ouvir um pregador dizer que "ninguem nasce predestinado à salvação, existem aqueles que são predestinados a não ser salvos..." eu acredito que isso também vai de encontro ao livre-arbítrio e o senhor o que pensa disso à luz da palavra de Deus...Deus lhe abençoe.

Jesiel Carlos Knup disse...

A paz do Senhor pastor Ciro!
Primeiramente, manifesto a minha alegria e satisfação pelo trabalho que o senhor humildemente vem realizando e peço desculpas por utilizar o post para contactá-lo (não achei no blog o seu email).
Confesso que ao conhecer este blog fiquei chocado com algumas coisas, mas após algum tempo me senti até aliviado, pois ouvia sempre que quem era espiritual devia "cair" no espírito, receber certas "unções", declarar isso e aquilo, coisas que não entravam na minha cabeça. Dou graças a Deus por levantar homens com tanta coragem, poucos é verdade, mas essenciais na pregação do verdadeiro evangelho.
Encurtando o texto (notou que gosto de escrever), gostaria que o pastor explanasse algo sobre o tema "Digno é o obreiro do seu salário". Tive várias discussões com minha família a respeito desse assunto, pois com o pouco conhecimento da palavra que tenho, entendo que aquele que realmente vive do evangelho não deve estipular preços ou metas de vendagem de CDs, DVDs, livros ou afins. Acredito que o obreiro deve depender do espírito, pedindo a Deus que o sustenha em tudo sem "forçar a barra".
O maior problema disso tudo é que conhecemos um pastor que é nosso amigo, e que tem divido entre si e seus auxiliares parte dos dízimos e ofertas. Isso tem causado grande constragimento entre nós.
Desde já agradeço a Deus pela sua vida e a você pela sua coragem. Desculpe por usar o post ao invés do e-mail.
Graça e paz de Cristo,
Jesiel Knup

João Ricardo disse...

PAZ DO SENHOR PASTOR CIRO
ESPERO QUE ESTAJA TUDO BEM
QUERO LHER INFORMAR QUE RECEBEMOS ESSA PERGUNTA NO SITE DA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM SAPÉ-PB, ONDE ESTAMOS COLOCANDO SEUS ARTIGOS, RESOLVI LHE INFORMAR, PARA O SENHOR RESPONDER SE POR ACASO PUDER. MANDE UMA RESPOSTA PARA MEU E-MAIL jricardosilvaa@yahoo.com.br. PARA QUE POSSAMOS SE NÃO FOR POSSÍVEL O SENHOR RESPONDER, ESCLARECER A IRMÃ

Em Cristo,

João Ricardo


Formulário no site Assembléia de Deus - Sapé-PB enviado em 29/08/2007 -
14:45 hs.

Nome: Zilda
Email: billacvel@hotmail.com

Mensagem: Pastor Ciro gostaria de saber como será a nossa vida no céu
com Jesus,se vamos saber quem somos,se vamos encontrar lá nossa
familia.e mais a minha biblia diz que céu e paraiso é o mesmo lugar,é isso
mesmo?Obrigado.Paz de Cristo.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro João Ricardo,

As perguntas da irmã Zilda são pertinentes, mas informo aos demais leitores que elas não estão relacionadas com o tema deste artigo.

Resposta à irmã Zilda:

Prezada irmã, não é possível dar uma resposta conclusiva à sua pergunta, haja vista estar relacionada com o nosso glorioso futuro. Acerca deste a Bíblia diz: "As aflições deste tempo presente não são para se comparar com a glória que em nós há de ser revelada" (Rm 8.18). Note: "há de ser revelada".

Agora, quanto ao fato de sabermos quem somos, não há dúvidas. No Céu nos conheceremos, reconheceremos os homens e mulheres de Deus do passado, assim como Jesus conversou com Moisés e Elias (Mt 17), numa pequena amostra de como será o Céu.

Não sei qual é a sua Bíblia, mas a Bíblia, a Palavra de Deus, não diz que Céu e Paraíso são a mesma coisa. O Paraíso é como se fosse uma ante-sala do Céu. Embora faça parte das Mansões Celestiais, ainda não é o lugar de gozo e júbilo definitivo na presença de Deus.

Quem está no Paraíso, ainda não está na condição plena (Ap 6.9,10; Lc 16). Encontra-se lá apenas na condição espírito+alma. Após a ressurreição (1 Ts 4.16-18), o crente irá para o Céu definitivamente, na condição plena espírito+alma+corpo (transformado).

Que Deus abençoe a sua vida!

CSZ

João Ricardo disse...

Muito Obrigado pela resposta
Sabia que o senhor não ia me deixar na mão.

Em Cristo,

João Ricardo