quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O perigo da arminiolatria


A Palavra de Deus é contrária a qualquer tipo de facção no Corpo de Cristo. E, por isso, o apóstolo Paulo, inspirado por Deus, disse aos crentes de Corinto e a nós, por extensão: "cada um de vós diz diz: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu de Cefas, e eu, de Cristo. Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?" (1 Co 1.10-13). Entretanto, sedento por responder ao que considera desvios doutrinários do calvinismo, um grupo de jovens — muitos deles cultos, mas imprudentes — está formando, possivelmente sem ter consciência disso, uma espécie de seita arminiana.

Na maior parte do tempo, eles só leem, falam e discutem acerca de Armínio, arminianismo, arminianos ou verberam contra o calvinismo e calvinistas. E o pior de tudo é a conduta desses jovens, que zombam ou desdenham de pastores — calvinistas ou arminianos — quando estes os desagradam. Ao mesmo tempo, eles querem ser reconhecidos como os autênticos defensores e profundos conhecedores do arminianismo, além de viverem fazendo patrulhamento de quem opina sobre seu objeto de pesquisa quase idolátrico: a "teologia arminiana".

Triste a situação da nova geração evangélica. Se, por um lado, há proselitistas calvinistas que — sem nenhuma modéstia — se consideram superiores em tudo e riem dos "pobres" e "fracos" arminianos, estes, por outro lado, resolveram "pagar com a mesma moeda" e usar as mesmas armas... Ora, a Bíblia não diz que as armas da nossa milícia não são carnais? Então, por que vocês, só porque estão lendo livros e mais livros sobre o arminianismo, consideram-se soberbamente a "nata arminiana" e recorrem a expedientes tão carnais?

Sejamos humildes! Respeitemos os pastores chamados por Deus. Que negócio é esse de menoscabar decanos em razão de eles supostamente não conhecerem alguns pormenores da vida de Armínio! Quem é Armínio, o novo Senhor da Igreja? Pastores há que nada sabem a respeito desse teólogo holandês, mas conhecem a Palavra de Deus e trazem no seu corpo as marcas de Jesus Cristo! Estou cansado dessa arminiolatria! E também da calvinolatria! Jesus Cristo é o centro do Evangelho! Ele é o fundamento da Igreja! ‪#‎ProntoFalei‬.

Ciro Sanches Zibordi

3 comentários:

Escola Bíblica Dominical - Seminário Teologico Permanente disse...

A paz do Senhor, Pr Ciro.

Concordo com o senhor e acho um desserviço ao Reino de Deus esse ativismo todo.


Não busca os seus interesses; (1Co 13:5b)
Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. (João 13:35).

Certamente o interesse de Cristo não é essa divisão precipitada e descabida de Seus seguidores.

Soberba, altivez, orgulho, ódio, etc. São frutos da carne. E quem é nascido de novo crucificaram a carne.

Mas o fruto do Espírito é: amor, (Gálatas 5:22a)

Estudam tanto, se esforçam, batalham... E para quê?

Ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. (1 Co 13:3b)

Por que não se concentram em ganhar almas?
Disponham suas mentes brilhantes, coragem e força e vão fazer MISSÃO pelo mundo ganhado almas e servindo ao Reino verdadeiramente.

Que tal a África?!

#Ficaadica

Simone Tavares.

paulo erenito da silba disse...

As pessoas mais especificamente os estúdiosos deveriam estar mais preocupados em estudar As Escrituras para aprender de Cristo em vez de se degladiarem em debates que só levam a perversão dos ouvintes porque ninguém tem uma teologia perfeita nem os calvinistas e nem os arminianos então que ponham de lado as diferenças que afinal não são heresias destruidoras e glorifiquem ao Senhor que os resgatou do pecado

Paulo Américo Lopes disse...

A Paz do Senhor, Pastor Ciro.

Que grande estupidez nos digladiarmos em torno de dois sistemas doutrinários engendrados pela perícia teológico-filosófica, que visa promover a vanglória dos debatedores e não a edificação do corpo de Cristo. A despeito dos descaminhos percebidos na história da Igreja, teimamos em não aprender com nossos próprios erros. Ambos os sistemas são míopes, falhos e incompletos, mesmo porque primam pela seletividade de alguns textos em detrimento de outros - assim fica tudo "arrumadinho". Temos de respeitar tradições teológicas diversas da nossa. Wesley (arminiano) e Whitefield (calvinista) entenderam isso, cooperaram juntamente para a glória de Deus. Bernardo de Claraval parece que percebeu a complementaridade dos dois sistemas quando escreveu: "Se o homem não é livre (conforme os calvinistas ensinam), então, não há O QUE SALVAR, e se Deus não é soberano (segundo os arminianos Deus fica na dependência do arbítrio humano, portanto, refém - algo inconcebível), Ele não tem COM QUE SALVAR". Bom seria se conseguimos ler e interpretar a Palavra de Deus, livres das amarras dogmáticas do Arminianismo e do calvinismo. Sou assembleiano, mas minha soteriologia é calvinista, e não abro. Ninguém me demoverá da Igreja que amo. Contudo repudio a soteriologia arminiana. Sou, sim um pentecostal calvinista, para a glória de Deus. Questão de foro íntimo. Respeitemos os contrários. Entendo, que em nome da irenidade e do respeito para com as doutrinas de nossa Igreja, devo, apesar de minhas convicções, defender o sistema de doutrina ao qual me afiliei. Não me permito o direito de dissentir abertamente dos postulados teológicos de nossa Igreja (Assembleia de Deus). Os que postulam pensamentos diversos do meu, têm-me acrescentado muito. Amo a maravilhosa diversidade do corpo de Cristo. Nenhuma denominação, a começar pela minha, pode arrogar-se, monoliticamente, o título de guardiões da verdade divina. Sejamos mais amorosos e tolerantes para com todos. O homem é livre e Deus soberano - aceito o paradoxo, e ponto!