sexta-feira, 19 de junho de 2015

Grande mídia evangelicofóbica ataca outra vez

Um gay morre ou é agredido. Quem são os culpados? Antes de qualquer apuração, a grande mídia, o deputado BBBrasileiro com nome francês e sobrenome que nos faz lembrar de um carro antigo, bem como os ativistas LGBTUVWXYZ vão para as redes sociais e sentenciam: "Os culpados são os pastores fundamentalistas". Um famoso médium é assassinado com requintes de crueldade, e o túmulo de Chico Xavier é violado. Adivinha quem fez tudo isso? Os "perigosos evangélicos", é claro!

Bem, das duas, uma: Ou os evangélicos são realmente a escória da sociedade, intolerantes, preconceituosos, cruéis; ou existe uma grande orquestração evangelicofóbica e hitlerista pela qual se pretende gerar uma perseguição generalizada contra todas as pessoas que professam a fé evangélica.

Aliás, a grande mídia já afirmou que "traficantes evangélicos" expulsam mães e filhos de santo de favelas; que "bandidos evangélicos" incendiaram sede da ONG AfroReggae (RJ); que "fundamentalistas evangélicos" estão por trás dos crimes homofóbicos, etc. Agora, ela tem afirmado — ou, pelo menos, sugerido — que "intolerantes evangélicos" apedrejaram uma menina candomblecista de 11 anos
. Meu Deus, como os evangélicos são preconceituosos e cruéis!

O que fazer, diante de tantas acusações? Devemos chamar gays, religiosos e ateus, a fim de lavar os seus pés diante das câmeras da Rede Globo, pedindo-lhes perdão por nossa intolerância e reconhecendo que somos a escória da sociedade? Ou devemos — com ousadia, mansidão e temor (At 4.31; Fp 1.16; 1 Pe 3.15) — pregar e defender o Evangelho, respondendo a essa estratégia hitlerista e evangelicofóbica de querer transformar os evangélicos nos grandes vilões da pós-modernidade?

Ciro Sanches Zibordi

6 comentários:

Gilson Pereira Barbosa disse...

Pois é,

As "mídias" da Rede Globo, por exemplo,chegam a saturar nossa racionalidade ao dar tanta visibilidade ao "apedrejamento" da moça, adepta de uma das religiões de matriz africana. Em contrapartida não o faz com a mesma vontade,intensidade e visibilidade quando centenas de cristãos são torturados em outros países.

Mas nós já sabemos o porquê. Em nome da tolerância se tornam intolerantes.

Grande abraço.

Marcelo Medeiros disse...

Eu fico com a segunda alternativa, aliás, a única biblicamente viável, pregar o Evangelho com mansidão, temor e tremor apresentando a razão de minha esperança.

Daniel Limeira dos Santos disse...

Interessante que, mesmo antes de ler este texto, enxuto e objetivo, também escrevi algo semelhante em meu blog http://danielpastorreflexivo.blogspot.com.br/ que, na verdade, é uma cópia da reflexão que fiz no facebook. Percebe-se, claramente, o "complô" contra os evangélicos. É verdade que muitos segmentos e líderes considerados evangélicos estão suprindo o inimigo com muita munição contra nós, desde ensinamentos totalmente sem base bíblica até exploração financeira. Isto é um fato. Mas ainda assim, não consigo imaginar evangélicos agindo com esses requintes de crueldade e desrespeito. É como o Senhor disse:

"Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós." Mateus 5:11,12

Gilson Filho disse...

A Paz do Senhor.
Concordo plenamente com o artigo. Todavia, onde está a omissa CGADB, que não se pronuncia.

Anônimo disse...

Querido Pr.
Será que já não é mais tão chique ser crente?...Será que acabou o ôba ôba gospel?

Gilmar Batista disse...

Esta perseguição a nós - os cristãos - têm seu lado positivo. É do nosso conhecimento, que há uma crise no contexto evangélico hodierno, principalmente na pregação, que é preocupante. Alguma coisa precisa acontecer contra nós igreja, para que haja um despertamento. Coisa boa esta perseguição! Acredito ser o caminho para a segunda opção ..."com ousadia, mansidão e temor (At 4.31; Fp 1.16; 1 Pe 3.15) — pregar e defender o Evangelho, respondendo a essa estratégia hitlerista e evangelicofóbica"...

Abraços pastor Ciro.

Inverno 2015.