quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Questões loucas? Estou fora!

Por duas vezes, nas cartas paulinas pastorais, a Palavra de Deus ordena que fujamos de questões loucas. Em 2 Timóteo 2.23 está escrito: “rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas”. E, em Tito 3.9, lemos: “não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs”.

Gosto muito de dizer o que penso de modo sincero e contundente, e isso, às vezes, irrita alguns pensadores cristãos. Mas tenho evitado debater com eles. Por quê? Porque a minha intenção, com os meus modestos escritos e pregações, é ajudar pessoas que desejam crescer na graça e no conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo (2 Pe 3.18).

Reconheço, humildemente, que tenho segurança quanto ao que tenho exposto e não vou mudar minha opinião para agradar teólogos, escritores e articulistas. E já deixei claro, por exemplo, o meu posicionamento pessoal a respeito de calvinismo e arminianismo. Mas há alguns expoentes, aqui e ali, que fazem questão de me criticar abertamente ou alfinetar. Eles supervalorizam questiúnculas, como o fato de eu ter dito que não sou 100% arminiano nem 0% calvinista...

Há alguns anos, por graça de Deus, decidi que não aceitaria mais desafios para debates na Internet nem responderia a provocações gratuitas. Na verdade, se dependesse da minha natureza — tenho sangue italiano correndo em minhas veias (risos) —, eu pagaria para participar de um debate! Mas fui convencido pelo Espírito Santo a não mais medir forças de modo inglório com ninguém. Portanto, quem quiser discordar, que discorde.

Louvo a Deus por ter aprendido a não me envolver mais em questões loucas. E, se alguém pensa que vou aceitar provocações e desperdiçar o meu precioso tempo em debates inúteis e inglórios, desista. Sou capaz de fazer hora-extra para responder a perguntas de pessoas sinceras que desejam aprender a sã doutrina. Quanto aos desafiadores e promotores de discussões inúteis, que gostam de “cutucar onça com vara curta”, podem “tirar o cavalo da chuva”.

Ciro Sanches Zibordi

8 comentários:

Marcos Serafim disse...

Pr.Ciro Sanches

Graça e paz!

Concordo contigo em não se envolver com algo não tenha muito proveito, li o referido artigo, e essa discussão de ser favorável ao calvinismo ou arminianismo vem de seculos e não vai ser agora que estas questões serão totalmente esclarecidas.

Marcos Serafim Silva

Pastor Geremias Couto disse...

Parabéns pelo posicionamento. Acredito que tudo passa por aí. Até parece que a coisa é feita com "segundas intenções"... Abraços!

Carmen Correia disse...


A paz pastor Ciro!

Parabéns por sua postura e decisão em relação ao que realmente não edifica. Tenho a mesma opinião a respeito, e esse texto me acrescentou mais convicção e segurança.

Anônimo disse...

Esta certo amado pastor,(claudiano)

jorge melo disse...

Concordo c/ o Pr. Ciro, tb eu assim semelhante assim, mas, pensei, pensei..conversei comigo mesmo e c/ CRISTO em oração, e a conclusão que cheguei é não perder tempos c/ estes tipos de obreiros que defendem calvinismo, arminismo, etc, e se esquecem ou falam muito pouco de JESUS.O tempo em que estamos vivendo no momento, é tempo de determinação pessoal para o melhor, seja na família, no trabalho, na função eclesiática, etc, etc,. As almas estão por aí entre as nações no mundo a vagar, em busca de soluções espirituais na sua vida, então, aproveitemos o tempo para falar mais de JESUS, como diz as Escrituras Sagradas, João 7.38. Eis a questão.!

cristiano santana disse...

Concordo com o seu possionamento, porem lhe admiro pela sabedoria e prudência que responde. Acredito que um posicionamento" explicito " é de uma inquestionável importância. Quando alguem com pouco experiencia vem aqui e ler seus artigos aprende como se posicionar em ambientes parecido s, quando o senhor publica um parecer sobre algo e alguem nao concorda, infelismente ela vai opitar sobre a insatisfação dela com o artigo. Sem refutação não haverá brigas tolas, apenas, pontos de vista e pronto. Esse é meu humilde parecer .....

Anônimo disse...

Pr Ciro, a Paz do Senhor Jesus,
Concordo com o senhor quanto a esta posição de não entrar em questões loucas; até mesmo porque a Bíblia nos ensina:
Efésios 5
…18E não vos embriagueis com vinho, que leva à devassidão, mas deixai-vos encher pelo Espírito, 19falando entre vós com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, 20e cotidianamente dando graças por tudo a Deus, o Pai, em o Nome de nosso Senhor Jesus Cristo, …

Que Deus abençoe seu ministério, sua casa e sua familia. Tive o prazer de ouvi-lo aqui em Fortaleza, no ministério Canaã ( Pr Jecer Gois). Tudo isso para honra e glória de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Val Bolsas Femininas disse...

100% favorável a esse tipo de comportamento, se o que está sendo pregada ou ensinada é fundamentado nas Escrituras Sagradas, com certeza irá incomodar os falsificadores da Palavra, que utilizam a mesma com propósitos torpes. A Palavra de Deus nos ensina que quem tirar, acrescentar ou até modificar algo nas escrituras perderá o direito de comer do fruto da árvore da vida. O assunto é de extrema seriedade, parabéns pastor pela sua postura. Os que a muitos ensinam a justiça, brilharão como as estrelas eternamente(Daniel 12:3)