terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Por que a grande mídia ignora a cristofobia?

Digitei, por curiosidade, a palavra “islamofobia” no campo de busca do portal de notícias da Rede Globo — o famoso Globo.com — e descobri que há trezentos links para matérias, reportagens e artigos, todos condenando a suposta onda de discriminação aos muçulmanos no Ocidente. Resolvi, então, digitar no mesmo campo de pesquisa do site o vocábulo “cristofobia”. Resultado: apenas dez links.

Dos dez links sobre cristofobia, no Globo.com, apenas um artigo, do jornal O Globo (de 2014), aborda a cristofobia; e somente uma matéria, da revista Época (de 2012), denuncia a cristofobia no mundo islâmico. Além disso, quatro links aludem a declarações dos presidenciáveis evangélicos Marina Silva e Pastor Everaldo sobre a cristofobia; dois se referem a um artigo em que um colunista ironiza a perseguição aos cristãos; e outros dois contêm links para a reportagem da revista Época (citada acima).

No único artigo a respeito da cristofobia, João Ricardo Moderno, em O Globo de 21 de julho de 2014, critica o cineasta José Padilha em razão de este ter menosprezado a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, em seu filme Inútil Paisagem. Moderno afirma: “As ofensas à Igreja Católica são parte da sacrofobia, e da cristofobia em particular, e muito comuns em artistas que se valem do escândalo como marketing pessoal”.

Somente uma matéria da revista Época, de 2 de junho de 2012, assinada por Ayaan Hirsi Ali — uma pesquisadora do American Enterprise Institute —, denuncia a cristofobia. Segundo Ali, “A cristofobia gera muita violência, mas é menos discutida do que a islamofobia”. Por que a grande mídia menciona tanto a islamofobia, se, na verdade, são os cristãos que estão sendo assassinados aos milhares, na maioria das vezes pelos próprios muçulmanos?

Veja como a explicação da autora da reportagem é reveladora: “A reticência da mídia em relação ao assunto tem várias origens. Uma pode ser o medo de provocar mais violência. Outra é, provavelmente, a influência de grupos de lobby, como a Organização da Cooperação Islâmica — uma espécie de Nações Unidas do islamismo, com sede na Arábia Saudita — e o Conselho para Relações Americano-Islâmicas. Na última década, essas e outras entidades similares foram consideravelmente bem-sucedidas em persuadir importantes figuras públicas e jornalistas do Ocidente a achar que todo e qualquer exemplo entendido como discriminação anti-islâmica é expressão de um transtorno chamado ‘islamofobia’ — um termo cujo objetivo é extrair a mesma reprovação moral da xenofobia ou da homofobia”.

Ali acrescenta: “Uma avaliação imparcial de eventos recentes leva à conclusão de que a dimensão e a gravidade da islamofobia não são nada em comparação com a cristofobia sangrenta que atravessa atualmente países de maioria muçulmana de uma ponta do globo à outra. A conspiração silenciosa que cerca essa violenta expressão de intolerância religiosa precisa parar. Nada menos que o destino do cristianismo no mundo islâmico — e, em última instância, de todas as minorias religiosas nessa região — está em jogo”.

No Brasil, a grande mídia, de modo geral, ao mesmo tempo que ignora a cristofobia islamofascista no mundo muçulmano — a qual mata cem mil cristãos por ano, como pontificou recentemente o jornalista Reinaldo Azevedo —, tem dado grande destaque à pretensa onda de islamofobia no Ocidente. O jornalismo brasileiro, se, de fato, fosse imparcial, deveria seguir a orientação de Ayaan Hirsi Ali, que, na conclusão de sua matéria, asseverou: “Em vez de acreditar em histórias exageradas de islamofobia ocidental, é hora de tomar uma posição real contra a cristofobia que contamina o mundo muçulmano. A tolerância é para todos — exceto para os intolerantes”.

Ciro Sanches Zibordi

6 comentários:

Valderi Felizado da Silva disse...

Na verdade o Reinaldo Azevedo é o único que fala a verdade, talvez por não ter rabo preso com ninguém. Agora tem uma tal de Arlene Clemesha, que sempre está no Jornal da Cultura, que sempre quando se discute o terrorismo islâmico, ela, desconversa e joga sua artilharia contra os governos dos países cristãos e atacando a Bíblia, Cristianismo e Judaísmo.

Anônimo disse...

E seu livro novo ? já estamos quase em fevereiro e até agora nada...
pelo menos fale do que se trata o livro, como vai chamar, etc.. obrigado

Blog do Gabra disse...

Sobre a cristofobia,de fato há mtos setores da mídia com uma tendência mais a esquerda,como a ´´Carta Capital´´ e a ´´Caros Amigos´´ que julga todos os cristãos como corruptos,de modo negativo,mas nem todos cristãos são como aquele bispo que construiu o Templo de Salomão,ou o apóstolo preso nos EUA,assim como nem todos muçulmanos são terroristas,Zidane não é terrorista,assim como Benzema e Ribery tbm não.

Blog do Gabra disse...

Sobre a cristofobia,de fato há mtos setores da mídia com uma tendência mais a esquerda,como a ´´Carta Capital´´ e a ´´Caros Amigos´´ que julga todos os cristãos como corruptos,de modo negativo,mas nem todos cristãos são como aquele bispo que construiu o Templo de Salomão,ou o apóstolo preso nos EUA,assim como nem todos muçulmanos são terroristas,Zidane não é terrorista,assim como Benzema e Ribery tbm não.

Ana Lúcia Louback disse...

Muito importante chamar a atenção para essa nítida discriminação à que chamamos "cristofobia". Não há dúvida, de que existem "dois pesos e duas medidas" nessa mídia brasileira. Eles sempre andam na contramão do bem e da verdade.

Anônimo disse...

A Paz do Senhor Pastor Ciro,
Onde encontro materiais( Indicações de Livros, Artigos etc..), para estudo em casos em que muitos dizem que Deus mandava matar no Antigo testamento, quero estudar sobre o assunto a fim de poder argumentar quando questionado sobre o assunto. Aguardando sua resposta, que Deus abençoe sua vida e sua família, tenho lido seus livros e já adquiri também seu último lançamento.
Obrigado

At. JMS