sexta-feira, 13 de junho de 2014

Por que precisamos de trem-bala?


Brasileiro reclama de tudo. E agora estão dizendo que o governo não cumpriu a promessa de inaugurar o trem-bala. Isso porque, em junho de 2009, a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, prometeu que o trem-bala ligando Campinas ao Rio de Janeiro ficaria pronto para a Copa do Mundo de Futebol de 2014. À época, ela também afirmou que o governo não pretendia gastar recursos em estádios...

Ora, pensemos de modo positivo. Já temos no Brasil muitos trens e muitas balas! Que falta faz o trem-bala? “Temos trens superlotados e sucateados”, resmungará alguém. Mas, como dizem os mineiros, também “temos muito trem bão, sô”. Aliás, os nossos trens são mais ágeis que o jamaicano Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo!

Viu como tudo depende do ponto de vista? Não sei porque alguns brasileiros insistem em ver a parte vazia do copo. Dizem que os nossos trens são inseguros e que neles há arrastões. Ora, e a quantidade de pessoas que são arrastadas por eles? E algumas delas gostam tanto do nosso serviço ferroviário que até viajam em cima dos comboios ou penduradas neles, para sentirem aquele vento suave no rosto...

Aqui também há muita produção de doces, como as famosas balas Juquinha, que grudam no dente, mas são uma delícia! Mesmo assim, os negativistas de plantão só falam em bala perdida — que, na verdade, só é perdida porque foi achada no corpo de alguém — e nas balas que matam milhares de pessoas, visto que no país do futebol são assassinadas “apenas” 50.000 pessoas por ano!

Ora, o que são 50.000 homicídios diante dos milhões de brasileiros que recebem bolsa família? 50.000 pessoas não lotam nem o Estádio do Itaquerão, em São Paulo, que pode receber cerca de 60.000 brasileiros! Sinceramente, não entendo porque reclamamos tanto! Precisamos parar com isso, pois, segundo o ex-presidente Lula, somos o sétimo país “no que você quiser”. Quanto ao trem-bala, já temos trem e bala. Só falta juntar essas duas palavras... #ProntoIronizei.

Ciro Sanches Zibordi

4 comentários:

TIAGO E. disse...

Falta sim é moralidade nesses discursos estatais.

TIAGO E. disse...

Falta sim é moralidade nesses discursos estatais.

Peter Erick de Oliveira disse...

Pronto, olha aí pastor mostrando seu lado comediante (risos).
Mas agora falando sério, eu acho que a questão nem foi tanto a necessidade do trem, mas sim uma promessa ambiciosa que não foi cumprida. Entretanto, se analizarmos o histórico de nossos políticos, veremos que não há nenhuma surpresa em relação a isso. É que o brasileiro é assim, mesmo, gosta de reclamar de tudo e esse tipo de problema, promessas não cumpridas da parte de políticos, está muito longe de ser novidade

Saulo Alves disse...

Irmãos, a coisa é simples de se entender: isso é o que acontece em todo país subdesenvolvido ou em desenvolvimento. O Brasil não é um país rico, ainda que temos um PIB grande, mas esse PIB dividido por aproximadamente 200.000.000 de habitantes , nos dá um PIB per-cápita de aproximadamente 13.000 dólares. Para a população ter uma vida melhor financeiramente e o governo ter como gastar mais em infra-estrutura, saúde , educação... seria preciso pelo menos o Brasil ter um PIB per-cápita superior aos 20.000 dólares .Porém , o correto seria que o nosso país tivesse um PIB de uns trinta e poucos ou quarenta mil dólares per-cápita, o que nos daria uma posição como a Itália ou frança.
E qual seria a saída? A saída é , sem dúvidas, o país voltar a crescer e concominantemente ser investido dinheiro na educação , infra-estrutura como portos, rodovias etc...
Porém , eu creio que Deus está provando a nossa nação e não permitirá que ela cresça por algum tempo. O que espera de melhor um povo voltado ao pecado ?