domingo, 16 de fevereiro de 2014

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”

Desde que o modelo “igreja em células” começou a encantar alguns líderes das Assembleias de Deus, no início dos anos de 2000, venho pesquisando sobre o assunto. E, desde 2006, tenho feito uma pesquisa mais criteriosa, a qual envolveu, inclusive, a minha permanência por uma semana em uma cidade cuja Assembleia de Deus “mergulhou” na “visão” do G12, do colombiano Cesar Castellanos. Ali, conversei com irmãos, observei seu comportamento e adquiri manuais usados para treinamento de líderes de células.

Uma das aberrações contidas no “pacote herético” da “visão celular” — que não se restringe a G12 — é o “perdoar a Deus”. Essa heresia tem sido camuflada depois que apologistas assembleianos verberaram contra ela, mas ainda subsiste no movimento em apreço, mesclada com a sã doutrina. E aqui está o grande perigo! O mal misturado com o bem é muito pior que o mal declarado. A doutrina falsificada, que surge “entre nós” (At 20.28-31; 2 Pe 2.1,2), é muito mais nociva que a doutrina falsa, que vem de fora.

Há poucos dias, ouvi uma “pastora” ligada ao modelo celular pregando a respeito do perdão. O primeiro tópico da sua mensagem era “perdoe a Deus”. E, ao discorrer sobre a sua conversão, ela afirmou que, apesar de amar Jesus e ter um bom relacionamento com Ele, só se realizou quando perdoou a Deus! Apesar de ser cristã, ela culpava o Criador por todos os infortúnios que experimentara: “Eu criei uma afinidade com Jesus, mas ainda tinha um probleminha com Deus” — afirmou.

Nota-se que tal senhora, ainda que tenha boas intenções, desconhece o ABC da doutrina bíblica, o que, aliás, é uma característica de pessoas que abraçam modelos de crescimento prioritariamente numérico. Elas aceitam com facilidade, sem questionar — ao contrário dos cristãos de Bereia (At 17.10,11) —, ensinamentos falsos, como a “cobertura espiritual”, a crença na salvação de cidades mediante “decreto”, a falsa “cura interior”, a intromissão na vida privada das pessoas, torcendo o “Confessai as vossas culpas uns aos outros” da Bíblia (cf. Tg 5.16), etc.

Voltando à pregação da “pastora” sobre o “perdoar a Deus”, quero dizer duas coisas. Primeira: se ela culpava a Deus, em vez de ela ter “liberado perdão” a Ele, deveria lhe pedir perdão por sua ignorância. Afinal, o Senhor nada tinha a ver com a mágoa que ela nutria em seu coração. Segundo: como ela podia ter um relacionamento com o Senhor Jesus e, ao mesmo tempo, continuar magoada com Deus?

Ora, Jesus é Deus! E Deus é um só! Trindade não significa que existem três Deuses. Não se trata de triteísmo. Deus é triuno, formado por três Pessoas (tripessoalidade). Ou seja, é impossível amar o Deus Filho, ter um relacionamento de comunhão com Ele — o qual se dá mediante o Deus Espírito Santo, que habita no coração do salvo (Rm 8.16) — e, ao mesmo tempo, estar magoada com Deus Pai.

Muitos líderes de células são treinados e incentivados exaustivamente a “lançar a visão”. A ênfase das reuniões de liderança — ao contrário do que acontece nos tradicionais e “ultrapassados” cultos de doutrina, escolas bíblicas anuais e Escola Bíblia Dominical — não é a sã doutrina, e sim as estratégias de crescimento. E o resultado disso qual é? O número de pessoas alcançadas pela “visão” é impressionante, mas uma boa parte desses “discípulos” e de seus líderes sequer sabe o que é Trindade, à semelhança da mencionada “pastora”, que “amava” Jesus e, ao mesmo tempo, estava magoada com Deus...

Sim, receio que muitos líderes do modelo em apreço sequer conhecem as doutrinas fundamentais da Palavra de Deus (como a Trindade) ou sabem que Jesus é Deus. E, por isso mesmo, induzem incautos a acreditarem que, para se sentirem salvos de verdade, precisam participar de “encontros tremendos” a fim “liberarem perdão” a todos, inclusive a Deus. Não é estranho — e lamentável — que haja pastores de igrejas históricas, tradicionais, abraçando de modo festivo modelos celulares como G12, M12 e MDA?!

Minha oração, nesse caso, é a mesma do Senhor Jesus: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23.34).

Ciro Sanches Zibordi

16 comentários:

Presbítero Maurício disse...

Caríssimo Pr. Ciro, saudações fraternas em Cristo.
Li o post, e fico entristecido, ao chegar à conclusão dos caminhos pelo qual a "Igreja" está passando. Sobre o perdão, propriamente dito, expresso somente isto: Mudou-se o alvo! Se por algum motivo nos ressentimos ou guardamos um rancor sutil, uma mágoa contra Deus, na verdade quem deve pedir perdão somos nós, ora seja! Pois somos nós que guardamos ressentimentos contrários a Ele, e não Ele a nós. Puxa! Deus é amor, e nunca devemos nos esquecer disso. Parece que não é mais Deus que perdoa, mas os homens, ditos "cristãos". Deus deixa de ser misericordioso, perdoador, e passa a ser "tirano". O homem deixa de ser falho, equivocado, pecador e passa a ter atributos divinos. Onde chegaremos? Paz fraterna!

Anônimo disse...

Pedro Cardoso, disse:


Pr. Ciro,PArabéns, o senhor provou pelas Escrituras a Heresia do MDA E AGORA só cai nisso quem quer.


Agora o que me tem deixado preocupado é o discurso do presidente da CGADB sobre os Usos e Costumes e tbm ao fato de ele chamar os crentes de outras denominações de samaritanos , parece que ele tá falando da mesma forma como os lideres de seitas falavam, que só eles é quem tem a verdade: veja:
“Estamos caminhando para uma igualdade, já existe muitas coisas do costume dos samaritanos que nós já estamos aceitando. Há muita coisa entre nós que não é da Assembleia de Deus”, afirmou, usando o gentílico “samaritanos” para se referir a evangélicos de outras denominações. Segundo Wellington, “essas influências estão deixando os cultos mais frios, sem a presença do Espírito Santo, que cura e liberta as pessoas”.

Em sua palavra, o pastor dá a entender que a doutrina assembleiana tem valor similar às escrituras, e presume que os hábitos definidos pela direção da igreja como impróprios estão categorizados como pecado: “Pela tolerância de alguns costumes que não são nossos, algumas Assembleias de Deus, você olha para o auditório, não tem mais diferença, tá tudo na igualdade. Cabelo cortado, pintura, obreiro no púlpito com barbicha (parece um bode)… Olha nós estamos aceitando os costumes dos samaritanos e estão apagando o culto a Deus dentro da igreja. Nós não estamos brincando de evangélico não, a Palavra de Deus em nada mudou, o que era pecado quando o navio chegou aqui, continua pecado até hoje, nada mudou Deus não mudou, a Sua Palavra não mudou, o Espírito Santo não mudou. O ensino da Palavra de Deus é ‘ensinar e praticar’. A igreja precisa de homens com a vida no altar e que seja compromissados com a Palavra de Deus”, disse o pastor.

Na sequência, José Wellington se aprofunda nas questões comportamentais que foram mudando ao longo dos anos na denominação: “O culto ao Deus da Assembleia já esta ficando diferente, em muitos lugares já não se usa a nossa Harpa Cristã… Mas o samaritanos trouxeram alguns corinhos e muita bateção de palmas, alguns conjuntos que começam o culto para animar… O culto não é programa de auditório. Um dia que pastor for animador de culto, ele pode mudar de profissão, ele será um palhaço lá fora. Aqui neste lugar Deus quer homens ungidos… Isso aqui não é lugar para divertimento não”, criticou.

“Nós não nos curvaremos aos costumes dos samaritanos, nós não aceitaremos um culto ao ‘deus pagão’, pois existe um Deus Verdadeiro”, disse José Wellington.

http://www.youtube.com/watch?v=ZFsIj6moSPs&hd=1

Anônimo disse...

Como assim vc não crê em cura interior ? Cara, a Igreja é um hospital de doentes e não um lugar de gente sadia !!! é claro que numa igreja tem e deve haver cura interior...

Ciro Sanches Zibordi disse...

Anônimo(a),

O(a) senhor(a), não sabe ler, ou faz questão de ser um(a) analfabeto(a) funcional? Leia de novo! Eu escrevi FALSA "CURA INTERIOR". Jesus pregou a verdadeira. Os adeptos da "visão" pregam a falsa.

Identifique-se, se quiser que eu publique seus próximos comentários.

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Pedro Cardoso,

Vou examinar o vídeo com cuidado. Mas, à primeira vista, e em razão de eu conhecer muito bem o pastor José Wellington Bezerra da Costa, lhe garanto que ele não "dá a entender que a doutrina assembleiana tem valor similar às escrituras". De modo nenhum!

O pastor José Wellington prega que a exposição da sã doutrina gera bons costumes, e não que estes sejam superiores à sã doutrina. A Assembleia de Deus tem um perfil teológico-eclesiástico-consuetudinário. Na reunião de obreiros da Assembleia de Deus é compreensível que se dê ênfase a esse perfil.

CSZ

Anônimo disse...

Pedro Cardoso, disse:


Depois de o senhor refutar a luz da Bíblia o MDA, seria legal se refutasse tbm a Doutrina da Semente da Serpente e o Unicismo. Ta´aqui uma sugestão.

Pastor, eu não vi com bons olhos nosso presidente da CGADB chamar os outros cristãos de samaritano.

Lembrei agora dos escristos de WMB:

"AS SETE ERAS DA IGREJA - A ERA DA IGREJA DE LAODICÉIA 11 de dezembro de 1960
12 A quinta visão tinha que ver com o problema moral de nossa época, centralizando-se mais em torno das mulheres. Deus mostrou-me que as mulheres começaram a se afastar de seu lugar com o privilégio do voto. Então cortaram seus cabelos, o que significa que elas não estavam mais sob a autoridade do homem, mas insistindo em direitos iguais, ou na maioria dos casos, mais do que iguais. Adotaram roupas masculinas e se enveredaram por uma moda de trajes sumários; até a última figura que vi era uma mulher despida, exceto por uma pequena folha de figo, tipo de avental. Com esta visão eu vi a terrível perversão e estado moral de todo o mundo." wilian Braham

António Jesus Batalha disse...

Eu creio pelo que tenho lido nas Escrituras, é que quem precisa de perdão é sempre o ser humano, Deus não precisa ser perdoado Ele fluí o perdão.Como disse e muito bem há um só Deus, mas poderíamos chamar-lhe um governo espiritual, O Pai O Filho O Espírito Santo formam esse governo que lhe chamamos Deus, assim como o corpo tem vários membros mas é apenas um corpo, e a igreja também, apenas há uma igreja.Mas muitas vezes a falta de sabedoria leva a que as pessoas torcem as Escrituras. Paz de Jesus meu irmão.

Alisson Bruno disse...

A paz de Cristo.Há muito tempo acompanho seu excelente trabalho, glórias a Deus por sua vida.Quer lhe dizer que o amado nos estimula a lutar contra todas esses modismos e distorções referente a palavra, sou assembleiano, jovem pregador e sei que tenho muito a aprender.Também tenho um espaço onde posto reflexões sobre a vida cristã e o evangelho.
Será que o senhor me daria a honra de ter ele divulgado em seu blog? Pelo sim ou pelo não, apenas tire um pequeno tempo dê uma olhada nele, gostaria muito de sua opinião! Grande abraço!

http://napalavradosenhor.blogspot.com.br/

otoniel teodoro disse...

Somos povo especial,zeloso e de boas obras,então somos como as escrituras dizem ,um Jardim fechado do Senhor, então somos um Israel de Deus,e podemos sim,chamar as falsas doutrinas ,de samaritanos,e são msm pois não cooperam em nada ao nosso costume de cultuar ,louvar,pregar ,evangelizar etc

Diney disse...

Parabéns , ótimo post.. esclarecedor... Deus abençoe..

Anônimo disse...

Saudações em Cristo!, também quero lhe dizer que não concordo com o que o Pr. José Wellington disse. Ele coloca os usos e costumes no mesmo patamar das doutrinas bíblicas, discrimina os batistas, presbiterianos e etc.
Ele desrespeitou as igrejas históricas, quero ver mostrar na bíblia onde está escrito que mulher usar calça, adornos e outras coisas é pecado, chega a ser bizarro.

Abraços - Pb. João Eduardo Silva - Assembléia de Deus.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro Pb. João Eduardo Silva,

A paz do Senhor.

Devo lhe dizer duas coisas.

Primeiro: não estou, aqui, falando de PESSOAS, e sim de ERROS.

Segundo: o assunto aqui é a heresia de "perdoar a Deus" atrelada ao modelo celular.

Diante do exposto, aconselho o irmão a procurar o fórum adequado para expor as suas discordâncias.

A paz do Senhor.

CSZ

PB. João Eduardo Silva disse...

Saudações em Cristo!, ok, me desculpe, como o Pedro Cardoso comentou o assunto e o senhor o respondeu, pensei que também poderia expor minha opinião sobre o vídeo.
Como o senhor disse que vai assistir o vídeo "com cuidado", vou aguardar sua opinião então.

Abraços no amor de Cristo - Pb. João Eduardo Silva - Assembléia de Deus.

Unknown disse...

Santo Deus! Quanto absurdo pensar que Deus precisa ser perdoado!
Deus te abençoe, Pr. Ciro pela sua paciência, pois eu não teria saco para aguentar 5 minutos desta baboseira!
Ainda bem que foste até lá conferir, pois pudeste mostrar os absurdos com a fidedignidade que somente quem viu bem de perto poderia relatar.
Por fim, agradeço pela matéria, assim temos argumentos mais precisos para esclarecer algum incauto que possa se enveredar por estes caminhos.

Rogerio Freitas disse...

Bom dia.

Existe o perdoar a Deus.

Não confundir PERDOAR A DEUS com DEUS PRECISA DE PERDÃO. Pois Deus é infalível nos seus planos e tudo que faz é por amor.

Agora, devido a constar que tudo que ocorre é da vontade soberana de Deus. Muitas pessoas culpam Deus pelos flagelos da humanidade. Fome, doenças, catástrofes.

Como por exemplo fica a cabeça de uma criança que perde os pais aos 8 anos de idade e passa a ser criado por um tio pedófilo. Ou um pai de família que perde tudo em uma enchente, inclusive os filhos. Veja o exemplo de Jó.

Tem pessoas que culpam Deus por tais tragedias e fatos da vida e não conseguem viver bem consigo mesma.

Estas pessoas precisam perdoar Deus no seu coração, no seu interior. Não que Deus seja culpado de alguma coisa ou haja culpa em Deus.

A partir daí, a pessoa toma a consciência de que o verdadeiro culpado de todos os flagelos da humanidade é o PECADO.

Ciro Sanches Zibordi disse...

Não confunda "perdoar Deus" com "pedir perdão a Deus". Quem culpou Deus injustamente por alguma coisa deve PEDIR PERDÃO A DEUS.

CSZ