quarta-feira, 31 de julho de 2013

O que havia na mala preta do papa Francisco?

A última entrevista do papa Francisco, antes de chegar a Roma, foi concedida aos jornalistas que o acompanharam no avião. A despeito de estar visivelmente cansado, ele, com boa vontade, deixou sua primeira classe e cumpriu uma promessa que fizera no voo de ida ao Brasil.

Uma das perguntas foi a respeito da mala preta que o papa faz questão de carregar. E ele, com muito bom humor, respondeu: "Não tinha a chave da bomba atômica. Eu sempre fiz isso. Quando viajo, levo minhas coisas. E dentro o que tem? Um barbeador, um breviário (livro de liturgia), uma agenda, tinha um livro para ler, sobre Santa Terezinha. Sou devoto de Santa Terezinha. Eu sempre levei eu mesmo minha maleta. É normal. Nós temos que ser normais" (Fonte: Blog do Jamil Chade, jornalista de O Estado de São Paulo).

Sem dúvida, é exemplar o fato de o papa carregar a própria bagagem de mão. Mas acho curioso, por outro lado, que o líder do catolicismo — e admirado por muitos evangélicos — não leve consigo um exemplar da Bíblia Sagrada! Aliás, fiquei pensando: que exemplo — melhor do que carregar a própria mala — o papa teria dado a todos os cristãos brasileiros se ele os tivesse incentivado a ler a Bíblia! Imagine o que aconteceria se ele, em suas homilias, tivesse dito aos milhões de peregrinos e telespectadores que o assistiam: "Abramos as nossas Bíblias e leiamos a Palavra de Deus"!

Não é a Bíblia, ao lado da tradição, a fonte de todas as encíclicas, homilias e discursos papais? Acredito que, se o papa Francisco — nesses tempos em que a Bíblia é tida como um livro "altamente preconceituoso" e "fomentador de ódio" — portasse um exemplar das Escrituras, ele não seria tão admirado pela grande mídia. Aliás, por que esta, que tanto criticava Bento XVI, agora endeusa Francisco? Justamente porque ele tem se mostrado um pontífice flexível, disposto a dialogar, um gentleman, um líder religioso politicamente correto, que evita tocar em assuntos polêmicos.

Uma coisa é certa: na Bíblia Sagrada encontramos a melhor defesa dos conceitos de família, valores éticos e morais, vida embrionária, etc. E os que se opõem a tais conceitos não querem, evidentemente, ouvir falar de Bíblia. Sendo assim, se o papa objetiva agradá-los, o primeiro passo é ignorar ou menoscabar tal Livro, dando a entender — tacitamente — que ele é fonte de autoridade precípua e primacial apenas para os "fanáticos" e "fundamentalistas" evangélicos.

Bem, vamos esperar... O argentino Jorge Mario Bergoglio só está começando o seu pontificado. Talvez ele me convença de que estou enganado e tenha coragem de defender com firmeza os valores cristãos esposados nas páginas sagradas, especialmente nas homilias do Sumo Pastor (cf. Mateus 5-7; 23; João 13-17, etc.).

Ciro Sanches Zibordi

7 comentários:

Anônimo disse...

Exatamente não lê a Bíblia e quando cita mente, exemplo quando disse que não tinha ouro... Mentiu descaradamente o Vaticano é uma das maiores fortunas e o cristo dele não é o Jesus Cristo da Bíblia. Quando Jesus Cristo bota fé nos jovens ou no homem, cremos que deva ser o contrário. Disse também que queria bater nas portas dos corações. Assumiu o papel de Deus na Terra.
Ou é muita ignorância bíblica, arrogância e o povo cego balança a cabeça inclusive muitos que se dizem evangélicos, como vacas de presépio

Mateus Emilio Mazzochi disse...

Paz do Senhor pastor Ciro. Penso eu que podemos esperar por muito tempo, mas dificilmente este ou qualquer outro papa venha a declarar um amor incondicional às Escrituras, visto que, no meu entendimento de ex-católico, a única "coisa" que falta na igreja romana, é exatamente a Bíblia. Deus o abençoe.

George Gonsalves disse...

Ótimo testo. Francisco é simpático, simples e parece preocupado com os pobres. Contudo, a igreja de Roma não está passando por nenhuma profunda reforma. Ele (como os outros papas) são fieis aos dogmas católicos, incluindo a detestável idolatria.

Danillo Ferreira disse...

A Paz do Senhor! E porque a confiança do tal esta no homem, na "caridade" no "amor fraternal". E com certeza essas coisas são necessárias. Porém sabemos que nosso alvo principal e o céu, a salvação, essas presentes somente na Bíblia, a palavra do Senhor.

Dc. Cássius Danilo - IEAD-PE disse...

Como sempre, a mídia e a sociedade em geral aplaudindo um líder religioso que transige com toda sorte de pecados, inclusive a abominável idolatria. Este Papa iniciou seu ministério da injustiça apresentando-se como simples e humilde, e até pode ser, mas isso está longe de ser suficiente para um servo de Deus. Se bem que suas "virtudes" são mais bem vistas do que a de muitos ditos "Pastores", defensores do triunfalismo, teologia da prosperidade, e confissão positiva, que esbanjam riquezas e exaltam a ambição e o orgulho. Mas, mesmo assim, a igreja de Cristo deve-se manter alerta e combater com as armas da luz, pois hoje é semelhante aos dias de Paulo: 2Co11.13-15. "Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras."

Benny Dio disse...

Caro pastor, tenho lido suas respostas aos consulentes do seu blog, tenho gostado e aprendido a admirá-lo e respeitá-lo. Mas, confesso: estou decepcionado com sua declaração de "quase" apoio ao modelo católico de "evangelizar". Respeitar o papa como pessoa é uma coisa, agora, ver nele um "MODELO" é outra coisa. É por exemplo, concordar com a idolatria ou mariolatria, conforme expressa bem essa foto. Pergunto: O senhor concordou também com esse 'beijinho' no boneco achado no 'rio paraiba'?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Benny Dio,

Ao que me parece o irmão não leu o artigo. Ou, se o leu, não o fez com atenção. Leia-o devagar, com calma, e descobrirá que seu comentário está equivocado.

Em Cristo,

CSZ