sexta-feira, 24 de maio de 2013

Quem disse que somos Terceiro Mundo?

O historiador Geoffrey Blainey afirma que o termo "Terceiro Mundo" foi inventado na França, a fim de descrever as novas nações pobres e não estruturadas, que ficavam em terceiro lugar nas listas, em tudo: renda média, taxa de alfabetização, educação, saúde, etc., exceto crescimento populacional. Estava eu pensando sobre o assunto... E perguntei para mim mesmo: A que mundo o Brasil ora pertence?

Bem, a ONU (Organização das Nações Unidas) divulga um relatório de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) anualmente, pelo qual apresenta a posição de 187 nações. Noruega, há algum tempo, aparece em primeiro lugar, seguida de perto por Austrália e Estados Unidos. Depois, vem uma série de países que também estão bem na foto, a maioria da Europa, e o resto do mundo.

Com base em quê a ONU prepara tal relatório? Ela considera, "grosso modo", três indicadores: de renda, de saúde e de educação. De acordo com a posição no ranking, o índice do país pode ser considerado "muito elevado", "elevado", "médio" e "baixo". Ou, se quisermos dar outros nomes para tais designações: Primeiro Mundo, Segundo Mundo, Terceiro Mundo e Quarto Mundo.

Sabe em que lugar o Brasil está? Segure-se na cadeira. Estamos em 85o. lugar, atrás de Chile (40o.), Argentina (45o.), Uruguai (51o.) e Peru (77o.). Mas alguém poderá dizer, de boca cheia: "O importante é que somos melhores no futebol". Sinceramente, acho que nem nisso temos sido melhores que "los hermanos"...

Agora vem uma informação para nos fazer bater no peito e dizer: "Aqui é Brasil!" A despeito de estarmos em 85o. lugar no IDH da ONU, analistas, com boa dose de otimismo, consideram essa posição muito boa e a inserem — pasmem! — na categoria "elevado". Ou seja, de acordo com a classificação dos quatro mundos que mencionei acima, nós poderíamos nos considerar, hoje, integrantes do Segundo Mundo! E mais: entre os países emergentes, conhecidos como BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), só perdemos para a Rússia!

Comemore, brasileiro! Você agora é segundomundista! Creio que não demorará muito — talvez apenas uns quinhentos anos —, e nós estaremos entre os dez primeiros, fazendo parte da elite mundial! Mas, bem antes disso, podemos ser primeiros em alguma coisa, caso ganhemos a Copa do Mundo de 2014, não é mesmo? Aliás, falando em futebol, em que lugar no ranking da FIFA estão Noruega, Austrália e Estados Unidos?

Viva o Brasil, o país da bola Cafusa (carnaval, futebol e samba) e do que mais, mesmo!?

Ciro Sanches Zibordi

2 comentários:

João Paulo disse...

A paz do Senhor, pastor Ciro!

Ainda nesta semana, em São Lourenço da Mata, que dista de Recife aproximadamente 16 km, foi realizado um jogo teste no Arena Pernambuco, um dos estádios que receberão algumas seleções que estarão na Copa das Confederações. Neste estádio foram gastos, segundo informações, mais de R$ 500.000.000,00. Em contrapartida, os hospitais e a educação são uma negação.

Pasme! - aqui, em Recife, tem até igreja aliciando seus fiéis para irem para os jogos dessa copa, através de faixas.

Um abraço!

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Ciro, graça e paz!

Em primeiro lugar, queremos parabenizá-lo, sem nenhuma bajulação, pois não é do nosso feitio tal comportamento.
No entanto, não negamos a nossa satisfação em ler os artigos em seu blog.
Assim dizemos, tendo em vista aos diversos assuntos abordados que, sem dúvidas, tem melhorado nosso cabedal bíblico-teológico, mas também permiti-nos opinar sem a limitação que nos é oferecida na sua coluna na CPAD NEWS.
Quanto ao tema abordado sobre a posição na qual se encontra o Brasil no tocante ao desenvolvimento, a nosso ver, é por demais vergonhosa.
Se não estamos sendo injustos, essa "extraordinária" colocação, também deve-se a dinheirama que "autoridades" lesa- pátria, desviam para suas contas, deixando assim, a população à mercê da sorte no que se refere às questões sociais.
E o pior é que, raramente, toma-se conhecimento do ressarcimento feito por essas figuras nocivas à nação.
Por isso, também, nosso país é conhecido como o "paraíso da impunidade".

Em Cristo,
Tadeu de Araújo