segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Por quem Cristo morreu?

O bom hermeneuta — intérprete das Escrituras — não deve se prender apenas ao étimo dos termos bíblicos para fazer uma boa exegese. Ele deve saber que os contextos geral e imediato podem alterar o significado original de uma palavra. Afinal, as Escrituras são análogas. Vejamos como os termos "todos" e "muitos", em Romanos 5, mudam de significado de acordo com a construçao frasal ou ao serem confrontados com a analogia geral das Escrituras.

- Versículo 12: "por um homem [Adão] entrou o pecado no mundo [...] a morte passou a todos os homens [...] todos pecaram". O termo "todos", aqui, evidentemente, alude à totalidade do mundo, visto que os contextos imediato e remoto indicam que todas as pessoas do mundo, sem exceção, pecaram e vêm ao mundo, por conseguinte, já mortas em pecado (Rm 3; Gl 3; Jo 3, Ef 2, 1 Jo 1-2; Sl 51.5, Pv 20.9; Is 53, etc.).

- Versículo 15: "pela ofensa de um [Adão], morreram muitos". O termo "muitos", aqui, denota "todos". Por quê? Porque o versículo 12 (contexto imediato) mostra que a morte passou a todos os homens, depois da Queda, e não a muitos. Além disso, como vimos, o contexto remoto também revela que o pecado original é extensivo a toda a humanidade.


- Versículo 18: "por uma só ofensa [a de Adão] veio o juízo sobre todos os homens para condenação [...] por um só ato de justiça [realizado pelo Senhor Jesus] veio a graça sobre todos os homens para a justificação de vida". O termo "todos", aqui, à luz do contexto imediato, refere-se, sem dúvidas, à totalidade da humanidade pecadora. Afinal, todos nascem debaixo da condenação, visto que Deus nivelou toda a humanidade debaixo do pecado (Rm 11.32; Gl 3.22). Por outro lado, pela mesma lógica, todos os que crerem, considerando que Deus não faz acepção de pessoas (Rm 2.11; Tg 2.1), podem ser alcançados e salvos pela graça de Deus (Jo 3.16; Mc 16.15,16; Tt 2.11; 1 Tm 2.4; 4.10; 1 Jo 2.1,2).

- Versículo 19: "pela desobediência de um só homem [Adão], muitos foram feitos pecadores [...] pela obediência de um [Cristo], muitos serão feitos justos". O primeiro "muitos", aqui, como já vimos, equivale a "todos". Mas o segundo denota, curiosamente, "poucos", em relação à totalidade. Como assim? Embora o Senhor Jesus tenha provado a morte por toda a humanidade (Hb 2.9) — haja vista ter Deus encerrado a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia (Rm 11.32) —, a Bíblia mostra que poucos são os que entram pela porta da salvação (Mt 7.13,14).

Van Johnson, ao discorrer sobre a ocorrência de "todos" e "muitos" em Romanos 5, afirmou: "O leitor notará como Paulo passa livremente de 'todos' para 'muitos' ao longo de toda essa seção. [...] O uso de 'muitos' em oposição a 'todos' não é significativo, porque Paulo usa os termos intercambiavelmente. Os 'muitos' que morreram pela transgressão de um homem (v.15) são certamente referência a todas as pessoas. E a natureza paralela dos versículos 18 e 19 sugere que o 'todos' do versículo 18 é equivalente ao 'muitos' do versículo 19" (Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento, CPAD).

Em Romanos 5.6, a Palavra de Deus assevera que "Cristo morreu a seu tempo pelos ímpios". Ele não deu a sua vida por um grupo seleto de santos e justos, e sim por ímpios e pecadores. Paulo explica melhor o sentido de morrer pelos ímpios, nos versículos posteriores: "Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (vv.7,8).

Além de ímpios, éramos, por antecipação, inimigos de Deus, visto que já nasceríamos em pecado (Rm 3.23; 5.12). Paulo esclarece: "se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida" (Rm 5.10). Não existem justos de nascimento. Se, hoje, somos considerados justos, é porque fomos justificados pelo Senhor Jesus (v.1). E isso decorre do seu sacrifício vicário e expiatório: "Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira" (v.9).

Diante do exposto, por quem Cristo morreu? Por todos os pecadores, ímpios e inimigos de Deus. Ou seja, o Senhor deu a sua preciosa vida por mim e por você.

Em Cristo, o Salvador do mundo,

Ciro Sanches Zibordi

23 comentários:

Thiago Gonçalves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiago Gonçalves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiago Gonçalves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Caro irmão pastor Ciro Zibordi, fico feliz com esse tema explanado pelo irmão e peço que fale mais sobre esse assunto, pois eu vejo uma certa ignorância nas pessoas sobre certos temas Bíblicos, isso por não conhecerem a palavra de Deus a fundo.Há aberrações muitas sobre a doutrina da predestinação com o intuito de defendê-la.Minha mãe assistiu ao estudo de um pastor no qual afirmava que até mesmo um recém nascido ,se vier a morrer e, não foi predestinado à salvação, poderá ir para o inferno.O pior é que se muitos cristãos não estão com suas mentes fixas na palavra de Deus, os tais irão crer nessa doutrina que descrê na total expiação de Jesus pelos pecadores, isto é, mostra uma doutrina anti-Bíblica onde prega que Jesus tem os seus privilegiados e escolhidos e, o resto, o Senhor não irá salvá-los.

Thiago Rocha disse...

Infelizmente para muitos é mais viável aceitar a opinião dos teólogos, ainda que não se coadunem com as escrituras.

Ricardo Rocha disse...

Muito bom postor Ciro.

Concordo plenamente.

Tamar disse...

Eu não desejo ver a Igreja Católica com todos o seu magnífica arte e rituais e música desaparecerem. Eu só quero que eles abandonem suas histórias sobre a criação, incluindo especialmente a da ressurreição de Cristo.

Edward O. Wilson - Sociobiologista da Universidade de Harvard que alguns consideram o mais importante biólogo vivo.

http://www.spiegel.de/international/spiegel/spiegel-interview-with-edward-wilson-on-the-formation-of-morals-a-884767.html



Entrevista publicada hoje 26/02/13

T.Mendes disse...

Pois é, parece-me que não foi suficiente. Hoje Deus tem que satisfazer mais "sangue" aos seus filhos pois o da cruz não foi suficiente.Morreu por todos e quase todos que o aceitam procuram a Deus com o que Ele oferece, "vitória" e triunfo nas adversidades. O ego pregado na cruz seria de TODOS, mas parece que quase Todos despregam-no. O maior inimigo foi pregado com Ele na cruzm nossos próprios interesses, mas nem todos pensam assim, ou querem diferente. Morreu por nós egoistas e amantes dos próprios deleites. Não creio em eleição prédestinada. Creio que a todos é oportuizado, sem distinção. Por outro lado, todos nós deveríamos rever o que verdadeiramente busco em Deus.

Dorival disse...

Pastor uma pergunta que não quer calar, se uma criança recém nascida morrer vai para o inferno? as crianças que são filhos de cristãos "apresentadas" na igreja passam a ser salvas? Parecem perguntas bobas, mas muita gente que conheço tem a curiosidade de saber; O que a bíblia fala sobre isso? desde já obrigado.

Paulo Cesar Antunes disse...

Se esses fossem os únicos versículos a favor da morte de Cristo por todos, eu creio que alguma dúvida até que poderia ser lançada. Mas as Escrituras afirmam em várias passagens, de diversas maneiras, que Cristo morreu por todos.

Elas dizem que Cristo morreu pelo mundo (inteiro), por todos os homens, pelos ímpios, por aqueles que perecem, por aqueles que o negam, por toda nação de Israel, por cada homem. O que alguém poderia exigir mais da Palavra de Deus para se convencer? Curiosamente, alguns usam de diversos artifícios para esvaziar o maravilhoso sentido desses versículos, que é que Cristo não excluiu ninguém de seu sacrifício.

Tire o sacrifício de Cristo por todos e o Evangelho se torna uma charada.

Parabéns pelo artigo, Pr. Ciro.

Clóvis Gonçalves disse...

Pr. Ciro,

Parabéns pela abordagem do tema e principalmente por fazê-lo a partir da Bíblia. A regra apresentada no primeiro parágrafo é perfeita.

Quanto à sua aplicação, preciso reler seu texto com mais vagar, com tempo para consultar as referências apresentadas. Se for o caso, escrevo algo a respeito.

Creio que a pergunta a ser feita sobre a morte de Cristo é: seu propósito foi tornar possível a salvação de todos sem exceção ou tornar certa a salvação de muitos?

Em Cristo,

Anônimo disse...

Paz do Senhor
Pastor se possível responda minhas perguntas:
Após a vinda de Jesus, depois de haver a reunião dos santos já com os corpos glorificados, as pessoas terão todas a mesma idade? caso não, como ficarão os bebês, as crianças e os idosos?

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Ciro, graça e paz!
Aqui no nordeste, pelo menos três décadas atrás, no meio pentecostal, era coisa reprovada estudar teologia.
Nossos distintos pastores, apesar de bem intensionados no tocante ao zelo, infelizmente, faltava-lhes sabedoria.
A passagem clásssica defendida por eles para que não estudássemos, era 2 Coríntios 3.6.
Depois do devido esclarecimento, ficamos livres para estudarmos e, consequentemente, melhoramos no tocante às Escrituras.
Não temos dúvidas de que é imprescindível, principalmente para os obreiros do Senhor, o crescimento,tanto na graça quanto no conhecimento, conforme 2 Pedro 3.18, não somente para instruir à Igreja de Cristo, mas também os de fora.
Muito embora não sejamos formado em teologia, no entanto, sem falsa modéstia, temos razoável conhecimento como autodidata.
O que não concordamos, sinceramente, com muitos mestres de escol, é quando eles chegam às nossas igrejas, na condição de palestrantes, e se utilizam de um vocabulário por demais acadêmico.
Do nosso ponto de vista, eles "deveriam pensar como sábios, mas se expressarem como pessoas simples".
Se assim o fizessem, tornar-se-iam mais compreendidos.
Em Cristo,
Tadeu de Araújo

Ciro Sanches Zibordi disse...

Irmão Thiago Gonçalves,

A paz do Senhor.

Grato pelas palavras. Não tenho nada contra o irmão. Quanto aos seus comentários, aqui e lá no Facebook, faça o que quiser com eles.

Que Deus o abençoe.

Em Cristo,

CSZ

Ciro Sanches Zibordi disse...

Clóvis,

Preferi uma pergunta mais sucinta e objetiva. Mas agradeço-lhe pela sugestão.

Um abraço.

CSZ

Boanerges disse...

É essa nossa maior esperança é tudo que temos e o que somo devemos a ele, pelas suas pisaduras fomos sarados, hó Glória... Deus abençoe sua vida Pr. Ciro, tenho aprendido a cada dia com o Senhor, entro diariamente no blog.

Matheus Carrel disse...

Pastor Ciro, o fato de eu discordar de algo de um pastor e não se submeter ao que ele ensina e prega não contradiz o texto de Hebreus 13:17 que diz para nos submetermos aos nossos pastores ? Se eu vou contra o que meu pastor ensina independente de estar certo ou não eu não estou contradizendo Hb 13:17 ?, e neste caso, pecando contra Deus ? Diante desse seu texto o que você acha da cobertura espiritual, onde a pessoa fica debaixo da cobertura espiritual do seu pastor ?Você concorda que se eu sair da sua Igreja eu tenho que pedir permissão e avisar o pastor disso ?
.
Obrigado !!!
T+++

Anônimo disse...

Pr Ciro Graça e Paz.
Minha pergunta é: Se, Jesus morreu por "todos" os humanos, como conciliar isso, com João 10:11,15,28. Leocádio

Escola Bernardina disse...

Parabéns, muito claro o artigo e melhor ainda, tendo base as palavras de Paulo que hoje em dia têm sido deturpadas à uma ideologia em que Cristo morreu somente para a salvação de alguns.

Milton Pelembe disse...

Paz e Graca pastor tenho tido a apurtunidade de ler algumas das suas obras do outro lado do mundo(Mocambique) mas no entao nao deixam de acrescentar o meu crescimento espiritual, quanto ao artigo tenho que dizer que um dos maiores erros é a globalizacao de Deus, "o Deus é o mesmo", "Pai de todos", e de facto Ele é compassivo cotos pelo facto de sermos suas criaturas porem Pai, é daqueles que o aceitem como ilustra o irmao Joao(Jo 1:12) e louvo ao meu Eterno Deus por ter me incluido nessa lista e por dar sabedoria aos n'Ele esperam, fique na Graca do Pai e Da do Jesus Cristo.

ALEX disse...

PASTOR CIRO COMENTE SOBRE A RENUNCIA DO PAPA E SE EXISTE ALGUMA RELAÇÃO COM AS PROFECIAS BÍBLICAS,
PAZ

Joao Veloso disse...

A sua argumentaçao está correta, mas é preciso saber se a sua intençao é indentificar se a justificaçao é uma garantia de Deus para termos a salvaçao de uma vez por toda, isso vc não deixa claro,vale ressaltar que o texto em (Mt 7.13,14), está ligado ao evento do eden e da cruz,a porta estreita é os que aceitam Cristo como unico e suficiente salvador, e são poucos que fazer isso, os muitos são os que permanessem mortos em adão e rejeitam a pregaçao do evangelho, não velo ese texto como iniciativa do homem em buscar a salvaçao!
Graça e paz.

Joao Veloso disse...

A sua argumentaçao está correta, mas é preciso saber se a sua intençao é indentificar se a justificaçao é uma garantia de Deus para termos a salvaçao de uma vez por toda, isso vc não deixa claro,vale ressaltar que o texto em (Mt 7.13,14), está ligado ao evento do eden e da cruz,a porta estreita é os que aceitam Cristo como unico e suficiente salvador, e são poucos que fazer isso, os muitos são os que permanessem mortos em adão e rejeitam a pregaçao do evangelho, não velo ese texto como iniciativa do homem em buscar a salvaçao!
Graça e paz.